StatCtr

Tuesday, July 23, 2013

LIVRO III – Capítulo XV - Christian e Anastasia Fanfiction

PEGUE-ME, SE PUDER
CAPÍTULO XV
Tradução: Neusa Reis



Abro a porta e relutantemente deixo que Anastasia saia do meu colo e ela desce do carro no estacionamento. Eu rapidamente fecho minha braguilha, e seguindo minha esposa, eu a deixo subir no assento do passageiro. Eu rodeio o carro e chego ao lado do motorista, e pego o Blackberry do meu assento; eu chamo a minha inepta equipe de segurança.

"Sr. Grey. Aqui é Ryan,” ele responde.

"Onde está  Sawyer?" Eu exclamo para ele com raiva.

"Eu o deixei no Escala, senhor,” ele responde.

"E o Dodge? Como é que Sawyer não está com você?"

"O motorista do Dodge esteve observando o Escala e decolou. Eu tive que deixar Sawyer no Escala, porque um de nós tem que estar com você em todos os momentos, por instruções de emergência de Taylor, e uma vez que a Sra. Grey estava dirigindo com você tivemos de improvisar, senhor. E a mulher que estava dirigindo o Dodge decolou depois de perceber nossa aproximação e atualmente estou atrás dela,” diz ele em um tom neutro.

"Ela?"

"Sim, senhor. Parece ser um motorista do sexo feminino, embora não seja muito fácil determinar, porque ela está usando um boné de beisebol, mas o cabelo dela parece ser longo. Embora as janelas estivessem fortemente matizadas, as características do condutor parecem ser femininas. Ela parece estar acelerando em um esforço para perder-me na I-5 Direção Sul, senhor."

"Fique colado nela," eu ordeno.

"Sim, senhor,” ele responde enquanto eu desligo. Quem é ela? Minha mente percorre as muitas mulheres que eu tinha conhecido e fodido, ou trabalharam para mim, mas ninguém parece se destacar como o tipo para fazer esse tipo de dano. Quem? Quem? Quem? Eu olho para Anastasia. Eu quase posso ver o que ela está pensando mesmo que ela não coloque seus pensamentos em palavras.

"O motorista do Dodge é uma mulher?” Ela pergunta.

"Assim é o que parece," eu respondo calmamente. Porra! Eu preciso examinar isso atentamente. Estive pensando em cancelar a visita de Pella, mas isso muda tudo. Este pode ser o criminoso real, ou um cúmplice. Eu estou queimando de raiva.

"Vamos para casa,” eu digo ligando o R8, e reverto para fora do espaço de estacionamento.

"Onde, uhm... suspeito? (N.T. unsub – no original) O que isso significa, afinal? Parece muito BDSM para mim."

Deixe-o com Anastasia para colocar tudo com uma conotação sexual. Ela me faz sorrir mesmo quando eu estou queimando com raiva.

"Significa Sujeito Desconhecido (N.T. Unknown Subject). Ryan é um ex-FBI," eu explico brevemente.

"Ex-FBI?” Ela pergunta intrigada. Curiosidade não é bom para Anastasia.

"Não pergunte," eu digo balançando a cabeça. Eu não quero me debruçar sobre o passado do meu pessoal de segurança agora. O que eu preciso descobrir ao certo é a identidade da puta que estava nos seguindo.

"Bem, onde está o suspeito do sexo feminino?" Pergunta Anastasia. Aí vem a inquisição.

"Ela está na I-5, em direção ao sul,” eu digo com olhos sombrios. Alguma  cabeça de merda chegou perto de mim e minha esposa para nos ferir. Sinto o olhar de Anastasia em mim, apreensiva e preocupada mais uma vez. Apesar do fato de que eu tento protegê-la de toda essa merda, ela ainda recebe o calor, não é nada bom. Eu tenho que chegar a casa, e avaliar a situação. Captando o meu humor, Anastasia chega mais para mim, e corre os dedos pela parte de dentro da minha calça jeans na minha perna,  viajando para o norte em direção a minha virilha. Eu adoraria que ela continuasse sua missão, mas eu preciso resolver este problema. Eu seguro a mão dela antes que ela vá mais longe.

"Não,” indico claramente. "Nós já viemos até aqui. Tenho certeza que você não quer que eu tenha um acidente a três quarteirões da casa,” e levo sua mão à boca, sentindo sua decepção. Eu não quero que ela pense que eu não a quero. Mas este não é o momento certo, e eu preciso de todas as minhas faculdades reunidas. Ela pode me afetar com facilidade, e no que se refere a ela, eu já sou um soldado meio saudando-a em todos os momentos. Eu tenho que estar no comando, no controle. Anastasia tira a mão, e permanece em silêncio por um momento, remoendo algo em sua cabeça.

"Feminino?” ela pergunta.

"Aparentemente, sim,” eu digo suspirando, e marcando o código para a garagem do Escala, eu viro o R8 para a garagem subterrânea do edifício.

"Eu realmente gosto deste carro,” ela murmura, e agradeço a Deus por seu curto tempo de atenção para mudar seus pensamentos do criminoso.

"Eu também. E eu gosto de como você lidou com isso, e como você conseguiu não amassá-lo."

Depois de eu estaciono o carro em uma das minhas vagas, ela se vira para mim sorrindo e diz: "Você pode me comprar um para o meu aniversário."  Minha boca cai aberta. Como na terra é que ela consegue fazer isso comigo no meio de uma tempestade virtual? Ela consegue me surpreender cada vez. Minha esposa, Anastasia Rose Grey que brigaria e argumentaria comigo por dar-lhe um presente, um mero conjunto de livros, agora está me pedindo para lhe comprar um R8?

"Um branco, eu acho,” diz ela inclinando-se para baixo.

Eu finalmente consigo sorrir para ela. "Anastasia Grey, você nunca deixa de me surpreender." Ela sorri e sai do carro. Minha mente está correndo. O que eu quero é aliviar os limites deste sentimento; a sensação de estar sobrecarregado. O que eu preciso é de controle, o que eu preciso é uma boa, fora deste mundo, enlouquecedora foda com a minha esposa. Talvez aqui, agora mesmo! Eu me movo para Anastasia, meus olhos fixos nela com uma apreciação carnal, e eu olho para ela desde o topo da cabeça aos dedos dos pés. Meus olhos permanecem em seus quadris e nas pernas. Eu estou na frente dela, muito próximo, inclino-me para baixo e sussurro:  "Você gosta do carro. Eu gosto do carro. Eu fodi você dentro dele... talvez eu devesse foder você sobre ele." Ela suspira em resposta. Tão pronta para mim. Uma palavra sussurrada, um olhar, um gesto, e ela é massa de modelar em minhas mãos. É apenas justo, pois, eu já sou na dela. Porra, eu nunca me canso dela! Logo em seguida um elegante BMW entra na garagem, e minha ansiedade, que estava momentaneamente escondida atrás de uma cortina mental,  está evidente novamente. Estou chateado, mas eu acho que é melhor. Nós vamos fazer isso numa outra vez. Eu sorrio maliciosamente para Anastasia.

"Mas parece que temos companhia. Venha,” eu digo pegando a mão dela. Eu posso fazer mais no meu apartamento. Caminhamos para os elevadores, e eu aperto o botão de chamada. O cara que dirigia o BMW nos alcança, e se une a nós na espera. Eu olho o homem, avaliando-o. Um cara jovem, antes dos  30,  vestido casualmente, com o cabelo escuro, longo, em camadas. Ele está nos noticiários ou na TV. Cheira a dinheiro do papai. Sua visão periférica pega a minha esposa. Ele já está aprisionado por ela. Quem não estaria? Ela exala uma beleza inocente. E agora, ela está toda fodida e despenteada, e tem o brilho de uma mulher que está bem satisfeita. É irresistível para qualquer homem. Eu me movo puxando minha esposa mais perto, declarando meu território.

"Oi,” o filho da puta diz imediatamente. Cumprimento com a cabeça em resposta. Não estou com vontade de falar com alguém que está de olho na minha mulher.

"Acabei de me mudar. Apartamento dezesseis,” diz ele. E por que você acha que precisamos saber esta informação? Eu não dou uma merda!

"Olá," Anastasia diz com um sorriso. Ela o examina, não de uma forma carnal, mas curiosa. Não seja curiosa sobre outros homens! Eu a aperto um pouco mais para lembrá-la do fato.

Quando o elevador chega, todos nós entramos.  Eu olho para a minha esposa para ela se concentrar em mim. Não neste desgraçado. Eu! Eu sou o marido que você acabou de foder em um estacionamento fechado, de uma forma muito licenciosa, lembra?

"Você é Christian Grey,” diz o filho da puta enamorado.

Dou-lhe um sorriso forçado reservado para as pessoas que eu realmente não me importo, mas preciso ser educado por razões óbvias.

"Noah Logan,” diz ele, apresentando-se. Ele estende a mão, e as convenções sociais me fazem relutantemente segurar sua mão. Eu a aperto firmemente para que ele entenda quem é o cão superior.

"Que andar?” Ele pergunta.

"Eu tenho que inserir um código."

"Oh.”

"Cobertura.”

"Oh,” ele sorri largamente. "É claro,” ele responde como se ele acabasse de  perceber que eu tenho o melhor apartamento. Ele pressiona para o 8 º andar e as portas do elevador se fecham. "Sra. Grey, eu presumo,” diz ele fixando o seu olhar sobre Anastasia.

"Sim,” ela diz sorrindo, e sacode sua mão. Com a oportunidade dada pela apresentação, ele olha para ela e cora. Cora! Outra porra de admirador e eu seguro minha esposa mais apertado. Ela é minha! Mantenha os seus olhos, e sua distância dela!

"Quando você se mudou?" Pergunta Anastasia. Por que diabos você está curiosa?

"No último fim de semana. Eu adoro o lugar."  Claro que você adora. Agora que você já conheceu minha esposa, eu aposto que você gosta dele ainda mais! Eu não digo nada. O silêncio constrangedor continua porque ele percebe que eu estou territorial, o meu olhar está fixo sobre ele dizendo 'vá se foder!' Ele dá um breve suspiro de alívio quando o elevador chega ao seu andar.

"Prazer em conhecê-los a ambos,” diz ele e vai embora rapidamente. Quando as portas se fecham, eu insiro o código para a cobertura, e o elevador começa a sua ascensão novamente.

"Ele parecia legal,” diz Anastasia. "Eu nunca conheci nenhum dos vizinhos antes." Eu fecho a cara. Ela não precisa conhecer ninguém, especialmente se eles vão cobiçá-la como esse sacana.

"Eu prefiro assim."

"Isso é porque você é um eremita. Eu achei que ele era bastante agradável." Que diabos?

"Um eremita?"

"Eremita. Preso em sua torre de marfim,”  diz ela. Deixe isso para a minha mulher para me simplificar em uma frase elementar. Ela muda meu humor, me deixa sem palavras. Um pequeno sorriso se arrasta até o meu rosto.

"A nossa torre de marfim. E eu acho que você tem outro nome a acrescentar à lista de seus admiradores, Sra. Grey. "

Ela revira os olhos para mim, o que poderia merecer-lhe uma surra. Espero.

"Christian, você acha que todo mundo é um admirador."

"Você acabou de rolar seus olhos para mim?"

Sua respiração suspende. Seus olhos se dilatam. Ela olha esperançosa. "Tenho certeza que fiz,” ela sussurra em voz baixa.

Todos os tipos de punições podem ser aplicadas a esta transgressão, e eu não me importo de aplicar qualquer uma delas se ela assim o desejar. Eu inclino minha cabeça para o lado,  arrogante. O meu olhar é divertido. "O que vamos fazer sobre isso?" Pergunto hipoteticamente.

"Algo rude." Que porra é essa? Ela acabou de dizer isso? Ela quer algo... rude?

Estou completamente chocado ao ouvi-la.

"Rude?" Pergunto,  pensando que eu poderia ter ouvido errado.

"Por favor,” ela responde com desejo.

"Você quer mais?" Após o ‘sexo carro’? Ela acena com a cabeça confirmando sua resposta lenta e claramente. As portas do elevador se abrem. Sou todo ouvidos, e ...pau. Quero dizer ‘pau armado’. Quero dizer, você sabe o que quero dizer...

"Como rude?" Pergunto, sua respiração pesada, meus olhos escurecendo com o desejo.

Ela olha para mim sem uma resposta. Ela quer que eu escolha? Nós teremos alguma porra de diversão! Eu empurro a porta dupla para encontrar Sawyer em pé no corredor. Ele está esperando para ser entrevistado. Mas, agora, eu não dou uma merda. Não haverá qualquer entrevista até que a Sra. Grey esteja devidamente fodida e completamente satisfeita.

"Sawyer, eu gostaria de ser informado em uma hora."

"Sim, senhor,” ele diz indo esperar no escritório de Taylor.

Eu olho para a minha esposa. "Rude?" Pergunto, em busca de confirmação. Ela acena com a cabeça confirmando, em resposta.

"Bem, Sra. Grey. Você está com sorte. Eu hoje estou atendendo a pedidos."

"Você tem alguma coisa em mente?" Pergunto ligando-a com meu olhar. Ela simplesmente dá de ombros, completamente sem fôlego, como se ela tivesse corrido uma maratona, e ela parece afobada. Por quê? Toda a emoção de mais cedo? Ela está de mau humor? Eu sei como acalmar e tomar a borda de todos esses sentimentos.

"Kinky fuckery?"  Pergunto baixinho. Ela acena com a cabeça, seu rosto fica carmesim. Depois de toda a merda que nós fizemos, ela ainda pode corar como louca, e eu adoro isso nela. Ela me seduz. Ela precisa de uma sacudida. Ela precisa de afirmação. Eu preciso fazê-la se sentir viva e excitada para estar comigo.

"Carte Blanche?” eu sussurro. (N.T. Carta Branca?) Ela está nervosa, mas quente e excitada. "Sim,” ela murmura. Eu sorrio. Porra, sim!
"Venha,” eu digo puxando-a para as escadas. Nós vamos jogar. Eu preciso disso tanto quanto ela. Eu preciso dessa conexão. Eu preciso sentir que estou no controle de alguns aspectos da minha vida, de nossas vidas. Eu preciso me sentir no comando. Eu preciso me sentir como aquele homem que eu sou. Quando chegarmos ao topo da escada, eu largo sua mão para abrir a porta da sala de jogos. Ela está pendurada no chaveiro Yes Seattle que  Anastasia me deu confirmando sua resposta à minha proposta.

Eu balanço a porta aberta, e com um movimento da minha mão, eu digo: "Depois de você, Sra. Grey."

Anastasia caminha lentamente. Eu acendo as luzes suaves, fecho a porta atrás e tranco. O cheiro familiar de couro, madeira e citrinos está sempre presente. Viro-me para a minha esposa e encontro-a olhando para mim. Eu olho para ela inclinando a cabeça para um lado. O que exatamente ela quer? E por que é que ela quer? Eu preciso saber.

"O que você quer, Anastasia?" Pergunto baixinho.

"Você,” ela responde. Essa é uma resposta ampla, e um dado. Eu já sou dela.

Eu sorrio maliciosamente em resposta. "Você me tem. Na verdade, você me teve desde que você caiu no meu escritório." Ela toma fôlego tremendo e responde:

"Surpreenda-me, então,  Sr. Grey."

Com prazer. Eu sorrio com a promessa carnal em meus lábios. "Como quiser, Sra. Grey." Cruzo meus braços, e levantando minha mão, eu esfrego meus lábios com o dedo indicador, avaliando Anastasia.

"Eu acho que nós vamos começar privando você de suas roupas,” eu digo enquanto eu dou um passo a frente em direção a ela. Eu seguro a frente de sua jaqueta jeans e abro. Lentamente inserindo minhas mãos sob ela, eu a empurro para fora de seus ombros. Ela cai no chão. Então eu pego a bainha de sua blusa preta.

"Levante os braços," Eu ordeno. Ela obedece instantaneamente. Eu a tiro fora dela. Eu me inclino e planto um beijo suave em seus lábios. Meu corpo está vibrando com  luxúria e desejo, meus olhos estão exalando o meu amor por ela. Eu deixo cair sua blusa no chão.

"Aqui," ela me diz me dando o laço de cabelo. Eu me imobilizo por um momento. Ela sabe que eu amarro seu cabelo quando temos kinky fuckery dura. Queremos fazer isso? Eu sei que ela quer, e Deus sabe que eu quero. Eu preciso disso. Realmente, desesperadamente preciso disso. Vai me fazer me sentir no controle, mesmo que seja só por um pouco de tempo, quando tudo parece fora de controle. Mas eu não quero machucá-la, ou marcá-la. Eu não quero que seja isso o que nos separa. É uma água difícil de atravessar. Porra! Ela parece comestível! Pego o laço do cabelo dela sem afastar o meu olhar.

"Vire-se de costas,” eu ordeno, depois de ter tomado minha decisão. Ela o entrega. Ela quer isso tanto quanto eu. Ela parece aliviada também. Eu recolho o cabelo para cima e tranço rapidamente, e, em seguida, prendo-o com o elástico. Faço a trança e puxo sua cabeça para trás.

"Bem pensado, Sra. Grey," eu sussurro em seu ouvido, e belisco seu lóbulo da orelha. "Eu quero que você agora se vire e tire sua saia fora. Deixe-a cair no chão. Lentamente," eu digo e a solto. Recuando, ela se vira para me encarar. Seu olhar travado com o meu, ela desabotoa o cós da saia, e lentamente puxa o zíper para baixo. Sua saia flutua  e cai no chão, amontoando-se a seus pés.

"Saia de sua saia," Eu ordeno, e ela pisa em minha direção. Sem deixá-la mover-se mais longe, eu me ajoelho na frente dela, e segurando o tornozelo direito, eu desato as sandálias uma de cada vez. Ela segura na parede para equilibrar-se. Depois de retirar suas sandálias, eu balanço para trás sobre os calcanhares e olho para minha esposa que parece gloriosa apenas em seu sutiã e calcinha. Porra! Que vista magnífica. Eu sou um sortudo filho da puta!  "Você é uma bela visão, Sra. Grey," eu sussurro. A vontade de me enterrar nela é esmagadora, e inebriante. Eu me ajoelho e agarro seus quadris e puxo-a para mim. Enterrando meu nariz no ápice de suas coxas, eu a inalo profundo, deixando seu perfume saturar dentro da minha cabeça, me dando uma subida.



"E você cheira a você e a mim e a sexo,” eu digo bruscamente. "É sedutor, inebriante."

Eu beijo-a através da calcinha rendada, e sinto-a ficar mais úmida. Ela suspira e um arrepio percorre seu corpo inteiro. Tudo bem. Então eu a deixo ir, e recolho suas roupas do chão e levanto-me.

"Eu quero que você vá e fique ao lado da mesa,” eu digo em voz calma, de comando, indicando a direção com meu queixo. Então eu me encaminho para a cômoda de brinquedos. Ela olha cada movimento meu, cada passo que dou, e cada gesto que eu faço. Eu sorrio com malícia. Ela está cativada.

"Olhe para a parede,” eu ordeno. "Dessa forma, você não vai saber o que eu estou planejando. Nosso objetivo é agradar, Sra. Grey, e você queria uma surpresa."

Ela se afasta de mim, mas curiosa, toda atenção. Ela espera...

Depois de guardar suas sandálias e suas roupas, eu tiro meus próprios sapatos, devagar e calmamente. Construindo sua expectativa. Eu me encaminho para a cômoda onde guardo os brinquedos, e abro a gaveta. O que devo fazer para você, Sra. Grey? Ah, sim... Acho que vai se divertir com isso. Minha esposa ainda é virgem, por assim dizer. Uma virgem anal. Estou pensando que iremos corrigir essa situação muito em breve. Eu pego alguns outros brinquedos que irão intensificar o prazer dela, e minha excitação. O que dá prazer a ela, excita-me... Imensamente. Meu prazer é diretamente proporcional ao dela. É uma equação muito simples, realmente.

Eu vou para o som e escolho a música para esta cena. Um sutil som sibilante enche a sala, em seguida, os acordes tristes de um piano solitário são ouvidos. Os acordes da Great Gig in the Sky começam a tocar. Eu tiro minha camisa e coloco junto com suas roupas.


Great Gig in the Sky - Pink Floyd

Quando o vocal feminino começa cantando seus lamentos, eu calmamente caminho em direção a minha esposa. O único som que não é da música é o ruído dos meus pés sobre o chão de madeira. Estou atrás dela, em pé, sem tocá-la. Eu me inclino e respiro minha pergunta em sua orelha esquerda.

"Rude, você disse, Sra. Grey?"

"Hmm.”

"Você tem que me dizer para parar, se for demais. Se você disser pare, eu vou parar imediatamente. Você entendeu? " Pergunto  enquanto Pink Floyd começa cantando.

 "E eu não estou com medo de morrer a qualquer momento que seja, eu
não me importo. Por que eu deveria ter medo de morrer?
Não há nenhuma razão para isso, você vai ter que ir algum dia.
Eu nunca disse que eu estava com medo de morrer..."

A música é de outro mundo; com a presença da minha esposa, neste estado, submetendo-se a mim, é simplesmente o céu.

"Sim,” ela responde. Isso não é suficiente. Eu não quero que ela tente aguentar e, em seguida, me deixe. Eu quero ser capaz de confiar nela nesta sala, na verdade, em todos os lugares, mas é muito imperativo que ela se comunique comigo. Somos amantes. Parte de dar prazer a um amante passa por confiar totalmente no outro. Eu quero confiar nela. Confio que ela vai me dizer se é esmagador.

"Eu preciso de sua promessa," Eu digo comandando. O tom e o som da minha voz fazem com que ela inspire bruscamente.

"Eu prometo,” diz ela imediatamente.

"Boa menina,” eu digo, e inclinando-me eu a beijo em seu ombro. Eu coloco meus dedos debaixo de suas alças do sutiã, e traço meus dedos sobre toda a linha em suas costas. Um arrepio percorre seu corpo, e ela suspira desejosamente.

"Tire-o,” eu sussurro no ouvido dela, e ela o faz mais rápido do que uma bala. Ansiosa, Sra. Grey? Eu sorrio. Minhas mãos deslizam pelas suas costas, eu engancho meus dedos em sua calcinha, e, lentamente, deixo-a deslizar para baixo. Uma vez que ela se junta em torno de seus pés, "Ande,” eu ordeno. E ela faz exatamente o que lhe é dito. Eu lentamente planto um beijo em seu traseiro.

"Vou agora vendá-la para que tudo seja mais intenso,” eu digo. Perder o sentido da visão, alerta o corpo para aumentar os outros sentidos; fazê-lo concentrar-se nos sentidos  de tato, olfato, paladar e audição para observar os arredores e sensações. E porque o corpo está hiper consciente de todos os outros sentidos, ele também aumenta o prazer em muitos níveis.
  


"Curve-se e deite-se sobre a mesa,” eu digo baixinho, mas com firmeza. "Agora.”

Ela imediatamente obedece, curva-se  e segura os lados da mesa. O seu rosto está encostado na superfície da mesa.

"Estique os braços para cima e segure na extremidade,” eu a instruo. Ela faz isso, hesitante.

"Se você soltar, eu vou bater em você. Você entendeu? " Eu pergunto.

"Sim,” ela diz compreendendo. Mas eu não quero fazer algo que ela não quer fazer. Eu quero o seu consentimento por todo o caminho.

"Você quer que eu a espanque, Anastasia?" Eu pergunto.

"Sim,” ela responde em um rouco sussurro, mal audível. Ela não tem certeza? Não quer? Ela está apenas tentando me agradar?

"Por quê?" Eu pergunto, tentando entender.

Ela encolhe os ombros em resposta. Isso não vai funcionar. Eu preciso saber. Eu preciso entender, assim eu não faço isso pelas razões erradas. É só por prazer.

"Diga-me," eu incentivo.

"Uhm...,” ela responde. Isso é uma não-resposta. Talvez um teste seja adequado. Eu levanto minha mão e bato em suas nádegas forte.

"Ah,” ela grita.

"Silêncio agora."

Eu esfrego sua bunda com a mão suavemente. Em seguida, encaixando-a entre meus quadris, minha ereção cavando nela, eu planto um beijo entre suas omoplatas e trilho beijos nas suas costas. Meu cabelo no peito esfrega nas suas costas, e minha ereção lembra-a do que está por vir e quem é o chefe, pois escava em sua carne macia através do tecido áspero da minha calça jeans.

"Abra suas pernas," eu ordeno.

Ela imediatamente obedece.

"Mais,” eu digo. Ela geme e abre as pernas mais amplamente.

"Boa menina,” eu respiro. Meus dedos traçam para baixo em suas costas, e logo ao longo da rachadura da sua bunda, e sobre o seu ânus.

"Nós vamos nos divertir com isso,” eu sussurro. Ela não vai  mais ser uma virgem anal. Não há necessidade de manter os bens na caixa, e escondidos. É melhor tirá-los e brincar com eles. Mais divertido.

Eu sigo o meu dedo sobre seu períneo e lentamente mergulho dentro de seu sexo.

"Estou vendo que você está muito molhada, Anastasia. É de mais cedo ou de agora? " Eu pergunto. É totalmente quente. Ela geme em resposta. Eu sei que ela está quente agora e desejosa por mim.

"Oh, Ana, eu acho que são as duas coisas. Eu realmente acho que você gosta de estar aqui, assim. Minha,” eu digo. A constatação de que minha mulher adora estar na nossa sala de jogos, sabendo que eu procuro, desejo e exijo controle absoluto nesta sala, sendo minha, é absolutamente espantosa. Ela não diz nada, mas sua linguagem corporal indica que ela ama estar aqui. Retiro meus dedos de seu sexo e bato em suas nádegas duro, mais uma vez.

"Diga-me,” eu sussurro em voz rouca, urgente. Eu preciso saber. Eu tenho que saber!

"Sim, eu gosto,” ela responde em um gemido. Sua resposta é uma fonte de excitação, êxtase mesmo.

Eu bato na bunda dela mais uma vez duro, e ela grita. Eu coloco dois dedos dentro dela neste momento. Retirando-os imediatamente, eu espalho a umidade sobre e em torno de seu ânus.

"O que você vai fazer?” Ela pergunta em voz ofegante. Ela quer saber se eu vou foder a bunda dela, mas meu pau é grande demais para a bunda dela agora. Ela é uma virgem anal. Eu não quero machucá-la. Este é um processo gradual.

"Não é o que você pensa,"  Eu a tranquilizo.  "Eu lhe disse, um passo de cada vez com isso, baby."  Eu pego o tubo de lubrificante na minha mão, e salpico em minha palma. Então,  espalhando ao redor da minha mão, eu levo meus dedos,  agora lubrificados, e começo a massagear seu ânus, suavizando-o, tornando mais fácil para o plugue anal deslizar dentro.  Ela se contorce sob o meu toque. Eu preciso que ela fique parada. Eu bato na bunda dela mais uma vez, mais para baixo, bem em seu sexo. Ela geme de prazer, como eu queria dela.

"Fique quieta," Eu a lembro. "E não solte."

"Ah," ela geme com desejo.

"Isto é lubrificação,” eu explico, e espalho mais sobre suas nádegas e ânus. Eu posso sentir seu corpo pulsando de excitação, aquecendo sob o meu toque.

"Eu queria fazer isso com você já há algum tempo, Ana,” eu digo em voz sombria. Ela geme em resposta. Eu tomo o plugue anal e esfrego-o para baixo em sua espinha.

"Eu tenho um pequeno presente para você aqui,” eu sussurro. Quando o plugue anal chega em sua rachadura, eu a abro com o plugue anal, e ele apenas desliza porque eu o lubrifiquei bem.

"Eu vou empurrar isto dentro de você muito lentamente, baby." Ela toma um fôlego,  tremendo na expectativa.

"Vai doer?" ela pergunta.

"Não baby. É um pequeno. Uma vez que esteja  dentro de você, eu vou foder você realmente duro” eu digo devasso. A excitação está total. Eu tinha querido fazer isso por um longo tempo.

"Pronta?" Eu sussurro.

Um muito tranquilo  "sim,” sai de seus lábios, quase um sussurro rouco. Eu corro meu dedo sobre sua bunda e períneo e deslizo o dedo em seu sexo novamente, acariciando delicadamente seu clitóris. Anastasia geme, e abre-se mais, empurrando seu sexo na minha mão. Enquanto  meu dedo dá prazer a ela dentro de seu sexo, meu polegar circula e massageia seu clitóris. Então, quando tenho certeza que seus músculos estão relaxados, eu lentamente empurro o plugue anal em seu ânus.

"Ah!" ela geme com a sensação que deve ser estranha para ela. Mas eu quero lhe ensinar os prazeres que eu posso oferecer a ela. O plugue desliza em sua bunda, e meu polegar agora gira dentro dela.

"Oh, baby!" Eu digo, completamente excitado, pronto para foder com ela até a próxima semana. Eu redemoinho meu polegar, mais uma vez e torço o plugue dentro de seu traseiro para proporcionar-lhe uma sensação de prazer, fazê-la sentir a estimulação orgástica que ele pode proporcionar, levando-a para a borda. Enquanto  eu giro o plugue, ela geme, longo e forte.

"Christian,” ela murmura o meu nome em uma ladainha truncada em seus lábios.

"Boa menina,” murmuro entre dentes. Eu abro minhas calças, e o meu pau salta para fora completamente ereto. Eu agarro o quadril de Anastasia e puxo-a para trás e abro suas pernas ainda mais, os meus pés efetivamente empurrando-as para mantê-las abertas.

"Não largue a mesa, Ana," Eu a advirto.

"Não,” ela suspira.

"Algo rude? Diga-me se eu sou muito rude. Entendeu?" Eu pergunto-lhe.

"Sim,” ela sussurra, e meu pau martela em sua profundidade. Enquanto eu empurro nela, eu puxo-a para mim, ao mesmo tempo, o que também sacode o plugue anal para frente, fazendo-o ir mais profundo espalhando a sensação por todo o corpo.

"Porra!" Anastasia grita.

Eu fico parado imediatamente. Eu quero que ela se acostume com a sensação. É incrivelmente agradável, mas igualmente intensa.

"Outra vez?" Eu sussurro a minha pergunta.

"Sim.”

"Fique deitada,” eu comando. Eu lentamente recuo, e martelo nela novamente.

"Sim,” ela sussurra, e essa é a minha deixa para pegar o ritmo. Eu repetidamente empurro e martelo dentro dela, cada vez minha respiração está ficando mais elaborada, estou singularmente focado, e a sensação nos encaminha a ambos ao precipício,  levando-nos mais alto, e mais alto.

"Oh, Ana," Eu suspiro. Isto é euforia, isto é céu. Esta é minha mulher. Eu passo a minha mão direita em seu quadril e giro o plugue de novo, e puxando-o lentamente, eu o retiro devagar e depois o empurro novamente, enquanto meu pau está fazendo o mesmo sem nunca perder uma batida, uma e outra vez e outra vez. Quando eu começo a sentir seu sexo apertando dentro, envolvendo meu pau como uma luva apertada, eu a sinto começar a tremer, e construir no interior. Eu acelero o meu ritmo, mais rápido e mais profundo. Eu estou perdido em nossa conexão; eu estou no comando de nossos prazeres.

"Ah, porra!" Anastasia geme.

"Sim, baby,” eu assobio através dos meus dentes.

"Por favor,” ela implora enquanto seu sexo fica mais apertado com o prazer sendo construído, começando a repuxar meu pau, tentando ordenhá-lo.

"Isso mesmo," eu respiro, e bem quando eu sinto seu zênite sendo alcançado por ela, bato em sua nádega direita e ela está perdida para o seu clímax. Ela goza em ondas rolando, uma e outra vez, passando a sensação para meu corpo através de nossa conexão, me levando com ela.

"Porra,” ela grita, e suas palavras são a minha perdição, eu gozo em jorros grossos agarrando seus quadris, e, finalmente, encontro minha própria libertação, segurando-a ainda.

Porque o som está em modo de repetição, a voz aveludada da cantora ainda está cantando sua melodia lamentosa. Anastasia está enrolada em meus braços, enquanto se senta no meu colo, e nossas pernas estão amarradas umas com as  outras. Ela está cansada, a cabeça está repousando contra o meu peito no chão da sala de jogos.

 "Bem-vinda de volta,” eu digo quando eu retiro fora a venda. Ela pisca os olhos para fazê-los se ajustaram à luz novamente. Com o meu indicador e o dedo médio eu inclino o queixo para cima, e beijo-a nos lábios, ao mesmo tempo que o meu olhar está à procura do dela, ansiosamente. O que ela pensou sobre essa experiência? Ela odiou? Amou? Incerta? Ela se chega para acariciar meu rosto delicadamente, amorosamente, e satisfeita. Alívio me inunda e eu sorrio.


"Bem, eu cumpri a tarefa,  Sra. Grey?" Eu pergunto, me divertindo.

"Tarefa?” ela pergunta franzindo a testa, sem entender a minha pergunta.

"Você queria rude," Eu a lembro suavemente.

Seu sorriso de resposta é um prazer de ver. "Sim, eu acho que você cumpriu..."

Ela acha? Eu levanto as sobrancelhas em resposta e sorrio de volta para ela. "Estou muito feliz em ouvir isso, Sra. Grey. Você parece completamente bem fodida e bonita neste momento,”  eu digo acariciando seu rosto e acariciando sua bochecha. Deus! Ela é linda!

"Eu sinto isso,” ela murmura.

Eu estendo a mão e beijo minha esposa, com doçura, ternamente, moldando meus lábios nos dela. "Você nunca decepciona." Eu me inclino para trás e olho para minha esposa em reverência.

"Como você se sente?"  Eu pergunto baixinho, ansiosamente. Esta é a sua primeira vez, como a virgem que ela era comigo. Eu preciso saber que eu não a machuquei, mas, novamente, eu também quero saber que eu a levei aos picos do prazer.

"Bem,” ela murmura sua resposta. "Completamente bem fodida,” diz ela timidamente. Sua resposta me pega de surpresa.

"Por que Sra. Grey, você tem uma suja boca suja,” eu digo com falso ultraje, mas é difícil para mim,  esconder minha diversão quando ela está bem satisfeita, e dizendo isso em voz alta. Porra! É mais uma ligada!

"Isso é porque eu sou casada com um sujo menino sujo, Sr. Grey,” diz ela, e essa resposta simples, essa frase simples me exalta, fazendo-me imensamente feliz. Eu sorrio tão grande que meu rosto dói, e seu sorriso de resposta é simplesmente incrível. "Estou feliz que você está casada com ele,” eu digo. Isso a faz completamente minha, à vista de todos, da sociedade e Deus. Ela é minha no céu e na terra. Que mais um homem pode pedir? Eu gentilmente agarro sua trança, e levantando-a, eu a beijo, meus olhos brilhando de amor por ela, irradiando-o de tal forma que só um homem apaixonado pode mostrar.

Minha simples ação faz brilharem seus olhos calorosamente. Ela estende a mão e pega a minha mão esquerda e delicadamente beija minha aliança de casamento. "Meu,” ela sussurra, e esta única palavra puxa algo no fundo do meu coração, me chamando para ela.

"Seu,” eu respondo, sem defesa. Meus braços se envolvem em torno dela mais apertado, e eu enterro meu nariz em seu cabelo, inalando seu perfume profundamente. "Devo dar-lhe um banho?" Eu pergunto.

"Hmm..." ela responde cansada. "Só se você se juntar a mim,” ela diz. Isso é facilmente feito.

"Ok,” eu respondo. Colocando-a em seus pés, eu levanto ao seu lado. Ela olha para minhas calças jeans que eu ainda estou vestindo.

"Você vai usar os seus... uhm... outros jeans?” ela pergunta. Que outras calças jeans ela está perguntando? Eu franzo a testa quebrando a cabeça.

"Outros jeans?" Eu pergunto.

"O que você costumava usar aqui,” ela diz.

"Esses jeans?" Murmuro surpreso. Esses são os que pertencem à minha persona Dom. É isso que ela quer aqui? Eles a ligam?

"Você fica muito quente neles,” diz ela timidamente.

"Fico?" Eu pergunto, subitamente muito interessado. Sua opinião importa, e eu estou constantemente fazendo anotações mentais.

"Yeah... Quero dizer, realmente quente,” diz ela, e é a minha vez de me sentir tímido. Eu nunca me sinto tímido. Por que me sinto assim? Será que é porque minha esposa pode me afetar profundamente? Eu sorrio para ela.

"Bom para você, Sra. Grey, talvez eu o use." Tornando-o um ‘definitivamente eu farei’. Eu inclino-me e beijo-a novamente. Em seguida, pego o pequeno pote sobre a mesa que contém o plugue anal, o frasco de lubrificante, a venda e as calcinhas rendadas da minha esposa.

"Quem limpa estes brinquedos?” Ela pergunta enquanto ela me segue para a cômoda.

Eu não tenho certeza exatamente do que ela está perguntando. "Eu. Sra. Jones,” eu respondo distraidamente.

"O quê?” Ela pergunta completamente surpresa. Sua resposta monossilábica me toma de surpresa, e eu finalmente concordo com a cabeça, divertindo-me com isso, mas também um pouco envergonhado. Eu desligo o aparelho de som. Eu digo a ela? Devo dizer-lhe e desligá-la. "Bem, uhm..." Uma das quinze... Atrevo-me a dizer isso?

"Suas subs costumavam fazê-lo?” ela pergunta.  Eu dou de ombros, me desculpando. Eu não quero falar sobre as quinze. Elas estão completamente acabadas. Ela é minha esposa, minha vida.

Eu entrego a minha t-shirt, "Aqui,” eu digo, querendo mudar de assunto. Ela colocá-a. Deixo os itens na cômoda, e pego a mão da minha esposa. Eu abro a porta da sala de jogos, e segurando a mão de minha esposa eu a levo para fora da sala, e a conduzo para baixo, para nosso quarto.

Entramos em nosso quarto e, em seguida, caminhamos até o banheiro principal. Ouço Anastasia dar um alto bocejo relaxante,  e ela estende os braços para cima, levantando a t-shirt quase até sua virilha.

"O que é isso?"  Eu pergunto quando eu abro a  torneira da banheira. Ela balança a cabeça como se quisesse dizer nada. Não, nunca é apenas nada com ela.

"Diga-me,"  Eu a persuado suavemente. Eu despejo um pouco de óleo de banho de jasmim na água corrente. O doce aroma enche o banheiro. É relaxante, e sensual tudo ao mesmo tempo.

Ela cora. "Eu me sinto melhor,” diz ela. Eu sorrio em resposta. Ela está completamente bem fodida, o que vai ter um efeito relaxante. "Você esteve em um modo estranho hoje, Sra. Grey," eu digo, e de repente eu a puxo em meus braços. Foi um dia estranho. Ela está estressada e preocupada, desde que ela ouviu sobre o incêndio criminoso, e apesar de eu compartilhar o mínimo possível, ela está tensa, chateada, nervosa, e tendo pesadelos. Eu não sei de que outra forma afastar esses sentimentos para longe. Eu quero protegê-la do mundo, e eu me sinto incapaz especialmente depois de perseguição de carro desta tarde.

"Eu sei que você tem estado preocupada com esses acontecimentos recentes. Eu realmente sinto muito que você esteja presa neles, baby. Eu não sei o que é, se é uma vingança, um ex-funcionário, ou um rival de negócios. Se alguma coisa acontecesse com você por minha causa... " Eu digo, minha voz quebrando no final. Estou em agonia. Ela enrola os braços em volta de mim, em tom tranqüilizador.

"E se alguma coisa acontecer com você, Christian?” Diz ela, com medo. Eu olho para baixo e procuro seu olhar. Ela está preocupada comigo como eu estou preocupado com ela? O medo está escrito sobre seus olhos e seu rosto. "Nós vamos descobrir isso. Agora vamos tirar esta camisa e vamos a esse banho. "

"Você não deveria falar com Sawyer?” ela pergunta.

"Ele pode esperar,” eu digo com a minha boca se mudando em uma linha dura. Eu vou fazê-lo tê-lo, mas ele pode se preparar para o momento. Eu tiro minha t-shirt dela, e quando ela me encara, eu franzo a testa. Eu ainda posso ver os chupões desbotados de nossa lua de mel sobre os seios. Merda! Por que me sinto tão culpado? Tudo o que a machuca, me machuca. Estamos conectados. Eu a amo. É simples assim. Eu a amo além do amor.

"Eu me pergunto se Ryan pegou o Dodge,” ela pergunta.

"Vamos ver após este banho. Entre." Eu estendo minha mão para ela. Ela pega-a, e entra na banheira.

"Ow!” ela protesta, enquanto ela afunda na água quente, o rosto estremecendo. Sua bunda deve estar doendo. Assim como ela estava quando ela perdeu a virgindade comigo.

"Devagar, baby,” eu digo baixinho. Eu tiro minhas roupas, e entro atrás da minha esposa, puxando-a contra meu peito. Eu preciso desta conexão. Eu preciso senti-la, abraçá-la, saber que ela está segura em meus braços. Ela se aninha entre minhas pernas, meu pau está tocando suas costas. Eu seguro sua trança com uma mão, e começo girando-a entre meus dedos, distraído.



"Precisamos olhar os planos para a casa nova. Mais tarde, esta noite?" Eu pergunto.

"Claro,” ela diz insegura. Por que ela está desconfortável? É sobre a casa? Os eventos do dia? A arquiteta?

"Eu tenho que me preparar para o trabalho,” diz ela em um sussurro.

O quê? Eu não quero que ela vá para o trabalho. Sempre que ela está longe de onde eu posso protegê-la, eu me sinto nervoso, inquieto, e em alfinetes e agulhas. Eu tenho todo o dinheiro do mundo para cuidar dela.

"Você sabe que você não tem que voltar a trabalhar,” murmuro.

"Christian, nós já ultrapassamos isso. Por favor, não 'ressuscite essa discussão’,” ela protesta. Essa é uma batalha que eu não vou ganhar. Com ela, eu tenho que escolher minhas batalhas. Uma das coisas que eu estou começando a aprender nos relacionamentos. Eu puxo a trança fazendo seu rosto inclinar para cima e para trás. "Apenas dizendo..." Eu murmuro e planto um beijo em seus lábios macios.

Após o banho estar terminado, eu coloco minha calça jeans e camiseta, e caminho para o meu escritório. Sawyer me segue atrás como um estudante errante indo para a sala do diretor.

"Onde porra você estava?" Eu grito assim que ele fecha a porta atrás.

"Sinto muito, senhor, perdemos você assim que a Sra. Grey entrou rapidamente no tráfego."

"Não me diga que você perdeu a aula no FBI quando eles ensinaram ao resto de vocês como pegar uma jovem mulher motorista, de 21 anos de idade, que é apenas semi proficiente na direção!" Eu berro. Ele fica carmesim até seu couro cabeludo.

"Você percebe o perigo em que você colocou a nós dois? É o seu trabalho se recuperar. É o seu trabalho  ser pelo menos um motorista melhor do que as pessoas que você está protegendo! Se ela avança o sinal vermelho, você não se senta no sinal girando seus polegares para esperar o próximo sinal verde! Você passa o sinal atrás dela! Se você for seguir a lei a cada passo, se simples sinais vermelhos vão impedi-lo de fazer o seu trabalho e colocar em troca, em risco, a vida dela, eu não preciso de você! Porra, você me entende, Sawyer?"

"Claramente, senhor."

"Como porra eu posso confiar em você para a proteção dela, quando você não consegue nem protegê-la com Ryan, e comigo presente? Você pode fazer seu fodido trabalho, ou eu tenho que demiti-lo e conseguir alguém que possa? "

"Eu posso, senhor. Isso não vai acontecer novamente."

"É melhor não! Eu não outorgo concessões, e eu não perdoo facilmente. Não há margem de erro quando se trata da Sra. Grey! Isso está absolutamente claro para você? "

"Sim, senhor. Perfeitamente claro. "

"Agora saia e descubra onde Ryan está! Assim que ele voltar, eu preciso ser informado por vocês dois! "

"Sim, senhor,” diz ele com o rosto pálido, e deixa o meu estúdio.

Eu corro minhas mãos nos meus cabelos, exasperado. Sento-me atrás de minha mesa. Eu tenho que recuperar o controle de todos os eventos ultrapassando nossas vidas. Eu pego meu Blackberry, e ligo para Welch.

"Sr. Grey?” Ele responde ao segundo toque.

"Welch! Falou com Sawyer ou Ryan hoje? "

"Sim, senhor. Eu estou a par. Dodge Preto com placas falsas. Eles disseram que era um motorista do sexo feminino."

"Alguma das  características pode ser combinada com algum criminoso ou alguém conhecido ligado a mim no passado?"

"É muito cedo para dizer, Sr. Grey. O suspeito não tinha marcas identificadoras. O documento era falso. Temos de recuar, senhor. Terei acesso a CCTV (é um sistema de televisão  que distribui sinais provenientes de câmeras localizadas em locais específicos, para um ou mais pontos de visualização) em torno de Seattle, e verei se consigo localizar a perseguição de carro em qualquer uma das suas câmeras que estivesse gravando. Talvez eu tenha que violar algumas leis para isso. "

"Faça isso! Eu quero o criminoso apanhado!"

"Eu tenho uma reunião com Pella amanhã à noite. Estamos ocupados na coleta de provas para avaliar, Sr. Grey.”

Isso pega-me de surpresa. "Eu pensei que ele viria na terça-feira."

"Não, ele virá na noite de segunda, mas ele vai encontrá-lo terça-feira, senhor. Precisamos informá-lo e dar-lhe tempo para examinar as provas que temos estado recolhendo, e discutir as nossas conclusões."

Eu exalo um longo suspiro.

"Tudo bem. Quero ser notificado imediatamente se descobrir qualquer coisa nos vídeos CCTV de vigilância. Enquanto isso, eu preciso avaliar os vídeos da sala de servidores da Grey House."

"Barney tem acesso a eles, senhor. Ele é um dos melhores caras de IT no estado de Washington, e ele conhece cada software antes que ele seja divulgado. Na verdade, ele está ajudando a mim  e minha equipe na tentativa de obter uma imagem clara, para que possamos usar o software de reconhecimento facial para comparar com os registros estaduais e federais, você sabe, FBI e assim por diante. Mas o mais importante, eu quero compará-lo com os nossos funcionários atuais e passados ​​para ver se podemos chegar a uma combinação."

"Eu vou falar com Barney sobre isso. Agora, aqui está o que eu quero que você faça. Eu quero segurança adicional para cada membro da minha família, e nós aqui, no mais tardar amanhã. Envie-me os nomes e origens dentro da próxima hora ou assim...”

"Vou ter que percorrer a lista da equipe de segurança e compilar uma lista para o senhor, e enviar-lhe a informação detalhada hoje. Eu agradeceria se você informasse sua família imediatamente, porque a Srta. Grey trancou-os fora da última vez, e ela não ia deixá-los entrar, senhor...”

"Deixe isso para mim. Eu quero os nomes, e uma vez que eu lhe envie a luz verde, eles devem estar no local às sete horas da manhã, antes que alguém saia para o trabalho.”

"Sim, senhor,” ele responda e desliga.

Agora, eu tenho que ligar para os meus pais, Elliot, e Mia... Eu dou um suspiro exasperado, passo as minhas duas mãos no meu cabelo, e sustento os cotovelos sobre a mesa, segurando minha cabeça em minhas mãos. Assim que eu descobrir a identidade do filho da puta, e de seus possíveis cúmplices, eu vou ter certeza que eles sofram tanto quanto eles nos fizeram sofrer. Você teve uma vez a chance de me foder, então agora é a minha vez!

Eu pego determinado o Blackberry da minha mesa, e disco o número da minha mãe.

"Olá,” ela responde.

"Hey mãe. Boa noite," eu digo.

****  *****
Leva-me quase uma hora para conversar com cada membro da minha família, informando-os sobre a segurança mais uma vez adicionada. Estou surpreso que foi mais difícil convencer minha mãe e Mia do que o meu pai e Elliot. Mas no final elas tiveram que concordar, com relutância,  que a segurança era necessária até que o criminoso seja preso.

"Mas, Christian! Honestamente, eu sou a única entre as minhas amigas que tem Rambos atrás delas! Você já tentou ir a um spa, com três enormes caras atrás de você? Admitindo-se que Lily goste deles, e ela sempre tenta despir-se bem quando um daqueles caras estão nas proximidades, e eles sempre estão, mas eles são irritantes! "

Deus, minha irmã é mais irritante às vezes do que qualquer outra mulher que eu já conheci!

"Mia, isto é apenas até o criminoso ser pego. Fomos perseguidos esta tarde logo depois que deixamos a casa de mamãe e papai. Claramente, quem quer que ele seja, sabe onde minha família está. Eu não vou colocar nenhum de vocês em risco. Você deve confiar em mim! Eu quero que você me prometa que não vai tentar escapar da segurança, ou deixá-los trancados do lado de fora da casa...”

Ela geme alto em resposta.

"Mia!" Eu ordeno.

"Christian, sua  merda de mandão não funciona comigo, e você sabe disso!"

"Mia, eu estou sob um monte de estresse. Não comece comigo! Esta é uma medida de segurança que todos devemos seguir. Até que o autor do crime esteja preso. Ok? "

"Tudo bem! Vou deixá-los entrar, e deixá-los me seguir. Mas o que diabos seja o seu problema, resolva-o em breve, porque é  cinco vezes a segurança que temos agora. Isto é sufocante!"

"Obrigado Mia!"

"Por nada... Oh, Christian...” diz ela suavizando.

"Sim?"

"Eu te amo. Fique seguro, ok? E Ana, também,” diz ela. Com a menção do nome de Anastasia, eu tomo uma respiração profunda. O pensamento está sempre atrás da minha mente. Assustando-me, mantendo o sono à distância, e me deixando nervoso. Eu não posso perder minha mulher, ou qualquer membro de minha família para algo, ou alguém amarrado comigo. É uma ferida de facada e a faca está torcendo non-stop.

"Eu vou. Eu também amo você, Mia.” Eu respondo e desligo.

Há um estranho barulho de bater na minha mesa, e eu percebo que é a caneta que eu estou segurando na minha mão. Minha mão está segurando a caneta muito apertada, meus dedos estão brancos, e minha mão está tremendo de raiva e frustração. Meus olhos estão em chamas. Eu preciso ir e malhar para aliviar este sentimento, mas não o farei até que eu tenha algum tipo de ponto de partida. Eu preciso ganhar o controle dos eventos que estão nos assolando. A única evidência que temos agora é o vídeo da sala de servidores da  Grey House.

De repente, é muito importante para mim vê-lo. Talvez eu possa reconhecer a pessoa. Eu disco o número de Barney. Ele responde no quarto toque.

"Olá, Sr. Grey. Desculpe-me, eu não consegui chegar ao telefone imediatamente. Eu estava na sala do servidor."

"Você está no trabalho?"

"Sim, senhor. Eu não tive acesso à sala do servidor até que o departamento de polícia nos deu um ‘vá em frente’, e eu queria examinar alguns dos itens. Falei com Welch depois que você falou,  e eu comecei a pensar...” diz ele.

"O quê? Você encontrou alguma coisa?" Pergunto esperançoso.

"Não, mas eu estou indo em um palpite, senhor. Agora, uma sala de servidor típica tem três diferentes sistemas: sistema mecânico, sistema elétrico e alarme e sistema de segurança. Para os dois primeiros, não há muito que eu possa examinar, além do que Welch e a polícia já tinham feito, e tinha sido zona proibida para nós. Mas para o terceiro, eu poderia fazer algo a respeito. Hoje à noite, quando eu estava pensando sobre o sistema de segurança, lembrei-me de ter instalado alguma coisa no sistema elétrico, que eu tinha totalmente esquecido."

"O que você instalou?"

"Warren, meu técnico de IT, esteve mudando algumas das configurações na sala do servidor no passado. Eu lhe disse que não, mas eu acho que ele fez isso de novo, há algumas semanas...”

"Barney, essa história está indo para algum lugar?"

"Eu instalei uma pequena câmera na sala do servidor apenas monitorando as prateleiras diretamente, porque eu não queria que meu set-up fosse mudado. De qualquer maneira, essa câmera é pequena e as imagens seriam granuladas, mas eu pensei que eu iria gravar Warren abrindo o rack UPS que eu o tinha proibido de mudar."

Rack "UPS?"  Eu pergunto.

"Suporte para Uninterruptible Power Supply, senhor. (N.T. Um UPS, popularmente conhecido como no-break. Entra em ação, alimentando os dispositivos a ele ligados, quando há interrupção no fornecimento de energia primária.)  Eu gosto de tê-lo isolado, como uma unidade separada e Warren gosta dele...” ele começa a vir com todos os dados técnicos em mim e quando ele ouve os meus gemidos, ele abrevia.
“... Bem, de qualquer maneira, senhor, o fogo começou justo no rack UPS. Esse é o que alimenta os servidores e realmente os mantém ininterruptos. Isso é o que eu estou tentando dizer. A pequena câmera que eu coloquei registra somente quando é acionada e o ângulo é diferente, mas eu apenas me lembrei que ela estava lá. E há feedback, uma pequena gravação... Acabei de verificar a data. Não é Warren; é claramente visível no vídeo. Eu estava prestes a compartilhar as informações com Welch... O vídeo geral em cima da sala grava os topos das cabeças das pessoas. Se uma pessoa tiver cuidado, ela pode evitar totalmente  exibir seu rosto na câmera, que foi o que aconteceu, senhor. Nós não pudemos identificar o criminoso com a alimentação dessa câmera."

"Mas, agora, você tem uma outra alimentação?" Pergunto esperançoso.

"Eu acredito que nós temos, senhor,” diz ele, e pela primeira vez desde o incêndio, eu me sinto aliviado. Alívio imenso! Deus abençoe os geeks territoriais que trabalham para mim. (N.T. é um anglicismo e uma gíria inglesa que se refere a pessoas peculiares ou excêntricas, obcecadas por tecnologia, eletrônica, jogos eletrônicos ou de tabuleiro etc.) Se pudermos identificar o criminoso, mesmo levemente, eu poderia até mesmo dar a Warren um bônus por monitorar Barney mexendo em seu perfeito set-up técnico e a Barney um bônus por querer monitorar as atividades de Warren para estragar seu estilo.

"Mostre-me o vídeo então..."

"Claro, senhor. Eu preciso que você faça login no servidor da Grey House. Eu estou lhe enviando o link por email. Eu estarei compartilhando o desktop com você, e você pode ver tudo o que eu estou vendo no meu monitor,” diz ele, e eu ligo o meu laptop. Depois de fazer login no meu e-mail eu localizo a mensagem de Barney com as instruções de compartilhamento de desktop.

"Eu vejo você no meu computador, senhor. Você está conectado. Eu vou deixar você ver o vídeo, senhor. E não haverá nenhum som, apenas vídeo,” diz ele.

"Ok.”

"O que eu vou tentar fazer é o seguinte: eu vou passar os vídeos lado a lado. O de cima, e o da minha câmera espiã.”

"Você acabou de dizer câmera espiã?" Eu pergunto. Ele limpa a garganta. “Existe uma loja ‘Spies R Us’ em algum lugar?”

"Sim, senhor. The Gadgets and Gears. Enfim...” diz ele limpando a garganta de novo, claramente desconfortável. Huh... Gadgets e engrenagens; o cara técnico Agente Q, do 007, o Quartermaster deve comprar lá também.   (N.T. Agente Q  é um integrante do MI-6, o serviço de inteligência britânico, responsável pela produção de engenhos tecnológicos sofisticados a serem usados pelos agentes do serviço, especialmente pelo agente 007 em suas missões. Quartermaster é o mestre de armas ou armeiro.)

Após 10 minutos de assistir o vídeo a partir de ângulos diferentes, eu digo, "Barney você pode combinar essas fontes para torná-las uma? Dessa forma, eu não perco os ângulos."

"Dê-me um minuto, senhor. É factível, uma solução simples...” diz ele. E, em poucos minutos, os vídeos estão combinados. É curto, mas ainda assim alguma coisa. É a evidência de que alguém estava em minha sala  do servidor. É tangível agora. Eu posso ver o criminoso nessa imagem. Eu o assisto algumas vezes. Há um quadro onde o criminoso olha em direção da câmera, mas ele se assegura de manter a cabeça baixa em todos os momentos, como se todas as paredes estivessem gravando-o.

"Segure isso bem aí,  Barney!" Eu digo. Ele congela a cena.

"O que eu quero que você faça é aumentar esta imagem particular," eu ordeno.

"A tomada pode estar granulada,  Sr. Grey, mas vou utilizar uma ferramenta de redução de ruído que pode me ajudar a resolver o problema,” diz ele, e a imagem, primeiro se  distorce na tela, em seguida, melhora só um pouco. Mas ainda não é muito clara.

Logo em seguida alguém irrompe através da minha porta do escritório. Eu levanto os olhos, sentindo-me bastante irritado pela intrusão, e já irritado. Vejo Anastasia entrar. Todo o meu aborrecimento e irritação desaparecem. Meus olhos estão fixos nela, e os dela em mim.

"Você pode melhorar a imagem ainda mais?" Eu pergunto, meu olhar firme em minha esposa.

"Vou tentar, senhor, mas eu talvez não seja capaz,” ele responde.

Anastasia caminha ao redor da minha mesa na minha direção. Eu viro minha cadeira para virar para ela, franzindo a testa. Aconteceu alguma coisa? Eu estive escondido em meu escritório por algum tempo. Mas aconteceu alguma coisa? Ela parece... chateada... Ela não diz nada, e apenas engatinha no meu colo e envolve seus braços em volta do meu pescoço. Estou alarmado imediatamente. O que há de errado?

"Uhm... sim, Barney. Pode esperar um momento?"

"Certamente, senhor."

Eu cubro o telefone no meu ombro para ter alguma privacidade de Barney.

"Ana, o que há de errado?" Ela não diz nada; apenas balança a cabeça. Algo deve estar errado. Porque esse apego? Eu levanto-lhe o queixo, e procuro a resposta em seus olhos. Ela puxa a cabeça, libertando-se de minha mão e simplesmente a enfia debaixo do meu queixo, e se enrola no meu colo como uma criança pequena, precisando de tranquilidade, proteção. Isso é o que ela precisa. Ela está preocupada. Seus braços me agarram com mais força.

Ainda confuso, eu envolvo meu braço esquerdo em torno dela, e beijo o topo de sua cabeça para dar a segurança que ela está procurando.

"Ok, Barney, o que você estava dizendo?" Eu pergunto.

"Eu estou tentando aumentar a imagem, senhor. Permita-me usar uma ferramenta diferente de Redução de Ruído... Ela pode funcionar melhor. Mas eu vou rodar o vídeo mais uma vez. Assim que chegar à imagem, eu preciso que você pressione, Controle e sinal de mais juntos, o que deve ampliar a sua visão da imagem na sua tela, senhor."

A fonte de  vídeo começa novamente. A imagem é uma imagem de CCTV preta  e branca, granulada, da câmara da sala do servidor. Há um homem com cabelo escuro que veste macacão claro na tela.

"Ok, Sr. Grey, agora, vamos saltar para a alimentação da câmara de espionagem. Eu preciso que você mantenha pressionada a tecla Alt e então pressione a tecla Tab e isso deve saltar você de uma fonte para a outra,” diz ele. Então, estamos em outro sinal de vídeo granulado. Agora vejo o homem com a cabeça baixa. Ele está caminhando em direção à câmera. Eu congelo o quadro. O homem está na sala do servidor ao lado dos racks dos servidores. Barney melhora a imagem que eu congelei. Eu ainda não consigo vê-lo bem o suficiente.
"Ok Barney, mais uma vez," eu peço. A imagem é ampliada, Anastasia se senta, completamente fascinada com o processo.

"É Barney fazendo isso?” Ela pergunta em voz baixa.

"Sim,” eu respondo. "Você pode escurecer a imagem de todo, Barney?"

"Vamos ver se isto vai funcionar, senhor." Ele faz a sua magia, e a imagem na tela primeiro borra, em seguida, muda o foco para um pouco mais nítida. O homem está evitando olhar para  qualquer lugar que não seja o chão, mas por causa do ângulo da câmera espiã, é mais perto do que o que tínhamos das câmeras de cima. Eu olho para a imagem na tela. Eu não posso reconhecer a pessoa no quadro. Anastasia se inclina, e imediatamente endurece. Ela o reconhece.

"Christian,” ela sussurra com a voz trêmula. "Esse é Jack Hyde." O quê?

"Você acha?" Eu pergunto,  completamente chocado.

"Sim. É a linha de sua mandíbula,” diz ela apontando para a tela. "E o brinco e a forma de seus ombros. Ele tem a estrutura igual também. Ele está ou usando uma peruca, ou ele cortou e tingiu o cabelo,” diz ela, completamente convencida.

"Barney, você está recebendo isso?" Pergunto a Barney e coloco-o no viva-voz. Então eu viro para Anastasia e olho para ela, nada satisfeito por ela reconhecer o tipo de corpo e os detalhes de sua forma até a curva de seus ombros.

"Você parece ter estudado o seu ex-chefe em muitos detalhes, Sra. Grey," eu digo colocando a ênfase na Sra. Ela é minha esposa. Ela era minha namorada quando ela estava trabalhando com ele. O único homem que ela deveria ter estudado era eu! Não aquele filho da puta!

"Sim, senhor. Eu ouvi a Sra. Grey. Estou rodando o software de reconhecimento de rosto em todo o CCTV digitalizado e nesta imagem da câmera espiã agora,” ele diz suavemente: "Ver onde mais esse babaca... sinto muito, senhora... este homem esteve dentro da organização." Babaca ficará muito bem! Tenho outros nomes para adicionar a essa lista! Eu olho para a tela de perto para ver se posso reconhecê-lo eu mesmo.

"Por que ele faria isso?" Pergunta Anastasia. Eu dou de ombros. Ele nem sequer passou pela minha cabeça, até este minuto. Meu sangue está fervendo de raiva. Eu estou com raiva. Este homem tinha sido chefe da minha esposa. Ele queria levá-la para Nova York, e ela quase foi com ele.

"Vingança talvez. Eu não sei. Você não consegue entender por que algumas pessoas se comportam da maneira como elas se comportam. Eu só estou com raiva que você tenha trabalhado tão perto dele,” enquanto minha boca se aperta numa linha dura.

"Nós temos o conteúdo de seu disco rígido, também, senhor,” acrescenta Barney.

"Sim, eu me lembro. Você tem um endereço para o Sr. Hyde?" Pergunto bruscamente. Temos que pagar-lhe uma visita.

"Sim, senhor, eu tenho."

"Alerte imediatamente Welch," eu ordeno.

"Claro que vou. Eu também vou fazer a varredura do CCTV da cidade e ver se consigo acompanhar seus movimentos,” diz ele. Esta é uma das razões pelas quais eu gosto de Barney: se eu pedir para ele fazer alguma coisa, ele não pergunta se é ilegal.

"Verifique que veículo ele possui," eu ordeno. Eu quero saber se ele é dono do Dodge.

"Senhor.”

"Barney pode fazer tudo isso?" Anastasia sussurra.

Concordo com a cabeça e sorrio.

"O que estava em seu disco rígido?" Ela sussurra.

Ela não precisa saber disso. "Nada de mais,” eu digo, sério imediatamente.

"Diga-me,” ela pressiona.

"Não."

"Era sobre você ou eu?"

"Eu," eu digo suspirando.

"Que tipo de coisas? Sobre o seu estilo de vida?” ela pergunta. Que porra é essa! Que coisa para perguntar quando estou no telefone com o chefe do meu departamento de IT. Eu estreito meus olhos sobre ela em advertência e ela franze a testa.

"É um Camaro 2006. Vou mandar os detalhes da licença para Welch, também, senhor,” diz Barney.

"Bom. Deixe-me saber onde mais aquele filho da puta esteve no meu prédio. E confira esta imagem com o de seu arquivo pessoal da SIP. Eu quero ter certeza de que temos uma compatibilidade,” eu digo, olhando para Ana com ceticismo. Eu quero estar mais de 100% certo. Um Dodge nos perseguiu, e não um Camaro. Se não for o seu veículo, ele pediu emprestado? Roubou? Será que ele tem um cúmplice? Merda!

"Já está feito, senhor. E a Sra. Grey está certa. Este é Jack Hyde,” diz ele.

Anastasia sorri em sua reafirmação. Eu esfrego suas costas em resposta.

"Muito bem, Sra. Grey," eu digo sorrindo de volta para ela. "Deixe-me saber quando você tiver seguido todos os seus movimentos em HQ. (N.T. Headquarter – Grey House). Também confira qualquer outra propriedade GEH que ele possa ter tido acesso e deixe as equipes de segurança saberem, para que eles possam fazer uma outra varredura de todos aqueles edifícios."

"Senhor.”

"Obrigado, Barney," eu digo desligando.


Temos um filho da puta, e seus possíveis cúmplices para pegar. Há um monte de coisas que eu gostaria de fazer com ele, e nenhuma delas deve ser mencionada na companhia de Anastasia.

22 comments:

Joenes Carvalho Alves Xavier said...

Parabéns por mais um capítulo maravilhoso, contagem regressiva para o próximo, bjs

Pao said...

A cada momento mejor toda la historia gracias por este gran trabajo que hacen ustedes.

Majory said...

Ahh que capitulo maravilhosoooo ... E o resto ? é o livro 4 ? vai ser traduzido ?

Emine você arrasa ....

Majory said...

Ahh que capitulo maravilhosoooo ... E o resto ? é o livro 4 ? vai ser traduzido ?

Emine você arrasa ....

Olidelgi said...

Esse Christian é realmente muito quente e sabe fazer sexo como poucos. Uau!!! Que capítulo maravilhoso, Neusa. Ansiosa pelo próximo.
Bjs

Daniela Martins said...

Oi, Neusa, tudo bem com vc?
Vc tambem merece os parabens pelo seu trabalho nas traduçoes. Ja li os capitulos em ingles que Emine publicou e vejo que vc é bem fiel ao conteudo dela nas traduções. Parabens! Andei meio sumida dos comentarios pela correria do trabalho, mas sempre leio qdo Emine e vc publicam!
Bjkas
Dani

Sônia said...

Maravilhoso trabalho, li de um folego até agora. Estou ansiosa pelo restante do livro e pelo quarto. Parabéns, Emine> Parabéns e obrigada Neusa.

Neusa Reis said...

Oi meninas, o que houve? Desta vez muito poucos comentários. Fico triste quando não as encontro por aqui, adorando tudo que a Emine escreve. Agradeço a todas que comentaram e a Daniela Martins os comentários específicos. Tem um grupo traduzindo o que a Emine escreve e colocando na Internet que é um verdadeiro desrespeito à qualidade do trabalho dela. Há que tentar entender e passar o pensamento do autor, o mais fielmente possível.
Majory, o livro 4 vai ser traduzido sim, tão logo termine o 3.
Olidelgi sempre presente. Pao retornou, que bom. Joenes e Sonia,Prazer em tê-las aqui.
E apareçam todas para tomar um café. Rsrsrs... E não me agradeçam a tradução, faço isso com alegria e por prazer.
Beijos

Fernanda said...

olá, sou nova por aqui, mas mto empolgada com este blog,e gostaria de saber qual a previsão do restante dos capítulos... mesmo sabendo o que acontece, a versão grey tb nos prende! mto bom! parabéns pela ótima tradução

Tati said...

Adorei!!!! sera que pella aparece no próximo?????

deia said...

Amo esse blog!acho a versão C.G bem melhor que a original.a tradução é perfeita!!
Parabéns a Neide e a Emine.
Quando sai o próximo???bjss
Andréa

deia said...

Parabéns a Emine e a Neide!!que fazem a minha semana melhor a cada capitulo!

Mari Lins said...

Encantada como sempre. Agora já não sei se torço para Emine escrever e Neusa traduzir Grey ou Pella. Duas histórias para lá de contagiantes e envolventes. Pelo menos o Pella dá uma passadinha por aqui. Sei que no próximo capítulo teremos o encontro de Grey e Pella em uma reunião, aí vou ter um conflito pessoal enorme, qual dos dois? Meu Deus não vejo a hora. Obrigada mais uma vez.

Leda Carneiro said...

Sempre ansiosa por mais.

Rosangela Maria Cabral Corvalan said...

Oi Neusa, boa tarde!!!
Li o capítulo já fazem alguns dias, ando meio ocupada e não postei nenhum comentário, desculpe-me!
Está perfeito, como sempre, realmente a versão CG é muito muito boa, e a serei Pella então, como se diz OMG, sinceramente não sei com qual dos dois "SONHAR" ...affiiii!!!
Obrigada Neusa por sua dedicação e obrigada Emine por nos dar esta oportunidade de conhecer seu trabalho.
Beijos para vocês, bom final de semana e até semana que vem para aproveitar nosso "cafezinho"

Daniela Marques said...

Oi Neusa, deixei um comentário no capítulo 13...mas vc nem respondeu :( vai ele novamente abaixo:

Sem palavras...depois de ler o livro 1, o livro 2 e agora os capítulos do livro 3, na versão de CG, escritas por Emine...sem comentários de tão profundo e tão íntimo a versão que Emine escreve e Neusa traduz com perfeição...esperar a boa vontade E.L. James escrever isso seria uma tortura. Obrigada Emine e Neusa...ansiosa pelos próximos capítulos...pq já sabemos que tem muita tensão ainda prá acontecer. Bjos. Tomara que esse seja o meu primeiro comentário de mtos e que vontade de estar dentro dessa história...rsrs

Daniela Marques said...
This comment has been removed by the author.
Natii said...

Como eu admiro o trabalho de vcs, cada vez que leio fico mais que encantada e feliz por saber que exite pessoas abençoadas com essa capacidade , fico maravilhada a cada capitulo pois amooo de paixao esses dois , eles fazem meus dias quentes e feliz , eles prendem minha total atenção e vcs tem toda a minha atenção sempre, amoo e amooo esse grande trabalho!! e como sempre ansiosissima pelos proximo..

Até meninas e valeu sempre :)

Beijos da Natiii

Natii said...

Como eu admiro o trabalho de vcs, cada vez que leio fico mais que encantada e feliz por saber que exite pessoas abençoadas com essa capacidade , fico maravilhada a cada capitulo pois amooo de paixao esses dois , eles fazem meus dias quentes e feliz , eles prendem minha total atenção e vcs tem toda a minha atenção sempre, amoo e amooo esse grande trabalho!! e como sempre ansiosissima pelos proximo..

Até meninas e valeu sempre :)

Beijos da Natiii

marcia marcelino da rocha said...

PARABÉNS , fiquei tão feliz , que vcs tem esse Blog , capítolo maravilhoso,bjs

Daniela Martins said...

Oi, meninas do cafezinho!
Passando novamente por aqui!
Relendo tudo mais uma vez!
Cada vez que leio este POV me apaixono mais!
Bjkas
Dani

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry