StatCtr

Monday, June 17, 2013

Livro III - Capítulo IV - Christian Grey e Anastasia Steele


CAPÍTULO QUATRO
UM BUQUÊ DE LUZ
Tradução: Neusa Reis



Meu Blackberry vibra quando eu estou sentado à mesa do café. Sorrio para Anastasia e pego meu telefone.

"Sr. Grey, Welch aqui."

"Está tudo pronto?"

"Sim, senhor. Tudo aponta para Andrew Warren, senhor. Pella indicou a falta de segurança com um olhar,  o que nós já sabíamos, e eu falei com Warren várias vezes para corrigir esses problemas. O mesmo fez Taylor. Todas as vezes ele me assegurou que o treinamento adequado estava sendo implementado, e as lacunas em matéria de segurança tinham sido preenchidas, mas é evidente que ele estava atirando areia nos nossos olhos. "

"O que fez Pella ter certeza de que foi falta de segurança?"

"Bem, para começar, senhor, ele provou isso para mim entrando no prédio sem mostrar nada a ninguém... três vezes consecutivas durante trinta minutos," diz ele destacando.

"Porra! Diga-me exatamente como ele fez isso!"  Eu sibilo entre os dentes, e o olhar de Anastasia fica fixo em mim. Vejo meus músculos apertarem. Anastasia me olha preocupada, questionando. Dou-lhe um sorriso forçado, e indicando ‘Eu vou levar um minuto’ com o meu dedo, eu ando em direção ao meu escritório.

"Sr. Grey, Pella anda em qualquer lugar e pode fazer com que pareça que ele faz parte de lá."

"Ele estava vestido com um uniforme de empregado?"

"Não senhor. Ele entrou com a sua confiança arrogante, e apenas olhou para a funcionária que é suposta conferir as identificações como se ninguém existisse no mundo, e mostrou à Srta. Big Mamas um raro sorriso; ela não pode nem mesmo levantar seu queixo do chão! Quero dizer, ela nem sequer piscou; senhor, como se ele estivesse indo desaparecer e ela não queria perder nada. Apenas o fez entrar colocando seu número de telefone na sua mão, eu devo acrescentar."

"Pode ter sido um golpe de sorte."

"Sim, senhor, mas ele também passou por outros dois caras da segurança: um mais velho, um cara absurdo, que tinha catarata nos olhos, e um macho jovem, com formação militar... Aqueles dois deveriam ser difíceis de passar sem a devida identificação, senhor. Ele não mostrou nenhuma identificação a ninguém e aqui está a coisa senhor; ele teve dois de seus seguranças passando junto com ele!"

"Porra! Como?"

"Ele só falou com eles. Ele sabia exatamente o que dizer, como dizer isso para a pessoa certa. Como se cada pessoa falasse uma determinada linguagem e ele era o único que sabia qual era. Ele sabia a grau da dispensa do cara militar só pelo seu comportamento e descobriu onde e em que local ele recebeu dispensa. Ele se dirigiu a ele como tal, e para o velho, ele agiu como se ele fosse alguém de sua época, completamente à vontade. Fiquei perplexo. Eu estava indo lhe pedir para fazer mais uma corrida só para ter certeza e ele disse,” Welch faz uma pausa, pigarreando,  "Welch, posso foder o meu caminho através dos portões, se isso é o que é preciso, e eu posso fazê-lo durante todo o dia , para dentro e para fora, mas tenho certeza que seu chefe não está me pagando mega dólares para eu testar a falta de segurança, a qual eu já tinha comprovado. Eu tenho tempo limitado, e eu preciso recolher provas, determinar como ele sabotou o 135 CE e criar um perfil de seu provável agressor. Se eu não fizer isso o filho da puta vai olhar, e acredite em mim quando eu digo isso, ele vai encontrar uma outra maneira, porque ele escapou da primeira vez. Se eu fosse o seu patrão, eu demitia os filhos da puta incompetentes! Mas não é totalmente culpa deles. Sua formação é insuficiente. Todas as respostas devem ser uniformes, mas cada empregado aqui se comportava como se eles tivessem sido treinados por três instrutores diferentes,  nenhum dos quais estavam em sintonia. Isso deveria ter sido corrigido há muito tempo. "

"O que mais?" Pergunto através dos dentes cerrados.

"A razão pela qual estamos na posse dessas fotos que eu lhe enviei, enquanto ele estava calmamente passando pela segurança, ou talvez camadas de suposta segurança, sejam por causa dos esforços dele, senhor. Ele tinha seus homens tirando fotos dele, languidamente caminhando por onde o helicóptero estava,  que eu poderia acrescentar era suposto estar fora da zona por causa da investigação."  Então ele faz uma pausa de novo, "e ele também conseguiu chegar ao jato GEH e ganhou acesso a ele!"

"Merda! Porra! O jato também?"

"Receio que sim, senhor,”  diz Welch envergonhado.

"Como ele entrou?"

"Ele disse que usou seus encantos, senhor," diz ele desgostoso.

"Seus encantos? Que porra é essa! Você não usa seu encanto como um cartão de identificação! É suposto haver protocolos de como algo deve ser feito. Porra!"

"Ele tem presença, senhor. E ele nem sequer teve que parecer ser um empregado, ou alguém que tinha negócios lá. Ele simplesmente passeou lá dentro. "

"E as suas descobertas anteriores de um mês atrás?"

"Foram entregues ao Sr. Warren, senhor. Ele garantiu de cima abaixo que essas brechas de segurança eram insignificantes, e estariam sendo corrigidas imediatamente. Mas, como recentemente nesta semana foi comprovado pelo Sr. Pella, nada tinha sido corrigido, na verdade, estava pior! "

A raiva está escoando para fora dos meus poros; eu corro minha mão pelo meu cabelo em exasperação.

"O filho da puta foi agendado esta manhã?" Eu pergunto, batendo o punho na minha mesa.

"Sim, senhor. Ele deve estar no GEH exatamente às 08:00h. "

"Ótimo. Vamos deixá-lo cozinhar um pouco. Deixe-o se preocupar. Eu quero que ele saia com a bunda na  mão, você entende? Não quero erros! E quanto ao resto? "

"Não, senhor. Sem erros! Tudo como discutimos ontem à noite, senhor. Você já teve a oportunidade de ler sobre os relatórios que eu mandei? "

"De frente para trás! Traga-os. Eu não estou em um estado de espírito de perdoar hoje! "

"Sim, senhor. Estarei no GEH em breve, e montar tudo antes de sua chegada. "

"Ótimo! Coordene-se com Taylor. Eu vou chegar às  9:00 h de hoje. "

"Eu vou chamá-lo imediatamente, senhor."

"Tudo bem!" Eu digo desligando. Implacável Christian está de volta!

Quando eu ando de volta para a barra de café-da-manhã na cozinha, Anastasia está tomando seu chá fraco Twinning English. Sua encantadora presença afugenta a raiva que eu estou sentindo para um pouco abaixo da superfície. A doce imagem dela com uma xícara de chá, traz de volta lembranças de quando ela e eu tivemos champanhe nas xícaras de chá em seu apartamento. Eu saboreio o olhar, completamente admirando. Algo angelical sobre isso e me dá uma idéia. Uma doce idéia. Hmm... Eu vou ter certeza de implementá-la em breve. Ela percebe o meu olhar sobre ela.

"Qualquer coisa que você goste, Sr. Grey?" Ela pergunta sorrindo.

"Todo o pacote, Srta. Steele," eu digo vagueando para ela, com licenciosos olhos escuros. Seus olhos seguem os meus movimentos, sem pestanejar; sua xícara está a meio caminho de seus lábios, e seu lábio inferior está dentro do cativeiro de seus dentes. Quando eu chego a frente dela, eu lentamente tomo a xícara de sua mão, sem quebrar o nosso olhar; eu a coloco sobre o balcão. Eu inclino minha cabeça para o lado para admirá-la melhor. Suas pupilas dilatam, e sua respiração fica difícil com a minha proximidade. Eu me inclino para baixo e com uma mão, eu puxo seu queixo liberando o lábio, e com os meus próprios dentes capturo-o para os meus próprios, e levemente o chupo, e ela geme na minha boca, disparando todas as minhas sinapses. Eu empurro a saia prá trás separando as pernas, e puxo-a para a frente em direção a mim enquanto eu estou entre suas pernas. Ao puxar seu rabo de cavalo com uma mão, eu empurro sua bunda para a borda do banco, em direção a mim, para fazer seu sexo encontrar minha crescente ereção, e ela engasga em minha boca. Suas mãos mergulham em meu cabelo, e me puxam em sua direção, enquanto suas pernas deliciosas, em suas meias de seda, se envolvem ao redor do meu corpo, o canto de seus saltos altos deliciosamente cavando minha bunda. Nosso beijo segue e segue, enquanto minha língua invade sua boca familiar, ainda que com nova descoberta a cada vez que eu a beijo, enquanto nossas línguas dançam.

"Não temos tempo?” ela pergunta na minha boca. Eu sorrio. Quando eu relutantemente me afasto, deixando a nós dois sem fôlego, eu pergunto com um sorriso diabólico, "Tempo para quê, Srta. Steele?"

"Para que você me foda!" Ela exige quente e pesado.

"Porque Srta. Steele, você não é a refinada jovem desta manhã?"

"Christian, você não pode me ligar assim e me deixar quente e incomodada o dia todo!" Ela repreende.

"Acontece que, Srta. Steele, não podemos hoje de manhã,”  eu respondo enquanto o rosto dela desaba. Eu não posso estar relaxado quando eu vou para o escritório. "Mas eu vou cuidar bem de você esta noite..." Eu digo com uma promessa carnal.

"O quê? Não! Por quê? "

Eu me inclino em seu ouvido e sussurro. "Não tente aliviar-se, também. Eu vou saber. Eu quero todo o seu prazer esta noite," deixando-a ofegante.

"Christian, você não está sendo justo! Eu quero você agora! "

"Eu sei, baby, eu sei. Eu quero você também, mas tudo em seu tempo... Eu prometo cuidar muito bem de você mais tarde," eu digo sensualmente, mostrando-lhe o meu desejo.

Frustração sexual serve a vários propósitos. Quando eu estou frustrado sexualmente, eu sou como uma arma carregada - muito mais cruel; isto duplica o efeito quando eu tenho que esperar um longo tempo para foder Anastasia. É claro que quando ela me quer tanto assim como ela faz agora, minhas espadas estão muito mais afiadas do que eu preciso quando eu começar a trabalhar hoje. Mas a melhor parte é que o nosso amor é mais doce, nossos desejos estão no seu pico absoluto e nossa foda é muito pervertida. Ganhar-ganhar-ganhar.

Ela estreita os olhos em mim: "Você está preparando alguma coisa, Sr. Grey,” diz ela.

"O que você quer dizer, Srta. Steele?" Pergunto fingindo inocência.

"Sr. Grey, você é um monte de coisas. Mas inocente você não é,” ela acusa, me fazendo sorrir.

"Como você me conhece bem, Srta. Steele," eu digo beijando-a apaixonadamente mais uma vez.

"Esta noite," eu digo e embalo muita promessa nesta única palavra; seu batimento cardíaco acelera, fazendo-a corar.

"Eu vou segurar isso para você,” ela responde em um sussurro rouco, segurando meu bíceps apertado, "embora,” diz ela, como se ela se lembrasse de algo, "eu não possa ser responsável pelas consequências de ser deixada quente e incomodada, Sr. Grey."

"Cuidado,” digo em voz baixa ameaçadora. "Ninguém, além de mim toca aqui!" Eu digo cobrindo seu sexo com a mão, fazendo-a ofegar. "Sim,” ela diz em uma voz sussurrada, "só você, Christian!"

"Boa menina. Termine o seu chá e vamos embora,”  eu digo, e ela faz.

Enquanto Anastasia está pegando sua maleta, Taylor entra discretamente, e eu olho para ele, ele acena com a cabeça sabendo o que significa. Tudo é coordenado. Eu pego a mão de Anastasia; entro no elevador com Sawyer e Taylor. Taylor e Sawyer abrem as portas dos passageiros no SUV, e ambos, Anastasia e eu entramos. Uma vez que estamos no SUV, eu seguro a mão de Anastasia novamente. Esfregando círculos nas costas da sua mão, e percebo que ela cruza os pés para apertar as coxas. Eu olho para ela enquanto meu olhar escurece. Ela está quente e incomodada. Hmm... Talvez ela possa ser persuadida a voltar para casa mais cedo hoje. Eu seguro sua mão e abrindo sua palma com a outra mão, eu beijo-a lentamente e levemente mordo a ponta do seu dedo mindinho, ao que ela responde com um gemido abafado.

"Silêncio agora,” eu digo encostado em seu ouvido. "Hoje à noite...” eu sussurro devasso. Ela morde os lábios, escurecendo meus olhos. Eu puxo seu queixo, liberando o lábio.

O SUV para na frente do SIP e Sawyer pula para abrir minha porta. Eu saio e estendo minha mão para Anastasia que a toma. Eu a levo até a porta do SIP.

"Não deixe o prédio. Peça a Sawyer se você precisar de alguma coisa do lado de fora,” eu lembro a ela.
"Sim, senhor,” responde ela suspirando, e dá-me um doce beijo rápido, deixando-me de pé, como um adolescente idiota. Diabinho! Ela sabe o que está fazendo. Talvez eu possa pagar-lhe de volta, em espécie, esta noite.

*****

"Sr. Grey, o Sr. Warren está esperando por quase uma hora e quase partiu algumas vezes, mas consegui mantê-lo aqui, e, finalmente, eu o coloquei sentado em seu escritório há menos de cinco minutos atrás. Ele parece..." por um minuto eu acho que Andrea vai dizer 'puto'.  "Ele parece infeliz por ter sido mantido à espera, senhor,” diz ela.

"Ótimo!” Eu respondo.

Eu entro em meu escritório com confiança inata e Taylor furtivamente me segue para o seu lugar de sempre no meu escritório. Warren, cujo rosto está distorcido como um rei que estava esperando o nascimento de seu próximo herdeiro, um filho, e este saiu uma réplica de seu mais feio tatara-tatara-tatara tio, em sua filha recém-nascida.

"Sr. Grey,” diz ele, com uma voz desagradável,  ficando em pé.

"Warren,” eu digo e ignoro sua mão estendida, caminho alguns passos e desfaço o botão do meu paletó, virando as costas para ele, e antes de ir para o meu lugar, eu me viro e peço-lhe: "Sente-se!”  Enfatizando o 's' com firmeza, como alguém faria a seu cão 'Salta’!  Ele obedece imediatamente. Meu olhar não dá nada de graça. Impassível.

Ecstasy of Gold - from "The Good The Bad The Ugly

"Posso perguntar por que você me convocou esta manhã, Sr. Grey?” Ele pergunta inquieto.

Eu olho para ele sem dizer nada, e perfurando-o por trinta segundos. Ele se mexe em sua cadeira, desconfortável.

"Tenho certeza que você tem uma opinião bem formada, Sr. Warren," eu digo em uma voz lenta, medida e controlada, que não disfarça a malícia implícita no significado. Ele engole. Como se ele ficasse frio num instante, ele esfrega os dedos na sua palma da mão, em um esforço para aquecê-los.

Meus olhos ligeiramente se mexem para dar uma pequena olhada para Taylor, sem mesmo virar a cabeça, de modo tão imperceptível que se Taylor e eu não estivéssemos tão em sintonia com os instintos um do outro, ele não saberia. Ele lenta e furtivamente sai da sala, sem nem mesmo o conhecimento de Andrew Warren. Sua cara rosa está ficando vermelha a cada segundo. Sua calvície mostra suor brotando. Sua arrogância sarcástica é sugada como um balão furado,  a cada minuto.

Taylor silenciosamente retorna e Welch fecha a porta atrás. Eu olho para ele, e ele balança a cabeça imperceptivelmente. Todas as peças do quebra-cabeça estão aqui. Resquícios de seus dias anteriores de militar, ainda evidentes no corte curto de Welch, dando pistas de que ele já foi um membro dos ‘seals’, mas agora um profissional, e sua cicatriz inclinada entre as sobrancelhas está dando-lhe um ar de estar permanentemente cruzado. Seus olhos verdes são profundos e penetrantes, e imediatamente pregam Warren no seu assento, dando-lhe um olhar acusador. Sua presença dominante no escritório o faz mais alto que o seu 1,80 m. Ele está com seu terno escuro sempre combinando com gravata de seda escura. Mas mesmo em um terno de negócio, seu comportamento fala de um soldado profissional, andando com as costas eretas como se ele estivesse indo saltar para um passo de dança rápido com um parceiro invisível.

"Senhor,” ele me sauda respeitosamente. Ele faz um show pegando os documentos que eu pedi ontem à noite, todos eles já tendo sido enviados para mim por e-mail e eu já os tendo examinado.

Warren parece desafiador e arrogante como se ele fosse intocável.

"Bem, eu estou esperando, Grey,” diz ele, impaciente, ganhando a compostura. "Você me chamou aqui, no entanto, ainda não tenho idéia de para que seja, embora,” diz ele fazendo um show de verificar o seu relógio "Eu estive aqui por uma hora e trinta e oito minutos. Eu sou um homem muito ocupado,” e com isso eu salto para os meus pés como um predador, meus olhos cobertos de cacos de gelo de malícia. Eu dou a volta na minha mesa, o meu olhar fixo nele, inabalável.

"Um mês atrás, e até agora, Welch alertou-o da falta de segurança em geral, especialmente em relação às aeronaves GEH. Temos provas documentais de que o lapso aponta a culpa todo o tempo para vocês; e na verdade, você em especial, mostrando evidências claras de que você ignorou repetidas advertências de Welch,” eu digo sem levantar minha voz, mas em um tom tão claro, que minha voz ressoa dentro do meu escritório.

"Mas, seguramente, Sr. Grey, suas aeronaves estão seguras, muito bem. Tenho certeza de que a empresa de quem você arrendou-as cobrirá qualquer outro custo de reparação e, outros mais! Além disso, como poderia eu ter a certeza, do meu escritório no centro de Seattle, que suas aeronaves estão sob vigilância constante quando estão na Boeing ou na pista do aeroporto?”  Diz ele, como um idiota que não entende o meu ponto.

O filho da puta tem a ingenuidade de insinuar que as minhas aeronaves estão em arrendamento de outra empresa. GEH possui todas as suas aeronaves e emprega desde nossa própria tripulação até nossos mecânicos. Eu não entrego meus negócios privados a terceiros. Portanto, nenhuma das minhas aeronaves são arrendamento wet ou dry. Mas isso não é da conta dele para ser explicado para ele. (N.T. A aviação tem dois tipos principais de arrendamento mercantil, leasing wet, que é normalmente usado para arrendamento de curto prazo, com tripulação e leasing dry, que é mais normal para os contratos de arrendamento a longo prazo, sem tripulação.)

"Você acha que eu dou uma merda que o seguro cobrirá os danos? Você gostaria que o seu seguro cobrisse sua vida inútil e a vida de um colega de trabalho porque pessoas como você não fizeram o seu trabalho?”

"Eu não tenho que ouvir essa merda!"

"No entanto, parece que você vai, por isso sente a porra da sua bunda, ou eu vou fazê-la sentar-se por você,”  eu digo com uma voz calma de comando. Eu aceno para  Welch que vai e abre a porta do meu escritório. Cerca de oito pessoas entram, e os olhos de Warren se arregalam.

"Eu não tolero lapso de segurança em qualquer nível da minha empresa. No entanto, as evidências coletadas mostram que cinco entre os que estão aqui grosseiramente abusaram de suas posições, desde o mais baixo,” eu olho para o guarda de segurança, “até o nível mais alto em uma empresa de segurança,”  eu digo olhando para Warren.

"Eu não trabalho para a empresa de segurança, senhor,” diz um receptor de esteróide anabolizante que tomou quinze doses em demasia.

"Cale a boca, Ronnie! Você trabalha para a Boeing Head, e você estava trabalhando no dia em que o helicóptero do Sr. Grey foi sabotado. Em vez disso você estava trabalhando na Srta. Kingsley, em vez de fazer o seu trabalho!”  Diz o gerente da Boeing.  Ronnie tem a decência de parecer mortificado.

Eu olho para a lista na minha mão com as imagens capturadas pelas câmeras de segurança, e os nomes ligados a elas. Meu rosto está impassível, eu sou qualquer coisa. Eu não tolero incompetência que está em um nível tal que ela poderia ter custado minha vida e a de Ros.

"Joe Coleman!" Eu chamo e um cara da segurança vem para frente. "Você fêz entrar um homem que não pertencia ao aeroporto; que aliás sabotou meu helicóptero. Espero que os cem dólares que recebeu tenham valido perder seu emprego!" Eu digo com um olhar gelado. "Você está demitido, porra! Caia fora do meu prédio!" Sua cabeça pende baixa, e ele vai embora.

"Sergio Ferrigno," Eu chamo e um homem de cabelo escuro, de cerca de 35 anos de idade vem para a frente. "Você foi o mecânico que assinou o atestado de que tudo estava em ordem de funcionamento, mesmo não estando."

"Sinto muito, Sr. Grey; eu não tive tempo para verificar os cabos quando chamaram para preparar a aeronave. Eu só assinei,” diz ele, como se essa explicação resolvesse.

"Quando você trabalhar para alguém da próxima vez, você vai ter a decência de fazer o seu trabalho corretamente, não vai assinar seu nome em um trabalho que não realizou! Incompetência é inaceitável! Você está demitido! A segurança vai acompanhá-lo para pegar suas ferramentas de merda. Você não vai pôr os pés perto de qualquer uma das minhas aeronaves!" e ele sai escoltado pela segurança.

"Sr. Sullivan! "

"Sim, senhor,”  responde o chefe de Ronnie.

"Suas testemunhas estão aqui?"

"Sim, senhor, bem aqui,” diz ele apontando para dois impecavelmente vestidos funcionários do aeroporto. Seu comportamento na posição ereta, prestando meia atenção, com as mãos entrelaçadas nas costas, peito para frente,  corte de cabelo militar me dizendo que eles eram recrutas militares recentes.

"Você,”  eu digo em pé na frente de um dos rapazes, que olha para frente evitando meu olhar penetrante.

"Seu nome?" Eu ordeno, embora eu já saiba qual é.

"Lee Tyson, senhor!”  Diz ele, como o militar que ele era.

"O que você tem a relatar?" Pergunto firmemente.

"O Sr.Yates, aqui,” diz ele, corrigindo-se, "Ronald Yates estava de plantão, senhor. Mas, apesar dos avisos repetidos meus e de Paul Kovak,” apontando para o outro ex-soldado, sem virar a cabeça, "ele saiu do plantão para ter um encontro com a Srta. Kingsley, senhor!”  Ele presta suas contas.

"O que você diria para isto, Sr. Kovak?" Pergunto de pé na frente do outro ex-soldado, que também tem os olhos fixos à frente, olhando para ninguém ou nada em particular.

"O que o Sr. Tyson disse é a história correta, senhor. O Sr. Ronald Yates e a Srta. Kingsley desapareceram no quarto de serviço por mais de meia hora, senhor. Foi-lhe dito que ele estava deixando-nos com pouco pessoal no posto, senhor! "

"E qual foi a sua resposta a isto?"  Eu pergunto já sabendo qual é.

Paul Kovak me olha pela primeira vez, olho no olho. Ele está sendo verdadeiro, mas embaraçado de ter que passar o próximo bit de informação para tal multidão. Meu olhar permanece impassível, cuidadosamente cobrindo o Vesúvio da raiva sob meu olhar glacial.

Ele engole. "Sr. Ronald Yates disse que ele não podia esperar nem mais um minuto sem perfurar este doce traseiro que esteve acenando para ele toda manhã, senhor!”  Ele acrescenta. E a Srta. Kingsley, que tinha estado em silêncio e sem expressão até então, cora vermelho tomate. Eu ando para encarar a Srta. Kingsley, parando a um metro de distância dela.

"Isso é verdade Srta. Kingsley?" Pergunto com uma voz plana.

De uma forma inútil pra cacete, ela endireita as costas e empurra para frente seus grandes seios, que são, possivelmente, porque ela conseguiu o trabalho; em primeiro lugar, apresentando seus maiores ativos, olha para mim timidamente, com sua excessivamente composta cara, que poderia aparentar melhor se ela tivesse tentado meio quilo menos. Ela inclina a cabeça balançando seu rabo de cavalo de cabelos castanhos.

"Ah, sinto muito, docinho, mas eu estava só..." Eu a corto imediatamente. Claramente ela não está acostumada a falar com autoridades.

"Você pode me chamar de Sr.Grey ou senhor! Nunca me chame de  ‘docinho’! Você entendeu?"  Sua boca está aberta. Eu não acho que ela já teve antes uma recusa ao show de suas tetas.

"O quê?” Ela pergunta como se não compreendesse.

"Você entende o que eu estou pedindo para você?" Eu digo destacando.

"Sim, senhor,” diz ela gaguejando. Primeiro ela engole, então parece indignada.

"Srta. Kingsley, você e o Sr. Yates estão despedidos!"

"Por quê?" A Srta. Kingsley pergunta com petulância.

"Em breve relato,  Srta. Kingsley, você está demitida por foder um colega de trabalho em horário comercial, quando você deveria estar trabalhando. Você não é paga para foder! Você é paga para trabalhar! "

"Mas eu não sou empregada por sua empresa! Estou empregada... "

"Permita-me, Sr. Grey,”  diz Andy Sullivan andando para frente com um rosto sombrio, olhando para seus empregados. "Vocês dois têm sido uma desgraça para o nome da nossa empresa, para um dos nossos maiores clientes! Não só por negligenciar seu trabalho, que vocês são contratados para fazer, mas recusando-se a ouvir os seus colegas de trabalho que os têm alertado do contrário. Suas ações íntimas foram capturadas pelas câmeras de segurança. Em suma, Srta. Kingsley, e Ronnie, você estão ambos demitidos! Não se preocupem em voltar para trabalhar amanhã. A segurança vai acompanhá-los para obter os seus pertences agora. Eu não quero ver nenhum de vocês nas instalações!"

Enquanto a segurança acompanha um Ronnie envergonhado, e uma desafiadora Srta. Kingsley, Andy Sullivan arrebanha o grupo para  fora do meu escritório.

Warren é a única pessoa restante no escritório, além de  Taylor e Welch. Ele faz um movimento para sair.

"Grey, você pode ter convencido esses baixos níveis do aeroporto de sua falta de entusiasmo no trabalho, mas eu sou o CEO da minha empresa de segurança. Você não pode me demitir! Mesmo se você tentar fazer isso, eu vou ficar feliz de levá-lo ao tribunal,”  ele grita com rancor.

"Você não tem nenhuma porra de idéia do que eu sou capaz de fazer; eu posso e vou acabar com você! Nenhuma empresa que eu tenho vai investir em contratar um CEO muito incompetente, um que é avisado um mês antes para corrigir os mesmos problemas que custaram a quatro outras pessoas os seus empregos! Você era responsável por implementar as medidas para livrar-se das falhas de segurança e ainda não fez nada! "

"Você não pode provar isso!"

"Welch, leia para o filho da puta seus direitos!"

"Alegremente, senhor,” diz ele, e pega seus documentos organizados diante dele. "Sr. Warren, um mês antes de hoje, eu fiz-lhe uma visita documentada, listando os furos na segurança geral e como isto afetava as aeronaves GEH. Nós pagamos uma boa quantia para que você possa cumprir esta tarefa a cada mês. Taylor ou eu sempre estivemos  em constante contato com você transmitindo nossas exigências de segurança. A falta de segurança ou a incompetência desses funcionários que acabam de sair, com seus chapéus entregues em suas mãos, poderia ter sido interrompida pelas medidas de segurança da sua empresa, para as quais nós pagamos amplamente. Nós não lidamos com a média gerência. Você foi avisado, Sr. Warren, um mês inteiro atrás! "

"Nós odiamos perder o seu negócio,”  diz Warren com um grunhido, “mas..."

"Você perde mais do que o negócio, Warren. Você perde o seu emprego! Você está demitido, porra!" Eu fervo de raiva.

"Você não pode me demitir, eu sou o CEO da ..."

"... da empresa da qual eu detenho o controle acionário,” eu silvo. Ele fica branco como um fantasma.

"Mas Sr. Grey..." o tom muda para puxa-saco.

"Ninguém sob o meu comando fode comigo e fica com o seu trabalho! Tire sua bunda para fora daqui. Welch! Leve a porra do lixo para fora! "

"Com prazer, senhor!”  Diz ele, e conduz um Warren chocado para fora do meu escritório.

Sento-me no meu lugar com bastante força e ouço o couro da cadeira protestando. Pressionando o interfone, eu chamo Andrea.

"Sim, Sr. Grey?”

"Existem reuniões urgentes ou qualquer coisa na minha agenda que não podem ser canceladas?"

"Nada que eu não possa remarcar, senhor,” ela responde.

"Bom, então remarque. Tenho alguns assuntos pessoais para cuidar,” eu digo e a mudança de planos faz com que as sobrancelhas de Taylor saltem para cima.

"Nós estamos indo para algum lugar, senhor?” Ele pergunta. Levanto o dedo para indicar um minuto. Eu não quero tornar Taylor inquieto, porque ele gosta de fazer uma varredura de segurança antes de eu ir para algum lugar, mas sob esta circunstância eu preciso. Eu não tenho muito tempo.

Eu pego meu Blackberry, e disco.

"Estou feliz que você recebeu meu texto, e chamou,” diz, atendendo, uma suave voz feminina.

"Oi, mãe!" Eu digo sorrindo. "Eu tinha alguns negócios urgentes; e eu não pude chamá-la de imediato. Eu tenho algumas sugestões para o casamento, e eu quero que elas sejam exatamente do jeito que eu disser a você! Nem mais, nem menos!"

"Estou intrigada, e muito satisfeita que você esteja participando. Quando Anastasia veio sozinha ontem, eu não sabia se...”  mas eu interrompo.

"É claro que eu quero dar a minha colaboração, mãe. Eu vou casar com a garota dos meus sonhos, afinal de contas! Mas eu confio em seu gosto, e ela pode decidir sobre um monte do planejamento. Eu quero que este casamento seja perfeito para ela, e reflita seus sonhos, mas eu quero melhorar esses sonhos com a minha colaboração, não tirando ou desviando dos dela. Isto  é, afinal, o que as meninas sonham desde que são pequenas. Desde que sua mãe não está aqui, eu estou muito feliz por você e Mia estarem ajudando-a, preenchendo o vazio. Anastasia não disse nada, mas eu tenho certeza que ela está sentindo a ausência de sua mãe ajudando-a. "

"Oh, querido! Nós amamos Ana, muito! Mia e eu estamos extremamente excitadas planejando o casamento. Você sabe Mia estudou culinária francesa, e ela tem algumas idéias, e eu acho que elas estão ajudando Ana a tomar decisões. Elas são da mesma idade de qualquer maneira, e seus gostos são tão parecidos! Eles são como irmãs, querido! Me faz muito feliz fazer parte deste casamento! Obrigado por me deixar fazer isso, baby,”  ela diz com uma voz suave.

"O prazer é nosso, mãe,” eu respondo a ela. "Eu tenho uma lista de itens, na verdade. Eu não quero que você os compartilhe com Ana sob quaisquer circunstâncias. Eu quero que ela se surpreenda. Se você tiver que deixar Mia saber, diga a ela para manter a boca fechada. Mas eu prefiro que você não conte a ninguém, exceto o planejador do casamento com quem você estará trabalhando. Ela assinou o NDA?"

"Sim, querido," minha mãe suspira. "O planejador de casamento e sua equipe toda assinaram. Embora Mia e eu estejamos fazendo todo o trabalho,  ela está nos ajudando a coordenar. Preciso de alguém que possa assumir no dia do casamento, quando eu estarei me divertindo no dia mais feliz da vida do meu filho,”  diz ela quase engasgando.

"Obrigado por todo o trabalho que você está fazendo por nós, mãe!" Eu digo e adiciono, “sobre a banda, eu só quero o que eu pedir para ser tocado, e você pode pedir uma lista para Anastasia, mas eles não podem tocar o que eles consideram que é bom. Só terá a minha, assim como a lista  prescrita de Ana para serem tocadas. E há dois músicos que eu quero tocando no meu casamento, além da banda. Eu quero que os seus agentes sejam contatados imediatamente. Informe-me se isso é algo que você quer que o meu pessoal faça aqui."

"Christian,” ela me repreende. "Eu conheço alguns músicos através do meu trabalho de caridade. Se você quer que as pessoas se surpreendam, quanto menos pessoas souberem, melhor. Então deixe-me lidar com isso. Estou morrendo de vontade de saber! Quem são eles? "

Eu sorrio grande e digo-lhe os dois nomes que tenho em mente, e mesmo Taylor ouve seu grito alegre, para o que ele sorri largo! Outra surpresa.

"Mas isso não é tudo. Eu quero fazer outra coisa. Tem a ver com... "  Eu digo e explico o meu plano.
"Christian, você faria isso por ela?" A voz da minha mãe está completamente chocada, reverente, e espantada, tudo ao mesmo tempo, como se ela acabasse de me conhecer. Você não tem idéia do que eu poderia fazer por ela, eu penso comigo mesmo. Não faz idéia, de todo! Mesmo Taylor parece surpreso,  já que na maioria das vezes parece que ele quer me espancar por causa de algo que eu diga ou não diga a Anastasia. Se eu não soubesse que ele estava apaixonado por Gail, eu ia chutá-lo para fora no meio-fio, mas eu vou com ‘avuncular’ com ele sempre que Anastasia está em causa.

"Que inferno. Perdido por um, perdido por mil, mãe. Oh, a propósito, eu tenho um outro pedido no que diz respeito à música..."  Eu digo e explico o que eu quero.

"Wow! Isso está fora das normas,  Christian. Mas, estranhamente, é extremamente romântico! Eu amo a idéia. Eu nunca vi ninguém fazer isso! "

"Nada sobre Anastasia e eu está dentro da norma, mãe. Mas eu quero exatamente assim,” eu digo e sinto falta da minha garota com a menção de seu nome.

"Sim, eu diria que sim,” diz ela e eu sinto o seu sorriso do outro lado do telefone.

"A propósito, eu quero ela em um vestido vermelho,” eu acrescento.

"Ana?"

"Não, mãe,“ eu suspiro exasperado.

"Oh, eu posso pedir isso?” Ela pergunta.

" Vestido longo, vermelho, de cetim,”  reitero.

"Tudo bem... Eu quero saber o que isso significa? Não importa... Eu vou ter certeza de que seja feito."

"Obrigado, mãe,”  eu digo, sem responder a sua pergunta. É claro que isso significa alguma coisa. Isso significa um monte de coisas. “Eu vou mandar por e-mail para você a lista em breve. Faça-me saber se você precisar de alguma coisa. Já tenho uma conta de casamento configurada e Andrea entrará em contato para as especificidades da mesma."

"Christian,” ela protesta.

"Mãe, não comece com isso! Eu vou pagar por tudo, porque você já está fazendo tanto com o planejamento, o que eu completamente aprecio. E você está deixando-nos ter o casamento em sua casa. Use o dinheiro que eu estou alocando. Por favor,"  eu digo.

"Tudo bem, sobre você e seu pai, vocês dois já se acertaram?"

"Não totalmente, mas eu estou disposto a corrigir a situação hoje."

"Sério, como?"

"Deixe isso comigo,”  digo sorrindo.

"Christian, pode ser difícil para você entender agora. Ele pode levar um longo tempo para compreendê-lo de fato, mas lembre-se, não importa como ele faz isso, seu pai o ama, e ele faz o que faz por amor. Ele ainda se recupera por dentro do incidente de Elena. Defenda Anastasia, mas dê-lhe o benefício da dúvida."

Eu suspiro. "Eu vou fazer o que puder, mãe. Anastasia está fora dos limites."

"Ele entende isso agora. Ele não vai mencionar isso de novo. "

"Ótimo. Eu te amo, mãe,”  eu digo surpreendendo tanto minha mãe quanto Taylor.

"Eu também te amo, querido,” e desligo.

"Taylor, nós vamos ter que ir às compras."

"Compras, senhor?"

"Sim, por um anel de casamento."

"Com todo o prazer, senhor."

"Vamos usar o mesmo joalheiro. Eu gostei de seu trabalho sobre o anel de noivado. "

"Se você me der alguns minutos, senhor, vou chamá-los e fazê-los esvaziar a loja. Nós não queremos olhares curiosos ao redor." Eu concordo com a cabeça. Enquanto Taylor sai para fazer o seu telefonema, eu rapidamente envio a minha mãe o e-mail com os meus pedidos para o casamento. Mas já existe uma mensagem dela.
___________________________________________________________
De: Grace T. Grey
Assunto: Convites
Data: 21 de junho de 2011 11:04
Para: Christian Grey, Anastasia Steele

Oi Christian e Ana,

Eu esqueci completamente de perguntar a qualquer um de vocês. Precisamos enviar os convites, eu preciso de suas listas de convidados, e dado o esquema de cores que você pediu, eu peguei algumas amostras para seus convites. Por favor, deixe-me saber quais os que você mais gosta, e devolva para mim o mais rápido possível, para que possam ser solicitados e enviados.

Amo vocês dois!

Mamãe

Anexo: Invitation1.jpg, Invitation2.jpg, Invitation3.jpg
___________________________________________________________
De: Christian Grey
Assunto: Convites
Data: 21 de junho de 2011 11:08
Para: Grace T. Grey

Oi mãe,

Anastasia e eu vamos olhar os convites, esta noite, e enviar-lhe uma resposta o mais rápido que pudermos. Obrigado por tudo que você está fazendo por nós, mãe. Em anexo está a lista das pessoas a serem convidadas por mim, e eu tenho certeza que Anastasia irá fornecer-lhe a sua lista. A outra lista é a que eu mencionei no telefone. Certifique-se de apagar todos os anexos da mensagem se você responder para mim e Anastasia.

Amo você, mãe.

Christian Grey

CEO, Grey Enterprises Inc.

Invite.doc, requests.doc casamento

___________________________________________________________

Taylor entra de volta no meu escritório e me espera terminar minha mensagem.

"Tudo definido, senhor. Podemos ir. Eles estarão esperando por nós,”  diz ele, e eu aceno com a cabeça em resposta.

Quando entro no elevador, me viro para Taylor e pergunto: "Taylor, eu vou dar-lhe um calendário para o jato,  para ser agendado para a minha lua de mel, e os destinos. Coordene-se com a equipe, e dê-me o itinerário previsto e certifique-se de que os passaportes de todos estão em ordem, inclusive de Anastasia. Tenha Sawyer obtendo o passaporte dela pronto amanhã e tenha-o acelerado. Esses otários levam um longo tempo para enviar. Além disso, coordene-se com Welch para organizar a segurança em todos os pontos de destino ".

"Sim, senhor. Você já determinou os destinos? "

"Eu já, eu vou mandar por e-mail para você esta noite, e CC para Welch. Vocês dois precisam se coordenar, e eu tenho preferências específicas, assim como os lugares onde eu quero que fiquemos ".

"Eu vou ter certeza que é feito conforme as especificações, senhor."

"Você viajará conosco. Sawyer vai ficar para trás para vigiar o Escala e Gail, a menos que ela queira ficar com a irmã,” acrescento eu, depois de ver o rosto de Taylor azedar, e sua resposta é rápida.

"Eu prefiro se ela ficar com sua irmã na minha ausência, senhor. Tenho certeza de que Sawyer pode cuidar do local por conta própria,” diz ele e eu quero rir de sua resposta, mas eu não faço, sabendo o tipo de homens que somos: possessivos. Ele também me dá mais um motivo para confiar em Taylor com Anastasia, porque a sua resposta apenas confirmou-me que ele é completamente apaixonado por Gail, e isso significa que o seu carinho pela minha garota é apenas paternal, e eu gosto que fique desse jeito.

"Nós não vamos estar na cidade, por isso, você pode organizá-lo com Gail. Tudo o que vocês dois decidirem está bom. Ela não vai perder nenhuma parte do seu tempo de férias. Eu vou lhe dar uma pausa e ela vai ver sua família,” eu digo. Taylor acena com a cabeça, mas pelo que parece, ele não gosta tanto da irmã de Gail. Taylor é um grande cara, mas sua linha de trabalho em segurança de alto perfil, o fato de que ele é divorciado com um filho, não pode fazê-lo parecer tão atraente para a família de Gail. Tudo que eles têm a fazer é conhecer o homem por trás da fachada. Enquanto eu estou envolvido nos meus pensamentos, as portas do elevador abrem, e nós estamos na garagem. Meu Blackberry vibra com um e-mail recebido. Eu dou uma olhada e o nome do remetente traz um brilho aos meus olhos. A voz de Taylor me traz de volta para os meus sentidos.

"Senhor?" Ele abriu a porta e me deixa entrar no SUV. Depois que eu tomo o meu lugar, eu abro o e-mail.
___________________________________________________________
De: Anastasia Steele
Assunto: temperaturas aumentando
Data: 21 de junho de 2011 11:44
Para: Christian Grey

Querido Sr. Grey,

Espero que você esteja ciente da situação em que você me colocou esta manhã. Eu não consegui me concentrar por toda reunião dos editores desta manhã. Tudo o que eu podia fazer era acenar a cabeça. Eles tiveram que se repetir muitas vezes para obter os meus pontos de vista. Eu não quero parecer estúpida durante todo o dia,  Sr. Grey. Tem certeza que auto-ajuda não é uma opção, senhor?

ILY
Ana
xx
___________________________________________________________

De: Christian Grey
Assunto: Absolutamente não!
Data: 21 de junho de 2011 11:49
Para: Anastasia Steele

Srta. Steele,

Eu estou fora de casa já. Se assim o desejar, posso fazer uma parada no seu trabalho e proporcionar o alívio muito necessário. Caso contrário, você vai ter que esperar. Talvez eu possa buscá-lo mais cedo. NÃO tente aliviar-se. Eu vou saber.

Christian Grey

Provedor de Socorro, CEO, Grey Enterprises Inc.
___________________________________________________________

Sua resposta é rápida.
___________________________________________________________

De: Anastasia Steele
Assunto: não...
Data: 21 de junho de 2011 11:44
Para: Christian Grey

... é necessário visitas conjugais,  Sr. Grey.  Não no SIP! Mas, eu realmente estou tendo um momento difícil segurando até esta noite.

Ana
xx
___________________________________________________________

"Taylor, desvio,  rápido!"

"Senhor?"

"Parece que eu estou com fome, e eu preciso ter um almoço cedo. Nós vamos pegar a Srta. Steele no trabalho. Informe o joalheiro ".

"Sim, senhor,” ele diz, e disca para o joalheiro.

Eu pego meu Blackberry e chamo Andrea.

"Eu preciso de você para me fazer uma reserva de almoço rápida... Sala privativa," Eu ordeno.

No momento em que Taylor encosta na frente do SIP, o joalheiro está remarcado, e a reserva de almoço está feita.

"Espere por mim, eu vou pegar a Srta. Steele," eu digo, e Sawyer me encontra à porta.

"Tudo está bem, senhor?"

"Sim, muito bem. Eu vou pegar a Srta. Steele para o almoço."

Ele me faz entrar, e quando chegamos à porta de Anastasia, ele discretamente vira as costas e espera. Anastasia está completamente surpresa de me ver.

"O quê? Como? O que você está fazendo aqui, Christian?”  Ela pergunta perplexa.

"Porque, Srta. Steele, eu vim para lhe proporcionar o alívio muito necessário,”  murmuro fazendo sua respiração acelerar.

"Christian, eu disse que não aqui...”  diz ela com os olhos arregalados.

"Bem, Srta. Steele, você pode fazer sua escolha. Eu posso fodê-la em qualquer uma das duas opções. Aqui, no seu escritório, ou, eu fiz reserva para o almoço em uma sala privada, podemos ir para lá,” eu digo em voz baixa,  lascivamente.

"Oh," ela diz com sua mão direita agarrada ao peito, enquanto o outro braço está segurando sua cintura como se empurrando para baixo seus desejos. Talvez eu precise acendê-los.

Dou um passo para frente.

"Você não parece muito bem, Srta. Steele. Você está bem?" Pergunto fechando a distância entre nós. "Você está corada," eu sussurro inclinando-me enquanto eu acaricio seu rosto com a lateral do meu dedo indicador. Sua respiração acelera, e ela se inclina para minhas carícias. A única ligação que temos é através do meu dedo e sua bochecha. Ela estende a mão para mim, mas eu faço um movimento parando-a.

"Não, não, Srta. Steele. Aqui, ou na hora do almoço? Sua escolha."

"Eu não perguntei ao meu chefe se eu poderia sair para  almoçar fora."

"Eu sou o chefe do chefe do seu chefe. Você pode sair para almoçar comigo,” eu digo de forma convincente. Ela me olha com seus olhos se estreitando.

"Você não está sendo justo, Christian!"

"O que não é justo, baby? Você precisa de alívio. Deus sabe que eu preciso de socorro. Além do mais, preciso de você. Agora!" Eu posso ver o desejo crescendo nela. Sem desviar o olhar, ela pega o telefone e disca para o chefe dela.

Quando Anastasia confirma sua longa pausa para almoço, eu pego sua mão firmemente na minha e levo-a para o SUV à espera. Sawyer fica para trás no SIP.

"Sr. Grey, o Maître estará esperando por nós na entrada de trás, assim você pode evitar a multidão em geral,”  diz Taylor.

"Ótimo,” eu respondo.

O Maître nos leva para nossa sala de jantar privada. É pequena e acolhedora. Eu já pedi a comida e ordenei o vinho antes de nossa chegada, o que deve nos poupar tempo.

"Você gostaria de sua comida agora ou gostaria de desfrutar de seu vinho, senhor?"

"Dê-nos cerca de 30 minutos para a comida. Eu quero o aperitivo em primeiro lugar," eu digo. Quando ele sai, eu vou para a porta, e puxo Taylor de lado.

"Depois que eles trouxerem os aperitivos, ninguém entra por aquela porta por, pelo menos, 30 minutos. Dê-me um zumbido com o telefone, antes."

"Sim, senhor,”  ele responde com firmeza. Volto à sala de jantar.

"O que foi aquilo?" Pergunta Anastasia.

"Nada importante, baby,” eu respondo. Eu tomo meu assento perto de Anastasia, o meu olhar fixo nela, escurecendo. Meu polegar roça meu lábio inferior.

"Christian,” ela pronuncia meu nome com tanta sensualidade e desejo, que meu pau entra em modo de saudação plena.

"Anastasia, tire sua calcinha..." Eu ordeno com uma voz rouca.

"Aqui?” ela questiona, olhando para a porta.

"Não se preocupe com a porta, ela está garantida," eu digo.

"Taylor?” ela pergunta corando.

"Não se preocupe com Taylor, baby,”  eu digo, o meu olhar fixo nela, sem tocar. Eu quero toda a sua atenção e foco. Ela parece reticente.

"Christian, seu guarda-costas está lá fora, e as pessoas vão trazer comida."

"Eu não ligo uma merda, Ana,” murmuro. Ela engole seu vinho. "Agora, tudo que eu quero fazer é arrancar você de sua blusa, sua saia, sua calcinha e seu sutiã,”  eu digo lentamente,  dando-lhe o inventário. Sua respiração acelera, ela engole em seco. Meu Blackberry vibra.

É uma mensagem de texto de Taylor.

* Aperitivos aqui *    

Sem dizer uma palavra, eu ando até a porta, e deixo que o garçom traga a cama de ostras, junto com azeitonas e nozes. Quando ele sai, Taylor acena com a cabeça, e eu fecho a porta atrás de mim. Eu tenho trinta minutos.


Eu olho para Anastasia com o meu olhar escurecendo, e ela se levanta, lentamente puxando a saia até a linha onde os topos de suas meias de seda estão mostrando a cinta-liga; eu engulo em seco. Seus dedos chegam até o topo de sua calcinha preta rendada. Ela faz um show de colocar seus polegares sob a calcinha, e corrê-los em torno de sua cintura. Então, devagar e descuidadamente, ela desliza-a para baixo. Ela se amontoa a seus pés. Quando ela faz um movimento para tirar os pés para fora dela, eu digo, "Pare,” e sigo em frente pegando a mão dela e levando-a para fora de sua calcinha. Quando eu me inclino para baixo, o meu olhar fixa o dela, com minhas mãos em seus quadris, lentamente deslizando para baixo por suas pernas, fazendo-a tremer. Eu finalmente chego até o chão e pego a calcinha, e coloco-a no bolso.

Quando eu me levanto, minhas mãos percorrem suas meias de seda perseguindo suas pernas vestidas, finalmente atingindo o ápice de suas coxas, onde eu cubro seu sexo com minha mão, preenchendo sua lacuna.

"Desabotoe todos, menos dois dos botões de sua blusa, baby,” murmuro.

"Sim,” ela responde com voz rouca. Enquanto a palma da mão está correndo em círculos em torno de seu clitóris, eu mergulho um dedo em seu sexo já molhado e ganancioso. Ela se inclina para trás para a mesa, segurando-a com ambas as mãos. Minha outra mão vai até o sutiã e acaricia seus seios sobre o material rendado. Eu puxo o copo do sutiã para fora, um de cada vez, fazendo seu peito empurrar para frente, libertando-os na minha mão aguardando. Entre o polegar e o dedo indicador, eu rolo o mamilo e capturo o outro mamilo entre os dentes, puxando levemente, enquanto minha língua rola em torno dele, lambendo e provocando.

Ela arqueia as costas empurrando-se em minhas mãos e boca à espera. Meus lábios viajam até o pescoço, mordendo e sugando suavemente, enquanto minhas mãos continuam suas ministrações. Meus dentes pastam ao longo de sua mandíbula e no canto de sua boca, mas nunca beijando-a. Eu me afasto dela e faço-a sentar-se firmemente sobre a mesa,  enquanto ela agarra as laterais com suas mãos,  e seus pés estão firmemente colocados no chão.

"Baby, quando eu me ajoelhar neste piso diante de seu sexo lindo, eu quero essas pernas lindas em volta do meu pescoço,” murmuro em sua orelha. Eu me ajoelho no chão com os  olhos no nível de seu sexo e enquanto meus lábios se fundem com seu ápice, as pernas dela, revestidas em meias de seda, estão em volta do meu pescoço. Minha língua provoca e suga sua pequena protuberância, fazendo-a estremecer as pernas em volta dos meus ombros. Eu mergulho dentro de seu sexo e circulo implacavelmente anti-horário. E eu encontro seu doce spot na parede frontal da vagina, e proporciono-lhe o alívio que ela tinha estado desejando ao longo de toda a manhã, fazendo-a gritar uma versão deturpada do meu nome, completamente perdida em prazer.




Enquanto  as pernas tremem com a reverberação de seu orgasmo, ela mal consegue ficar em pé.

Eu lentamente seguro-a de pé.

"Baby, eu vou amarrar suas mãos em frente a você agora, eu quero que você coloque-as em volta do meu pescoço. Ok?”  Eu pergunto, e ela só pode acenar com a cabeça. Eu pego a calcinha do meu bolso e amarro suas mãos rapidamente na frente dela, e ela parece divertida com a minha escolha, de improviso, de um dispositivo de retenção. Eu abro minha calça e minha ereção brota impaciente para fora.

"Agora, eu quero me enterrar dentro de você e me perder,” eu sussurro. Puxando sua saia até a cintura, eu separo suas pernas, e faço com que ela me tome no seu sexo, polegada por polegada.


A Touch Too Much - AC/DC

"Segure, por um segundo," Eu digo sem fôlego. "Deixe-me saborear você,” e a sensação de plenitude é emocionante. Estamos tão juntos como duas pessoas podem conseguir. Seus braços contidos em volta do meu pescoço, meu pau está enterrado até as bolas profundamente nela, e seus seios estão esfregando no meu peito. Ela capta o lábio inferior novamente entre os dentes, e eu me inclino automaticamente e sugo-o fora de seu cativeiro, beijando-a implacavelmente. A tensão da noite passada e desta manhã foi construída, e agora busca liberação. Minha língua invade sua boca, e ela força a dela na minha, colidindo, e buscando outra liberação. Minhas mãos lentamente movem-se para seu traseiro nu, e eu a instigo a se mover. Minha boca tem gosto de seu sexo, e de especiarias doces de sua boca, e é uma mistura inebriante. Meus dentes começam arranhando seus lábios, e ela engasga. Minha boca desce para o pescoço dela lambendo, trilhando beijos para baixo entre os seios dela, e ela empurra-os em minha boca, que eu alegremente pego com um sorriso, e chupo com força, avidamente, trazendo-a para a linha entre dor e prazer. Ela geme em resposta e seus movimentos aceleram. Quando ela empurra seus quadris para baixo, eu empurro até encontrar o local mais profundo nela. Eu encontro o meu lugar favorito dentro dela e paro seus movimentos com minhas mãos e simplesmente giro os quadris, para criar atrito extremo, para dar-lhe seu orgasmo duplo. Ela move os quadris na direção oposta aos meus, proporcionando o máximo de prazer para nós dois. Quando meus lábios passam para o próximo mamilo, sinto seu sexo apertando, e contraindo para a construção de seu orgasmo. Eu paro, girando e fazendo-a subir e descer, e subo para os lábios, certificando-me de que ela está fodida em ambas as extremidades. Enquanto guio sua bunda com uma mão, começo a esfregar seu clitóris com a outra, ela geme na minha boca, e constrói seu orgasmo rolando em ondas longas, apertando seu sexo ao redor do meu pau,  tentando me ordenhar para tudo que tenho, e chego ao meu auge, e empurro mais profundo e mais forte, chupando e fodendo, fazendo amor, unindo nossas almas com nosso beijo e ambos gozamos em voz alta.



A cabeça de Anastasia cai sobre o meu ombro, com um brilho fino de suor cobrindo seu lindo rosto corado. Eu beijo-a mais uma vez, docemente, e desamarro sua calcinha. Eu a coloco de pé na cabine, e limpo seu sexo e coloco a calcinha de volta, e endireito-a. Depois de me limpar, eu me viro e pergunto a minha mulher cansada, "Com fome?”  Ao que ela responde: "faminta,”  meio atordoada. Música para os meus ouvidos.

Meu Blackberry vibra na hora certa.

*A comida está aqui.*

*****

"Sr. Grey! É um prazer tê-lo em nossa loja, senhor. Como podemos ajudá-lo?” Pergunta o velho joalheiro. Ele é,  não só o melhor joalheiro em Seattle, mas a sua é uma das mais antigas empresas de jóias do mundo. O que posso dizer? Eu faço o meu dever de casa.

"Minha noiva está muito feliz com o anel que você criou. Eu estou procurando obter seu gêmeo. Eu não quero dizer igual. Eu quero que você me crie um outro anel que não vai tirar a simplicidade do primeiro anel ou sua grandeza, só para combiná-lo de uma maneira diferente. "

"Eu diria que você iria querer uma faixa de platina correspondente."

"Sim, eu quero."

"Eu quero poder ver as suas pedras. O que me interessa não é a maior, ou a ofuscante. Eu quero uma única em sua classe,” Eu digo com firmeza, o meu olhar fixo em seu rosto enrugado.

"Você é não convencional, senhor. Eu vou lhe mostrar nossas pedras brutas também, novamente, e talvez algumas outras...” ele diz com uma voz quase inaudível e caminha para dentro da loja. Três guardas de segurança esperam pacientemente.

Quando o velho joalheiro aparece, ele tem uma bandeja de pedras colocadas em determinados escaninhos marcados. Elas são pedras grandes e luminosas, reflexivas e chamando a atenção, mas nenhuma delas fala comigo.

"Estranhamente, Sr. Caria, eu não sinto nenhuma ligação com qualquer uma destas pedras. Você tem alguma outra? " Seus olhos brilham como se esta fosse a resposta que ele estava querendo.

"Sim, senhor. Quatro outras,” diz ele, e abre uma caixa de madeira, sem ornamentos, muito antiga. Duas das pedras atraem imediatamente minha atenção. Uma delas tem a forma de um barco ponteagudo, que o joalheiro chama de Marquesa, e outra em forma de pêra. Ambas luminescentes, mesmo sem qualquer luz brilhando sobre elas e elas são incolores. Eu tenho um momento difícil para decidir. Algo sobre elas me captura. A Marquise em forma de um barco, faria seu dedo bonito parecer ainda mais fino e mais longo, e isso me lembra o The Grace. Mas há algo sobre a outra. Ele me chama em um nível mais profundo; sinto uma conexão instantânea com esse objeto inanimado. O joalheiro percebe a minha indecisão.

"Talvez, “ele diz, "um fundo nos diamantes seria benéfico. Este,  senhor,” ele estende o diamante entre o polegar e o dedo indicador enluvados," é o maior dos dois. Este é como o outro que você comprou, exceto, claro, que a Marquesa é de 15 quilates. Ele tem a mesma luminosidade, e ambos são incolores. Bem, incolor para o olho destreinado. Você pode ver um leve escurecimento nesse, mas você tem que ser como eu, olhando para eles por mais de 45 anos, senhor. Comparando a Marquise com o diamante em forma de pêra pelo preço, a Marquise custa um pouco mais, mas não muito. "

"Por que isso? Você disse que a Marquise é maior ".

"A diferença de preço é de cerca de 60 mil dólares, senhor, o que é insignificante,”  diz ele, e Taylor quase faz um som de engasgo, mas ele discretamente esconde como uma tosse. "Embora ambos são únicos, o diamante em forma de pêra é um dos mais raros do mundo. Na verdade, é o irmão gêmeo do Diamante da Spoonmaker (N.T. Colher de pau). Ou, devo dizer, histórias semelhantes."

Eu penso que o velho precisa de uma cirurgia de catarata, existem enormes diferenças entre os dois diamantes, além de suas formas.

"Eu sei que o Diamante da Spoonmaker é amarelo. Este é incolor. Eu acho que o outro é de cerca de 87 quilates, e esse é , o que, de 10 ou 12? "

"São 12 quilates, senhor. Mas eu disse, histórias semelhantes, senhor. Nem cores semelhantes ou tamanho. Eles podem ser iguais em beleza, e não terem a mesma cor ou tamanho. Você não concorda, Sr. Grey? Mas o que é semelhante sobre os dois é a sua história. Elas são quase idênticas."

"Conte,” eu digo e sento cruzando os braços.

"A joalheria é um negócio de família para nós por mais gerações do que eu posso contar, senhor, está no nosso sangue. Quando a cidade de Constantinopla foi conquistada pelos turcos, em 1453, um dos meus antepassados ​​possuía a maior joalheria na época, que serviu o imperador Constantino, o XI. Depois que toda poeira assentou depois da troca de poder, as pessoas seguiram com suas vidas, mas certas pessoas tomaram conhecimento do novo jovem Sultão, que tinha apenas 21 anos de idade. Cientistas, poetas, escritores, historiadores, arquitetos, artistas e joalheiros,  que poderiam criar obras raras, como os meus antepassados, ​​receberam esta notícia do jovem Sultão brilhante; meu avô de muitas gerações atrás, foi um dos que teve esta notícia.

Este pequeno pedaço que ficou marcado por este avô na época do Sultão, perdeu-se na visão do presente, mas sua história manteve-se e esta menina viajou por todo o mundo, até que se mostrou em 1822 para outro antepassado meu, e fez o seu caminho para o novo mundo. Bem, a sua história inicial diz que um pobre pescador estava andando à toa em Constantinopla, perto de um distrito chamado Yenikapı. O homem não tinha nada, completamente de mãos vazias, sem dinheiro ou posses para comprar nada, nem mesmo metade de um pedaço de pão. Ele anda em torno dos escombros e lixo na esperança de encontrar algo que valha a pena comer. Então ele percebe uma pedra brilhante entre as pilhas de lixo, entulho, e imundícies, enquanto ele estava cavando através delas para, talvez, encontrar alguma coisa comestível. Não sabendo o que era,  ele embolsa a pedra brilhante.

Então, depois de andar por aí com essa peça  de pedra bonita no bolso, ele se lembra que ele a tem e para no primeiro joalheiro que ele encontra. Claro que o joalheiro reconhece o valor da mesma com um único olhar casual. Mas não querendo ter outro licitante na compra desta jóia rara, ele parece desinteressado, e diz ao pobre pescador: "É um pedaço de vidro colorido, meu bom homem. Você pode jogá-lo fora se quiser, ou eu posso dar-lhe três colheres de pau por ele, por todos os problemas que você tenha tido para trazê-lo para cá." Então, o que um pobre pescador sabe sobre o valor de uma jóia rara? Não é diferente de um pedaço de vidro para ele. E ele leva as colheres e deixa o diamante vendido para o joalheiro. Você vê senhor, foi daí  que ele pegou seu nome como o diamante da Spoonmaker. Alguém que não sabia o seu valor vendeu-o por um preço muito ... muito ... muito ... abaixo do que realmente valia. Este aqui," ele levanta mostrando-o sob uma luz diferente "percorreu um caminho semelhante no momento em que chegou até nós,  várias gerações atrás, procurando achar uma pessoa que soubesse o seu valor. É como se essa pedra tivesse um coração dela mesma. Eu não o dividi. E eu estou mostrando isso para você agora, porque, você,  senhor, com o cuidado e a atenção que demonstrou em sua compra anterior merece vê-lo, e você é o primeiro a quem eu estou mostrando isso para vender. Nós, como um negócio, caímos em tempos difíceis no passado. Mas nenhum dos meus ancestrais abriu mão dele sabendo o seu valor, e apenas um proprietário digno deve tê-lo. Ninguém tão digno veio antes de você."

"Este diamante,” diz ele levantando-o, “dá a aparência de uma lua cheia iluminando o céu luminoso e brilhante entre as estrelas. Este diamante; pensei que eu não iria querer partilhá-lo, é um amuleto em pedra. Ao longo da história, sempre encontrou o seu digno proprietário. Ninguém roubou, ou machucou o seu proprietário e viveu. É como se esta peça de jóia escolhesse seu dono. Estou me aposentando muito em breve, e eu não tenho filhos para falar de levar o meu negócio, embora eu tenha sobrinhos que não são da velha escola como eu; embora nenhum deles seja pobre em dinheiro, eles, como o pobre pescador, são desprovidos do entendimento de seu verdadeiro valor. Eu acho que é hora de encontrar-lhe um dono digno,”  diz ele olhando para mim, com um brilho de esperança nos olhos.

Pela primeira vez em muito tempo, estou sem palavras. Eu vi a paixão nos olhos deste homem por amor de sua profissão, que está enraizada nele.

"Você pode mandá-lo avaliar, senhor, embora eu não saiba se você pode encontrar um outro joalheiro mais qualificado do que eu para avaliá-lo. Você vê senhor, a minha família tem estado neste negócio há cerca de 600 anos em três continentes. Eu sou o último da velha escola na minha linha de família."

Mesmo Taylor está escutando atentamente.

"Se você tem uma mulher única do seu tipo, isto é uma jóia única do seu tipo. É chamada de ‘um buquê de luz’,  senhor."

Encontro-me dizendo: "Eu o quero,” porque a história dele vale a pena tanto quanto o próprio anel. Única do seu tipo, como a minha garota.





22 comments:

Neusa Reis said...

Oi meninas, acelerando para chegar logo ao livro 4. Capítulo lindo, na semana do aniversário do Christian, como bem lembrou a Lala. Espero que tenham festejado!
E as fotos do cap. de hoje? Lindas, perfeitas! Não falei no outro cap. sobre a foto do Claude Bastille. Preciso malhar urgente, com ele.
A história do diamante é linda, quanto será que vai custar este anel com pelo menos 12 quilates?
Agradeço muito a todas que estão lendo e comentando, você são a nossa alegria. E as que estavam ausentes por várias razões e voltaram, que bom.
Quanto a Emine, como eu disse a ela, é única do seu tipo, para nossa alegria. Bjs

Tati said...

Uau!!! que anel lindo!!!!!Adorei a historia!!!

Rozeli said...

Oi Émine e Neusa, não tenho comentado, mas tenho estado no com vocês sempre!!!
Neusa, você falou do Bastille, mas pense se fossemos a Gail com aquela visão maravilhosa do início do capítulo anterior! Meu Deus é de perder o fôlego.
Émine você vai relatar como foi a conversa da Kate e da Ana? Porque no livro anterior, no noivado, a Kate disse que a Ana ainda lhe devia uma explicação sobre o contrato, imagino como a Kate deve estar ansiosa por uma explicação!!!
Um beijo e tenham ótimos dias!

Fernanda said...

Ai que lindo esse capítulo!! E esse anel??Suspiros pelo Christian.beijos

Leda Carneiro said...

"Um buquê de luz" "Única de seu tipo" que lindooooo!! Amo essa atenção esse carinho que ele tem com Ana.

Sandra said...

Está cada vez melhor! Neusa e Emine obrigada ! Amo demais Christian e Anastásia. Beijão

Cristina said...

Nossa é demais, fico ansiosa por cada novo capítulo, ver o amadurecimento de Grey em relação ao seu amor por Ana é incrível...e tudo como ele faz pra que seja único pra ela me emocionar...AMO

Rosa said...

Amando como sempre esse blog....adorando a sua rapidez Neusa parabens....e que almoco hein.....

Cute Dream´s said...

Adorei tudo nesse capítulo!
Christian me encanta!!!!!!! Adorei as fotos e o anel!
ansiosa pela proxima!

eliane cristina rosa leite said...

UAU...to sem palavras, esse anel eh tudo de bom, e o que será essa dama de vermelho???? to curiosa...bjs Neusa e Emine vcs são demais!!!!

eliane cristina rosa leite said...

Neusa to com vc amiga...precisamos treinar com o Claude...suspiros ^_^

Aline said...

Feliz e feliz....É tudo o que posso dizer após ler esse capítulo. Parabéns meninas!!!

anne caroline godoi said...

Estou precisando de um almoço desse...
Esse homem é surpreendente em todos os sentidos.
Capitulo bem interessante .

Pao said...

Lindo capítulo muy esclarecedor supimos algunas cosas que no teníamos idea como la elección del anillo. En fin todo excelente gracias

Luxo da Lix said...

Este livro e cada dia melhor. Tenho amado e curtido tuuuuudo! Nunca imaginei que adoraria ver esta versão.... Obrigada pelo empenho, caprichos e tudo o mais!

Anonymous said...

Adorei o capitulo, a historia do diamante é linda.... Oque eu acho mais incrivel é que a Emine nos da os detalhes, deixando tudo muito mais perfeito no Cristian <3 e Neusa mto obrigado mais uma vez querida... Carol Dutra

Pattystevam said...

Que capitulo mais lindo...a preocupação de Grey em escolher uma jóia unica...que anel mais maravilhoso...imagine o preço kkkk..Sobre o aniversario do Grey que foi 18 de junho..vcs devem te visto que a autora E.L James presentio os fãs de 50 tons...com a seguinte cena..pra quem não teve oportunidade de ler vou deixa postado aqui...ela publicou em seu blog.
Christian se senta de pernas cruzadas sobre nossa cama e olha o pacote com uma mistura de desconfiança e alegria.

(“Feliz Aniversário,” Eu murmuro excitada e apreensiva com sua reação. Longos dedos alisam o papel cinza enquanto a ponta de um deles e o polegar deslizam sobre o laço de cetim cinza.

“Belo laço.” Ele ri.

“Foi o que pensei.” Inclino minha cabeça para um lado e sorrio.

“Parte do presente?”

“Se você quiser.”

“Senhora Grey, eu sempre quero, sabe disso.” Os olhos dele escurecem com uma promessa sombria e eu não consigo segurar meu sorriso largo.

Lentamente ele desfaz o laço…tomando seu tempo retira o embrulho e então o papel de seda. Ele congela…encarando meu presente e eu prendo minha respiração. Depois do que parece uma eternidade ele me olha confuso.

“É uma camisa floral,” Ele murmura.

“Sim.”
“Tem flores nela.”

“Sim.”

“Flores.”

“Sim. Uma camisa branca com pequenas flores azuis, eu pensei que talvez você quisesse se afastar do branco. É casual. Use com um jeans. Não no escritório. Eu acho que ficará gostoso nela.”

Ele me olha, seus olhos cinzas não entregam nada.

“Você vai ficar,” Eu adicionei.

“Gostoso?”

“Sim. Muito gostoso.”

“Oh. Okay.” Ele parece amolecer. Ele a segura e avalia mais uma vez. Então acena e joga para o lado.
“Agora. Este laço.” . Ele segura o laço descartado.

“O que sobre o laço.” De repente eu me sinto sem ar.

“Esta na hora da outra parte do meu presente.” Ele se lança sobre mim e eu grito…
Cena postada por E.L James..em seu blog.)
bjs meninas Eminé maravilhosa como sempre em seus capitulos e Neusa maravilhosa tradução.

Aline Caroline said...
This comment has been removed by the author.
Aline Caroline said...

Perfeito, era tudo que eu esperava de um terceiro livro!! Não apenas lembranças ou flash de memorias u.u
Estou amando, obrigada Neusa e Emine *--*

Silvana Maciel said...

oi,amei descobrir esse site,élinda a estoria de Ana e Cristian,fico na maior ansiedade para ler tudo que ja foi publicado,esse site de mais,vocês ,Neuza e Emine ,sao de mais.

Daniela Martins said...

Hj, Emine!
Este livro III na visão de Christian está sendo especial para nós, pois você está preenchendo as lacunas deixadas no original!
O envolvimento de Christian nos preparativos do casamento, a procura pelo anel perfeito, as investigações sobre o crime envolvendo Charlie Tango! Tudo isso colocado de forma maravilhosa por você!
Obrigada!
Bjkas
Dani
��

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry