StatCtr

Wednesday, May 1, 2013

Livro II - Capítulo XV - Christian Grey e Anastasia Steele



CAPÍTULO QUINZE
Torturas acabem comigo,
Morte seja minha amiga;
De todas as dores, a maior dor
é amar, e amar em vão.
Tradução: Neusa Reis


"Eu estava com tanto medo,” é tudo que eu posso sussurrar. Apavorado até o âmago, como eu nunca antes estive. O sentimento de perda é angustiante. Anastasia engole em seco com alívio e seus olhos nadam em lágrimas nascendo. Eu mantenho o meu olhar sobre ela, sem pestanejar, e com uma voz suave e baixa, continuo.  

You’re the Only Woman - Ambrosia

"Quando eu vi Ethan chegar a seu prédio, a horrível compreensão me ocorreu. Alguém tinha deixado você entrar em seu apartamento e não tinha sido  ele. Tanto Taylor quanto eu pulamos  para fora do carro muito rápido. Nós só sabíamos que ela tinha deixado você entrar e ao vê-la daquele jeito com você... e armada com uma pistola. Eu morri mil mortes, Ana! Vendo alguém ameaçando-a... ameaçando a sua vida..." Eu engasgo com minhas palavras, e fecho meus olhos bem fechados. Eu só posso sussurrar o resto dos meus pensamentos. "Esse foi o meu pior medo realizado. Eu estava tão zangado com todos... Tão irritado com ela, com você," eu digo engolindo em seco, e olhando em seus olhos, “com Taylor, e comigo mesmo. Eu acho que eu estava zangado com o mundo inteiro."

É difícil falar em palavras a agonia consumindo meu coração, o fogo do inferno queimando dentro de mim. "Eu não sabia o quão volátil Leila seria. Eu não sabia o que fazer. Eu me senti impotente! " Eu digo olhando em seus olhos atormentados, querendo que ela me entenda. "Eu não sabia como reagir, Ana. Eu estava com medo por você." Eu paro para organizar meus pensamentos, aliviar meu coração batendo fortemente. Eu olho para o rosto dela analisando, tentando ver se eu estou chegando até ela.

Ela balança a cabeça compreendendo e me sinaliza para continuar. Ela quer me ouvir. Sinto alívio.

Eu engulo e continuo.

"Eu estava perturbado como resultado de ver Leila nesse estado mental e físico, e sabendo que eu poderia ter algo a ver com o seu colapso mental..." Eu não posso continuar. Meu estado de totalmente fodido vem à superfície como uma mancha de óleo no oceano. Eu esfrego meu rosto com as duas mãos. Eu sei que devo ter contribuído para o seu estado de alguma forma. O pensamento é agonizante. "Você tem que entender Ana, ela sempre foi muito brincalhona e animada,” eu digo. Eu a destruí, eu suponho. O pensamento é insuportável e a minha consciência está pesando forte em mim. Sinto-me responsável, e é torturante. Eu tomo uma respiração rouca, empurrando para baixo os soluços. Eu me sinto montado na culpa. O que eu poderia ter feito de errado para Leila no passado, poderia ter matado Anastasia. Eu teria morrido! Eu seria um morto vivo! Eu olho para seus olhos com dor.

"Ela poderia ter prejudicado você. E teria sido inteiramente minha culpa." Meus pecados e meu karma estão se aproximando de mim, e eu tive que fazer isso direito; corrigi-lo. Eu não poderia ter deixado Leila destruida. O horror de que ela tinha uma arma em um estado mental delirante, tentando se vingar de mim através de  Anastasia, era horrível. Eu acho que é por isso que a multidão vai atrás de um de seus entes queridos. Matar você não causaria tortura contínua. Que sofrimento de Prometeu eu teria vivido se ela tivesse feito isso? (N.T. Prometeu foi um defensor da humanidade, conhecido por sua astuta inteligência, responsável por roubar o fogo de Zeus e dá-lo aos mortais. Zeus tê-lo-ia punido pelo crime, deixando-o amarrado a uma rocha durante toda a eternidade, enquanto uma grande águia comia, durante o dia, o seu fígado - que crescia novamente no dia seguinte).

"Mas ela não o fez, Christian,” sussurra Anastasia. "Você não era responsável por ela estar nesse estado mental ou físico,” diz ela com fervor. Ela gesticula para eu continuar, mas ainda com alguma tristeza atada atrás de seus olhos. Seu olhar está nublado com uma preocupação que eu não quero com ela, ou eu não quero que ela possa ter, eventualmente, no futuro. Como eu poderia não querer ou desejar minha própria alma, meu próprio coração? Eu preciso dela mais do que da minha próxima respiração! Como ela poderia pensar isso? Ela ainda está preocupada com o fato de que eu tentei tirá-la de seu apartamento. Será que ela não entende que Leila estava instável e eu precisava estabilizá-la?
"Eu só queria que você se fosse, Ana. Eu queria que você se afastasse do perigo que eu sentia que ainda estava presente. Você. Apenas. Não. Queria. Ir ..." Eu sibilo. Eu estava com medo de que o perigo ainda estivesse presente, e a presença de Anastasia estava tornando difícil para mim focar-me. Ela me exaspera o tempo todo. Eu balanço minha cabeça. Eu a amo muito, me mata que ela não entenda este simples fato - tudo que eu faço, eu faço por ela

Everything I Do - Bryan Adams

Eu olho em seus olhos atentamente, desejando que ela entenda e sinta o meu amor. "Anastasia Steele, você é a mulher mais teimosa que eu já conheci,” eu digo enquanto eu fecho meus olhos e o fato de que ela pode me enlouquecer com um olhar, uma palavra, ela pode me  colocar em lençóis quentes e excitado com uma mordida de lábio e me exasperar com um único olhar tornando-me insanamente apaixonado por ela... Ela é enlouquecedora, ela é irritante, ela é minha panacéia, e ela é minha vida. Ela é tudo para mim! Perdê-la seria perder tudo... Eu finalmente abro os olhos e olho para ela com um olhar desesperado. "Então, você não estava fugindo?" Eu pergunto.

"Não,” ela grita com firmeza, me repreendendo.

Quando eu fecho meus olhos, novamente, é com alívio neste momento, deixando-o passar por cima de todo o meu ser, me relaxando pela primeira vez durante o pior dia da minha vida. Mas o pensamento e a dor que vêm junto com o sentir-se indigno mostram sua intrusa cabeça feia me dando angústia total.

"Eu realmente pensei," eu digo parando, "Eu pensei que você ia embora..." Eu não posso fazer-me  completar esta frase. "Olhe para mim, Ana! O que você vê aqui sou eu... Tudo de mim. Embora seja fodido, eu sou todo seu. O que eu tenho que fazer para você perceber isso?" Eu pergunto... "Eu sou TODO SEU." Reitero perfurante em seus olhos. "O que eu posso fazer para fazer você perceber e ver isto? Eu quero você e só você... de qualquer maneira possível que eu possa tê-la..." Eu digo ardentemente. "Que eu te amo,” eu sussurro, com todo o meu coração e desejo.

"Eu também te amo, Christian!" Ela responde imediatamente. "Mas, ao vê-lo assim é ..." diz ela parando e engasgando com suas palavras enquanto as lágrimas começam a correr novamente. Seus lábios tremem com tristeza, com o rosto desolado, e ela parece que ela está se contorcendo em agonia. "Eu pensei que eu tinha destruído você,” ela soluça com o rosto entre as mãos.

Eu a alcanço imediatamente, e tiro suas mãos do seu rosto mantendo-as nas minhas. "Baby, não! Você não tinha me destruído, Ana! É exatamente o oposto. Porque, você é minha salvação," eu sussurro enquanto eu beijo suas juntas e palmas das mãos.

Eu a quero para me ter... Sentir-me ... Tudo de mim. Eu lentamente puxo a mão direita, e coloco-a no meu peito, no meu coração para deixá-la sentir como ele está batendo por ela. Batendo fora do meu peito freneticamente! O meu olhar está fixo no dela, minha mandíbula está cerrada, tensa e apertada. Eu quero que ela me toque. Tudo em mim. Nenhuma zona é proibida para ela. Ela vai ter tudo de mim! Seu rosto muda, e seus olhos estão cheios de amor, admiração; sua respiração acelera enquanto o peito sobe e desce em rápida sucessão. O ritmo do coração dela está combinando com o meu  pulso acelerado.  

The Rhythm of My Heart - Rod Stewart

Eu quero que ela faça isso livremente. Sem a coerção das minhas mãos. Eu libero sua mão da minha, e deixo sua mão sentir meu coração batendo freneticamente para ela com amor e emoção. Anastasia flexiona os dedos sentindo meu peito sob o fino tecido da minha camisa. Eu estou segurando minha respiração, tentando me acostumar com a sensação de toque no meu peito. Tentando superar o medo, e enterrar a apreensão de uma vez por todas. Anastasia sentindo minha tensão levanta um pouco a palma da sua mão, para retirá-la do meu peito.

"Não!" Eu digo com medo. "Não, não tire..." Eu digo rapidamente cobrindo sua mão com a minha e pressionando-a sobre o meu coração. "Não... Você pertence,” eu digo simplesmente. Se alguém pertence a todo o meu corpo, é Anastasia. É dela para ter e manter de qualquer maneira que ela deseje. Ela olha para mim, e se aproxima mais do meu corpo e os joelhos estão se tocando. Ela levanta a outra mão, olhando nos meus olhos, tornando clara sua intenção. Ela quer me tocar com as duas mãos no meu peito nu. A ansoedade cresce e meus olhos se arregalam. Eu não tenho sido tocado assim em um tempo muito, muito longo. Mas agora, não há nada no mundo que eu queira mais do que Anastasia me tocar! Eu anseio pela conexão com ela. Eu quero que ela tenha tudo de mim, me possua, e me complete.

Os dedos de Anastasia começam a desfazer os botões da minha camisa com a mão esquerda. Ela está tendo dificuldade em fazê-lo com apenas uma mão. O fantasma de um sorriso chega até os meus lábios. Ela flexiona a mão direita deixando-me saber que ela quer usar as duas mãos. Eu removo a mão de cima da dela e ela começa a desabotoar os botões, um por um, enquanto seu olhar está bloqueado com o meu, a nossa conexão está estabelecida. Deus! Não há outra coisa ou pessoa que eu ame mais do que essa mulher!
Ela desabotoa todos os botões, finalmente, liberando o peito para seu toque. Eu engulo em seco, minha respiração aumenta para acomodar meu pulso subindo, meus lábios se partem e os meus olhos se arregalam. É isso aí! Ela olha para mim, pedindo permissão, tentando decifrar o que eu quero. Eu preciso disso! Eu quero essa conexão. Ela estende as mãos, ainda não me tocando. Ainda tentando me entender, entender se eu vou autorizar a ela de bom grado. Seu olhar está buscando, questionando, comunicando sem palavras. Suas mãos apenas pairam bem por cima do meu peito, acima do que costumava ser a zona proibida. Eu inclino minha cabeça para o lado, reforçando-me, antecipando seu toque. Meu corpo está tenso, e a tensão se irradia através dos meus poros, forte e palpável. O medo está tentando me consumir. O medo das torturas do passado, o medo do que pode vir à tona, o medo da impotência. Mas, eu não posso associar esses medos com Anastasia. Ela é o milagre para me salvar desses medos!

Anastasia não toca. Suas mãos ficam pairando, hesitantes, cuidando para não fazer contato.

"Sim,” eu dou permissão para ela em um suspiro. Toque-me, Ana

You Put a Move On My Heart - Tamia

As pontas dos dedos se estendem um pouco para escovar meu cabelo no peito, ainda não fazendo contato com a pele. Tão sutil, tão gentil. Seus dedos escovam, começando no topo do meu peito e descendo para o meu esterno. Eu fecho meus olhos, com agonia e prazer colidindo. Pela primeira vez, o meu futuro vai vencer meu fodido passado. Meu rosto está contraído com a contínua batalha travada dentro de mim. Matando a memória dolorosa do cafetão. Anastasia está matando seu ódio e abuso e animosidade, com o seu amor. A batalha é dolorosa. Estou mais uma vez preso entre meu passado doloroso e meu futuro amoroso. Meu futuro tem de ganhar! A compreensão disto enche meus olhos com imenso amor, sombria luxúria. Esta é uma batalha violenta da alma!

Depois de ver essa batalha travada em mim, Anastasia remove os dedos do meu peito, levantando-os, fazendo-me sentir abandonado. Eu pego a mão dela, e coloco-a firmemente no meu peito nu. Ela tem que fazê-lo! Ela é a única que pode destruir essa porra de maldição que atou minha vida inteira.

"Não,” eu comando a ela, minha voz ainda tensa com a feroz luta interna. "Eu preciso..." Seus dedos estão me tocando de novo, e meus olhos estão bem fechados, com bastante força, nem mesmo a luz passa através de minhas pálpebras. Os dedos de Anastasia viajam no meu peito lentamente, aprendendo os contornos, sentindo minha zona proibida, pela primeira vez, familiarizando-se com o meu corpo. Seu toque é mágico. Abro os olhos lentamente para olhar para os dela. Meus olhos estão brilhando com  calor. O medo está tentando ressurgir, mas o amor que sinto por Ana, o amor que ela está exalando para mim são esmagadores. Minha boca relaxa finalmente. Estou ofegante com esta luta esmagadora. O fantasma do meu passado lutando contra a dor, e o amor de Anastasia com prazer. A dor final e a zona de prazer. 

The Lady in My Life - Michael Jackson

A postura de Anastasia muda, ela se inclina sobre os joelhos e sustenta meu olhar; ela quer me beijar... no meu peito. Eu não me movo. Eu permito que ela me beije. Ela finalmente se inclina e suave como o toque de uma borboleta, ela dá um beijo sobre meu coração. Seus lábios macios, suavizam ainda mais como resultado de suas lágrimas em cima de meu peito. A sensação que eu recebo da suavidade dos toques é a mais imensa que eu já senti. A dor e o prazer registrando-se em meus nervos estão fora do mapa! Um gemido estrangulado escapa de meus lábios, e ela o confunde com apenas dor e senta-se de imediato. Não!



"Novamente," eu sussurro, com meus olhos ainda bem fechados. Ela se inclina sobre meu peito novamente, e beija uma das cicatrizes, cortesia do cafetão apagando a ponta do cigarro. Eu gemo alto, e de repente eu sinto este enorme fluxo de amor para com Anastasia, como eu nunca senti antes. Antes de eu ver, meus braços a abraçam, e minha mão direita viaja para seus cabelos, puxando sua cabeça para cima para encontrar meus lábios com força, e ardentemente. Meus lábios e minha boca estão insistentes, exigentes, desejosos, vorazes, e com fome dela. Faminto por seu carinho, por seu amor. Ela retribui ao meu beijo exigente com uma ferocidade e fome dela própria. Suas mãos encontram o seu caminho para o meu cabelo, atando, puxando, e tentando nos fundir um ao outro. Estamos nos beijando como se este fosse o último dia na terra, como se não houvesse amanhã; o nosso amor é vinculativo, consumidor, ardente, e estranhamente curativo.

Eu puxo ar sem fôlego, e administro para girar e puxar Anastasia, minha mulher, minha vida no chão, debaixo de mim. "Oh, Ana," eu respiro, e seu rosto não tem nada além de amor e desejo por mim. As mãos dela chegam até o meu rosto cobrindo-o, enquanto seus polegares lentamente o acariciam. Eu me sinto oprimido com amor, oprimido com querer, oprimido que ela me quer apesar do fato de que eu sou completamente fodido - emoções sobem e explodem, e as lágrimas começam a rolar dos meus olhos. Finalmente o temor está sendo lavado para fora do meu sistema com o seu amor, por seu amor.
"Por favor, Christian, não chore,” ela implora para mim. "Eu quis dizer o que eu disse: Eu nunca, nunca vou deixá-lo. Eu falo sério! Estou muito triste se eu lhe dei qualquer outra indicação... Por favor, Christian, por favor, me perdoe. Eu te amo. Eu vou sempre amar você," diz ela com fervor


I Will Always Love You - Whitney Houston



Sua declaração queima meu coração de dor. Meu rosto fica com uma angustiada expressão triste. Ela ainda não sabe o segredo mais escuro do meu coração. Eu sou ruim... Eu estou muito muito muito ruim!

"O que é?" Ela pergunta. Eu engulo. A dor de esconder um segredo obscuro de Anastasia é insuportável.

"Christian, qual é o segredo que faz você pensar que eu vou fugir? O que te faz tão determinado a acreditar que eu vou partir e deixá-lo,” ela pergunta, em voz trêmula.

"Por favor, diga-me, Christian, por favor..." ela pergunta.

Sento-me de imediato, uma outra batalha travando-se em mim. Eu cruzo as pernas, ela também se senta, esticando as pernas. Meu olhar está sobre ela, ainda lutando contra revelar a minha última merda escura para ela. Minha alma se sente como a terra devastada que ela é, meus olhos refletem o abandono na mesma. Eu não sei como por a nu isso para ela. Isto é o inferno... Isto sou eu. Isto é a aberração da natureza que eu sou.

"Ana..." Eu mal posso sussurrar. Eu fecho os olhos, respiro fundo e engulo. Eu digo uma prece silenciosa para que ela ainda me ame depois da minha revelação. Abro os olhos, e ponho a descoberto o último dos meus segredos para ela.

"Eu sou um sádico, Ana,” eu digo com tristeza. "Eu gosto de chicotear e punir garotas de cabelos castanhos como você, porque todas vocês parecem com a minha mãe biológica, a prostituta de crack. Tenho certeza que você pode adivinhar por quais razões," eu digo em um só fôlego. Eu a amo, eu quero ser aberto com ela. Não tenho segredos para ela, e esta foi a última merda. Agora, eu espero que ela não vá querer ter nada mais  a ver comigo. Pedaço de merda! Como dizia o cafetão. Estou sacudindo meu próprio mundo de merda, mas devo esta verdade a Anastasia. Acho que ela vai me deixar no segundo em que ela superar o choque. Eu engulo, meus olhos arregalados, o coração na mão, pronto para ser quebrado em pedaços, eu espero que ela se levante e corra tão rápido quanto suas pernas a levem para fora da porta. 

Without You - Mariah Carey

Ela olha para mim de boca escancarada, perdida, preocupada, triste, chateada, e confusa, e ela consegue armazenar todos esses sentimentos em um olhar. Ela parece como se eu tivesse virado seu mundo de cabeça para baixo, que é claro que foi o que eu fiz.

"Mas..." ela para, "você disse que não era um sádico," sussurra. Eu nunca disse que não era. Eu não disse que eu era, eu só omiti a informação, porque eu desesperadamente a queria, como eu nunca quis nada na minha vida.

"Não,” eu respondo. "Eu disse que eu era um dominante. Se eu menti para você Ana, foi uma mentira por omissão. Sinto muito," eu digo, olhando para as minhas mãos, contrito. Estou com medo de descobrir como ela vai reagir. Se ela não fugiu antes, ela certamente vai correr agora. Eu continuo dizendo a mim mesmo na minha cabeça uma e outra vez, eu não posso esconder isso dela. Ela merece o melhor de mim. Por favor, não fuja. Por favor, não fuja. Por favor, não fuja, Ana!

"Quando você me fez essa pergunta, eu estava pensando em uma relação diferente entre nós dois,” murmuro com uma voz suave.

Um gemido como um som escapa de seus lábios tristemente.

"É verdade, então,” ela sussurra, seu olhar encontrando o meu, totalmente triste. "Eu não posso lhe dar o que você precisa,” ela profere. "Como eu poderia? Claro... " diz ela em voz baixa, quase inaudível. O rosto dela cai, e o mesmo faz o meu coração.

"Não! Não! Não! Não! NÃO! Ana, NÃO! Você pode, e você me dá o que eu preciso..." Meus punhos estão cerrados com tanta força que o sangue é drenado para fora deles, deixando meus dedos completamente brancos. "Você tem que acreditar em mim! Por favor, Ana! " Peço fervorosamente.

"Christian, agora, eu não sei em que acreditar. Isto é muito além de fodido,” ela sussurra, asfixiada, seus olhos estão cheios de lágrimas novamente. 

Sorrow from the Gladiator

Eu quero que ela saiba que o seu amor foi o que me mudou.

"Por favor, acredite em mim Ana! Depois que eu puni você com o cinto, e você me deixou," eu digo engasgado com minhas palavras, com os sentimentos horríveis voltando à superfície, "toda a minha visão do mundo mudou. Toda ela! Eu estava falando muito sério quando eu disse que faria qualquer coisa para evitar me sentir daquele jeito de novo," eu defendo meu caso com ela, magoado e triste. "Quando você me disse que me amava, foi uma revelação para mim. Você sabe que ninguém nunca me disse isso antes? Com o seu amor, eu tinha enterrado algo para sempre... Eu não sei, talvez foi você quem enterrou por mim. Me mudou. Dr. Flynn e eu ainda estamos discutindo sobre o tema. O nosso júri ainda está longe do veredito..." eu revelo.

Seu rosto, finalmente, tem um leve vislumbre de esperança... Esperança para nós. "O que isso tudo significa para nós?" Ela pergunta em um sussurro

Now We Are Free from the Gladiator

"O que isso significa é que eu não preciso mais disso. Não agora." Nem nunca. Estou liberado de meus próprios limites. Ela está em dúvida. "Como você sabe? Como você pode ter tanta certeza disso?" Ela pergunta.

"Eu sei disso porque o pensamento de te machucar..." eu digo dolorosamente, "eu quero dizer, realmente feri-la de qualquer maneira real, é completamente repugnante, repulsivo para mim,” digo com os olhos brilhando. Eu não vou deixar ninguém machucá-la, muito menos eu!

"Eu realmente não entendo, Christian. E sobre espancar e réguas e toda a kinky fuckery? "

Minha mão percorre meu cabelo, e eu suspiro com remorso. "Eu tive uma carga pesada de merda, Anastasia. Você tem alguma idéia do que eu posso fazer com uma bengala ou um gato?” (N.T. O gato é composto de nove tiras atadas, de corda de algodão, cerca de 76 cm de comprimento, destinadas a dilacerar a pele e causar dor intensa. Tradicionalmente tem nove tiras como resultado da forma em que a corda é trançada). Eu digo. Ela olha para mim chocada com o queixo caindo ao chão. "Prefiro não,” ela engasga, com os olhos arregalados.

"Eu sei,” eu respondo. Eu sei que ela não quer fazer parte dessa vida, e eu estou bem com isso. "Se você quiser fazer isso, ou ser uma parte disso, então tudo bem, se você não quiser, eu entendo. Eu não posso e não vou fazer essa merda com você, se você não quiser. Eu já lhe disse isso antes, você é a única com todo o poder. E desde que você voltou, eu não sinto mais de todo esta compulsão, Ana.  Nenhuma."

Esta revelação assusta Anastasia, mas ela elabora sobre sua pergunta. "Mas, quando nos conhecemos, quando você se aproximou de mim a primeira vez, isto era o  que você queria... de mim?" ela pergunta.

"Sim, sem dúvida,” eu respondo.

"Christian, como pode a sua compulsão apenas ir e deixá-lo? Você acha que eu sou algum tipo de panacéia, a cura para todos os seus problemas... então você acha que por falta de uma palavra melhor, você acha que está curado? Eu não entendo."

Eu suspiro, é claro. Eu não estou curado. Mas, com Anastasia, eu não estou doente também.

"Eu não diria que eu estou curado..." eu digo, mas incapaz de completar a frase, quando ela tem esse olhar de dúvida que ela está me dando. "Você não acredita em mim, Ana?" Eu pergunto em voz suplicante.

"Christian, acho que é inacreditável. O que não significa 'Eu não acredito em você’ , significa que é difícil de acreditar."

"Anastasia, se você nunca tivesse me deixado, eu provavelmente não iria me sentir assim. Mas então, quando você foi embora, foi talvez a melhor coisa que você já fez por nós... para o nosso relacionamento. Este único ato me fez perceber o quanto eu quero você... não o material kinky que eu quero fazer com você... mas só você, e você apenas. Eu quero que você acredite em mim quando eu digo isto: Eu vou ter você de qualquer maneira que eu possa, Ana. Qualquer maneira que você me queira," eu digo com toda minha sinceridade. Ela é tudo que eu quero. Eu quero ser tudo o que ela queira, tudo o que ela necessita. Eu quero ser digno de Anastasia. Eu quero ser o único homem que ela precisa

All the Man That I Need - Whitney Houston

Ela olha para mim confusa, muda, e pela aparência de seu rosto, ela tem tempestade à frente, um furacão próximo de uma dor de cabeça. Ela está tentando envolver a cabeça em volta do meu caminhão de merda, se ela maesmo apenas quer tocá-lo.

"Você ainda está aqui,” eu digo baixinho tendo esperado que ela fugisse sem nem olhar para trás. Ela tinha o direito de fazê-lo, e eu devia-lhe essa informação. Eu não poderia viver comigo mesmo se ela não conhecesse até o último canto escuro da minha alma inútil. "Eu pensei que você estaria agora fora da porta," eu sussurro.

"Por que eu possivelmente iria querer fazer isso, Christian?" ela me repreende com raiva. "Porque eu poderia pensar que você é um psicopata por bater e foder mulheres que se parecem com a sua mãe biológica? O que lhe teria dado essa impressão, Christian?" ela sussurra para mim castigando-me, me fazendo empalidecer. Eu mereço isso, é claro, mas ouvir isso de Anastasia dói, ainda. Amor, porra, machuca!

"Eu não teria redigido bem assim, mas, em suma, sim," eu consigo responder, perturbado. Eu percebo mais uma vez que Anastasia pode me ferir apenas com palavras; mesmo que ela as solte merecidamente, e não apenas com suas ações. Ela é a única que tem a capacidade e potencial para me machucar de mais de uma maneira, a minha vida é dependente dela. Ela pode destruir-me apenas por me deixar e construir-me com um sorriso dela.

O meu olhar está sobre Anastasia, sem piscar, sem vacilar, e expectante. Eu a amo, porra! Você vai me amar e me construir, ou deixar-me em uma ruína perpétua, Ana? Diga-me! Eu olho para ela suplicante.

Ela suspira e balança a cabeça.

"Estou completamente desgastada, Christian. Podemos falar sobre isso amanhã? Eu quero ir para a cama. Estou apenas muito cansada. "

Huh? O quê? Eu estava esperando que ela saísse daqui acelerada, sem olhar para trás. Surpreso, chocado, feliz, eufórico e aliviado, "Você não está indo?" Eu pergunto, de uma maneira estúpida.

"Você quer que eu vá?” Ela pergunta, preocupada. Claro que não! Eu temia a perspectiva, eu só tinha que ser sincero, /aberto  por todo o caminho.

"Não, baby! Eu não. Eu pensei..." Eu fecho meus olhos com angústia, e, em seguida, abro os olhos e olho para os dela desamparado, “pensei, que você ia me deixar, uma vez que soubesse o meu pior segredo."

Ela olha para mim com amor, confusão e frustração completa. Eu a amo tanto! Meu coração é e sempre será de Anastasia... Quando se trata de Anastasia, eu a quero toda para mim da forma mais egoísta. Eu sou ardente quando se trata de meus sentimentos por ela. Minha preocupação constante que ela, um dia, ache que a minha merda de fodido total seja demais e me deixe, está invariavelmente tornando-me inseguro. Cometo erros com suficiente freqüência quando se trata de nosso relacionamento, porque é tudo muito novo para mim. Quando eu fico com raiva ao que parece, inúmeras vezes, eu  me sinto fora de controle, apesar de eu tentar o meu melhor para me conter e me lembrar de que a punição está fora de cogitação. E Anastasia pode lidar comigo e me acalmar como ninguém! Ela me conhece no meu pior, e mesmo assim ela ainda parece me amar. Frustrada sim, mas ela ainda me ama!

Embora eu ainda me preocupe que ela vai me deixar. Deixou-me uma vez, embora ela declarasse que ela me amava.

"Não me deixe, por favor,” eu imploro em um sussurro. Eu farei qualquer coisa, eu vou lutar para mantê-la.  

War of My Life - John Meyer

Ela olha para mim com seu olhar mais frustrado, apertando seus olhos,  e grita:

"Oh, pelo amor de Deus, Christian! Mais uma vez, não! Eu não vou a lugar algum!" Sua bronca é o som mais bem-vindo em todo o mundo.

"Sério?" Pergunto aliviado.

Seu rosto tem uma expressão de leitura. Severa, determinada, e intencionada. "O que exatamente eu posso fazer para fazê-lo entender, e acreditar que eu não vou fugir? O que posso dizer para fazer você acreditar?" ela pergunta exasperada.

Há uma coisa que ela pode fazer... Há uma pergunta que ela pode responder. Na verdade, isso foi algo que foi se formando na minha cabeça, e eu estava esperando por melhores circunstâncias, mas, tem que ser agora. O medo sobe novamente, o sentimento de indignidade é primordial. Mas, eu tenho um coração egoísta. Ele quer o que ele quer, o que deseja. O objeto do meu desejo está bem diante de mim. Eu engulo como se fosse uma meta inatingível, mas que eu iria morrer tentando.

Eu engulo. "Há uma coisa que você pode fazer para me fazer acreditar, Anastasia," eu digo.

"O quê?” Ela grunhe perdendo a paciência.

"Case-se comigo," eu sussurro. "Seja minha esposa."

"Huh?" Ela parece sem palavras. Isso não era o que ela estava esperando. Ela não tem certeza se ela me ouviu direito. Ela morde seu lábio, forte. Não na contemplação, mas para parar a si mesma de rir! Rindo, pelo amor de Deus! Ela está rindo de minha proposta histericamente! Ela ri tanto, que ela cai de costas no chão e ela está uivando de rir! Estou feliz que eu posso lhe oferecer alguma diversão, embora eu não tenha certeza se eu quero que meus sentimentos sejam a fonte de sua ridicularização. Será que ela está me ridicularizando? A minha proposta é apenas ridícula para ela? Seus braços estão cobrindo o rosto, dobrados e tentando esconder suas emoções avassaladoras. Eu sei que ela teve uma noite difícil. Mas, vamos Ana, você está ferindo o meu ego!

Quando seu riso lentamente desaparece e os sons de sua histeria se transformam em choro, eu levanto os braços de seu rosto. Ela se vira e olha para mim. Bem, nós dois tivemos uma noite difícil. Eu viro minha mão e enxugo as lágrimas de suas bochechas.

"Você acha minha proposta de casamento divertida, Srta. Steele?" Peço tentando esconder meu sofrimento. Mas ela entende. De alguma forma, ela sempre faz. Sua mão me alcança, e gentilmente ela acaricia meu rosto e sente a barba do dia anterior. Eu inclino meu rosto para seu toque.

"Oh, Sr. Grey,” ela suspira sacudindo a cabeça. "Christian, seu senso de oportunidade, sem dúvida, é..." Ela faz uma pausa, "... é,” diz ela incapaz de completar totalmente a sentença, ainda com falta de  palavras.

Eu sorrio para ela, mas é só para seu benefício. Eu a quero da pior maneira. No entanto, ela não parece partilhar o meu sentimento. O fato é que eu me sinto rejeitado, negado, indesejado. É isolador, especialmente quando eu a alcanço, e minhas mãos são deixadas penduradas, vazias. Meus olhos me traem, traem os meus sentimentos.

"Você está me ferindo profundamente aqui, Ana. Quer se casar comigo?" Peço ardentemente. Por favor, diga sim, baby! Por favor, diga, sim

I Melt With You - Nouvelle Vague

Ela se senta e se inclina sobre mim. Enquanto ela coloca as mãos sobre meus joelhos,  ela olha nos meus olhos, e suspira. "Meu Deus, Christian! Você sabe a noite que eu tive! Eu conheci a sua psicótica ex-sub com uma arma apontada para minha cabeça, você jogou-me para fora de meu próprio apartamento, e apenas dentro das últimas horas você veio Cinquenta termonuclear sobre mim..." ela começa suas recriminações. Eu abro minha boca para refutar, mas, Anastasia levanta a mão para concluir seus pensamentos. Eu fecho a minha boca para deixá-la dizer sua paz.

"Christian, baby, você acaba de admitir algumas informações muito chocantes sobre si mesmo, e agora você me pediu para casar com você. Francamente, eu estou um pouco sobrecarregada com tudo isso," ela declara.

Ela está certa, é claro. Então, não é um sim, mas também não é um não. Eu balanço minha cabeça para a sua apreciação. "Sim, eu acho que é um ‘précis’ muito correto da situação," eu aquiesço. (N.T. précis – francês = síntese, sumário)

Ela finalmente sorri para mim e pergunta, devolvendo minhas palavras para mim. "O que aconteceu com gratificação atrasada, Sr. Grey?"

"Estou bastante desfavorável a essa noção. Eu sou um defensor muito firme da gratificação instantânea agora. Carpe diem, Ana,” eu sussurro. Aproveite o dia

Notion - Kings of Leon

"Oh Christian, veja, nós só conhecemos um ao outro há cerca de três minutos. Mas há muito mais que eu preciso saber. Mas agora não é um bom momento para lhe dar uma resposta, porque eu bebi muito, ainda estou com fome, estou mais que exausta, e agora, só quero ir para a cama. Vou considerar a sua proposta, assim como eu considerei o contrato que você me deu," afirma. Em seguida, seu rosto assume uma expressão desgostosa com os lábios apertados duros. "E, é claro,” ela murmura sacudindo a cabeça desapontada, que realmente não foi a proposta mais romântica."

Oh! Okay! Eu posso viver com isso. Eu não sou nada mais que um aprendiz rápido. Eu inclino minha cabeça para o lado e um sorriso rasteja em meus lábios. "Opinião bem defendida como sempre Srta.  Steele," Eu respiro com alívio. "Então, isso não é um não?” eu pergunto.

Anastasia suspira com exasperação. "Não, Sr. Grey, como você corretamente avaliou, não é um não, no entanto, não é um sim, também." Ela parece duvidosa das minhas intenções, e acrescenta: "Você está fazendo isso, me pedindo para casar com você porque você está com muito medo, e você não confia em mim."

Isso não está certo, Ana!

"Não, eu estou fazendo isso, eu estou pedindo para você se casar comigo, ser minha esposa, porque eu finalmente encontrei alguém com quem eu quero passar o resto da minha vida," eu digo com todo o meu coração. A boca de Anastasia cai aberta. Consegui chocá-la mais uma vez esta noite.

"Eu nunca teria pensado que isso iria acontecer comigo, encontrar aquela pessoa especial,” eu digo completamente apaixonado, e totalmente sincero em meus sentimentos. Anastasia continua boquiaberta para mim. Ela pisca e, finalmente, encontra umas poucas palavras, que ela pode encadear para fazer uma frase que faz sentido.

"Posso pensar sobre isso, por favor,  Christian? Eu também preciso pensar sobre tudo o que aconteceu hoje. Uma vez você me pediu fé e paciência. Bem, de volta pra você,  Sr. Grey. Eu preciso que você retribua," ela fala.

Eu examino seu rosto, tentando me certificar de que ela não está me dispensando, e dizendo não. Uma vez que eu tenho a  certeza que ela não está, eu sinto alívio, me curvo e com um gesto íntimo, eu coloco uma mecha de seu cabelo atrás da orelha. Eu aceno com a cabeça concordando. "Tudo bem Ana, eu posso viver com isso,” eu respondo. Ela está certa, é claro. Anastasia é toda corações e flores e, claramente, a minha proposta não era. Depois de beijá-la com ternura nos lábios murmuro: "Você não achou que eu fosse muito romântico, não é?" Ela balança a cabeça negativamente, repreendendo. "Você quer corações e flores?" Eu pergunto baixinho, sabendo a resposta. Ela acena com a cabeça, e eu sorrio de alívio. Então, ela está seriamente indo considerar minha proposta. Eu posso dar aqui uma cambalhota de alegria! Ok, tudo o que tenho a fazer é encontrar uma maneira de explodir sua mente ... corações e flores, corações e flores, corações e flores para Ana.

"Você está com fome?" Eu pergunto.

"Sim,” ela responde. Oh, porra! Ela está com fome todo esse tempo? Incomoda-me que ela esteja, e ela bebeu demais!

"Você não comeu,” eu digo o óbvio. Eu olho para ela friamente, reprovando. Por que ela bebe excessivamente sem comer? Eu já lhe disse isso antes. Minha expressão endurece, enquanto estreito os olhos sobre ela.

"Claro que eu não comi,” diz ela sentada sobre os calcanhares, os braços cruzados, pronta para lutar comigo. "Foi um pouco difícil pensar em comida depois de ter sido jogada para fora do meu próprio apartamento pelo meu próprio namorado que estava interagindo intimamente com sua ex-sub, o que eu acredito foi o que suprimiu substancialmente meu apetite,” ela responde friamente com um olhar impassível. Ela está certa, é claro. Eu não queria comer também quando a Sra. Jones me perguntou se eu queria o meu jantar. Eu me levanto, e estendendo minha mão para Anastasia, eu a puxo de pé.

"Tudo bem então, deixe-me preparar alguma coisa para você comer."

"Oh," ela geme, "Não posso simplesmente ir para a cama e dormir?” ela diz com sua mão ainda na minha. Eu não posso impedi-lo. É difícil para mim saber que ela está com fome. Eu não posso mandá-la para a cama sem comer. "Não, baby. Você está com fome e você deve comer. Vamos lá," eu digo e a levo para a cozinha, e a coloco em cima de uma banqueta. Eu me encaminho para a geladeira na esperança de encontrar algo que vai despertar o seu interesse.

"Oh Christian, eu não estou mais com fome,” diz ela. Claro que está, baby. Então, eu ignoro suas queixas.

"Você gosta de queijo?" Eu pergunto. Algo leve.

"Não a esta hora," ela responde.

"Que tal pretzels?"

"Frio da geladeira? Não, obrigado," ela diz bruscamente.

"Você realmente não gosta de pretzels?" Viro-me e pergunto-lhe sorrindo.

"Eu não gosto deles às onze e meia da noite. Eu vou para a cama agora, Christian. Você pode remexer dentro da geladeira tudo que você quiser. Estou muito cansada, e tive um dia muito longo e muito interessante. Aliás, é um dia que eu gostaria de esquecer rapidamente," diz ela escorregando de sua banqueta para sair.

"Espere! Que tal macarrão e queijo?" É comida de conforto. Eu ergo a tigela contendo delicioso macarrão caseiro com queijo, olhando esperançoso que ela poderia dizer que sim.

Ela para de imediato. "Você gosta de macarrão com queijo, Christian?" Ela pergunta como se fosse uma idéia impossível. Quem não gosta?

"Você gostaria de um pouco?" Pergunto esperançoso. Eu não posso evitar. Eu tenho que dar para ela. Eu tenho que sentir que estou cuidando dela. Depois de toda essa merda que veio para seu caminho, hoje, eu quero fazer uma coisa positiva para me fazer sentir que eu fiz algo para seu benefício. Ela não vai sair prá dormir... ainda não.

"Suponho que você sabe como usar o microondas, então?" Diz ela em um tom interrogativo. Sim, eu tenho loucas habilidades com microondas. Eu posso marcar os números como ninguém pode!

"Sim, se ele está em um pacote, eu normalmente posso fazer algo com ele. Por outro lado, eu tenho um problema com a comida real." Ela ainda está de pé, por isso antes que ela fuja para fora da cozinha eu começo a colocar os jogos americanos para nós dois.

"É muito tarde," ela murmura.

"Você não tem que ir trabalhar amanhã. Por favor, não vá," eu imploro para ela.

"Oh Christian, eu tenho que ir trabalhar. Meu chefe está saindo para Nova York amanhã." Aquele filho da puta! Eu franzo a testa.

"Você quer ir para Nova York neste fim de semana?" Eu pergunto.

Ela balança a cabeça negativamente. "Não realmente. Eu chequei a previsão do tempo, e provavelmente  deverá chover neste fim de semana." Okay.

"Bem, então, o que você gostaria de fazer no fim de semana?" Eu pergunto. Eu pego o macarrão com queijo do microondas, após ser aquecido.

Anastasia suspira: "Eu só quero passar um dia de cada vez, por enquanto. Toda esta excitação é desgastante," afirma levantando uma sobrancelha. Eu sei. Elena e agora Leila. Eu não sei o que eu faria se fosse um dos seus ex. Eu ficaria louco com certeza. Eu reparto um pouco de macarrão com queijo para nós dois, e coloco os pratos sobre os jogos americanos na barra de café da manhã.

"Eu sinto muito por Leila,” eu digo decepcionado.

"Por que você está triste, Christian,” ela pergunta sinceramente.

Eu dou de ombros. "Eu sei que deve ter sido um choque terrível para você encontrar Leila em seu apartamento dessa maneira," eu digo estremecendo. "Taylor escaneou o apartamento mais cedo, ele mesmo, e ele está arrasado," eu confesso.

"Eu não o culpo; não é culpa de Taylor," ela diz.

"Eu também não. Taylor estava fora procurando por você," eu digo a ela.

"O quê, mesmo? Por quê? " Ela pergunta sinceramente.

Oh baby! Você sabe como eu estava chateado, como estava devastado descobrindo que você não veio para cá?

"Eu não sabia onde você tinha ido. Sua bolsa e seu telefone estavam no SUV. Eu não tinha nenhuma maneira de rastrear você," eu digo deixando de fora o fato de que eu tentei rastrear Ethan. Não há necessidade de assustá-la esta noite ainda mais. "Aonde você foi, Ana?" Pergunto suave, mas com uma tendência ameaçadora. Minha mente estava correndo selvagem sabendo que ela estava com Kavanagh, que tinha olhos para a minha namorada.

"Ethan e eu fomos a um bar do outro lado da rua. Dessa forma,  eu  podia  ver o que estava acontecendo," disse ela simplesmente. A compreensão me atinge de que ela tinha me visto carregando Leila carinhosamente em meus braços. Ela me viu entrando no carro com Flynn.

"Entendo," eu digo.

Eu posso ver sua mudança de comportamento, e que ela está tentando ser indiferente, mas ela é tudo menos isto. "Então, o que você fez com Leila no meu apartamento?” Ela pergunta. Eu conheço você, Anastasia, você é tão ciumenta quanto eu sou. Eu não quero que ela perca as estribeiras.

"Você realmente quer saber?" Eu pergunto. Ela lentamente deixa o garfo no prato, fecha os olhos por um instante de dor, e quando ela levanta os olhos, há tristeza neles, "Sim,” ela mal sussurra. Eu não tenho certeza se eu deveria falar sobre isso. Eu sei que eu vou me arrepender. Argh! Dou um gemido interno, a minha boca em uma linha reta. Estou hesitante. Eu poderia me chutar por isto mais tarde. "Nós conversamos, e eu dei-lhe um banho e a vesti com suas roupas,” eu digo em um sussurro rouco. Ela está muito silenciosa. Isso não pode ser bom. Muito chocada, muito inexpressiva. "Eu espero que você não se importe Ana, porque ela estava muito suja." Oh Deus! Seus olhos estão nadando em lágrimas, e ela está segurando-se apenas em sua dignidade. Sua mandíbula bem fechada, e ela parece que vai chorar se ela ao menos se mexer. Porra!Porra!

"Isso era tudo que eu podia fazer por ela, Ana," alego para ela para fazê-la entender.

"Você ainda tem sentimentos por Leila?” ela pergunta apenas segurando sua sanidade.

"Não! não!" Eu não fiz isso para ela porque eu tenho sentimentos por Leila. Eu fiz isso porque eu me sentia responsável por seu estado atual. Eu queria corrigir alguma coisa que eu poderia ter feito de errado. Corrigir os meus erros um pouco. Anastasia se afasta de mim, como se ela não pudesse suportar me ver, como se eu a deixasse nauseada, enojada.

"Ana, ver Leila tão completamente destruída, desgrenhada, meio louca, e tão diferente do seu antigo eu, era..." Eu não sei como terminar esta frase. "Eu só me importo com ela de um ser humano para outro. Não do jeito que você pensa," eu digo dando de ombros, lembrando como ela é a fração da mulher que ela costumava ser. Anastasia não está sequer olhando para mim, muito chateada, muito sobrecarregada, e muito distante. Eu não aguento isto...

"Ana, por favor, olhe para mim,” eu imploro. Mas ela não faz. Seu corpo rígido, tenso como um arco puxado forte, pronto para atirar. De repente, ela estremece violentamente. Oh, não! Eu danifico todos que eu toco!

"Ana..." é tudo o que posso pronunciar.

"O quê?” Diz ela bruscamente, sem vontade de falar comigo, incapaz de olhar para mim.

"Não, Ana. Isso não quer dizer nada. Foi só como cuidar de uma criança destruída, despedaçada,” eu tento explicar. Talvez uma parte de mim estava tentando consertar a criança em mim que foi negligenciada. O que eu queria que as pessoas fizessem para mim quando eu estava naquele estado quando criança.

Ela não diz nada. Pegando seu prato, ela caminha para o lixo, e raspa o conteúdo.

"Ana?" Chamo com a esperança de que ela iria responder. Ela acabou de depositar seu prato na pia. Ela está se controlando novamente.

"Ana, por favor,” eu imploro, para ela apenas olhar para mim.

Ela gira como um pião e me encara, a agonia está escrita por todo o rosto. Ela está fisicamente e emocionalmente esgotada. "Pare com isso, Christian,” ela grita cansada de me ouvir. "Basta parar com o maldito 'Ana por favor',” ela me repreende, enquanto as lágrimas chovem, descendo por suas bochechas. Ela está procurando por ar como se eu tivesse dado um soco nela. Seu peito está crescendo rapidamente para cima e para baixo. O rosto dela está destruído, os lábios trêmulos, e seus olhos nublados com o ataque de lágrimas. "Estou além do meu limite com toda a merda que você distribuiu para mim hoje. Eu vou para a cama. Estou fisicamente e emocionalmente cansada. Apenas deixe-me estar,” diz ela e se vira e corre para o quarto. Estou completamente chocado com a reação dela. Eu fiz o que tinha que fazer, e eu sei que a porra do meu passado está carregada com merda, e ele está colidindo com tudo, bem, com a única pessoa que realmente importa para mim, e eu a estou machucando. Eu não quero magoá-la, e ainda assim, aqui estou, fodendo tudo de novo. Eu estava com ciúmes quando ela saiu com Kavanagh. E ela só foi para uma bebida depois que a expulsei de seu apartamento. Eu poderia ter lidado com isso, se ela lavasse Kavanagh nu? Eu ficaria louco, insano!

Ela parecia que tinha envelhecido 10 anos na última meia hora. A última coisa que eu ouço são seus  soluços arfantes no caminho para o meu quarto. Eu tenho que reconciliar-me com ela. Eu tenho que fazê-la me perdoar

It’s hard to Say I’m Sorry - Boyz 2 Men

Pelo menos, aliviar sua dor. Eu não posso ir tentar consertar Leila, e deixar que a única mulher que eu realmente amei seja destruída assim. Eu sou o pior tipo de namorado! Que tipo de homem ama a sua mulher e coloca-a num sofrimento assim?

Eu rapidamente ando atrás dela. Eu paro depois que eu entro no meu quarto. Os sons tristes que estão ecoando no banheiro são agonizantes, estrangeiros, não como se ela estivesse chorando, mas, como se sua alma estivesse sendo rasgada, arrancando instantaneamente meu coração aos pedaços. Eu ando rapidamente até o banheiro e encontro Anastasia caída no chão, seu corpo inteiro está tremendo e arfando, numa miséria que tudo consome. Eu caio no chão rapidamente e puxo-a para meus braços, "hey, Ana,” eu digo em voz embargada. Eu quero chorar com ela aqui, mas eu tenho que ser forte por ela. "Por favor, não chore baby, por favor, Ana," eu suplico a ela. Eu a seguro no meu colo como uma criança. Ela finalmente envolve seus braços em volta do meu pescoço e os soluços são enterrados no meu pescoço, as lágrimas escorrendo em meu peito, resfriando, enquanto correm para baixo me encharcando, e me cobrindo com seu sofrimento. Eu a nino como um bebê, tentando acalmar seus sofrimentos, acariciando o cabelo dela, e suas costas.

"Eu sinto muito..." Eu sussurro repetidamente. "Eu sinto muito." Eu a seguro mais apertado, tentando tirar a dor que eu infligi a ela, embora, como você pode curar a alma de alguém quando foi você mesmo quem retalhou em primeiro lugar? Ela chora forte, derramando seu sofrimento, lavando sua alma com suas lágrimas

Shadow Days - John Mayer

Seu sofrimento é o meu sofrimento. Mesmo que o que eu fiz para Leila estava sem culpa, sustentando o pedaço de humanidade que tenho, tentando corrigir o que eu poderia ter feito de errado no passado, foi cruel com Anastasia, e não importa o que eu faça isto a machucou. Nós nos sentamos no chão, segurando um ao outro,  cobertos com nossas misérias individuais e coletivas. Eu a seguro e balanço até ela chorar a última gota de lágrima,  e, finalmente, cambaleio para os meus pés com Anastasia em meus braços, ainda segurando-a firme. Eu entro em meu quarto, e a transporto e deposito em nossa cama. Eu imediatamente mudo minhas roupas, e me deito ao lado dela, desligando as luzes. Eu puxo Anastasia em meus braços com força, para nunca mais deixá-la ir, e se ela tem que ser infeliz, e chorar, eu quero ser o único segurando-a e confortando-a. Nós podemos ser infelizes juntos. Com as luzes apagadas, a preocupação pesando em minha consciência, nós derivamos para um sono perturbado, e meus pesadelos me dão as boas vindas. 

Died In Your Arms Tonight - Cutting Crew


25 comments:

Daniela Martins said...

Hi! First again?
It's perfect! All of a them!
Thanks a lot
Hugs and kiss!
Dani

Olidelgi said...

Parabéns!!! Foi emocionante ler estes capítulos com a visão do Christian. Muito forte e esclarecedor.
Tenho acompanhado o blog e gostei desta versão, chega a ser mais emocionante que o original de E.L.James. Vocês estão de parabéns, a Emine por essa concepção tão profunda do CG e você Neusa pela tradução.
Obrigada...

Pattystevam said...

Nossa acho que tudo que eu tinha que fala eu falei no capitulo anterior sem duvidas capitulo bem intenso..forte..Mostra o quanto Ana o ama e o quanto ela é forte e suporta por amor a ele..que dia a nossa linda Ana teve que passa heim..um dia daqueles..parabens Eminé mais uma vez acho que não vou me cansar de dizer parabens a você..e a Neusa nossa linda e maravilhosa tradutora..Sem duvida foi um dos capitulos do livro mais esperado por mim...beijos

Jordana Sirlaide said...

Sem mais palavras... acho q tmb já falei tudo q tinha q falar no capítulo anterior!!!! Ainda estou sem fôlego!!!

Beijos, Eminé e Neusa!!! Parabéns mais uma vez!

Rozeli Lemos said...

O fardo é muito pesado para Ana, confesso que mesmo estando lendo a versão de Christian, ainda me solidarizo com ela. É muita coisa acontecendo diariamente e ele de tanto amor a sufoca. Claro que para ele é tudo novo e ele se agarra a ela como uma tábua de salvação, vislumbro alguém que está se afogando e se agarra em outra pessoa com tanta intensidade que pode matá-la afogada também. Mas como outras leitoras observaram, a Ana é muito forte e segura, fragilidade é só na aparência. Acredito que a experiência de vida dela escolhendo morar como padrasto e não com a mãe, se sustentando sozinha,inteligente, sendo tímida e não fraca a faça suportar tudo isso. É assim que você vê a Ana Émine?
Bjus

Eminé Fougner @ Cowboyland said...

Hi Rozeli, Jordana, Patty, Olidelgi, Daniela,
Thank you all! <3

Rozeli, I wrote a response to you on Ch 14 for your question. Yes, Ana’s burden is heavy. You see my dear, what happened in Christian’s past has happened. He thinks of himself as unworthy. Yes he cares for Leila, because he feels responsible for her unfortunate condition. I think Leila always wanted Christian, and always looked for ways to be in Christian’s life permanently. The insanity triggered by the death of her boyfriend gave her the edge to put her desires into practice.
We already know Christian. He thinks badly of himself, doesn’t see himself worthy, and as a bad man. He may have been a totally controlling dom. In fact, I’m pretty sure he was. But his redeeming quality is the love he feels for Ana. For her, he’d do anything. Ana isn’t weak. She’s done what we would all have done in light of such events in the course of just two days. It’s a lot to take in. Hard to handle. Overwhelming. But we as human beings are designed to handle such stress granted that concessions are given: love, support, time to heal.

I asked myself if it’s actually love if we leave the other person when we can’t accept the other person with all his/her flaws. Their love for each other is strong. This is why I introduced the concept different kinds of loves. Calling what Christian and Ana have for each other simply “love” would be poor. It’s beyond love. It’s “kara sevda”. Because it’s present so few times in the world, most people have a hard time understanding it. But the examples are well known: Paris and Helena (caused the Trojan war), Romeo and Juliette, Anthony and Cleopatra, Lancelot and Guinevere, Tristan and Isolde, Apollo and Daphne, Aphrodite and Ares, Perseus and Andromeda, Robin Hood and Maid Marian, Orpheus and Eurydice, Napoleon and Josephine, Jayne Eyre and Rochester, Elisabeth and Darcy, Heathcliff and Catherine....
Pablo Neruda has a poem I love so much which expresses what Christian feels for Ana:
Sonnet XVII: Love
I don't love you as if you were the salt-rose, topaz
or arrow of carnations that propagate fire:
I love you as certain dark things are loved,
secretly, between the shadow and the soul.
I love you as the plant that doesn't bloom and carries
hidden within itself the light of those flowers,
and thanks to your love, darkly in my body
lives the dense fragrance that rises from the earth.

I love you without knowing how, or when, or from where,
I love you simply, without problems or pride:
I love you in this way because I don't know any other way of loving

but this, in which there is no I or you,
so intimate that your hand upon my chest is my hand,
so intimate that when I fall asleep it is your eyes that close.
**********
Não te amo como se fosses rosa de sal, topázio
ou flecha de cravos que propagam o fogo:
te amo como se amam certas coisas obscuras,
secretamente, entre a sombra e a alma.

Te amo como a planta que não floresce e leva
dentro de si, oculta, a luz daquelas flores,
e graças a teu amor vive escuro em meu corpo
o apertado aroma que ascendeu da terra.

Te amo sem saber como, nem quando, nem onde,
te amo diretamente sem problemas nem orgulho:
assim te amo porque não sei amar de outra maneira,

senão assim deste modo em que não sou nem és
tão perto que tua mão sobre meu peito é minha
tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho.

Tati said...

UAU!!!!! ansiosa pelo próximo!!! perfeito!!!!

Pao said...

Muy intenso este capítulo, pobre Ana ha tenido que soportar tantas presiones y todo lo hace por el amor que le tiene.
Gracias nuevamente a Emine dandonos la posibilidad de leer la historia contada por Christian que debo reconocer me gusta más.
Neusa eres una Diosa con tu traducción haciendo posible a las personas que no entendemos el inglés tengamos la posibilidad de tener de igual manera la historia de Christian y Ana. Gracias estoy esperando ansiosa el próximo capítulo

Gabi Neves said...

Nossa tao lindo!!!sem palavras aqui!!
Obrigada a vc Neusa pelo empenho e dedicação.
Obrigado a vc Emine por nos dar um pouco mais do Christian e da Ana!!
Amando cada capitulo,cada palavra cada ponto e virgula!!!rsrsrsrsrs!!
Vcs duas são d+++++++!!

Daniele Santiago said...

Nossa... como foram intensos estes três últimos capítulos, estou em choque... muito emocionada, pois tudo aconteceu em um espaço de tempo muito curto na história... difícil segurar as emoções... e percebendo o pouco de tempo que eles se conhecem é fácil entender o choque histérico de risos da ana com a proposta de casamento do Christian... é muito intenso este amor... parabéns pelo lindo trabalho... ler a história pelo POV do Christian é muito emocionante... sofro junto!!! Abraços e aguardo os próximos com muita expectativa...

Tatiana said...

Amei o poema e Emine concordo com você ele descreve o amor lindo do Christian e da Ana! Vcs são magníficas!!! Obrigada, obrigada, obrigada! Beijo e ansiosa pelo próximo capitulo

Jordana Sirlaide said...

Que poema lindo, Eminé. Acho q descreve muito bem o amor deles dois. Beijos pra vc e Neusa! E, mais uma vez, obrigada por nos presentear com essa belíssima estória.

Beijos

vanessa said...

Na espera pelo próximos capítulos, perfeitoooooo,to apaixonada pelo blog,vcs estão de parabéns Neusa e Emine

Tais Castro said...

Esse capítulo foi bem difícil mesmo pra Ana,ela é tão jovem nunca teve um namoro sério antes e ter que encarar todos os problemas do Christian e todas essas mulheres que fazem parte do passado dele ,mas que estão tão presentes fica difícil de segurar o ciúmes e a insegurança apesar do amor dela por ele, ser tão forte quanto dele por ela, basta ver como ela se sentiu quando o deixou... mas como a gente sabe vem muito mais emoções por aí, obrigado por mais esse capítulo estou ansiosa por mais.Estou louca pela surra do Jack,afinal de contas da outra vez nós ficamos com a Ana e não vimos o acerto de contas do Taylor e do Christian com o safado vai ser muito bom...beijos e até a próxima!

anne caroline godoi said...

Esse capitulo foi bem forte,em ódios os sentidos...
Fiquei solidaria com a Ana,é uma carga muito pesada,Christian realmente é em cinqüenta tons... É muita coisa para uma pessoa só.
É nesses momentos que vemos que o amor é capaz de tudo.

Aline said...

Esse capítulo é muito emocionante.... A Ana apesar de ser nova teve muita sabedoria e amor é claro, pra compreender nosso Grey!!! Parabéns Emine e Neusa pela tradução.

Anonymous said...

Eu não perdoava...deixava Christian sofrer um pouco, afinal ele não precisava dar banho na Leila, que por sinal, armou tudo, bem espertinha... Patricia

Daniela Martins said...

Na minha opinião, sem sombra de duvidas, este é o capitulo (cena) mais intenso de todos os livros! A carga jogada em cima de Anastasia é muito pesada! Porem, nao jogo a culpa totalmente em Christian! Ele é o que é pelo o que teve e passou no passado.
Com o amor de um pelo outro, com certeza, tudo será superado!
Claro que quero ver todos os filmes completos, mas esta cena e a do primeiro encontro sao minhas favoritas!
Obrigada, Neusinha! Como sempre fiel e arrasando nas traduçoes!
Emine, parabens! É lindo este seu blog! Estou aprendendo muito com você. Nao só a respeito de Christian Grey!
Bjkas
Dani
;-)

Simoni said...

Foi um capítulo difícil de ler...pois foi muito...emocionante,parabéns a Eminé....por sua sensibilidade de entender a alma de Cristian...foi lindo...sem palavras...
Parabéns a Neuza que soube captar a essência deste capítulo....

Simoni said...

Foi um capítulo difícil de ler...pois foi muito...emocionante,parabéns a Eminé....por sua sensibilidade de entender a alma de Cristian...foi lindo...sem palavras...
Parabéns a Neuza que soube captar a essência deste capítulo....

Sueli G Temoteo said...

Eu não gosto desse capítulo. Claro que a responsável é a E. L. James. Banho odioso, sim. Ele podia ter pedido a Taylon para cuidar dela. Afinal, ele teria um exércíto de empregados para cuidar dela da melhor forma possível, já que estava se sentindo tão responsável pela pirada. Não é isso que estou questionando.
Cristhian aceitaria que Ana desse banho em José, mesmo que ele estivesse moribundo?...
Leila é ardilosa, no livro III ela trama para ver Christian e usa a própria Ana para conseguir.
Acho também que a condução das ações de Leila são extremamente injustas com Taylon. Imagine, um segurança altamente qualificado ser ludibriado por uma desequilibrada mental?... Aliás, sempre que precisa, essa equipe de segurança do Christian se mostra sumariamente ineficiente. Eles chegam sempre atrasados. Isso poderia ter sido diferente.
É o que eu acho.

Denise Cobra said...

Parabéns! Muito bom!

Kris Souza said...

(...) ainda emocionada e sem fala....nem sei qual palavra escrevo pra dar a profundidade do que estou sentindo nesse momento, e para este capítulo, e para todos anteriores e o book 1 também....me sinto até envergonhada por não ter deixado um comentário antes parabenizando as duas the best autora e tradutora (Eminé e Neusa), mas me senti uma intrusa ( não sei se essa é a palavra certa, mas é a única que me vem)de está lendo agora, quando muitas outras já a tempos atrás estavam aguardavam ansiosas pelos próximos capítulos traduzidos... mas me sinto feliz em está lendo agora...por que não vou ficar tão ansiosas quanto as outras esperando os próximos, por que já tem bastante capítulos na frente \o/ \o/ \o/...só não sei se vou consegui parar de ler por que é absurdamente viciante. então quero deixar aqui meu carinho as ''duas'', e dizer meu MUITO OBRIGADA, por nos proporcionar isto: um paraíso de sensações e emoções, tudo de uma só vez!!!PARABÉNS!!!
beijinhos e forte abraço
kris souza

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry

Denise Cobra said...

OK! GRATA.