StatCtr

Friday, March 8, 2013

Livro 1 - Capítulo XXII - Christian Grey e Anastasia Steele


CAPÍTULO VINTE E DOIS
É DIFÍCIL DIZER ADEUS

Tradução: Neusa Reis                                                                   
Edição/Revisão: Beatriz Reis


Eu acordo com Anastasia debatendo-se em meus braços.

"Não!" Ela geme em seu sono. "Não! Não vá Christian, " ela murmura

Love Story - Taylor Swift

"Ei, ei..." Eu digo alisando seu cabelo, tentando acalmá-la. Ela relaxa sob o meu toque. Está escuro. Eu posso ver as luzes da cidade através de minhas janelas descobertas. Eu descubro que meus braços e pernas estão envoltos em torno de Anastasia, reivindicando-a, mesmo durante o sono.

"Não vá, por favor! Eu estou com medo. Christian, eu te amo..." ela geme, estremecendo em seu sono. Eu beijo seu cabelo, fechando os olhos. É o melhor som que eu ouvi desde que ela disse ontem, pela primeira vez, em seu sono. Mas, ainda assim, eu estou com medo de ouvir isso. Assustado até o meu âmago. Graças a Deus, ela está dormindo. Eu não acho que eu poderia lidar com isso se ela estivesse acordada. Eu não posso ser amado. Eu não devo ser amado. Eu sou manchado. Fodido. Sujo. Indigno...
"Eu não posso...", ela diz, com uma ingestão de uma respiração trêmula, estendendo o braço para uma pessoa invisível no escuro.

"Baby..." eu sussurro em seu ouvido: "Eu não vou a lugar nenhum..." Eu digo tentando tranqüilizá-la. "Não me deixe você! Eu preciso de você... " eu sussurro. Ela suspira em seu sono. Ela suspira. "Nunca ... , diz ela antes de dormir.

"Nunca o quê?" Eu acho que para mim mesmo.

"Nunca o quê, baby?"

"Eu nunca vou te deixar, Christian", ela murmura quase inaudível, mas esta simples frase me dá a maior paz, a melhor segurança que eu já tive em toda minha vida. O conhecimento do fato de que ela me quer, e que ela não vai me deixar me conforta, relaxa-me como se uma tonelada de carga tivesse sido retirada dos meus ombros. Estou em admiração por esta mulher que me pega de surpresa até mesmo em seu sono. Meu relógio marca 05:16h.  Eu poderia me levantar e me exercitar uma vez que eu vou ter um longo dia pela frente. Eu olho para ela dormir. Eu posso olhá-la por horas. Ela me ama! A mim! Estou mais que exultante. Eu gostaria de ouvir isso dela. Não! Eu não quero ouvir isso dela. Estou com muito medo da idéia. Eu não sou digno dela... ou de seu amor. Eu sou um fodido filho-de-uma- prostituta-de-crack! Eu não sou digno de nada. Obviamente não daqueles como ela, mas eu sou um homem egoísta, que agora deseja ter este anjo que eu estou segurando em meus braços. Como é que eu fico tão feliz de tê-la? Eu me remexo inquieto. Eu retiro meus braços de sua volta. Eu preciso ir malhar. Eu quero continuar a observá-la em seu sono agora pacífico. Mas quando eu retiro meus braços para longe dela, seu corpo se move e se vira para mim, me procurando no escuro. Ela é atraída para mim também! Que conforto é saber disto! Tudo que ela faz puxa as cordas do meu coração!

Eu lentamente saio da cama. Eu estou ao lado da cama, olhando para ela na penumbra, com a única iluminação vinda da cidade entrando através das minhas grandes janelas. Ela é linda. Encantadora. Cativante. Eu vou para o meu closet e coloco minha roupa de treino. Eu vou para o lado da cama, e espreito Anastasia uma última vez antes de ir para o ginásio.

Quando eu chego ao térreo para malhar, Taylor já está lá. Ele me olha com cautela, e percebe minha aparência calma, e continua seu treino, reconhecendo a minha presença.

"Bom dia, senhor", diz ele educadamente. Aceno com a cabeça como resposta. "Dia."

Nós trabalhamos mais de uma hora. Eu corro, levanto pesos, remo e nado. Nós voltamos para a minha cobertura. Eu tomo minha ducha. Coloco minhas calças pretas e camisa branca. Eu entro na cozinha. Mrs. Jones já está ocupada.

"Gostaria do seu café-da-manhã agora senhor?"

"Não agora, Sra. Jones. Eu vou trabalhar um pouco. Você sabe, a Srta Anastasia Steele está aqui como lhe informei mais cedo. Ela prefere Twinings English Tea no período da manhã em vez de café. Eu vou tomar um café agora. "

"Certamente, senhor. Eu posso fazer o seu chá logo que ela acorde. Eu tenho o seu café pronto, " diz ela entregando-me uma xícara de café recém-passado.

"Obrigado Sra. Jones", eu digo enquanto eu tomo meu café.

"Se a Srta Steele perguntar, eu estarei no meu escritório trabalhando", eu digo.

"Sim, senhor", ela responde, educadamente.

Eu vou para o meu estúdio, e Taylor se apresenta para ser informado sobre as atividades do dia. Nós repassamos a programação, e ele volta para seu escritório. Eu abro e verifico meus e-mails. Há uma mensagem do meu braço direito Ros sobre uma empresa que estamos decidindo entre manter e liquidar. Ela me mandou os livros Profit & Loss, (N.T. Ganhos e Perdas) e é lamentável. Eu a chamo para discutir mais o assunto.

"Sr. Grey, " diz ela, como forma de cumprimento.

"Ros, o que há com o P & L da empresa que adquirimos no ano passado? Por que os ganhos baixaram no  quarto trimestre em sucessão? "

"É a economia, senhor. A companhia já estava indo mal, e desde o momento em que você a adquiriu, ela tem mostrado ligeira melhoria, mas não o suficiente para se recuperar das perdas."

"Eu vejo a "ligeira melhoria" que você está falando. Não é o suficiente, porra! A empresa é um peso morto! A menos que o seu  P & L melhore, eu não estou interessado em mantê-la, Ros. Nós não estamos carregando peso morto... " digo.

"Eu sugiro que sejam implementadas algumas mudanças, e talvez substitua o CFO (N.T. Diretor Executivo). Eu tenho alguém em mente que pode ser capaz de puxá-la pelas alças . Mas, eu não sei se isso será suficiente. Pode custar algum dinheiro... " diz ela, quando eu a interrompo.

"Olha, eu não preciso mais de desculpas esfarrapadas. Ela está nos custando muito dinheiro. Mande Marco me ligar, é hora de tudo ou nada... "

"Sim, senhor. Além disso, Barney queria saber o que você achou do protótipo, ou se você tem alguma sugestão para uma melhoria."

"Sim, diga Barney que o protótipo parece ser bom, embora eu não esteja seguro  sobre a interface ..."

"Você não gosta da interface? Ele vem com altas recomendações de nossos engenheiros," diz ela.

"Não, está só faltando alguma coisa... Na verdade, ele e sua equipe, nós podemos ter uma reunião de troca de idéias... "

"Isso é realmente uma idéia muito boa. Você sabe que eu não sou muito técnica, mas você pode transmitir as suas preocupações para a equipe de engenharia. Se não há mais nada, Andrea pode agendar a reunião para esta tarde."

"Tudo bem. Transfira-me de volta para Andrea... " digo.

Sinto um olhar em mim. O olhar de Anastasia. A eletricidade palpável. Ela está aqui, na sala. Eu levanto os olhos, e a vejo. Vê-la traz um sorriso lento e sexy ao meu rosto. Ela olha para mim, sem palavras. Ela adquire uma respiração instável, como se ela tivesse deixado sua sanidade fora da porta. Eu continuo minha conversa com Andrea, mas meus olhos estão fixos em Anastasia, nunca deixando os dela. Esta é a visão que me faz sentir completamente vivo ... 

I’m Alive by Celine Dion

"Andrea. Limpe minha agenda esta manhã, mas faça Bill me chamar. Estarei aí às duas horas. Eu preciso falar com Marco, esta tarde, o que vai precisar de pelo menos meia hora... "

"Barney está querendo ser agendado, senhor. Quando você gostaria de vê-lo?" Diz Andrea.

"Agende Barney e sua equipe depois de Marco, ou talvez amanhã, e encontre tempo para mim para ver Claude todos os dias desta semana..."

"Quando você gostaria de ver o Dr. Flynn, senhor?"

"Diga-lhe para esperar... Vou confirmar isso mais tarde. "

"Sobre o envio para Darfur. Gostaria de qualquer publicidade para isto senhor? "

"Oh... Não, eu não quero publicidade para Darfur... " digo.

"Sam diz que pode haver alguns problemas com o embarque."

"Diga a Sam para lidar com isso..." Eu digo irritado. Eu tenho que pensar em tudo?

"Você está ciente de um evento num futuro próximo  para o qual você está convidado, senhor?"

"Não... Que evento? "

"É um baile dado pela Associação Americana de Construtores Navais no próximo sábado."

"Você disse no próximo sábado?... Espere um pouco. " Digo.

"Quando você vai voltar da Geórgia?" Pergunto a Anastasia.

"Sexta-feira", ela responde.

"Vou precisar de um convite extra, porque eu tenho uma acompanhante..." digo.

"Me desculpe, senhor? Você disse que tem uma acompanhante? "

"Sim, Andrea, é o que eu disse, uma acompanhante, a Srta  Anastasia Steele vai me acompanhar."

"Eu peço desculpas senhor. Eu não estava conseguindo ouvir bem. Qualquer outra coisa, senhor? "

"Isso é tudo", eu digo desligando. Meus olhos nunca deixaram Anastasia.

"Bom dia, Srta Steele."

"Sr. Grey,  " diz ela timidamente.

Ela está congelada em seu lugar. Eu dou a volta na minha mesa e fico na frente dela. Eu gentilmente acaricio sua bochecha com as costas dos meus dedos.

"Eu não queria lhe acordar, você parecia tão calma. Dormiu bem?"

"Estou muito bem descansada, obrigada. Eu só vim aqui para dizer oi antes de ir para o chuveiro," diz ela. Ela olha para mim, bebendo dentro de mim, eu me inclino e a beijo suavemente. Nesse instante, ela joga os braços em volta do meu pescoço, e seus dedos torcem o meu cabelo ainda úmido. Ela empurra seu corpo diretamente contra o meu, e ela me beija de volta com fervor, paixão. Ela me quer... agora. Seu ataque me pega de surpresa, mas, também é bem-vindo. Depois de um instante, eu respondo, um gemido baixo na minha garganta. Minhas mãos deslizam em seu cabelo, e para baixo para as costas, agarrando por trás seu traseiro nu enquanto minha língua explora sua boca. Eu recuo, meus olhos estão encobertos.

"Bem, Anastasia, o sono parece combinar com você", murmuro.

"Eu sugiro que você vá e tenha o seu chuveiro, ou eu vou deitar você na minha mesa agora", eu digo.

"Eu escolho a mesa", ela sussurra cobiçosamente. Encaro-a perplexo por um minúsculo segundo.

"Você realmente tomou gosto por isso, não foi Srta Steele? Você está se tornando insaciável," murmuro.

"Eu só tomei gosto por você", ela sussurra, desarmando-me completamente. Meus olhos se arregalam e escurecem com desejo, enquanto minhas mãos amassam seu traseiro nu.

"Malditamente certa, só eu," Eu rosno para minha mulher, e de repente com um movimento fluido, eu estendo meu braço para minha mesa esparramando todo o conteúdo – projetos e papéis para fora, deixando-os cair no chão. Eu a levanto em meus braços, e a deito na beirada da mesa.

"Você quer isso, você tem isso, baby", murmuro, tirando um preservativo do bolso de minha calça enquanto abro o zíper. Eu rolo o preservativo na minha extensão e olho para ela.

"Espero que você esteja pronta", eu respiro com um sorriso lascivo. Neste instante, eu entro nela, preenchendo-a enquanto agarro seus pulsos firmemente ao seu lado, e eu começo a empurrar nela profundamente. Ela geme de prazer. Ela está muito molhada já.

"Christo, Ana! Você está tão pronta, " eu sussurro com admiração.

Ela envolve as pernas em volta da minha cintura, e agarra-me assim, enquanto eu estou olhando para ela, meus olhos brilhando com paixão e posse desta mulher. Ela é minha, e ela quer que eu a reclame novamente. Isso me agrada. Eu começo a me mover, e pego impulso. Eu a fodo fundo, e duro, e ela geme de prazer. É pura luxúria, a posse pura, puro desejo carnal... e mais alguma coisa por baixo de todo esse exterior espesso. Algo que vem do meu âmago. Eu me movo e me movo, regozijando-me com a sensação de minha mulher. Meus lábios se separam e minha respiração aumenta, quando eu chego perto de meu auge. Eu torço meus quadris, girando e eu vejo que ela também está curtindo a sensação de plenitude.

Ela fecha os olhos, e arqueia as costas para mim, quando seu climax também se aproxima. Meus golpes aumentam, e ela geme alto com a sensação tomando seu corpo. Eu empurro mais rápido e mais forte em um ritmo rápido. Todo o seu corpo está se movendo junto com os meus movimentos e sinto suas pernas enrijecendo em torno de mim enquanto ela está tentando segurar o sentimento.

"Vamos lá, baby, entregue-o para mim," Eu a incentivo com os dentes cerrados, e a necessidade em mim a envia sobre a borda. Ela grita quando ela atinge o seu clímax, e eu estoco nela quando eu chego ao meu, e, finalmente, no meu auge, eu puxo seus pulsos e afundo nela sem palavras. Estou completamente conquistado por ela. Ela me balança e eu perco minha razão. Ela muda os meus planos. Eu perco o controle. Quando estou perto dela, eu não quero nada, apenas ela

Fireworks by Kathy Perry

"O que diabos você está fazendo comigo, Ana?" Eu respiro enquanto eu acaricio seu pescoço. "Você me seduziu completamente. Você teceu alguma magia poderosa. "

Eu libero seus pulsos, e ela passa os dedos pelo meu cabelo enquanto aperta as pernas em volta de mim.

"Sou eu a que estou seduzida, Christian", ela sussurra. Eu olho para ela perplexo, alarmado. Eu estou dilacerado. Eu olho para ela, encarando. De repente eu tenho essa enxurrada de emoções de amor por ela, e isso me assusta! Eu não estou familiarizado com elas! Eu não sei como lidar com isso! Isto não está bem. Não para mim... Eu não posso amar! Ela é muito inocente, e eu não quero que ela se machuque por mim. Mas eu a quero, porra. O lado egoísta de mim diz que ela é minha em todos os sentidos da palavra. Eu coloco minhas mãos em ambos os lados de seu rosto e mantenho sua cabeça no lugar.

"Você. É. Minha! " Eu digo cada palavra ‘staccato’.  "Você entendeu?" Eu digo mais ardentemente como um fanático. Mas é também o meu apelo para ela. Eu quero que ela continue sendo minha. Não ir embora. Não me deixar. O sentimento que eu tenho por ela está rasgando meu coração inteiro agora. Estou completamente dividido entre o que eu sei, o que é seguro, e o que meu coração deseja...

"Sim, sua", ela sussurra devolvendo meu olhar. Como posso lidar com ficar longe dela quase uma semana?

"Tem certeza que você tem que ir para a Geórgia?" Eu pergunto-lhe. Ela acena com a cabeça devagar. Eu não quero pressioná-la e fazê-la fugir de mim. Eu fecho minhas emoções, e as empurro para baixo, mostrando meu rosto impassível que me levou anos para dominar. Abruptamente eu saio de dentro dela , e ela estremece.

"Você está dolorida?" Pergunto inclinando-me sobre ela interessado.

"Um pouco", ela confessa. Eu sorrio, isto é bom. Eu a coloquei dessa maneira, e eu a reivindiquei. Aí é onde eu estive. Ela faria bem em lembrar-se isso.

"Eu gosto de você dolorida", eu digo com paixão em meus olhos. "Lembra a você onde eu estive, e só eu," digo com ardente desejo. Será que eu vou ter o suficiente dela?

Eu pego seu queixo e a beijo duramente, então, de pé, estendo minha mão para ela para ajudá-la. Ela olha para o pacote de preservativo rasgado ao lado dela e murmura: "Sempre prevenido." Eu fico olhando para o pacote vazio que ela está segurando em suas mãos.

"Um homem pode esperar, Anastasia, sonhar mesmo, e às vezes seus sonhos se tornam realidade." Ela parece confusa. Eu sou um homem que nem mesmo teve origem humilde. A partir do segundo em que eu fui concebido, eu estava fodido. Uma mãe biológica que era uma prostituta de crack, meu pai era muito provavelmente um de seus clientes, e o constante abuso por seus cafetões, e ela estava muito envolvida em suas próprias tristezas para ser uma verdadeira mãe. Além do mais, ela se matou deixando-me entregue a minha própria sorte por quatro dias com seu cadáver, apenas para ser encontrado por seu cafetão e ser maltratado! Até que a Dra. Grace Trevelyan-Grey, no seu jaleco branco angelical de médico, decidiu me adotar... Mesmo assim, eu era indigno daquela família perfeita. Indigno de seu amor e carinho, indigno do que era dado a mim. Eu não tinha nada para oferecer. Havia apenas uma direção para ir para mim e era para baixo... em rota de desastre. Como poderia uma criança manchada se encaixar em uma categoria de anjos? Tudo o que eu fizesse não seria bom o suficiente para alcançá-los.

Eu sonhava chegar a esse status... para me encaixar entre eles de alguma forma

Dream On by Aerosmith

Eu tentei excepcionalmente duro. Trabalhei mesmo duro. Aprendi tudo o que pude. Lutei com o meu melhor para chegar onde estou. Fiquei focado, controlado e no controle. De alguma forma, por uma graça desconhecida que eu não sou merecedor, eu estou aqui... na presença de uma mulher angelical que tem sentimentos por mim. O medo de que ela possa ser tirada de mim é imenso. Que, de alguma forma, eu possa fazê-la fugir de mim é mais do que insuportável. Eu desligo a fim de desligar os medos.

"Então, em sua mesa, foi um sonho?" Ela pergunta secamente com humor. Sorrio um sorriso enigmático que só permanece em meus lábios, sem tocar os meus olhos. É claro que esta não é a primeira vez que eu fiz sexo na minha mesa. Eu fiz várias vezes. Mas com Anastasia é diferente. Porque ela é diferente. Seu rosto muda com a minha expressão. Ela se torna desconfortável, com ciúmes mesmo.

"É melhor eu ir tomar uma ducha", diz ela em pé e tenta fazer um movimento para passar por mim. Eu não quero que ela fuja de mim. É insuportável. Eu fecho a cara e corro a mão pelo meu cabelo, exasperado. Mas eu preciso ficar longe da atração dela.

"Eu tenho mais um par de chamadas a fazer. Vou acompanhá-la no café da manhã, uma vez que você termine o seu banho. Eu acho que a Sra. Jones lavou suas roupas de ontem. Elas estão no armário," eu digo a ela. Ela olha surpresa.

"Obrigado", ela murmura.

"Por absolutamente nada", eu digo, com minha resposta automática. Ela me dá um olhar estranho.

"O que?" Pergunto, em resposta a sua carranca.

"O que há de errado?", ela pergunta. Como ela faz isso?

"O que você quer dizer?" Eu pergunto.

"Bem... você está sendo mais estranho do que o habitual. "

"Você me acha estranho?" Pergunto tentando suprimir um sorriso. Ela cora, claro.

"Às vezes", ela responde. Eu olho para ela especulativamente.

"Como sempre, eu estou surpreso com você, Srta Steele," eu digo. Ela faz coisas como o inesperado sexo na mesa, ou repreende-me à sua maneira.

"Surpreso como?", Ela me pergunta.

"Vamos apenas dizer que foi um inesperado tratamento."

"Pretendemos agradar, Sr. Grey", diz ela devolvendo-me as minhas próprias palavras, inclinando a cabeça para o lado.

"E, você me agradou", eu digo. Sou inundado por essa emoção novamente, e isso me deixa desconfortável. Eu não estou acostumado a isso. Porque me faz perder o controle. Perder minha razão. Com sua proximidade... Eu não quero perder o controle com esta emoção fervendo dentro de mim. É inquietante.
"Eu pensei que você estava indo para o chuveiro", digo tentando mandá-la fora, para bloquear essa emoção me inundando.

"Sim... hum, eu vou ver você em um momento, " diz ela e deixa meu estúdio confusa, como se estivesse aborrecida.

Quando ela sai do meu estúdio, eu mergulho de volta em minha cadeira. Seguro a cabeça entre as mãos tentando equilibrar-me, para aqui e agora, recuperar os meus sentidos e meu juízo a respeito disso. Ela me desarma completamente. Mas não é só isso. Eu respondo a ela de tal forma que é como um planeta que está sendo puxado para a órbita do sol. Não vejo nada mais, só ela. Eu não existo em nenhum outro lugar, só com ela. A única maneira de escapar brevemente desta sedução é ter um pouco de distância dela. Mas quando eu coloco a distância entre nós, eu anseio por ela. É o meu dilema. Eu balanço minha cabeça, tentando me ocupar com outra coisa. Eu pego os projetos que eu atirei para o chão. Eu coloco uma atenção extra na minha tarefa.

Eu finalmente volto para os meus telefonemas para organizar a programação desta tarde de trabalho. Eu escrevo notas para a reunião de troca de idéias da tarde, para o protótipo que estamos projetando. Antes que eu veja, quase 30 minutos se passaram desde que Anastasia deixou meu estúdio. Ela deve ter acabado sua ducha agora, e deve estar pronta para tomar o café da manhã.

Eu vou do meu estúdio para a cozinha e ouço a Sra. Jones perguntando a Anastasia se ela gostaria de seu chá agora. Ela responde: "Por favor", para a Sra. Jones.

"Gostaria de algo para comer?" a Sra. Jones pergunta.

"Não, obrigado", Anastasia responde para meu desagrado.

"É claro que você vai ter algo para comer," eu estalo, encarando-a, enquanto eu entro na área da cozinha. "Ela gosta de panquecas, bacon e ovos, Sra. Jones," eu digo.

"Sim, Sr. Grey. O que você gostaria, senhor? " Ela me pergunta.

"Omelete, por favor, e algumas frutas," eu respondo, enquanto o meu olhar está fixo em Anastasia. Eu estou em sua zona de atração novamente, dentro de sua órbita. "Sente-se," Eu ordeno a ela apontando para um dos bancos da barra.

Ela se senta, e eu tomo assento ao lado dela.

Eu me inclino e sussurro: "Você já comprou o seu bilhete de avião?"

"Não, eu vou comprá-lo quando chegar a casa, online", ela responde. Se ela esperou tanto tempo, talvez ela não tenha o dinheiro necessário para comprar, o que aperta meu coração. Por que não pensei nisso antes?
Eu me inclino um pouco mais e eu quero perguntar se ela precisa de dinheiro para o bilhete. Mas sabendo como ela é com o recebimento de presentes, eu estou ficando sem opções para uma forma de perguntar a ela. Eu esfrego o queixo pensando.

"Você tem o dinheiro para o bilhete?" Pergunto finalmente.

"Sim", diz ela com uma paciência forçada, como se ela estivesse falando com uma criança irritante. Eu levanto uma sobrancelha repreendendo-a, e ela imediatamente se emenda.

"Sim, eu tenho. Obrigada. "

Mas, eu não quero que ela viaje na classe mais barata, se eu puder ajudar. Eu tenho um jato que ela pode usar. Eu faria qualquer coisa por ela, colocaria tudo o que tenho a seus pés... se ela apenas soubesse.

"Eu tenho um jato", eu digo, a guisa de introdução para o que eu quero dizer. "Não está programado para ser utilizado por três dias, está a sua disposição caso você queira."

Ela olha boquiaberta para mim em resposta. Um lampejo de emoções passa por seu rosto. Raiva, surpresa, diversão, choque. Finalmente ela consegue suprimir todos eles, e diz: "Nós já fizemos sério uso indevido da frota de aviação de sua empresa. Eu não gostaria de fazer isso de novo."

Sinto-me magoado com sua rejeição. Eu posso fazer o que eu quiser com o que tenho. Esse é o ponto de ter a empresa toda só para mim. Eu trabalhei muito duro para fazer o que eu quiser, não para que eu tenha que responder a outros.

"É a minha empresa, é o meu jato", eu digo, sem ser capaz de manter a mágoa fora da minha voz. Por que ela está sempre recusando os meus esforços para cuidar dela?

"Obrigada pela oferta. Mas, eu estaria muito mais feliz tomando um vôo regular." Eu estreito meus olhos, mas eu quero também escolher minhas batalhas com ela com cuidado. Estou tentando não ser arrogante. Então, eu não digo mais nada sobre o assunto. Talvez eu possa fazer um upgrade de seu vôo, pelo menos.
"Como quiser, então", eu digo suspirando. "Você tem que se preparar para a entrevista de hoje?" Pergunto numa mudança de tema.

"Não", ela responde.

"Ótimo. Você ainda não vai me dizer em que editoras você tem entrevistas? "Eu pergunto.

"Não!", ela responde com um sorriso.

Meus lábios se curvam em um sorriso com resposta a ela. Eu ainda posso descobrir.

"Eu sou um homem de meios, Srta Steele," Eu digo para esse efeito.

"Estou plenamente consciente disto, Sr. Grey. Você vai rastrear o meu telefone de novo?" Ela me pergunta com uma cara completamente inocente.

"Na verdade, eu vou estar muito ocupado esta tarde, então eu vou ter colocar alguém para fazer isso por mim", digo sorrindo. Ela pensa que eu estou brincando, mas em uma série de questões que se trate de Anastasia, eu não brinco.

"Se você pode colocar alguém para fazer isso, você está, obviamente, com excesso de pessoal, Senhor", ela afirma serenamente.

"Nesse caso, eu vou enviar um e-mail para o chefe de recursos humanos e fazê-la contar nossas cabeças", eu digo tentando suprimir um sorriso.

Depois que nós somos servidos do café da manhã, a Sra. Jones sai para nos dar alguma privacidade. Anastasia finalmente espreita para mim querendo me perguntar alguma coisa, mas não sabendo como abordar o tema. Eu não posso aguentar mais o suspense.

"O que é, Anastasia?" Eu pergunto.

"Você sabe, você nunca me disse por que você não gosta de ser tocado." Oh, isso. Eu empalideço, porque é um tema que eu tento evitar a todo custo. Ela desvia o olhar preocupada.

"Eu disse a você mais do que eu já disse a alguém, Anastasia", eu respondo tranquilamente. Meu olhar está impassível, mas eu sou tudo menos isto. Eu não gosto de falar sobre essas questões, porque me lembra um tempo em que eu era indefeso, e não tinha controle sobre o que acontecia comigo, ou ao meu redor. Estou muito longe deste tempo agora, e eu não quero recordar de novo essas horríveis lembranças que muitas vezes me visitam à noite, em meus sonhos.

Ela finalmente balança a cabeça como se para limpá-la dos pensamentos que ela está tendo.

"Você vai pensar sobre o nosso acordo quando você estiver longe?" Eu pergunto.

"Sim", ela responde honestamente. Ela olha para mim. Aqueles olhos... Eu estou perdido neles.

"Você vai sentir minha falta?" Pergunto querendo muito que ela me queira tanto quanto eu a quero.

Ela olha para mim novamente surpresa com a minha pergunta. Por que ela está surpresa que eu desejo que ela sinta minha falta, ou que eu quero saber se ela vai sentir minha falta... realmente, realmente sentir minha falta, como eu vou sentir a falta dela.

"Sim", ela responde, e não vejo nada além da verdade em sua resposta. O alívio me inunda completamente.
"Eu vou sentir sua falta também," eu respondo a sua resposta, sem nem mesmo perceber. "Mais do que você sabe", eu respiro. Eu vou ter um tempo difícil tendo que me separar dela. Seu olhar se aquece com a minha resposta. Eu quero que ela veja o quanto eu estou tentando encontrá-la avançando a metade do caminho, mais que a metade. Eu acaricio seu rosto, e inclino-me e a beijo suavemente.

Eu não quero deixá-la ir, mas ela precisa chegar ao seu apartamento para reservar seu vôo, e se preparar para suas entrevistas, e arrumar-se para viajar. Eu vou sentir muito sua falta. Eu a seguro e a beijo duro e longamente.

"Anastasia, eu quero que você leve o seu MacBook, e seu Blackberry com você. E isso não é um pedido," eu digo com fervor. Eu não posso suportar não estar em contato com ela por tanto tempo. Se ela não está aqui, eu tenho que ter algo tangível, alcançável, pelo menos, ouvir a sua voz, ou ler suas palavras.

"Tudo bem", diz ela, sem argumentar o que me agrada.

"Eu preciso ser capaz de me manter em contato com você em todos os momentos..." eu digo. Não é apenas minha necessidade de controlá-la, ou apenas o título de proprietário, embora esses sentimentos estejam sempre presentes. Eu preciso preencher a sensação de estar conectado com ela. Eu não posso suportar que ela seja cortada mesmo por poucos dias. O pensamento disto é muito doloroso.

Ela finalmente pega suas coisas para ir embora, e ela está dizendo adeus para mim aqui.

"Eu vou levá-la até seu carro," eu digo.

"Você não tem que fazer isso, Christian", diz ela me fazendo cara feia.

"Eu não estou fazendo isso porque eu tenho que, eu estou fazendo isso porque eu quero", eu respondo. Gzus! Eu não posso acompanhar a minha mulher para o seu carro? Eu seguro-lhe a mão enquanto a porta do elevador abre com um ding. Eu estou perdido em pensamentos sobre ela. E que ela se vai para colocar uma distância entre nós. Não apenas a distância física, mas também uma distância emocional, para olhar para outras possibilidades românticas. O pensamento está me matando. Eu vou sentir tanto sua falta. Eu já estou sentindo, embora o espaço entre nós seja menor do que alguns centímetros.

De repente eu tenho este desejo enorme por ela, e a puxo em meus braços, capturando o rosto dela entre as mãos "Eu vou sentir sua falta", eu digo com fervor. 

It’s Now or Never by Elvis Presley 

Seus olhos se arregalam com a minha declaração, mas ela avança e toca meu rosto enquanto eu fecho meus olhos para me entregar a isto, e ela captura os meus lábios erguendo-se na ponta dos pés, e eu respondo com um gemido e mergulho para baixo e a beijo, nossas línguas girando, misturando-se enquanto minha mão esquerda a segura na nuca, minha mão direita capta sua bunda e eu a empurro para dentro de mim fazendo-a sentir minha ereção.

"Eu vou sentir saudades de você ... sentir falta disso ", eu digo em seus lábios, e ela geme.

O elevador ding aberto, e eu pego sua mão na minha, a olho mais uma vez, e a levo para seu carro. Como vou imaginar a semana sem ela? Distração... Voando, ou velejando, embora nada será tão bom quanto se ela estivesse aqui ... Eu olho para ela com saudades de novo. "Volte logo..." Eu suspiro.

"Eu vou..." ela diz e sorri.


24 comments:

Neusa Reis said...

Esse capítulo me tocou muito. Acho que aqui foi quando a luz entrou no coração do Christian e ele pode perceber que o que ele não tinha, lhe daria muito mais do que o que ele conhecia. Tive raiva dele se aconselhar com a Bitch, mas entendi que ela era o que ele conhecia e pensava que era o bom, o certo e o definitivo. Aí neste jantar começa a ruína dela. Emine Fougner, você é insuperável. Você entrou na pele do Christian para saber pensar como ele. Parabéns.

Anonymous said...

Esta parte do livro também é a minha preferia,apesar de Christian dizer que a Anastasia é mulher dela eu acho que ele so entede isso totalmente quando ela o abandona no ultimo capitulo.....por favor ponha mais capitulos hoje...
E obrigada pelo tempo que passa a traduzir

Iza Marcia Costa said...
This comment has been removed by the author.
Iza Marcia Costa said...
This comment has been removed by the author.
Iza Marcia Costa said...

e muito tocante esse capitulo

simone andreia klock said...

Uouuuuuu, quando vc vai colocar mais capitulos??? Anciosaaa!!!

Neusa Reis said...

Anonymous acho que ele está chamando certo ela É a Mulher dele, a metade dele, a companheira dele, a amiga dele, a amante dele, a Alma gêmea dele. Ou seja realmente a Mulher dele. Sempre será.

Anonymous said...

Eu entedo isso,mas o Christian não diz para a Anastasia mas para si mesmo e no capitulo que ela foge ai sim ele é capaz de afimar os seus sentimentos deles e podemos ver sem sombras de dúvida que ele ama a Anastasia

Anonymous said...

Por favor ponha mais estou ansiosa ...

Anonymous said...

Nossa muito bom..estou encantada!!! Ambos se amam desde o inicio mas não expressam o sentimento...lindo!!!
Andreia

Anonymous said...

Nossa muito bom..estou encantada!!! Ambos se amam desde o inicio mas não expressam o sentimento...lindo!!!
Andreia

Anonymous said...

Nossa muito bom..estou encantada!!! Ambos se amam desde o inicio mas não expressam o sentimento...lindo!!!
Andreia

Andréia Armênio said...

Nossa muito bom..estou encantada!!! Ambos se amam desde o inicio mas não expressam o sentimento...lindo!!!
Andreia

Andréia Armênio said...

Nossa muito bom..estou encantada!!! Ambos se amam desde o inicio mas não expressam o sentimento...lindo!!!
Andreia

Andréia Armênio said...

Nossa muito bom..estou encantada!!! Ambos se amam desde o inicio mas não expressam o sentimento...lindo!!!
Andreia

Andréia Armênio said...

Nossa muito bom..estou encantada!!! Ambos se amam desde o inicio mas não expressam o sentimento...lindo!!!
Andreia

Andréia Armênio said...

Nossa muito bom..estou encantada!!! Ambos se amam desde o inicio mas não expressam o sentimento...lindo!!!

anne caroline godoi said...

Nossa... Essas rapidinhas são tudo de bom...
Da uma pena quando o Christian lembra do seu passado o quanto essa criança sofreu e sofre até hoje... é foda!
Neusa concordo com vc,é aparti desse momento que o Christian percebe que realmente gosta da Ana.

Anonymous said...

Ainda mais apaixonada! Ao ler a triologia da E.L James o livro que eu menos gostava era o primeiro, pois achava o Christian "seco", "duro", orgulhoso... Essa parte do sexo na mesa do escritório mesmo, era uma das que eu menos gostava pela maneira como ele trava Ana após o "ato". Soava-me que ele apenas a tinha usado, sem sentimentos. Vendo sobre este ponto de vista, que ele só estava "vestindo a sua máscara impassível" para esconder seus verdadeiros medos e inseguranças (se achar indigno de amor e afeto). É aí que percebemos o quando os dois, Ana e Christian são parecidos: cada um com seus receios e medos, a diferença é que cada um expressa de uma forma. Emine é maravilhosa! Preencheu perfeitamente a versão da E.L James! Não tem como não amar esse homem gente! Os críticos tem direito às suas opiniões, mas creio que quem critica, não soube avaliar a personalidade de Christian sem o preconceito ao seu estilo de vida.

Anabela Encarnação said...

É simplesmente espetacular , envolvente e arrebatador não conseguimos parar de ler .

Kaila Alekena said...



* Sentimentos.


Sentimentos que me dão medo, sentimentos que me fazem viver,sentimentos que me transportam, estes são meus sentimentos por você...
Sentimentos que me rasgam ao mesmo tempo que me elevam, sentimentos castro ou malévolo, seja qual for o sentimento sou arrastado até você...
Oh manhã dê a tarde o meu bom dia porque a madrugada carregou toda energia dos sentimentos encontrados nos lábios seus meus guias.

Kaila ALEKENA.

Daniela Martins said...

Boa noite, meninas!
Eu concordo com os comentários acima de Neusinha. Porém, penso que CG já amava Ana desde o começo (lembram como ele ficou "agoniado" a partir do dia do jantar no Heathman quando Ana não disse nem que "SIM" e nem que "NÃO")

Daniela Martins said...

...mas passou a admitir esses sentimentos quando soube da ida de Ana para Geórgia!
E aumentou a certeza de seu amor por ela depois do episódio do Quarto Vermelho da Dor!
Ainda bem que com amor (e amor verdadeiro) tudo é superado!
Linda história este POV.
Saber como CG se sente é divino!
Bjkas, meninas!
Emine, love from Brazil for you!
Dani
😉

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry