StatCtr

Monday, June 24, 2013

Livro III - CAPÍTULO VII -– FORA PARA LUA DE MEL - Christian Grey e Anastasia Steele



MILE HIGH CLUB

CAPÍTULO VII



Tradução: Neusa Reis

(N.T. O termo Mile High Club (ou MHC) é uma gíria aplicada coletivamente aos indivíduos que têm relações sexuais a bordo de uma aeronave.)

Um estrondoso aplauso é ouvido por toda parte depois que termino de cantar, enquanto o meu olhar ainda está bloqueado na minha linda noiva. Sting aperta minha mão e Anastasia se movimenta para subir. 

Anastasia sobe timidamente e aperta a mão de Sting.

"Parabéns, Sra. Grey!" ele diz educadamente.

"Estou sem palavras! Isso foi..." ela para e olha para mim com respeito, admiração e amor, "o melhor presente sempre!" diz ela.

"Obrigado!"

"Bem, então Sra. Grey, uma vez que a canção foi um presente de seu marido, eu vou presentear uma linda canção para uma linda mulher,” diz ele sorrindo, e eu sinto o ciúme crescer em mim. Eu levo minha esposa para a pista de dança.

"Sr. Grey, eu estou mais do que nunca apaixonada por você agora. Esta canção..." ela diz meio com lágrimas nos olhos, meio sorridente, "o Hino do Perseguidor é de alguma forma tão condizente. Eu só o amo tanto!" ela sussurra.

"Sra. Grey, nosso objetivo é agradar,” eu respondo sorrindo.

Sting começa a tocar "Fields of Gold" e eu danço com Anastasia como se não houvesse amanhã, nossos olhares bloqueados.

Sting – Fields of Gold

Sting sai depois da segunda música, e a orquestra assume, tocando nossas músicas favoritas.

O MC anuncia a comida sendo servida e estamos indo para nossas mesas. Elliot senta ao meu lado, à minha direita. Ele se levanta, limpa a garganta, e golpeia a taça com o garfo.



"Posso ter sua atenção, por favor?" Ele pede à multidão em voz alta. Vozes altas baixam o volume, e todas as cabeças, em cada mesa, viram para olhar para o rosto sorridente de Elliot, com expectativa.

"Boa noite senhoras e senhores! Obrigado por baixarem os garfos para me dar sua atenção. Eu gostaria que nós tomássemos um momento para apreciar e levantar nossas taças  para minha mãe, Dra. Grace Trevelyan-Grey e minha irmã, Mia Grey, que sabem como fazer uma festa. "

Elliot levanta a taça em sua homenagem, dois garçons trazendo xícaras de chá inglês, derramando Bollinger nelas com um floreio, para os olhos arregalados de Anastasia, olhando para mim, primeiro com surpresa, depois com admiração.


Enquanto os convidados chamam "hear, hear,” eu me inclino para o ouvido de Anastasia e sussurro, lascivamente, "nada tem sabor igual ao de um Bollinger em xícaras de chá!" Eu digo e sento-me direito de novo, com um sorriso reservado apenas para ela. Ela cora carmesim, mas incapaz de tirar os olhos de mim.

"Bollinger Grande Année Rosé 1999, uma excelente safra," ela responde, espelhando minhas palavras de quando nós  primeiro bebemos Bollinger em xícaras de chá,  em seu apartamento.

Elliot olhos as xícaras de chá, em seguida, dá de ombros e continua com o seu discurso.

"Deixem-me começar por dizer que as damas de honra pareciam absolutamente deslumbrantes hoje e só suplantadas, justamente,  pela nova esposa do meu irmão, Ana. Tenho certeza que vocês concordarão comigo, senhores, hoje é um dia triste para os homens solteiros,  quando outra beleza deixa a lista de disponíveis. Sua perda é o lucro do meu irmão.

Eu tive sorte o suficiente para ver a relação de Ana e Christian evoluir desde o início. Eu nunca vou esquecer o dia, ou melhor, a noite em que eu conheci Ana,” diz ele fazendo-me ficar tenso imediatamente. Será que ele vai falar sobre Anastasia completamente bêbada?

"Aliás, foi a noite em que eu conheci a minha linda namorada Kate, que é a melhor amiga de Ana e dama de honra hoje. Mesmo que eu estivesse extasiado com Kate naquela noite,” diz ele olhando para Kate com amor, luxúria ou uma combinação dos dois,  ele continua, "eu pude imediatamente dizer que o meu irmão estava de cabeça para baixo por Ana,  pelo amor, carinho e ternura que ele mostrou para ela,  que eu nunca, nunca o vi demonstrar antes. Eu não posso culpá-lo. Ana é incrível! Ela não é apenas bonita, mas também inteligente, obstinada e compassiva; ainda mais, o seu amor pelo meu irmão é evidente em cada movimento, cada olhar. O campo gravitacional que eles criam é tão forte, que deve ser o seu próprio sistema solar; eles estão cativados eternamente um pelo outro.

Bem, dizem que os piores cinco minutos do dia do noivo são o discurso do padrinho e que os piores cinco minutos da noiva virão mais tarde, hoje à noite,” ele diz, e risadas podem ser ouvidas ao redor. "Quem disse isso não me conhece, nem ao meu irmão” diz Elliot sorrindo e pisca para mim, enquanto alguns dos convidados assobiam das outras mesas. Anastasia torna-se vermelha, e eu olho para ele incisivamente com um olhar impassível e ele sorri tão largo quanto possível.

 "Mas hoje é tudo sobre o amor. Pela maneira como meu irmão e minha nova irmã não puderam tirar os olhos um do outro durante todo o dia, eu sei que eles ganharam o grande prêmio da vida, e que eles estão total e completamente apaixonados. Eu não tinha visto outras duas pessoas estarem mais apaixonadas do que eles, fazendo-me desejar que quando eu decidir me casar um dia, eu seja tão feliz quanto meu irmão é hoje.

Senhoras e senhores, eu lhes apresento o casal perfeito! Ana parece impressionante esta noite. Na verdade, a festa nupcial toda parece linda. Eles não pertencem a uma revista? Christian não está muito maltrapilho também,” ele diz e pisca para mim, novamente sorrindo. Então, seu rosto fica sério e ele acrescenta: "Aqui está o meu irmão Christian, e sua nova esposa e minha nova irmã, Ana! Que o resto de suas vidas seja repleto de alegria, admiração, amor e muito sexo quente!" Ele termina seu discurso com um grande sorriso e levanta a taça e toma um gole,  entre fortes aplausos.

A comida é excelente, a experiência da Mia em cozinha francesa é evidente, mas eu quero pular o prato principal e apenas chegar a sobremesa. Minha esposa está simplesmente muito deliciosa. Eu não consigo tirar meus olhos dela. Nós comemos,  e saboreamos a nossa Bollinger em xícaras de chá, e muito em breve, é hora de cortar o bolo. Para minha surpresa, há um bolo do noivo em forma de Charlie Tango! Presente de Anastasia para mim. Mas o bolo principal é uma obra-prima. É um bolo de chocolate decorado em prata e branco, e um laço de fita cinza-prata no segundo andar,  apenas indicando minha peça favorita de acessório. Eu olho para Anastasia lascivamente, meu olhar aquecendo, escurecendo, e ela cora ficando quente. Nós cortamos o bolo juntos e ela me dá a primeira mordida. Eu o apanho a  meio caminho dos meus lábios, e eu estendo a mão e segurando seu rosto, mesclo nossos lábios juntos, compartilhando o bolo e beijando-a o mais castamente possível,  entre os gritos e assobios dos convidados. Eu não posso resistir a declarar a todos que esta é a minha mulher. Minha esposa!



Coloquei marcas de checagem mentais para todos os itens do nosso programa de casamento para que eu possa levar a minha noiva embora. A festa está agora em pleno andamento. Eu quero dançar com minha esposa, assim como a metade dos convidados, o que corresponde a todos os caras aqui. É uma perspectiva que eu não estou encarando.

A primeira música após o bolo é " I'll Always Love you."

(I'll Always Love you - Taylor Dayne)

Eu sussurro as palavras em seu ouvido:

I'll always love you for the rest of my days.
You have won my heart and my soul with your sweet, sexy ways.
You gave me hope when I needed someone near.
You bring me happiness every day of every year.

I'll always love you for all that you are.
You have made my life complete, you're my lucky star.
You are the one that I've been searching for.
You are my everything, tell me who could ask for more.
: http://www.lyricsfreak.com/t/taylor+dayne/ill+always+love+you_20135493.html ]
And I'll always love you, Honey, this will never end.
I need you by my side, baby, you're my lover, my friend. My friend.
You gave my world a thrill I've never known.
And filled my eager heart with a love to call my own.

And I'll always love you; you must know how much I do.
You can count on me forever and I will take good care of you.

I'll always love you, I'm so happy that you're mine.
I'll always love you, yes, till the end of time.

Os olhos de Anastasia transbordam com lágrimas, e ela se esforça para não chorar. Finalmente, ela consegue dar um grande sorriso  por entre suas lágrimas.

"Baby, não chore. Este é o nosso dia. Você é completamente minha agora, como eu sou seu,” eu sussurro.
"Eu o amo Christian, eu sempre vou amar você,” ela declara.

"Eu prometo amá-la todos os dias da minha vida, Ana".

"Isso é suposto ser a minha próxima fala, Sr. Grey,” diz ela sorrindo.

"É,  Sra. Grey?" Eu provoco.

"Posso interromper?” Diz uma voz familiar. É José. Posso deixá-lo ter uma dança, uma vez que Anastasia já é minha.

"Você pode,” eu respondo e deixo Anastasia dançar com seu amigo, embora com relutância.

Flynn vem para perto de mim, observando-me assistir Anastasia dançar com José.

"Parabéns Christian! É uma alegria ver você assim exultante, assim feliz...” diz ele sorrindo.

"Obrigado, John,” eu respondo sorrindo para ele.

"Sr. Grey,” Taylor se insinua, e olha para mim intensamente. Embora seu olhar seja impassível, eu sei que há um problema. Um grande problema.

"Desculpe-me um momento, John," eu digo com um sorriso apertado e deixo a conversa, para acompanhar Taylor.

"O que foi?" Pergunto uma vez que estamos em um canto relativamente calmo e fora do alcance da voz.

"A Sra. Lincoln está lá fora, e ela insiste em falar com você,” diz ele, nervoso.

"Que porra é essa? Eu não acredito nisso!"

"Eu sei que você tem instruções rigorosas sobre quem pode e não pode vir, senhor. Mas, eu pensei que você precisava saber sobre isso."

"Eu não vou falar com ela no dia do meu casamento, nem tão cedo, em nenhum momento!"

"Eu estou ciente disto, senhor. Eu posso mandá-la embora. Ela passou uma nota para ser dada a você,” diz ele retirando-a discretamente para entregá-la a mim.

Meu olhar trava em Taylor raivosamente e eu olho para ele,  incisivamente, antes de pegar a nota.

" Christian

Eu sei que você não quer me ver. Eu pensei que eu ainda deveria tentar. Você e eu temos uma história comum, e temos sido amigos há um longo tempo. Então, eu quero desejar-lhe boa sorte e toda a felicidade que você merece justamente em seu casamento. Mas se as coisas não derem certo, eu quero que você saiba que eu ainda estou aqui para você. Eu SEMPRE estarei aqui para você. Eu não vou sair até que você responda.
Elena "

Porra! Ela não vai sair até que ela receba uma resposta? Eu não estou indo para falar com ela deixando minha esposa aqui, ao cuidado de outros, ou enviar-lhe uma nota escrita. Não vou chamá-la também. Ela não pode escrever as regras que definem como eu me comporto, e jogar comigo nas mãos dela. Dirijo-me a Taylor e ordeno:

"Eu quero que você vá lá fora, e fale com ela. Diga-lhe que o Sr. Grey está ocupado construindo seu futuro com sua nova esposa. Ele não está interessado em relembrar seu passado com ela. Caso ela tenha problemas para encontrar seu caminho para sua casa, um dos seguranças estaria mais do que feliz em dar as direções, e se ela ainda tiver dificuldade para entender o inglês simples, eles podem alegremente escoltá-la para casa,” eu digo. Há o fantasma de um sorriso e um tom de orgulho em Taylor, mas eles desaparecem.

"Eu vou estar mais do que feliz em entregar a mensagem, senhor,” ele responde, e sai rapidamente.

A música muda e eu deliberadamente me encaminho de volta para Anastasia e José.

"Eu estou cortando José,” eu digo, com um pequeno sorriso, mas com segurança no meu tom. Ela é a minha garota, e eu vou dançar com ela, e reclamá-la de volta. José sorri e acena com a cabeça concordando.

"Sr. Grey, eu senti sua falta,” sussurra Anastasia, acelerando minha respiração.

"Sra. Grey, eu também,” eu digo e a giro em torno dela mesma com a música  "Save the Last Dance for Me".


Save the Last Dance For Me - Michael Buble

Meus pais, a mãe de Kate e Ray, e muitos de nossos amigos e entes queridos estão dançando e sorrindo. Meu irmão e Kate vêm felicitar-nos.

"Parabéns,  mano! Eu pensei que esse dia nunca iria chegar. Mas então, você não conhecia Ana na época. Estou tão feliz por você, cara!" diz ele batendo no meu ombro e me puxando para outro abraço de urso. Kate fica ao lado de Ana e ela olha para ela, franzindo a testa. Por que ela iria estar carrancuda? Anastasia está além de bonita. Ela parece angelical. Elliot continua a falar sobre alguma outra merda, mas eu não consigo me concentrar em seu discurso, com o que está acontecendo entre Anastasia e Katherine.

"Ei, isso é suposto ser o dia mais feliz de sua vida,” ela repreende. Tem algo que incomoda Anastasia?

"E é,” eu ouço Anastasia sussurrando tensa. Por que então a trituradora de bolas acha que ela está chateada?

"Oh, Ana, o que está errado? Você está olhando sua mãe e Ray?" Ela pergunta, e da minha visão periférica, eu vejo Anastasia concordar tristemente.

"Eles estão felizes,” observa Kate. Eu olho para eles, e eles estão rindo e conversando, enquanto eles estão dançando. Eles são muito amigáveis, como dois pais orgulhosos que não estão mais juntos. Oh merda! Isso é o que ela está pensando.

"Muito felizes separados,” ela sussurra.

Elliot está sussurrando sobre algo,  enquanto ele está puxando meu braço,  tentando me afastar uns poucos passos, como se para me dizer ou pedir-me alguma coisa, mas eu não iria ouvi-lo nem se ele estivesse num alto-falante, porque estou decidido a ouvir a conversa de Anastasia.

"Você está com dúvidas?" Katherine pergunta com alarme em sua voz, e meus olhos ficam mais abertos, e eu fico imóvel imediatamente no meu lugar.

"Não, absolutamente. É só que... Eu o amo muito,” ela responde. Existe um "mas" vindo depois desta sentença.

"Ana, é óbvio que ele a adora. Sei que você teve um começo não convencional para o seu relacionamento, mas eu pude ver o quão felizes vocês foram durante o mês passado,” ela lhe diz reconfortante e apertando a mão dela. "Além disso,” ela sorri, "é tarde demais". Anastasia ri em resposta. Katherine abraça Anastasia num abraço apertado, e diz: "Ana, você vai ficar bem. E se ele ferir um cabelo em sua cabeça, ele vai ter que responder a mim."

Ok, isso é o suficiente desta porra de conversa.

"Então, o que você acha Christian?" pergunta Elliot.

"Bom, ótimo, maravilhoso! Vou falar com você sobre isso depois,” eu digo e caminho em direção a Anastasia.

"Huh? Você quer dizer que não há problema em deixar os caras de segurança fora quando eu estou trabalhando?"

"Elliot, eu não posso falar com você sobre isso hoje, seja razoável,” eu digo e vou embora.

Quando eu incisivamente olho para Katherine, ela me dá um olhar 'Eu tenho seu número Grey!’ e sorri. Eu olho para ela sugestivamente com um olhar que diz: ‘Eu estou aqui para reivindicar minha esposa, portanto vá a merda!' Elliot caminha para se juntar a Ethan e José.

Eu coloco meus braços ao redor da cintura de Anastasia e sussurro: "Oi baby,” e a beijo na testa.

"Kate:" Eu cumprimento a ela, tentando ser menos formal, mas minha voz ainda sai formal, com o seu comportamento de um passado não tão distante.

"Olá novamente, Christian. Estou indo para encontrar o padrinho, que acontece ser meu melhor homem, também,” diz ela sorrindo ao pensar no meu irmão.

Eu não tenho sido capaz de tirar os olhos de Anastasia. A única coisa que está na minha mente é simplesmente tirar seu vestido devagar e sem pressa e fazer amor com ela no meu jato, marcando  outro primeiro com ela.

"Hora de ir," eu murmuro em seu ouvido.

"Já?" ela pergunta surpresa. "Esta é a primeira festa em que eu estive,  onde eu não me importo de ser o centro das atenções,” diz ela virando em meu braço para me encarar.

"Você merece ser, baby. E você está deslumbrante, Anastasia,” eu digo, sem conseguir impedir-me.

"Assim como você,” ela responde, timidamente, me fazendo sorrir. Ela é tão quente, e ela é toda minha. "Este lindo vestido é digno de você,” eu digo a ela.

"Essa coisa velha?" murmura corando quando ela puxa a guarnição da renda delicada de seu vestido de casamento. Ela ficaria absolutamente linda em um saco, mas o vestido a torna deslumbrante, de fato de dar água na boca. Acho que esperei tempo suficiente sem ficar em chamas. Eu me curvo e a beijo novamente.

"Vamos lá. Eu não quero mais dividir você com todas essas pessoas,” eu digo,  a minha voz devassa. Ela olha para mim surpresa.

"Podemos deixar o nosso próprio casamento?"

"Baby, é a nossa festa, e nós podemos fazer o que quisermos. Cortamos o bolo. E agora, eu gostaria de levá-la para longe e ter você só para mim,” eu respondo, no que sou recompensado com o meu som favorito no mundo todo, sua risada.

"Você tem a mim, para toda a vida,  Sr. Grey," ela responde.

"Estou muito feliz em ouvir isso, Sra. Grey," eu digo aninhando-a. E somos interrompidos pela minha avó.

"Oh, aí estão vocês dois! Esses pombinhos. Christian, querido, mais uma dança com a sua avó?” ela pede. Embora eu adorasse sair neste segundo, meus longos anos de boas maneiras arraigadas assumem.

"Claro, Vovó."

"E você, linda Anastasia, vá e faça um velho feliz, dance com Theo." Anastasia parece confusa.

"Theo, Sra. Trevelyan?"

"Vovô Trevelyan. E eu acho que você pode me chamar de vovó. Agora, vocês dois precisam seriamente começar a trabalhar em meus bisnetos. Eu não vou durar muito mais tempo,” diz ela, para meu horror. Crianças? Não por muitos, muitos, muitos anos. Pelo menos dez anos.

"Venha, vovó," Eu pego sua mão para levá-la para a pista de dança antes que ela comece a pressionar-nos para iniciar o processo, na tenda. Eu me viro para olhar para trás para Anastasia, ainda fazendo beicinho sobre o estranho pedido da minha avó e eu rolo meus olhos. "Laters, baby,” eu murmuro. Quando eu começo a dançar com a minha avó, eu noto que José se aproxima a Anastasia e ele está tendo uma conversa séria com ela. Que diabos é que ele quer dela? Ele não poderia estar se declarando a  ela no dia do nosso casamento, poderia? Ele franze a testa quando Anastasia diz alguma coisa, então sorri. Anastasia se encaminha para o meu avô. Eu mal posso esperar para essa porra dessa música ter acabado. Eu a quero demais. Quando a música acabou, a minha avó quer falar comigo. Novamente.

"Querido, eu estou cheia de alegria de vê-lo se casar. Então, feliz mesmo! Mas eu não estou brincando sobre bisnetos! Eu gostaria de vê-los antes de eu morrer,” diz ela, quase brigando. Deus! Não isto de novo.
"Bem, vovó, eu estava esperando passar o casamento e a lua de mel em primeiro lugar," eu digo, enquanto eu beijo sua mão. "Que tal se eu levá-la de volta ao vovô?"

"Isso seria bom. Você é um bom menino! Você faz um marido muito bonito para Ana, eu estou mais que feliz por fazer parte de hoje,” diz ela e eu sorrio, quando eu a levo de volta ao vovô e deposito-a em seus cuidados.

Anastasia está de pé nas portas francesas, e ela está assistindo ao pôr do sol, que está  pintando o céu de laranja,  do outro lado da baía. É uma imagem sem preço. Mas, neste momento, eu não quero a pintura; o que eu quero é tirar o vestido dela e fazer amor com ela.

"Vamos," apelo a ela assim que meus pés me levam para ela.

"Oh, eu tenho que me trocar,” diz ela segurando minha mão tentando me puxar. Eu franzo a testa. Eu não quero que ela tire o vestido. Eu pensei que já tinha deixado claro para ela que eu queria ser o único a tirá-lo. Eu a puxo de volta para mim, parando-a em seu caminho.

"Eu pensei que você queria ser quem ia tirar este vestido,” diz ela confusa. Oh! Meus olhos brilham de excitação.

"Correta,” eu digo sorrindo para ela lascivamente. "Mas eu não vou despir você aqui. Nós não iríamos sair até... Eu não sei... " Eu digo acenando com a mão. Se eu fosse tirar esse vestido aqui, eu iria querer fodê-la, e eu não vou fazer isso aqui. Quero o primeiro sexo como um casal a 10.000 metros no ar. Nós temos outro primeiro para celebrar.

Anastasia cora imediatamente, claramente entendendo o significado.

"E não desmanche seu cabelo também,” murmuro em um tom sombrio.

"Mas...” diz ela, e eu a corto.

"Sem mas, Anastasia. Você está linda. E eu quero ser o único a despir você,” eu a lembro, com meus olhos escurecendo com intenção carnal. Ela franze a testa.

"Arrume suas roupas de despedida," eu lhe ordeno. "Você vai precisar delas. Taylor tem sua mala principal.”

"Oh, sim,” diz ela curiosa. Eu rio para ela. Ela está queimando para saber onde estamos indo. Ela tentou arrancá-lo de mim; encarregando mesmo minha irmã e Katherine de ajudá-la na busca, sem sucesso. Vai continuar a ser um segredo até eu decidir deixá-la saber.

Ela se vira para a mãe dela  e Katherine, por perto, e fala com elas. Eu vejo minha mãe chegando e dando-lhe um abraço. Taylor vem para as proximidades. Eu aceno com a cabeça indicando que eu quero falar com ele em particular.

"Você transmitiu minha mensagem?"

"Sim, senhor. Transmiti."

"E então?" Pergunto impaciente.

"Ela estava aborrecida, mas ela queria sair por sua própria vontade. A Sra. Grey," diz ele, e quando ele vê-me apreensivo assumindo que é Anastasia, ele se corrige e diz: "Sua mãe,  deve ter ouvido falar que alguém não convidado estava lá fora. Ela queria vir e ver quem era, mas eu lhe assegurei que a segurança era capaz de cuidar disso, e esperava-se ter convidados indesejados. Seria melhor que ela me deixasse cuidar disso,” diz ele e eu me sinto aliviado.

"Em resumo, senhor, o convidado não desejado saiu sem qualquer violação da segurança ou incidentes,” explica ele percebendo que existem outros ouvidos que podem estar  escutando nas proximidades. Concordo com a cabeça.

"Está tudo pronto para a viagem?"

"Sim, senhor. Tudo está pronto. "

"E o carro?"

"Tudo pronto, senhor. O jato está abastecido e pronto. A tripulação já está a bordo. Eles vão decolar assim que os passageiros cheguem,” diz ele.

"Puxe o SUV para a frente. Vamos sair em breve."

"Como quiser, senhor,” ele responde e rapidamente se encaminha para o posto do manobrista. Eu me dirijo para a casa para encontrar minha esposa, e lá ela está conversando com sua mãe e seu padrasto, radiante e de tirar o fôlego. Ouço reminiscências de Carla.

"... E você cuidava dela e ajudou-a  a crescer, Ray,” ela diz melancolicamente.

"E eu amei cada minuto disso. Você está um inferno de uma noiva, Annie,” diz ele. Como ele está certo!

"Oh, pai..." murmura Anastasia, tentando abafar um soluço,  enquanto eles se abraçam. Eu não quero minha esposa chorando naquele que deve ser o dia mais feliz de sua vida. Meu maior objetivo na vida é fazê-la feliz. Eu estou ao lado dela imediatamente. Quando Ray liberta-a de seu abraço, ele aperta minha mão calorosamente.

"Cuide da minha menina, Christian,” diz ele com uma voz rouca.

"Eu pretendo, Ray. Carla,” eu digo acenando com a cabeça para Ray, concordando, e beijando Carla na bochecha. Minha mãe e meu pai já sabem que nós estamos indo embora, e os convidados formaram um arco humano para nos passarmos através,  para chegar ao nosso carro. Eu pego a mão da minha esposa na minha, e volto-me para ela perguntando: "Pronta?"

"Sim,” ela responde. Entre gritos dos convidados de boa sorte e parabéns, estamos sendo regados com arroz. Meus pais estão na extremidade do arco.

"Parabéns, meu filho!” Diz o meu pai, me puxando para um abraço. Minha mãe está em seu habitual modo "eu-estou-tão-feliz-que-posso-chorar' e ela enxuga os olhos com o lenço, enquanto nos  abraçamos e beijamos. Nós, finalmente, vamos para o Audi SUV, e Taylor está esperando para nos levar para o aeroporto imediatamente. Quando eu chego ao SUV, eu abro a porta para Anastasia. Ela se vira e joga seu buquê de rosas brancas e cor de rosa para o  grupo de mulheres solteiras,  jovens,  à espera, e minha irmã pula e pega. A competitividade é uma característica da família Grey; que posso dizer? Nós gostamos de ganhar. Mia sustenta as flores triunfante, e sorri tão amplamente quanto possível.

Anastasia desliza para o SUV, enquanto ela está rindo para minha irmã, e eu recolho a barra do vestido da minha esposa. Uma vez que ela está no SUV, eu fecho a porta, e viro para a multidão reunida.

"Obrigado a todos por terem vindo, fazendo deste o dia mais inesquecível de nossas vidas! Vemo-nos quando voltarmos,” eu digo e aceno para os convidados. Taylor abre a minha porta, e "Parabéns, senhor,” diz ele.

"Obrigado, Taylor,” eu respondo sorrindo. Quando Taylor, finalmente, fecha a porta, ele entra no veículo e, enquanto ele se afasta da longa entrada dos meus pais, os convidados regam nosso SUV com arroz. Quão feliz pode um homem ficar? Eu agarro a mão de Anastasia e beijo seus dedos.

"Até o momento tudo bem, Sra. Grey?" Eu pergunto.

"Até o momento tudo maravilhoso, Sr. Grey. Para onde estamos indo?” Ela pergunta. Sempre curiosa.

"Sea-Tac,”eu respondo, e sorrio. Eu quero que ela se surpreenda. Ela olha para mim interrogativamente, ardendo de curiosidade.

Quando Taylor nos leva ao portão de segurança e depois para a pista, Anastasia vê nosso jato. Ele está claramente marcado com grande rotulação azul, Grey Enterprises Holdings Inc.



Ela se vira para mim e simula me repreender: "'Não me diga que você está fazendo mal uso da propriedade da empresa de novo!"

"Oh, eu espero que sim, Anastasia,” eu respondo sorrindo.

Taylor leva o SUV ao pé dos degraus que levam até o avião e pula para fora do veículo e abre minha porta.
"A que horas é seu vôo?" Pergunto a Taylor. Ele não vai viajar no jato. Eu quero tanta privacidade quanto eu posso obter com Anastasia e, além disso,  Taylor precisa chegar a Londres na nossa frente,  para entrevistar a segurança arranjada e ter o hotel pronto para nós.

"Eu estarei voando em duas horas, senhor. Sawyer vai levar o SUV de volta. "

"Vejo você em Londres, então."

"Boa viagem, senhor".

"Você também, Taylor,” eu digo, em seguida, abro a porta do Audi, e inclinando-me, eu levanto Anastasia em meus braços. Tenho a intenção de carregá-la através de cada portal.

"O que você está fazendo?” Ela grita.

"Eu estou carregando você através do portal,” eu respondo.

"Oh," ela diz surpresa.

Eu a levo ao longo dos degraus, através do portal e na cabine do jato. Taylor me segue com sua bagagem de mão. Depois de deixá-la na entrada, ele retorna para o Audi para entregá-lo a Sawyer, e embarcar em seu avião na British Airways.  Stephan nos recebe em seu uniforme.

"Bem-vindo a bordo, senhor, Sra. Grey,” diz ele com um sorriso largo.

Coloco minha esposa para baixo e aperto a mão de Stephan. Ao lado de Stephan está a co-piloto Beighley.
"Parabéns a ambos,” diz Stephan.

"Obrigado, Stephan. Anastasia, você conhece Stephan. Ele é o nosso capitão hoje, e esta é o Primeiro Oficial Beighley,” eu digo apresentando a tripulação do voo para a minha esposa. Beighley cora e pisca rapidamente. Anastasia sub-repticiamente olha Beighley,  que é uma morena. Mas Anastasia não tem nada a temer. Eu não tenho olhos para ninguém além dela. Eu olho Anastasia tranqüilizador.

"Encantada em conhecê-la,” jorra Beighley. Anastasia finalmente sorri para ela.

"Todos os preparativos completos?" Eu pergunto.

"Sim, senhor. Temos tudo pronto. O tempo está  bom daqui até Boston. "

"Turbulência?"

"Não antes de Boston. Há uma frente meteorológica sobre Shannon que pode nos dar um mau bocado".

"Entendo. Bem, espero dormir através de tudo isso,” eu digo de modo prático. Eu realmente estarei mais fodendo do que dormindo. Mas não é assunto deles.

"Nós vamos estar a caminho, senhor. Vamos deixá-lo aos cuidados capazes de Natalia, a comissária de bordo,” diz ele. Viro-me e olho para a aeromoça, que é uma morena. Isso vai incomodar Anastasia. Eu franzo a testa, em seguida, viro para Stephan e sorrio.

"Excelente,” eu digo. Eu pego a mão de Anastasia, que tinha estado observando a madeira clara e o interior em couro creme pálido. Eu a levo para um dos assentos de couro. Ela olha em volta mais uma vez para observar tudo. O jato é grande. Tem 12 assentos, e um quarto e um escritório aqui. Eu posso cuidar de  todo meu negócio do meu jato, mas durante esta viagem, eu não pretendo fazer nada disso.

"Sente-se,” eu ordeno a Anastasia. Enquanto ela toma seu assento, eu tiro o meu paletó, e desabotoo os botões do meu colete de brocado prata. Nós nos sentamos em assentos individuais, dispostos frente a frente,  com uma pequena mesa polida entre nós.

Natalia vem com Bollinger em taças de champanhe.



"Bem-vindo a bordo, senhor, senhora, e parabéns,” diz ela.

"Obrigado,” eu respondo e sorrio. Ela recua para trás,  para a cozinha.

"Para uma vida conjugal feliz, Anastasia," Eu digo à minha esposa,  levantando a taça e nós brindamos.

"Bollinger?” ela pergunta.

"Ele mesmo".

"A primeira vez que eu bebi isso, ele estava em xícaras de chá,” diz ela rindo.

"Eu me lembro bem daquele dia. Sua formatura."

"É por isso que tivemos xícaras de chá durante o nosso casamento?” ela pergunta.

"Sim,” eu respondo medindo a reação dela.

"Foi além de...” diz ela pensando na palavra certa para expressar seus sentimentos, ”atencioso. Eu me senti prestigiada por você lembrar tal detalhe,” diz ela e eu exalo um suspiro que não percebi que  estava segurando.

"Nosso objetivo é agradar, Sra. Grey," eu respondo.

"Para onde estamos indo?” Ela pergunta curiosa.

"Shannon,” eu respondo. Eu mal posso esperar para mostrar-lhe todos os lugares que ela desejava ver na Europa. Estou tonto de empolgação.

"Na Irlanda?” ela exclama de olhos arregalados.

"Para reabastecer,” eu digo brincando com ela.

"Então?” ela sonda impaciente. Eu sorrio tão amplo quanto possível. Ela está animada com a perspectiva dos lugares que vamos visitar. Eu balanço minha cabeça, mantendo o segredo.

"Christian!” ela repreende impaciente.

"Londres,” eu finalmente respondo, olhando-a atentamente,  tentando ver como ela se sente sobre isso. Será que ela ficará feliz? Ela engasga em resposta. Ela está iluminada como a árvore do Natal, incandescente de felicidade. Ela está respirando com dificuldade, mas completamente feliz.

"Então Paris,” eu digo, olhando para ela sem piscar, querendo captar toda a sua reação, mergulhando dentro. Sua boca cai aberta, os olhos arregalados, o coração palpitante. Ela está chocada e alegre, tudo ao mesmo tempo.

"Então, o sul da França."

"Huh..." escapa de seus lábios em um guincho.

"Eu sei que você sempre sonhou em ir para a Europa. Quero fazer seus sonhos se tornarem realidade, Anastasia,” eu digo em um tom suave. Quero fazer de suas metas uma realidade. Eu quero dar a ela o mundo. Mostrar-lhe tudo. Compartilhar minha vida com ela.

"Você,  são os meus sonhos realizados, Christian."

"O mesmo para você, Sra. Grey," eu sussurro. Ela é meu bem mais importante. A pessoa mais importante em todo o universo para mim.

"Aperte o cinto agora, Sra. Grey," eu digo em uma voz autoritária e ela imediatamente obedece. O jato taxia na pista enquanto bebemos nossa Bollinger e sorrimos um para o outro como duas crianças muito felizes. Quando o jato está no ar, Natalia nos serve mais champanhe e prepara nosso jantar, consistindo de salmão defumado, perdiz assada com salada de vagem e batatas dauphinoise. Depois que terminamos com o nosso jantar, a nossa aeromoça pergunta: "Sobremesa, Sr. Grey?" Eu balanço minha cabeça, em resposta à sua pergunta, roçando meu dedo indicador no meu lábio inferior. Há uma sobremesa que eu quero, ok. Mas não está no menu do jato. Ela está sentada em frente a mim.

"Não, obrigado,” responde Anastasia sem separar seu olhar de mim. Ela está pensando a mesma coisa que eu. Meus lábios se curvam em um secreto sorriso lascivo, reservado apenas para Anastasia. Natalia concorda e ela se retira.

"Bom,” murmuro. "Eu planejei ter você para a sobremesa,” eu digo. Eu me levanto, e estendo minha mão para minha esposa, "venha,” eu digo. Eu a levo para a parte de trás da cabine.

"Há um quarto aqui,” eu digo apontando para a cabine.

"Eu pensei em passar nossa noite de núpcias a dez mil metros. É algo que eu nunca tinha feito antes,” eu digo olhando para ela,  com concupiscentes olhos escuros. Ela pisca várias vezes, enquanto ela está de boca aberta para mim, incapaz de pronunciar uma única palavra. Ela entra no quarto e eu fecho a porta da cabine atrás.

"Mas, primeiro, eu tenho que tirar você deste vestido fabuloso,” eu digo com uma mistura de amor e desejo carnal. Seu peito sobe e desce em rápida sucessão, completamente desejosa.

"Vire-se,” eu ordeno em uma autoritária voz baixa e rouca, misturada com uma promessa de intenções licenciosas. Ela acena com a cabeça levemente e faz o que lhe é dito. Minhas mãos lentamente se movem para seu pescoço e, em seguida, para o seu cabelo. Ela é minha esposa! Minha esposa! Minha... Completamente, e legalmente. Eu engulo em seco, e começo o trabalho de puxar suavemente todos os grampos fora de seu cabelo castanho, um de cada vez. Seu cabelo cai em cachos sobre os ombros, enquanto eu desfaço cada bloqueio, cobrindo as costas e os seios. Surpreendentemente ela consegue ficar parada. Eu me inclino bem perto de sua orelha e sussurro: "Você tem um cabelo tão lindo, Ana,” e minha respiração acaricia seu rosto sem que  meus lábios toquem seu rosto.

Depois de eu ter tirado todos os grampos, eu corro meus dedos através de seu cabelo, e começo a massagear o couro cabeludo suavemente, relaxando-a. Ela fecha os olhos e inclina a cabeça em minhas mãos. Meus dedos viajam para baixo e agarram seu cabelo, inclinando a cabeça para trás para expor sua garganta.

"Você é minha,” eu respiro em seu ouvido, e puxo sua orelha com os dentes e ela geme desejosa.

"Silêncio agora," Eu a repreendo. Limpando  o cabelo de cima do ombro, meu dedo indicador corre na parte superior das costas, de ombro a ombro, enquanto eu sigo a borda do seu vestido. Um arrepio corre pelo corpo dela. Eu a beijo acima do primeiro botão do vestido,  nas costas.

"Tão linda,” eu digo e desabotoo o primeiro botão. "Você, Ana fez de mim o homem mais feliz do mundo hoje,” eu digo dando-lhe um vislumbre do que está dentro do meu coração. E perpetuamente lento, eu desato cada botão todo o caminho para baixo, em suas costas. "Eu a amo tanto,” declaro. Eu faço um caminho de beijos da nuca até a borda do ombro murmurando entre cada beijo, "Eu. Quero. Você. Muito. Demais. Eu. Quero. Estar. Dentro. De. Você. Você. É. Minha."

Ela fecha os olhos e inclina a cabeça para trás, permitindo-me mais fácil acesso, hipnotizada.

"Minha,” eu sussurro novamente. Eu lentamente desço seu vestido para baixo de seus braços, e finalmente para baixo, a seus pés, em uma pilha de seda marfim, e renda.

"Vire-se,” eu sussurro em voz rouca. Meu Deus! Ela está de tirar o fôlego. Eu suspiro. Ela está em um apertado espartilho de cetim rosa, com tiras de ligas, combinando calcinhas rendadas e meias de seda branca. Deus Todo-Poderoso! Essa mulher é minha! O que eu fiz para merecê-la? Eu puxo uma golfada de ar através de meus dentes. Meus olhos estão fixos nos dela, sem piscar, amplos e cheios de carência  e desejo carnal.

"Você gosta?" Ela sussurra com um rubor tímido. Ela não pode ficar mais sexy?

"Mais do que gostar, baby. Você parece sensacional. Aqui," eu digo, estendendo minha mão para ela e ajudo-a a dar um passo para fora do vestido.

"Fique quieta,” murmuro, sem tirar meu olhar dela, eu corro meu dedo médio sobre seus seios, seguindo a linha de seu espartilho. Ela está respirando com respirações curtas, enquanto eu me aventuro sobre os seios de novo, atormentando-a. Eu paro e giro o dedo indicador no ar, indicando-lhe para virar. Eu quero ver tudo dela, 360 °. Ela gira.

"Pare,” eu digo quando ela está de frente para a cama, de costas para mim. Meus braços se enrolam ao redor da cintura dela, puxando-a contra mim, e eu acaricio seu pescoço. Minhas mãos viajam até seus seios cobrindo-os e brincando com eles, e meus polegares circulam sobre os mamilos, enquanto ainda sob o espartilho.

"Minha,” eu sussurro.

"Sua,” ela respira, em resposta.

Minhas mãos viajam até seu estômago, sobre seu ventre, e até suas coxas, e meus dedos finalmente encontram seu sexo, deslizando nele. Ela dá um gemido abafado. Meus dedos deslizam para baixo em suas ligas, e solto ambas, simultaneamente, de suas meias, então minhas mãos viajam para seu traseiro. Minhas mãos reivindicam cada centímetro dela. "Minha,” eu respiro, enquanto minhas mãos se espalham por suas nádegas; as pontas dos meus dedos esfregando seu sexo.

"Ah!" Um gemido escapa dela.

"Silêncio".

Deixo minhas mãos viajarem até suas coxas, e solto suas ligas. Então eu puxo a cobertura da cama. "Sente-se," eu ordeno suavemente. Ela faz o que lhe é dito, e eu tiro seus sapatos de noiva Jimmy Choo. Minhas mãos deslizam e lentamente viajam pela sua perna esquerda e lentamente retiram sua meia fora. Então eu lentamente patino sobre sua perna direita, e, vagarosamente deslizo a outra meia para baixo.

"Isso é como desembrulhar os meus presentes de Natal,” eu digo sorrindo, olhando para ela.

"Um presente que você já ganhou...” diz ela. Eu franzo a testa para ela em resposta.

"Oh, não, baby. Desta vez é realmente meu,” eu respondo.

"Christian, eu tenho sido sua desde que eu disse sim,” diz ela, enquanto ela se movimenta para  frente na cama e cobre meu rosto com as mãos delicadas. "Eu sou sua. Eu sempre serei sua, marido meu. Agora, eu acho que você está vestindo muita roupa,” diz ela curvando-se e beijando-me. O meu sangue ferve e acelera através do meu corpo, me aquecendo, e de repente eu me inclino, e beijo seus lábios, capturando sua cabeça em minhas mãos, meus dedos atados no seu cabelo.

"Ana,” eu respiro. "Minha Ana." Eu a beijo mais uma vez, enquanto minha língua invade sua boca.




"Roupas,” ela sussurra em minha boca, enquanto ela empurra o meu colete para trás, e eu o retiro, relutantemente soltando-a por um momento. Eu tenho um momento para olhar para ela, para admirar e contemplar a minha esposa.

"Deixe-me, por favor,” ela diz baixinho, me persuadindo.

Quando eu me sento sobre meus calcanhares, ela se inclina para frente e agarra a minha gravata cinza prata, e, lentamente, desfaz o nó e a puxa, liberando-a. Quando eu levanto meu queixo para cima para deixá-la abrir o primeiro botão da minha camisa branca, ela se move para meus punhos. Eu estou usando as abotoaduras gravadas com A e C; nossas iniciais. É um presente de casamento que ela me deu, depois que batizamos o quarto do pânico, há duas noites. Ela as remove e eu as pego dela e seguro na minha mão. Enquanto ela está me observando, eu beijo a minha mão e coloco as abotoaduras no bolso da calça.



"Sr. Grey, tão romântico,” ela observa.

"Para você, Sra. Grey - corações e flores. Sempre."

 Anastasia pega a minha mão e ela olha para mim, em seguida, beija o meu anel de casamento. É tão sexy, e um gesto tão amoroso, eu fecho meus olhos em êxtase e gemo.

"Ana,” eu sussurro, com intenso desejo por ela, seu nome uma ladainha sobre meus lábios. Ela chega até meu segundo botão da minha camisa e o abre e dá um beijo no meu peito cada vez que ela abre um botão, espelhando minha ação mais cedo, ela sussurra: "Você. Me. Faz. Muito. Feliz. Eu. Amo. Você.",  me fazendo gemer de puro prazer. Sua declaração me faz intensamente desejoso por ela, e com um movimento rápido, eu a agarro ao redor de sua cintura, e levantando-a, deposito-a sobre a cama, e eu caio sobre ela. Meus lábios capturam os dela, minhas mãos segurando a cabeça no lugar, imobilizando-a e minha língua invade sua boca e eu exploro sua boca pequena, como um exame de amígdalas, nossas línguas dançando, e explorando. Eu não tenho suficiente de minha esposa. Eu me sento abruptamente e Anastasia é deixada sem fôlego.

"Você é tão linda... esposa," Eu declaro, enquanto eu passo minhas mãos por suas pernas e eu agarro seu pé esquerdo.

"Você tem pernas tão encantadoras. Eu quero beijar cada centímetro delas. Começando aqui,” eu digo e eu pressiono meus lábios contra seu dedo grande do pé e meus dentes roçam a almofada dele. Seus olhos rolam para trás em sua cabeça, ela quase convulsiona com prazer. Minha língua patina para cima de seu peito do pé e os meus dentes roçam os calcanhares,  e até o tornozelo. Coloco macios beijos molhados à direita, até o interior de sua panturrilha. Anastasia se contorce debaixo de mim.

"Parada, Sra. Grey," Eu repreendo a ela, e rapidamente viro-a para baixo sobre seu estômago e minha boca continua suas ministrações na parte de trás de suas pernas, suas coxas, nádegas e eu paro fazendo-a gemer e implorar.

"Por favor..."

"Eu quero você nua, baby,” murmuro, e, lentamente, e habilmente, eu solto o espartilho, um gancho de cada vez, devagar e sem pressa. O espartilho está finalmente plano na cama debaixo dela, e a minha língua se aproveita de suas costas nuas e corre pelo comprimento de sua espinha.

"Christian, por favor,” ela pede por mais.

"O que você quer, Sra. Grey?" Pergunto suave e sensualmente perto de sua orelha. Eu estou em cima dela, apenas tocando-a, minha ereção dura contra sua bunda.

"Você,” ela responde com uma voz sussurrada.

"E eu a você, meu amor, minha vida..." eu sussurro, e rapidamente a viro deitada de costas. Eu rapidamente levanto, e me livro da minha calça e cueca, em pé diante da minha mulher nua, minha ereção está crescendo e pronta para tomá-la. Eu a quero. Aqui. Agora! Inclinando-me para baixo, eu arranco sua calcinha, e olho para baixo para seu sexo.

"Minha,” eu mexo a boca sem som.

"Por favor,” ela implora gemendo, me fazendo sorrir provocante.

 Quando eu rastejo de volta para a cama, eu faço um caminho de beijos pela sua perna direita até chegar ao ápice de suas coxas, empurrando as pernas mais separadas, querendo seu sexo.

"Ah... esposa minha,” murmuro. Eu não me canso dessa palavra. Minha esposa! Ela é minha esposa! Minha! Ela fecha os olhos e entrega seu corpo para minha língua conquistadora. Suas mãos agarram meu cabelo, e seus quadris balançam em minha boca,  se rendendo a minha provocação e ministrações. Eu seguro seus quadris para impedi-la de se mover, acalmando-a.

"Christian,” ela geme.

"Ainda não, baby,” eu respiro e minha língua mergulha em seu umbigo.

"Não,” ela protesta me fazendo sorrir.

 Oh, mas estamos no meu ritmo. Eu estou no controle.

"Muito  impaciente, Sra. Grey. Nós temos até pousarmos na Emerald Isle," eu lembro a ela. Eu me movo em seu corpo e beijo os seios dela e puxo o mamilo esquerdo entre meus lábios. Levanto meu olhar para ela, enquanto seu mamilo está na minha boca, com os olhos escuros e lascivos, provocando-a.

"Marido, eu quero você. Por favor." Sua mendicância, sua persuasão, é o chamado de uma sereia. Eu a quero. Eu quero reivindicar minha esposa. Eu não posso também esperar mais. Eu pairo sobre ela, meu corpo está cobrindo o dela, o meu peso está apoiado em meus cotovelos. Eu corro o meu nariz no dela, e suas mãos correm na minha bunda.

"Sra. Grey... esposa. Nosso objetivo é agradar,” eu digo enquanto esfrego meus lábios nos dela. "Eu a amo,” eu digo.

"Eu também o  amo."

"Olhos abertos. Eu quero ver você. "

"Christian... ah...” ela grita e eu lentamente, e centímetro por centímetro, afundo dentro dela,  reivindicando minha esposa.

"Ana, oh Ana," eu respiro e começo a me mover lentamente. Ela arqueia as costas, meu pau a preenchendo até a borda. Ela geme. Eu fico olhando para ela com os olhos arregalados. Eu recuo lentamente e, em seguida, mergulho nela mais uma vez. Minha boca afrouxa e um silencioso ‘Ah’ é formado em meus lábios. Minha reação a excita e ela agarra minha bunda, afundando as unhas, me puxando para fodê-la, pegando o meu ritmo.




“Calma, baby, devagar. Eu quero saborear a minha mulher,” eu digo com olhos ardentes.

"Marido... por favor. Eu quero você! Eu preciso de você, agora! "

 "Você me quer, você me tem, baby!" Eu digo e acelero o meu ritmo. Ela me encontra impulso por impulso. Meu amor e nossa paixão aquecem nossos corpos, ardendo um no outro, e eu empalo seu sexo cada vez mais rápido, metendo nela. Eu sinto o aperto, agora familiar, dos músculos de seu sexo ao redor do meu pau, puxando e ordenhando a mim, e ela detona com rolos de orgasmo, e ela grita meu nome, empurrando seus quadris para dentro de mim, e eu alcanço meu ápice e esvazio tudo o que tenho dentro dela, depois de mergulhar dentro dela,  mais três vezes.

"Ana" Eu grito, quando eu gozo e despenco sobre ela.

"Minha esposa, minha mulher... minha vida,” eu sussurro. Ela é meu tudo. Eu a amo tanto, que dói. Eu a beijo mais uma vez, e ela lentamente flutua no sono. Eu a olho dormir. Esta é minha esposa! Nós marcamos um outro primeiro, juntos. Eu lentamente a beijo, tentando não acordá-la, e lentamente me retiro para fora dela. Meus braços e perna se envolvem por cima dela como uma bandeira da vitória, eu caio no sono ao lado de minha esposa e sonho com ela.

*****

"Anastasia, eu quero mostrar-lhe o quarto do pânico. Eu quero que você se familiarize com esta sala, porque caso haja uma emergência, é aí que você vai precisar estar. " Ela geme em resposta.

"Eu pensei que o apartamento estava muito seguro, depois que,  você sabe...” diz ela lembrando a crise de Leila.

"Anastasia, eu não estou dando chances quando diz respeito a sua segurança," eu digo intencionalmente. "Eu quero que você me prometa que, se houver uma emergência, você vai usar o quarto, sem reclamações, hesitações, ou argumentos. Entendido?"

"Uhm, tudo bem."

"Tudo bem?" Eu pisco. Ela concorda?

"Tudo bem,” ela acena com a cabeça em tom tranqüilizador.

"Eu quero a sua palavra,  Srta. Steele..." Eu digo, meu olhar se estreitando sobre ela. Ela rola os olhos.

"Se houver uma emergência e me disserem para entrar no quarto do pânico, eu vou ficar neste quarto até que seja seguro sair,” diz ela recitando.

"Oh, Srta. Steele, ouvi um sarcasmo em sua voz, e você acabou de rolar seus olhos para mim?" Pergunto com um sorriso licencioso, meus olhos escurecendo.

Sua respiração suspende, e ela engole.

"Tenho certeza que sim, Sr. Grey. O que você vai fazer sobre isso?” Ela pergunta.

"Srta. Steele, eu não tenho o hábito de anunciar meus planos. Venha,” eu digo estendendo minha mão. Ela pega e me segue para o nosso quarto.

"Espere aqui. Não se mova,” eu digo erguendo minhas sobrancelhas e saio da sala. Eu rapidamente me encaminho para a sala de jogos, e recupero um dos nossos brinquedos favoritos, e volto para o quarto, onde ela está de pé, curiosamente esperando por mim.

"Abra a boca, Anastasia," eu ordeno. Seus olhos escurecem vendo o que eu estou segurando na minha mão. Sua respiração acelera, e ela passa o lábio delicioso para o cativeiro de seus dentes.

"Não morda seu lábio. Caso contrário, isso vai acabar muito rápido, e nenhum de nós quer isso,” eu digo com um tom sensual.

Ela abre a boca onde eu deposito as bolas de prata, seu olhar nunca deixando o meu. Eu a puxo para perto de mim e a abraço. Minhas mãos lentamente acariciam seu traseiro, e eu lentamente puxo para cima a  saia de seu vestido de verão, branco, sem alças. Ela sufoca um gemido enterrando a cabeça na curva do meu pescoço.



"Silêncio agora,” eu digo.

Minhas mãos viajam e esfregam suas nádegas. Eu facilito um dedo em seu sexo e ela já está excitada e encharcada. Minha respiração sibila, lentamente.

"Você está tão pronta para mim, baby,” eu murmuro. "Abra a boca, eu vou tirar as bolas," eu digo com um meio-sorriso.

"Venha para o lado da cama, e incline-se para baixo,” eu digo. "Agora, afaste as pernas um pouco e agarre seus tornozelos," eu ordeno. ao que ela obedece sem hesitação.

Eu empurro a saia do vestido de volta para sua cintura, puxo a calcinha para o lado. Eu primeiro mergulho um dedo, e encontrando seu sexo deliciosamente quente e úmido, eu introduzo outro dedo e esfrego os dedos em movimento circular, finalmente, localizando seu ponto doce na parede frontal da vagina, eu o estimulo. Então eu insiro as bolas uma a uma, em seu sexo e puxo a calcinha de volta para o  lugar. Finalmente, eu esfrego suas nádegas e dou-lhe um tapa em cima de seu sexo, uma vez que sei que vai balançar as bolas prateadas para a frente, e ela grita de excitação.

"Você vai ter,” eu digo, sabendo que ela quer mais, e puxo-a para cima, em linha reta.

"Vamos lá. Vou ter de familiarizá-la com o quarto do pânico,” eu digo com um olhar escuro. Puxando-a atrás de mim, eu ando em passos bruscos, sabendo que  os movimentos vão colocar as bolas em ação e irão estimulá-la por dentro. As bolas de prata são um dos melhores brinquedos sexuais já inventados,  desde os tempos da antiga China, e têm sido usados ​​pelas gueixas do Japão para o orgasmo feminino explosivo; esta era a sua melhor ferramenta para pré-aquecer o forno,  por assim dizer.

Eu dou uma parada na frente do quarto do pânico.

"Se houver uma emergência, por qualquer razão,” eu digo olhando nos olhos dela, minhas mãos viajando para o rosto, esfregando seu cabelo devagar, "eu quero que você venha para esta sala. Há três fechaduras diferentes para o quarto,” eu digo, sem afastar o meu olhar para longe dela. "Nenhuma das quais é física. A verificação de retina, impressão digital e códigos numéricos. Aqueles que estão autorizados podem usar uma daquelas chaves para destrancar as portas. Mas se você está dentro, para uma maior segurança, você terá que digitar um código, além dos de fora. O sistema vai reconhecer isso,” eu digo, enquanto  eu pego a mão dela e entro na sala.

"Pressione aquele  botão vermelho, baby,” eu digo apontando para o teclado na parede. Ela faz o que lhe é dito, e a porta bate fechada imediatamente, surpreendendo-a, fazendo-a saltar para trás. Meu celular recebe imediatamente uma mensagem de texto. Eu o pego e verifico.

* Quarto do Pânico ativado *

Eu lhe mostro a mensagem. "Se você estiver aqui, por qualquer motivo, eu vou saber Anastasia,” digo a ela.
"Oh! Como é que vamos sair,” ela pergunta.

"Nós não vamos sair até que tenhamos explorado este quarto completamente,” eu explico,  o meu dedo indicador arrastando-se ao longo do seu queixo. Ela se inclina automaticamente para o meu toque.

"Eu acho que você precisa ser espancada agora pelo incidente de rolagem de olho e a ponta de  sarcasmo, você não acha Srta. Steele?" Pergunto baixinho ainda esfregando apenas o dedo indicador sobre seu rosto. Ela acena com a cabeça enfaticamente, com expectativa, sua respiração acelerando. Eu ligo o aparelho de som oculto e Flower Duet de Lakmé começa a tocar. Há uma espreguiçadeira na sala. "Venha,” eu digo puxando-a comigo. Sento-me no sofá, e puxo Anastasia sobre meu colo. Eu puxo o seu vestido para cima, e abaixo a calcinha até os joelhos. Eu esfrego seu traseiro, e depois espalmo seu sexo enquanto meu polegar acaricia delicadamente seu clitóris. Ela dá um gemido profundo.

The Flower Duet – Lakmé

"Shhh..." Eu a silencio.

Minha mão deixa seu traseiro e com a palma da minha mão, eu bato nela em suas nádegas. Ela dá uma mistura de som de um grito e um gemido. Então minha mão bate bem sobre seu sexo. Eu crio um padrão, dois em todo o resto de suas nádegas e um, para baixo, destinado a empurrar as bolas para dentro, estimulando-a. Então eu esfrego sobre suas nádegas, lentamente, para estimular o fluxo de sangue. A bunda é uma zona erógena principal. Os nervos de excitação sexual, na bunda,  estão enterrados em uma camada de gordura e exigem dura estimulação dispará-los, e isso precisa ser feito corretamente.

"Oh, por favor, Christian!” Ela implora após o nono tapa em suas nádegas. Ela está perto de ser completamente estimulada. Suas nádegas têm um agradável tom de rosa. Apanhar cria uma resposta fisiológica, coletando sangue em seu sexo e áreas próximas e realizando, assim, mecanicamente,  o que carícias e beijos fazem psicologicamente.

Anastasia submetendo-se a mim assim, entregando-se, é uma parte importante de sua resposta sexual, de sua confiança em mim, e em troca isto me excita além da crença, me fazendo querer foder com ela por toda próxima semana.

"Christian, por favor, me foda!” Ela pede, e eu puxo as bolas de prata de dentro dela, levando-a a beira do orgasmo. Eu a puxo na posição de pé e me dispo, rapidamente, das minhas calças, boxers e minha camisa.
"Anastasia, eu vou segurar você, baby, eu quero que você enrole as pernas em volta de mim,” eu digo. Eu puxo-a para cima, em meus braços e, lentamente afundo em seu sexo, o seu peso empurrando para baixo, e meu pau encontrando seu ponto mais profundo. Com uma mão eu seguro suas nádegas, e com a outra, eu abaixo o vestido sem alças até a cintura,  liberando seus seios.

"Mova-se,” eu ordeno e ela começa a subir e descer no meu pau.

"Calma, baby!"

"Não, eu quero que você me foda duro!” Diz ela, aumentando a respiração. Eu amo estar sob o comando dela, e eu só estou começando a aprender que, ocasionalmente, dar-lhe o comando é sexy como o inferno.
A voz desencarnada de Taylor é ouvida no alto-falante na sala.

"Sr. Grey? As portas não estão abrindo,  senhor? Você precisa de ajuda para sair?" Eu reviro os olhos, e Anastasia geme. Como ela diminui para um ritmo mais lento, eu aperto o botão do intercomunicador e respondo.

"Não é necessária ajuda, Taylor. Estou familiarizando a Srta. Steele com o quarto do pânico. Ela precisa aprender a usá-lo por conta própria. "

"Sim, senhor,” ele responde.

"Isso é tudo, Taylor,” eu digo dispensando-o com um tom de irritação, e ele se vai.

Quando Anastasia pega seu ritmo de novo, eu sinto o acúmulo de tensão na minha virilha. Quando ela empurra para baixo, eu enfio meu pau para cima, e quando eu a faço saltar de volta,  mais uma vez,  eu capturo os lábios dela com os meus, a minha língua correndo em sua boca, agredindo-a, explorando, amando, fodendo. Eu sinto o aperto familiar de seu sexo, e ela geme e suspira uma interpretação incoerente do meu nome, em minha boca, empurrando com força. Eu me esvazio nela; sinalizando e marcando minha mulher,  na única superfície que não tínhamos batizado na casa.



Quando descemos do pico do nosso êxtase, eu a abaixo na espreguiçadeira, e a limpo e, em seguida, me limpo. Eu finalmente inclino-me e a beijo,  longo e doce.

"Eu a amo, Anastasia. Eu não acho que eu possa nunca obter o meu suficiente de você,” eu murmuro. "Nós estamos entrelaçados de corpo e alma, baby."

"Engraçado você dizer isso,  Sr. Grey," ela responde. "Eu tenho um presente para você."

"Sério?" Eu digo surpreso. Seus presentes são sempre preciosos para mim;  sempre planejados, e sempre especiais. Ela alcança a bolsinha que ela tinha deixado sobre a mesinha, e tira uma pequena caixa. Eu levanto as sobrancelhas e olho para ela.

"Bem, abra-o, Sr. Grey,” diz ela sorrindo.

"Sim, senhora,” eu respondo.

Dentro da caixa está um par de abotoaduras com a A & C gravados com letras entrelaçadas. Quando eu olho para ela, ela olha expectante, mas tenta dar de ombros com indiferença.

"Você gosta?"

"Eu mais do que gosto, Ana. Eu amo! É perfeito,” eu respondo. Ela é perfeita.



************************



19 comments:

Neusa Reis said...

Oi meninas, está cada vez melhor a história. Continuação do casamento e vocês viram quem apareceu por lá! A 'bitch', que foi devidamente escorraçada.
E Christian louco de Amor por sua mulher... sua esposa.
E boas notícias. Comecei a traduzir também a história do Alex Pella, de autoria da Emine.
Leiam que vocês vão adorar. É muito linda. Muito mesmo. A história de almas gêmeas, que ultrapassa a barreira do tempo e todos os obstáculos. O primeiro capítulo está quase pronto para mandar para ela publicar. Talvez amanhã...
E um viva para a Emine. Obrigada por nos proporcionar momentos tão felizes. Bjs

Andrea Leoncio said...
This comment has been removed by the author.
Andrea Leoncio said...

Oi Neusa, gostaria de encontrar palavras para expressar o quanto aprecio o trabalho da Emine e a sua generosidade em traduzir, eu tenho que confessar que estou completamente dependente deste blog...tenho sofrido antecipadamente de abstinencia, porque sei que um dia a historia de Christian e Ana vai ter um final, o que me consola e que novas historias vão surgir da mente brilhante da Emine, tal como a Serie Pella (estou lendo tambem) que esta no inicio e promete muitas emoções. Obrigado por esse grande presente! bjos

PS. gostaria de sugerir uma cena da Ana assistindo um treino de seu marido, penso que pode ser muito interessante!! Lol -Andrea

Gizele Santos said...

Muito feliz com o grande trabalho de vocês. E mais ainda, ontem saiu a data do filme! ♥

HORTENCIA LAGE said...

Neusa a história do Alex é linda mesmo de mais ótimo trabalho de tradução...estou amando toda semana 3 capitulos.
Obrigada

Fernanda G. said...

Neusa ,como sempre amando tudo.Quem me dera entrar num quarto do pânico com o Christian...kkk obrigada.bjs

Olidelgi said...

Que capítulo lindo!!! Christian, como sempre muito atencioso e amoroso com a Ana, sortuda ela, não é???
Que bom que vc está podendo traduzir até 3 capítulos por semana, assim a ansiedade diminui um pouco, só um pouco... rsrsrs
Estou aguardando para ler a série do
Alex Pella, deve ser incrível.
Obrigada a Emine e a vc, por seu incrível trabalho de tradução.
Bjs

Cute Dream´s said...

Como sempre o melhor! Obrigada!!!!

Tati said...

Maravilhoso!! como sempre!!!

Danny said...

Meninas vocês são F.A.N.T.A.S.T.I.C.A.S. amei cada capítulos , as respostas dos comentários , vocês são incríveis ..... E pensar que encontrei esse blog pesquisando uma palavra do segundo livro que estava lendo pela segunda vez kkkk nao conseguir continuar .... ansiossissima pelo próximo capitulo um forte abraço .

TATIANE DA ROCHA CLEMENTE said...

Ola Neuza, descobri essa semana a existencia desse blog e o q falar se não q ja estou apaixonada...Parabens pelas traduções e ja estou ansiosa pelos proximos capitulos...

Aline Caroline said...

Como sempre, e já virou habito vir aqui todos os dias.. Já sou viciada na história e ter vocês para proporcionar mas essa pitada muito picante diga se de passagem de Ana&Christian.. Ansiosa para mais capítulos traduzidos pela Neuza,e obg sempre *--*

Nilvânia said...

Neusa e Emine... como vocês fazem isso comigo?? eu preciso trabalhar, mas está simplesmente impossível!!! Preciso dizer que este último livro está maravilhoso? encanto-me a cada capítulo. Estou viciada!!!
Tenho que dizer também que os mimos que são colocados no meio dos capítulos me encantaram e são de extremo bom gosto! Obrigada Neusa pela tradução!!
Nil

anne caroline godoi said...

Essas trepada nas alturas,foi tudo de bom,rsrs.
Nossa! Estou sem palavras pra descrever,como esta maravilhosa a versão do Christian do casamento,o original deixou tanta coisa passar.
Eminé realmente tem um talento fantástico!

Aline said...

O que dizer? Que a Eminé é talentosíssima? Acho que todas nós já dissemos. Que a Neusa é um anjo por se dedicar as traduções?Enfim,amo o trabalho de vocês.... Amo nosso Grey.....Será que um dia o filme sai mesmo hein? Bjo meninas...

Anonymous said...

M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.O!!!

Aline Ribeiro

Pao said...

Gracias gracias hermoso capítulo no voy a seguir comentando porque estoy muy atrasada en los capítulos.

Daniela Martins said...

Boa noite, Neusa e Emine!
Quantas lindas primeiras vezes esse casal teve, heim!
A noite de nupcias nas alturas...sem palavras para descrever!
E o que sera que a cobra Elena tem na cabeça por pensar que Christian falaria/encontraria com ela em pleno casamento dele?! É uma louca mesmo!
A lua de mel contada neste POV, com certeza, estará de tirar o folego!
Bjkas!
Dani
;-)

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry