StatCtr

Tuesday, February 12, 2013

Livro 1 - Capítulo XIV - Christian Grey e Anastasia Steele


CAPÍTULO XIV
TOMANDO POSSE

Tradução: Neusa Reis                                          
 Edição/Revisão: Beatriz Reis



O ar está um pouco frio esta noite, mas da maneira como estou me sentindo agora, eu não precisaria nem mesmo de minha jaqueta de couro. Mas os anos de hábito de tomar conta de mim levam a   melhor de mim e saio do carro vestido nele, com a garrafa de champanhe na mão. Eu bato em sua porta com um entusiasmo que não posso esconder. Ela abre. Meu coração acelera com a visão dela. A visão dela é como ganhar um vislumbre do céu. 

Heaven - Frank Sinatra
"Oi", ela diz timidamente. Seu olhar me percorre, e ela mais do que aprova.

"Oi", eu digo para ela. Ela abre mais a porta, convidando-me, "entre por favor."

"Se eu puder", eu digo divertido. "Eu pensei que poderíamos comemorar sua formatura. Nada bate um bom Bollinger", eu digo segurando a garrafa de champanhe.

"Interessante escolha de palavras", responde Anastasia significativamente.

"Eu realmente gosto da sua sagacidade, Anastasia", eu digo.

"Oh, Christian, estamos com tudo embalado. Eu só tenho xícaras de chá. Pode ser? " Ela pergunta.

"Xícaras de chá? Elas estariam bem," eu digo. Ela vai para a cozinha para pegar as xícaras de chá.

Quando entro na cozinha, eu encontro um pacote marrom na mesa do café da manhã com uma nota anexada a ele. Eu a reconheceria em qualquer lugar, porque esta citação escrita em um pedaço de papel estava nos meus sonhos.

"Eu concordo com as condições, Angel; porque você sabe melhor qual deverá ser minha punição; somente - somente - não torne isto maior do que eu posso aguentar!"
(N.T.  Tess of the D’Urbervilles – Thomas Hardy)                      

Quando ela entra de volta, ela me encontra olhando para isto.

"Isso é para você", diz ela, ansiosa.

"Hmm, eu achei o máximo. Citação muito adequada. " Meus dedos traçam a escrita. Eu olho para ela. "Mas eu pensei que eu era D'Urberville, não Angel. Desde que você decidiu pela degradação, "  eu digo com um sorriso predatório. "Sabia que você ia encontrar algo bem apropriado."

"Mas, é também o meu apelo", ela sussurra.

"Um apelo?" Estou surpreso, mas eu entendo. "Para mim, para pegar leve com você?" Eu pergunto suavemente. Ela acena com a cabeça.

"Anastasia, eu comprei estes para você", eu digo tentando não demonstrar minha mágoa. Eu quero que ela aceite meus presentes. Eu não sei por que eu tenho essa vontade de cuidar dela, dar as coisas para ela. "Se você aceitá-los, eu vou pegar leve com você", eu digo.

"Christian, é difícil para mim aceitar. Eles são muito caros, " diz ela com fervor.

"É disso que eu estou falando, Anastasia, você está me desafiando. Eu gostaria que você os tivesse, e esse é o fim da discussão. É realmente muito simples. Você não tem que pensar sobre isso. Como submissa, você seria apenas grata por eles. Você apenas aceita o que eu lhe compro porque me agrada quando você faz isso , " eu digo.

"Christian, eu não era sua submissa quando você comprou esses para mim", ela sussurra.

Preocupa-me que ela pode estar mudando de idéia. Eu não posso aceitar isso.

"Não, você não era, Anastasia, mas você concordou." Ela dá um suspiro. Sua mente está tramando algum esquema, e eu posso ver isto em seu rosto.

"Você diz que são meus para fazer o que eu desejar?" Eu estreito meus olhos, sabendo que ela tem um esquema na manga, mas admito.

"Nesse caso, eu gostaria de doá-los a uma instituição de caridade que trabalhe para Darfur, uma vez que você gostaria de ajudar aquela região do mundo. Eles provavelmente poderiam leiloá-los. "

Uma vez que eu dei os livros para ela, deixei-lhe a oportunidade de vir com esse esquema para não aceitá-los, e não deixar-me uma palavra a dizer! Estou descontente. Ela encontrou uma brecha nas minhas regras, mesmo com algo tão simples como o presente que eu lhe dei, se ela não o quiser. Eu estou magoado.

"Se isso é o que você deseja", eu digo. Meu desagrado se mostra em meus lábios que estão tensos como uma corda esticada. Ela cora vendo meu desapontamento.

"Está bem! Vou pensar sobre isso, " diz ela.

"Por favor, Anastasia, não pense. Não sobre isso! " Eu digo calmamente. Nós dois estamos tensos agora. Ela olha para baixo para seus dedos. Eu gosto dela, muito. Especialmente quando ela está tímida assim. Há algo que me puxa para ela. Eu estendo a mão e puxo seu queixo para cima, olhando em seus olhos com uma expressão séria.

Eu quero cuidar dela, eu quero fazer coisas para ela, quero comprar coisas, esbanjar com ela. Eu quero que ela se acostume com isso. Eu cuido do que é meu!

"Anastasia, eu vou comprar para você um monte de coisas. Você precisa se acostumar com isso. Eu sou um homem muito rico e posso pagá-lo facilmente," eu digo inclinando-me e plantando um beijo casto em seus lábios. "Por favor, baby", eu digo, soltando-a.

"Eu me sinto vulgar. Isso me faz me sentir como uma vadia, " ela sussurra me deixando exasperado. Passo a mão pelo meu cabelo.

"Anastasia! Nunca mais diga isso. " Eu digo com fervor. " Você não deve pensar assim. Não pense demais nisso! Você está fazendo um vago julgamento moral sobre si mesma com base no que os outros possam pensar. Eu não quero que você perca a sua energia nisto. Isso ocorre porque você tem noções preconcebidas sobre nosso acordo uma vez que você não sabe no que você está se metendo ", eu digo.

Ela franze a testa, ficando perdida em seus pensamentos. Ah, não...  ela está pensando  demais de novo, e leva o  lábio para o cativeiro de seus dentes. Eu me aproximo e toco seu rosto, e libero o lábio, "Ei, pare com isso, ok?" Eu digo. "Ninguém pode chamá-la de vulgar. Não há nada que seja vulgar em você, Anastasia. E eu não quero nunca que você se chame de 'vadia'. Você é uma lady! Você está sempre pensando demais. O que temos aqui são alguns livros antigos que eu pensei que você poderia gostar de ter, porque eu pensei que poderiam significar algo para você. É isso aí.  Aqui,  tome um pouco de champanhe ", eu digo calorosamente. Ela sorri de volta para mim, e o sol está sobre seu rosto.

"Assim é melhor", eu sussurro. Quando eu abro a garrafa e despejo um pouco de champanhe na sua xícara de chá, ela se surpreende com sua cor.

"Christian, é rosa!", Diz ela com os olhos arregalados, espantada. E isso é uma das coisas que eu amo nela. Eu não sei como ela vai reagir ou responder a qualquer coisa que eu faça, simples ou complexa.

"Sim, é Bollinger Rosé Grande Année 1999, uma excelente safra", eu digo.

"Uma excelente safra em xícaras de chá...", acrescenta ela me fazendo sorrir.

"Sim, xícaras de chá são uma excelente escolha. Parabéns pela formatura," eu digo levantando minha xícara de chá para a dela, e nós brindamos.

"Obrigado", diz ela, acrescentando: "vamos discutir os limites suaves?", ela diz me fazendo sorrir. Estamos sempre ansiosos para seguir, hem, Srta Steele? Ela cora. Eu pego sua mão e a levo para o sofá.

"Sempre tão ansiosa", eu digo, puxando-a sentada ao meu lado.

Mas primeiro eu quero que ela tenha um pouco de champanhe nela. Porque, ela está sempre muito fechada. Se eu quero que ela seja aberta e expressiva comigo, ela precisa se soltar um pouco. Como se diz em latim, "In Vino Veritas. No vinho a verdade."

"Seu padrasto é um homem muito calado", eu digo surpreendendo-a.

"Mesmo assim, você conseguiu que ele comesse na sua mão", ela responde.

"Isso só porque eu sei como pescar", eu digo.

"Sim, eu ia lhe perguntar isso. Como você sabia que ele era bom de pesca ou até mesmo que ele gostava de pescar? " Ela pergunta curiosa.

"Você me disse, no café", eu digo surpreendo-a mais ainda. Ela parece satisfeita que eu prestei atenção quando ela falou. Ela não se lembra de ter me contado sobre isso, mas ficou satisfeita que me lembrei. Ela me pergunta se eu provei o vinho na formatura. Eu digo-lhe, sim, mas estava muito ruim.

"Quando provei, eu pensei em você", diz ela. "Como você consegue ser tão conhecedor de vinho?", Ela pergunta.

"Não é porque eu sou um conhecedor. Eu apenas sei o meu próprio gosto", eu digo. O mesmo vale para tudo o mais nos meus gostos particulares. Eu apenas sei o que eu gosto. Sua xícara de chá está quase vazia. Eu mostro a garrafa para ela incentivando-a a ter um pouco mais. Ela aceita, e eu a preencho até em cima. Falamos sobre sua mudança para Seattle. Eu quero que o champanhe tenha tempo para fazer efeito.  Ela me diz que o dia seguinte é o seu último dia de trabalho. A semana  quase acabou, e nenhum sinal de seu Blackberry.  Eu tenho que fazer Taylor colocar fogo debaixo deles. Tem que ser entregue amanhã.

"Eu realmente gostaria de ajudá-la a se mudar, mas é que  minha irmã Mia está voltando de Paris e eu tenho que buscá-la no aeroporto. Mas eu entendi que Elliot está pronto para dar-lhes uma mão  durante sua mudança. " eu digo.

Ela sorri, "Sim, é. Kate está muito excitada com isso," ela responde. O pensamento de Kate, a  trituradora de bolas, e meu irmão Elliott é um pouco perturbador. Eu balanço minha cabeça, "estranha combinação. Quem teria pensado? " Eu faço uma careta involuntariamente.

"O que você planeja fazer para trabalhar?" Pergunto ainda à espera que o vinho exerça sua magia. Mas a resposta que eu consigo me surpreende.

"Eu tenho um par de entrevistas para estágios", diz ela. Eu estreito meu olhar, e este bit de informação estranhamente me aborrece. Por que eu sou o último a saber?

"Quando você ia me dizer sobre isso?" Eu pergunto.

"Estou dizendo", ela responde surpresa. Fechada como seu padrasto. É por isso que eu tenho a champanhe. Se eu tiver uma esperança que ela fale comigo abertamente, ela precisa se soltar. Eu estreito meus olhos sobre ela e pergunto: "Onde?"

"Um par de editoras", diz ela vagamente.

"Você quer estar em publicações?" Eu pergunto; ela concorda.

"Então?" Eu pergunto.

"Então o quê?", Ela responde.

"Oh, vamos Anastasia. Você está sendo obtusa. Que editoras? "

"Algumas  pequenas", murmura. Ela não quer que eu saiba. Por quê?

"Anastasia, por que você não quer me dizer?"

"Eu não quero a sua influência indevida, Christian", ela murmura me fazendo cara feia. Ela me olha com seus olhos azuis examinando minha expressão. "Ah, eu acho que é você que agora está sendo obtuso", ela diz mudando o meu humor e me fazendo rir.

"Eu sou obtuso? Senhor, você está me desafiando. Beba champanhe e vamos falar sobre esses limites, " eu digo. Ela bebe até a última gota de seu champanhe, e quando eu pergunto se ela quer mais, ela quer. Estou satisfeito. Eu sei com certeza que ela fica loquaz quando ela bebe. A bebida a fez chamar-me da primeira vez, quando fui para resgatá-la daquele bar dos primeiros tempos. Mas eu acabei de lembrar que ela também vomitou por todo o pátio e no canteiro de flores, porque ela estava com fome.

"Você já comeu hoje?" Eu pergunto-lhe interessado.

"Sim", ela revira os olhos. "Eu tive uma refeição de três pratos com o meu padrasto", diz ela com petulância.
Oh baby! Você acabou de rolar seus lindos olhos para mim? Eu me inclino e seguro-lhe o queixo, encarando aqueles olhos, eu respiro minha ameaça muito sincera, "Baby, da próxima vez que você rolar esses olhos para mim, eu vou colocá-la em meus joelhos." Na verdade, é uma promessa.

"Oh," ela respira. É um gemido que escapa.

"Oh,"  Eu imito a ela. Estou mais que excitado. Regras, querida, "assim isso começa, baby", eu digo. Eu encho seu copo de novo, e ela engole tudo, olhando para mim.

"Eu tenho sua atenção agora?" Eu pergunto-lhe. Ela acena com a cabeça.

"Eu quero que você me responda", eu digo com firmeza.

“Sim, você tem a minha atenção, "  murmura.

"Tudo bem então", eu digo, "os atos sexuais. Nós fizemos a maioria destes, " Eu digo olhando para a lista de limites suaves. Ela se move para perto de mim no sofá e olha para baixo para a lista. Eu gosto de sua proximidade. Muito!

Nós examinamos rapidamente os limites suaves, e o que é agradável para ela,  a maioria dos quais nós já fizemos. Quando ela olha para a lista, ela fecha os olhos como se ela estivesse desgostosa com o que estamos olhando.

"Nenhum grampo de qualquer tipo!", Diz ela, com firmeza.

"Ok," eu consinto, "qualquer coisa mais a que você se oponha?"

"Eu não estou muito interessada em sexo anal também. Ele não faz minha cabeça," diz ela. Ah, não, isto não, baby! Não com o que você tem!

"Eu concordo com o fisting (N.T. grampo)," eu digo, "mas eu realmente, realmente gostaria de reivindicar a sua bunda redonda rosada. Anastasia. Mas, nós precisamos esperar por isto de qualquer maneira. Porque, você não pode simplesmente mergulhar nisto sem treinamento adequado. "  Eu digo.

"Treinamento? Para quê? " Ela pergunta.

"Oh baby, isto precisa de uma preparação cuidadosa. Coito anal pode ser muito prazeroso, confie em mim. Mas, se você decidir que não gosta, depois de tentar, não temos de fazer isso de novo, " eu sorrio para ela.
Ela restringe o seu olhar como se duvidasse que poderia ser divertido. "Você já tentou isso antes?", Ela pergunta.

"Sim", eu respondo. Ela suspira.

"Com um homem? " pergunta ela.

"Não. Eu nunca fiz sexo com um homem. Isto não é a minha praia", eu respondo-lhe com sinceridade. Ela parece um pouco aliviada.

"Com a sua ...", ela faz uma pausa com antipatia, "Sra. Robinson? ", Ela pergunta. Eu olho para ela, e vejo o ciúme por trás de seus olhos.

"Sim", eu digo, mas sigo em frente. "Tudo bem, as orais," Eu sorrio. "Eu me lembro que você tem um A nisso", eu digo, ela cora. Toma o champanhe como se desse a ela a coragem que ela está buscando para passar através desta discussão. Ela pode precisar de mais do que coragem, se estamos cada vez passando mais.

"Mais champanhe?" Eu pergunto.

"Sim, por favor", diz ela estendendo a xícara.

Descemos para a lista de brinquedos sexuais. Quando ela vê Butt plug (N.T. Dispositivo Anal) na lista, seus  olhos se arregalam e ela torce o nariz como se ela cheirasse algo sujo.

"Butt plug? Ele é para  o que ele diz? " Ela pergunta com desagrado
.
"Sim. A mesma coisa do coito anal vale para este. Requer treinamento, " eu digo. Ela olha para a lista.

É o uso de brinquedos sexuais aceitável ​​para a  submissa?

       Vibradores   
       Dildos            (N.T. é um objeto em formato que imita o pênis)
       Butt plugs      (N.T.  dispositivo anal)
       Outros

Ela olha para mim e pergunta:  "O que ‘outros’ envolve?", Ela pergunta.

"Contas, ovos ... esse tipo de coisa. "

"Ovos? O que quer dizer ovos? " Ela pergunta ansiosa.

"Não é o que você pensa. Eles não são ovos de verdade , " digo rindo. Sua ignorância é adorável.

"Estou muito feliz que você me ache engraçada", ela diz se sentindo magoada. O que me interrompe, e eu paro de rir, tentando manter o humor fora do meu rosto, mas eu rapidamente me desculpo pela minha transgressão. A última coisa que eu pretendo fazer é ferir seus sentimentos, "Eu peço desculpas, Srta Steele," Eu olho para ela. Ela ainda parece magoada. Eu a encaro, "Eu realmente sinto muito, Anastasia", eu digo pedindo que ela acredite em mim. Ela olha para mim.

"Você tem problemas com brinquedos?"

"Não", ela rebate.

"Anastasia" Eu tento persuadi-la. "Eu realmente, realmente sinto muito. Por favor, acredite em mim. Eu não tive a intenção de ferir seus sentimentos. Eu nunca tive essa conversa com tantos detalhes com ninguém antes. É só porque você é muito inexperiente. Eu sinto muito... está bem?" Desta vez, meu rosto é sincero e contrito. Eu estou sentindo isso. Seu rosto se aquece com a minha sinceridade. Em seguida, passamos para o tema da ‘escravidão’. Ela já definiu suspensão como limite rígido. Desde que ela estará comigo apenas períodos curtos de tempo, não há necessidade de experimentar coisas que levarão um longo tempo para configurar. Ela olha na lista de escravidão. Seus olhos se estreitam quando ela percebe um item na lista e pergunta.

"Por favor, não ria de mim, mas o que é uma barra de extensão?" Eu não gosto de me desculpar duas vezes. Eu sinceramente já pedi desculpas a ela, por que ela duvida de mim? Eu não gosto de ser posto em dúvida.
"Anastasia, já pedi desculpas a você duas vezes. Prometi não rir. " Eu fico olhando para ela. "Por favor, não me faça fazer isso de novo", eu digo com um alerta em meu olhar. Ela se encolhe visivelmente com minha advertência, com um olhar que me diz 'mandão'.

"A barra de extensão é usada para algemar os tornozelos e/ou os pulsos. Elas são realmente divertidas," eu digo. Ela parece em dúvida, mas aceita minha palavra.

"Tudo bem...", diz ela, "com relação a amordaçar-me... O elemento mordaça. Eu não acho que eu quero isso. Eu acho que eu sufocaria," diz ela suspendendo minha respiração. Eu sei sobre isso em primeira mão.

"Eu também ficaria preocupado com isso. Eu não quero sufocar você," eu digo.

"Como alguém usaria uma palavra de segurança, se está amordaçado, afinal?" Isso me faz pausar. Eu nunca vou querer ir tão longe a ponto dela  ter necessidade de usar uma palavra de segurança para mim.

"Primeiro Anastasia, espero que você nunca tenha que usar palavras de segurança. Mas uma vez que alguém está amordaçado, sinais de mão são usados ​​como palavras de segurança, " eu digo para ela. Ela pisca com a  minha descontração.

"Eu ainda estou nervosa com relação a amordaçar", diz ela com desgosto.

"Tudo bem." Eu digo, "Eu vou manter isso na cabeça  e tomar nota do mesmo." Então ela olha para mim com o brilho do entendimento surgindo  em sua cabeça tão forte que ilumina todo o seu rosto.

"Você gosta de amarrar suas submissas para que elas não possam tocar em você?" Ela me enquadra. Eu olho para ela surpreso, meus olhos arregalados.

"Essa é uma das razões", eu digo baixinho.

"Esta é  a razão pela qual você amarrou minhas mãos?"

"Sim." Eu digo, ficando em silêncio.

"Você não gosta de falar sobre isso", ela observa.

"Não, eu não gosto. Gostaria de mais bebida? Isso  está fazendo você ficar corajosa, e eu preciso saber como você se sente sobre dor. "

Seus olhos se arregalam. Eu encho a xícara, e ela toma um gole.

"Como você se sente sobre receber dor?" Pergunto a ela  com expectativa. De repente ela fica tímida, e seu lábio vai para o cativeiro de seus dentes. "Você está mordendo o lábio," eu a lembro sombriamente. Ela libera o lábio imediatamente, e cora  olhando para suas mãos.

"Deixe-me perguntar-lhe isto: Você foi  punida fisicamente quando criança?"

"Não", ela responde.

"Entendo", eu digo, "assim, em outras palavras, você não tem nenhum termo de comparação?"

"Não", ela responde. Meu olhar suaviza.

"Não é tão ruim quanto você pensa. Sua imaginação é o seu pior inimigo nisso, " eu sussurro.

"Você tem que fazer isso?", ela pergunta.

"Sim", eu respondo com firmeza.

"Por quê?", Ela retruca.

É porque eu sou um porra de um filho da puta , eu penso para mim mesmo. "Isto faz parte do negócio, Anastasia. É o que eu faço. Eu posso ver que você está nervosa com isso. Vamos dar uma olhada nos  métodos, " eu digo. Quando ela olha para a lista, seus olhos se arregalam e sua respiração suspende.

       Palmada
       Palmatória
       Chicotadas
       Caning (bater com bengalas)
       Cortar
       Grampos de mamilo
       Grampos genitais
       Gelo
       Cera quente
       Outros tipos / métodos de dor

Ela empalidece  uma vez que ela olha os itens da lista.

"Você decidiu contra os grampos genitais o que está bem. Bengalas são o que dói mais ", eu digo. Ela fica branca como papel.

"Podemos trabalhar isto," eu digo.

"Ou", ela pronuncia lentamente "não fazer nada disso", ela sussurra.

Não, não... Eu tenho que ter isso. Eu tenho que ter o lado da dor. Isto alimenta o monstro fodido dentro de mim. "Baby, isso é parte do acordo, mas vamos trabalhar tudo isso. Eu não vou forçá-la muito longe, Anastasia ", eu digo.

"Essa coisa de punição é o que me preocupa mais", diz ela em voz baixa. Estou feliz que ela me disse isso, porque, nós podemos trabalhar determinados castigos, ou deixá-los fora por enquanto.

"Bem, eu estou feliz que você me disse. Vamos manter as ‘bengalas’ fora da lista, por enquanto. Quando você se sentir mais confortável com isso, vamos aumentar a intensidade, mas começando devagar, " eu digo tentando apaziguar sua preocupação.

Ela engole seco, olhando cética. Eu me inclino para a frente e a beijo nos lábios.

"Então, isso não foi tão ruim, foi?", Digo. A única resposta que ela consegue dar é  um encolher de ombros.
"Há mais uma coisa que eu quero falar, e então eu vou levar você para a cama", eu digo com meu olhar intenso.

"Cama?", ela pergunta, piscando rapidamente, seu rosto corando.

"Vamos Anastasia, todas as coisas que nós temos falado por aqui me fazem querer foder você até a próxima semana a partir de agora. Isto deve estar tendo algum efeito sobre você, também ", e ela começa a se contorcer na cadeira o que me agrada imensamente. 

Tonight - Enrique Iglesias

"Vê?", Digo, "Além disso, há algo que eu gostaria de tentar."

"Algo doloroso?", Ela pergunta.

"Não. Pare de ver a dor em toda parte. É principalmente prazer. Eu já machuquei você? " Ela cora.

"Não", ela diz.

Aqui chegou o momento em que eu quero fazer o meu compromisso, minha concessão... para Anastasia.

"Bem, então. Olha, hoje cedo, na faculdade, você estava falando sobre querer mais," eu digo, pausando. Eu nunca fiz isso antes. Nunca concedi. Eu quero isso agora? Ela está meio ansiosa olhando para mim. Eu tomo a minha decisão. Eu aperto suas mãos, e olho em seus olhos.

"Fora do tempo em que você for minha sub, talvez possamos tentar..." Eu digo , inseguro, de repente, uma vez que é algo que eu nunca tinha feito antes. "Eu não sei se vai funcionar. Eu não sei como separar tudo. Pode não funcionar, mas eu estou disposto a tentar. Talvez uma noite por semana. Eu não sei, " eu expiro.

O choque em seu rosto finalmente a deixa sem fala por uma vez. Aproveito minha vantagem do seu silêncio, boquiaberta, e acrescento: "Eu tenho uma condição", olhando para sua expressão atordoada com cautela.
"O que?", Ela respira , ansiosa para aceitar qualquer coisa.

"Você graciosamente aceitar o meu presente de formatura para você."

"Oh", ela responde, seu rosto cai. Eu olho para ela, tentando avaliar sua reação. Eu estendo a minha mão para ela e murmuro, "Venha", levantando-me, e levando-a comigo. Eu tiro meu casaco e coloco-o sobre seus ombros. Nós saímos. Estou ansioso para ver a reação dela quando ela vir seu Audi compacto de duas portas.

"É para você. Feliz formatura, "  murmuro, puxando-a em meus braços e beijando seu cabelo. Eu recuo e olho para o rosto dela. Um monte de emoções cruzando-o. Feliz, chocada, irritada, desesperada, confusa... Ela está pensando demais novamente. Tomo sua mão na minha e a levo pelo caminho em direção a seu novo veículo seguro.

"Anastasia, seu Fusca era velho, e, francamente perigoso. Eu nunca me perdoaria se algo acontecesse com você quando é tão fácil para mim fazer isso direito. "

Eu quero que ela seja feliz. É pedir muito? Quero deixá-la fora de si... Por que ela quer me negar isso? Eu olho para ela, mas ela fica tímida, sua cabeça abaixa, então se vira para o Audi vermelho.

"Eu comentei com o seu padrasto. Ele estava totalmente de acordo," murmuro. Ela se vira para mim com horror, me encarando.

"Você mencionou ao Ray? Como você pôde?" De repente, ela está muito irritada? Ela mal consegue pronunciar as palavras. Ela parece mortificada. Ela se vira para olhar para mim.

"É um presente, Anastasia. Você não pode simplesmente dizer obrigado ? " Eu digo exasperado.

"Mas Christian, você sabe que é demais!"

"Não, para mim, não é. É o preço da minha paz de espírito , " eu digo.

Ela franze a testa para mim, sem saber o que dizer. Ela se vira para o carro, e então se vira para mim e diz: "Eu estou feliz por você emprestar este carro para mim, como o laptop." É tão difícil fazer com que ela aceite qualquer coisa! Eu suspiro pesadamente. "Tudo bem. Por empréstimo. Indefinidamente", eu digo cautelosamente para ela.

"Não, não indefinidamente, mas por agora. Obrigada", diz ela me fazendo fechar a cara. Então, ela faz algo inesperado e extremamente doce. Ela se aproxima, e beija-me brevemente no rosto e diz: "Obrigada pelo carro, senhor." Com este único gesto, ela faz cair todas as minhas defesas, e dispara minha paixão como um foguete. Eu a agarro de repente, e a aperto contra o meu corpo,  e com uma mão segurando suas costas, a outra agarrando seu cabelo, eu a puxo mais.

"Você é uma mulher desafiadora, Ana Steele!" Eu digo e a beijo com toda a minha paixão reprimida, forçando seus lábios abertos com a língua, arrasadoramente. Sua paixão está pronta para competir com a minha, e ela retorna meu beijo com toda sua paixão, empurrando-se em mim. Estou pronto para entrar em combustão, e pronto para tomá-la aqui mesmo, no estacionamento de seu complexo de apartamentos.

"Anastasia, estou usando todo o meu autocontrole para não foder você sobre o capô do carro, agora, só para mostrar que você é minha, e se eu quiser comprar prá você um porra de um carro de merda, eu vou comprar para você  um porra de um carro de merda! "eu rosno. "Agora, vamos entrar e ficar nua", e eu planto um beijo rude em seus lábios. Minha raiva está se transformando, e manifestando-se nesta rude energia sexual.

Eu agarro sua mão, e praticamente a arrasto de volta para seu apartamento, me encaminhando direto para seu quarto, com Anastasia a reboque. Eu tive o suficiente esperando todos esses dias, e eu estou pronto para reivindicar o que é meu de uma vez por todas. Eu acendo o abajur da mesa de cabeceira. Eu me viro, paro e olho para ela por um momento.

"Por favor, não fique zangado comigo", ela sussurra com seu olhar de bebê. Será que ela tem alguma idéia de que tipo de tornado seu olhar causa em mim? Dou-lhe o meu olhar passivo sob o qual eu posso esconder todas as emoções. Meus olhos são quentes e frios. Eu não digo nada. Eu estou mal me contendo para lançar-me sobre ela agora.

"Eu realmente sinto muito sobre o carro e os livros", diz ela olhando para longe. Eu ainda estou em silêncio, ainda lutando contra minhas emoções internas. "É só que você me assusta quando você está com raiva", ela respira, finalmente olhando para mim.

Eu não quero que ela tenha medo de mim. Eu fecho meus olhos para encontrar o meu equilíbrio, balançando a cabeça como se para sacudir para longe da minha cabeça a nuvem emocional. Quando eu finalmente abro os olhos, eu a olho com a cabeça ligeiramente mais clara, e isto suaviza o meu olhar. Eu respiro fundo e engulo seco. Ela é irresistível agora, e eu quero focar nela, e não sobre a raiva que eu estou sentindo.

"Vire-se", eu sussurro. "Eu quero tirar fora esse vestido." 

She's so High - Tal Bachman

Finalmente um movimento obediente dela! Ela se vira sem dizer nada. Eu ando na direção dela, recolho o cabelo dela de suas costas e coloco do lado direito de seu ombro. Eu posso ouvir seu coração bater como as asas de um beija-flor tentando escapar de seu peito. Eu coloco meu dedo indicador na sua nuca, e lenta e desejosamente arrasto o dedo para baixo, minha unha arrastando em suas costas. Eu amo esse corpo! Eu amo o jeito que ele fica neste vestido.

"Eu gosto desse vestido", murmuro. "Eu gosto de olhar sua pele impecável."

Quando meu dedo atinge a parte de trás de seu vestido frente única, até a metade de sua coluna, eu engancho meu dedo por baixo da parte superior; puxo-a para perto do meu corpo,  fazendo ela dar um passo para trás contra mim. Ela está excitada encostada em mim. Eu me inclino para baixo, e inalo seu cabelo.

"Você tem um cheiro divino, Anastasia. Tão doce ," eu digo enquanto eu roço meu nariz para baixo passando por sua orelha até o pescoço e ombro, enquanto vou depositando macios, leves, beijos sensuais. Sua respiração se torna superficial e rápida, seu corpo cheio de expectativa. Meus dedos localizam o zíper de seu vestido, e dolorosamente lento, eu o puxo para baixo, enquanto meus lábios beijam e lambem, e chupam no meu caminho através de seu ombro. Ela está muito desejosa; ela continua se contorcendo sob o meu toque languidamente.

"Você. Baby. Vai. Ter. Que. Aprender. A. Ficar. Imóvel." Eu sussurro enquanto eu beijo em torno de sua nuca. Eu tomo tudo o que posso com o vestido e puxo a presilha de seu pescoço e seu vestido cai e se amontoa a seus pés. Sem sutiã? Oh. Deus!

"Sem sutiã, Srta Steele? Eu aprovo!" Eu digo. Minhas mãos se aproximam e cobrem seus seios, e tocam seus mamilos que endurecem com o contato de meus dedos. Eu me inclino e murmuro contra seu pescoço.

"Levante os braços para cima, e coloque-os ao redor da minha cabeça." Ela obedece, e seus seios são levantados e empurrados para as minhas mãos, mamilos duros. Seus dedos tecem o meu cabelo, e gentilmente os puxam enquanto  rola a cabeça para um lado dando-me acesso a seu pescoço. Ela é tão fodidamente gostosa!

"Mmm..." Eu murmuro atrás de sua orelha, e começo a estender seus mamilos enquanto seus dedos espelham minhas ações dentro do meu cabelo. Ela está ficando quente demais para controlar.

"Devo fazer você gozar desta maneira?" Eu sussurro para ela que arqueia as costas em aprovação.

"Você gosta disso, não é Srta Steele?"

"Mmm ..." diz ela.

"Diga-me", eu digo continuando a minha tortura sensual, puxando seus mamilos suavemente.

"Sim", ela respira.

Tempo para educá-la: "Sim, o quê?" Eu pergunto.

"Sim, Senhor", ela responde.

"Boa menina", eu digo beliscando com força fazendo-a convulsionar com uma sacudida de prazer/dor deixando-a ofegante. Minha ereção está dura e empurrando contra ela. Ela geme ainda mais alto, puxando meu cabelo mais forte.

"Eu não acho que você está pronta para gozar ainda", eu sussurro, e minhas mãos diminuem e param. Eu mordo o lóbulo da sua orelha, puxando-o. "Além disso, você me desagradou", eu digo. "Talvez, eu não vou deixar você gozar afinal."

Meus dedos voltam a puxar, torcer e amassar seus mamilos. Ela se esfrega contra a minha ereção movendo-se de um lado para o outro. Seu desejo por mim faz-me sorrir. Ela está sempre quente para mim.

Minhas mãos se deslocam para seus quadris. Eu engancho meus dedos em sua calcinha na parte de trás esticando-a, e meus dedos rasgam o tecido triturando-a. Eu a atiro na frente dela para que ela possa ver. Minha mão se move para baixo em seu sexo doce, e por trás eu insiro o meu dedo.

"Oh, sim. Minha doce menina está toda pronta, " eu respiro girando-a em volta dela mesma para que ela fique de frente para mim. Ela está me pondo tão malditamente excitado, minha respiração também se acelera

The Way You Make me Feel - MJ and Britney Spears

Eu coloco meu dedo em minha boca para saboreá-la. "Você tem um gosto tão bom, Miss Steele," eu digo suspirando.

"Agora, tire minha roupa," Eu ordeno calmamente, olhando para ela, meus olhos encobertos. Ela olha para seus escarpins de salto alto. Não sabendo como agir.

"Você pode fazer isso", incentivo-a suavemente. Ela pisca rápido, sem saber por onde começar. As mãos dela avançam para minha t-shirt, mas eu as seguro e balanço a cabeça, maliciosamente sorrindo para ela.

"Não, não..." Eu digo balançando a cabeça, sorrindo. "A t-shirt não, você pode precisar me tocar para o que eu planejei," eu digo excitado. Eu tomo uma de suas mãos e coloco-a contra a minha ereção.

"Este é o efeito que você tem sobre mim, Srta Steele," eu digo. Ela, em resposta suspira, e flexiona os dedos ao redor da minha ereção.

"Eu quero estar dentro de você. Tire meu jeans. Você está no comando. " Eu digo. Seu queixo cai em resposta.

"O que você vai fazer comigo?" Eu provoco.

Ela põe um rosto valente, e me empurra para a cama, me fazendo rir enquanto eu caio. Ela olha para mim como se ela tivesse ganho uma importante batalha. Ela tira um de meus sapatos, em seguida, minha meia, mas sua excitação, e os seus problemas de coordenação a tornam um pouco desajeitada, e isto é muito excitante.  Ela repete o processo no outro pé. Eu estou cheio de desejo por ela até a borda. Eu finalmente consegui fazê-la aceitar-me! Eu me sinto vitorioso. Ela rasteja na cama com as mãos e joelhos, os seios estão em estreita proximidade e ela senta-se montada em mim para me desfazer do meu jeans. Ela desliza os dedos debaixo da cintura da calça. Seus dedos passam pelos meus pêlos pubianos. Seu toque não só me excita, mas também me dá um relaxamento celestial. Um paradoxo. Eu fecho meus olhos e flexiono os quadris para seu toque.

"Você vai ter que aprender a se manter quieto, Sr. Grey", ela repreende-me, puxando os pelos sob o cós. Sua censura suspende minha respiração, e eu sorrio para ela.

"Sim, Srta Steele," Eu sussurro, meus olhos estão em brasa de paixão por ela. Este é o máximo que eu posso aguentar; essa espera está me matando, eu tenho que possuí-la. Caso contrário, eu vou explodir! "No meu bolso, preservativo," eu respiro.

Ela coloca sua mão no meu bolso lentamente, procurando, movendo-se... lentamente. E seu toque cria um pico de êxtase. Eu abro a minha boca, involuntariamente, de prazer. Ela finalmente pesca ambos os pacotes de preservativos, e coloca-os no meu quadril. Seus dedos ansiosamente alcançam o botão do cós, lentamente, mexendo. Eu tenho a mesma reação com ela que ela tem em mim.

"Você está tão ansiosa, Srta Steele," murmuro, feliz em saber. Ela puxa meu zíper. Ela tenta arrancar minha calça para baixo, mas uma vez que a minha bunda está  firme na cama, ela é incapaz de fazê-lo. Ela morde o lábio em frustração aumentando meu desejo sexual vários entalhes. Ela franze a testa. Ela se inclina , seus seios se derramando bem na direção da minha visão, enquanto o lábio cativo está sendo torturado por seus dentes bem diante dos meus olhos! Eu agora tive tudo que eu posso aguentar!

"Eu não posso ficar parado, se você vai morder este lábio," eu alerto sombriamente, então arqueio minha pélvis para o alto na cama, para que ela possa puxá-las,  o que ela faz. Saem as calças e a boxer liberando meu comprimento ereto. Eu chuto a roupa para o chão.

Ela se parece com uma criança na manhã de Natal com seus presentes favoritos diante dela. Estou mais do que satisfeito com a reação dela.

"Agora, o que você vai fazer?" Eu respiro... Todo desejo, todo luxúria. Ela avança, e toca-me. Seu toque aumenta nossa corrente regular de eletricidade em muitos níveis. Minha boca toma a forma de um ‘O ‘.  Ela se inclina para frente, seu cabelo caindo em cascata, e ela começa a chupar. Forte! Eu fecho meus olhos com prazer.

"Cristo, Ana, firme," eu gemo. Eu estou pronto para gozar, e eu não quero gozar. Eu quero fodê-la!

"Pare, Ana, pare. Eu não quero gozar . " digo. Ela parece desapontada de alguma forma.

"Baby, sua inocência e entusiasmo são muito desarmantes," Eu suspiro. "Você, em cima... isto é o que precisamos fazer, " eu digo. Eu entrego-lhe um dos preservativos, " aqui, coloque  isso."

Ela rasga o pacote, e segura-o em sua mão.

"Aperte o topo, e enrole-o para baixo. Você não quer que entre ar no final disto, " eu digo ofegante. Ela concentra-se como um aluno que está trabalhando em um novo projeto pela primeira vez, e com cuidado, e, lentamente, rola-o para baixo, me matando no processo. Eu vou explodir só de olhar para ela.

"Cristo, Anastasia, você está me matando aqui", eu gemo. Ela olha para o meu comprimento e ela também está excitada, lambendo os lábios involuntariamente.

"Agora," eu digo murmurando, "Eu quero me enterrar dentro de você." Ela olha para mim, assustada, e então eu sento-me, de repente, e então estamos nariz com nariz.

"Assim," eu digo serpenteando minhas mãos atrás de seus quadris lindos, levantando-a um pouco, eu me posicionando debaixo dela, e muito lentamente eu a penetro com meu comprimento.

Ela geme enquanto meu comprimento enche seu interior. Sua boca abre em surpresa no doce sentimento angustiante que meu comprimento inteiro lhe está dando. "Oh...por favor ", ela sussurra com prazer.

"Muito bem, baby, sinta-me, tudo de mim," Eu rosno, fechando os olhos. Eu me empurro todo dentro, embainhando-a ao máximo, e eu a seguro no lugar por um tempo para obter a sensação dela. Para sentir a minha reivindicação, meu poder, minha mulher em cima de mim!  "Ela é minha!", diz o meu deus interior.

"É profundo dessa maneira", murmuro. Eu flexiono e giro meu quadril no mesmo movimento rítmico, e ela geme de prazer.

"Mais uma vez", ela sussurra, fazendo-me sorrir. Nosso objetivo é agradar, baby...

Ela geme de prazer ainda mais alto e joga a cabeça para trás, seus belos cabelos jogados para baixo. Eu lentamente afundo de volta para a cama.

"Agora, você se move, Anastasia, para cima e para baixo, como você quiser", eu digo, "Segure a minha mão", eu digo ofegante, a voz rouca. Ela agarra minhas mãos, e estamos conectados em muitos pontos. Ela gentilmente levanta-se e volta para baixo. Repetidamente. Meus olhos estão ardendo em expectativa selvagem. Minha respiração irregular, como a dela. Quando ela vem para baixo eu ergo minha pélvis e quico de volta para cima, criando nosso próprio ritmo. Para cima, para baixo, para cima, para baixo... uma e outra vez. Ela está ofegando forte, e eu estou a ponto de explodir. Nossos olhos bloqueiam, nós encaramos um ao outro enquanto os nossos corpos têm o seu tango. Eu tenho admiração em meus olhos. Ela despertou algo em mim que eu não sabia que eu tinha. É uma constatação absoluta: Eu não posso fazer isto sem ela.  Ela é minha, e agora, ela está me reivindicando, me fodendo, me amando! Eu nunca fui amado antes, exceto por ela. O pensamento disso me traz ondas de prazer e eu agarro seus quadris, fechando os olhos, inclinando a cabeça para trás, meu queixo tenso, eu gozo silenciosamente com respeito e cheio de emoções desconhecidas; eu não posso nem mesmo fazer um som com esses sentimentos estranhos vindo sobre mim.

Ela cai no meu peito, oprimida. Cruzamos a linha entre fazer amor e foder. É tudo uma zona cinzenta agora. Posso ainda voltar daqui? Quero ao menos voltar daqui? Neste local, ela é minha, e eu sou dela. In that place, she’s mine, and I am hers.

I'm Yours - Jason Mraz


15 comments:

Anonymous said...

Este capitulo está PERFEITO MESMO!!!!!
Adoro o Christian e a Anastasia ficam perfeitos um para o outro e adoro a preocupação de Chrisitan com a Anastasia é tão fofa...Estou ansiosa quando ela levar o seu primeiro castigo por rolar os olhos...

Anonymous said...

Neusa e Beatriz, muito obrigada foi lindo demais....
Abçs Elaine.

Anonymous said...

Eu gostava de saber se vai traduzr os 3 livros?Espero que sim porque adoro esta trilogia é apaixonante.
Obrigada pelo esforço,a paciencia e o trabalho a ambas....

anne caroline godoi said...

O capitulo esta maravilhoso... Ansiosa pelo próximo,palmadas à vista,rsrs.

Juliana Ribeiro said...

Simplesmente prefeito... Parabéns pelo trabalho!!!

Juliana Ribeiro said...

Simplesmente perfeito... ansiosa pelos próximos capítulos... Parabéns pelo trabalho!!!

Mary Hellen said...

Quando ele cita seu "deus" interior eu quase gozei... rs... Perfeito!!!

Meryellen said...

Nossa... quando ele citou o seu "deus" interior eu mordi meu lábio intensamente... rs... perfeito!!!

Neusa Reis said...

Oi Kaila Alekena, eu tinha colocado esse comentário num capítulo lá atrás, mas acho que você talvez não leia. Você está agora nos acompanhando e comentando, o que nos agrada bastante. É sempre bom saber o que os leitores estão pensando. Mas ficamos curiosas em relação ao seu nome. Você é brasileira? Se você ler os comentários dos capítulos anteriores você vai conhecer melhor a Emine. Ela é um ser humano especial, com um QI muito alto e uma capacidade de conhecer muito bem o que se esconde dentro das pessoas. Nós, suas fãs, a amamos demais. Os livros dela sob POV Christian Grey só vão melhorando (se isso é possível) e no livro 4 ela dá show. Espere para ver... Bjs

Kaila Alekena said...

"TOMANDO POSSE"... Woowww... quem possuiu quem nesse pequeno quarto?? Vibrando até agora com a seguinte frase: "ela está como criança na manhã de natal diante dos seus brinquedos favoritos" kkkk dá pra imaginar o brilho nos olhos... ah Anastásia assim você causa inveja kkkk Momento magnífico entre Anastásia e Cristian, assim como a excelente safra de 1999...Parabéns Eminé...Neusa eu retorno sim para ver as mensagens e já havia visto essa inclusive lhe respondi... yo solamente aguardo la perfección!

Anonymous said...

parabéns pelo trabalho!
apenas uma observação: fisting não é grampo,uma coisa é diferente da outra e ,no livro original a Ana não concordou com o fisting ( que no cá prá nós é mesmo horrível!)
bom 2014 !!

Neusa Reis said...

Anonymous, tem razão. Mas é que naquela época eu não era tão sabida nesses assuntos. Parece horrível mesmo, mas este é um conceito que pode variar de pessoa a pessoa. Vou fazer uma revisão em todos os livros porque gostaria de mudar algumas coisas mesmo e corrigir outras. Obrigada. Qual é seu nome?

Daniela Martins said...

Bom dia, meninas!
Amo quando Christian diz que quer tentar "mais"!
CG e "mais" são uma combinaçao perfeita!
Saudades dos nossos cafezinhos, girls!
Emine e Neusa, grande abraço!
Parabens pelo excelente capitulo!
Bjkas
Dani
;-)

lady freitas said...

Relendo mais uma vez,com calma enquanto aguardo a continuação do livro 4. Meninas Emine e Neuza,vcs são 1000,perfeitas,um sonho isso aqui.

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry