StatCtr

Friday, March 15, 2013

Livro 1 - Capítulo XXIX - Christian Grey e Anastasia Steele


CAPÍTULO VINTE E NOVE
Volta para casa forçada

Tradução:  Neusa Reis                                                 
Edição/Revisão: Beatriz Reis


A manhã não me traz nenhum alívio. 

Sorrow - Gladiator soundtrack

Eu estou funcionando no piloto automático. Levantar-me, malhar, ducha, vestir-me, comer, e atender a problemas que eu possa ter causado ou foram trazidos à minha porta. Mas, neste momento isto realmente não importa. Leila e eu temos uma história em comum. Ela foi um dos meus relacionamentos de longo prazo. Eu não consigo imaginar abandoná-la num momento de necessidade. Eu tenho um forte sentimento de que eu sou a causa de sua crise, ou pelo menos uma grande parte dela. Por que mais ela viria aqui? Lembrando como  a Sra. Jones descreveu sua aparência desgrenhada, o meu coração se aperta de novo. Como ela chegou a isso sendo essa mulher vibrante, animada, travessa? Ela ainda era todas essas coisas quando separamos nossos caminhos; quando encontrou alguém para casar quando eu deixei claro para ela que eu não queria "mais". Eu nunca quis mais. Não até Anastasia. Mas Leila encontrou ‘mais’ na forma de um marido, não foi?

Então o que aconteceu? Será que ele sabe que ela estava aqui tentando se cortar? Claro que não. Se ele soubesse, ele estaria atendendo suas necessidades, como um marido deveria.

Eu chego ao meu estúdio, depois de aceitar uma xícara de café preto com leite desnatado da Sra. Jones.

Eu pressiono dois números no meu celular sobre a mesa, Taylor responde: "Sim, senhor".

"Eu preciso de você para um briefing," eu digo.

"Chegando senhor,” responde ele, e eu desligo.

"Taylor, eu quero que você entre em contato com Welch. Saiba onde o marido de Leila está, e fale com ele pessoalmente. Descubra se ele ainda está com Leila, e se não, descubra o motivo de sua separação. Quando Welch fizer contato com seus pais, eu quero saber todos os detalhes, por escrito. Entendeu? "

"Claro, senhor,” responde ele, com firmeza.

Meu Blackberry vibra, eu verifico o telefone e é Welch. Taylor se vira para sair, mas eu levanto meu dedo indicando que ele ficasse por mais um minuto. Isso pode ser algo que ele também tem de ouvir.

"Welch, eu vou colocar você em viva voz, e eu quero Taylor ouvindo o que você tem a dizer. Eu quero tê-lo como ligação entre você e eu, se eu não estiver disponível. Você pode encontrá-lo a qualquer momento, e você tem suas informações de contato."

"Sim, senhor,” responde Welch. "A razão pela qual eu estou chamando você é a seguinte. Um pouco mais de dois meses atrás, Leila deixou o marido depois de arranjar um amante. Pelo que o marido disse, ela parecia apaixonada por ele, e ele não teve mais contato com ela desde então, e ele disse especificamente que nem quer ouvir falar dela, depois disso,” aham, diz ele limpando a garganta, “e eu estou repetindo o que o marido disse:  ‘fodendo outro filho-da-puta, enquanto ela ainda estava com ele’. Assim, verifica-se que ela estava com este namorado novo pelos últimos dois meses. Embora não saibamos quem é esse namorado. Isso é o que eu estou tentando descobrir. Tentei alcançar a família, mas eles não atenderam  seus telefones ainda. Eu vou tentar também hoje, para ver se eles têm alguma informação sobre seu paradeiro ou sobre o novo namorado que ela tem em sua vida. Isso pode nos dar uma boa vantagem, senhor ,” diz ele.

"Você está acompanhando tudo isso?" Pergunto a Taylor. 

Hearing the Damage - Tom Yorke

"Sim, senhor,” ele responde friamente.

"Enquanto isso, mantenha seus olhos e ouvidos abertos para ver ou ouvir se ela está registrada  em outro hospital, ou se há registros policiais, ou qualquer coisa nova que possa mencionar o nome dela até nós a encontrarmos. Ela é obrigada a aparecer em algum lugar. Não faz sentido que ela venha à minha casa, tentando cometer suicídio, e depois desapareça. Ela tem que estar em algum lugar da cidade. "

"Existem amigos próximos ou conhecidos que ela tenha na cidade senhor, ou nas cidades vizinhas, que você conheça?"

"Não que eu saiba. Isso agora é seu trabalho de descobrir. Mais alguma coisa?"

"Nada mais senhor,” ele diz, e eu o lembro para se manter em contato com Taylor e desligo.

"Taylor, agora é a sua prioridade para pesquisar. Informe-me no segundo que você descobrir alguma coisa."

"É claro, senhor,” ele responde.

Meu Blackberry vibra informando-me que tenho uma mensagem recebida. Taylor se vira para sair novamente, mas eu mantenho o meu dedo para ele mais uma vez. A mensagem é de Anastasia.
______________________________________
De: Anastasia Steele
Assunto: Volta para casa forçada
Data: 03 de junho de 2011 12:52 EST
Para: Christian Grey

Caro Sr. Grey

Estou mais uma vez na primeira classe pela qual eu agradeço. Estou contando os minutos até vê-lo esta noite, e talvez torturá-lo, para extrair a verdade de você, sobre minhas confissões noturnas.

Sua Ana x
______________________________________
Eu escrevo-lhe uma resposta rápida.
______________________________________
De: Christian Grey
Assunto: Volta para casa forçada
Data: 03 de junho de 2011 09:57
Para: Anastasia Steele

Anastasia,  estou ansioso para vê-la.

Christian Grey
CEO, Grey Enterprises Holdings Inc.
______________________________________

Em seguida, viro para Taylor e digo-lhe para me levar para CEH dentro dos próximos 30 minutos. Tenho muito trabalho a fazer. Que estão no topo dos problemas imprevistos ocorridos devido a Leila.
______________________________________
De: Anastasia Steele
Assunto: Volta para casa forçada
Data: 03 de junho de 2011 13:00 EST
Para: Christian Grey

Caro Sr. Grey

Espero que tudo esteja bem em relação à situação. O tom de seu e-mail é preocupante.

Sua Ana x
______________________________________

Ah, eu não quero perturbá-la, ou preocupá-la com os meus problemas. Não é algo que eu não possa resolver, mas atualmente ocupa a minha mente. Mas ela está me escrevendo de dentro do avião? Se assim for, eles já decolaram? Ela está se colocando em perigo? Atualmente, eu só posso lidar com uma mulher que está se colocando em perigo, e eu particularmente não quero que Anastasia seja a outra.
______________________________________
De: Christian Grey
Assunto: Volta para casa forçada
Data: 03 de junho de 2011 10:03
Para: Anastasia Steele

Anastasia, a situação poderia ser melhor. Você ainda não decolou? Se você decolou, você não deveria estar enviando-me emails. Você está colocando a sua, assim como a vida dos outros no avião em risco, o que é uma infração direta da regra relacionada à sua segurança pessoal. Eu falei sério sobre punições.

Christian Grey
CEO, Grey Enterprises Holdings Inc.
______________________________________
Eu clico em enviar. Eu não estou com paciência para lidar com violação de regras hoje. Sua resposta é quase imediata.
______________________________________
De: Anastasia Steele
Assunto: Reação exagerada
Data: 03 de junho de 2011 13:05 EST
Para: Christian Grey

Caro Sr. Mal-Humorado,

As portas do avião ainda estão abertas e as vidas de todos, inclusive a minha, estão muito seguras. Estamos atrasados cerca de dez minutos. Você pode guardar sua palma da mão nervosa por agora.

Srta Steele
______________________________________

Esta "situação" está me deixando no limite e eu fui mesmo brusco com a minha namorada. Eu digito rapidamente para me desculpar.
______________________________________
De: Christian Grey
Assunto: Desculpas – Retirando a palma da mão nervosa
Data: 03 de junho de 2011 10:07
Para: Anastasia Steele

Eu sinto sua falta e de sua boca inteligente, Srta Steele.
Eu só quero que você chegue a casa com segurança.

Christian Grey
CEO, Grey Enterprises Holdings Inc.
______________________________________

Eu não poderia lidar com isso, se alguma coisa acontecesse com ela, porque ela estava sendo descuidada me enviando uma mensagem de texto.
______________________________________
De: Anastasia Steele
Assunto: Pedido de desculpas aceito
Data: 03 de junho de 2011 13:09 EST
Para: Christian Grey

Eles estão fechando as portas agora. Você não vai ouvir outro pio de mim, especialmente devido à sua surdez.

Laters,

Ana x
______________________________________

Depois que eu recebo a sua última mensagem, eu me encaminho para o salão onde Taylor está esperando para me levar.

"Taylor, você tem as informações da chegada da Srta Steele?"

"Claro, senhor,” ele responde.

"Tudo bem. Parece que eu tenho mais trabalho do que eu poderia terminar hoje, então eu preciso de você para ir buscá-la, quando ela chegar, e trazê-la para o Escala esta noite."

"Certamente, senhor,” ele responde. Chegamos ao GEH e Andrea corre atrás de mim no meu escritório para rever meus encontros programados para o dia.

Meu dia de merda é preenchido com um incidente estressante após o outro. Logo depois de Andrea, Ros entra. Sua voz meio rouca de um maço e meio de cigarros fumados, mas eu vou direto ao ponto, para que ela me dê a essência do nosso desastre, pela aquisição de uma empresa que estamos tentando liquidar agora .
"Custo, Ros, qual é o resultado final do custo?"

Ela se mexe em sua cadeira, desconfortável.

"Senhor o número final é:  67 milhões de dólares ..." a voz dela é estável, mas baixa.

"Porra, sessenta e sete milhões de dólares? Como é que caímos nesta armadilha de merda? Eu quero todos os detalhes, até o último centavo, e finanças deve me enviar um extenso relatório de análise de custos, imediatamente!" eu berro.

Sim Sr. Grey," diz ela sabendo que ela está dispensada e, rapidamente, se dirige para fora do meu escritório .

Eu aperto o interfone.

"Sim, Sr. Grey,” responde Andrea.

"Ponha Welch na linha," Eu ordeno.

"Agora mesmo, senhor."

Dois minutos depois, o telefone toca.

"Sim, Sr. Grey,” ele responde.

"Você tem alguma novidade para mim?"

"Sr. Grey, o marido dela não está sendo muito cooperativo. Ele não se importa com o que aconteça com ela, ele disse que não se importa que ela se mate, por enforcamento, cortando os pulsos, se jogando de uma ponte, ou por tiro. Nós tentamos ser muito persuasivos. Desde que ele não se importa com o seu bem-estar, nós tentamos persuadi-lo pagando por informações,” diz Welch.

"Bastardo filho da puta! Será que ele não se importa nada com ela? Será que ela não significou nada para ele, para que ele possa ser tão insensível?" Eu esbravejo.

"Sr. Grey, ele é vingativo, e não perdoou o fato de que ela o traiu, e fugiu com outro homem por quem se apaixonou. Essa é a história que pude reunir de conhecidos."

"E a família?"

"É ainda um trabalho em progresso, senhor. A família vive no outro lado do país. Eles sabiam que ela fugiu de seu marido, e que ela estava feliz com o novo cara com quem ela estava. Mas os pais disseram que a irmã pode ter mais informações e não conseguimos entrar em contato com ela."

"Será que eles sabem do seu paradeiro?"

"Não, senhor. A última vez que ela esteve em contato com eles foi depois que ela fugiu de seu marido. Nada mais desde então."

"Continue procurando. Eu quero que ela seja encontrada, Welch!"

"Sim senhor,” ele diz, com firmeza.

Eu desligo.

O dia de trabalho está se arrastando com um problema atrás do outro, e eu estou frustrado com todas as emergências na minha porta. Eu tenho uma reunião tardia, e eu chamo Taylor para pegar Anastasia no aeroporto.

"Traga-a de volta para o Escala," reitero meu pedido anterior.

"Eu vou, senhor."  Ele sai. Assim que minha reunião acaba, eu dirijo de volta para o Escala. Eu chego à minha cobertura em torno de 06:00h.  Meu Blackberry não pára de tocar.

"Sr. Grey, aqui é Welch,” diz Welch como forma de saudação.

"Você tem alguma informação para mim?" Eu pergunto.

"Sr. Grey, estivemos procurando no seu endereço antigo, antigos vizinhos e antigos amigos e conhecidos. Até agora, ninguém a vê há mais de três meses."

"Nenhum sinal, então?"

"Nenhum até agora senhor. Mas vamos continuar procurando."

"Ok".

“Gostaria de ser informado se tiver uma informação parcial?"

  
"Sim."

Então, eu sinto. Aquele olhar, nas minhas costas... me observando

I Just In Your Arms Tonight by Cutting Crew

Eu nem percebi que meu corpo inteiro estava tenso, mas aquela conexão, aquela eletricidade, de alguma maneira muda todo meu comportamento. A tensão deixa meu corpo inundando-o com paz, enquanto eu encontro o meu centro, com a visão de minha namorada. Namorada. Minha "mais". Eu sinto aquele desejo intenso florescendo dentro de mim enquanto meu corpo chama o dela. Eu olho para ela com uma carnalidade sensual, meus olhos em chamas. Ela está muda, quieta. Ela sente o mesmo puxão. A mesma atração. Mesmo desejo. Agradeço a Deus todos os dias por encontrá-la, e por tê-la enviado para mim.

"Mantenha-me informado,” eu digo a Welch e desligo o meu telefone, sem afastar o olhar de Anastasia. Ela está paralisada em seu lugar na entrada da sala de estar. Eu fecho a distância entre nós, com passos largos, meus olhos devorando esta beleza como se eu não a visse há muito tempo, e não apenas desde ontem. Com todas as coisas de merda que vêm ocorrendo, ela é como um anjo com sua aura inocente, sedutora. Meu queixo está tenso com o stress, e eu estou para além de ansioso. Eu tiro dos ombros, finalmente, o meu paletó cinza, então desfaço o laço da gravata escura e finalmente deslizo os dois, no sofá, enquanto eu me encaminho para a minha mulher. Quando eu a alcanço, eu coloco meus braços em volta dela, puxando-a para mim duro e rápido, e pego o rabo de cavalo para inclinar sua cabeça para cima para encontrar meus lábios. Eu a beijo como se minha vida dependesse disso, e depende. Ela é a minha tábua de salvação. Ela é a minha rocha, a que me estabiliza no meio do meu maldito, fodido passado, e o que ele traz para mim.

Ela está surpresa com o meu desespero, o caráter primitivo em meu beijo. Eu mal sobrevivi a este último dia. Na maior parte do tempo eu sou um homem que é uma ilha, mas hoje, é diferente, a minha necessidade por Anastasia é fundamental. Meu beijo diz tudo: eu quero você. Eu preciso de você. Salve-me. Ame-me. Fique comigo. Deixe-me ter o controle para que eu não me sinta mais perdido! 

I Want You to Take Over Control - Afrojack

Neste momento, eu estou contente que ela está de volta, que ela ainda me quer, me deseja. Eu derramo toda a ansiedade que esteve fervendo desde que eu soube que ela estava deixando a cidade, finalmente chegando ao ponto de ebulição. Ela começa a beijar-me com igual fervor enquanto ela torce e enfia os dedos no meu cabelo. Ela inspira meu cheiro como se ela quisesse devorar-me, amar-me, e me provar da sua quente maneira sexy. Eu afasto minha boca para longe dela momentaneamente, e olho para ela. O alívio de sua presença é monumental. Meu coração se contorce e se contrai com uma emoção sem nome. Desejo, luxúria, querer, amor?

"O que há de errado?" ela respira.

"Estou tão feliz que você está de volta. Tome banho comigo... agora. "Eu comando, fugindo completamente de sua pergunta.

"Sim,” é a resposta dela sussurrando enquanto eu pego sua mão levando-a para fora da sala para o meu quarto e para meu banheiro.

Uma vez que estamos no banheiro, eu libero sua mão, e ligo o chuveiro. Eu lentamente viro para ela, e olho para esta bela criatura diante de mim.

"Eu gosto da sua saia,” digo reparando em sua saia muito curta, "É muito curta,” eu digo. "Você tem pernas lindas."

Tirando meus sapatos, eu me abaixo e tiro cada uma de minhas meias, enquanto meus olhos constantemente estão em Anastasia. A fome, o desejo que sinto por ela é tangível; ultrapassando-me. Ela espelha minhas ações tirando suas sapatilhas pretas. Isso é tudo que eu posso aguentar agora com sua proximidade, no meu banheiro. Depois de tudo que se passou no último dia e meio, eu não quero nada, só me enterrar nela, perder toda a linha de pensamento, esquecer tudo, até mesmo o meu nome, e unir-me com ela. De repente, minha paciência está perdida e eu avanço nela, apoiando-a contra a parede. Eu começo a beijá-la com toda a emoção escorrendo de mim, seus lábios, seu rosto, seu pescoço, de volta aos lábios enquanto eu passo minhas mãos em seu cabelo. Suas costas estão de encontro à parede fria de azulejos. Eu me empurro contra ela em uma tentativa de ser um com ela, me fundir, me consumir e acalmar minha alma dolorida, me encontrar novamente fora da miséria que eu tenho experimentado. É como se eu estivesse perdido no meio do frio Pacífico, no meio de um tufão, e ela é a única coisa que me promete sobrevivência e  vida, a minha tábua de salvação. Ela coloca seus braços em meus antebraços, e eu gemo... alto , e ela aperta com força.
"Eu quero você agora. Aqui... rápido e duro ,” eu respiro, e minha mão desliza para suas coxas levantando sua saia. É o meu universo próprio. O único mecanismo de defesa, a única maneira de encontrar alívio com a única mulher que todos os outros dizem por quem eu estou apaixonado. Mas, agora, eu não me importo com o que dizem. Quando se trata de Anastasia, eu tenho emoções que eu nunca tinha experimentado antes,. 

Lets Make it a Night to Remember - Bryan Adams

"Você ainda está sangrando?" Eu pergunto.

"Não,” ela responde enquanto ela cora.

"Bom,” eu digo.

Meus polegares se engancham na calcinha de algodão branco, e eu de repente caio de joelhos para  surpresa de Anastasia e a tiro. Sua saia está apenas levantada e ela está nua da cintura para baixo. Ela começa a ofegar em antecipação, querendo, com desejo por mim. Minha respiração está suspensa com sua resposta. Eu pego seus quadris, empurrando-a contra a parede de novo enquanto eu a beijo no ápice de suas coxas. Eu pego suas coxas e eu forço as pernas dela separadas. Ela geme alto enquanto eu circulo minha língua sobre seu clitóris. Seu corpo arqueia e sua cabeça cai para trás em resposta às minhas ministrações sobre seu sexo. Seus gemidos estão mais altos em crescente prazer, e seus dedos encontram seu lugar em meu cabelo, puxando forte.

Eu derramo todo o meu desejo, toda a minha frustração reprimida, toda a ansiedade que a minha separação causou no último dia, e os problemas implacáveis com que eu fui servido, fazendo amor com a única mulher que meu coração deseja. Enquanto minha língua gira e gira implacavelmente, forte e insistente, constantemente refrescando-a, mais e mais, a minha ansiedade me deixa, por finalmente estar com a minha garota. Eu sei que o sentimento de êxtase que minha boca em seu sexo está fornecendo é intenso. Eu sinto o corpo dela acelerar, e é quando eu a solto. Eu não quero que ela goze na minha língua, mas com a invasão da minha crescente ereção. Sua respiração está irregular enquanto ela está ofegante, e olhando para mim, em protesto por não encontrar o alívio, que veio, mas nunca se materializou. Eu não quero a liberação rápida. Eu quero que isto se arraste. Eu rapidamente fico em pé e pego seu rosto com as duas mãos, segurando a minha garota com firmeza e beijando-a forte empurrando minha língua em sua boca, invadindo-a, encontrando a dela em uma tentativa de fazê-la saborear seu próprio  gosto de sua excitação por mim, deixando todos os seus sentidos saberem que ela também me deseja de todas as maneiras  possíveis.

Eu, então, abro meu zíper libertando minha masculinidade e pego suas coxas por trás e a levanto.

"Enrole suas pernas em volta de mim, baby," Eu lhe ordeno em uma voz eu-quero-foder-você-agora, urgente, tensa. Ela imediatamente faz o que lhe é dito, e eu me movo rápida e bruscamente, enchendo seu sexo expectante. Quando a nossa ligação mais desejada é estabelecida, fazendo-me gemer, e suspirar, eu agarro seu traseiro, meus dedos cavando em sua carne macia, e eu começo a me mover lentamente no início, tentando senti-la, deixando que meu cérebro saiba que eu estou nela com esta sensação inicial. Então eu pego um ritmo constante, mas como eu me perco na minha mulher, eu acelero mais e mais rápido. Ela deita a cabeça para trás mantendo suas pernas enroladas, com os braços segurando o meu pescoço e minha masculinidade se unindo com o seu sexo em um tango rápido e arrebatador, eu empurro nós ambos mais e mais alto no prazer, em uma sensação de invasão, pressão, celestial punição. Subimos mais e mais até que nenhum de nós pode subir mais, alcançando o nosso cume, estamos em uma espiral intensa, num orgasmo que tudo consome. Eu me libero com um rosnado profundo, e enterro minha cabeça em seu pescoço, enquanto eu empurro minha ereção em seu sexo uma última vez, e eu gemo alto e incoerente enquanto encontro minha própria libertação.

Minha própria respiração é errática, mas eu a beijo com ternura, sem quebrar a nossa ligação, criando um outro ponto de conexão. Se fosse possível me fundir com a minha garota, eu faria isso agora. Ela pisca também perdida em sensação e desejo. Eu finalmente consigo sair dela, e a seguro firme, enquanto eu gentilmente a coloco de pé no chão. O chuveiro esteve funcionando e a água quente criou vapor, cobrindo os espelhos e criando uma nuvem no banheiro.

"Você parece feliz em me ver,” ela murmura com seu sorriso tímido que eu amo tanto. Meus lábios se curvam para ela com sua marca de subestimação.

"Sim, Srta Steele," eu disse, "Eu acho que o meu prazer em vê-la é evidente por si só. Venha... Deixe-me levá-la para o chuveiro."

Eu desabotoo minha camisa, removendo as abotoaduras, e puxo-a sobre a minha cabeça, e simplesmente a jogo no chão. Eu removo minhas calças do terno e boxers, e também chuto-as para um lado descuidado. Eu nunca afastei meu olhar de Anastasia. Eu começo a desabotoar sua blusa enquanto ela está me observando atentamente com algum desejo sem nome em seus olhos -  profundo e intenso.

"Como foi a viagem de volta?" Pergunto suavemente já que o sexo me acalmou e minha apreensão me deixou. Ela é minha panacéia universal para todos os problemas que eu tenho.

"Bem, obrigada,” murmura ainda tentando recuperar o fôlego.

"Obrigado mais uma vez por fazer o update para a primeira classe. É realmente uma maneira muito mais agradável de viajar,” diz ela sorrindo timidamente para mim. "Eu tenho algumas novidades,” acrescenta ela, nervosa.

Oh, oh... O que poderia ser? É tão ruim que ela se sente nervosa de me contar sobre isso?

"Oh?" É a minha resposta contida. Olho para ela com curiosidade enquanto eu desabotoo o último botão da blusa e a deslizo para baixo pelo braços, e a jogo em cima das roupas descartadas.

"Eu tenho um trabalho,” diz ela.

Eu relaxo com alívio, não é algo tão ruim quanto eu esperava. Quando o alívio me enche e me lava, eu sorrio para ela com os olhos quentes e macios.

"Parabéns, Srta Steele. Agora você vai me dizer onde? " Eu a provoco.

"Você não sabe?" ela pergunta. Eu balanço minha cabeça e fecho a cara. Por que ela acha que eu sei onde ela conseguiu o emprego?

"Por que eu saberia?" Pergunto sondando.

"Com suas habilidades de perseguidor, eu pensei que você pode ter..." ela se cala quando ela vê a minha expressão, com inesperadas decepção e dor passando através do meu rosto.

"Anastasia, eu não sonharia em interferir em sua carreira, a menos que você me pedisse, claro,"  Eu digo,  realmente ferido porque ela poderia pensar  tão mal de mim.

"Então, você não tem idéia de qual empresa?" Ela pergunta.

"Não. Eu sei que há quatro editoras em Seattle," eu digo. Isso eu tinha pesquisado, quando ela me disse que estava indo para uma entrevista em duas editoras. "Então, eu estou imaginando que é uma delas."

"SIP,” ela deixa escapar animadamente.

"Oh, a pequena, bom. Parabéns," eu digo inclinando-me para a frente, beijando-a na testa. "Garota inteligente. Quando você começa? " Eu pergunto.

"Segunda-feira,” ela responde.

"Muito em breve, hein? Acho melhor tirar vantagem de você enquanto eu ainda posso. Vire-se, "eu comando. 

All I Want is You by U2

Ela faz o que lhe é mandado. Eu tiro seu sutiã e abro o ziper da saia. Eu empurro a saia para baixo e toco seu derrière incrivelmente redondo e rosado, e, simultaneamente, beijo seu ombro. Eu me inclino contra ela esfregando meu nariz contra seu cabelo. Eu inalo o cheiro dela profundamente e seu cheiro é extremamente inebriante, me levando para um plano diferente. Eu aperto suas nádegas que são duas esferas redondas.

"Você me intoxica, Srta Steele, e você me acalma. É uma combinação muito inebriante,” murmuro entre os beijos que deposito em seu cabelo. Eu agarro sua mão puxando-a para o chuveiro.

"Ow,” ela grita quando a água escaldante atinge sua pele. Eu sorrio para ela enquanto a água cascateia e corre para baixo no meu corpo.

"É só um pouco de água quente, Anastasia," eu a provoco.

"Vire-se," eu ordeno, e ela me atende sem dizer uma palavra. Ela se vira e encara a parede. "Eu quero lavar você,” eu digo, com intenso desejo de tocá-la toda com a espuma escorrendo entre minhas mãos e nas suas curvas. Eu me aproximo para lavar seu corpo, esguichando um pouco de sabonete líquido na minha mão.

"Eu tenho algo para lhe dizer,” murmura, enquanto minhas mãos começam em seus ombros. Eu sinto seu corpo inteiro tenso só com esta frase. O que poderia estar preocupando-a? É algo ruim? Ela está me deixando? Ela já chegou a uma decisão na Geórgia contra nós? Com a reação dela, eu fico tenso também, mas, eu quero ouvi-la.

Com a ansiedade mal contida, eu digo: "Ah, sim?" pergunto, em tom suave.

"A exposição de fotografia do meu amigo José está abrindo quinta-feira em Portland,” ela começa a sua sentença, enfatizando a palavra "amigo". Minha mente vai para o merda do fotógrafo que teve olhos e língua em minha mulher um segundo depois que eu a encontrei. A menção de seu nome imobiliza minhas mãos em seus seios automaticamente. Ela se imobiliza com uma respiração profunda.

"Sim, e então?" Pergunto severamente não gostando da idéia de que o filho da puta entrou no chuveiro, mesmo em uma conversa, quando nós dois estamos nus e íntimos.

"Eu disse a ele que iria. Você quer vir comigo?" Ela pergunta. A última coisa que eu quero fazer é colocar a minha garota numa  distância de toque do  filho da puta. Mas parece que ela já resolveu ir. Se eu disser não, ela irá sozinha, mesmo que eu proibisse, sabendo como ela pode ser desobediente, o que seria pior, e eu estaria me mordendo o tempo todo. Se, no entanto eu estou lá, eu posso controlar a situação. Eu relutantemente me convenço dizendo a mim mesmo 'compromisso Grey, compromisso. Isso é o que ela precisa’. Ela ainda não sabe até onde eu iria para estar com ela, para mantê-la segura, para mantê-la minha, e só minha.

Eu começo a lavá-la de novo finalmente , depois de me convencer de concordar.

"A que horas?" Eu pergunto.

"A abertura é às 19:30h,” ela responde.

Eu beijo sua orelha.

"OK,” eu digo baixinho. Com essa resposta de uma única palavra, toda a tensão deixa seu corpo enquanto ela quase afunda em minhas mãos.

"Você ficou nervosa em pedir-me?" Eu a questiono.

"Sim. Como você pode saber? "

"Seu corpo inteiro relaxou, Anastasia,” eu digo a ela com indiferença.

"Bem, você parece ser, uhmm... um pouco ciumento,” ela coloca no mínimo. Você não tem idéia querida!

"Sim, eu sou,” eu digo sombriamente. "E você faria bem em lembrar disso. Mas obrigado por perguntar. Vamos com Charlie Tango ,” eu digo ficando no controle novamente.

"Posso te lavar?" Ela pede. Embora eu queira que ela me toque, eu não posso suportar ter suas mãos em mim...ainda não.

"Eu não penso assim,” murmuro, e seu rosto despenca com mágoa e decepção. Eu a beijo suavemente em seu pescoço tentando aliviar a recusa, deixando-a saber que eu ainda a quero. Eu acaricio suas costas  com o sabão.

"Será que algum dia você vai me deixar tocar em você? “Ela pergunta melancólica. Eu ainda não estou pronto para responder a essa pergunta. Eu me detenho, e evito a questão, enquanto as minhas mãos ainda estão no seu traseiro.

"Coloque as mãos sobre a parede, Anastasia. Eu vou tê-la de novo,” murmuro em seu ouvido, enquanto eu pego seus quadris, e a discussão está efetivamente encerrada quando estamos ambos perdidos em nosso êxtase.

Uma vez que estamos fora do chuveiro, eu enrolo uma toalha aquecida macia na minha cintura, e eu rapidamente pego uma outra para Anastasia e a seco. Estamos logo vestidos de roupão de banho e na cozinha sentados na barra de café da manhã. A Sra Jones preparou uma excelente massa al vongole.

Segurando a garrafa de Sancerre, pergunto a Anastasia, “mais vinho?" enquanto meus olhos brilham com muitas emoções diferentes.

"Um copo pequeno, por favor,” ela responde.

Ela finalmente reúne a coragem para me perguntar a questão que a tem estado incomodando há algum tempo.

"Como está a, uhmmm...a situação que o trouxe a Seattle?” ela pergunta timidamente, me fazendo fechar a cara. Eu não quero me lembrar de tentativa de suicídio de Leila, especialmente quando ela ainda está desaparecida, criando um provável perigo para si mesma e, possivelmente, para outros.

"Fora de controle,” murmuro, sem ser capaz de evitar a amargura em meu tom. "Mas não é nada para você se preocupar, Anastasia. Eu tenho planos para você esta noite," eu digo efetivamente distraindo-a.

"Oh?" É sua resposta interrogativa.

"Sim. Eu quero você pronta e esperando na minha sala de jogos em quinze minutos," eu digo levantando e olhando para ela.

"Você pode se aprontar em seu quarto. A propósito, o seu closet está cheio de roupas para você. Eu não quero quaisquer argumentos sobre isso," eu digo estreitando os olhos com a intensidade que foi acumulada com a nossa discussão atual, desafiando-a a recusar. Por favor, argumente comigo, e alivie minhas palmas das mãos nervosas. Ela não diz nada, e olha de volta, impassível. Bom! Volto para o meu estúdio.

Eu encontro o meu iPod e meu transmissor de rádio iPod e o controle remoto para ele. Eu vou para o meu quarto e no meu armário eu localizo minha calça jeans desbotada, macia, rasgada, que eu só uso na minha Sala de jogos. Eu me desfaço de todas as roupas, exceto meu jeans. Deixo o botão de cima aberto. Eu lentamente me encaminho para a Sala de Jogos. Eu quero que Anastasia fique na expectativa; quanto mais ela espera, mais ela antecipa. Quando eu chego na pesada porta da minha Sala de Jogos, eu a abro rapidamente e a fecho depois de eu estar dentro. Eu me movimento rapidamente através da sala, e ignoro completamente Anastasia que está sentada de calcinha na posição submissa. Eu me dirijo para a cômoda ao lado da porta e coloco o i Pod e o transmissor nele. Então eu ando tranquilamente  para a cama. A cena que eu planejei para Anastasia hoje requer que eu algeme suas mãos e  pés. Eu verifico as algemas das colunas da cama. Então eu caminho de volta para a cômoda. Abro uma gaveta e tiro uma luva de pele, um chicote com fios de couro e miçangas em suas extremidades, colocando-os em cima da cômoda.

Eu finalmente volto para Anastasia e fico de pé diante dela. A cabeça baixa, sentada sobre os calcanhares, com a mão colocada sobre suas coxas com os dedos abertos, o cabelo caindo em cascatas, só de calcinha. Ela é um espetáculo para ser visto, e mais que bonita e excitante.

"Você está linda,” eu respiro. Ela mantém a cabeça baixa, enquanto eu olho para ela atentamente. Um rubor adorável se arrasta lentamente por seu rosto o que geralmente acontece quando ela está envergonhada, sentindo o meu olhar sobre ela. Quantas vezes eu vou dizer a ela que ela é linda? Ela não deveria estar envergonhada de sua própria beleza. Eu me curvo e toco seu queixo forçando seu rosto para cima para encontrar o meu olhar atento, querendo que ela acredite.

"Você é uma mulher bonita, Anastasia," Eu digo com fervor. "E você é toda minha,” murmuro enquanto o alívio flui com o conhecimento de que esta é a minha mulher, e que ela está de volta aqui, comigo, tentando me dar prazer.

"Levante-se," eu ordeno suavemente. Quando eu olho para a beleza diante de mim, eu percebo que minha voz está cheia de promessas sensuais.

Ela fica de pé trêmula.

"Olhe para mim,” eu respiro, e ela finalmente levanta seus olhos azuis para meu ardente olhar cinzento. Eu olho para ela como seu Dom, como seu mestre que eu sou nesta sala, e eu sei que meu olhar é frio, duro, o olhar pecaminoso de eu vou-fazer-o-que-eu-desejo-com-você-aqui e seu olhar de resposta  é sexy, expectante e desejoso. A boca ligeiramente aberta enquanto leves respiros enchem seu pulmão, e sua língua viaja para fora por um segundo, em uma tentativa de molhar a boca seca. Um sorriso quase cruel brinca em meus lábios pois eu sei o que ela quer. E o que ela quer sou eu e o que eu vou fazer com ela.

"Nós não temos um contrato assinado Anastasia. Mas, você sabe que nós temos discutido limites. Quero reiterar que temos palavras de segurança, ok? "

Seu olhar muda para um de excitação e medo.

“Quais são?" Eu pergunto-lhe com autoridade.

Ela franze a testa um pouco com a minha pergunta, e sua hesitação faz meu rosto endurecer. Ela precisa saber e ser capaz de usar as palavras de segurança, caso ela precise.

"Quais são as palavras de segurança, Anastasia?" Pergunto lenta e deliberadamente.

"Yellow,” ela murmura primeiro.

"E?" Eu pergunto, a minha boca definida em uma linha dura. Temos mais de uma palavra de segurança.

"Red,” ela respira após a minha solicitação.

"Lembre-se delas,” advirto. Então ela levanta as sobrancelhas em sua expressão inteligente, que não é permitida na minha Sala de Jogos. Mas minha expressão se altera para uma com um brilho gélido, e ela se interrompe, e sua expressão inteligente se retrai, efetivamente parando-a.

"Não comece com a boca inteligente aqui, Srta Steele. Ou eu vou foder com ela com você em meus joelhos. Você entendeu?" Eu pergunto a ela com firmeza.

Ela engole seco e pisca rapidamente, depois de ser efetivamente castigada. O tom da minha voz e a ameaça que promete mudam seu comportamento para um obediente

Here I am Baby by UB40

"Bem,” eu incentivo.

"Sim, senhor,” ela murmura apressadamente.

"Boa menina,” eu digo, parando e olhando para ela.

"Minha intenção não é que você use a palavra segura porque você está com dor. O que eu pretendo fazer com você vai ser intenso. Muito intenso, e você tem que me orientar. Você entendeu? "Eu pergunto.

Seus olhos se alargam, perplexos.

"Isto é sobre toque, Anastasia. Você não será capaz de me ouvir, ou ver-me. Mas você vai ser capaz de me sentir," digo. Ela franze a testa. Eu volto para ficar de frente para o centro de música. Eu balanço minha mão na frente, e a caixa contendo o aparelho de som se abre ao meio. Quando as duas portas deslizam abertas, elas mostram o CD player e o complicado sistema estéreo. Eu o configuro para receber a transmissão do transmissor que eu vou usar ligando o iPod ao aparelho de som e ao som do ambiente, e eu coloquei a música que eu pretendo tocar no repeat. Anastasia, no entanto, só vai ouvi-lo através dos fones que eu vou colocar em seus ouvidos, para eliminar qualquer outro ruído, intensificando a sensação. Eu vejo seu olhar perplexo pela minha visão periférica. Eu volto para encará-la novamente, e eu tenho o meu sorriso eu-tenho-um-segredo no meu rosto.

"Eu vou amarrar você na cama, Anastasia. Mas eu vou vendar você primeiro e," eu digo revelando o iPod na minha mão,  "você não será capaz de me ouvir. Tudo o que você vai ouvir é a música que eu vou colocar para tocar para você. "

Ela se surpreende, como de costume, e esta é uma expressão que eu amo nela.

"Venha,” eu digo dirigindo-a e levando-a para a cama com dossel. Ela vê os grilhões que eu anexei a cada canto, com metal fino e algemas de couro que brilham contra o cetim vermelho que cobre a cama antiga.

Ela parece excitada e animada. Bom! Esta é uma combinação que eu gosto muito nela.

"Fique aqui,” eu digo deixando-a de frente para a cama. Eu me inclino e sussurro em seu ouvido.

"Espere aqui. Mantenha seus olhos sobre a cama. Imagine-se deitada aqui amarrada e totalmente à minha mercê." Sua respiração suspende com o pensamento. Eu vou buscar o chicote que eu escolhi usar, e a luva de pelo. Eu rapidamente me encaminho de volta para ela, e eu estou imediatamente atrás dela. Eu pego seu cabelo, e puxo-o em um rabo de cavalo, e começo a trançá-lo depois de separá-lo em três partes.

"Apesar de eu gostar de suas tranças, Anastasia, eu estou muito impaciente para estar com você agora. Então, uma vai ter que funcionar,” digo em voz baixa e suave.

Enquanto eu tranço seu cabelo, os dedos ocasionalmente vão para baixo deslizando nas costas. Cada toque traz um choque elétrico ao meu corpo quando a nossa conexão se estabelece. Eu prendo o final de seu cabelo com um elástico, e a puxo pela trança forçando-a a recuar, ruborizada, contra mim. Eu puxo novamente, desta vez para o lado, para que ela incline a cabeça para o lado, dando-me mais fácil acesso ao seu pescoço.

Eu me inclino para baixo e acaricio seu pescoço, traçando os meus dentes e língua a partir da base da orelha até o ombro. Eu cantarolo baixinho enquanto eu o faço, e ela fecha os olhos de prazer e eu sei que ele está correndo através de seu corpo porque ela estremece e geme baixinho.

"Silêncio, agora," eu respiro contra sua pele. Eu ergo minhas mãos na frente dela enquanto meus braços estão tocando os dela. Eu mostro-lhe o chicote que está na minha mão direita.

"Toque-o,” eu sussurro diabolicamente, querendo que ela saiba o que eu pretendo fazer. Calor corre através de seu corpo enquanto eu sinto a mudança de nossos corpos conectados. Ela estende a mão timidamente, e escova os longos fios com os dedos. Ela sente as folhas macias de camurça com contas pequenas no final.
"Eu vou usar isso. Não vai doer, mas vai trazer o seu sangue para a superfície de sua pele e torná-la muito sensível."

"Quais são as palavras seguras, Anastasia?"

"Uhm... amarelo e vermelho, senhor,” ela sussurra.

"Boa menina. Lembre-se, a maior parte de seu medo está em sua mente."

Eu largo o chicote na cama, e minhas mãos se movem até sua cintura.

"Você não vai precisar disto,” murmuro enquanto eu engancho meus dedos em sua calcinha e desço-a, tirando-a dela. Ela sai cambaleando dela, enquanto se apoia na coluna da cama.

"Fique quieta," eu ordeno, e beijo seu traseiro e suavemente belisco as bochechas, o que tensiona seu corpo.

"Agora, deite-se. Frente para cima,” eu digo batendo com força no seu traseiro fazendo-a dar um salto.

Ela rapidamente se arrasta sobre o colchão da cama, e deita-se olhando para mim. Meu olhar está impassível não entregando nada. Meus olhos estão brilhando de emoção mal controlada.

"Mãos acima da cabeça," eu ordeno, e ela faz o que lhe é dito.

Viro-me e me volto para a cômoda, voltando com o iPod e a máscara de olhos. Ela tem um olhar de expectativa em seu rosto. Sento-me na beira da cama e mostro-lhe o iPod. O iPod tem uma antena junto com os fones de ouvido que transmitem o que está sendo tocado para o aparelho de som que, em retorno, joga em volta no som surround. Ela parece confusa, tentando decifrar a sua função.

"Isso transmite o que está tocando no iPod para o sistema na sala,” eu respondo a seu olhar interrogativo tocando a pequena antena.

"Eu posso ouvir o que você está ouvindo, e eu tenho uma unidade de controle remoto para ele," eu digo sorrindo. Na verdade eu tenho um controle remoto para sua libido como ela tem um para a minha. Eu me inclino sobre ela e insiro os fones de ouvido suavemente em seus ouvidos, e coloco o iPod longe de um toque acidental acima de sua cabeça.

"Levante a cabeça," eu mando e ela obedece imediatamente. Eu lentamente deslizo a máscara, puxando o elástico sobre a parte traseira de sua cabeça, e ela agora está desprovida do sentido da visão. Uma vez que eu ainda não liguei a música, ela ainda pode me ouvir, embora abafado porque os fones de ouvido atuam como tampões de ouvido. Eu levanto da cama. Eu pego seu braço esquerdo, gentilmente esticando-o para o canto esquerdo da cama e algemo seu pulso com as algemas de couro. Ela parece simplesmente deliciosa assim, completamente a minha mercê. Eu estico seu braço em toda a extensão quando eu termino de prender seu pulso. Eu passo para o outro lado e estendo seu braço direito, algemando seu pulso direito. Corro os dedos sobre o braço dela novamente sentindo a estranha conexão entre nós. Ela está cheia de excitação erótica.

Eu, então, vou para os pés da cama, e seguro os dois tornozelos.

"Levante a cabeça de novo,” eu ordeno.

Ela cumpre imediatamente, e eu a arrasto para baixo na cama, esticando-a, quase esticando seus punhos. Dessa forma, ela não será capaz de mover os braços. Expectativa e alegria transbordante fazem Anastasia gemer. Eu separo suas pernas: primeiro eu algemo o tornozelo direito e depois o esquerdo aumentando a separação de braços e pernas, completamente sexy para fazer o que eu quiser com ela. O fato de que ela me dá a autoridade para fazer isso, e que ela confia em mim, é extremamente excitante. Eu olho para a minha obra. Sabendo que ela é minha mulher e ela é extremamente sexy, é tanto de tirar o fôlego como de dar água na boca. Eu ligo o iPod. Eu sempre quis foder com  Spem In Alium, or the Forty Part Motet, by Thomas Tallis.

Spem In Alium by Thomas Tallis

Um coro celestial está cantando esta peça, e é muito reconfortante. A música em si significa "Esperança em qualquer outro" e é estranhamente apropriada para mim e Anastasia, porque ela me dá esperança. É uma música que ocupa a mente, e desarma e com a qual o ouvinte não vai ser capaz de pensar em qualquer outra coisa, e neste caso, ele vai dar a Anastasia uma sobrecarga sensorial. E para o que eu tenho em mente para ela, eu quero que ela experimente isso com todos os seus sentidos, e todos os sentidos sobrecarregados.

Coloquei a luva de pele em minha mão direita. Devagar e de leve eu começo a escovar suavemente por  seu pescoço, correndo languidamente em sua garganta, em seu peito, em um ritmo lento, sobre seus seios, acariciando-a fazendo-a hiper consciente de seu corpo. Eu começo a puxar os mamilos, alongando-os sensualmente, suavemente, deslizando por baixo deles.

Minha mão se arrasta por seu corpo, em um ritmo calmo e deliberado, até sua barriga, circulando seu umbigo, então, cuidadosamente de lado a lado do quadril, pelos seus pelos pubianos, entre suas pernas, ao longo de suas coxas, para baixo em uma perna, e depois para cima na outra. A sensação está fazendo ela ter consciência de si mesma, e não é mais forte do que uma leve cócega. Eu mantenho meus movimentos no ritmo das vozes na música.

Eu movo a luva de pele para baixo para seus braços, e ao redor de sua cintura, finalmente, completando o circuito voltando para seu peito. Seus mamilos endurecem sob o meu toque, quase florescendo. Ela começa a ofegar. Quando eu vejo que ela está excitada, eu imediatamente retiro a luva de pele, e pego o chicote na minha mão, e deixo que as tiras flutuem ao longo de sua pele, seguindo o mesmo caminho da luva de pele. A música continua e repete, enquanto muitas vozes angelicais em coro, ascendem e descem em um tom de seda, suave e etéreo. A camurça suave das tiras do chicote continua a viajar, e no momento certo, quando as vozes aumentam, eu levanto o chicote e bruscamente pouso sobre sua barriga. O movimento inesperado faz com que ela grite:

" Aaagghh!,” ela exclama, o som é o resultado da surpresa que o sentimento proporciona , e não de machucado. Eu a atinjo novamente, desta vez mais forte.

Aah!" Ela grita novamente.

Eu posso ver que ela quer se mover sob as mordidas do chicote, se contorcendo. Os braços e as pernas estão presos firmemente no lugar dentro dos limites das algemas e grilhões. Eu a atinjo em sua mama desta vez, e o movimento brusco a faz choramingar. Cada batida drena o sangue para a superfície, tornando seu corpo hipersensível. Eu coloco cada golpe em contraponto perfeito com a música, combinando algo celestial com algo sombrio, puxando, e chamando os sentimentos e desejos mais sombrios de dentro dela. É uma união perfeita entre mim e Anastasia, os anjos da escuridão e da luz. A sensação que ela está sentindo é totalmente erótica, atingindo algo não atendido, em mim, me levando mais e mais para cima para um lugar de êxtase. Eu a atinjo em seu quadril, então o movo em golpes rápidos sobre seus pelos pubianos, nas coxas, e para baixo no interior de suas coxas, e de volta até seu corpo novamente... em seus quadris. Eu continuo indo e indo no ritmo da música, até ela parar...e uma vez que a música começa de novo, eu começo a chover as picadas do chicote sobre seu corpo... e ela geme e se contorce sob as tiras. Sua respiração torna-se selvagem, mas também o seu corpo está ansiando por mais, completamente alerta e necessitado, e desejoso. A excitação em mim é suprema e eu posso ver que ela mal consegue conter a sua. Um gemido muito carnal escapa de seus lábios.

Eu largo o chicote e a cama se movimenta e afunda quando eu subo sobre ela. Uma vez que a música começa de novo, meu nariz e meus lábios tomam o lugar do chicote. Correndo por seu pescoço e garganta, beijando, chupando, enquanto eu sigo para baixo para seu peito, provocando cada mamilo, enquanto minha língua gira em um, os meus dedos implacavelmente provocam e alongam o outro... Ela geme alto, a máxima sensação sob meus toques, avassaladora, fazendo-a querer mais, perdendo-se em meus movimentos.

Eu desço para a barriga. Minha língua está circulando o umbigo seguindo meu caminho anterior com a luva de pele e o chicote. Estou beijando e sugando e mordiscando enquanto eu me encaminho para o sul de seu corpo. Minha língua finalmente chega ao grande prêmio, a junção de suas coxas. Ela joga a cabeça para trás e grita com o orgasmo próximo. Eu sei que ela está na beira do abismo, mas eu não quero que ela goze em minha língua. Eu paro para a sensação diminuir apenas um entalhe. Ela está pronta para ser completamente fodida. Eu rapidamente despojo-me da calça jeans.

Eu me ajoelho entre suas pernas, e eu removo a algema do tornozelo esquerdo. Ela puxa a perna para o meio da cama, descansando contra mim. Eu me inclino para o tornozelo oposto, e o liberto de sua limitação. Minhas mãos viajam rapidamente para baixo nas duas pernas, apertando e amassando, e deixando o sangue fluir nelas. Eu, então, agarro seus quadris e levanto-a para fora da cama e suas costas não estão mais na cama. Ela arqueia as costas, apoiando-se completamente em seus ombros.

Eu me ajoelho entre suas pernas, e em um movimento rápido eu estou dentro dela, fazendo-a choramingar de novo. Eu sei que ela já está excitada e perto do orgasmo, e quando ela vem para a beira do orgasmo eu paro, e espero até que seu tremor diminua.

"Por favor!” Ela lamenta.

Eu a agarro mais forte em advertência. Meus dedos estão cavando na carne macia de seu traseiro, enquanto ela está ofegante. Ela para depois da minha advertência. Muito lentamente, eu começo a me mover novamente. Dentro e fora, dolorosamente lento. A peça é cantada num coral de vozes subindo e descendo, e quando a música ganha ritmo, eu também ganho, controlando completamente os meus movimentos, e ambas as nossas sensações, completamente no tempo da música.

"Por favor, Christian," ela pede, e isto é a minha perdição. Eu a abaixo de volta para a cama em um movimento rápido, e eu estou deitado em cima dela, as minhas mãos na cama ao lado de seus seios enquanto eu suporto o meu peso, e eu empurro dentro dela. Quando a música atinge o seu clímax nós também o fazemos, e eu caio em um intenso orgasmo, logo depois de Anastasia, empurrando duro nela mais três vezes depois que ela atinge o seu clímax. Eu finalmente me imobilizo, e depois desmorono  em cima dela.

Quando os tremores que sentimos diminuem, eu puxo para fora dela, e a música pára depois que eu aperto o botão de parada no controle remoto. Eu me estico sobre seu corpo enquanto eu desamarro a braçadeira de seu pulso direito e depois do pulso esquerdo. Ela geme quando suas mãos estão livres. Eu gentilmente puxo a máscara de seus olhos, e então removo os fones de ouvido. Ela pisca e olha-me nos meus olhos cinzentos com os seus azul-bebê.

"Oi,” murmuro.

"Oi, você,” ela respira timidamente para mim. Meus lábios se curvam em um sorriso, e eu me inclino  para beijá-la suavemente.

"Muito bom, você,” eu sussurro.

"Vire".

Seus olhos se arregalam, tipo como se ela estivesse perguntando 'você ainda quer mais?"  meio olhando incrédula.

"Eu só estou indo massagear seus ombros".

"Ah... tudo bem."

Ela rola rigidamente, de bruços, muito cansada. Eu sento-me montado nela e começo a massagear seus ombros. Ela geme alto de prazer em minhas mãos de especialista. Eu me inclino para baixo, e beijo sua cabeça.

"O que era aquela música,” ela murmura , cansada, sonolenta e quase inarticuladamente.

"Chama-se Spem In Alium, or the Forty Part Motet, by Thomas Tallis..."

"Foi ...,” ela diz parando procurando a palavra certa, "esmagadora".

"Eu sempre quis foder com ela."

"Um outro primeiro,  Sr. Grey?"

"Sem dúvida, Srta Steele."

Ela geme enquanto eu continuo a massagear seus ombros.

"Bem, é a primeira vez que eu fodi com ela também,” ela murmura sonolenta.

"Hmm... você e eu estamos dando muitos primeiros um ao outro ,” afirmo o fato.

"O que eu disse para você no meu sono, Ch... uhm, Senhor?" Ela corrige a si mesma.

Minhas mãos pausam no meio de minhas aplicações por um momento.

"Você disse um monte de coisas, Anastasia. Você falou sobre gaiolas, e morangos... que você queria mais... e que você sentia minha falta." Eu digo deixando de fora o detalhe mais importante.

"Isso foi tudo?" Ela pergunta com alívio em sua voz.

Eu paro a massagem e me movo para deitar ao seu lado; eu sustento minha cabeça no meu cotovelo, franzindo a testa. Eu quero que ela diga aquilo quando ela está coerente, acordada, no meu rosto.

"O que você acha que você disse?" Eu pergunto.

"Que eu achava que você era feio, vaidoso, e que você era sem esperanças na cama."

Eu fecho a cara mais ainda.

"Bem, naturalmente eu sou todas essas coisas, e agora você me deixou realmente intrigado. O que você está escondendo de mim, Srta Steele?"

Ela pisca inocentemente. Diga , Srta Steele! Por favor, diga-me... quando eu estou aqui com você.

"Eu não estou escondendo nada.”

"Anastasia, você é uma mentirosa sem esperança,” eu digo.

"Eu pensei que você ia me fazer rir depois do sexo; isto não está me fazendo rir."

Meus lábios se curvam em um sorriso.

"Eu não sei contar piadas."

"Sr. Grey! Algo que você não sabe fazer?" Ela sorri para mim e eu sorrio de volta para ela.

"Não, contador de piada sem esperanças,” digo com orgulho de mim e ela começa a rir.

"Eu sou uma contadora de piadas sem esperança, também," ela complementa.

"Esse é um som tão lindo,” murmuro, e então eu me inclino e a beijo.

"E você está escondendo alguma coisa, Anastasia. Talvez eu tenha que torturá-la para extrair de você."

Eu fico olhando para ela, e eu amo o jeito que ela está rindo, mas eu só desejo que ela me diga que ela vai ficar.

Nós finalmente adormecemos, olhando um para o outro, e eu estou abraçando-a no meu Quarto de Jogos. Completamente alheio ao mundo e aos problemas que ele está me dando. Só eu e minha Anastasia. Neste estado de completa paz, no topo do mundo, no meio do caos e das tempestades da minha vida fodida, usufruindo desta tranquilidade momentânea, apenas minha garota e eu, juntos na cama. Problemas estão esperando do lado de fora da porta, mas agora, neste momento no tempo, eu não me importo com  nada, não penso em ninguém, exceto Anastasia

I'm on Top of the World by The Carpenters


19 comments:

Anonymous said...

Não acredito mais um capitulo e vamos para o segundo livro....
Estou tãããããããããõooooooooooo ansiosa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
<3 Christian e Anastasia

Anonymous said...

Neusa vamos para a reta final e estou anciosa para o livro 2 que e o meu preferido, posta o final logo vai........

anne caroline godoi said...

Tenho que confessar que li esse capitulo muita tensa...pois pensei que seria,o momento que ela iria embora... É uma parte muito triste para mim,isso que dizer que estarei tensa de novo no próximo capitulo(vou precisar daquela massagem do Christian...)
Neusa,mais uma vez der os parabéns por mim a autora,esta tudo maravilhoso...

Maciane da Silva Pinto Gontijo said...

Neusa fico ansiosicima a espera de um novo capítulo... li o livro um que encontrei em PDF, porém nem se compara a sua tradução, espero que vc tenha disposição para postar logo o último capítulo e partimos para o livro dois. Amando aqui Christian e Anastacia... Obrigada!!!!

Maciane Gontijo said...

Neusa agradeço de coração sua tradução... fico na expectativa pelos próximos capítulos... está virando um vício... ansiosa pelo livro dois... Morrendo aqui pelo Christian e Anastacia...

Maciane da Silva Pinto Gontijo said...

Neusa agradeço de coração sua tradução... fico na expectativa pelos próximos capítulos... está virando um vício... ansiosa pelo livro dois... Morrendo aqui pelo Christian e Anastacia...

Lidianeps10 said...

Parabéns Neusa. Trabalho maravilhoso.

Lidianeps10 said...

Parabéns Neusa. Seu trabalho é maravilhoso.

PENHA Storani said...

Neusa Parabéns pela belíssima tradução. Adorando todos os capítulos. Muito ansiosa pelo próximo, e mais ansiosa ainda pelo segundo livro. Beijos no seu coração e no da Emine que está escrevendo lindamente esta Fan Fiction. Estou completamente viciada.
Penha Storani

Anonymous said...

Estou a morrer aqui....
Por favor ponha o último capitulo....
Estou a ficar deseperada....
Viciada nos livros de CInquentas Sombras de Grey <3

Paula Souza said...

Eu estou sem ar!!! Descobri o blog na última sexta e li todos os capítulos desde então. Terminei agora e estou tão emocionada...
Eminé, você é uma escritora fabulosa. Eu já estava apaixonada pelo Christian, mas agora eu estou louca!
Neusa, que tradutora incrível você é. Não sei como te agradecer.
Na verdade, muito obrigada as duas.
Ansiosa pelo próximo capítulo. Vou tentar não ler em inglês.

Neusa Reis said...

Muito obrigada a todas que comentaram. Como eu sempre ressalto, o mérito todo é da Emine. Eu apenas coloquei suas palavras em português. Se vocês gostaram, bom para o Christian. Acabei o cap. 30 e vou mandar hoje para o Blog. Capítulo duro de ler, e pior de escrever. Mostra o Christian nu em seus sentimentos, sangrando, dilacerado e descobrindo o caminho para a redenção. E mostra a força da Anastasia, que já havíamos conhecido na trilogia da E L James. Comentem, comentem, vocês são nosso termômetro. Vamos continuar no segundo livro, aproveitando a beleza deste POV Christian, lindamente escrito pela Emine. Bjs a todas

Anonymous said...

Neusa, vc também vai postar o capitulo extra? To muito ansiosa, entro na pagina de hora em hora pra ver se tem o capitulo novo, como disse anteriormente vc e a Emine fazem minhas noites muito mais apaixonantes, obrigada! Tatiana Saldanha.

Daniele Santiago said...

Nossa... não saio daqui hj sem ler o último capítulo... estou ansiosa... parabéns pela belíssima tradução, e parabéns à Émine por ter captado a essência do Christian, simplesmente perfeito... de tirar o fôlego... Congratulations!!!

Sue Helena Bastos said...

Gente… o que foi isso?! A transa deles ao som de “Spem In Alium by Thomas Tallis” foi espetacular! Esse homem é um tudo-de-bom-e-mais-um-pouco na cama! Eu geralmente leio os capítulos com fone de ouvido. Simplesmente fiquei em transe nessa parte. Valeu Eminé e Neusa. Sensacional mesmo. Até me deu vontade de experimentar com meu amorzinho... rsrs
Ps. A trilha está simplesmete espetacular.

Viviane moreira lage said...

Será que exite esse Christian?Nem quero saber esse já e o suficiente. Agradeço a Emine por essa linda historia e a você Neusa, por essa excelente tradução.Valeu a pena!!!!Obrigada!!!

Darlene said...

Muito intenso esse capitulo.....ai gente confesso que estou sofrendo antecipado pelo próximo cap...muito sofrimento.

Daniela Martins said...

Como Christian Grey é tão criativo! Realmente sabe fazer uma garota feliz! Rsrsrs
Agora vou me preparar para o próximo capítulo! Sei que ele é bastante intenso e triste!
Obrigada, Emine!
Bjkas
Dani

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry