StatCtr

Friday, April 5, 2013

Livro II - Capítulo VI - Christian Grey e Anastasia Steele



CAPÍTULO SEIS
TERRITÓRIO HOSTIL
Tradução: Neusa Reis



Ver o horror golpear o aflito rosto de Anastasia sobe o meu nível de ansiedade. Depois de Elena rapidamente me desejar sorte, eu caminho de volta para Anastasia, e olho para ela, apreensivo. Sua expressão me faz franzir a testa. "Você está bem?" Eu pergunto em voz tensa e cautelosa. Anastasia, por favor! Não fuja de mim! 

Run to You - Whitney Houston

"Não realmente. Você não quis me apresentar?" Ela pergunta-me friamente.

Oh, droga! Meus temores se confirmaram. Ela sabe! Merda! Merda! Merda! O que devo fazer?

"Mas eu pensei - " eu digo quando ela me corta.

"Para um homem brilhante, Christian, às vezes...” ela para, incapaz de falar o resto de sua sentença. Às vezes o que? Às vezes eu ajo como um idiota? Um burro? Ela me disse isso antes. Um idiota. Eu não estava pensando, e às vezes os velhos hábitos custam a morrer. Eu não pensei que Elena estaria aqui! Porra!

"Eu gostaria de ir embora, por favor,” diz ela.

"Por quê?" Eu pergunto.

"Você sabe por quê," diz ela revirando os olhos. Eu olho para ela, mas eu não posso puni-la por rolar os olhos. Eu prometi. Meus olhos ardem com raiva... de mim mesmo, e ... Eu não sei nem com quem eu estou zangado!

"Sinto muito, Ana. Eu não sabia que ela estaria aqui. Ela nunca está aqui. Ela abriu uma nova filial no Bravern Center, e é aí que ela está normalmente baseada. Alguém estava doente hoje," eu explico da melhor forma que eu posso.

Mas, Anastasia não quer ouvir nada disso. Ela se vira em seus calcanhares, e se dirige para a porta.

"Nós não precisamos de Franco, Greta,” eu exclamo e me dirijo para a porta em seus calcanhares. Eu a olho cautelosamente. Ela está indo embora rapidamente, como se ela fosse para uma corrida. Ela também está segurando a respiração, e rangendo os dentes, e olhando à distância, como se  reprimindo as lágrimas. Merda! Ela está fuginfo! Por que diabos eu me coloquei nesta posição? E como é que eu consigo fazer isso com tanta frequência? Deus! Eu sou um idiota!

Eu ando ao lado dela sem palavras,  constantemente olhando para ela, sem nem mesmo piscar. Eu sei que eu estou fodido. Pedi-lhe para me dar algum espaço para cometer erros. Eu vou estragar - Eu acho que regularmente, faço isso de qualquer maneira. Ela só envolve seus braços em volta de si mesma, fechando-me fora tentando se proteger, com a cabeça para baixo, evitando os objetos em seu caminho, mas também me evitando. Eu não faço movimentos para tocá-la, mas tudo que eu quero fazer é pará-la e colocá-la em meus braços. Depois que entramos na Segunda Avenida, ela finalmente exclama.

"Você costumava levar suas subs lá?" 

Scandalous - Prince
"Algumas delas, sim," eu respondo com cuidadoso tom calmo.

"Leila?" É a sua segunda pergunta.

"Sim,” eu respondo com sinceridade.

"O lugar parece muito novo," ela observa.

"Foi reformado recentemente," eu respondo.

"Entendo. Assim, a Sra. Robinson conheceu todas as suas subs."

"Sim," eu respondo.

"Elas sabiam sobre ela?"

"Não. Nenhuma deles sabia. Só você," eu respondo.

"Mas eu não sou sua sub,” diz ela, como em um comunicado, questionando.

"Não, você definitivamente não é," eu respondo com fervor.

Finalmente, ela para e enfrenta-me. Estou com medo do que ela irá fazer, que ela vai correr, e eu nunca iria vê-la novamente. Meus lábios estão pressionados em uma linha dura, apertada.

"Você pode ver como isso é fodido?" diz ela enquanto ela olha para mim, com uma voz baixa sibilante.

Sim. Sinto muito," eu digo. Eu percebi quando eu vi Elena na loja, mas não havia nada que eu pudesse fazer sobre isso.

"Eu quero ter o meu corte de cabelo, de preferência em algum lugar onde você não tenha fodido os funcionários ou a clientela,” afirma completamente ferida. Eu recuo. Ela está certa, é claro. Como eu me sentiria se ela tivesse me levado a algum lugar onde ela fodeu as pessoas que trabalham ou frequentam lá? Eu não posso nem envolver minha mente em torno da idéia. Oh, eu estou na merda!

"Agora, se me dá licença,” diz ela e começa a se afastar. Eu estou completamente assustado. Como uma criança pequena!

"Você não está partindo. Está? " pergunto tentando esconder o meu medo.

"Não, eu só quero um maldito corte de cabelo. Algum lugar onde eu possa fechar meus olhos, ter alguém lavando meu cabelo, e esquecer toda esta bagagem que acompanha você," diz ela.

Passo a mão pelo meu cabelo, exasperado. "Eu posso ter Franco vindo para o apartamento, ou para sua casa,” eu digo baixinho.

"Ela é muito atraente,” diz Anastasia. Uau! Falando de mudança de curso! Eu pisco com sua avaliação.

"Sim, ela é," eu respondo.

"Ela ainda está casada?" Ela pergunta.

"Não. Ela se divorciou cerca de cinco anos atrás. "

"Por que não está com ela?" Anastasia pergunta. Ela está com ciúmes... ciúmes do que eu tive com Elena.

"Porque acabou entre nós. Eu já lhe disse isso," eu reafirmo. Eu não quero que o meu passado fique  entre nós. Minha testa franze em raiva crescente. Mas, então, eu sinto o meu Blackberry zumbindo, e eu levanto um dedo para Anastasia para manter seu pensamento. Eu olho para ver quem chama.

"Welch!" eu exclamo, enquanto eu paro em meu caminho na Segunda Avenida, procurando nada em particular.

"Sr. Grey, tenho atualizações importantes para você,” ele começa. "Eu consegui entrevistar a irmã de Leila, e ela me disse que Leila fugiu com um homem há mais de três meses atrás. O novo namorado, com quem ela fugiu,  foi morto em um acidente de carro. Seu marido foi confrontado com essa informação, e depois que lhe pagamos, ele divulgou que sim, de fato, o namorado com quem Leila fugiu foi morto em um acidente de carro. "

Essa informação me pega de surpresa. "Morto em um acidente de carro? Quando? " eu pergunto.

"O marido dela relutantemente liberou algumas informações, mas como eu lhe disse na nossa conversa anterior, ele não está disposto a fornecer qualquer informação para nos ajudar a encontrá-la para que ela possa obter ajuda. Sua irmã, no entanto, confirmou a data como sendo cerca de quatro semanas atrás. " O rosto de Anastasia muda com o decorrer da conversa. Ela está parada,  e atenta, ouvindo o que está acontecendo.

"Essa é a segunda vez que o bastardo não é cooperativo. Ele deve saber. Será que ele não tem qualquer sentimento por ela?" Eu balanço minha cabeça com desgosto. "Isso está começando a fazer sentido..."

"Ela fez qualquer tentativa de contato com o senhor, desde seu contato com a Srta Steele ontem à noite?"

"Não..." eu respondo.

"Agora sabemos qual a razão principal de seu colapso psicológico..." diz Welch.

"Sim... explica por que, mas não onde. "

"Tenho quase certeza de que ela está lhe vigiando, ou à Srta Steele à distância,  para fazer seu próximo movimento. Embora eu não saiba qual seria ainda, senhor. "

Com essa observação, eu olho em volta, procurando para ver se Leila está em algum lugar na  vizinhança. Eu olho e vejo que Anastasia está espelhando também minhas ações. Eu não enxergo Leila ao redor. Apenas a agitação regular da cidade de Seattle; os compradores, o tráfego de costume, e a própria cidade.
"Onde está a Srta Steele, senhor?"

"Ela está aqui" eu digo.

"Sr. Grey, uma vez que você conhece melhor Leila - apesar de eu ter minhas próprias suspeitas, você acha que Leila está vigiando você e a Srta. Steele? Bem, risco tem, nós sabemos que ela está vigiando a Srta. Steele. "

"Sim, ela está nos vigiando..."

"Se minhas suposições estão corretas, seria sábio aumentar a sua segurança pessoal."

"Sim..."

"Você gostaria que eu  lhe fornecesse um guarda-costas adicional então, senhor?"

"Não. Dois ou quatro, 24 por sete... "

"Você já falou com a Srta. Steele sobre o fornecimento de sua segurança, uma vez que ela está sendo vigiada?"

"Eu não abordei isso ainda,” eu digo olhando diretamente para Anastasia.

"Bem, agora seria um bom momento senhor, porque eu tenho outra notícia preocupante para você. Acabamos de descobrir que Leila obteve uma licença oculta para porte de armas. "

"O que..." eu sussurro enquanto empalideço. Eu não posso nem mesmo formar uma pergunta. Por que ela precisa de uma arma? Ela encontrou Anastasia ontem. Ela sabe onde eu moro. Se ela quer fazer mal a si mesma, ou se machucar, ela pode fazer isso sem uma arma. A memória da prostituta drogada vem à minha mente espontaneamente.

Eu me recomponho. Mas meus olhos ainda estão arregalados de ansiedade. "Entendo. Quando?"

"Ontem, senhor."

"Assim recentemente? Mas como? "

"Ela deve ter se inscrito para isto algum tempo atrás."

"Sem verificação de antecedentes?"

"A verificação de antecedentes é feita geralmente quando uma pessoa se inscreve para a sua licença, senhor. Pior cenário, uma licença de porte de armas leva cerca de 30 dias. Mas eu acho que ela solicitou um tempo atrás, possivelmente no momento da morte de seu namorado. E nós não pensamos em procurar essa informação até que ela fez contato com a Srta. Steele. Todos os nossos esforços se concentraram em encontrá-la. Mas, novamente, a licença não tinha sido concedida até ontem. "

"Entendo".

"Quanto a segurança adicional, senhor, eu vou lhe oferecer hoje a informação sobre os potenciais candidatos".

"Mande-me por e-mail o nome, endereço e fotos se você os tem..."

"Certamente, senhor. Quando você quer que eles comecem? "

"Eu quero 24 por 7, a partir de hoje à tarde. Colaborando com Taylor," eu digo desligando. Merda! Merda! Merda! Será que os problemas nunca vão parar de chegar ao meu caminho? Eu tomo uma respiração profunda, e agora tenho que lidar com a minha linda namorada bufando de raiva.

Viro-me e Anastasia está olhando para mim.

"Bem,” ela pergunta, exasperada. Ela quer saber o que está acontecendo.

"Este era Welch," eu explico.

"Quem é Welch?"

"Meu assessor de segurança".

"Tudo bem. Então, o que aconteceu? "

"Leila deixou o marido cerca de três meses atrás, e fugiu com um cara que foi morto em um acidente de carro há quatro semanas."

"Oh," é tudo que ela pode controlar.

"O psiquiatra imbecil deveria ter visto isso,” eu digo com raiva. "Luto, é o que isto é. Venha," eu digo estendendo a minha mão, e ela automaticamente coloca a dela na minha, mas depois ela arranca a mão da minha novamente.

"Espere um minuto. Nós estávamos no meio de uma discussão, sobre nós. Sobre ela, a sua Sra. Robinson." Deus! Será que temos de fazer isso agora? Meu rosto endurece. "Ela não é minha Sra. Robinson. Podemos falar sobre isso em minha casa," digo tentando convencê-la.

"Eu não quero ir para a sua casa. Eu quero ter o meu corte de cabelo,” ela grita bastante teimosa. Eu tive apenas isto hoje! Eu não agüento isso!

Eu pego meu Blackberry, e marco Esclava. Greta atende.

"Obrigado por ligar para Esclava. Aqui é Greta, como posso ajudá-lo? "

"Greta, Christian Grey. Quero Franco na minha casa em uma hora. Pergunte a Sra. Lincoln... "

"Franco está em hora livre agora. Vou ser capaz de enviá-lo muito em breve. Ele pode estar em sua casa em torno da uma da tarde. "

"Bom,” eu digo e desligo.

Eu guardo o meu telefone no meu bolso. "Ele está vindo a uma,” afirmo a Anastasia.

"Christian..." ela balbucia completamente exasperada comigo.

"Anastasia, Leila está, obviamente, sofrendo um colapso psicótico. Eu não sei se é de você ou de mim que ela está atrás, ou até onde ela está preparada para ir. Nós vamos para a sua casa, pegar suas coisas, e você pode ficar comigo até que a tenhamos rastreado," eu explico para ela.

"Por que eu iria querer fazer isso?” Ela pergunta.

"Para que eu possa mantê-la segura,” eu digo perdendo completamente a paciência

Can’t Let Go - Mariah Carey

"Mas,” ela diz pronta para se opor a mim, mas eu a corto com meu olhar.

"Você está voltando para o meu apartamento mesmo se eu tiver que arrastá-la até lá por seu cabelo."

Ela olha fixamente para mim, chocada e chateada e seus olhos estão dizendo, você-não-ousaria. Mas eu faria!

"Eu acho que você está exagerando,” afirma.

"Eu não. Podemos continuar nossa discussão, de volta em minha casa. Venha," digo.

Ela cruza seus braços e olha para mim, e não está disposta a ceder
.
"Não,” ela afirma teimosamente, de pé fazendo seu Alamo. (N.T. Forte no Texas – Em 1836, 1500 soldados mexicanos capturaram o forte, após um cerco de 2 semanas, e mataram todos os soldados, exceto dois homens e algumas mulheres e crianças)

"Você pode andar ou eu posso carregá-la. Eu não me importo de qual maneira, Anastasia,” eu digo, também determinado. Você não quer competir em inteligência comigo hoje, baby.

"Você não ousaria,” ela franze a testa para mim. Eu, sendo Christian Grey, que gostaria de evitar cenas no meio de uma rua movimentada, na Segunda Avenida, ela pensa que eu não vou tão longe  para protegê-la. Você não me conhece nem mesmo um pouco, querida? Eu dou um meio sorriso para ela. Não é um sorriso agradável, e não chega até os meus olhos.

"Oh, baby, nós dois sabemos que se você me apresentar um desafio eu vou estar muito feliz de encará-lo,” eu digo. Ela me encara, e eu encaro de volta para ela. Então, isso vai ser assim. Ela não está andando. Faça do seu jeito, Srta. Steele!

Eu abruptamente me abaixo, pego Anastasia em torno de suas coxas, e a levanto, e antes que ela possa proferir uma única palavra, ela está sobre o meu ombro.

"Coloque-me no chão,” ela grita. Eu acho que não! Eu começo a andar ao longo da Segunda Avenida, meus braços firmemente apertando suas coxas, e no segundo que ela começa a gritar, eu bato forte em sua deliciosa bunda com a minha mão livre. Continue fazendo isto, baby! Você grita e eu vou espancar você no meio da cidade de Seattle!

"Christian,” ela grita. As pessoas estão olhando para nós, e ela está humilhada por estar sendo  arrastada como a esposa de um Neanderthal. "Eu vou andar! Eu vou andar... " diz ela.

Eu finalmente a coloco no chão, e mesmo antes de eu estar em pé direito, ela começa a caminhar na direção de seu apartamento, furiosa, e completamente me ignorando. Eu acelero o meu passo e estou ao lado dela em um piscar de olhos, mas ela consegue continuar a ignorar-me. Ela está incrivelmente zangada comigo. Eu olho para o rosto dela, e eu posso ver as rodas de sua mente girando em sua cabeça bonita. A respiração dela é forte, seus braços estão cruzados, ela está olhando para frente, e caminhando rapidamente. De repente, ela pára abruptamente na rua, e se vira para mim. Eu paro junto com ela.

"O que aconteceu?" ela pergunta, como resultado do processamento em curso de seus pensamentos. Oh merda! Ela descobriu algo.

Minha testa franze em confusão.

"O que você quer dizer?" eu pergunto.

"Com Leila,” diz ela tentando ter paciência.

"Eu disse a você,” eu digo tentando não divulgar mais informações.

"Não, você não disse. Há algo mais. Você não insistiu para que eu fosse para sua casa ontem. Então o que aconteceu?" Ela pergunta. Droga! Ela sempre me confunde! Ela é muito mais esperta do que eu acreditei. Eu me mexo desconfortavelmente.

"Christian! Diga-me," ela exclama. Merda! Eu não posso esconder nada dela?

"Ela conseguiu obter uma autorização oculta de porte de  armas ontem." Anastasia de repente olha para mim, piscando, e seu rosto empalidece. Sua respiração é expelida para fora dela.

"Isso significa apenas que ela pode comprar uma arma," sussurra.

"Ana,” eu digo, enquanto minha voz está refletindo a preocupação crescente em mim. Eu coloco  minhas mãos nos ombros dela e a puxo para perto de mim, para a segurança dos meus braços. "Eu não acho que ela vai fazer nada estúpido, mas, eu só não quero correr esse risco com você,” eu digo a ela.

"Não comigo... E você?” ela sussurra. Anastasia está preocupada comigo? Eu abaixo meu olhar para ela tentando ler suas emoções, e ela envolve seus braços em volta de mim e me abraça apertado e forte, colocando seu rosto contra meu peito. E pela primeira vez, eu não recuo ou me importo.

E assim, a nossa briga é esquecida. "Vamos voltar,” murmuro, e estendo a mão e a beijo no cabelo.

Nós vamos para o apartamento de Anastasia. Ela vem com uma mala de mão pequena com seus itens pessoais. Noto que ela colocou seu Mac, seu Blackberry e seu iPad, assim como Charlie Tango, em sua mochila.

"Charlie Tango vem também?" eu pergunto.

Ela acena com a cabeça, e eu sorrio completamente satisfeito. Ela me ama não importa o quanto ela fique com raiva de mim, e este conhecimento me faz esquecer tudo da merda de hoje.

"Ethan está de volta terça-feira," murmura Anastasia.

"Ethan?" Eu questiono. Quem diabos é Ethan? Outro admirador? 


Next Contestant - Nickelback

"Ele é irmão de Kate. Ele vai ficar aqui até que ele encontre um lugar em Seattle. "

Ah, esse. Eu o conheci durante a formatura e ele era como o branco no arroz em Anastasia. Eu olho para ela sem entender, tentando esconder meus sentimentos, mas não consigo manter a frieza longe dos olhos, e ela percebe.

"Bem, é bom que você vá ficar comigo. Dá-lhe mais espaço,” eu digo baixinho. Eu estaria explodindo de ciúme se Anastasia estivesse hospedada aqui com ele.

"Eu não sei se ele tem as chaves. Vou precisar voltar depois,” diz ela.

Não agora, Anastasia! Eu não aguento mais! Eu tento manter o meu olhar impassível, e não revelar nada.

"Isso é tudo,” diz ela, e eu pego a sua sacola e me dirijo para fora da porta. À medida que caminhamos para seu Audi, Anastasia mantém-se observando por cima do seu ombro. Ela está tímida. Eu vou para a porta do passageiro e a abro, esperando que ela entre.

"Você vai entrar?" eu pergunto,  quando ela hesita.

"Eu pensei que eu ia dirigir,” diz ela. Eu não posso dar uma chance com todo o perigo, e não sabendo o que Leila pode fazer.

"Não. Eu vou dirigir,” eu digo.

"Qual é o problema com a minha direção? Não me diga que você sabe quanto eu marquei no meu teste de condução... Eu não ficaria surpresa,  com suas tendências de perguidor,” diz ela. Deus! Por favor me ajude com a minha mulher!

"Entre no carro, Anastasia,” eu exclamo com raiva.

"Certo,” ela responde, e rapidamente sobe, dando-me um olhar gelado."

Eu estou tenso e irritado. Eu não sei onde está Leila ou o que ela é capaz de fazer. Eu não posso ter a vida de Anastasia superficialmente. Eu não posso permitir suas travessuras quando sua segurança está em jogo e ela tenta o seu melhor para minar todos os meus esforços! Depois de fechar a porta de Anastasia, eu me encaminho para o lado do motorista do carro, enquanto ainda digitalizo o estacionamento para detectar qualquer um que não pertença a ele - especialmente Leila. Eu entro, ligo o carro, e me encaminho para o tráfego na rua.

"Todas as suas submissas são morenas?" Anastasia me pergunta me tirando dos meus pensamentos.

Eu fecho a cara quando eu olho para ela. Onde ela está indo com essa pergunta?

"Sim,” eu murmuro inquieto.

"Eu só queria saber,” ela responde à minha pergunta sem resposta.

"Eu disse a você. Eu prefiro as morenas."

"A Sra. Robinson não é morena,” observa ela.

"Isso é provavelmente o porque," eu murmuro. "Ela me colocou longe de loiras para sempre,” eu digo em tom de brincadeira.

"Você está brincando,” ela suspira.

"Sim. Estou brincando,” eu respondo exasperado. Eu não posso nem brincar com isso sem ela ficar com raiva.

Anastasia olha para fora impassível perdida em seus pensamentos. Eu a olho com minha visão periférica. O que você está remoendo na sua cabeça bonita,  Anastasia? Depois de um tempo ela se vira e diz: "Fale-me sobre ela."

"O que você quer saber?" eu digo em tom de advertência enquanto minhas sobrancelhas enrugam com  o conhecimento do que está por vir.

"Diga-me sobre o seu acordo de negócios,” diz ela. Eu relaxo um pouco. Eu posso falar sobre negócios. Não é sobre sexo, e ela não pode ficar com ciúmes desse aspecto.

"Eu sou um parceiro silencioso. Eu não estou particularmente interessado no negócio da beleza, mas ela construiu um empreendimento de sucesso. Eu só investi e ajudei-a a começar,” eu digo.

"Por quê?” Ela sonda.

"Eu devia isso a ela,” eu respondo. Eu devia a ela muito, porque ela deu minha partida no meu negócio. Isso era o mínimo que poderia fazer por ela.

"Oh?” ela pergunta.

"Quando eu abandonei Harvard, ela me emprestou cem mil dólares para começar meu negócio,” eu respondo com sinceridade. Esse foi o meu capital inicial para começar o que eu tenho hoje.

"Você abandonou?"

"Não era para mim. Eu fiz dois anos. Infelizmente, meus pais não eram tão compreensivos,” digo lembrando-me. Meus pais são ambos bem educados, e a educação é muito importante para eles, para que seus filhos se formem a partir de faculdades de prestígio. Eu provavelmente os preocupava muito por ter ficado em apuros durante toda a minha adolescência... bem, até que eu comecei o meu caso com Elena. Isto provavelmente deu medo neles e lembrou-lhes os tipos de problemas que eu tinha,  quando eu era mais jovem.

"Você não parece ter feito muito mal abandonando. Qual foi o seu campo principal ,” ela pergunta.

"Política e Economia,” eu respondo.

"Então, ela é rica?" pergunta Anastasia.

"Ela era uma mulher troféu entediada, Anastasia. Seu marido era rico – um  dos  grandes em madeira" eu sorrio e acrescento: "Ele não iria deixá-la trabalhar. Você sabe, ele estava controlando. Alguns homens são assim." Eu dou um sorriso de lado Anastasia para avaliar sua reação a minha declaração.

"Sério? Um homem controlador, sem dúvida uma criatura mítica?” Diz ela, suas palavras cheias de sarcasmo. Sua resposta me faz sorrir mais.

"Ela lhe emprestou o dinheiro do marido?" pergunta Anastasia. Concordo com a cabeça e dou a ela um sorriso travesso.

"Isso é terrível,” ela responde à  minha reação.

"Ele teve de volta,” eu digo sombriamente, enquanto eu entro na garagem do Escala. Não só ele conseguiu mais do que seu dinheiro, mas ele bateu a merda fora de Elena, quebrando seu braço e nariz.

"Como?" pergunta Anastasia. Mas, isso é um pouco da informação de que eu quero poupá-la. Eu balanço minha cabeça, como se para dispersar a lembrança amarga, e estaciono ao lado do meu Audi Quattro SUV. Eu não respondo, e desvio sua atenção com outro assunto. "Venha. Franco vai estar aqui em breve,” eu digo e estendo minha mão para ela.

Depois que nós nos encaminhamos para o elevador, eu espio seu rosto. Ela está tentando manter um rosto impassível, mas eu sei o que está por trás de tudo isso. "Ainda com raiva de mim?" Eu pergunto-lhe.

"Muito,” ela responde. Monossilábica. Ela está louca de zanga. Concordo com a cabeça, e digo: "Ok," aceitando os seus sentimentos. Pelo menos ela está aqui comigo. Eu só olho em frente. Podemos ter de resolver isso mais tarde. Finalmente, o elevador chega a minha cobertura e a porta ‘ding’ aberta  no meu saguão. Taylor está esperando pela nossa chegada. Ele pega a pequena bagagem de Anastasia de minhas mãos.

"Welch manteve contato?" Eu pergunto.

"Sim, senhor".

"E?" Eu sondo.

"Tudo está arranjado."

"Excelente. Como está sua filha?" pergunto,  me lembrando. Ele teve que fazer uma saída de emergência pensando que ela tinha apendicite.

"Ela está bem, obrigado, senhor,” ele responde.

"Ótimo. Temos um cabeleireiro chegando a uma - Franco De Luca," eu digo.

"Srta. Steele,” diz Taylor reconhecendo a presença de Anastasia.

"Oi, Taylor. Você tem uma filha?” Ela pergunta.

"Sim, senhora".

"Quantos anos ela tem?"

"Ela tem sete,” ele responde. Estou cada vez mais impaciente com a sua conversa fiada.

"Ela vive com sua mãe,” explica Taylor.

"Oh, entendo,” diz Anastasia. E isso é o fim da conversa. Quando entramos na sala, "Você está com fome?" pergunto a  Anastasia.

Ela balança a cabeça em resposta. Eu olho para ela, e à luz de todas as discussões que tivemos, eu acho melhor não discutir sobre comida hoje. Eu vou guardar isso para a próxima vez que ela não for comer.

"Eu tenho que fazer algumas chamadas. Sinta-se em casa,” eu digo.

"Tudo bem,” responde Anastasia. Então eu ando para o meu escritório, deixando Anastasia na sala de estar. Quando eu chego no meu escritório, Taylor está esperando por mim.

"Recebemos as informações da segurança adicional, e eu as analisei antes de você chegar em casa, senhor,” diz ele.

"Suas avaliações?"

"Todos os três, senhor, vêm altamente recomendados, e eu conheço Sawyer há algum tempo, pessoalmente. Ele estava sob o meu comando, e eu confio nele a minha vida,” ele afirma.

"Mas a questão é, posso confiar a ele a vida de Anastasia?" Eu pergunto.

"Eu confio a vida da minha filha para ele, senhor,” ele diz sabendo o que eu quero dizer. Sua filha é a pessoa mais importante em sua vida. Quando o aço em meu olhar trava com Taylor, vejo imensa determinação correspondendo a minha própria; se ele pode confiar a vida de sua filha a ele, isso é atestado bom o suficiente para mim. Concordo com a cabeça, sem vacilar.

"Ótimo! Então, ele vai ser responsável pela segurança de Anastasia no momento. Mas eu quero que você encontre uma segurança feminina para ir junto com Anastasia para o trabalho. Ela vai segui-la para o banheiro, se necessário."

"Sim, senhor".

"Ótimo. Quando os três virão? "

"Em poucas horas, senhor. Eles têm de ser entrevistados primeiro por  Welch, armas inspecionadas, então eu vou entrevistá-los aqui, e eu vou apresentá-los a você, e você pode dar suas instruções específicas para eles, senhor. "

Eu vacilou ao som da palavra "armas,”  mas, dadas as circunstâncias, eu tenho que permitir que elas sejam levadas. Concordo com a cabeça, finalmente, e dispenso Taylor.

Eu, então, faço o check-in, com a minha assistente Andrea e meu braço direito Ros, do trabalho de hoje. Uma empresa tão grande como a minha nunca faz uma pausa. Como proprietário, não faco uma pausa no trabalho. Depois que meus telefonemas estão concluídos, e eu digo a Andrea a minha agenda para a noite, eu desligo e caminho de volta para a sala de estar para encontrar Anastasia. Mas ela não é encontrada em nenhum lugar. Ela não está na cozinha, nem no meu quarto. Eu começo a ficar nervoso. Eu vou para a sala para ver se ela está lá, mas ela não está. Eu me deparo com Taylor quando eu saio da sala, e pela aparência dele ele está procurando por mim. "Você  viu a senhorita Steele?" Pergunto com medo mal contido.

"Não, senhor. Eu estava vindo informar que Franco, o cabeleireiro, acabou de chegar. Devo procurá-la?” Pergunta ele também ficando preocupado com a minha reação.

"Não, ela deve estar em seu quarto. Eu vou verificar,” eu sigo e caminho até seu quarto. Sua mochila está lá. Talvez ela não fugiu. Eu entro em seu closet e ela está sentada num canto no chão, e falando em seu Blackberry. Eu a ouço dizer: "Mãe, é complicado. Eu acho que ele é louco.  Esse é o problema." Ela está falando de mim? Quantos outros loucos ela conhece?

Em seguida, ela exclama, respondendo sobre algo que sua mãe deve ter dito a ela: "O que?"

Eu ando até o closet e paro, com alívio inundando-me ao vê-la aqui.

"Aí está você. Eu pensei que você tinha fugido,” eu digo com alívio.  

Without You - Motley Crüe

Ela levanta a mão para indicar um minuto,  enquanto ela está no telefone. "Desculpa, mãe, eu tenho que ir. Vou ligar de novo,” ela diz no Blackberry.

Ela responde a declaração de amor de sua mãe, pelo que parece, dizendo: "Eu também te amo, mãe."

Ela vira a cabeça e olha para mim. Eu franzo a testa, sentindo algo estranho. Por que ela está se escondendo aqui? O que há de errado? Será que eu estraguei tanto?

"Por que você está se escondendo aqui?" eu pergunto.

"Eu não estou me escondendo. Estou desesperada,” ela responde.

"Desesperada?" Por quê?

"Por tudo isto Christian,” diz ela acenando com a mão ao redor, indicando o armário cheio de roupas.

"Posso entrar?" Eu pergunto.

"É o seu closet,” diz ela. Como posso fazê-la aceitar que este é o seu quarto, seu armário, as roupas que eu tenho para ela? Eu fecho a cara e sento-me de pernas cruzadas, no chão, de frente para ela.

"São apenas roupas. Se você não gosta delas eu vou mandá-las de volta ,” eu digo.

"Você é uma responsabilidade muito grande, sabe?” Ela pergunta.

Sua resposta me pega de surpresa. Eu coço a barba do meu queixo.

"Eu sei. Eu estou tentando,” murmuro.

"Você é muito difícil,” diz ela, alimentando-me de volta com minhas próprias palavras, torcendo-as.

"Você também, Srta. Steele," eu aponto para ela.

"Por que você está fazendo isso?” Ela pergunta.

Meus olhos se arregalam, e eu estou desconfiado mais uma vez. O que ela quer dizer por que estou fazendo isso? Qualquer outra mulher ficaria feliz em ser amada, e cuidada. Mas não Anastasia.

"Por que está fazendo isso, Christian?" Ela pergunta novamente.

Meus olhos se arregalam com cautela. "Você sabe o porquê,” eu respondo.

"Não, eu não,” responde ela.

Passo a mão pelo meu cabelo, exasperado novamente. "Você é uma mulher frustrante,” eu digo.

"Você pode ter um boa submissa morena. Uma que diga: 'que altura’? cada vez que você diga:  salte, desde é claro que ela tenha permissão para falar. Então, por que eu, Christian? Eu só não entendo,” diz ela, finalmente, baixando o penetrante olhar para longe de mim.

Eu olho para a minha mulher por um momento.

"Você me faz olhar o mundo de forma diferente, Anastasia. Você não me quer pelo meu dinheiro. Você me dá... esperança,” eu digo baixinho. Ela cuida de mim, não como Christian Grey, o  bilionário, mas Christian Grey o homem. O homem fudido, mas, ela cuida de mim, essencialmente.

"Esperança de quê?” Ela pergunta mais.

Eu dou de ombros com indiferença. "Mais,” digo em voz baixa. "E você está certa. Estou acostumado com mulheres fazendo exatamente o que eu digo, quando eu digo, fazendo exatamente o que eu quero. Isto fica ultrapassado rapidamente. Há algo com você, Anastasia que me chama em algum nível profundo, eu não entendo. É uma chamada de sereia. Eu não posso resistir a você, e eu não quero perder você,” eu digo quando eu chego para frente, pegando sua mão. "Não fuja, por favor,” eu imploro. "Tenha um pouco de fé em mim e um pouco de paciência. Por favor," eu peço a ela. Todos os meus medos voltam, e eu tenho certeza que isto  está demostrado no meu rosto para ela ver. Estamos olho no olho, no chão, no canto do closet. Ela finalmente inclina-se sobre os seus joelhos; se curva para frente e me beija na boca.

"Tudo bem. Fé e paciência, eu posso viver com isso,” diz ela.

"Ótimo. Porque Franco está aqui. "

*****

Eu apresento Franco para Anastasia.

"Franco, esta é a minha namorada Anastasia. Ela gostaria de ter seu cabelo cortado hoje,”  eu digo, e em seguida, viro para Anastasia,” Anastasia, este é Franco. Ele é um dos melhores cabelereiros que o  Esclava tem para oferecer. Você está em boas mãos,” eu digo e Franco sorri abertamente em sua aparência pequena e escura.

"Grazie, Sr. Grey! Você me honra! E Anastasia, ninguém me disse que você era bellissima!” Ele exclama,  acenando com as mãos animadamente.

"Eu acho que seria melhor se você cortasse o cabelo no meu banheiro. Lá há mais espaço para fazer isso com as ferramentas certas," eu digo.

Eu levo Anastasia e Franco para o meu banheiro, enquanto Franco exclama, "que cabelo bonito!" para Anastasia, com seu sotaque marcadamente italiano. Eu volto para o meu quarto, e pego uma cadeira para Anastasia se sentar.

"Eu vou deixar vocês dois com isto,” murmuro. Eu não quero ficar enchendo o banheiro e dar privacidade a Anastasia.

"Grazie, Sr. Grey,” diz Franco, em seguida, se vira para Anastasia, “Bene, Anastasia, o que vamos fazer com você?"

Desço, vou para meu escritório e imprimo os relatórios que Ros me enviou sobre a empresa que eu estou pensando em liquidar – aquela que no momento  vai me custar 67 milhões de dólares! Eu ligo meu estéreo do começo para ouvir a minha lista de reprodução de Música Clássica.

Eu resolvo voltar para a minha poltrona e começar a verificar os números que me enviaram  em minhas planilhas. Eu não sei quanto tempo tinha passado, mas Anastasia e Franco entram no cômodo justamente quando "O Mio Babbino Caro, de Puccini" começa a tocar.  

O Mio Babbino Caro - Angela Gheorghiu

Eu levanto os olhos, e sorrio para Anastasia.

"Veja! Eu digo a você que ele gosta,” diz Franco animadamente.

"Você está linda, Ana,” eu digo realmente gostando de seu cabelo.

"Meu trabalho aqui está pronto,” exclama Franco. Levanto-me e caminho em direção a eles dois.

"Obrigado, Franco,” diz Anastasia, e Franco, em troca, vira para ela e abraça-a em um abraço apertado de urso, e a beija em ambas as bochechas à moda européia. Se ele não fosse gay, eu teria lhe dado um soco, mas já que ele é , Anastasia está segura.

"Nunca deixe ninguém mais cortar seu cabelo, bellissima Anastasia,” ele exclama. Anastasia ri e cora ligeiramente com sua declaração. Eu levo Franco para a porta, e dou-lhe uma boa gorjeta por fazer um bom trabalho no cabelo de Anastasia. Quando eu volto,  Anastasia ainda está de pé, onde a deixei.

"Estou feliz porque você manteve seu cabelo comprido,” eu digo quando eu ando em direção a ela, com olhos brilhantes, cheios de desejo por ela. "Você ainda está com raiva de mim?" Eu pergunto.

Ela acena com a cabeça fazendo-me sorrir.

"Com que exatamente você está brava comigo?" Eu pergunto.

Ela revira os olhos. "Você quer a lista?" Oh, Meu Deus! Ela está mantendo uma lista dos meus erros?

"Há uma lista?" eu pergunto.

"Uma longa lista,” ela responde.

"Podemos discutir isso na cama?" pergunto lascivamente.

"Não,” ela responde fazendo beicinho.

"Durante o almoço, então. Eu estou com fome, e não apenas por comida,” eu digo dando-lhe um sorriso lascivo.

"Eu não vou deixar você me deslumbrar com o seu sexpertise,” diz ela. Ela me conhece bem. Eu tento reprimir um sorriso. "O que está incomodando você, especificamente, Srta. Steele? Ponha prá fora,” eu digo. É melhor segurar o touro pelos chifres, embora há sempre a chance de ficar ferido quando você o deixar ir.

"O que está me incomodando? Bem, é a sua invasão bruta de minha privacidade, o fato de que você me levou a um lugar onde sua ex-amante trabalha e você costumava levar todas as suas amantes para ter suas partes depiladas, agarrar-me à força na rua como se eu tivesse seis anos de idade, e acima de tudo, você deixa a Sra. Robinson tocar em você!” diz ela enquanto sua voz se eleva em ansiedade e, possivelmente, raiva.

Levanto minhas sobrancelhas. Isso é uma longa ordem de trabalho. Sim, eu errei um pouco.

"Essa é uma grande lista. Só para esclarecer, mais uma vez, ela não é minha Sra. Robinson,” eu digo.

"Ela pode tocar em você,” ela reitera. E eu acho que isto fere seus sentimentos. Eu aperto meus lábios. O problema de Anastasia me tocar é que não temos limites, e realmente me assusta ter seu toque onde me sinto mais vulnerável. "Ela sabe onde,” digo em voz baixa.

"O que significa isso?" pergunta Anastasia.

Deus! Me ajude, por favor! Eu amo essa mulher, e eu não quero estragar tudo novamente com ela! Eu corro as duas mãos pelo meu cabelo, exasperado, e fecho os olhos por um segundo. Eu finalmente engulo e encerro o assunto:

"Você e eu não temos nenhuma regra. Eu nunca tive um relacionamento sem regras, e eu nunca sei onde você está indo me tocar. Isso me deixa nervoso. Seu toque completamente -" eu digo, parando, procurando a palavra certa para expressar meu sentimento perdido. "Isso apenas significa mais para mim... muito mais,” digo finalmente.

Ela olha para mim completamente surpresa. Eu ainda não posso dizer a ela que eu a amo. É muito difícil para mim. Porque eu nunca disse isso a ninguém. Ninguém! Eu não posso perdê-la... Não por isso! Eu procuro apreensivo em seu rosto por algum indício de que ela me entende, de que ela realmente se importa comigo, de que ela vai ser paciente comigo.

Ela finalmente se aproxima devagar, mas minha apreensão se transforma em alarme. Ela está tentando me tocar! O medo me aperta,  e eu estou de volta a ter quatro anos de idade. Eu dou um passo para trás, e ela deixa cair as mãos ao lado dela.

"Limite rígido," eu sussurro premente. Eu quero gritar, "Vermelho! Vermelho! Vermelho!" Meu rosto está agora triste e em pânico e eu me odeio por fazer isso, criar este limite.

Ela parece esmagada, indesejável, e indesejada. "Como você se sentiria se você não pudesse me tocar?” Ela pede.

Eu levanto os olhos e respondo a ela imediatamente. Eu simplesmente não consigo lidar com isso. "Devastado e frustrado,” eu respondo.

Ela finalmente balança a cabeça lentamente e me dá um pequeno, mas reconfortante sorriso. Eu só quero saber se está tudo bem entre nós. Seu sorriso me relaxa.

"Você vai ter que me dizer exatamente porque este é um limite rígido, um dia, por favor,” ela diz.

"Um dia,” murmuro, e imediatamente relaxo, porque o tema é muito difícil para eu lidar, e eu imediatamente volto ao normal.

"Então, o resto da lista. Invadir sua privacidade,” eu digo enquanto eu tento ponderar neste tópico. "Porque eu sei  seu número de conta?" Eu pergunto.

"Sim, isso é ultrajante,” diz ela.

"Eu faço verificações de antecedentes de todas as minhas submissas. Eu vou lhe mostrar,” eu digo e viro para voltar para o meu escritório. Anastasia segue-me como se estivesse em um sonho. Eu vou a um dos meus armários trancados, viro a chave, e puxo uma pasta fora. Na guia de lado se lê: ANASTASIA ROSE STEELE.

Ela olha para a pasta e, em seguida, olha para mim. Encarando. Possivelmente puta. Eu dou de ombros me desculpando.

"Você pode guardá-lo,” eu digo baixinho.

"Puxa, uau, obrigado," ela exclama para mim. Ela olha para o conteúdo. Há, claro, uma cópia de sua certidão de nascimento, do seu NDA, do contrato, o seu número de seguro social, seu currículo e todos os registros de emprego."

Depois que ela vê o último item, ela olha para mim e pergunta: "Então, você sabia que eu trabalhava na Clayton"

"Sim,” eu respondo com sinceridade.

"Não foi uma coincidência. Você não chegou lá por acaso?"

Droga! Apanhado! "Não,” eu respondo. Mas eu não me arrependo por isso. Eu estou contente que eu a persegui. Ela é a única coisa importante que eu fiz certo. Ela sorri, e então, como se a repreender a si mesma, ela muda para uma cara de brava.

"Isso é fodido. Você sabe disso?” Ela pergunta.

"Eu não vejo isso dessa forma. O que eu faço, eu tenho que ter cuidado."

"Mas isso é privado,” ela diz.

"Eu não faço uso indevido da informação. Qualquer pessoa pode obter, se tiver vontade, Anastasia. Para ter o controle, eu preciso de informações. É como eu sempre tenho operado,” eu digo olhando para ela com uma expressão cuidadosa. Este é quem eu sou. Eu tenho uma vida que eu gosto de manter privada, e eu sou bem conhecido no mundo dos negócios para ter outras pessoas usando todos os meios para chegar até a mim. Eu tenho que ter esse tipo de controle, mas isso é algo que Anastasia não consegue entender porque ela não esteve no meu lugar.

"Você fez mal uso da informação. Você depositou vinte e quatro mil dólares, que eu não quero, na minha conta ,” diz ela.

Sério? Ainda temos que falar sobre isso? Minha boca pressiona em uma linha dura. O que eu tenho que fazer para fazê-la acreditar que este é o seu dinheiro? "Eu disse a você. Isso é o que Taylor conseguiu pelo seu carro. Inacreditável, eu sei, mas aí está ,” eu digo.

"Mas o Audi...” diz ela e eu a corto. Por que diabos você não pode receber ter um presente meu?

"Anastasia, você tem alguma idéia de quanto dinheiro eu ganho?" eu pergunto.

Ela cora como se ela se intrometesse na minha privacidade. "Por que deveria? Eu não preciso conhecer o limite de sua conta bancária, Christian,” ela responde. E eu a amo por isso.

Meus olhos suavizam amorosamente para ela. "Eu sei. Isso é uma das coisas  que  eu  amo em você,” eu digo. Há uma longa lista de coisas que eu amo sobre ela, mas esta é uma delas. Ela olha para mim, chocada com a minha revelação.

"Anastasia, eu ganho cerca de cem mil dólares por hora,” eu digo. Sua boca cai aberta tentando fazer  sua mente absorver essa informação.

"Vinte e quatro mil dólares não são nada para mim. O carro, os livros de Tess, as roupas, eles não são nada,” digo em voz baixa. Ela nunca esteve na minha posição, com grandes quantias de dinheiro indo  e vindo, então, o que parece pequeno para mim, parece uma grande quantidade para ela. Ela olha para mim e finalmente encontra sua voz para falar:

"Se você fosse eu, como você se sentiria sobre toda essa... generosidade vindo em sua direção?” ela me pergunta. Eu olho para ela sem entender. Eu não estou em posição de fazer essa avaliação. Nós apenas olhamos um para o outro em silêncio. Finalmente dou de ombros. "Eu não sei,” eu digo desnorteado.

"Não me faz bem. Quero dizer, você é muito generoso, mas faz-me ficar desconfortável. Eu já lhe disse isso suficientes vezes,” lamenta.

Eu suspiro. Será que ela tem alguma idéia de que eu quero colocar tudo a seus pés? Que eu quero dar a ela o que seu coração desejar. Eu quero dizer tudo! "Eu quero dar-lhe o mundo, Anastasia," eu digo.

"Eu só quero você, Christian. Sem todos os adicionais,” diz ela. Isso me faz feliz, que ela me queira, mas parte de mim é o que eu tenho.

"Eles são parte do negócio. Parte do que eu sou,” eu explico para ela. Ela precisa aprender isso. Eu não posso ter tudo, e deixar a mulher da minha afeição, a única mulher por quem já me apaixonei, viver em relativa pobreza. O que isso diz sobre o tipo de homem que eu sou? Não é isso que os homens têm feito há milênios por suas mulheres? Bem, nós não estamos chegando a lugar nenhum. Nós estamos em um impasse, e eu vou fornecer a ela quer ela goste ou não.

"Vamos comer?” Ela pergunta.

"Claro,” eu digo franzindo a testa.

"Eu vou cozinhar,” diz ela.

"Ótimo. Caso contrário, há comida na geladeira,” eu digo.

"Sra. Jones está fora nos fins de semana? Então você come frio na maioria dos fins de semana?” Ela pergunta.

"Não,” eu respondo. Eu não quero ir para outro campo minado.

"Oh?” ela pergunta.

Eu finalmente suspiro. "Minha submissas cozinham, Anastasia," eu digo.

"Oh, claro,” ela responde corando. Ela se vira e sorri para mim. "O que o Senhor gostaria de comer?" Eu dou um suspiro de alívio e sorrio para ela. "O que quer que a Senhora possa encontrar,” eu digo sombriamente.

Ela decide por fazer omelete espanhol, e pega as batatas frias. Ela então vai para o meu iPod e percorre as listas. Eu a observo atentamente. Ela coloca Beyoncé. "Crazy in Love,” ela escolhe e o coloca na repetição e muda para música alta. Então, ela anda de volta para a cozinha e até a geladeira e ela está sacudindo sua bunda deliciosa no caminho. Ela abre a geladeira, pega a caixa de ovos e começa a quebrá-los  e, em seguida, começa a batê-los. Estou hipnotizado olhando para ela. Minha mulher, na minha cozinha. Algo doméstico isso, e algo incrivelmente doce. No meio de sua batida, ela pára abruptamente olhando para cima, como se ela acabasse de ter uma revelação. E então ela faz essa cara incrível, com um belo sorriso nela.

Eu não posso esperar mais e eu avanço com prazer sobre ela e envolvo meus braços em torno dela, de costas, fazendo-a saltar.

"Interessante escolha de música," eu ronrono enquanto eu a beijo abaixo da orelha. "Seu cabelo cheira bem,” eu digo enquanto eu acaricio seu cabelo com o nariz, e inalo o cheiro dela profundamente.

"Eu ainda estou zangada com você,” diz ela, me fazendo franzir a testa.

"Quanto tempo você vai continuar com isso?" pergunto correndo a mão pelo meu cabelo.

Ela encolhe os ombros com indiferença, “pelo menos até que eu tenha comido,” ela responde, então eu sei que tudo está bem, e sorrio. Eu finalmente viro e pego o controle remoto do balcão da cozinha e desligo o aparelho de som.

"Você colocou isso no seu iPod? pergunta ela. Oh, atire! Inquisição.

Eu balanço minha cabeça, meu rosto é solene. Ela sabe que foi Leila. Eu não tenho que lhe dizer isso.

"Você não acha que ela estava tentando lhe dizer alguma coisa, então?” Ela pergunta.

"Bem, retrospectivamente, provavelmente," eu digo com calma. Eu nunca coloquei dois e dois juntos até que este problema com Leila surgiu.

"Por que é que ainda está lá?” ela pergunta. Mas a sua pergunta tem duplo significado. Tenho alguns sentimentos por Leila?  é o que ela realmente está me perguntando. Como se eu estivesse mantendo um pedaço dela.

"Gosto muito da música. Mas se isso ofende você, vou removê-la,” eu digo.

"Não, está tudo bem. Eu gosto de cozinhar com música,” ela responde.

"O que você gostaria de ouvir?" Eu pergunto.

"Surpreenda-me,” diz ela. Isso eu posso, baby!

Eu sorrio e me dirijo ao deque do iPod, e ela volta a preparar o almoço. Eu percorro a lista e encontro Nina Simone, "I Put a Spell on You". Essa música é extremamente apropriada para nós dois, porque ela me pegou como uma mulher mágica e eu a ela.  

I Put a Spell on You - Nina Simone


Quero declarar meu amor a ela, mas isso é o melhor que posso fazer por agora. Eu sempre me expressei melhor com música. Eu me expressei em música e piano por dois anos antes de eu começar a falar novamente. Você pode me ouvir, Anastasia? Você pode sentir o quanto eu te amo? Eu olho para ela atentamente. Ela cora com o meu olhar e se vira para olhar para mim, boquiaberta. Um olhar interrogador em seu rosto. Meus olhos estão escuros, e intensos, desejando que ela  entenda o amor que eu estou tentando passar para ela. Eu não sou bom nisso! Isso é novo para mim! Ela me olha, fascinada. Eu avanço para ela  como um predador,  no tempo da música. Ela olha para mim, meus pés descalços, camisa branca fora da calça e jeans e, finalmente, o seu olhar para no meu olhar ardente. O olhar reservado somente para ela.

Quando Nina canta "você é minha," eu a alcanço. Eu tenho que beijá-la, eu tenho que tê-la. Agora! Esta é a única maneira que eu sei como expressar o que eu sinto por ela. Sou péssimo de  qualquer outra forma.

"Christian, por favor,” ela sussurra, enquanto segura o batedor que ela está usando para bater os ovos.

"Por favor, o quê?" Eu pergunto.

"Não faça isso."

"Fazer o quê?"

"Isso,” ela gesticula entre nós. Eu estou diante dela, olhando-a.

"Você tem certeza?" eu respiro e me aproximo  mais e pego o batedor de sua mão colocando-o de volta na tigela com os ovos batidos pela metade. Ela está confusa. Por um  lado ela me quer, e por outro lado ela está lutando contra seus sentimentos. Ela se obriga a olhar para longe de mim, tentando subjugar seus sentimentos e seu desejo por mim. Por favor, não faça isso baby!

"Eu quero você, Anastasia,” murmuro.

"Eu amo e odeio, e eu amo discutir com você. Mesmo discutindo, ou brigando com você. Você  me enfrenta. É muito novo. Eu preciso saber que estamos bem. É a única maneira que eu sei como,” eu digo derramando meu coração para ela.

"Meus sentimentos por você não mudaram,” diz ela sussurrando.

A atração que temos, a eletricidade entre nós é forte, palpável. É vibrante e nos puxa juntos. Ela olha para meu peito pela abertura da minha camisa, e morde o lábio. Ela me olha com desejo. Mas eu não vou tocá-la, embora Deus saiba que é muito difícil, com essa proximidade.

"Eu não vou tocar em você até você dizer que sim,” eu digo baixinho para ela. "Mas agora, depois de uma manhã realmente de merda, eu quero me enterrar em você e esquecer de tudo,  além de nós,” eu digo. Posso dizer isto para Anastasia mais claro? Por favor, me ouça e entenda o quanto eu preciso de você! Ela levanta a cabeça e olha para mim.

"Eu vou tocar o seu rosto,” ela respira, e apesar de sua declaração me surpreender, eu concordo e inclino-me para o seu toque. Ela eleva automaticamente os lábios para um beijo. Mas eu não vou beijá-la. Meus lábios pairam sobre os seus a meros milímetros de distância, pedindo-lhe permissão.

"Sim ou não, Anastasia?" eu sussurro. 

Sex Therapy - Robin Thicke and Ludacris

"Sim,” ela responde, e minha boca se fecha sobre a dela, enquanto meus lábios incentivam e  coagem seus lábios separados, enquanto minha língua entra em sua boca, meus braços se fecham  em torno dela, puxando-a para mim, para que nem mesmo o ar possa passar entre nós. Eu movo a minha mão em suas costas, enquanto os meus dedos encontram seu cabelo e se enrolam neles, puxando delicadamente, e segurando-a no lugar para que ela levante a cabeça para mim, forçando-a contra mim. Ela geme suavemente, querendo mais,  com paixão e desejo.

"Sr. Grey," Eu ouço Taylor falar enquanto ele tosse,  efetivamente quebrando o feitiço entre nós. Eu libero Anastasia imediatamente. Quando viro, um desconfortável Taylor está ao lado da entrada da sala de estar. Eu fico olhando para ele, e sei que a nova equipe de segurança está aqui.

"Meu escritório,” eu exclamo para Taylor, e ele caminha rapidamente para ir para o meu escritório.

"Fica prá próxima,” eu sussurro a Anastasia, e caminho para o meu escritório após Taylor.

Eu entro  em meu escritório, e Taylor está com a documentação que ele tem sobre a equipe dos três novos seguranças.

"Vamos dar uma olhada nisso,” eu digo. Os documentos têm informações detalhadas sobre os novos funcionários. Todos eles vêm com altas recomendações de especialistas em fornecimento de segurança para os clientes de alto nível. Um deles é ex-FBI, todos têm experiência de combate, e altamente treinados.

"Parece ótimo. Você pode continuar com eles, falar sobre o que eu espero em termos de segurança e compromisso. "

"Sim, senhor".

Quando eu ando de volta, para fora do meu escritório, Taylor vai atrás de mim.

"Eu vou entrevistá-los em dez minutos,” eu digo.

"Vamos estar prontos,” Taylor responde e sai da sala.

Eu volto para a cozinha, e Anastasia está terminando de cozinhar.

"Almoço?” ela pergunta.

"Por favor,” eu digo enquanto eu sento em um dos bancos de bar. Eu a observo com atenção. Eu preciso protegê-la, mas como fazer para dizer a ela  o quanto ela é resistente a tudo que eu quero fazer por ela.

"Problema?” ela pergunta.

"Não,” eu respondo. Ela fecha a cara, e ela sabe que algo está acontecendo. Ela coloca nossos pratos com o nosso almoço e, finalmente, suspira e senta-se ao meu lado.

"Isso é bom,” murmuro apreciativamente pois ela fêz um grande trabalho com o almoço. "Você gostaria de uma taça de vinho?" eu pergunto-lhe.

"Não, obrigada,” diz ela. Quando o silêncio entre nós cresce, levanto-me e coloco música clássica. O som é calmante.

"O que é?" pergunta Anastasia.

"Canteloube, Canções de Auvergne. Isso é chamado de 'Bailero', ” eu digo

Bailero - Netania Davrath

"É adorável. Que língua é? ” Ela pergunta curiosa.

"Está no velho francês Occitan, de fato,” eu respondo.

"Você fala francês, você entende isso?” ela pergunta.

"Algumas palavras, sim,” digo sorrindo. "Minha mãe tinha um mantra: instrumento musical, língua estrangeira, arte marcial. Elliot fala espanhol; Mia e eu falamos francês. Elliot toca guitarra, eu toco piano, e Mia o violoncelo,” eu digo.

"Uau! E as artes marciais?” Ela pergunta.

"Elliot faz Judô. Mia bateu o pé com a idade de 12 anos e se recusou," eu sorrio lembrando a explosão dela, e exasperando minha mãe tanto, que ela teve que desistir de seus esforços de artes marciais.

"Eu queria que minha mãe tivesse sido tão organizada,” suspira Anastasia.

"Dra. Grace é formidável quando se trata do sucesso de seus filhos,” afirmo de modo prático.

"Ela deve estar muito orgulhosa de você. Eu estaria ,” diz Anastasia suspirando.

Lembro-me de tentar me encaixar em uma família perfeita como um indivíduo sempre imperfeito, com um passado imperfeito, e presente imperfeito. Não foi uma tarefa fácil para mim. Eu olho para Anastasia cautelosamente. Eu decido mudar de assunto.

"Já decidiu o que você vai usar esta noite? Ou  eu  preciso  vir  e escolher alguma coisa para você? " pergunto laconicamente,  incapaz de sair do pensamento desconfortável de uma infância difícil, tentando me encaixar e nunca conseguindo.

"Hum... ainda não. Você escolheu todas aquelas roupas?” ela pergunta.

"Não, Anastasia, não. Eu dei uma lista e seu tamanho a um assessor de compras na Neiman Marcus. Elas devem servir. Só para que você saiba, eu pedi segurança adicional para esta noite e para os próximos dias. Com Leila imprevisível e desaparecida em algum lugar nas ruas de Seattle, eu acho que é uma sábia precaução. Eu não quero que você saia desacompanhada. Ok?" Pergunto finalmente colocando para fora tudo diante dela, sem lhe dar os detalhes.

Ela pisca para mim, e resmunga: "tudo bem".

"Ótimo. Estou indo entrevistá-los. Eu não devo demorar,” digo.

"Eles estão aqui?” ela pergunta.

"Sim".

Eu pego meu prato, limpo-o e coloco-o na pia. Então eu saio da sala sem dizer uma palavra. Eu odeio fazer isso com ela, e não é culpa dela que ela faça essas perguntas, sem saber a profundidade da dor e mágoa enraizadas nas profundezas da minha alma. Mas, quando todas elas vêm à superfície, isso  faz o Christian sinistro, que é o menos carinhoso, difícil, brusco, e protegido contra o mundo, com camada sobre camada de superfície dura, assim  como Anastasia acabou de experimentar. Eu me odeio por fazer isso, mas eu não posso impedir-me!

Coloquei o rosto eu-sou-o-chefe-e-não-foda-comigo, e ando para o escritório de Taylor, onde os quatro homens abruptamente se levantam com a minha entrada brusca.

Eu estou no comando mais uma vez.



24 comments:

Penha Storani said...

Você é demais, muito obrigada por mais este capítulo.

Fabiana said...

Vocês fazem a minha vida mais feliz. Muito obrigada!!!!!! A versão do Christian consegue ser melhor do que o livro original, pois entendemos o que passa na cabeça dele, os produtores do filme deveriam ler também essa versão.

Renata Santos said...

In love <3

Pao said...

Muchas gracias por este capítulo, estoy de acuerdo con Fabiana es realmente mejor esta versión que la del libro original

Jordana Sirlaide said...

Amando tudoooo...

Jordana Sirlaide said...

Amando tudoooo...

Thamires Armindo said...

Parabéns para a autora e é claro para a tradutora, pois dedicar-se a esse trabalho juntamente com sua vida pessoal não deve ser fácil. Vocês são maravilhosas!

Anonymous said...

Por favor ponha mais um capiulo,esses livros é o que fazer o meu dia,adoro a ideia que saber que saberiamos no livro original...Quando acabei o ultimo livro eu pensei como seria se fosse o Christian e o que poderiamos saber mais,o que não lemos nos livros originais...
Obrigada por fazer a versão do Christian...
Amo os livros tambem originais como estes...
<3

PATRICIA said...

maravilhoso obrigada

PATRICIA said...

maravilhosa obrigada

Anonymous said...

Gostaria de parabenizar vocês pelo ótimo trabalho. Cada dia eu me apaixono mais pelo Christian, algumas vezes me encontro em alguns medos dele, na insegurança... Ele é um personagem muito profundo, que mexe muito comigo.

Com que frequência são postados os capítulos em português?

Beijos
E obrigada por disponibilizar essa maravilha para nós.

anne caroline godoi said...

Cem mil dólares por hora?NOSSA...esse é o cara,rsrs
Esse homem é fodidamente fofo...

Aline said...

Parabéns novamente garotas!!Agora sério, eu tenho ciúmes da Leila!!Essa coisa de manter as músicas que ela colocou mesmo depois de 02 anos e meio sem estar com ela acaba comigo....Quero só ver como vai ser o capítulo que ele dá banho nela....Aff!!! Amo esta versão!! Eminé é muito talentosa e conseguiu captar a essência do Grey!! Ansiosa pelo próximo capítulo já.

Neusa Reis said...

Para todos que perguntam informo que estou tentando traduzir 2 a 3 capítulos por semana. Tem uns que demoram mais, são muito intensos ou têm informações sobre assuntos que eu desconheço e aí eu tenho que ir pesquisar para traduzir certo e não fugir da linha de pensamento da autora. Como hoje, por exemplo, capítulo VII, a teoria do Schumacher.
Eu realmente tive a mesma dúvida que você, Aline. Porque no iPod do Christian, depois de 2 anos e meio, ainda tem as músicas colocadas pela Leila?
Você pode nos responder esta pergunta, Emine?
Um grande abraço e não esqueçam de olhar os comentários dos capítulos anteriores porque há sempre respostas às perguntas de vocês.

Neusa Reis said...
This comment has been removed by the author.
Eminé Fougner @ Cowboyland said...

Olá senhoras!

The answer to the question regarding the songs on iPod actually a simple one. I'm on my 4th iPod, and I always purchase the "Classic iPod" because of it's storage capacity. Everything I purchased over the years (you either buy albums or singles), and I tend to buy singles more than albums, because I may not be that fond of the artist, but I may like one song from that album. iPod classic has 160 gigabytes of storage capacity, and can hold 40,000 songs. You see where I'm getting at with this.

So, everything I've purchased are on my iPod. It's a tedious process to go through and "take out" the songs or albums you got tired of. You just don't listen to it, that's all.

We know that Christian only has songs on his iPod. I have movies and books. But songs take less space and you can fit more number of songs. So, therefore reason #1 is it takes time, and effort to delete.

Reason #2 is Christian isn't like the rest of the community when it comes to exes. Why? Because we are assuming that once a couple separates, or breaks up and goes to their separate way, they're enemies, and they uproot each other and everything about them from their lives. Christian is not in that category of people. You must remember that he supported about 4 of his former subs to get back on their feet. Paid for medical school for one sub, and stopped supported only when she got another dom to take care of her. He's actually a very good guy. He feels responsible. He may not do anything with them other than his "humanitarian aid", but he doesn't go out of his way to erase their past with him either.

Reason #3 is he said "I quite like the song." So, someone else might have purchased it, and he may not have been too fond of the singer, but it grew on him, and he likes the song(s) now. So, these are the reason why he didn't go out of his way to delete the song, but he did add that if Ana finds it offensive, he can delete it.

Christian just operates on a different wavelength, that's all. Some of us would feel insecure of having something that reminded an ex. But then, we're women. He's a very unique man. He has his own insecurities, but when it comes to his exes, he never really was in love with them. It was a business arrangement with benefits, and Leila was one of the long term relationships. He got rid of the paintings she gave him, simply because he didn't like them. But he likes the songs, so, he kept the songs. You see how simple it is? If he likes the item, he keeps it. If he doesn't he gets rid of it regardless of who gave it to him to begin with.

Renata Santos said...

Eminé, amei sua explicação.

Como ele disse a Ana, ele é objetivo em suas questões, ele aprendeu a ser assim, devido a sua iniciação traumática a vida e até por ser um homem de negócios.

Mas tudo que ele conhece/pratica com a Ana não funciona, pois até então o que ele conhecia/praticava não envolvia emoções.
Quando estamos lidando com emoções fica impossível prever o próximo passo, pois independe de nós.

Assim como é a relação dele com a Ana, que depende mais dela do que dele.
Creio que se ele exercesse o controle/dominio sobre ela, talvez ela não despertasse esses sentimentos primitivos e desconhecidos, fazendo-o realmente ama-la a cada momento e afronta.

Neusa Reis said...

Pessoal, aí vai a tradução da explicação que a Emine deu sobre a pergunta da Aline, de qual a razão do Christian ter mantido no seu iPod as músicas que a Leila colocou, mesmo depois de tanto tempo.Eu tinha a mesma dúvida. No fundo, as coisas com ele são geralmente bem simples. A gente é que fica procurando complicar. Obrigada, Emine, pela gentileza de nos esclarecer.

"Olá senhoras!

A resposta para a pergunta sobre as músicas do iPod realmente é simples. Eu estou no meu 4º. iPod, e eu sempre compro o "iPod Classic" por causa de sua capacidade de armazenamento. Tudo que eu comprei ao longo dos anos (você pode comprar álbuns ou singles), e eu tenho tendência a comprar singles mais do que álbuns, porque eu posso não gostar tanto do artista mas eu posso gostar de uma música desse álbum. O iPod classic tem 160 gigabytes de capacidade de armazenamento, e pode armazenar 40 mil músicas. Você vê onde eu quero chegar com isso.
Então, tudo que eu comprei está no meu iPod. É um processo tedioso procurar e "tirar" as músicas ou álbuns de que você se cansou. Você simplesmente não ouve, isso é tudo.
Sabemos que o Christian só tem músicas em seu iPod. Eu tenho filmes e livros. Mas músicas ocupam menos espaço e você pode colocar maior número de canções. Então, portanto, razão # 1 é que leva tempo e esforço para apagar.
Razão # 2 é que Christian não é como o resto das pessoas quando se trata de ex. Por quê? Porque estamos assumindo que, uma vez que um casal se separa, ou rompe e vai cada um para seu caminho, eles são inimigos, e eles se arrancam pela raiz um do outro e tudo relativo a eles de suas vidas. Christian não está nesta categoria de pessoas. Você deve lembrar que ele apoiou cerca de 4 de suas ex-subs para voltar a caminhar com seus pés. Pagou pela escola de medicina de uma sub, e parou de apoiar apenas quando ela teve um outro Dom para cuidar dela. Ele é realmente um cara muito bom. Ele se sente responsável. Ele pode não conseguir fazer nada mais por ela a não ser a sua "ajuda humanitária", mas ele não sai do seu caminho para fazê-la apagar seu passado com ele também.
Razão # 3 é o que ele disse: "Eu gosto muito da música." Então, alguém pode ter comprado, e ele pode não ter sido muito apreciador do cantor, mas ele cresceu para ele, e ele gosta da música (s) agora. Portanto, estas são as razões pelas quais ele não se preocupou em apagar a música, mas ele acrescentou que, se Ana achasse ofensivo, ele podia apagá-la.
Christian apenas opera em um comprimento de onda diferente, é tudo. Algumas de nós se sentiria insegura de ter algo que lembrasse uma ex. Mas, então, nós somos mulheres. Ele é um homem único. Ele tem suas próprias inseguranças, mas quando se trata de suas ex, ele nunca foi apaixonado por elas. Foi um acordo de negócios com benefícios, e Leila foi um dos relacionamentos de longo prazo. Ele se livrou das pinturas que ela lhe deu, simplesmente porque ele não gostava delas. Mas ele gosta das músicas, assim, ele guardou as músicas. Vê como é simples? Se ele gosta do item, ele o mantém. Para começar, se ele não gosta, ele se livra dele, independentemente de quem deu."

Anonymous said...

Eminé, you're great! Congratulations!
Hugs!
Daniela Martins
;)

Anonymous said...

a tradução esta perfeita,estou na torcida pela tradução de todos os capítulos na integra.

Luxo da Lix said...

Por que nao consigo parar de ler?!? Isso e mais que bm, e ótimo!!!!

Anonymous said...

Gente!!! Estou amando!! Nao consigo parar de ler!!!
Ja li a outra versao 2x e agora ver como Christian pensa e sente... é demais!!
Muito obrigada pela tradução!! E ainda com o capricho e o cuidado de colocar as musicas!! MARAVILHOSO!!! Sou sua fa!!! Bjos

Daniela Martins said...

Lindo capitulo!
O que Ana tem que entender é o que todas nós, mulheres, devemos entender!
Mulheres têm mais facilidades de dizer abertamente e claramente "Eu te amo", enquanto homens nao! Eles dizem de outra forma e nós temos que aprender a ler as entrelinhas!
Voce colocou isto neste capitulo, Emine!
"Quero declarar meu amor a ela, mas isso é o melhor que posso fazer por agora. Eu sempre me expressei melhor com música. Eu me expressei em música e piano por dois anos antes de eu começar a falar novamente. Você pode me ouvir, Anastasia? Você pode sentir o quanto eu te amo? Eu olho para ela atentamente. Ela cora com o meu olhar e se vira para olhar para mim, boquiaberta. Um olhar interrogador em seu rosto. Meus olhos estão escuros, e intensos, desejando que ela entenda o amor que eu estou tentando passar para ela. Eu não sou bom nisso! Isso é novo para mim! Ela me olha, fascinada. Eu avanço para ela como um predador, no tempo da música. Ela olha para mim, meus pés descalços, camisa branca fora da calça e jeans e, finalmente, o seu olhar para no meu olhar ardente. O olhar reservado somente para ela."
Christian diz com gestos, agrados, musicas e presentes.
Simplesmebte perfeito!
Bjkas
Dani
;-)

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry