StatCtr

Sunday, April 21, 2013

Livro II - Capítulo XI - Christian Grey e Anastasia Steele



CAPÍTULO ONZE
DE OLHO NO PRÊMIO

Tradução: Neusa Reis


Se você me dissesse há um mês que eu estaria aqui no meu barco com um anjo como este, eu nunca teria acreditado. No entanto, aqui estou eu, completamente saciado, totalmente apaixonado por Anastasia, que está dormindo em meus braços, no meu catamarã que batizamos muito apaixonadamente. 


I’ll Make Love to You - Boyz II Men

Eu me inclino sobre Anastasia e deixo uma trilha de beijos a partir do canto dos olhos até o canto dos lábios.

"Baby, Mac estará de volta em breve,” eu digo enquanto seus olhos meio adormecidos piscam abertos para encontrar os meus.

"Hmm..." é tudo o que ela pode dizer, ainda cansada. Eu dei-lhe um bom treino. Meu barco balança na água preguiçosamente, refletindo o nosso humor e a luz dançando acima da água é refletida sobre o teto da cabine, através das pequenas vigias.

"Eu realmente gostaria de ficar aqui deitado com você a tarde toda, baby,  mas Mac vai precisar de uma mão com o bote." Anastasia sorri preguiçosamente; seu sorriso um convite, amor, visão do paraíso, tudo ao mesmo tempo. "Ana, você está tão bonita agora, toda bagunçada e sexy. Faz-me querer você mais," eu digo. Mas, Mac é esperado logo, e eu não quero entretê-lo com os sons da minha namorada no meio do êxtase. Levanto-me da cama enquanto Anastasia rola sobre sua frente, ainda admirando a vista.

"Você mesmo não é tão ruim assim, capitão,” diz ela estalando seus lábios  em admiração. Você está me matando aqui! Eu não posso pular de volta para a cama agora. Mas, eu ando pela cabine de forma eficiente e me visto. Sento-me na cama ao lado de Anastasia, e calço os sapatos.

"Capitão, hein?" eu digo secamente, "bem, eu sou o senhor deste navio."

Ela olha para mim com respeito, admiração e inclina a cabeça para o lado. "Você é o senhor do meu coração, Sr. Grey," ela sussurra. 

Two Is Better Than One - Boys Like Girls ft. Taylor Swift

Ainda é difícil para mim acreditar que esta bela criatura, esta menina inocente,  poderia me amar. Eu balanço minha cabeça e curvo-me para beijá-la. "Eu vou estar no convés. Há uma ducha no banheiro, se você quiser. Você precisa de alguma coisa? Uma bebida?" Pergunto olhando-a cuidadosamente. Ela tem aquele sorriso bobo no rosto, que está apenas ficando maior a cada minuto.

"O quê?" Eu pergunto, imaginando o que está acontecendo nessa bela cabeça.

"Você,” ela responde enigmaticamente.

"O que há comigo?"

"Quem é você e o que você fez com Christian,” ela pergunta. Nunca muito longe, baby, nunca muito longe. Aquele Christian está sempre sob a superfície, na parte superior, infundido em mim. Eu só posso lhe dar um sorriso triste.

"Ele não está muito longe, baby,” eu respondo suavemente, desamparado. Eu balanço minha cabeça para dissipar os pensamentos.

"Você vai vê-lo em breve,"  eu sorrio aliviando o clima, “especialmente se você não se levantar." Então eu chego até suas duas esferas redondas de nádegas deliciosas expostas, e dou uma palmada em seu traseiro com muita força, minha mão deixando uma impressão da palma, na cor rosa, em ambos as bochechas. Anastasia grita surpresa, mas começa a rir forte.

"Você tinha me preocupado,” diz ela.

"Tinha?" Eu digo,  a minha testa tomando a forma da letra V. Ela me confunde muito com todos os seus sinais mistos. Como você me quer, Ana? Dominante ou amoroso, baunilha ou kinky


Just the Way You Are - Bruno Mars

"Você emite alguns sinais mistos, Anastasia. Como é que um homem deve manter-se?" Pergunto. refletindo a minha confusão enquanto  eu me inclino e a beijo.

"Laters, baby,” eu digo sorrindo, e me levanto e saio para encontrar Mac que deve estar agora de volta a bordo. Quando eu volto ao convés, eu o vejo acabando de  puxar o bote de borracha e prendendo-o. Ele me dá um aceno, cumprimentando, enquanto  ele continua seu trabalho.

"Mac, assim que estiver pronto, podemos partir de volta para Seattle."

"Sim, senhor,” diz ele em seu usual comportamento jovial. Sou sobressaltado pelo toque do meu Blackberry. Eu costumo tê-lo vibrando. É Taylor. Espero que não seja um problema. Eu não quero estragar o meu grande dia com más notícias. Eu me preparo para qualquer coisa, e atendo o telefone.

"Grey".

"Senhor, nós terminamos uma busca minuciosa em todo o apartamento, e todas as entradas. Descobrimos por onde Leila entrou no apartamento,” diz ele sombriamente.

"Por onde?" Eu digo com os dentes cerrados.

"Pela escada de incêndio, senhor. Mas nós já estamos com tudo seguro." Então, Anastasia não estava sonhando; Leila estava no apartamento,  ao pé da cama, olhando para ela, tentando decidir o que fazer com ela. Tento afastar os pensamentos sombrios do que poderia ter acontecido. Mas, isso é progresso. O apartamento está seguro agora.

"Ótimas notícias..."

"Eu não tinha certeza se ela tinha chaves do prédio, mas nós suspeitamos que ela tinha, pois todas as evidências apontavam que ela teria uma chave do local com ela. Então, nós mudamos todas as fechaduras. "

"Ótimo".

"Você ainda está fora velejando, senhor?"

"Sim..."

"Uhm... Mais uma coisa. Acreditamos que Leila ainda estava escondida no prédio quando você e a Srta. Steele saíram." Esse pouco de informação me põe desconfortável.

"Sério?" Eu digo com os dentes cerrados.

"Sim, senhor. Acreditamos que ela ainda estava escondida na escada de incêndio."

"Na escada de incêndio?" Eu pergunto. Olhei para a varanda, e eu não vi ninguém, mas estava muito escuro lá fora, e pelo que Anastasia disse, ela estava usando uma roupa preta.

"A escada de incêndio não é como nos outros edifícios, senhor. É um tipo em curva, e se ela se abaixasse o suficiente, dado o seu tamanho, e o fato de que ela estava incógnita, ela teria se escondido completamente. Eu verifiquei isto com Sawyer. Apesar de seu tamanho, ele poderia se esconder muito bem, senhor."

"Eu entendo..."

Sinto o olhar de Anastasia em mim, e virando-me encontro-a me observando. Eu caminho até ela sem pressa, e puxo-a em meus braços, beijando-lhe o cabelo.

"Desde que o edifício, bem como a cobertura estejam seguros, você estará voltando para o Escala, senhor?"
"Sim, esta noite. E o hotel?” Eu respondo.

"Eu tomei a liberdade de fazer check-out depois que fizemos uma varredura no The Grace,  senhor. Eu já recolhi seus pertences e da Srta. Steele. Você pode voltar para casa diretamente, senhor” diz ele.

"Ótimo," eu digo e termino a chamada.

Mac tendo preparado o barco, nós sentimos os motores disparando.

"Hora de voltar,” eu digo a Anastasia enquanto eu a beijo depois de um dos melhores dias da minha vida, e seguro sua mão e coloco o colete salva-vidas, e prendo-o com um sorriso.

***** *****


Enquanto navegamos de volta para a marina, em Seattle, dirijo-me a Anastasia: "baby, eu preciso de você para ajudar,” eu digo. Não há melhor momento do que o atual, se eu quero ensiná-la a velejar, e levá-la comigo no futuro. Há um brilho repentino em seus olhos.

"Vamos enrolar a vela!" Eu grito por cima do vento.

"Ok!"

"Para enrolar a vela, você deve começar por colocar o barco de frente para o vento. Temos que colocar o barco na posição. E para evitar quaisquer confusões, verifique cuidadosamente se a adriça principal está livre para correr," eu a instruo, e ela olha para mim como se eu tivesse começado a falar pig Latin (N.T. Para usar a forma Pig Latin de uma palavra em inglês a primeira consoante (ou encontro consonantal) é movido para o final da palavra e um ay é acrescentado. O objetivo é esconder o significado das palavras de outras pessoas que não estão familiarizadas com as regras. Ex. pig = igpay).
"Whoa! Calma aí, tigre! Isso é Inglês?” ela pergunta timidamente. "Eu acho que você deve ter mudado para sueco ou francês. As únicas palavras que eu peguei foram 'vento, livre e correr', e eu não sei como elas se encaixam na frase,” ela grita. Eu sorrio amplamente da sua avaliação. Eu amo ensinar-lhe, praticamente qualquer coisa.

"Venha comigo, eu vou lhe mostrar." Eu a levo para o bloqueador. (N.T. um dispositivo, que deslizará ao longo de uma corda em uma direção, mas não na outra, usado em escalada, espeleologia, náutica, etc)  Eu seguro a mão dela puxando-a para o bloqueador.

"Primeiro temos que ter certeza que os lazy-jacks (N.T. sistema de linhas finas do mastro, que faz uma capa onde a vela é recolhida, impedindo-a de cair no convés.) foram cercados e a vela grande está liberada. Pegue a  adriça (N.T. Cabo que é usado nos barcos com a função de içar velas, galhardetes ou vergas nos mastros) levemente, para abrir o bloqueador".

"Uhm, como?” Ela pergunta. Eu mostro a ela, e ela está me observando atentamente.

"Então, a fim de evitar que a vela desça toda de uma vez, e para controlá-la durante a descida, você precisa manter uma volta em torno do guincho."

"Mostre-me,” diz ela me fazendo sorrir. Eu mostro a ela, e trago a vela para baixo. Mac corre para ajudar a dobrá-la corretamente.

"Ok, Anastasia. Agora que a vela está  abaixada, precisamos travar a adriça e fechar a bolsa,” eu digo.

"Huh?" É a resposta que faz Mac rir forte.

"Você quer que eu mostre a ela, cara?” Pergunta ele, ansioso.

"Eu mostro, Mack,” eu digo com firmeza, enquanto ele levanta as mãos em um gesto de rendição.

"Agora, baby, é preciso arrumar as adriças e velas...”

"Christian? Que diabos é uma adriça?” ela pergunta me fazendo rir de orelha a orelha.

Pego as adriças e mostro a ela, "esta corda usada para levantar e abaixar uma vela, mastro, corda em um veleiro é chamada de adriça".

"Oh,” ela acena com a cabeça, compreendendo, ”mas por que você não pode simplesmente chamá-la de uma corda?"

"Porque ela é chamada adriça".

"Aha... Então, quando as cordas sobem a bordo de um navio, elas são chamadas de adriça".

"Esse tipo, sim,” eu respondo sorrindo. Ela parece atordoada com a sobrecarga de informações.

"Tudo bem passemos para arrumar a vela de proa, e a spinnaker,” eu digo. No momento em que estávamos ancorados, foi mostrado a Anastasia como amarrar um nó duplo ajustável (N.T. clove hitch), nó recife (N.T.reef knot), e nó catau (N.T.sheep­shank). Essa, obviamente, é a minha parte favorita.

"Eu posso amarrá-lo um dia,” murmura sobrecarregada com tudo o que tinha para aprender. Isso seria algo para ver, embora eu não saiba se eu podia confiar nela sabendo quão inepta ela é fazendo nós. Ela pode não ser capaz de desfazer o que ela amarrou. Eu sorrio para ela e digo: "Você vai ter que me pegar primeiro, Srta. Steele."

O brilho nos olhos dela a deixa e súbito pânico e preocupação tomam seu lugar. Os pensamentos da noite em que ela me deixou vêm espontaneamente, e eu sei que isso é o que ela está pensando também. Eu vou até ela, e seguro-a em meus braços, sem dizer nada tentando tranquilizá-la, ou talvez tranquilizar-me de que isso não vai acontecer novamente. Ela olha para mim com amor e emoção

I Melt With You - Nouvelle Vague

"Venha, deixe-me mostrar-lhe tudo sobre o meu barco! Estou muito orgulhoso dele na verdade!" Eu digo, e mostro-lhe todos os projetos inovadores que usamos para construí-lo, e eu percebo que, neste momento, eu não só quero compartilhar o meu corpo com ela, mas as minhas outras paixões - minha paixão por velejar, voar, pela energia verde, por alimentar o mundo! Eu a quero comigo por um longo tempo! Não como uma descartável, uma funcionária cujo trabalho é ocupar a minha sala de jogos. Ela é meu tudo! Porque eu não deveria mostrar-lhe tudo com o que eu estou lidando?

Ao nos aproximarmos cada vez mais e mais da marina, enquanto vemos a cidade de Seattle aparecer no horizonte e ficar maior e maior enquanto navegamos, eu me sento na minha cadeira de capitão com Anastasia em meus braços, segura, em silêncio. Eu a coloco no comando do timão, e eu quero que ela aprenda a se sentir confortável com isso. Não há nenhum lugar na terra em que eu prefira mais estar agora do que com Anastasia em meus braços, fazendo o que eu amo

Sometimes When We Touch - Rod Stewart

"Há poesia em velejar tão antiga quanto o mundo,” murmuro no ouvido de Anastasia.

"Isso soa como uma citação," ela responde me fazendo sorrir. "Sim, é. Antoine de Saint-Exupéry." Com isso  ela se ilumina.

"Oh! Adoro O Pequeno Príncipe,” responde ela.

"Eu também."

"Você se torna eternamente responsável por aquilo que cativa,” a citação vem à minha mente. Eu espero, espero que Anastasia esteja na minha vida para sempre, pois só ela capturou e domesticou o meu  coração indomável.

***** *****


No momento em que voltamos para a marina, é a hora de ouro, (N.T.  luz mágica, é o período do dia em que a luz do sol ganha tons alaranjados e sombras mais acentuadas) a minha mão cobrindo a de Anastasia, nós nos orientamos para a marina. Os raios de sol ainda estão brilhando no oeste, no horizonte sobre o Pacífico. Mas as luzes da cidade e os barcos na marina estão agora refletidos sobre as águas escuras, criando fosforescência com luzes cintilantes. Quando eu volto com o The Grace para o deque, um grupo de espectadores se reúne no cais. Naturalmente, este é um belo barco para olhar, o que me faz orgulhoso. Uma vez que eu estou no meu espaço designado, de forma segura, Mac salta para o deque, e prende o barco numa amarração.

É agridoce que a viagem acabou, mas, eu nunca vou esquecer. "De volta,” murmuro melancolicamente.

"Obrigada,” sussurra Anastasia grata e tímida, tudo ao mesmo tempo. "Essa foi uma tarde perfeita,” diz ela me fazendo sorrir. Eu amei essa experiência, e eu realmente gostaria que ela viesse comigo, de preferência sozinha, o que significa que ela precisa aprender a velejar.

"Eu também penso assim,” eu digo pensativo. "Talvez possamos matriculá-la em uma escola de vela, dessa forma apenas nós dois podemos ir velejar por alguns dias,” eu digo. Meu pensamento ilumina Anastasia imediatamente.

"Eu adoraria isso! Podemos batizar o quarto de novo e de novo,” diz ela, tornando-me excitado e desejoso. Eu me inclino e a beijo logo abaixo da orelha.  "Hmm...  Eu estou ansioso por isto, Anastasia," eu sussurro em voz rouca de luxúria.

Eu puxo Anastasia fora de seus pensamentos sujos - eu sei, porque eu os coloquei lá, e a levo para a terra.
"Venha, o apartamento está seguro. Podemos voltar,” eu digo.

"E as nossas coisas no hotel?” Ela pergunta.

"Taylor já as recolheu. Não temos necessidade de fazer nada."

Anastasia olha para mim, questionando.

"Hoje cedo, depois que ele fez uma varredura no The Grace com sua equipe."

"Será que aquele pobre homem nunca dorme?" Pergunta Anastasia com preocupação. Por que ela está preocupada com ele?

"Ele dorme,” eu respondo para ela embaraçado.  "Ele está apenas fazendo seu trabalho, Anastasia, no que ele é muito bom. Jason é um verdadeiro achado. "

"Quem é Jason?"

"Jason Taylor."

Anastasia sorri carinhosamente depois de ouvir o nome completo de Taylor.

"Você gosta de Taylor," afirmo, percebendo, olhando para ela, o ciúme subindo em mim.

"Eu suponho que eu gosto,” diz ela, e sua resposta faz meu coração parar por um segundo. Será que ela gosta dele... muito? Eu franzo a testa, o ciúme subindo em mim. Esta é a minha mulher! E ela gosta de Taylor! Oh, não! Não! Meu rosto desaba.

"Eu não me sinto atraída por ele, se é que é por isso que você está franzindo a testa. Pare!" Ela me repreende. Eu fico olhando para ela sem piscar tentando avaliar sua expressão. Eu me preocupo... Eu me preocupo que ela vai parar de me amar.  

Fade to Grey - Nouvelle Vague

"Eu acho que Taylor cuida de você muito bem. É por isso que eu gosto dele. Ele parece gentil, confiável e leal. Ele tem um apelo avuncular para mim,” explica ela. (N.T. “Avuncular” - Como um tio, segundo o dicionário)

"Avuncular?"  Eu pergunto. Como assim?

"Sim".

"Ok, avuncular,” eu digo. Eu posso viver com isso. Por um minuto pensei que estava indo despedir o meu melhor cara da segurança. Eu dou um suspiro de alívio, e isso faz Anastasia rir alto.

"Oh, Christian, cresça, pelo amor de Deus,” ela me repreende. Ela realmente me repreende! Minha boca cai aberta, em estado de choque, completamente descarrilhado por sua reação. Eu mereci. Eu sei. É só que... os dados estão lançados  quando se trata de Anastasia. Eu sinto  ciúmes,  protetor... super protetor, vigilante,  possessivo,  imaturo... e essas são apenas algumas das emoções que sinto quando Anastasia está envolvida. Eu sou novo nisso!

"Estou tentando,” eu respondo suavemente. Eu realmente estou. É só que, não apenas estou completamente fodido, mas eu estou amando, o que é uma exaustiva combinação. Seu rosto suaviza.

"Isto você está. Muito,” diz ela, e revira os olhos para mim, sempre tentando, sempre empurrando, tudo contra a minha fodida natureza. Eu sorrio. "Que lembranças você evoca quando você revira os olhos para mim, Anastasia,” eu digo.

Para minha surpresa absoluta, ela responde, "Bem, Sr. Grey, se você realmente se comportar, talvez possamos reviver algumas dessas lembranças" E sua resposta puxa as cordas do meu coração, tornando-me excitado, querendo ela desse jeito, na verdade minhas mãos começam a ‘ter espasmos’.

Eu mal posso manter o sorriso fora do meu rosto. "Realmente, Srta. Steele. O que te faz pensar que eu quero revivê-los? " Eu a questiono. Ela me dá um sorriso.

"Oh, eu não sei. Provavelmente pela maneira como seus olhos se iluminaram como uma árvore de Natal, quando eu disse isso,” ela diz friamente.

"Você já me conhece tão bem, baby."

"Eu gostaria de conhecê-lo melhor,” ela responde, me fazendo querê-la mais neste momento.

"E eu a você, Anastasia."

Mac vem para a doca para nos ver sair. Eu aperto sua mão, e agradeço-lhe.

"É sempre um prazer, Sr. Grey, adeus. Muito prazer, Ana,” diz ele  apertando sua mão. Anastasia cora, tímida, provavelmente pensando que Mac tem uma idéia muito clara do que estávamos fazendo. Tenho certeza de que ele sabia disso e é claro que é ótimo para mim que todo mundo saiba a  quem Anastasia pertence.

"Ótimo dia Mac, e muito obrigado,” ela responde para o que MAC sorri e pisca para ela. Anastasia cora ainda mais. Eu pego a mão da minha namorada e ando pelo passeio da marina.

"De onde é o Mac?” Ela pergunta curiosa.

"Da Irlanda, ou melhor, da Irlanda do Norte."

"Ele é um amigo seu?” Ela pergunta e eu considero essa questão. Eu não tenho amigos, mas ele é uma das pessoas que poderiam ser contabilizadas como tal.

"Mac trabalha para mim, e ele ajudou na construção do The Grace,” eu respondo não completamente sabendo se ele era meu amigo.

"Você tem muitos amigos?” Ela pergunta.

É complicado. Eu tenho dificuldade para confiar nas pessoas, e sou incapaz de cultivar esse tipo de relacionamento, e não tenho qualquer interesse em fazê-lo. A única que eu considero um amigo é Elena. O pensamento me faz franzir a testa. "Não, não realmente. Fazendo o que eu faço..." Eu digo, deixando o pensamento pendurado lá. "Eu não cultivo amizades."  Minha posição nos negócios,  minhas predileções,  sendo  sempre o ‘top dog’... as razões são infinitas. "Há apenas..." há apenas Elena, mas eu não digo isso.

"Você está com fome?" Pergunto como forma de mudar o tópico.

"Morrendo,” ela responde. Isso é música para os meus ouvidos.

"Ótimo! Vamos comer onde deixei o carro. Vamos lá!"

Eu a levo a um pequeno restaurante italiano chamado Bee. É um pequeno bistrô italiano com boa comida. A anfitriã nos conduz para uma cabine, e eu peço Frascati, que é prontamente entregue. É um vinho muito suave, e aveludado, espumante saboroso; desce suavemente. Anastasia está estudando o cardápio como se os segredos do universo estivessem escritos nele. Ela realmente deve estar com fome! Eu não posso me controlar, continuo olhando para ela. Quando ela sente a intensidade do meu olhar, ela levanta os olhos.


"O quê?” Ela pergunta.

"Você está linda, Anastasia. O ar livre combina com você." Mesmo os elogios a embaraçam.  

I’ll Give All My Love To You - Keith Sweat

"Eu me sinto bastante queimada pelo vento para dizer a verdade. Mas eu tive uma bela tarde. Na verdade, foi perfeita. Obrigada,” diz ela. Saber que eu fiz Anastasia feliz hoje aquece meu coração, me faz feliz, realizado. "O prazer foi meu,” é tudo que eu posso sussurrar.

"Posso te perguntar uma coisa?"

"É claro, qualquer coisa, Anastasia. Você sabe disso,” eu respondo, e inclinando a cabeça para o lado, eu dou toda a minha atenção para ela.

"Você não parece ter muitos amigos. Por que isso? "

Eu não acho que eu fiz um esforço especial para fazer amigos. Eu não pensei sobre isso, eu tinha ficado ocupado com as empresas, ou com os meus outros relacionamentos contratuais. "Eu lhe disse, eu realmente não tenho tempo. Eu tenho, claro, sócios de negócios, mas isso não é o mesmo que a amizade, eu suponho. Eu tenho minha família, que está acima  disso -  além de Elena".

Anastasia, eu noto,  convenientemente ignora o nome de Elena, e de certa forma seu ciúme me faz feliz. Isso significa que ela também é proprietária em relação a mim.

"Você não tem nenhum amigo homem da sua idade com quem você possa sair e desabafar?” ela pergunta. Ela me conhece melhor do que isso. Não tenho nenhum desejo em vestir-me com camisas de futebol combinando e rostos pintados, para consumir cerveja barata e gritar palavrões para a equipe adversária. Isso apenas não sou eu.

"Você sabe como eu gosto de deixar sair o meu vapor, Ana,” eu digo, enquanto eu lhe dou um sorriso malicioso. "Na maior parte, eu passei o meu tempo no trabalho, construindo minha empresa."  Eu tive que saltar um monte de coisas que meus pares achavam normais.  "Isso é tudo que eu faço, exceto navegar e voar ocasionalmente."

Ela sonda ainda: "Nem mesmo quando você estava na faculdade?"

"Não na verdade. Não precisava."

"Só Elena, então?” Ela pergunta com desgosto como se ela acabasse de engolir um besouro parecendo particularmente desagradável. Eu balanço a cabeça, confirmando com cautela. "Deve ser solitário,” ela responde desesperada.

Ok, já estamos nesta conversa há tempo suficiente. E especialmente quando Elena é mencionada algumas vezes, eu sei que seu prazer vai embora, e eu gostaria de continuar mantendo um bom tempo, possivelmente durante a noite.

"O que você gostaria de comer?" Pergunto,  e o assunto está encerrado. Ela me diz que ela decidiu sobre risoto. Mas seu humor mudou, e ela está em outro lugar. Porra! Eu sabia! Sempre que Elena surge, lá se vai o seu bom humor! Ela não está mais falante, e ela tem aquele olhar ‘Anastasia-check-out-virá-mais-tarde', seu olhar está bloqueado em seus dedos atados.

"Anastasia, o que está errado? Por favor, me diga," eu imploro, a preocupação apertando minha voz. Fico ansioso quando ela está assim. Como se ela fosse decidir contra nós a qualquer momento. É tão fodidamente sinistro

Love After War - Robin Thicke

Ela olha para mim com cautela.

"Ana, me diga," eu digo com fervor. Não me assuste assim! É Elena? Ela é notícia velha! Meu coração está em minha garganta, pronto para saltar do navio a qualquer minuto.

Ela toma uma respiração profunda. Oh Deus! É ruim!

"Estou muito preocupada que isso não é o suficiente para você... para desabafar." Por que você está me torturando assim, Ana? Eu estou fazendo tudo que posso para fazê-la feliz. Querendo mais com ela... fazendo mais, e ainda assim ela duvida de mim a cada momento.

"Eu lhe dei qualquer indicação de que isso não é o suficiente para mim?"

"Não."

"Então por que você acha isso?"  Sempre falo isso...

"Eu sei o que você gosta. Particularmente do que você,” diz ela tomando um fôlego, olhando nos meus olhos. Ela acrescenta em voz mais baixa, capaz de trazer para fora tudo o que ela quer dizer... "Do que você... necessita."

O que ela acha que eu preciso? Do que eu poderia possivelmente precisar mais do que eu preciso dela? Será que ela percebe como ela me tortura quando ela diz isso? Eu fecho meus olhos e sinto uma dor de cabeça se aproximando e esfrego minha cabeça.

"O que eu tenho que fazer?" Eu pergunto, em voz muito baixa. Por favor, diga-me, para que eu faça isso, para apagar todas as suas dúvidas!

"Não, você me entendeu mal, Christian. Você tem sido completamente incrível, e embora eu saiba que têm sido apenas alguns dias, eu temo que estou forçando você a ser alguém que não é,” diz ela preocupada, engolindo


All The Man I Need - Whitney Houston

"Ainda sou eu, Ana. Completamente, em todos os meus cinquenta tons de fodido. Eu percebo que eu tenho que lutar contra a vontade de estar controlando, mas você precisa entender que esta é a minha natureza, e foi assim que eu lidei com a minha vida. E sim, eu espero que você se comporte de certa maneira,  e,  claro, quando você não faz" eu digo olhando para ela, "é tanto refrescante quanto desafiador. Mas ainda faço o que eu gosto de fazer. Você me deixou bater em você depois do seu lance escandaloso ontem,” eu digo, percebendo que ela encontrou certo equilíbrio, fazendo o que ela quer, mas, em seguida, inteligentemente, ela apazigua as minhas necessidades, de tal forma que eu não posso desejar, possivelmente,  algo ou alguma outra pessoa. Ela é tão viciante como o ar que eu respiro. Se ela fosse uma determinada marca de droga, eu só preciso dela em meus baixos, e eu saberia que ela seria para o  meu detrimento. Mas, ela é como o ar que eu respiro. Eu preciso dela cada segundo de cada dia e cada noite para viver, para sobreviver e prosperar. Ela é a minha segurança, e ela quase sempre se esquece disso. Você pode afastar-se de uma droga, mas da vida? Eu não posso fazer isso.

"Eu gosto de puni-la. Eu não acho que este desejo acabará um dia, mas estou tentando e, é preciso ser dito, não é tão difícil quanto eu pensava que seria," eu digo.



Anastasia cora, desta vez com o desejo, lembrando o que fizemos no meu quarto. "Eu não me importo," ela sussurra, como se todo o restaurante estivesse ouvindo.

"Eu sei," eu digo, lembrando o quanto de esforço me custou para levá-la lá para dentro, depois que minha irmã roubou-a duas vezes. "Nem eu, mas, Anastasia, eu quero dizer a você que isto tudo é novo para mim. Todas essas experiências... De fato, os últimos dias têm sido os melhores da minha vida, sempre. Eu não quero mudar nada,” eu digo com fervor, querendo que ela acredite.

Anastasia ilumina-se com a minha declaração. "Eles têm sido os melhores da minha vida também, Christian. Sem exceções,” ela declara, fazendo-me sorrir largamente.

Em seguida, ela devolve a bola para mim. "Mas, você não quer me levar para a sua sala de jogos?"  Meu rosto desaba, o sangue foge do meu rosto, eu fico ansioso. Eu não a quero lá dentro. Eu não posso! Ela me deixou, e eu não posso lidar com o que eu me tornei naquela sala. Eu não posso fazer isso!

"Não, eu não,” eu digo com firmeza.

Ela me choca mais uma vez com sua pergunta seguinte: "Por que não?" Ela está quase me repreendendo.

Como ela podia ser tão pouco perspicaz? Eu era o a único naquela sala, quando ela me deixou?

"A última vez em que estivemos naquela sala, você me deixou,” digo com tristeza, revivendo o momento. Eu não posso lidar com essa experiência novamente. Meu coração e minha alma foram  arrancados de mim. "Eu vou definitivamente fugir de qualquer coisa que possa me fazer me sentir daquele jeito de novo. Eu nunca experimentei tal devastação na minha vida, eu sou incapaz de expressá-la em palavras. Eu nunca mais quero me sentir assim novamente, Ana. Eu já lhe disse como eu me sinto sobre você,” eu digo disposto a fazê-la entender o que amá-la significa para mim.

"Mas, Christian, é muito injusto com você. Eu sinto que isto não pode ser muito relaxante para você... você sabe, estar constantemente sentindo-se preocupado em relação a como me sinto.  Eu  sei  que você fez muitas mudanças por mim, e eu sinto...” ela suspira, "sinto que deveria pelo menos retribuir de alguma forma. Eu não sei, talvez, experimentar alguns jogos de cenas,” diz ela ficando completamente vermelha diante de mim.

"Você retribui Ana, e mais do que você sabe. Por favor, baby, por favor, não se sinta assim,” eu digo com o medo rastejando em meus olhos. Lembro-me que quando ela me deixou, seu principal medo era que ela nunca seria o suficiente, ou que não seria compatível. Eu não quero que ela pense dessa forma. Eu não posso lidar com isso.

"Baby, foi apenas um único fim de semana,” eu digo completamente alarmado. "Você precisa nos dar algum tempo. Eu pensei muito sobre nós na semana passada quando você partiu,” eu digo engolindo; achando difícil dizer as palavras. "Precisamos de tempo. Você precisa confiar em mim, e eu preciso confiar em você. Talvez com o tempo possamos tentar, mas eu gosto de como você está agora, como estamos juntos. Eu gosto de ver você tão feliz, e relaxada e despreocupada, e saber que eu tenho algo a ver com isso,” eu digo parando, lembrando que o fotógrafo a colocou à vontade naquelas fotos. Eu estava com ciúmes então. Eu queria ser a pessoa que lhe dava os sorrisos, os sorrisos fáceis, e relaxados, o olhar feliz, o contentamento em seu rosto.

"Eu nunca..." Eu digo incapaz de terminar a frase. Eu não posso explicar isso a ela. Exasperado eu corro meus dedos pelo meu cabelo. Eu não posso nem pensar em alguém fazendo-a feliz, mesmo que hipoteticamente. Se ela partir de novo, me deixar, eu não tenho nada... nada de valor; o pensamento é insuportável! 

I Have Nothing - Whitney Houston

"Temos que andar antes de correr,” eu digo sorrindo, lembrando Flynn.

"O que é tão engraçado?” Ela pergunta intrigada.

"Oh, é o Flynn. Ele diz isso o tempo todo, e eu estou surpreso que eu o estou citando. "

"Um  Flynnismo,” diz ela sorrindo me fazendo rir. "Sim, exatamente,” eu respondo.

Quando a nossa comida é servida, eu me lembro como eu estou com fome.

"Você sabe onde fica a melhor comida italiana?"

"Em Seattle? Eu não sei,” diz ela.

"Não, quero dizer em qualquer lugar do mundo. A melhor comida italiana é perto de Positano, na Itália, num lugar chamado Donna Rosa. É uma pequena cidade chamada Montepertuso. Mas a comida é refinada e requintada, incrivelmente fresca e completamente deliciosa. Tem os melhores vinhos italianos, e há pequenas salas de jantar e um terraço, se você quiser comer lá, e completamente elegante,” eu digo, e Anastasia olha para mim com adoração, completamente cativada por aquilo que eu tenho a dizer.

Em nosso caminho para o Escala, penso no dia que tivemos. Foi um dia incrivelmente perfeito. Eu amei cada minuto dele. Eva Cassidy está cantando ao fundo, no caminho de volta, e eu estou perdido em pensamentos.

I Know You by Heart - Eva Cassidy

Preocupa-me que ela ache que o que temos pode não ser suficiente. O que temos é o que eu preciso! Será que ela sabe que eu faria qualquer coisa para mantê-la na minha vida? O maior castigo que alguém pudesse inventar para mim seria separá-la de mim. Seria o meu tormento. Seria como um rato meio morto por um gato - onde não há salvação. Uma existência condenada... Quando ela não estava comigo, eu estava cercado por sua imagem, em toda parte. Para onde quer que eu olhasse, eu a veria. Eu pensei que eu ia enlouquecer! E aqui está ela sentada inocentemente, aquela que detém o poder de meu céu e meu inferno pessoal. Ela acha que ela não é suficiente para mim, que ela pode não ser suficiente algum dia. Ninguém nunca foi suficiente para mim, como se eu tivesse um rancor contra o universo, nada era bom o suficiente. Nada foi suficiente! Eu tinha essa vontade de sempre seguir em frente, sempre progredir, sempre a próxima coisa, sempre querendo e nunca estando satisfeito! Que tortura que tinha sido. Eu mantive a fraude. Eu nunca percebi que eu estava procurando o meu ajuste  de contas apenas por... existir!

Mas quando eu conheci Anastasia, tudo abrandou, mudou e meus olhos focaram nela apenas. Alguém sabe como é torturante buscar algo e não saber o que é? E que visão celestial é finalmente encontrá-lo? O mundo não foi o suficiente para preencher essa lacuna em mim. Nada era suficiente. E ainda assim ela entrou na minha vida, e a lacuna foi preenchida, e agora eu quero dar-lhe o mundo.

Quando eu chego mais perto do Escala a tensão aperta e se irradia através dos meus poros. Meus olhos dardejam ao redor para ver se Leila está por perto, em algum lugar. Não estou nervoso por mim. Estou nervoso pelo perigo que Leila está criando para Anastasia. Estou preocupado que os meus medos mais profundos se tornem realidade. Perder Anastasia de uma maneira que eu nunca poderei recuperá-la. Eu entro na garagem do Escala enquanto minha boca se torna uma linha sombria. Eu vejo Sawyer patrulhando e que o Audi violado já foi removido. Sawyer duplica sua velocidade e vem e abre a porta de Anastasia, logo depois que eu estaciono ao lado da minha SUV. 

Highway to the Dangerzone – Top Gun Soundtrack



Anastasia cumprimenta Sawyer.

"Srta. Steele,” diz ele balançando a cabeça, "Sr. Grey. "

"Nenhum sinal?" Eu tento perguntar discretamente.

"Não, senhor,” é sua resposta.

Eu rapidamente vou para o lado de Anastasia, e agarro-lhe a mão e a levo para os elevadores em dupla velocidade. Saber que Leila estava aqui, junto ao pé da minha cama, possivelmente com uma arma na mão, tentando decidir se devia ou não atirar na única mulher que eu já amei, está me matando por dentro. Assim que eu ponho os pés no elevador, eu viro para Anastasia.

"Você não está autorizada a sair daqui sozinha. Você entende?" Eu digo impertinentemente.

"Tudo bem,” diz ela, e quando eu esperava que ela franzisse a testa ou discutisse, ela sorri.

"O que é tão engraçado?" Pergunto divertido.

"Você,” ela responde ainda sorrindo.

"Eu? Srta. Steele? Por que eu sou tão engraçado?" Pergunto amuando.

"Não fique amuado,” ela repreende.

"Por que não?" Pergunto, questionando ainda mais divertido.

"Porque,” diz ela lentamente, "seu beicinho tem em mim o mesmo efeito que eu tenho em você quando eu faço isso,” diz ela, e morde o lábio.




"Sério?" Pergunto fazendo beicinho novamente. Ela, não só tem a chave para o meu coração, mas também para a minha libido! Eu não posso evitar, apenas me inclino e a beijo castamente. Mas Anastasia tem outras idéias. Seus dedos se enrolam em meu cabelo, e ela me puxa forte para ela! Este único  ponto de contato não é suficiente, e eu me vejo agarrando-a e empurrando-a contra as paredes do elevador, enquanto minhas mãos seguram e envolvem seu rosto, puxando-a para mim, tentando fundir-me com ela. Nossas línguas empurram violentamente uma contra a outra. Os lábios se moldam, chupando, um no outro! Nossas respirações se misturam, a paixão é ressuscitada, e a ansiedade está subindo ao telhado! Eu quero fodê-la aqui para declarar que estamos vivos e juntos e que ela é minha, e eu sou dela! 


All About Us - T.a.t.u

Muito cedo a porra da porta do elevador ding aberta, quando chegamos ao meu apartamento de cobertura. Minhas mãos ainda estão em seu rosto, e os meus lábios ainda estão nos dela, meus quadris prendendo-a na parede, minha ereção cavando dentro dela, e se eu não soubesse que Taylor está discretamente de pé do outro lado do saguão de entrada, eu foderia ela aqui mesmo!

"Whoa!" Murmuro ofegante em sua boca.

"Whoa!” Ela reflete meus sentimentos.

Meus lábios ainda nos dela, eu a olho. "O que você faz comigo, Ana,” eu digo, mal sendo capaz de me afastar dela, enquanto eu rastreio seu lábio inferior com o polegar. Taylor discretamente se afasta da linha de visão.

Anastasia se aproxima e beija o canto da minha boca, e sussurra.

"O que você faz comigo, Christian,” sussurra. Eu tenho que tê-la e tê-la em breve. Eu pego sua mão, mal me segurando, "Venha,” eu ordeno, e o desejo está percorrendo meu corpo.

"Boa noite, Taylor,” digo finalmente, reconhecendo-o.

"Sr. Grey, Srta. Steele,” diz ele cordialmente.

"Eu era a Sra. Taylor ontem,” Anastasia deixa escapar sorrindo, fazendo com que o meu chefe de segurança core de  todos os tipos de cor que eu ainda não o tinha visto ter.

"Para isso tem um belo anel, Srta. Steele,” diz ele como se fosse apenas isso.

"Eu pensei assim, também,” diz ela de volta para ele, e a raiva sobe em mim. Ela sabe como porra eu fico com ciúmes! Por que diabos ela está fazendo isso? Ela é a porra da minha mulher! Por que ela está flertando com o meu segurança?

Minhas mãos apertam automaticamente em torno de Anastasia e eu fecho a cara.

"Se vocês dois já terminaram, eu gostaria de uma reunião de avaliação,” eu encaro Taylor. Sei que Anastasia não tem um filtro cérebro boca a maior parte do tempo. Mas, espero mais da minha segurança. Taylor se encolhe sob meu olhar.

"Eu estarei com você em breve. Eu só quero uma palavra com a Srta. Steele," eu digo, e envio Taylor para o seu escritório.

Eu arrasto Anastasia pela mão para o meu quarto e fecho a porta, a tensão sexual e o ciúme irradiando-se  por todos os meus poros e  folículos do meu corpo.

"Não flerte com o pessoal, Anastasia!" Eu a repreendo. Ela abre a boca para dizer alguma coisa inteligente. Eu olho para ela desafiante. Ela fecha a boca. Depois tendo decidido o que ela vai dizer: "Eu não estava flertando. Eu estava sendo amigável. Há uma grande diferença,” diz ela com petulância.

"Não seja simpática com a equipe ou flerte com eles. Eu não gosto disso!"  Seu rosto cai, as feições despreocupadas perdidas. Ela baixa a cabeça, e olha para seus dedos. Ela está me matando!

"Sinto muito,” ela murmura. Eu me curvo e levanto seu queixo para cima, levantando seu rosto, fazendo-a encontrar os meus olhos.

"Você sabe como eu sou ciumento,” eu sussurro. Eu quero que ela saiba. Perdê-la de qualquer forma é o meu maior medo. Eu não aguento mais! 

Set Fire to the Rain - Adele

"Você não tem nenhuma razão para ter ciúmes, Christian. Você me possui de corpo e  alma,” ela responde.
Eu gostaria de saber com certeza. Como eu poderia possuir seu corpo e alma? Como? Como ela poderia me amar tanto assim? Minha mente não pode abarcar isto. Eu me inclino e a beijo, ainda sentindo-me desconfortável, ainda incapaz de compreender se ela me ama tanto quanto ela diz que ama, e se ela pode continuar a me amar, apesar de toda a minha fodida merda!

"Eu não vou demorar. Sinta-se em casa,” eu digo, ainda de mau humor, ainda com ciúmes, ainda me recuperando do medo da possibilidade de perdê-la.

Eu ando para o escritório de Taylor ou a 'sala da situação' como eu a apelidei.

"Taylor, eu não quero que você retorne o flirt de  Anastasia,” digo sem rodeios. Ele cora.

"Perdão, senhor?"

"Anastasia às vezes pode ser excessivamente amigável. Faz parte da sua natureza. Se ela fizer isso, corte o mal pela raiz. Cortês profissional é o comportamento que eu estou procurando. Não a mime."

Ele cora um pouco mais. Eu mudo o tópico.

"Agora, me informe das medidas de segurança que você e sua equipe tomaram,” eu digo, e esse tópico recebe quase um tapete de boas-vindas de Taylor, que ficou desconfortável com o tema de Anastasia.

Taylor explica as fechaduras mudadas, como eles descobriram onde Leila se escondeu, e como ele eliminou o  agora desfigurado Audi de Anastasia.

"Os pertences de Anastasia foram transferidos para o meu quarto?"

"Sim, senhor. Suas roupas foram realocadas no seu armário, e seus outros pertences, seu laptop, iPad, e outros itens pessoais estão agora no seu quarto."

Eu aceno com a cabeça, satisfeito. "Ótimo!" Eu digo. Esse é mais um passo que eu dei para fazer de Anastasia o meu 'mais'. Eu tenho que tê-la dia e noite. Eu não posso sequer suportar o pensamento dela em outro quarto. Ela me dá paz. Ela é a minha panacéia para todos os problemas que eu tenho,  exceto aqueles que ela está criando ela mesma, é claro, mas mesmo aqueles são distrações bem-vindas para mim.

Deixo o aposento de Taylor para voltar para Anastasia, preocupado com os pensamentos de que Leila estava bem aqui, perturbada o suficiente para ferir Anastasia. Ela poderia ter feito, e isso me incomoda. Eu procuro por Anastasia. Ela não está na sala de estar. Eu vou para o meu quarto, e a encontro no closet. Ela está  estupefata, olhando para as roupas penduradas que agora estão dividindo espaço com as minhas.

"Estou feliz que eles conseguiram mudá-las,” eu digo a ela, ainda distraído com o pensamento de Leila.

"O que há de errado?” Ela pergunta quando ela vê meu rosto.

"Taylor acha que Leila estava se escondendo na escada de emergência. Ela devia ter uma chave. Todas as fechaduras foram mudadas. A equipe de segurança fez uma varredura de cada um dos cômodos e cada um dos cantos, de todo o apartamento. Claramente ela não está aqui."  Essa ansiedade está me matando. Que ela poderia encontrar Anastasia e fazer algum mal para ela. "Eu gostaria de saber onde ela está. Ela está fugindo de todas as nossas tentativas para encontrá-la, quando todos nós sabemos que ela precisa de ajuda, desesperadamente." Ela chega bem perto e me segura em seu abraço. Eu não posso deixar de segurá-la e beijá-la no topo de sua cabeça.

"O que você vai fazer quando você encontrá-la,” ela sonda.

"Dr. Flynn tem um lugar. "

"E o marido dela?"

Ele não se importa porra nenhuma sobre ela!  "Ele lavou as mãos sobre ela. Sua própria família vive em Connecticut. Mas eu acho que ela está muito sozinha por aí, onde ela estiver agora."

"Isso é triste,” Anastasia comenta.

"Você está bem com todos os seus pertences estando aqui? Eu realmente quero que você compartilhe o meu quarto,” eu pergunto. Eu não só quero, mas eu preciso disso. Eu preciso dela, comigo em todos os momentos.

"Sim".

"Eu quero que você durma comigo. Eu não tenho pesadelos quando você está dormindo comigo. "

"Você tem pesadelos?” Ela pergunta. Esta é uma notícia nova para ela.

"Sim".

Ela só me aperta em seu abraço apertado. "Eu estava apenas começando a deixar minha roupa pronta para o trabalho amanhã,” ela diz baixinho. O quê? Ela não pode ir!

"Trabalho!" Eu rosno.

"Sim, trabalho,” ela responde. Ela não pode ir trabalhar. Leila está lá fora, Deus sabe o que ela está planejando fazer!

"Mas Leila, ela está lá fora," eu paro e não quero trazer o resto desse pensamento. "Eu não quero que você vá para o trabalho." Ela não precisa. Eu posso cuidar dela!

"Christian, isto é completamente ridículo. Eu tenho que ir trabalhar. "

"Não, você não tem!" Eu replico.

"Eu tenho um novo trabalho do qual, aliás, eu gosto. Claro que eu tenho que ir para o trabalho, Christian."

"Não. Você. Não. Tem!" Repito enunciando.

"Você acha que eu vou ficar aqui girando meus polegares enquanto você, Sr. Grey,  está fora sendo o  Mestre do Universo?” ela pergunta.

"Bem, francamente, sim." Eu digo.

Ela suspira. "Christian, eu preciso ir trabalhar."

"Não, você não precisa."

"Sim. Eu. Preciso,” diz ela, também enunciando, devagar.

Será que ela sabe de todos os riscos de segurança em que ela está envolvida? "Não é seguro para você lá fora."

"Christian, por favor. Eu preciso trabalhar para viver, e  eu  vou  estar perfeitamente bem."

Deus, dai-me forças com essa mulher! Ela é mais forte do que as patas traseiras do diabo!

"Você não precisa trabalhar para viver, e como você sabe que você vai ficar bem?" Eu levanto a minha voz. Que diabos eu estou fazendo aqui? Eu não sou capaz de cuidar de minha mulher? Não é suficiente que eu trabalhe e ganhe dinheiro para ela? Ela não vai precisar para nada! Estou ficando mais irritado a cada minuto.

"Pelo amor de Deus, Christian! Leila estava no final de sua cama, bem ali!” Diz ela apontando. "Mas ela não me machucou. E eu preciso trabalhar. Eu não quero estar em dívida com você. Eu tenho os meus empréstimos estudantis para pagar,” ela explica.

Ela coloca as mãos sobre os quadris, sua posição de combate. Ela vai lutar com unhas e dentes com isso. Minha raiva está faiscando através dos meus olhos, e eu não sou suposto bater-lhe ou castigá-la! Porra! Porra! Porra!

"Eu não quero que você vá trabalhar,” afirmo com firmeza.

"Não é você quem decide, Christian. Esta não é sua decisão." O inferno que não é! Esta é uma mulher exasperante, irritante, enlouquecedora, sexy como o inferno, e eu vou levá-la para o inferno!

Nós encaramos um ao outro, sem recuar. Estou exasperado; minhas mãos percorrem o meu cabelo. Qual é a minha melhor opção? Pense Grey, pense
.
"Sawyer irá com você,” eu digo. Essa é a extensão do meu compromisso.

"O quê? Christian! Isso não é necessário. Você está sendo irracional,” diz ela.

Que porra!

"Irracional?" Eu praticamente rosno. "Ou ele vai com você, ou eu realmente serei irracional e a manterei aqui,” eu digo ameaçadoramente. E não me provoque, Ana, vou fazê-lo, porra! Você não sabe a que distância que eu irei para protegê-la! 


Everything I Do - Bryan Adams

"Como, exatamente?” Ela pergunta.

"Oh, eu encontrarei uma maneira, Anastasia. Não se atreva a me provocar. "

"Okay!” Diz ela finalmente concedendo. "Tudo bem,” diz ela levantando as duas mãos em um gesto dizendo ‘você ganhou’. Nós ainda estamos olhando carrancudos um para o outro.

"Tudo bem. Sawyer pode vir comigo se isso lhe faz se sentir melhor,” ela repete revirando os olhos. Isso é tudo que eu posso aguentar sem dar-lhe uma palmada! Dou um passo em sua direção com uma expressão ameaçadora, e ela imediatamente dá um passo para trás. Eu fecho meus olhos. Relaxe! Relaxe! Inspire, expire! Dez... Nove... Oito... Sete... Seis... Cinco... Quatro... Três... Dois... Um...

Eu corro minhas mãos pelo meu cabelo. Completamente nervoso, irritado e mal me controlando. Eu tenho que mudar os tópicos. Respire Grey! Respire!

"Posso lhe levar para dar um passeio?" Pergunto pegando-a de surpresa.

"Tudo bem,” diz ela com os olhos cautelosos. Tomo sua mão, e a aperto suavemente.

"Eu não queria assustá-la,"eu digo, preocupado que ela poderia pensar que eu iria voltar aos meus antigos caminhos.

"Você não assustou. Eu estava me preparando para fugir,” diz ela. O quê?!?! Não!

"Fugir?" Eu pergunto a ela, com medo. Quando eu temo que toda a gente vai levá-la para longe de mim, eu não quero ser aquele que vai fazê-la correr de mim.

"Eu estou brincando!” Diz ela, balançando a cabeça.

Eu a levo ao redor do apartamento, mostrando-lhe todos os quartos. Há quatro quartos, se você contar a sala de jogos, e eu lhe mostro a ala de Taylor e da Sra. Jones com a sua própria cozinha, sala e dois quartos, um para cada um.

Quando eu lhe mostro a sala de TV, em frente ao meu escritório, ela sorri.

"Sr. Grey, você tem um Xbox, afinal? ” Diz ela.

"Sim, mas eu sou uma merda nisso. Elliot me ganha o tempo todo. Foi engraçado quando você pensou que esta sala era a minha sala de jogos,” eu digo sorrindo de volta para ela. Imagine, eu preciso de distração também.

"Estou feliz que você me ache divertida, Sr. Grey,” ela zomba de mim.

"Isto você é, Srta. Steele – isto quando você não está sendo excessivamente irritante, é claro."

"Mr. Grey, eu sou irritante apenas quando a pessoa em questão não é razoável. "

"Eu? Razoável?" Eu a questiono.

"Sim, Sr. Grey. Razoável poderia muito bem ser o seu nome do meio. "

"Eu não tenho um nome do meio," eu digo.

"Bem, então, irracional deve servir."

"Oh, eu acho que é tudo uma questão de opinião, Srta. Steele."

"Eu estaria interessada na opinião profissional do Dr. Flynn,” diz ela me fazendo sorrir.

"Eu pensei que Trevelyan era seu nome do meio."

"Não. Sobrenome".

"Mas por que não usá-lo?"

"Porque é muito longo. Venha," eu ordeno, pegando a mão dela, passamos pela despensa, meu escritório, e da adega para o grande centro de controle de Taylor, também conhecido como a ‘sala de situação’. Taylor está observando os monitores. A varanda, escada, elevador de serviço e hall de entrada, são todos monitorados.

"Oi, Taylor. Estou apenas fazendo um passeio com Anastasia,” eu digo quando interrompo seu trabalho.

Ele balança a cabeça, sem um sorriso. Ele levou a cortesia profissional para um novo nível. Anastasia sorri para ele, e ele acena para ela educadamente, sem um sorriso. Eu não quero Anastasia se  alongando muito sobre a mudança de seu comportamento, assim eu pego a mão dela e passo para a biblioteca.




"E, claro, você já esteve aqui,” eu digo, enquanto eu abro a porta. Anastasia olha a mesa de bilhar.

"Vamos jogar?” Ela pergunta. Estou surpreso com o seu entusiasmo e dou um sorriso para ela.

"Okay. Você já jogou antes? " Eu pergunto.

"Algumas vezes,” diz ela com indiferença, e examino sua expressão. Oh, baby, você está mentindo.

"Você é uma mentirosa incorrigível, Anastasia. Eu acredito que você ou nunca jogou antes, ou... " ou ela o domina. Mas ela me corta.

"Com medo de um pouco de competição?” ela me provoca, lambendo os lábios como se fosse uma coisa certa ela ganhar.

"Medo de uma garotinha como você?"  Eu brinco de volta.

"Que tal uma aposta, então, Sr. Grey?” Ela pergunta. Hmm. Possibilidades.

"Então, você está assim confiante com que, Srta. Steele?" Eu sorrio e estou chocado, é claro. "O que você quer apostar?"

"Se eu ganhar, você vai me levar de volta para a sala de jogos,” diz ela. Por quê? O quê? Por quê?!?

"E se eu ganhar?" Pergunto, ainda tentando rebobinar o que ela pediu para a aposta.

"Então, a escolha é sua,” diz ela. Isto tem possibilidades. Oh, as coisas que eu posso pedir... Eu sorrio decidindo.

"Ok, apostado. Você quer jogar pool, sinuca inglesa ou bilhar carambola? "

"Pool, por favor. Eu não sei os outros jogos. "

Pego a grande caixa de couro em uma das estantes que abrigam as bolas de bilhar. Eu arrumo as bolas na baeta, e entrego a Anastasia um taco e algum giz.

"Gostaria de quebrar?" Eu pergunto. Posso dar-lhe uma vantagem. Eu sei que vou ganhar. Eu nunca perco, não quando eu quero algo desesperadamente.

"Tudo bem,” diz ela, e passa o giz no fim de seu taco, soprando o excesso. Ela, então, olha para mim com aquele olhar que diz que eu quero você. Meus olhos escurecem com o desejo.

Ela alinha uma das bolas brancas e com um golpe rápido e limpo, ela bate as bolas do centro, e uma bolas listradas gira e cai para a direita na caçapa superior direita. Boa jogada! Eu a observo.

"Eu escolho as listras,” diz ela, inocentemente. Oh, minha baby brincalhona.

"Seja minha convidada,” eu digo estendendo minha mão, curvando-me galantemente.

Anastasia se movimenta, se abaixa, o traseiro dela se esticando de uma forma convidativa. Ela se concentra na bola quando ela abaixa seu corpo sobre a mesa de bilhar. Hmm. Uma visão muito convidativa mesmo. Ela se move vagarosamente ao redor da mesa, calculando seu próximo tiro. Ela acaba afundando mais duas bolas, enquanto eu aprecio a cena diante de mim. Eu dou uma olhada, mas não demonstro nada. Ela já fez isso antes. Com quem, eu me pergunto. Ela finalmente perde a bola por uma infinitesimal pequena margem. Alívio!

"Você sabe Anastasia, eu poderia ficar aqui e ver você inclinando-se sobre esta mesa de bilhar durante todo o dia,” eu digo apaixonado. Anastasia cora, como de costume, e isso me faz desejá-la mais, esta sua inocência é completamente cativante. Eu sorrio, e eu também decido usar minha própria técnica de distração. Eu tiro meu suéter e o lanço sobre as costas de uma cadeira. Eu dou a Anastasia um vislumbre de como eu sou,  debruçado sobre a mesa de bilhar com os meus jeans baixos pendurados. Dois podem jogar esse jogo.

Desde que Anastasia escolheu as bolas listradas, eu assumo as lisas. Eu me  movo sobre a mesa e embolso eficientemente quatro bolas em rápida sucessão. É claro que, depois de ter sido distraído pelo faminto olhar que a minha namorada está me dando, acabo afundando a branca no quinto tiro. Anastasia aproveita esta oportunidade para me provocar.

"Um erro muito elementar, Sr. Grey."

"Minha querida Srta. Steele, eu sou apenas um tolo mortal. É a sua vez, creio eu," Eu digo com um movimento floreado acenando para a mesa.

"Você não está tentando perder está?” ela pergunta.

Eu não sonharia com isso. Na verdade, eu prefiro sempre ganhar. Perder não tem nada a ver com minha natureza.

"Oh, não. Para o que eu tenho em mente como prêmio, eu quero ganhar, Anastasia,” eu digo dando de ombros. "Mas, além disso, eu sempre quero ganhar em todas as coisas."

Anastasia  caminha descuidada ao redor da mesa. Inclina-se para bater, e tendo decidido que não é onde ela quer, ela muda ao encontrar um melhor ângulo para dar sua tacada. Mas, eu finalmente percebo o que ela está tentando fazer. Ela está tentando me distrair, dando um bom ângulo do seu traseiro e de seu decote com sua camisa azul de corte baixo. Está funcionando é claro. Inferno!

"Eu sei o que você está fazendo, Anastasia," eu sussurro para ela, enquanto o desejo sobe vários entalhes.

Ela finge inocência batendo os cílios para mim. Ela segura seu taco, e estrategicamente coloca a mão sobre ele e passa a mão para cima e para baixo sobre ele lentamente, sugestivamente. "Oh, Sr. Grey. Estou apenas tentando decidir onde dar minha próxima tacada,” ela murmura.

Em seguida, ela anda até seu canto escolhido ao lado da mesa, inclina-se, me dando uma boa visão de sua entrada, agora mostrando sutiã e decote, e ela faz isso na minha frente. Ela dá sua tacada, e alinha a sua próxima, inclinando-se sobre a mesa um pouco mais, e eu vejo parte de seu mamilo na minha linha de visão, o que me faz ter uma ingestão aguda de respiração. E minha reação faz com que ela perca sua tacada. Sim!!
Ando para ficar atrás dela, enquanto ela ainda está se inclinando sobre a mesa e coloco minhas mãos em seu traseiro delicioso. Quando eu me inclino sobre ela, eu sussurro: "Você está balançando isto para me provocar, Srta. Steele?" Com isto eu dou uma palmada nela por trás forte, fazendo-a ofegar. A palmada dá um bom zumbido na minha mão, o que é um sentimento bem-vindo.

"Sim,” ela murmura.  Brincando comigo, não é baby?  "Tenha cuidado com o que deseja, baby,” eu sussurro.

Enquanto ela esfrega seu traseiro, eu ando para o outro lado da mesa, me inclino para baixo, miro bem e dou minha tacada. Eu bato na bola vermelha, e consigo derrubá-la para a caçapa do lado esquerdo. Eu vou para outra, uma bola amarela, e tenho como objetivo atirá-la na caçapa direita, mas eu erro por um fio de cabelo fazendo Anastasia sorrir quase vitoriosamente.

"Sala Vermelha, aqui vamos nós,” diz ela tentando me provocar. Ela sabe que eu odeio perder. Mas, eu não demonstro nada. Eu só levanto uma sobrancelha e aceno para que ela continue.



Ela dá sua tacada e encaçapa a última listrada laranja.

"Indique sua caçapa,” murmuro, como se quisesse dizer: "escolha a maneira que você quer ser fodida!

"Encima à esquerda,” diz ela, e se inclina sobre a mesa, mira seu objetivo, bate, e caramba, ela o erra por uma larga margem! Sim! Meu sorriso de orelha a orelha é ameaçador, mostrando-lhe que pretendo ganhar. Eu me inclino sobre a mesa, e afundo as duas lisas restantes, e quando eu fico de pé e passo o giz no meu taco descuidadamente, meu olhar está queimando em Anastasia.

"Se eu ganhar..." eu digo devagar, provocante: "Eu vou bater em você, então fodê-la sobre esta mesa de bilhar".
Seu queixo cai aberto, seus olhos se arregalam. Eu nomeio minha caçapa, com os olhos no prêmio.

"Em cima, à direita,” murmuro intencionalmente. Eu aponto para a bola preta com meu taco, curvo-me dando a Anastasia outra boa olhada, e dou minha tacada, e quando a bola branca atinge a negra, ela gira e oscila ao longo da borda da caçapa, e, oh, muito lentamente, girando, cai na caçapa superior direita.

Meus olhos brilham sombriamente, vitoriosamente. Eu molho meus lábios e passeio em direção ao meu prêmio, como um predador


Hurricane - The Scorpions


20 comments:

Neusa Reis said...

Pronto meninas, consegui um tempo extra e estou colocando mais um capítulo. Estamos numa fase muito doce, puro amor, e até a Anastasia estranhou a mudança do Christian. Ela também está tentando adaptar-se às necessidades dele. E ele sempre perseguido pelo medo de perdê-la. Mas estamos chegando a tempos difíceis, o "banho" está a caminho. Rsrsrs
Para a leitora Pao, pergunto: De donde eres? Mejor, adonde vives? Eres la única de habla castellana?
Um abraço a todas e obrigada Emine, por nos dar tanta satisfação.

Michele Dominato said...

Adorei! Ansiosa para o próximo capítulo!

eliane cristina rosa leite said...

Ai sr grey... anciosa pelo proximo capitulo...parabens neusa...;)

eliane cristina rosa leite said...

Ai sr grey... anciosa pelo proximo capitulo...parabens neusa ;)

Pao said...

Hola Neusa, soy de Chile, Santiago. Soy la única que escribo en castellano pero sé portugués, viví 15 anos en Sao Paulo, no escribo en portugués porque mi teclado es en español.
Por cierto excelente capítulo, estoy esperando el baño que le da a Leyla, Dios la odio.
Gracias.

Daniela Martins said...

Neusa, vc e Emine sao espetaculares!
Abraços!
Dani
;)

Ana Louzada said...

Estou amando!!!! Obrigada Emine e Neusa. Ansiedade pura!!!!! Até o próximo. Espero que seja em breve. Beijocas

Ana Louzada said...

Estou amando!!!! Obrigada Emine e Neusa. Ansiedade pura!!!!! Até o próximo. Espero que seja em breve. Beijocas

Aline said...

Como sempre um capítulo maravilhoso!!! Odeio muito o banho que ele da na Leila, com todas as minhas forças.....E na minha opinião ela não surtou coisa nenhuma. Tirou o porte de armas, usou cópias de chaves que supostamente não deveria ter, conseguiu enganar a forte vigilância do Taylor. Descobriu onde Anastasia trabalhava e morava.Ela é muito esperta, isso sim. Despeitada, porque o Christian não quis "mais" com ela. Pior que ela, só a safada da Elena.KKKKKKK.... Adoro o Christian assim romântico, e o dominador também. Como diz Anastasia a variedade é o tempero da vida....Obrigada Neusa por dispor de seu tempo e Parabéns Emine.

anne caroline godoi said...

Como você para o capitulo assim?eita na melhor parte...
Fiquei com gostinho de quero mais...

Pattystevam said...

Adorei capitulo unica coisa que mata é quando capitulo acaba pq fico mto ansiosa pro próximo..cada vez mais se aproxima a cena do banho de Leila..não vejo a hora..para poder entender mais essa cena..por mais que Christina ame Anastacia existe o fator dele ser homem..a natureza de homens..fica na minha cabeça..ele dar banho em Leila sem sentir nada minimo que fosse ao ve-la nua..ainda mais ela que..ele diz claramente que sempre a unica coisa que quis na Leila seu corpo..enfim veremos o capitulo do banho.
obs:Acho que esse meu pensamento..realmente tenha passado na cabeça de Anastacia..dai mais um dos motivos da insegurança dela e venhamos de qualquer uma de nós mulheres kkk.

Jordana Sirlaide said...

Fiquei sem fôlego no final desse capítulo...
O banho se aproxima... rsrsrsrs
Mas acho que não aconteceu nada sexual nesse banho. Acho q Christian apenas viu a oportunidade de oferecer a ajuda q Leila tanto precisava e cuidou um pouco dela (apesar do ódio me inundar - rsrsrrs- ODEIO A LEILA).
Já ansiosa pelo próximo!

Beijos Eminé e Neusa!

Josy Silva said...

Maravilhoso capítulo. ....un Abraço Emine e Neusa

Tais Castro said...

Bom é claro que eu também estou ansiosa pela cena do banho,mas o que me instiga é saber dos pensamentos dele,do medo ao se dá conta que a Ana está em perigo novamente e agora cara a cara com a Leila ele deve está muito apavorado e tenho certeza que não vai passar nenhum tipo de desejo pela cabeça dele em relação à Leila na hora do banho ele só está preocupado em salvar a Ana e a própria Leila,bom obrigado pelo capítulo e aguardo ansiosa por mais obrigado pela dedicação Neusa, e obrigado Emine por esta versão que está maravilhosa a propósito se ela quisesse escrever um quarto livro continuando a estória nós adoraríamos com certeza,pense com carinho nessa possibilidade...beijos!

Tais Castro said...

Bom é claro que eu também estou ansiosa pela cena do banho,mas o que me instiga é saber dos pensamentos dele,do medo ao se dá conta que a Ana está em perigo novamente e agora cara a cara com a Leila ele deve está muito apavorado e tenho certeza que não vai passar nenhum tipo de desejo pela cabeça dele em relação à Leila na hora do banho ele só está preocupado em salvar a Ana e a própria Leila,bom obrigado pelo capítulo e aguardo ansiosa por mais obrigado pela dedicação Neusa, e obrigado Emine por esta versão que está maravilhosa a propósito se ela quisesse escrever um quarto livro continuando a estória nós adoraríamos com certeza,pense com carinho nessa possibilidade...beijos!

Gabi said...

amando cada capitulo!!!!Obrigado pela dedicação!!!

Anonymous said...

Ola Neusa, a versão está tão bem escrita q eu jurava que era a própria EL James.

Daniela Martins said...

Acabou com gostinho de "quero mais"!
Emine e Neusa, obrigada!
Adorei!
Bjkas
Dani
;-)

Francieli said...

Sabe um coisa que eu tenho me questionado: Se o escala é todo monitorado por câmeras e pelo Teylor, como eles conseguem manter a privacidade nos momentos íntimos, em cada conto do apartamento.
Muito obrigado novamente Emine e Neusa pelo tempo que vcs dedicaram a está história, não passo nem um dia sem encontrar um tempinho para ler um capitulo, e olha que meus dias são corridos. Estou adorando.

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry