StatCtr

Tuesday, July 30, 2013

LIVRO III - Capítulo XVIII - Christian e Anastasia Fan-fiction




Back into the chamber turning, all my soul 

within me burning


Para dentro do quarto então voltando, toda a alma em mim ardendo.
O Corvo – Edgard Alan Poe
 Tradução: Fernando Pessoa


CAPÍTULO XVIII
Tradução: Neusa Reis




Uma das melhores coisas sobre o casamento é  quando você acorda completamente enrolado em torno de sua bela esposa como uma meia cheia de estática, tendo o conhecimento de que ela é sua, mesmo se você teve uma briga na noite anterior. Eu sinto sua mão gentilmente acariciando meu cabelo, e é extremamente relaxante. Minhas pálpebras ainda estão pesadas ​​de sono, e eu tenho que piscar algumas vezes para acordar. Percebo meu braço em volta da sua cintura, e as minhas pernas estão enroladas em torno das dela.

"Oi,” eu murmuro e sorrio para Anastasia.

"Oi,” ela responde com o sorriso radiante dela.

Eu mencionei que minha cabeça estava justo em seu peito nu? Eu suspiro e acaricio com o nariz seus seios,  com apreciação, gemendo profundamente. Minha mão viaja para baixo da sua cintura, e eu a roço sobre a bonita camisola de cetim.

Give me A Reason - Pink ft Nate Reuss

"Que petisco tentador você é,” murmuro. Eu a quero em cetins e sedas porque ela merece o melhor. "Mas embora você seja tentadora:"  Eu verifico a hora:  "Eu tenho que me levantar." Eu tenho uma reunião muito importante hoje. Pella veio de Londres, e se o meu conhecimento dele vale para alguma coisa, ele deve ter estado examinando as evidências e avaliando para dar-me um relatório. Eu finalmente me alongo, e me desembaraço do corpo sedutor da minha esposa, e levanto-me da cama. Anastasia deita para trás e coloca as mãos atrás da cabeça, me olhando me despir para o chuveiro. Eu estou lhe propiciando um espetáculo.

"Admirando a vista, Sra. Grey?"  Pergunto arqueando as sobrancelhas. Eu amo chamá-la Sra. Grey. Porque cada repetição deste título afirma e confirma que ela é minha esposa, minha. De Christian Grey!

"É uma visão bem poderosa, Sr. Grey,” ela responde.

Eu sorrio para ela, e juntando minhas calças de pijama, eu as jogo para ela e ela pega como um profissional, rindo alegremente. Irresistível! Eu salto pela nossa cama em poucos passos rápidos rindo, e puxo o edredom fora da cama. Colocando um joelho na cama, eu pego os tornozelos de Anastasia, e arrasto-a para mim, e sua camisola monta até a cintura revelando suas partes nuas. Ssiiimm! Anastasia começa  gritando e resistindo. Eu estou completamente ligado, com ela deliciosamente tentando me afastar. Eu amo isso! Eu rastejo sobre seu corpo, e começo trilhando beijinhos em seu joelho, na coxa, e no ápice de suas coxas. De repente, suas mãos estão no meu cabelo, me puxando, e suas pernas estão enroladas à volta do meu pescoço. E logo estamos perdidos um no outro.
  



****  *****

Quando tomamos nosso lugar na barra da cozinha,  tendo nos duchado e eu, vestido com uma camisa branca imaculada e minha gravata cinza-prateada muito favorita, a Sra. Jones cumprimenta nós dois.

"Bom dia, Sr. Grey. Bom dia, Sra. Grey." Sua saudação faz corar Anastasia. Por quê? Porque eu acabo de fodê-la? Ou é porque ela a pegou beijando Taylor? Talvez eu não queira saber...

"Bom dia," Anastasia responde enquanto a Sra. Jones lhe entrega seu habitual chá Twinings. Saco fora.

"Como você está, Sra. Grey?" Pergunto a  Anastasia com amor caloroso nos meus olhos.

"Eu acho que você sabe, Sr. Grey," ela responde timidamente, olhando para mim através de seus cílios. Sim, eu acredito que eu sei. Eu sorrio, "Coma,” eu ordeno.  "Você não comeu ontem." Ela me olha zombeteira.

"Isso é porque você estava sendo um asno,” diz ela, e a Sra. Jones está tão chocada ao ouvir o discurso de Anastasia, que ela deixa cair tudo o que ela tinha em sua mão na pia. O barulho estrondoso faz saltar Anastasia, mas eu estou completamente alheio ao ruído.

"Asno ou não. Eu quero que você coma! " Eu repito em um tom sério.

"Okay! Tudo bem... Pegando a colher, comendo granola,” ela murmura capciosamente, irritada comigo. Ela coloca um pouco de iogurte grego em cima da granola dela, em seguida, adiciona um punhado de blueberries. Eu a vejo olhar para a Sra. Jones e sorrir para ela calorosamente.

Quero lembrá-la de minha próxima viagem a Nova York. Eu realmente preciso que ela venha comigo. Eu não acho que é uma boa idéia um ser separado do outro logo após a nossa lua de mel. Ela deve estar ao meu lado.

"Talvez eu tenha que ir para Nova York no final da semana,” eu introduzo o assunto.

"Oh".

"Isso vai significar uma noite. Eu quero que você venha comigo." Pronto. Curto e direto ao ponto. Eu digo-lhe o desejo do meu coração.

"Christian, eu não vou tirar folga,” ela responde exasperada. Sério? Como ela pode dizer isso com uma cara séria quando eu sou o chefe do chefe do chefe e dono da empresa. Como é que ela não vai ter tempo de folga? Eu posso dar-lhe o tempo de folga que ela desejar. Eu fico olhando para ela, só para lembrá-la de quem é o chefe. Ela suspira em resposta.

"Eu sei que você possui a empresa, mas eu estive fora por três semanas. Por favor. Como você pode esperar que eu leve o negócio se eu não estou lá? Eu vou ficar bem aqui. Eu estou supondo que você vai levar com você Taylor, mas Sawyer e Ryan vão estar aqui...” diz ela depois que ela me vê rindo para ela de orelha a orelha. Isso não tem preço Sra. Grey. Eu adoro como ela racionaliza tudo. Eu sou o marido; nós  acabamos de casar! Nós devemos ficar juntos. Ela não deveria estar dando prioridade ao seu trabalho sobre mim.

Ela para e exclama para mim: "O quê?!"

"Nada. Só você,” eu respondo. Ela franze a testa para mim. Mas eu não quero estragar o nosso bom humor esta manhã. Seu rosto, em seguida, muda. "Como você está indo para Nova York?” ela consulta.

"No jato da empresa, por quê?"

"Eu só queria verificar se você estava pegando Charlie Tango,” diz ela, em voz baixa, levemente quebrando no final. Seu rosto empalidece, e eu percebo que a Sra. Jones já se acalmou e se aquietou na cozinha também.

"Eu não iria voar para Nova York em Charlie Tango. Ela não tem esse tipo de autonomia. Além disso, ele não vai estar de volta dos engenheiros por mais duas semanas," Eu a lembro. Ele também me faz lembrar, mais uma vez, de meu encontro com Pella, hoje.

"Bem, eu estou feliz que ele esteja quase pronto, mas...” diz ela parando novamente. Ela está muito nervosa, e eu relembro como ela estava, quando cheguei de volta, depois que  Charlie Tango desceu.

"O quê?" Eu pergunto baixinho, terminando meu café da manhã.

Sua resposta é apenas um encolher de ombros. Ela não pode dizer isso. Ela está muito preocupada.

"Ana?" Eu a questiono, resoluto.

"Eu só... você sabe. A última vez que você voou nele... Eu pensei, nós pensamos, que você... " ela murmura, sua voz embargada. Sua respiração acelera à medida que ela se volta para esse dia. Eu olho para ela com amor.

"Hey," eu digo acariciando seu rosto com as costas de meus dedos. "Foi sabotagem,” repito. O meu olhar escurece lembrando que o filho da puta que fez  a sabotagem ainda está foragido.

"Eu não poderia suportar perder você,” ela murmura.

"Cinco pessoas foram demitidas por causa disso, Ana. Isso não vai acontecer novamente."

"Cinco?” ela pergunta, e eu aceno com a cabeça com cara séria. Cinco trabalhadores incompetentes, porra!

Sua expressão muda, e então ela muda completamente o tópico.

"Isso me lembra. Há uma arma em sua mesa. "

Como é que cinco pessoas sendo demitidas lembram-na da arma na minha mesa? Ela diz em um tom tão acusatório, que isso me faz franzir a testa para este non sequitur. "É de Leila,” digo finalmente. (N.T. non sequitur - conclusão que não segue logicamente o argumento que a precede)

"Está totalmente carregada."

"Como você sabe?" Eu pergunto com uma carranca mais profunda. Eu não a quero brincando com uma arma e se machucando.

"Eu verifiquei ontem,” ela responde. Eu tenho que manter tudo trancado dela? Honestamente, ela é como uma criança! Eu não quero que ela se machuque.

"Eu não quero que você brinque com armas. Eu espero que você tenha colocado a segurança de volta."

Ela olha para mim piscando. Algo que eu disse faz com que ela olhe para mim pasmada. "Christian, não há segurança nesse revólver. Você não sabe nada sobre armas?” ela pergunta.

Agora é a minha vez de ficar estupefato. Claro que eu não sei nada sobre armas. "Uhm... não,” Eu respondo simplesmente.

Taylor está na entrada e discretamente tosse me lembrando do meu encontro que se aproxima. Concordo com a cabeça para ele.

"Temos que ir,” eu digo, e levanto-me. Eu coloco meu casaco cinza, distraído. Leila tinha uma arma sem segurança. Isso significa que ela estava planejando atirar seu caminho para fora do mundo. O pensamento me faz tremer internamente. Faço uma nota mental para verificar com Flynn para ter certeza que ela vai ficar em Connecticut e seguir seu tratamento. Então, o filho da puta do Hyde está lá fora. A sabotagem de Charlie Tango está pairando sobre minha cabeça ainda. Eu realmente tenho que ver Pella. Eu momentaneamente me pergunto por que ele entrou no negócio de investigação. Como ele ficou bom no que faz? Ele não precisa disso. Ele pode pagar o melhor, no entanto, ele é o melhor. Sua mão foi forçada nisso, como a minha está sendo forçada a isso agora?

Enquanto eu ando para o salão, saúdo Taylor. "Bom dia, Taylor."

"Bom dia, Sr. Grey, Sra. Grey," ele responde balançando a cabeça para nós dois, mas ele está desviando os olhos de Anastasia, provavelmente lembrando o encontro inesperado, fazendo aumentar o ciúme em mim. Eu tenho que ter certeza de que minha esposa não se desvia do quarto, com tão poucas roupas.

"Eu só vou escovar os dentes,” murmura Anastasia, e dardeja na direção do nosso quarto.

Quando entramos no elevador, Anastasia vira para mim e diz:  "Você devia pedir a Taylor para ensinar-lhe  a atirar”. Eu olho para ela por um tempo, divertindo-me com o seu sentimento. Se eu não eu não olhar uma arma pelo resto da minha vida seria ainda muito pouco. Eu acho que todas elas deviam ser removidas das ruas.

"Devo?" Pergunto secamente.

"Sim,” ela responde com fervor, de uma forma que só a filha de um soldado poderia.

"Anastasia, eu desprezo armas. Minha mãe curou muitas vítimas de crime de arma, e meu pai é veementemente anti arma. Eu cresci com sua ética. Eu apoio, pelo menos duas iniciativas de controle de armas aqui em Washington." N.T. Estado de Washington, cuja cidade mais importante é Seattle. A capital é Olympia)

"Oh,” diz ela remoendo o que eu tinha acabado de declarar. "Taylor carrega uma arma?” Ela pergunta mudando de tática. Ele pode carregar uma arma em alguma ocasião, mas isto é completamente contra o meu melhor julgamento. Eu tenho que relutantemente concordar com ele, porque Taylor é o meu melhor cara da segurança, e eu tenho que dar-lhe uma folga, por vezes,  e deixá-lo exercer seu melhor julgamento; como quando eu lhe permiti carregar uma arma durante nosso casamento. Minha boca se afina severamente relembrando, e eu só consenti porque Taylor é um profissional treinado, ex-militar, e ele passou boa parte de sua vida aprendendo a lidar cuidadosamente com armas.

"Às vezes,” eu respondo a Anastasia monossilábico.

"Você não aprova?" Ela me pergunta, com os olhos arregalados, enquanto eu a apresso a sair do elevador no andar térreo.

"Não,” respondo, ainda de lábios apertados. "Vamos apenas dizer que Taylor e eu mantemos uma visão muito diferente no que diz respeito ao controle de armas." Só porque eu sei que Taylor pode lidar com armas, e ele é treinado nelas, não significa que eu as aprove. Eu mantenho a porta do hall de entrada aberta para ela e dirijo-me para o seu carro. Enquanto Sawyer mantém aberta a porta para nós, para subirmos, ele nos dá um sorriso agradável.

Uma vez que estamos no veículo, Anastasia alcança e segura minha mão com força, "por favor,” ela pronuncia.

"Por favor, o quê?" Pergunto tenso depois da nossa conversa.

"Aprenda a atirar."

Deus! Ainda vamos continuar com essa discussão? "Não! Fim da discussão, Anastasia, " Eu a repreendo. Por que estamos brigando por isso? É uma diferença de opinião, uma opinião em que eu acredito firmemente. Anastasia abre a boca para refutar, mas sabiamente fecha-a novamente. Percebo que Taylor também está nos olhando no espelho retrovisor e levemente balança a cabeça, enquanto  ele se concentra na estrada.

Eu viro minha cabeça e olho para fora da janela, quando Anastasia pergunta: "Onde está Leila?" Viro para olhar para ela. Por que ela está perguntando isso?

"Eu disse a você. Ela está em Connecticut com seus pais ".

"Você checou? Afinal de contas, ela tem cabelos longos. Poderia ter sido ela dirigindo o Dodge ".

"Sim, eu verifiquei. Ela está matriculada em uma escola de arte em Hamden. Começou esta semana,” eu respondo, voltando-me para olhar pela janela.

"Você falou com ela?” Ela pergunta em um sussurro horrorizado. Eu giro minha cabeça para o tom de sua voz. Todo o sangue drena do rosto de Anastasia como se eu dissesse que seu cachorro morreu. Será que ela pensa que eu a chamo regularmente?

"Não. Flynn,” eu respondo. Eu procuro seu rosto. Incomoda-a que Flynn a contate? Eu tenho que manter o controle sobre ela para que eu possa manter Anastasia segura aqui.

"Entendo,” ela murmura.

"O quê?"

"Nada,” responde ela. Eu dou um suspiro exasperado. Quando uma mulher... não, deixe-me corrigir isso, quando minha mulher, minha Anastasia diz 'nada', nunca é apenas nada. Isso significa que ela está escondendo alguma coisa.

"Ana. O que é?" Ela encolhe os ombros. Eu procuro seu rosto, e agora eu posso reconhecer os sinais indicadores de seu ciúme. Lembro-me das brigas de Elena. Ela tem o mesmo olhar. Ana está com ciúmes.

"Estou mantendo controle sobre ela, verificando que  ela fique do seu lado do continente. Ela está melhor, Ana," Eu tento acalmá-la. "Flynn recomendou-a a um psiquiatra em New Haven, e todos os relatórios são muito positivos. Ela sempre teve interesse pela arte, então... " eu digo e eu já disse muito. Ela vai saber que eu estou pagando por suas despesas. Mas, não tem nada a ver como eu me sinto por Ana. É essa culpa, essa sensação que eu tinha alguma coisa a ver com ela surtar, e eu sinto um senso de responsabilidade que deveria ser eu a cuidar de suas necessidades, até que ela possa voltar a andar com seus pés. É apenas a minha expiação!  Ela suspira e se distancia de mim emocionalmente. Eu não posso suportar isso. Eu alcanço a mão dela, e aperto-a na minha.

"Não se preocupe com isso, Anastasia,” murmuro, apertando-lhe a mão tranquilizadoramente. Há apenas uma mulher para mim. Ela está aqui comigo neste carro. Ela procura o meu rosto, e vê a sinceridade na minha expressão e, finalmente, retorna um aperto reconfortante.


****  *****

"Segure o elevador,  Grey!" Eu ouço o meu nome gritado. Tanto Taylor como  eu nos voltamos para a voz  ao mesmo tempo. Os olhos de Alex Pella brilham para mim, refletindo seu bom humor, enquanto ele chega até nós com seu próprio segurança Anthony Decimus,  em passos confiantes, quase arrogantes. Ele tem um olhar ardente que é quase idêntico ao meu, no qual eu reconheço outro homem poderoso. Não é um rival, mas um amigo raro. Nós dois exalamos a mesma magnitude de tangível, incessante, eletrizante poder o que leva ao comando de qualquer grupo de pessoas ou lugares.

"Ótimo vê-lo, Pella!" Eu digo estendendo minha mão. Ele sempre teve este jeito incomum de apertar as mãos comigo; seus apertos de mão são mais um aperto de  antebraço. Sempre foi dessa maneira. Nós estivemos na mesma equipe de remo em Harvard, e seu raciocínio era: "cumprimentos de antebraços são mais higiênicos."  Eu pensei que era o caso para ele, uma vez que eu tinha meus motivos de não ser tocado até que eu assisti a um especial jogo de futebol que ele estava participando. O campo estava enlameado depois da chuva, e um jogador, em particular, teve a infelicidade de ter a bola de futebol aterrissando em seu rosto, quebrando seu nariz e ele limpou o sangue em seus braços. Pella puxou-o para fora do campo e depois de verificar seu amigo, deu-lhe um aperto de antebraço sobre o braço lamacento e sangrento.

"Qual é o problema com cumprimentar os antebraços? É evidente que não é com a higiene que você está preocupado, " eu o encurralei na época. Ele era outro solitário, como eu,  de uma certa maneira, mas manter as pessoas distantes foi sua escolha pessoal, como foi a minha. Ele deu de ombros então.

"Chame-o de hábito. Essa é a única maneira de um verdadeiro homem apertar a mão. Os vikings, hunos, vaqueiros, os antigos Romanos e Gregos, os Cavaleiros da Távola Redonda... Inferno, até mesmo as tropas que invadiram a Normandia! Claro, eu também sou um montanhista. Se você adquirir o hábito de cumprimentar com o antebraço, você não tem que pensar duas vezes sobre como salvar um alpinista caindo. Você o agarra no antebraço,” disse ele.

Sacudindo as memórias para longe, eu sorrio para ele.

"Ótimo vê-lo assim tão bem, Grey," ele diz e faz com firmeza seu cumprimento do antebraço e libera meu braço. Ele cumprimenta Taylor e Taylor acena com a cabeça, "Sr. Pella. Prazer em vê-lo, senhor."

"Eu suponho que você ainda está na escalada,” eu digo ironicamente após o cumprimento de antebraço.

"Eu estou. Recentemente voltei do K2,” ele responde e entramos no elevador. (N.T. O K2  é uma montanha da Cordilheira de Karakoram da cadeia do Himalaia. É o segundo pico mais alto do mundo, depois do Monte Everest. Tem uma altitude  de 8611 metros. Tem 302 ascensões e 80 mortes, a proporção mais alta do mundo. Apesar do Everest ser mais alto, K2 é muito mais letal).

"K2? Impressionante! Não é uma montanha com uma alta taxa de morte de alpinistas?" Eu pergunto. Ele sorri em resposta.

"Para cada quatro alpinistas que chegaram ao cume, um morreu tentando."

"Bem, então tome cuidado. Eu não gostaria de saber que você foi o infeliz quinto escalador."

"Sempre sou,” diz ele sorrindo e muda de assunto. "Eu acredito que tenho que lhe dar os parabéns. Desejo-lhe uma vida de felicidade com a Sra. Christian Grey."

"Obrigado," eu digo e calorosamente sorrio com o reconhecimento respeitoso de Anastasia como minha esposa. A porta do elevador ‘ding’ aberta. Taylor e o homem da segurança de Pella mantem as portas enquanto saímos do elevador. Tanto Andrea como Olivia saltam para seus pés. Vendo o meu rosto sorridente, eu juro que ambas dão um suspiro de alívio.

Andrea recompõe-se em primeiro lugar.

"Bom dia, Sr. Grey. Bem-vindo ao GEH, Sr. Pella, Sr. Decimus,” ela diz e se vira para mim. "Vamos levar os seus convidados para a sala de reunião, senhor? Sr. Welch e Barney já estão esperando por você lá. "

"Sim, obrigado, Andrea,” eu respondo. Olivia salta e leva-os para a sala de reunião.

 "Aliás. grande corte de cabelo, Sr. Grey," diz Andrea me paralisando. Eu nunca fui elogiado pelo meu cabelo antes.

Eu franzo a testa, e "obrigado,” murmuro, agradavelmente surpreendido. Andrea vai até a minha agenda para o dia,  no meu escritório, e entrega-me os documentos que Welch deixou para mim para rever antes da reunião. Olho para eles, e tomo algumas notas e aceno com a cabeça para Taylor, enquanto nos dirigimos para a sala de reunião. Olivia está voltando da sala de reunião com uma bandeja vazia. Ela sorri, "belo corte de cabelo, Sr. Grey,” ela cumprimenta. Sinto um sorriso imperceptível nos lábios de Taylor.

Quando Taylor abre a porta para a sala de reunião, Welch, Barney e Pella estão sentados ao redor da mesa, enquanto Decimus está parado, em posição de descanso, em um canto da sala, olhando para frente.

A grande tela plana na parede ganha vida após todos se cumprimentarem uns aos outros.

"Nós temos confirmado, até agora, que Jack Hyde é o homem por trás do incêndio criminoso da Grey House," Welch diz. Uma imagem granulada dele aparece na grande tela, congelada. Uma vez que a imagem está muito aumentada, parece digitalizada, e não muito clara. A Sra. Grey o identificou, e nosso próprio software de reconhecimento facial confirma que é na verdade Jack Hyde. A polícia foi até agora informada de que Jack Hyde foi identificado através do software de reconhecimento de rosto, mas, devido à margem de erro de 20%, a polícia irá verificar seu paradeiro, olhar seu apartamento, mas na medida em que um mandado de prisão está envolvido, eles precisam de algo mais do que uma imagem granulada; uma evidência mais concreta que o ligue ao incêndio criminoso. O melhor que podem fazer é verificar para ver se ele está em seu apartamento, e se ele estiver, tudo o que eles poderiam fazer é detê-lo para interrogatório. Mas, uma vez que já sabemos que ele não vai ser encontrado lá, eles não vão ser de muita ajuda. E o Sr. Pella seguirá daqui...” ele diz e se vira para Alex.

Alex levanta na sua considerável altura, graciosamente, como um predador. Ele se move em volta de sua cadeira calmamente.

"Se os senhores não se importam,” diz ele e tira o paletó. Ele fica com sua camisa branca imaculada e, cuidadosamente, coloca seu casaco azul marinho, feito sob medida,  em torno de sua cadeira. Ele tira suas abotoaduras e coloca-as no bolso da calça e vira as mangas.

"Nós tivemos uma longa noite reunindo algumas das peças do puzzle, mas uma imagem geral começa a surgir,” diz ele sorrindo, e ele aparenta ter tido ininterruptas oito horas de sono. Ele toma um gole de café preto, sem açúcar, e, em seguida, coloca a xícara de volta no descanso.

"O nosso foco, neste momento, é este homem,” ele diz e aponta para a tela com uma ponteira laser. "Jack Hyde. Esta é a imagem de seu arquivo de funcionário da SIP. Analisamos cuidadosamente seu apartamento e tivemos atenção cuidadosa para não perturbar qualquer evidência, no entanto, nós  recolhemos tudo o que pudemos e fizemos imagens e vídeos de seu apartamento,” diz ele, e o vídeo de um apartamento sujo aparece na tela. Ele se parece exatamente com o que Welch tinha descrito na noite passada.

"Claramente, este homem está com raiva,” diz ele e uma imagem de garrafas de uísque quebradas pelas paredes e manchas de bebidas secas nas paredes aparecem. Outra imagem de cabos coaxiais arrancados das paredes energicamente, de tal maneira que o gesso também foi rasgado expondo parafusos atrás. Há imagens de paredes socadas com manchas de sangue sobre elas.  "Mas ele também está calculando. Ele fez um esforço para desocupar suas instalações, porque ele esperava que alguém pudesse farejar seu rastro. Ou seja, Welch e eu..."

"Mas, não acreditamos que ele seja o único, senhor,” diz Welch soltando a bomba.

"O quê?"

"Deixe-me corrigir o que Welch disse,” diz Alex olhando incisivamente para Welch. "A conclusão que chegamos é que ele é o criminoso e o mandante, mas ele não pode consegui-lo sozinho. Ele teve que ter ajuda. Ele retirou todo o seu dinheiro há quatro semanas. Ele tem cerca de oito mil dólares. Ele precisa viver em algum lugar, ele precisa comer, ele precisou alugar o Dodge que ele está usando, ou roubá-lo. Subitamente todas as atividades de telefonia de seus celulares confiscadas. Ou ele só saiu da face da terra ou ele está usando alguém para fazer o seu trabalho. Claramente, ele não tem sido um homem adorável. Então a opção é alguém dever muito a ele e lhe fazer um enorme favor está fora. Ele está chantageando alguém para conseguir algum trabalho seu feito...” ele diz e olha para mim.

"Duas perguntas: Como você pode ter certeza absoluta de que ele é o mandante? E quem ele estaria chantageando? "

Pella olha Welch, e concorda com a cabeça.

"Como vocês sabem, Hyde tinha condenações em Detroit como menor. Seus registros estão lacrados, mas, pedimos alguns favores e suas digitais combinam com a parcial de Charlie Tango." Eu imediatamente me inclino para frente.

"O quê?"  Eu fervo de raiva. "Eu suspeitava disso após sua identificação no domingo, mas agora que está confirmado, podemos informar a polícia que ele é de fato o criminoso, e isso prova que ele tentou matar a mim e a Ros Bailey!"

"Não exatamente meu amigo,” diz Pella levantando  as mãos.

"Que diabos você quer dizer com não exatamente?" Eu dirijo a intensidade do meu olhar glacial para Pella. "As digitais combinam com a parcial. O que mais eles precisam? "

Ele coloca as duas mãos sobre a mesa e inclina-se com o olhar igualando o meu.

"Você está muito precipitado, Grey. Os meios que usamos para verificar seus registros não são exatamente legais. Uma vez que um registro juvenil está lacrado, ele não pode ser aberto novamente sem a permissão do indivíduo, ou a morte dele ou dela. Processos judiciais lacrados serão tratados como se nunca tivessem ocorrido. A única resposta que iremos conseguir é 'não temos registros sobre este assunto’.”

"Então, nós apenas sentamos e giramos os dedos enquanto a minha família está em perigo? Eu não vou permitir isso!"  Eu sibilo através de dentes cerrados.

"Não é bem assim, e eu não esperaria nada menos de você,” diz ele com um sorriso satisfeito. "Eu falei com um colega no departamento de polícia, cobrando um favor, para ter os registros lacrados de Hyde verificados. Quando se trata de crimes, a idade chave é de 14 anos  em registros juvenis. Hyde roubou um carro duas semanas após seu décimo quarto aniversário, e tinha o registro lacrado há alguns anos. Você vê, no grande estado de Michigan, roubo qualificado de auto é um crime. Para tanto o registro deve ser lacrado após a idade de 14 anos, a renúncia do Ministério Público tem que ser exercida no momento. Não foi o seu primeiro grande roubo de carros. Foi uma acusação posterior. Eu encontrei a brecha para fazê-los comparar as impressões. Mas a parcial ainda não é suficiente para a condenação,” diz ele severamente. "Ela só torna Hyde uma pessoa de interesse".

"Quem, então, está ajudando e  sendo cúmplice de um criminoso como Hyde?"

"Ahhh... E essa é a pergunta do milhão de dólares, não é? Quem é que tem tanta coisa em jogo? E o que ele sabe sobre ele ou ela? Welch e seus homens vão checar seus conhecidos. Sua ex-PAs são um beco sem saída até o momento. Welch já as entrevistou, e elas estão todas em silêncio mortal... Uniformemente em silêncio com a mesma porra de história! Quando todo mundo lê o mesmo roteiro, é a assinatura de uma mentira. Os homens de Welch vigiaram todas as PAs. Ele não está ficando com nenhuma delas. Mas estou disposto a apostar que ele tem olhos e ouvidos por perto,” diz ele, e esta revelação traz meus nervos em alerta máximo.

"Hyde simplesmente não sumiu da face da terra! Onde ele está?" Pergunto ao redor da sala.

"Estou periodicamente fazendo a varredura das câmeras da cidade, senhor, e o software de reconhecimento facial está funcionando constantemente. Nenhuma pista até agora,” diz Barney pela primeira vez.

"Todas as medidas de segurança que você colocou em prática são as que eu teria recomendado. A única coisa que eu gostaria de acrescentar a isso é que qualquer informação que você tenha sobre esta investigação deve ser mantida em  segredo absoluto; não deve ser compartilhada com outra pessoa que não a polícia. Precisa saber, apenas. Dessa forma, o vazamento de informações pode ser prevenido, e nada vai chegar aos ouvidos de Hyde se ele tem amigos em seus círculos, ou círculos de sua família,” diz ele, e eu sei que ele está se referindo aos círculos de trabalho de Anastasia. Bem, ‘necessita saber?’ é o meu lema, e até o momento, Ana não precisa saber. Quanto menos ela sabe, menos ela vai se preocupar, e melhor eu posso protegê-la.

A reunião prossegue por mais trinta minutos. Quando acaba, eu sinto uma sensação de controle. Estou pegando as rédeas de volta em minhas mãos novamente as quais eu sentia que estavam  perdidas e me deixando louco recentemente. Agora, eu sei quem é o criminoso. Todos os agentes de segurança estão cientes de sua descrição. O inimigo tem um rosto. Mas as questões levantadas por Pella trazem uma idéia desagradável também. Jack tem um cúmplice ou cúmplices. Rostos desconhecidos. Nós ainda temos que ser vigilantes. Muito vigilantes. Os movimentos devem ser coordenados com a segurança também. Especialmente Anastasia e ela não vai gostar disso.

Pella aperta minha mão da maneira habitual em seu caminho para fora.

"Obrigado por ter vindo em tão curto prazo. Envie-me sua conta."

"Não se preocupe com isso. Já está incluída na primeira página do relatório,” diz ele rindo.

No momento em que eu volto para o meu escritório, eu abro o relatório que  Pella me deu para ver o que ele está me cobrando. Ele não estabeleceu taxas. Este deveria ser um desvio muito caro. O que eu vejo na primeira página me faz sorrir. O papel que ele escreveu sua nota tem o logotipo da minha empresa. Ele escreveu isso quando Welch estava encerrando a reunião!

"Bem Grey, eu não pude comparecer ao seu casamento, e seu presente se perdeu no correio. Mas, então, talvez não. Considere esta visita um presente de casamento meu amigo. Afinal, não há presente maior do que a segurança da família de um homem.

Oh, eu também tenho esse pedaço de rocha para você como um símbolo que eu recentemente obtive e estive carregando por aí desde então. Eu gostaria de passá-lo para você como um lembrete, talvez. Inexpressivo eu sei, mas se você considerar de onde ele veio, ele ganha todo o seu valor de volta; na verdade todo o caminho até o cume do K2! Lidando com as encostas mais íngremes e mais geladas, neve, avalanches, rochas, o clima imprevisível, a subida mais traiçoeira,  a qual reduz significativamente a vida útil de qualquer alpinista,  K2 é mais mortal do que o Everest. Ela é o santo graal do montanhismo,  tornando este pequeno pedaço de rocha, um dos meus mais importantes bens adquiridos recentemente. Porque é a prova de que durante uma situação de vida ou morte, eu dominei meus sentidos ouvindo meu ambiente, conquistando os meus medos, sobrevivendo ao desconhecido, e às provações imprevisíveis. Você sabe,  Grey, o valor de sua pedra é realmente significativamente maior, porque todos os membros do meu grupo de escalada sobreviveram e subiram um cume com quase 30% de taxa de mortalidade. Isso apesar do fato de que nós tivemos que transportar três dos alpinistas muito feridos e salvar suas vidas ao mesmo tempo em que colocávamos a nossa própria em perigo. Então, isto significa o dom da vida no final de um desafio o que eu estou passando agora para você. Parabéns meu amigo!

Alex "

Eu pego a fina rocha com pontas irregulares,  agora preservadas em acrílico fino. Eu a examino de perto, e vejo uma impressão digital sangrenta sobre ela me fazendo perguntar-me a quem pertenceria. No outro lado da rocha está levemente escrito a mão com lápis: "13 foram até o cume. 13 desceram do cume."

Eu o coloco na minha mesa, fazendo uma nota mental para mandar fazer um pequeno display. De repente eu estou com saudades de minha esposa, sua presença. Escrevo-lhe um e-mail:
___________________________________________________
 De: Christian Grey
Assunto: Bajulação
Data: 23 de agosto de 2011 09: 54
Para: Anastasia Grey


Sra. Grey

Recebi três elogios sobre o meu novo corte de cabelo. Elogios da minha equipe é novidade. Deve ser o sorriso ridículo que estou usando sempre que eu penso sobre a noite passada. Você é realmente uma maravilhosa, talentosa, linda mulher. E toda minha.

Christian Grey
CEO, Grey Enterprises Holdings Inc.
___________________________________________________

Ela não responde de imediato, e eu mergulho no trabalho. Há muitas coisas para realizar antes de eu ir para Nova York. Sua mensagem ‘ping’ em cerca de uma hora.
___________________________________________________
 De: Anastasia Grey
Assunto: Tentando me concentrar aqui.
Data: 23 de agosto de 2011 10: 48
Para: Christian Grey

Sr. Grey

Estou tentando trabalhar e não quero ser distraída com lembranças deliciosas. Agora é a hora de confessar que eu costumava cortar o cabelo de Ray regularmente? Eu não tinha idéia de que esse treinamento seria tão útil. E sim, eu sou sua e você, meu querido marido arrogante que se recusa a exercer o seu direito constitucional no âmbito da segunda emenda de portar armas, é meu. Mas não se preocupe, porque eu vou lhe proteger. Sempre.

Anastasia Grey
Editora de Comissionamento, SIP

(N.T. A Segunda Emenda à Constituição dos Estados Unidos é um fragmento da Constituição deste país: "Sendo necessária à segurança de um Estado livre a existência de uma milícia bem organizada, o direito do povo de possuir e usar armas não poderá ser impedido."
___________________________________________________

Eu não posso imaginar minha esposa como uma mulher de armas em punho. Uma cowgirl normal!
___________________________________________________
 De: Christian Grey
Assunto: Annie Oakley
Data: 23 de agosto de 2011 10: 53
Para: Anastasia Grey

Sra. Grey

Estou muito contente de ver que você falou com o departamento de TI e mudou o seu nome.  : D
(N.T. TI - Tecnologia da Informação)
Vou dormir seguro na minha cama, sabendo que minha esposa arma-em-punho dorme ao meu lado.

Christian Grey
CEO & Hoplophobe, Grey Enterprises Holdings Inc.

(N.T. Hoplofóbico – que tem medo ou aversão a armas)
(N.T. Annie Oakley foi uma artista do famoso show do Oeste Selvagem de Buffalo Bill, provavelmente a primeira estrela artística dos Estados Unidos da América. Em seu show ela mostrava sua destreza com as armas. Usava um rifle calibre 22. Sua vida e as lendas a seu respeito foram objeto de filmes, musicais, séries de TV e quadrinhos.)  
___________________________________________________
 De: Anastasia Grey
Assunto: Palavras longas
Data: 23 de agosto de 2011 10: 58
Para: Christian Grey

Sr. Grey

Mais uma vez você me deslumbra com sua destreza lingüística. Na verdade, sua destreza, em geral, e acho que você sabe a que eu estou me referindo.

Anastasia Grey
Editora de Comissionamento, SIP
___________________________________________________
 De: Christian Grey
Assunto: Gasp!
Data: 23 de agosto de 2011 11: 01
Para: Anastasia Grey

Sra. Grey, você está flertando comigo?

Christian Grey
Chocado CEO, Grey Enterprises Holdings Inc.
___________________________________________________
De: Anastasia Grey
Assunto: Você prefereria. . .
Data: 23 de agosto de 2011 11: 04
Para: Christian Grey

...que eu flertasse com outra pessoa?

Anastasia Grey
Corajosa Editora de Comissionamento, SIP
___________________________________________________

Sim, você está muito corajosa Sra. Grey! Esta observação merece claramente uma palmada! Ela é realmente tão obtusa de que eu sou um homem possessivo, ou ela está tentando me irritar?
___________________________________________________
 De: Christian Grey
Assunto: Grrrrr
Data: 23 de agosto de 2011 11: 09
Para: Anastasia Grey

NÃO!

Christian Grey
Possessivo CEO, Grey Enterprises Holdings Inc.
___________________________________________________
De: Anastasia Grey
Assunto: Uau. . .
Data: 23 de agosto de 2011 11: 14
Para: Christian Grey

Você está rosnando para mim? Porque isso é meio que quente.

Anastasia Grey
Contorcendo-se (num bom sentido) Editora de Comissionamento, SIP
___________________________________________________

Merda! Ela está brincando comigo! Ela tem um escritório próprio, e as portas trancam. Talvez eu possa visitá-la hoje.
___________________________________________________
 De: Christian Grey
Assunto: Cuidado
 Data: 23 de agosto de 2011 11: 16
Para: Anastasia Grey

Flertando e brincando comigo, Sra. Grey? Posso fazer-lhe uma visita esta tarde.

Christian Grey
CEO Priápico, Grey Enterprises Holdings Inc.
___________________________________________________
 De: Anastasia Grey
Assunto: Oh Não!
Data: 23 de agosto de 2011 11: 20
Para: Christian Grey

Vou me comportar. Eu não gostaria que o patrão do patrão do meu patrão ficasse em cima  de mim no emprego.  ;)   Agora, deixe-me continuar com o meu trabalho. O patrão do patrão do meu patrão pode chutar minha bunda para o olho da rua.

Anastasia Grey
Editora de Comissionamento, SIP
___________________________________________________

Porra! Acho que cuspi todo o meu café no meu monitor! O que eu não faria com essa bunda agora mesmo!
___________________________________________________
 De: Christian Grey
Assunto: & *% $ & * & *
Data: 23 de agosto de 2011 11: 23
Para: Anastasia Grey

Acredite em mim quando eu digo que há muitas coisas que gostaria de fazer com a sua bunda agora. Chutar não é uma delas.

Christian Grey
CEO & Homem Bunda, Grey Enterprises Holdings Inc.
___________________________________________________
De: Anastasia Grey
Assunto: Vá embora!
Data: 23 de agosto de 2011 11: 26
Para: Christian Grey

Você não tem um império para cuidar?
Pare de me incomodar.
Meu próximo compromisso está aqui.
Achei que você fosse um homem de peito. . .
Pense sobre minha bunda, e eu vou pensar sobre a sua. . .

ILY x

Anastasia Grey
Agora Úmida Editora de Comissionamento, SIP
___________________________________________________

Cedo na manhã de quinta-feira eu estou de pé às 4h00,  rapidamente tomo meu banho e me visto para sair com Taylor. Anastasia ainda está dormindo. Eu a vejo dormir, e, lentamente, acaricio seu cabelo e, em seguida, inclino-me e a beijo suavemente. Depois do café da manhã, Taylor e eu saímos para ir para o aeroporto. Eu rapidamente digito um e-mail para Anastasia no caminho para o aeroporto. Estou inquieto, porque esta é a primeira vez que vamos dormir separados desde o nosso casamento. A única vez que dormimos separados desde que ela se mudou para o apartamento foi na noite antes do nosso casamento.
___________________________________________________
 De: Christian Grey
Assunto: Já com saudades
Data: 25 de agosto de 2011 04: 32
Para: Anastasia Grey

Sra. Grey

Você estava adorável esta manhã.
Comporte-se enquanto eu estiver fora.
Eu amo você.

Christian Grey
CEO, Grey Enterprises Holdings Inc.
___________________________________________________

Stephan e seu co-piloto Beighley estão de pé na cabine do comando prontos para me cumprimentar. Eu me acomodo, e digo a Taylor que eu vou dormir por algumas horas. Eu não dormi muito na última noite sabendo que eu ia passar um tempo separado de Anastasia, e nós não dormimos muito na cama. Stephan disse que o vôo vai demorar cerca de seis horas e quatro minutos. Isso deve me dar muito tempo para descansar.

Depois de quatro horas de sono, eu me sinto descansado, mas não tão bem descansado como quando eu durmo ao lado de Anastasia. Eu pego minha maleta e vou para a área de estar, para passar os olhos sobre alguns documentos e ter algo para beber. Taylor está sentado em uma cadeira e lendo um livro de Louis L'amour. (N.T. Louis L'Amour, pseudônimo de Louis Dearborn LaMoore  foi um escritor americano de ficção, principalmente histórias do velho oeste. Muitas de suas histórias foram transformadas em filmes).

"Sr. Grey,” ele acena com a cabeça cumprimentando.

"Taylor," Eu aceno. Eu reviso os detalhes da reunião, e tomo notas no meu laptop enquanto a aeromoça nos serve o almoço e refrescos. No momento em que a aeromoça pega os restos de nosso almoço, ouvimos a voz de Stephan no sistema de comunicação do jato.

"Boa tarde. Aqui é o seu capitão falando. Devido a alguma turbulência inesperada, nós só vamos poder pousar no aeroporto JFK com quinze minutos de atraso,  no horário local 13:32 h."

Assim que pousamos em JFK, e ainda parado na pista, eu ligo meu Blackberry e encontro a resposta de Anastasia ao meu anterior e-mail.
___________________________________________________
 De: Anastasia Grey
Assunto: Comporte-se você!
Data: 25 de agosto de 2011 09: 03
Para: Christian Grey

Deixe-me saber quando você aterrissa, vou me preocupar até você fazê-lo.
E vou me comportar. Quero dizer, quanto problema eu posso ter com Kate?

Anastasia Grey
Editora de Comissionamento, SIP
___________________________________________________

O que ela vai fazer com Kate? E por que ela não me disse que ela ia fazer algo com ela? Por que ela sempre espera até que tenhamos alguma distância entre nós até que ela revele algo?

Eu disco imediatamente para seu telefone de trabalho.

"Ana St... Grey," ela responde me fazendo sorrir. Ainda se acostumando com o meu nome.

"Oi,” eu digo com uma voz suave e calorosa.

"Oi! Como foi o seu vôo?” Ela responde em uma voz expressando não só seu alívio como sua alegria. Ela deve estar rindo.

"Longo. O que você vai fazer com a Kate?" Pergunto indo direto ao ponto. Eu quero saber se Kate está vindo para o apartamento.

"Estamos apenas saindo para uma bebida tranquila,” ela responde. Eu imediatamente fico tenso. Eu não quero que ela saia. Por que ela não me disse antes de eu sair? Não é seguro para ela quebrar o protocolo logo depois de eu ter passado por todos esses novos protocolos de segurança. Há perigo lá fora, e eu disse a ela que, por enquanto, todos nós devemos seguir os protocolos prescritos. Eu não digo nada. Ela continua.

"Sawyer e a nova mulher... Prescott... estarão vindo para cuidar de nós,” ela responde.

"Eu pensei que Kate estivesse vindo para o apartamento."

"Ela está atrás de uma bebida rápida,” ela responde e eu suspiro pesadamente. Ela sempre esconde o que ela quer fazer. Ela tem feito isso desde que ela me conheceu. Ela esperou até que ela chegasse à Geórgia para me dizer o que sentia, a sua mudança de nome, e agora isso...

"Por que você não me contou?" Pergunto com uma voz muito calma, muito controlada.

"Christian, nós vamos ficar bem. Tenho Ryan, Sawyer e Prescott aqui. É só uma bebida rápida." Ela ainda está tentando negociar. Ele está quebrando o protocolo. Ela precisa seguir as regras até que Jack e seus possíveis cúmplices estejam presos. Eu não confio em mim mesmo para dizer qualquer coisa sem perder o controle, e eu não estou em Seattle para configurá-lo direito. Eu respiro profundamente, contando até dez. Dez... nove... oito... sete... seis... cinco... quatro...

"Eu só a vi algumas vezes desde que você e eu nos conhecemos. Por favor. Ela é minha melhor amiga."

"Ana, eu não quero separá-la de seus amigos. Mas eu pensei que ela estava vindo para o apartamento."

"Tudo bem,” diz ela com petulância, aquiescendo. "Nós vamos ficar no apartamento."

"Somente enquanto esse lunático estiver aí fora. Por favor."

"Eu disse que tudo bem,” ela murmura exasperada. Quando ela relutantemente aquiesce, ela sempre rola os olhos.

Eu rosno sabendo disso. "Eu sempre sei quando você está rolando seus olhos para mim."

Ela franze a testa para o telefone: "Olhe, desculpe. Eu não queria preocupá-lo. Vou dizer a Kate."

"Bom,” eu dou um suspiro de alívio. Eu só vou ficar fora por um dia. Ela deve ser capaz de gerir um dia, mas é de Anastasia que estamos falando.

"Onde você está?"

"Na pista do JFK."

"Ah, então você acaba de desembarcar,” diz ela. Claro que acabo de desembarcar. Ela me pediu para chamá-la assim que desembarcasse. Tenho a intenção de atendê-la.

"Você me pediu para ligar no momento em que desembarcasse."

"Bem, Sr. Grey, eu estou contente que um de nós é meticuloso,” diz ela me fazendo rir.

"Sra. Grey, o seu dom para a hipérbole não conhece limites. O que eu vou fazer com você? "

"Eu tenho certeza que você vai pensar em algo criativo. Você costuma fazer,” diz ela com uma voz sedutora.

"Você está flertando comigo?"

"Sim." Sua resposta descarada me faz sorrir.

Ouço a tosse discreta de Taylor atrás de mim.

"É melhor eu ir. Ana, faça o que lhe foi dito, por favor. A equipe de segurança sabe o que está fazendo."

"Sim, Christian, eu vou,” ela responde agitada.

"Vejo você amanhã à noite. Eu ligo para você mais tarde."

"Para verificar a mim?"

"Sim,” eu respondo com sinceridade. Não há nada de errado para um homem amar e proteger o amor de sua vida.

"Oh, Christian,” ela me repreende.

"Au revoir, Sra. Grey."

"Au revoir, Christian. Eu amo você,” diz ela. Embora eu saiba que ela me ama, sua declaração repentina logo após sua repreensão me faz tomar uma ingestão aguda de respiração.

"E eu a você, Ana,” eu digo pendurado na linha. Eu amo minha esposa, e esta primeira separação é muito difícil.

"Desligue Christian,” ela ordena em um sussurro.

"Você é uma coisinha mandona, não é?"

"Sua coisinha mandona,” ela declara. Eu me derreto por dentro.

"Minha,” eu respiro minha resposta. "Faça o que lhe foi dito. Desligue. "

"Sim, senhor,” diz ela desligando.

Eu imediatamente digito uma mensagem de e-mail.
___________________________________________________
 De: Christian Grey
Assunto: Mãos nervosas
Data: 25 de agosto de 2011 13: 42 EDT
Para: Anastasia Grey

Sra. Grey

Você é divertida como sempre ao telefone.
Eu falo sério. Faça o que lhe foi dito.
Eu preciso saber que você está segura.
Eu amo você.

Christian Grey
CEO, Grey Enterprises Holdings Inc.
___________________________________________________

Eu penduro minha bolsa do laptop no meu ombro, e Taylor leva as malas de mão. O motorista está segurando um cartaz simples que diz Sr. Taylor. Eu sorrio. Táxis amarelos, ônibus do aeroporto e um fluxo constante de carros de todos os tipos inundam através, e o sempre presente gemido de uma ambulância ou de um carro da polícia também pode ser ouvido no fundo lá fora. O motorista ajuda Taylor a colocar as malas no porta-malas, e Taylor abre a porta para mim. Em seguida, ele se senta no banco da frente ao lado do motorista. O motorista, cuja tarjeta com o nome diz Mark Easton sai sem nunca parar, em velocidade constante, para o trânsito congestionado de Nova York. Ele navega pelas ruas de sentido único, e facilmente se mescla nas várias pistas para me levar para meu apartamento de Manhattan Upper East Side. Quando chego ao meu apartamento, o porteiro abre a porta, e eu saio do SUV.

O porteiro toca seu chapéu para mim, e diz: "Boa tarde, Sr. Grey. Bem-vindo de volta  a Nova York, senhor."

"Obrigado, Donald,” eu respondo enquanto ele segura a porta para o saguão. Tenho tempo suficiente apenas para tomar um banho, descansar e rever os contratos. Eu tenho um jantar de negócios para participar. Taylor pressiona o botão para chamar o elevador. Faz vários meses que eu não venho a este apartamento. Eu realmente estava esperando que Anastasia viesse comigo. Mas talvez eu possa trazê-la para uma escapadela de fim de semana. Taylor pressiona o número, e eu coloco meu código; como sempre, eu tenho uma cobertura neste prédio também. Eu gosto muito da minha privacidade. Vale a pena o dinheirinho extra.

"Taylor, temos tempo para malhar?"

Ele verifica o relógio e responde. "Sim, senhor, nós  devemos ter cerca de uma hora."


 ****  *****

Estou banhado e vestido com meu smoking preto. São 20:30 h. Estou diante do espelho e dou o laço na gravata borboleta em um nó perfeito. No meu caminho eu chamo Anastasia. Ela já deveria ter deixado o trabalho agora. Mas ela não atende ao telefone. Talvez ela esteja muito ocupada com Kate para ouvir o telefone. Vou dar-lhe algum tempo para se instalar em casa. Quando chegamos ao Hotel Península para a festa dos bilionários, são nove e meia. Ela não se chama assim, claro, mas a maioria dos participantes são as pessoas mais ricas de todo o mundo. Taylor também está em um smoking, e ele imediatamente sai do veículo antes do manobrista e abre minha porta. Nós nos encaminhamos para o terraço do Península, que está decorado para o evento.

Eu chamo Anastasia novamente, e não há nenhuma resposta.

Eu atravesso uma reunião e me acotovelo com inúmeros aborrecidos e igualmente ricos empresários e mulheres.

Uma elegante, confiante mulher atravessa a multidão e seu olhar está fixo em mim. Taylor está tão perto de mim quanto possível, olhando impassível. A mulher tem cabelo escuro comprido nas costas e olhos azuis pálidos. Ela enfia uma mecha invisível de cabelo escuro atrás da orelha, levanta o queixo de uma forma elegante, indicando sua classe e ascendência e estende a mão para mim, quando ela fica cara a cara comigo.

"Sr. Grey. Como é bom vê-lo em Nova York novamente,” diz ela em um culto sotaque de Nova York. Eu não a reconheço, mas ela me reconhece.

"A que devo esta visita rara?"

"Negócios, como você pode ver..." Eu indico com a minha mão.

"Ah, mas eu não saberia. Meu pai me arrasta para esses eventos, muitas vezes. Eu só procuro prazer,” diz ela com segundas intenções. Eu solto a mão dela, mas ela agarra a minha, e eu puxo para trás, fazendo e liberando um punho.

"Desculpe, Sra.?"  Eu não me lembro quem diabos ela é, e nem me importa.

"Srta. Blackburn. É Srta.” ela recorda. "Eu li que você recentemente se casou. Eu estava esperando encontrar a Sra. Grey, hoje à noite."

"A Sra. Grey está impossibilitada de comparecer hoje à noite,” eu respondo laconicamente.

"Eu sinto muito. Tão rápido?” ela pergunta com um significado implícito.

"Tão rápido o quê?" Eu pergunto em tom áspero.

"Quando as mulheres estão entediadas com jantares de negócios de seus maridos; isto normalmente leva alguns anos, não poucas semanas. Talvez ela não é feita para nossas ações...” diz ela com muita intenção.

"Srta. Blackburn," eu sibilo, ”minha esposa e eu estamos casados ​​e felizes. Eu não pretendo seguir conselhos de casamento de alguém que é uma infeliz solteira."

"Peço desculpas Sr. Grey. Eu quis dizer gentilmente. Mas sempre que você não estiver feliz, aqui está o meu cartão... Me chame,” diz ela, enquanto ela sorri com um brilho experiente nos olhos e empurra seu cartão de visita em minha palma, e depois vai embora, e  eu o amasso e jogo fora,.

Eu verifico o meu Blackberry e sem telefonemas, nenhuma mensagem de texto, e nenhum e-mail de Anastasia. Eu tenho uma sensação desconfortável. Eu chamo Anastasia, pela terceira vez, e ainda nenhuma resposta. Eu viro de costas e rapidamente digito um texto.

* ONDE DIABOS VOCÊ ESTÁ? *

"Sr. Grey? Pierce DuPont,  três horas, senhor. Ele está vindo em sua direção,” Taylor me dá um alerta, para ganhar minha compostura. Eu me viro e encontro outro parceiro de negócios. (N.T. Através das horas do relógio é indicada a direção de onde a pessoa está vindo).

Uma vez que a pequena reunião improvisada acaba, eu verifico meu Blackberry, e está silencioso como sempre. Eu chamo Anastasia novamente, e ele vai para o correio de voz. Eu pego uma dose de uísque de um garçom que passava e vinho. Eu bebo o uísque em um gole, e lavo com o sabor do vinho. Estou fervendo de raiva. Sinto-me impotente, inquieto e com um maníaco à solta, também estou temeroso pela segurança de Anastasia.

"Alguma chamada de socorro Taylor?"

"Nada, senhor,” ele responde.

Um designer extravagantemente gay cujo nome me escapa se aproxima de mim, já que ele esteve com a porra do olho em mim toda a noite. Deixando de lado os dois modelos de moda decorando seus braços, ele vem e fica a cerca de um metro de distância de mim, em seguida, coloca a mão esquerda dobrada no punho direito sobre a cintura de sua camisa de seda vermelha, e balança a outra em um grande gesto.

"Oh meu Deus!  Eu pensava que você fosse Christian Grey,” ele diz, e coloca a mão sobre o coração. "Você meu querido é apenas um colírio para os olhos! Prazer em conhecê-lo, Sr. Grey! Eu sou Michael Kraus, mas você provavelmente já sabia que... "

"Eu não sabia,” eu respondo com a pouca paciência que ficou em mim.

"Você sabe, Sr. Grey, se você já não fosse independentemente rico e bem-sucedido em seu campo escolhido, eu já o teria assinalado como modelo de passarela!"

"Obrigado pelo elogio Sr. Kraus. Se você me der licença," eu digo com um sorriso forçado, e Taylor fica em pé atrás de mim enquanto está bloqueando o caminho de Kraus. "Você não é feio também queridinho. Alguma vez você já pensou em modelagem?"

"Sacudir minha bunda para as multidões nunca me atraiu, senhor,” eu ouço a resposta de Taylor.

"Oh, Deus! Um cavalheiro à moda antiga também!  Me chame!" diz ele enfiando seu número no bolso de Taylor. Eu teria normalmente sentido pena de Taylor, mas acontece que eu sou um vulcão pronto para entrar em erupção. Eu me encaminho para a direção oposta a do designer. Eu chamo Anastasia uma última vez, porque ela ainda não me ligou de volta ainda. São quase 21:30 h em Seattle. Ela já deveria ter jantado, e tido seu papo de garota  e ainda tinha tempo para me ligar, ou pelo menos ter a cortesia de retornar uma das minhas chamadas ou meu texto! Nenhuma resposta. Mais uma vez!

Eu disco o telefone de Sawyer. Ele responde imediatamente. Há música alta e barulho no fundo, e meu coração afunda com a traição da minha esposa. Ela quebrou sua promessa!

"Sawyer,” eu digo com uma voz firme. "Onde está a Sra. Grey?" Eu posso ouvi-lo engolir, através do telefone.

"Sra. Grey está com a Srta Kavanagh no Zig Zag Café com drinks. Gostaria de falar com ela senhor?" Ele pergunta imediatamente.

"Não! Quem mais está com você? "

"Prescott, senhor."

"E Ryan?"

"Ele está no Escala."

"Vocês quebraram o protocolo?"

"Peço desculpas, Sr. Grey. A Sra. Grey foi muito insistente em tomar uma bebida com a Srta Kavanagh."

"Você não pensou em me ligar?"

"Nós não quisemos incomodá-lo, senhor. Tudo está bem."

"Eu vou falar com você quando eu voltar. Temos um protocolo. Toda vez que você desviar-se dele, você tem que informar Taylor. Ele não recebeu telefonemas de ninguém. Ryan foi informado? "

"Sim, senhor. Ele foi. Peço desculpas, senhor, Prescott lembrou a Sra. Grey que foram instruídas a voltar para o Escala, mas quando ela insistiu em ir, eu não acho que fomos autorizados a embaraçar a Sra. Grey na frente da Srta Kavanagh fazendo uma cena, senhor. A Srta Kavanagh já tinha feito a reserva antes que ela viesse para SIP e ela não queria ir para o Escala. Foi minha culpa que eu fiz um julgamento e segui as instruções persistentes da Sra. Grey, senhor,” diz ele. Estou fervendo de raiva. Incontrolável, enorme, raiva implacável... Minha esposa não consegue resistir às instruções e persistência da sua amiga, mas ela pode ignorar completamente as minhas! Quem tem prioridade para ela? Kate Kavanagh, a ex-companheira de quarto, ou Christian Grey, seu marido? Inadvertidamente, ela fez uma escolha aqui. Ela escolheu a amiga sobre mim!

"Tudo bem, eu vou vê-lo amanhã,” eu digo com muita promessa em meu tom de voz, e desligo.

"Taylor, chame Stephan. Estamos indo de volta para Seattle."

Suas sobrancelhas se erguem.

"Está tudo bem em casa, senhor?"

"Não."

Ele me olha preocupado e expectante.

"A Sra. Grey quebrou o protocolo, e ela saiu com a amiga. Nós estamos voltando para casa. Agora! "

"Sim, senhor,” diz ele, e ele já está chamando.

Eu rapidamente digito um e-mail para Anastasia.
___________________________________________________
De: Christian Grey
Assunto: Raiva. Você não viu raiva
Data: 26 de agosto de 2011 00: 42 EST
Para: Anastasia Grey

Anastasia

Sawyer disse-me que você está bebendo coquetéis em um bar quando você disse que não o faria.
Você tem alguma idéia de como eu estou louco no momento?
Vejo você amanhã.
Christian Grey
CEO, Grey Enterprises Holdings Inc.
___________________________________________________

"Sr. Grey? Estamos indo pegar... " Taylor começa a perguntar, mas vendo a raiva em meu rosto, ele levanta as mãos em um gesto de desistir. "Não se preocupe, senhor. Eu vou ter a nossa bagagem enviada. O SUV está pronto para nos levar para o aeroporto, assim que você estiver pronto. Os pilotos estão em seu caminho, e o avião já foi abastecido e limpo, desde que chegamos. Devemos estar prontos para sair na hora, senhor. "

****  *****

"Você pode dirigir essa porra de SUV mais rápido para chegar ao JFK?" Eu grito para o motorista.

"Peço desculpas, senhor, nós temos  limites de velocidade!"

"É quase 1:00 h e quase não há carros na porra da estrada! Você pode dirigir um pouco mais rápido! Vou triplicar a sua multa se você for parado, e você pode guardar o resto!"  Ele olha para Taylor, que acena para ele de forma afirmativa.

"Sim, senhor,” diz o motorista e finalmente acelera.

Estou furioso; raiva e fúria estão saindo pelos meus poros. Eu quero punir Anastasia seriamente. Chicoteá-la! Eu realmente quero bater a merda fora dela por desobedecer tão descaradamente, tão rapidamente, depois que ela me prometeu uma coisa. Deus! Sinto-me tão impotente, porra! Eu sinto que eu estou fazendo  pára-quedismo sem pára-quedas, nada para me agarrar, não há nada para segurar, nada para me manter seguro, nem mesmo um pássaro de merda no ar! Ela tira todas as minhas forças e me deixa incompetente e impotente. Se eu a punir, ela vai me deixar. Se eu estivesse em Seattle, eu teria ido para o bar, e a traria de volta para casa Ela espera até que eu esteja do outro lado do país e me desafia, sabendo que eu não posso fazer nada sobre isso! A segurança está dividida. Isso não é nada seguro. Há uma razão pela qual temos protocolos estabelecidos!


Eu ouço os pneus cantando quando chegamos ao aeroporto, e tanto o motorista como Taylor deixam escapar um suspiro de alívio ao mesmo tempo.

"Isto é sobre a porra do tempo!" Eu fervo, e Taylor salta para abrir a porta, e joga um par de notas de 100 dólares de gorjeta ao motorista enquanto ele corre atrás de mim.

Vinte e sete minutos desde que eu mandei a Anastasia seu e-mail, eu ponho os pés dentro do meu jato. Stephan e Beighley estão vestidos e esperando na porta.

"Quão rápido você pode colocar-nos no ar?" Pergunto, antes que ele me cumprimente.

"Tão logo estejamos na fila de decolagem."

"Não deve demorar muito a esta hora da noite. Eu quero que você me ponha no ar, como se estivesse sendo perseguido pelos cães infernais e nos leve a Seattle!" eu ordeno.

"Sim, senhor,” diz ele e ambos rapidamente tomam os seus lugares na cabina do piloto enquanto eu me encaminho para a cabine. Sento-me em uma das cadeiras de couro e ponho o cinto de segurança. Taylor segue o exemplo em silêncio.

Demoram outros dez minutos para que possamos começar a nos movimentar para entrar na fila para a decolagem. Eu fecho meus olhos, na tentativa de controlar minha raiva, e tento inspirar e expirar. Este sentimento de impotência está me deixando inquieto. Eu quero estar em Seattle imediatamente. Percebo meus dedos batendo no meu assento como os quatro cavaleiros do apocalipse.

"Senhor? Você obteve um contato com Sawyer, ou Ryan?"

"Eu falei com Sawyer. Você precisa ter uma conversa com ele e o resto da equipe de segurança de que ninguém quebra o protocolo! Eles têm que seguir as regras!"

"Sim, senhor. Posso ser franco com a sua permissão, senhor?" diz ele. Eu suspiro.

"Vá em frente," eu sibilo.

"Você e a Sra. Grey são os nossos patrões. Caso não haja perigo percebido, e você ou a Sra. Grey estiverem direcionando-nos para fazer outra coisa, nós temos que seguir suas ordens, senhor."

"Eles têm que aprender a dizer 'Não!' para ela! Minhas ordens não podem ser sobrepujadas por Anastasia!"

"Sr. Grey, não estou discordando de você, senhor. Mas, com todo devido respeito, a Sra. Grey é também a nossa chefe por padrão, senhor, não nossa prisioneira. Levá-la  para casa contra sua vontade pode causar um incidente. Queremos que a Sra. Grey confie em nós. Tê-la desconfiando de nós, ou com medo de nós por fazê-la sentir que ela não tem o livre-arbítrio, tornaria impossível para nós trabalharmos com ela, senhor. Ela não vai querer estar perto de nós. Nós, como sua equipe de segurança queremos fazer a Sra. Grey sentir-se segura e protegida, mesmo se as suas decisões de última hora estão fora do protocolo. Nosso trabalho é protegê-la, senhor. Nós não somos autorizados a tomar decisões por ela a menos que seja uma situação de emergência."

Enfio a mão no meu cabelo, exasperado.

"Se eu der uma ordem, para ela ser levada para casa, eu quero que ela seja levada para casa! Se ela decidir ir para outro lugar, convença-a de outra maneira! Se ela não está escutando, eu quero que eles me chamem! Esse é o protocolo!"

"Sim, senhor."  Taylor aquiesce nervosamente. Eu me levanto e ando ao redor, tornando Taylor ainda mais nervoso. Incapaz de conter-me, sentindo-me impotente, desesperado. Eu realmente quero punir Anastasia! Taylor está certo, é claro. Anastasia faz todo mundo se sentir nervoso e impotente por desobedecer a ordens simples. Eu realmente quero desesperadamente puni-la com um bastão ou uma raquete ou um chicote! Deus me ajude! Dê-me paciência! Se eu a punir, ela vai me deixar! Por quê? Por quê? Por que ela me desafia em cada momento?

Este é o vôo mais longo da minha vida! Ele não termina suficientemente rápido. Não consigo me concentrar, não consigo ler, não posso nem pensar, porra! Eu me sinto amarrado, com visão, sons e aromas cortados e as rédeas da minha vida entregues a um amador que está me chicoteando de dentro para fora!


                                                           ****  *****

"Estamos nos aproximando de Seattle. Estaremos pousando no aeroporto Sea-Tac brevemente. Favor apertar os cintos. A hora local é 4:22 h."

Eu sinto um suspiro de alívio por chegar a Seattle, finalmente. Assim que aterrissamos e o jato está na pista, ligo o meu Blackberry. Eu tenho novas mensagens de texto. Provavelmente de Anastasia. Meu coração pára com a primeira mensagem:

* Quarto do Pânico Ativado *

Três palavras simples conseguem parar meu coração, e eu sinto o meu mundo desmoronando ao meu redor. Eu acho que estou tendo um ataque cardíaco!

"Sr. Grey!" profere Taylor tendo recebido a mesma mensagem. Seus olhos estão arregalados, e ele parece tão preocupado e assustado quanto eu.

Ele já está discando para casa.

"Ryan! Estão todos seguros?" Eu o ouço perguntar.

"Viva voz,” eu exclamo.

"Sim. Todo mundo está seguro." Essas quatro palavras liberam a melhor notícia que eu ouvi toda a minha vida. Sim. Todo mundo está seguro. Todo mundo está seguro. Todo mundo está seguro. Minha esposa está segura. Minha razão de ser está segura. Minha Ana está segura. Graças a Deus! Graças a Deus!

"Onde está Ana?" Eu pergunto.

"A Sra. Grey está dormindo, senhor."

"O que diabos aconteceu?"

"Jack Hyde invadiu, senhor,” diz ele.

"O quê?" Taylor e eu gritamos ambos ao mesmo tempo. De repente, meu jato está sacudindo violentamente, chacoalhando. Eu percebo que sou eu, tremendo e sacudindo.

"Diga-me que ele foi capturado!"  Eu ouço Taylor falar.

"Sim, senhor. Ele está sob custódia da polícia."

"Nós estamos a caminho..." Eu digo com firmeza quando eu posso obter um controle sobre a minha reação física.

"Como está Gail?" Eu ouço Taylor perguntando.

"Ela está bem, cara. Ela está dormindo agora,” diz Ryan, e Taylor afunda com alívio.

"Estamos em SEA-TAC parados na pista. Estaremos em casa em breve!"

"Você está aqui? Eu estou a caminho para buscá-lo."

"Não! Nós vamos chegar lá. Eu não preciso perder tempo esperando!"  Eu ladro.

"Como quiser, senhor. Ouça, Taylor. Pode ainda haver alguns repórteres do lado de fora do Escala. Se você não quer que nós os busquemos, usem a entrada de serviço, por favor. "

Eu verifico o resto das minhas mensagens no caminho para o Escala.

* AINDA ESTOU EM UMA ÚNICA PEÇA. EU TIVE UM BOM MOMENTO. SAUDADES DE VOCÊ - POR FAVOR NÃO FIQUE ZANGADO *

Há também uma mensagem de voz de Anastasia:

"Oi. Sou eu. Por favor, não fique bravo. Tivemos um incidente no apartamento. Mas está sob controle, então não se preocupe. Ninguém se feriu. Ligue para mim."

Ouvir sua voz sã e salva me alivia imensamente. Eu quero saber o que aconteceu. Eu quero dar uma surra em alguém! Deus! Se eu estivesse aqui, eu poderia ter matado Hyde! A raiva está se infiltrando por todas as células do meu ser. Eu me sinto como se alguém tivesse me alimentado com lava quente, e eu estou prestes a entrar em erupção, incinerando tudo ao meu redor. Eu estou com raiva de todo mundo! Estou queimando por dentro com um fogo que tudo consome. Eu estou com raiva de mim mesmo por concordar em deixar Anastasia aqui em Seattle! Eu deveria ter feito ela vir comigo. Eu mantenho minha cabeça em minhas mãos, e em seguida, passo  as duas mãos no meu cabelo com força. O que vou encontrar quando chegar em casa? Pela primeira vez na minha vida, eu sinto raiva que eu não posso conter, apesar de ter aprendido e exercido controle. Mas, o que eu teria perdido... Deus me ajude! O que eu teria perdido! Eu teria perdido o amor da minha existência! Deus, eu não poderia viver comigo mesmo! Eu me odeio agora por consentir que ela ficasse para trás! Incapaz de protegê-la... Que bom eu sou como marido se eu não posso simplesmente proteger a minha esposa dos meus inimigos pessoais? Isso está me comendo vivo... Eu quero matá-lo! Esta é uma raiva cega!

A verdade no âmago da minha existência aqui e agora é pura raiva não diluída, raiva e desejo de matar o homem que considerou destruir a única pessoa que significa tudo para mim. Estou com raiva de todo mundo, inclusive de mim!


****  *****


Taylor e eu ficamos de pé no saguão, nossos queixos caídos no chão. Uma poça de água no chão, vaso quebrado, flores espalhadas... Há indícios de uma luta que ocorreu ao redor. Uma das portas dobradiças saiu e está pendurada frouxamente como um veterano de uma guerra. Ambos Ryan e Sawyer nos encontram. Ryan está enfaixado e ele está ficando com um olho roxo e hematomas estão se formando em seu rosto.

"O que aconteceu?" Eu pergunto em uma voz totalmente fria, totalmente suave, sem alma.

"Quando a Sra. Grey estava com a senhorita Kavanagh,  sob a proteção de Sawyer e Prescott, vi Jack Hyde no monitor das câmeras de segurança. Ele estava vestindo um uniforme... macacão de uma empresa de entrega e tinha luvas. Isso levantou a minha suspeita e eu passei o reconhecimento facial dele comparando com as imagens que já foram fornecidas. Era Hyde. Eu coloquei a Sra. Jones no quarto do pânico, e dei-lhe o acesso."

"Você não pensou que ele poderia dominá-lo e assumir o apartamento, colocá-lo em perigo e fazer a Sra. Jones sair do quarto do pânico e fazê-la chamar Ana, colocando uma bala na sua cabeça? Você não pensou nas ramificações se ele tivesse dominado, ou atirado em você?" Eu fervo de raiva com um sorriso insincero, com ferocidade, minha voz se elevando em várias oitavas.

"Sim, senhor. Era um risco calculado. Eu sabia que a Sra. Grey e a  Sra. Jones estavam seguras, e talvez nós nunca tivéssemos outra chance de estar tão perto de Hyde. Se eu perdesse a oportunidade de capturá-lo, ele teria continuado a criar perigo para você lá fora. Era um risco que tinha de ser corrido, senhor. "

"E você,” eu aponto um dedo acusador no peito de Sawyer. "Você permitiu que a Sra. Grey quebrasse o protocolo! Se Ryan fosse dominado..." Eu não posso terminar o resto da frase.

"Onde diabos está o Jack agora?"

"Ele foi levado para o hospital por seus ferimentos; ele estava inconsciente quando ele saiu daqui e, em seguida, ele será levado para a cadeia do condado. O Detetive Clark chegou e examinou o apartamento, e eles virão amanhã novamente. E...” diz Sawyer visivelmente engolindo. "Hyde veio aqui com a intenção de seqüestrar a Sra. Grey. Ele tinha uma arma e fita adesiva com ele, senhor. "

"O quê?” Eu pergunto, meus olhos escurecendo. Hyde queria prolongar minha dor causando dor à minha esposa! Eu vou matá-lo!

Eu preciso de uma bebida. Taylor e os outros caras de segurança ficam para trás, enquanto Taylor está recolhendo o resto da informação. Eu vou para a cozinha, e abro uma garrafa de uísque e me sirvo um duplo e viro o copo deixando o líquido âmbar descer em um gole fazendo minha garganta arder. A dor é boa. Eu preciso de dor para superar esta dormência, essas emoções não identificadas que estão devastando minha alma, me rasgando por dentro. Eu me sirvo um triplo, e lentamente entro no meu quarto. Anastasia está enrolada na minha t-shirt e se aconchegou no meu travesseiro do meu lado da cama.

Eu puxo a cadeira do quarto, puxo a gravata e enfio em meu bolso do smoking. Sento-me no escuro, com a minha bebida na minha mão, e vejo minha esposa em seu sono. Inocente, mas a causa de tudo. Ela poderia ter se machucado, e teria sido culpa dela, porque ela nunca escuta! Nunca pensa nas conseqüências de seu comportamento! Meu olhar não deixa seu corpo. Eu quero ficar na cama com ela, mas eu sei que não vou ser capaz de me conter, e vou puni-la de alguma forma. Eu posso não ser capaz de me controlar e parar. Eu não confio em mim mesmo. Eu vou machucá-la, e ela vai embora. Ela realmente vai me deixar desta vez! Eu odeio isso! Eu odeio essa sensação de impotência, de estar  amarrado e provocado para nenhuma finalidade. Tomo outro gole da minha bebida. Eu baixo o copo, e apoio o braço esquerdo na cadeira. Minha perna está cruzada no tornozelo. Finalmente, um novo dia está amanhecendo. As primeiras luzes começam a escorrer pelas janelas. Eu descanso minha mão direita sobre o braço da cadeira, levantando a minha mão ao meu queixo; eu distraidamente começo a correr o meu dedo indicador para frente e para trás sobre meu lábio inferior.

Anastasia se mexe na cama. Meus olhos se arregalam, mas eu não faço um movimento. Eu permaneço na cadeira. Esta é a única posição que eu posso ter a certeza de me controlar. Anastasia vira, esfrega os olhos.

"Oi,” um sussurro sonolento de saudação vem através de seus lábios.

Eu não digo nada, apenas continuo a olhá-la friamente, inexpressivo. Eu levo o meu dedo indicador para longe do meu lábio, e levo o copo abaixado até minha boca e engulo o restante da minha bebida, colocando o copo sobre a mesa de cabeceira.

"Olá,” eu respondo em um tom abafado. Essa é a única maneira que eu possa reinar sobre minha raiva e indignação.
"Você está de volta."

"Tudo indica que sim."

Ela puxa-se para cima em uma posição sentada, com o seu olhar fixo em mim. "Quanto tempo você esteve sentado aí me assistindo dormir?"

"O suficiente,” eu digo com  meu tom sem emoção.

"Você ainda está louco,” ela diz, com sua voz embargada.

Eu finalmente olho para a minha desobediente esposa eu-vou-fazer-o-que-eu-quero-e-puxar-sua-corrente-e-você-vem-como-um-trem de carga considerando seu uso da palavra, ‘louco’. Louco não chega a cobrir o que eu sinto. Quando Nero incendiou a cidade de Roma ele estava louco! Estou além de louco! A raiva veemente que eu sinto criou um buraco negro dentro da minha alma e nada mais do que uma força igual irá parar seu tumulto.

"Louco..." Eu digo olhando para ela... "Não, Ana. Eu estou muito, muito além de louco."

Ela tenta engolir visivelmente, com os olhos grandes.

"Muito além de louco... isto não soa bem. "

Eu continuo a olhar para ela sem me mexer, cobrindo dentro todas as emoções marcantes. O inferno está se formando, e está bem na minha alma. O silêncio gritante se estende entre nós. Ela estende a mão para o copo de água e toma um gole. Colocando o copo de volta na mesa do lado, diz ela, "Ryan pegou Jack."

"Eu sei,” eu digo, minha voz é um caco afiado de gelo.

"Vai ser monossilábico por muito tempo?” ela pergunta me surpreendendo. Eu levanto minhas sobrancelhas.

"Sim,” eu respondo.

"Sinto muito, eu saí." Sim, eu vou acreditar  quando ela realmente me escutar para variar!

"Você sente?" Eu pergunto.

"Não,” ela murmura pausando.

"Por que dizer então?" Pergunto exasperado. Eu não quero palavras vazias, promessas, desculpas vazias. Eu quero que ela seja sincera, verdadeira e honesta. Isso é o que eu lhe dou. Por que ela não pode fazer o mesmo por mim? Quando é que a honestidade se tornou uma coisa tão difícil de encontrar?

I Need to Know - Marc Anthony

"Porque eu não quero que você fique com raiva de mim."

Eu suspiro pesadamente. A tensão está esticando meu corpo, comprimindo meu coração.

"Eu acho que o Detective Clark quer falar com você."

"Eu tenho certeza que ele quer."

"Christian, por favor..."

"Por favor, o quê?" Eu pergunto. O que eu devo fazer? Felicitá-la por me fazer questionar meu próprio julgamento,  porra? Por desobedecer? Sua simples ação, a ação pela qual ela deu uma desculpa falsa para colocar a vida de todos aqui em perigo! Todo mundo, incluindo a sua  própria!  E agora ela me trata como se eu estivesse exagerando.

"Não seja tão frio."

Frio? Minhas sobrancelhas sobem de surpresa mais uma vez. "Anastasia, frio não é o que estou sentindo no momento. Eu estou queimando. Queimando com raiva. Eu não sei como lidar com esses... " Eu aceno minha mão em torno para uma palavra adequada para expressar a merda me matando por dentro,
"... sentimentos,” eu digo acidamente.

Ela empurra o edredon para longe dela, deixa cair os pés no chão e caminha em minha direção rapidamente, subindo no meu colo, se enrolando. Eu engulo em seco. Eu tenho saudades dela. Eu estava com raiva durante toda a noite, e eu morri mil mortes desde que desembarquei. E aqui está ela, sentada no meu colo, me segurando. Percebo meus braços abraçando-a perto, e eu enterro meu nariz em seus cabelos. Ela envolve seus braços em volta do meu pescoço e me cheira acariciando minha garganta. Eu suspiro profundamente, segurando-a firme. Estou aliviado por tê-la em meus braços, mas ainda cheio de raiva.

"Oh, Sra. Grey. O que eu vou fazer com você?" Pergunto beijando o topo de sua cabeça.

"Quanto você bebeu?” Ela pergunta. Eu me imobilizo. Acho que mereço uma bebida ou duas após esta provação.

"Por quê?" Eu pergunto.

"Você normalmente não toma bebidas alcoólicas fortes."

"Este é o meu segundo copo. Eu tive uma noite difícil, Anastasia. Dá um tempo."

Ela sorri em resposta. "Se você insiste, Sr. Grey,” diz ela respirando no meu pescoço. "Você tem um cheiro celestial. Eu dormi em seu lado da cama, pois o seu travesseiro cheira a você."

Eu acaricio seu cabelo. "Foi? Eu me perguntava por que você estava deste lado. Eu ainda estou bravo com você,” eu a relembro.

"Eu sei."

Minha mão ritmicamente acaricia suas costas.

"E eu estou com raiva de você,” ela sussurra. Isso me faz uma pausa. Ela é a aquela que cometeu todas as possíveis transgressões, e ela está com raiva de mim?

"E o que, suplico, eu fiz para merecer a sua ira?"

"Eu vou lhe dizer mais tarde quando você não estiver mais queimando com raiva,” ela responde beijando minha garganta. Eu fecho meus olhos saboreando o sentimento, do seu contato, mas eu não quero beijá-la. Ele vai me levar para a cama, e eu não vou ser capaz de controlar o meu desejo de castigá-la. Eu só estreito os braços em volta dela, apertando e sentindo sua presença em meus braços.

"Quando penso no que poderia ter acontecido..." Eu digo em uma crua quebrada voz, sussurrando.

"Eu estou bem."

"Oh, Ana," eu soluço, apenas me controlando. Eu morreria! Se alguma coisa acontecesse com ela, eu rasgava o homem em pedaços, e apenas morro.

"Eu estou bem. Estamos todos bem. Um pouco abalada. Mas Gail está bem. Ryan está bem. E Jack se foi."

Eu balanço minha cabeça, "Não graças a você,” murmuro.

Ela se inclina para trás e olha para mim. "O que você quer dizer?"

"Eu não quero discutir sobre isso agora, Ana" Eu digo. Ela levanta a cabeça e olha para mim piscando. Finalmente, sem responder, ela descansa a cabeça no meu peito mais uma vez. Meus dedos se movem em seu cabelo, e eu começo a jogar com ela.

"Quero puni-la,” eu sussurro. Eu não posso impedi-lo. Estou perdendo o controle, e isso está me matando. "Realmente dar uma surra em  você,” eu acrescento.

"Eu sei,” ela sussurra.

"Talvez eu vá," eu testo as águas.

"Espero que não,” ela responde com fervor. Eu a abraço mais apertado.

"Ana, Ana, Ana. Você testa a paciência de um santo. "

"Eu poderia acusá-lo de muitas coisas, Sr. Grey, mas ser um santo não é uma delas,” ela me avalia corretamente.

"Ponto bem marcado como sempre,  Sra. Grey”, eu digo, beijando-a na testa.

"De volta para a cama. Você teve uma noite difícil, também." Eu me levanto com Anastasia em meus braços, e deposito-a em cima da cama.

"Deita-se comigo?"

"Não. Eu tenho coisas para fazer,” eu digo e pego meu copo. "Volte a dormir. Eu vou acordá-la em um par de horas. "

"Você ainda está com raiva de mim?"

"Sim".

"Eu vou voltar a dormir, então."

"Bom,” eu respondo e cubro-a com o edredom e beijo sua testa mais uma vez. "Durma".

Eu faço meu retorno para a sala da equipe de segurança. Todo mundo se levanta. Taylor está faltando.

"Onde está o Taylor?"

"A polícia está aqui, procurando na garagem, senhor...” diz Ryan.

"O que é que você não está me dizendo?"

"Uhm...” responde Sawyer, engolindo em seco. "Eles descobriram a Van de Hyde na garagem."

"E então?"
"Há um colchão, suficiente tranqüilizante de cavalos para tirar do ar um par de elefantes, e um bilhete endereçado a você, senhor."

O sangue foge de minha face. Eu me sinto congelado. A confirmação do fato de que ele veio aqui com o único propósito de sequestrar minha mulher e com a intenção de estuprá-la aqui, na minha própria garagem, porra!

"Onde está a nota?"

"A polícia a tem, mas Taylor tem uma cópia da mesma. Tirou uma foto... ” ele diz e me mostra o texto.

"Você sabe quem eu sou? Porque eu sei quem você é, Baby Bird. "

O que diabos isso significa? Ele me conhece? Eu nunca conheci o cara na minha vida até eu vir para pegar Anastasia no Bar 50!

"Eu quero vê-lo!" Eu digo, e Ryan corre atrás de mim, enquanto eu me encaminho para o elevador. Estou irradiando tensão, raiva, fúria assassina, e este sentimento de não ter qualquer controle. O desamparo disso está me afogando.

Quando chegamos lá embaixo, eu sigo os uniformes para encontrar a Van na garagem. O meu olhar é um vulcão coberto de gelo. A raiva queimando dentro de mim só está escondida pelo meu olhar gelado. Taylor anda comigo, e me apresenta ao Detetive investigando. Eu vejo a Van de transporte com janelas escuras com fios de metal. Um colchão sujo na parte de trás da van, cordas, fitas adesivas, objetos para dor com que eu estou familiarizado, e  caixas e caixas de tranqüilizantes de cavalo! Porra! Ele veio pronto para derrubar, com fornecimento suficiente que poderia ter matado minha mulher! Eu não posso piscar, não posso formar uma palavra. Tudo o que eu sinto é este imenso desejo de matar Hyde, infligir a agonia que ele pretendia me infligir! Tudo o que eu quero fazer é entregar Hyde a seu juízo final!

"Sr. Grey?” chama o detetive.

"O quê?" Eu exclamo com a intensidade da minha raiva dirigida a ele. Para seu benefício, ele consegue manter a calma.

Eu quero bater em Hyde com minhas mãos nuas. Eu quero deixar as minhas juntas impressas em todo o seu fodido corpo, suas bolas e pau! E enfiar seu próprio pau em sua bunda! Hoje é o dia, eu não estou para brincadeira.

"Detetive, eu sugiro que você complete sua pesquisa e investigação antes de me questionar. Eu não vou te dar uma entrevista improvisada aqui, na garagem. Hyde tinha sido mostrado para você. Nós já tínhamos deixado bem claro que ele era um perigo para mim e minha família. No entanto, apesar do fato de que minha equipe de segurança ter lhe proporcionado  provas verossímeis do perigo, você não fez nada para proteger. Venha a mim com algumas respostas, para uma mudança,”  eu digo e viro as costas para ir surrar alguma coisa.

Há um saco de pancadas no ginásio do porão com o meu nome por toda parte nele!



Deep into the darkness peering, long I stood there wondering, fearing,
Doubting, dreaming dreams no mortal ever dared to dream before;
But the silence was unbroken, and the darkness gave no token,
And the only word there spoken was the whispered were, ‘Ana!’
This I whispered, and an echo murmured back the word, ‘Ana!’

Merely this and nothing more.

Back into the chamber turning, all my soul within me burning,
Soon again I heard a tapping somewhat louder than before.
Edgar Allan Poe

A treva enorme fitando, fiquei perdido receando,
Dúbio e tais sonhos sonhando que os ninguém sonhou iguais;
Mas a noite era infinita, a paz profunda e maldita,
E a única palavra dita foi um nome cheio de ais – ‘Ana!’
Eu o disse, o nome dela, e o eco disse aos meus ais – ‘Ana!’
Isso só e nada mais.
Para dentro do quarto então volvendo, toda a alma em mim ardendo,
Não tardou que ouvisse novo som batendo mais e mais.
Tradução de Fernando Pessoa




Metallica – Unforgiven





25 comments:

Olidelgi said...

Uau!!! Que capítulo, hein? Quanta raiva e impotência, chega a dar peninha de Christian. E Alex Pella, nossa, que homem é esse, hein? Os dois nos deixam babando, já não sei qual dos dois é mais querido, mas Christian chegou primeiro, né?
Obrigada Neusa por mais um capítulo fresquinho.
Bjs

Joenes Carvalho Alves Xavier said...

Que começo de semana maravilhoso, Neusa obrigada por fazer meu dia perfeito com esse novo capítulo, vc cada dia se supera nesse trabalho belíssimo, Parabéns amiga, Emine como sempre talento puro, vou confessar prefiro essa versão que a de E.L James, muito mais emocionante, ja contando os segundos para o próximo, muito obrigada mesmo Neusa, bjssss

Luana Nunes said...

Maravilhoso esse capítulo...!!!! Obrigada Neusa...!

Fer G said...

Não sei pq ,mas esse Alex Pella tem jeito de ser um "deus" tbm kkk.Amo o Christian nervoso.Obrigada Neusa pela sua dedicação.Obrigada Emine por nos proporcionar uma história maravilhosa dessas...beijos à todas.

Aline Caroline said...

Que foi isso?? OMG.. Muito tenso esse capitulo,muito nervosismo, C.G. mt controlador u.u
Queremoos "mais" Neeuza rs
Desde já agradeço rs, porém fico na expectativa pra leer o proximo capitulo *o*

Aline Caroline said...

Logo esquecendo muita consideração de Alex Pella, confesso que fico impressionada com o talento de Emine ao fazer a história se encaixar.. Uma pena Ana não saber de muitas coisas sobre ele com tanto detalhe, graças a Emine conhecemos C.G. melhor que ela u_u ASHUASHUAS'

Anonymous said...

Chris e Alex juntos, que inicio de capitulo!! E depois toda tensao da invasão de Hyde!!!! Capitulo MARAVILHOSO!!! Emine adoro sua versão, a riqueza de detalhes, os sentimentos..... Ah demais!!!! E Neusa...não canso de agradecer, o que seria de nós sem dua traduções. Obrigada!!!
Bjs Lala

Daniela Martins said...

E aí, Neusa! Estamos aqui novamente para marcar presença no nosso habitual cafezinho! Rsrsrs. Seu trabalho permanece perfeito!
Só uma coisinha que vi que me deixou intrigada! Em uma de suas notas (NT) vc explicou que Seattle é capital do Estado de Washington. Creio que a capital seja Olympia e, Seattle, na verdade, é a maior cidade do Estado de Washington!
Me perdoe se estou errada e pode ter certeza que vc tem toda liberdade em me corrigir!
Boa semana p vc...e continue com seu trabalho perfeito!
Bjkas
Dani

Rosangela Maria Cabral Corvalan said...

Que capítulo tenso e maravilhoso, e imaginar que vem mais por aí!!!
Amei a surpresa!!!
Semana que vem teremos, o cafezinho com bolo de fubá cremoso...

Neusa obrigada por tudo!!

Beijos e bia semana à todos!!!

Neusa Reis said...

Oi meninas voltarei depois para conversar com vocês, agora é um cafezinho rápido com a Daniela Martins para agradecer e dizer que a retificação já foi feita no texto, pela Emine, a meu pedido. Acho que a pressa é inimiga da perfeição. Vou desacelerar um pouco prá não ficar por aí falando coisas assim. Obrigada, Daniela. Até mais tarde para todas. Bjs

Pao said...

Que maravilloso capítulo nuestros dos hombres nuevamente juntos. Dios amo a Christian y a Alex.
Gracias por este emocionante capítulo.

Natii said...

Oiiii, minhas lindas passando só para agradecer por esse capitulo lindo e dizer que ja estou mais que ansiosa pelos proximo, pois sei que vai pegar fogo, maravilhosas vcs viu como sempre...

Beijos e brigaduu da Natii

Mari Lins said...

Haja coração CG e Pella em um mesmo ambiente, aí digo que a Emine quer nos matar mesmo. Que belo presente Pella deu à ele, muito significado em sua simplicidade.
Tenso demais este capítulo e, ao mesmo tempo, maravilhoso como todos os outros. Só não entendo a falta de maturidade dessa menina (sortuda) Ana Grey. Há momentos em que ela irrita, com sua irresponsabilidade, mas o que compensa é o que vem em consequência de seus atos: CG nervoso, acho demais... rsrsrs
Neusa, a Emine não dará continuidade à história Pella aqui no blog? Ficou um enorme sabor de quero mais.
Obrigada por mais este capítulo emocionante. Haja café...

Tati said...

maravilhoso!!! como sempre!!! adorei a participação do Alex!!!!to ficando apaixonada por ele como eu sou pelo Christian!!!!

Aline Caroline said...

Já virou mania vir aqui por curiosidade ver se tem mais pra ler rs

Rozeli said...

Muito emocionante! Essa parte da história ficou muito mais dramática vista pelo Christian. Acho que o Christian erra em não contar tudo para a Ana, "a melhor segurança é a informação", para não preocupá-la ele omite informações e fatos e por não saber ela acaba agindo normalmente sem tanta cautela.
Notei que a Olivia voltou ao escritório, Christian já a perdoou Emine? Achei que pelo seu jeito controlador, ele nunca mais a aceitaria de volta, devido ao incidente com o paparazzi, quando o noivado foi anunciado.
Neusa o cafezinho tem sido ótimo!
Obrigada Emine.
Obrigada Neusa.

Rosangela Maria Cabral Corvalan said...

Passando de novo pra dar bom dia!!

Concordo com a Rozeli, acredito que ela seria mais cautelosa se soubesse a verdade!!

Beijos à todas!!
Rosângela

Daniela Martins said...

Bom dia, Neusa!
Estou aqui rindo do seu comentario "hj meu cafezinho é com a Daniela"! rsrsrs....O que me fez lembrar da época em que eu fazia curso de especializaçao e meu professor sempre convidava alguem para um cafezinho qdo algum aluno fazia alguma coisa errada!
Minha querida, nao se preocupe por ter comentado errado! Todos nós somos seres humanos..e seres humanos não s perfeitos! Nós cometemos erros mesmo querendo acertar!
E quem disser que já sabe tudo e que nao tem mais nada para aprender é porque, com certeza, já está morto!
Nao se sobrecarregue com as traduçoes! Respeite seus limites! A gente adora seus trabalhos e de Emineh, mas vamos ser pacientes em esperar e compreender a demora!
De qual estado vc é, Neusa?
Fique com Deus!
E vamos que vamos no embalo da paixao pelo Crhistian Grey, suas traduçoes e pelo blog da Emineh!
Bjkas, minha querida!
Dani
:)

Leda Carneiro said...

Capítulo maravilhoso. Também estou sentindo falta do próximo da série Pella, fiquei querendo mais.

Adriana Eves said...

Nossa que delicia, ameiiiiii aguardo ansiosa próximos capítulos......

Nilvânia said...

Emine,
É claro que eu amei a trilogia, e estava com vontade de reler os livros, mas encontrá-los sob a visão de Cristian está sendo estimulante e cada capítulo é uma agradável e deliciosa surpresa. Conhecemos a história toda e a expectativa de saber o que Cristian pensa me dá vontade de ler mais e mais...
Neusa, obrigada pela consideração em responder meu comentário. Estou adorando suas traduções e espero ansiosamente os próximos capítulos!
Nilvânia

Anonymous said...

Nossa que capitulo... É incriivel como Enine entende a cabeça do Cristian eu adori essa parte pq mostra que mesmo que ele esteja fervendo de raiva a Ana não se afasta e nem tem medo.... No proximo capitulo me da pena dela quando ele arejeita no banho... Mas com a escrita de Emine aposti que vamis cada vez mais intender Cristian *-* obrigado Emine e Neusa pela otima traduçao vces sao demais! Caril Dutra

Daniela Martins said...

Minha Nossa Senhora!
Não temos um capítulo aqui sem a gente conseguir ler sem respirar direito!
Segurando a respiração até o último segundo!

Daniela Martins said...

Amando reler tudo novamente!
Não me canso nunca!
Bjkas
Dani
��

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry