StatCtr

Thursday, April 11, 2013

Livro II - Capítulo X - Christian Grey e Anastasia Steele



CAPÍTULO DEZ
CLUBE NÁUTICO

Tradução: Neusa Reis




Estou perplexo e assustado pela minha própria admissão. Eu disse isso em voz alta! Eu finalmente admiti, e nomeei o sentimento dentro de mim para essa deusa na minha frente. Minhas entranhas torcem e eu tenho esse sentimento angustiante de que eu sou indigno de amá-la. Anastasia parece alegre, feliz,  e ela tem no seu olhar esse amor incontido e desejo por mim. 

In Her Eyes - Josh Groban 

Ela parece tão inocente, tão sedutora, tão celestial, e isso me faz sentir como merda; um homem desprovido de uma alma não deve estar apaixonado por uma garota assim. Eu não posso suportar o jeito que ela me olha,  como se nada existisse que não fosse ela e eu, no universo. Lembro-me neste momento do que Sydney Carton disse. "Eu sou um burro de carga decepcionado, senhor. Eu não me importo com nenhum homem na terra, e nenhum  homem na terra cuida de mim."(N.T. A Tale of Two Cities (Um Conto de Duas Cidades, em português) é um romance histórico de autoria de Charles Dickens lançado em 1859; é também um romance que trata de temas como culpa, vergonha e retribuição)

Foi assim que eu pensei sobre mim, e impedi meus sentimentos por ela de chegarem à superfície. "O amor é uma emoção inútil! Ela enfraquece o homem. O mesmo objetivo final poderia ser alcançado por outros meios, ignorando completamente a bagagem que o amor traz com ele" tinha sido enraizado em mim. Aqui estou eu, um homem que esteve nu toda a sua existência, com muito a esconder, mas sem ter onde esconder, que não tem  valor,  sem coração e sem alma. Aí chega esse anjo habilmente me arrancando da minha existência miserável. Uma existência cheia de camadas, mas quando tudo é retirado, quando eu não ergo os meus muros em volta de mim, isso é o que eu sou. Aberto para ela. Amedrontado... Tudo isto é novo para mim. Eu nunca, jamais proferi essas palavras, para ninguém na minha vida! Nem para os meus pais, nem para os meus irmãos, e nem para qualquer viva alma! Eu nunca amei. Estou definitivamente com Sydney Carton hoje. "Eu tive a fraqueza, e ainda tenho a fraqueza, de desejar que você saiba com que súbito domínio você me incendiou, monte de cinzas que eu sou, no fogo."

O amor de Anastasia é a minha ressurreição. O amor de Sydney não era correspondido. Eu estava assustado e chocado ao saber que Anastasia me ama, mas agora que o conhecimento está em mim, que eu sei que ela me ama, eu não posso ficar sem ele. "Gostaria de abraçar qualquer sacrifício por você e para aqueles caros para você,” disse Sydney a Lucie. Essa era a única maneira verdadeira que ele podia dar o seu amor para ela. Eu também faria qualquer sacrifício por Anastasia, menos o de vê-la com outra pessoa. Eu morreria antes de deixar isso acontecer! Eu sou apenas um homem egoísta. Sydney Carton foi um sonho que acabou em nada. Mas ele disse a Lucie que ela inspirou o sonho. Eu não quero que isto com Anastasia seja um sonho. Eu quero viver nele. Quero experimentar, mantê-lo para mim, e para mim somente! Eu não sou o tipo de homem que iria abandonar uma luta. E eu luto para vencer. Se isso era o que seria necessário para tê-la, eu lutaria para tê-la e mantê-la, com qualquer um que se atrevesse a me desafiar.

Anastasia chega até mim e segura meu rosto com as mãos e me beija... Beija-me com paixão suave; isso faz o tempo parar, e meu coração se derreter. Nossos sentimentos se tornam inundações que fluem de um para outro através do nosso beijo, nosso vínculo. Seu beijo se transforma em um apaixonado enquanto a água quente do chuveiro cai sobre nós. Tudo em mim se encaixa com atenção, e eu gemo e a tomo em meus braços, segurando-a perto do meu corpo, do meu coração, da minha alma. Ou é o contrário? Quando ela está assim perto, eu tenho a sensação de que eu tenho um coração e uma alma. Ela é o que alimenta a minha alma, ela é a minha alma. Ela é o que me torna completo.

"Oh, Ana," eu sussurro, a minha voz rouca de emoções que não consigo traduzir em palavras. "Eu quero você, mas não aqui." Meu ‘fazer amor’ é a minha maneira de me expressar. Todo o resto é novo para mim. Esta é a minha forma de certificar-me que estamos bem um com o outro, que nos amamos, e é a minha segurança para ela

When You Say You Love Me - Josh Groban
"Sim,” ela murmura em minha boca também desejosa. Desligo a água, e segurando a mão dela, eu a levo para fora do chuveiro e a envolvo com seu roupão. Então eu pego uma toalha macia para enrolar em torno de minha cintura. Pego outra toalha e puxo Anastasia para perto de mim. Eu a giro em torno de si mesma e esfrego suavemente seu cabelo com a toalha, secando-os. Este ato simples, mas saudável, é muito íntimo, muito familiar e ainda tem nele uma qualidade muito sensual. Não há palavras envolvidas. Apenas toque não sexual... amoroso, acarinhando um ao outro. Quando eu termino o cabelo dela, eu envolvo a toalha ao redor dele, e quando ela levanta a cabeça para olhar para o espelho, nossos olhares se encontram. Anastasia se anima, e um brilho surge em seus olhos.

"Posso retribuir?" ela pergunta.

Eu estou morrendo para ela me tocar, mas, a sensação é tão nova, tão esmagadora, e a apreensão se arrasta de volta para mim. Eu a empurro garganta abaixo, e aceno com a cabeça afirmativamente. Eu quero fazer isso. No entanto, eu ainda estou nervoso. Sem pestanejar, meu olhar segue Anastasia. Ela pega outra toalha da pilha, e ela tem que estar na ponta dos pés para alcançar minha cabeça. Eu me curvo para deixá-la chegar a mim mais facilmente, e ela gentilmente seca meu cabelo. Eu acho que eu nunca permiti que ninguém faça isso para mim. Nem mesmo pela primeira vez, quando fui adotado. Doeu muito a Grace não ser capaz de cuidar de mim como uma mãe gostaria, mas, eu aprendi a ser auto suficiente desde pequeno para não permitir que ninguém me tocasse. No entanto, para minha surpresa, eu vejo que eu gosto dela me tocando assim, e por algum motivo insondável, o relaxamento sobe e me alivia e me faz feliz como uma criança. Estou exultante além da crença e sorrindo de orelha a orelha, como se fosse a manhã de Natal!

"Tem um longo tempo desde que alguém fez isso comigo. Um tempo muito longo," me vejo murmurando.  "Na verdade, eu não acho que alguém já secou o meu cabelo."

" Grace certamente fez.  Secou seu cabelo quando você era criança?" pergunta Anastasia.

Eu balanço minha cabeça negativamente enquanto ela ainda está tentando esfregar a toalha e sugar toda a água para fora da minha cabeça.

"Não. Ela respeitava meus limites desde o primeiro dia, apesar de ter sido doloroso para ela. Eu era muito auto-suficiente quando criança,” eu digo muito baixinho. Eu tinha que ser auto-suficiente, na verdade eu acho que era eu que cuidava da prostituta de crack, em vez dela cuidar de mim. Mas eu não quero que essas lembranças estraguem o que temos neste exato momento.

"Bem, eu estou honrada,” diz ela docemente.

"Isto você está, Srta. Steele. Ou talvez eu é que estou honrado."

"Isso não precisa nem dizer, Sr. Grey,” diz ela com sarcasmo, ainda brincando.

Uma vez que ela termina com meu cabelo, ela pega uma toalha de mão da pilha e ela se move em torno de mim para ficar atrás de mim. Nossos olhos se encontram no espelho. Ela quer fazer alguma coisa mais, porém eu quero descobrir o que é? Eu não posso me impedir de dar-lhe um olhar interrogativo no espelho.
"Posso tentar uma coisa?" Ela pergunta. Eu sei, ela quer me secar. As palavras ficam presas na minha garganta como se todas elas de uma só vez se empilhassem e bloqueassem a saída. Tudo o que posso fazer é acenar afirmativamente com a cabeça. Ela lentamente tira a toalha e a esfrega para baixo no meu braço esquerdo, perseguindo as gotas de água sobre a minha pele. Eu vejo seus movimentos no espelho, olhando para a mulher que, sozinha, me abriu como o Grande Bazaar. Quando ela percebe o meu olhar sobre ela, ela levanta o olhar até encontrar meus olhos no espelho, queimando de emoção. Só então, sem afastar o seu olhar do meu, ela se inclina para baixo, e coloca um beijo delicado no meu bíceps. É um movimento muito pequeno, mas infinitamente amoroso, um arrepio percorre meu corpo e eu suspiro, meus lábios caindo abertos para acomodar a crescente necessidade em mim. Ela muda sua atenção para o meu braço direito, e persegue as gotas de água com a toalha pequena. Uma vez que ela completa sua missão, ela corre um rastro de beijos no meu bíceps, e estranhamente, eu amo o gesto sensual. Como algo que me assustou até a morte poderia ser tão incrivelmente excitante? Sinto um sorriso rastejar até meus lábios.

Então o olhar de Anastasia se reúne com o meu no espelho novamente. Ela arrasta a toalha cuidadosamente abaixo da linha de batom em minhas costas. Eu quero que ela me toque. Eu quero que ela me sinta. Sinta o quanto eu a quero, o quanto ela, só ela, significa para mim! Um vulcão de emoções sobe em mim, e com a superfície rompida com a minha declaração de amor para Ana, minhas emoções sobem à superfície, transbordando. 

More Than Words - Extreme

"Toda a volta,” eu peço-lhe em voz baixa, "com a toalha." Eu preciso fazer isso. Já tardou o suficiente. Eu preciso conquistar este último pedaço de território em mim, com ela. Inspiro uma aguda respiração para suprimir o diabo mexendo sempre na baia, querendo me fazer perder. Eu fecho meus olhos bem fechados. Apertados! Anastasia faz o que é pedido rapidamente. Quando está feito, ela retira a mão, e eu finalmente exalo aliviado. Ela premia minha coragem com um beijo no meu ombro. Anastasia coloca os braços em volta de mim para secar meu estômago ainda na zona de segurança. Mas ter alguém, mesmo Anastasia tocando-me onde eu não tenho sido tocado em um tempo muito longo, é uma luta hercúlea. Estou apreensivo, como se a qualquer momento ela fosse se afastar da linha, embora eu saiba que ela não vai.

"Segure isso." Diz ela, e me entrega uma toalha seca. Sentindo-me confuso, eu franzo a testa olhando para ela. O que está passando por sua bela cabeça?

"Lembra-se na Geórgia? Você me fez me tocar usando suas mãos," explica ela. Foi uma das melhores lembranças que eu tive. Meu olhar escurece com o desejo. Sem dizer uma palavra, eu olho para ela no espelho. Minha mulher, a garota que pertence a mim de todas as formas possíveis, está me segurando como se não existissem outras duas pessoas que pertençam uma a outra, tanto quanto nós, aqui e agora. Sua mão suavemente atinge a minha, e eu a seguro, confiando nela. Eu guio sua mão até meu peito secando os cabelos. Ter controle sobre o que ela está fazendo me faz, aos trancos e barrancos, me sentir melhor. Eu posso fazer isso. Eu estou no controle. Ela está entregando seus movimentos ao meu controle. Mas passar por cima das cicatrizes, desencadeia uma nova emoção, trazendo de volta lembranças torturantes, das quais eu tentei ficar longe por tanto tempo quanto me lembro. Meu corpo enrijece, mas eu vou passar por isso. Eu confio nela. Eu confio nela. Eu confio nela. Eu confio. Anastasia. É o meu mantra. Sua mão, na minha, desliza sobre o meu torso desajeitada. Eu nunca sou inábil em qualquer coisa física, seja sexo ou exercício. Mas isso... Isso é desconfortável para mim. Ansiedade rola através de mim. O tempo para, a respiração para, apenas o som amplificado da toalha deslizando sobre meu torso. Nada mais.

"Eu acho que você está seco agora,” ela sussurra em voz baixa, e o tempo nos alcança, a toalha silencia, e eu relaxo. Mas algo mais cresce exponencialmente em mim. É a necessidade que eu tenho por Anastasia. Eu tenho que ter ela, unir nossos corpos, as nossas almas... Eu tenho que abraçá-la, fazer amor com ela. Agora!

"Eu preciso de você, Anastasia," eu sussurro fervorosamente. 

Make you Feel My Love by Adele

"Eu preciso de você também”, ela diz como se ela estivesse pedindo outra lufada de ar.

"Deixe-me te amar,” eu digo a minha voz grossa com emoção.

"Sim,” ela diz, e eu me viro mais rápido do que o Super-Homem e levanto-a em meus braços, e enquanto os meus lábios procuram os dela, eu a adoro, eu a amo,  enquanto  estou me deleitando com todas as emoções, implorando que ela me ame também... Ela é minha... e só minha. Enquanto  eu a beijo, eu a consumo, eu a devoro com o meu amor e desejo; percebo que ela é a única que eu amo, que eu quero, que eu cuido com todo o meu ser! De todos os jeitos que eu sou... fodido, amoroso, temperamental, mercurial, exigente, possessivo, amando, apaixonado, assustado, preocupado, adorando, danificado, maníaco por controle, mandão, deus do sexo ... Todos os meus cinquenta tons amam Anastasia Steele!

Eu ando até o quarto completamente consumido por ela, com a minha mulher enrolada no meu torso; eu a deposito na cama.

"Deixe-me fazer amor com você, Ana!" Rogo. "Deixe-me mostrar o que você significa para mim... Deixe-me te adorar com o meu corpo... " Eu digo enquanto  eu cubro seu corpo com o meu.  

Your Body Is a Wonderland - John Mayer

O calor proveniente dos meus braços e corpo... e a crescente tensão nas minhas pernas e no peito. Meus lábios vão para os dela, reivindicando-os, minha língua entrando em sua boca, e buscando a dela. Degustando a doce boca de Anastasia. Ela então passa a língua no meu lábio inferior, e muito suavemente morde meu lábio, fazendo-me gemer mais. Meus lábios rastreiam os dela, e eu chupo seu  lábio inferior e ela ofega em minha boca. Febre corre através de nossos corpos. Eu faço uma trilha de  beijos até sua garganta e ela arqueia o pescoço para me dar fácil acesso. Eu sorrio. Minha mão caminha para a parte baixa de suas costas levantando-a para fora da cama um pouco, enquanto a outra mão está se arrastando para baixo, pelo lateral dela, seu quadril e suas pernas. Abrasador. Eu caminho até sua clavícula, em seguida, para baixo até seu osso do peito, marcando um caminho enquanto eu viajo. Eu sinto seu coração batendo debaixo dos meus lábios, seu peito subindo. Ela levanta-se para fora do colchão para encontrar meus lábios com seu corpo. Eu sorrio. Meus lábios se movem sobre seu peito, lambendo, mordendo e provocando. Ela arfa um pouco mais.

"Oh, por favor, Christian!" Ela pede. Eu levo seu mamilo em minha boca, chupando, mordendo suavemente, fazendo-a ofegar e gemer de prazer puro. Minha mão direita viaja para encontrar o outro seio e eu começar a trabalhar nele, espalmando. Eu tomo o mamilo entre o polegar e o indicador, e repito as ministrações de movimentos de minha língua com o outro seio. Ela murmura uma versão incoerente do meu nome. O mundo se afasta e só há Anastasia. Tato, paladar, olfato, audição. Estou imerso nela de todas as formas possíveis. 

She’s So High - Tal Bachman

"Você tem um cheiro que me faz ficar duro instantaneamente, Anastasia..." Eu murmuro. Todo celestial, todo mulher, todo minha baby. E os sons que ela faz... Eu poderia continuar a amá-la, beijá-la, cavalgá-la pela eternidade com o jeito que ela está respondendo para mim! Estamos em muita sintonia com o corpo um do outro. Eu estou incompleto sem ela!

Ela arqueia seus quadris e esfrega-se no meu corpo. Doce paraíso! Meus lábios viajam até seu umbigo e eu belisco em torno dele, fazendo-a ofegar. Descendo para seu sexo, meus lábios dardejam em sua doce feminilidade, lambendo, entrando fundo, ela levanta seu quadril em minha boca, enquanto eu seguro suas nádegas e ela dá um grito de prazer.

"Por favor, Christian! Eu quero você dentro de mim," ela pede. Eu não posso ficar sem estar dentro dela quando ela está implorando assim. Eu gemo! Aproximo-me da mesa de cabeceira, e pego um preservativo rasgando rapidamente o pacote, eu o embainho no meu comprimento.

"Você não sabe o quanto eu gosto de fazer você gozar, Ana!"

"Só me foda já!" Ela geme, me fazendo rir de orelha a orelha.

"Sim, senhora!" Eu digo quando eu entro nela, em um movimento rápido. Meus braços estão bem ao lado de seu torso, e enquanto eu ritmicamente entro e saio dela, minha boca cobre a dela novamente, fazendo-a sentir o gosto de sua própria excitação. Sinto os músculos de Anastasia apertando em torno de mim, revestindo, aninhando e deliciosas sensações correm da ponta do meu pênis para o resto do meu comprimento, e eu sinto meu corpo todo mergulhado no êxtase; e eu grito o nome de Anastasia, quando nós dois chegamos ao nosso clímax, enquanto tremores ondulam através de nossos corpos, e eu colapso em cima dela saciado em um paraíso arrebatador.

Quando ambos descemos de nosso êxtase coital, nós ambos estamos saciados. Eu, preguiçosamente, corro meus dedos por seu corpo enquanto estamos deitados juntos. Anastasia está deitada de bruços abraçando seu travesseiro, e eu estou de lado, apenas tocando a minha mulher. MINHA mulher! MINHA! 

Crazy For This Girl - Evan and Jaron

"Então, você pode ser gentil,” ela murmura totalmente satisfeita.

"Hmm ... pelo menos assim parece, Srta. Steele," eu digo, fazendo-a sorrir.

"Você não estava particularmente da primeira vez que... hum, fizemos isso," ela comenta, lembrando-se de algo.

"Não?” eu sorrio para ela. Aquela foi a primeira vez que eu coloquei reivindicação sobre ela. "Quando eu lhe roubei sua virtude,” eu digo, proprietário.

"Eu não acho que você me roubou. Eu acho que a minha virtude foi oferecida bastante livremente  e de espontânea vontade. Eu queria você, também, e se bem me lembro, eu me diverti bastante,” ela sorri no seu sorriso tímido de mocinha, e mordendo o lábio.

"Assim como eu, se me lembro, Srta. Steele. Nosso objetivo é agradar,” eu digo enquanto meu rosto suaviza, e fica sério. "E isso significa que você é minha, completamente,” eu lembro a ela. Ela é minha, em todos os sentidos possíveis.

"Sim, eu sou,” diz ela, com uma voz suave confirmando. "Eu queria te perguntar uma coisa."

"Vá em frente."

"Seu pai biológico... Você sabe quem ele era? "

Este é um assunto que eu não quero discutir, mas é Anastasia, a curiosa. Isto tinha me preocupado que o homem que abusou de mim poderia ter sido meu pai. Mas graças a Deus, ele não era!

"Eu não tenho idéia. Não era o selvagem que era seu cafetão, o que é bom. "

"Como você sabe?” Ela pergunta.

"Algo que meu pai, Carrick, disse para mim,” Eu observo. Ela olha para mim com expectativa, à espera de mais informações, enquanto suas antenas de satélite estão levantadas, e abertas. Eu sorrio para ela.

"Muito faminta por informação, Anastasia," Suspiro balançando a cabeça em desgosto fingido. "O cafetão descobriu o corpo da prostituta drogada e telefonou para as autoridades. Embora levou quatro dias para fazer a descoberta.  Ele  fechou  a  porta  quando  ele  saiu... deixou-me  com  ela... seu corpo," eu digo. Uma cena que brinca em meus pesadelos quase todas as noites.

Anastasia fica horrorizada e ela muda para um olhar sombrio, fazendo-a inspirar nitidamente com a imagem.
"A polícia entrevistou-o mais tarde. Ele negou energicamente que eu tivesse alguma coisa a ver com ele, e Carrick disse que ele não parecia nada comigo. "

"Você se lembra de como ele era?” Ela pergunta.

"Anastasia, esta é uma parte da minha vida que eu não revejo muitas vezes. Sim, eu me lembro de como ele era. Eu nunca vou esquecê-lo." A lembrança de um homem que fez tanto dano ao meu ser não é algo que eu quero discutir logo após ter sexo enlouquecido. A raiva sobe naturalmente em mim.

"Podemos falar de outra coisa?"

"Eu sinto muito. Eu não queria aborrecê-lo, Christian,” ela responde.

Eu sei que está no passado, mas é como lembrar o sabor de um alimento desagradável que você comeu, logo depois de você comer a refeição mais requintada. Isto não vai bem.

"É notícia velha, Ana. Não é algo em que eu quero pensar."

"Então, qual é esta surpresa?” Ela pergunta. Oh, baby, você está sempre com fome de informação! Mas, eu não posso lhe dizer o que é, senão não é uma surpresa.

"Você pode encarar sair para um pouco de ar fresco? Eu quero lhe mostrar uma coisa."

"Claro,” ela responde.

Eu sorrio como um idiota. Eu quero muito fazer isso com ela, e é o meu terceiro hobby favorito no mundo! Estou muito feliz!

"Vista-se. Jeans vai ser bom. Espero que Taylor tenha empacotado algum para você,” eu digo.

Eu rapidamente me levanto e coloco minhas boxers. Ela está sentada na cama, e só me admirando! A diabinha!

“Levante," Eu reclamo com ela, enquanto ela continua olhando para mim, e sorrindo para o homem que ela possui... eu.

"Só admirando a vista,” diz ela fazendo-me rolar meus olhos. Mas ela se levanta, e nos movemos de forma eficiente como se tivéssemos vivido juntos por anos, completamente conscientes das nuances do nosso corpo, como o outro agiria. No entanto, isso é algo novo para nós dois, e nós estamos tímidos diante deste novo tipo de intimidade. Nós dois, finalmente, nos vestimos, cada um captando o olho do outro no espelho. Sorrindo timidamente, ocasionalmente tocando um ao outro com carinho.

"Seque o cabelo," eu peço depois que ela está vestida.

"Dominador como sempre,” ela responde sorrindo, e enchendo meu coração de alegria. Embora ela soe reclamando, eu sei que ela gosta quando eu estou no comando

Take Over Control - Afrojack

Eu me inclino e beijo seu cabelo. Sim, está molhado.

"Isso nunca vai mudar, baby. Eu não quero que você fique doente." Ela rola os olhos para mim, e eu sorrio maliciosamente.

"Minhas mãos ainda se contorcem, você sabe, Srta.Steele."

"Eu estou contente de ouvir sobre isso, Sr. Grey. Eu estava começando a pensar que estava  perdendo sua forma,” ela devolve.

"Eu poderia facilmente demonstrar que não é o caso, se assim o desejar,” enquanto eu pego o meu suéter e amarro sobre o meu ombro. Agora estou vestido com minha calça jeans e camiseta, e se eu precisar dele mais tarde meu suéter está disponível. Eu olho para Anastasia. Ela tem sua blusa azul claro e calça jeans. Ela se inclina para baixo e sacudindo seu cabelo começa a secá-lo. Boa garota!

*****

“Para onde estamos indo, exatamente?” Ela pergunta enquanto estamos esperando o manobrista trazer o carro. Eu não vou deixá-la saber meu segredo ainda. Eu só pisco para ela enquanto eu toco o lado do meu nariz. Sua curiosidade apenas aumenta minha alegria. Mas eu não vou dizer a ela. Eu mal posso me conter, pois é evidente que ela está levantando a hipótese em sua cabeça de onde poderíamos estar indo. Eu até posso ver as engrenagens girando em sua cabeça, tentando decifrar. Cara, eu amo este jogo com ela! Eu me inclino para baixo e beijo-a suavemente.

"Você tem alguma idéia de quão feliz você me faz sentir?" Eu sussurro.

"Sim... eu sei exatamente. Porque você faz o mesmo comigo,” diz ela, e durante o tempo que o manobrista traz o meu carro, todos nós três temos sorrisos de orelha a orelha, por razões diferentes.

"Grande carro, senhor!" O manobrista murmura, enquanto ele me dá a chave. Eu pisco para ele, e desde que eu estou muito feliz hoje, eu lhe entrego 200  dólares em notas, como gorjeta, fazendo Anastasia olhar para mim. O manobrista fica chocado, e ele tropeça em suas palavras, "uhm... sim, obrigado Sr. Taylor! Senhor! "

*****

Depois de dirigir para fora da garagem do hotel, eu mergulho no tráfego. Talvez eu tenha que adiar minha viagem um pouco a fim de retificar algo para Anastasia. Incomodava-me que Leila foi capaz de localizar seu carro, bem, porque, como Anastasia o coloca, era o "especial submissa." Mas Anastasia nunca foi minha submissa. Ela é minha namorada. Ela é minha mais. Ela é tudo. Do que quer que nossas almas sejam feitas, a dela e a minha são a mesma. Quando estamos juntos, nós apenas sincronizamos. Ela é metade da minha alma, e metade do meu coração. 

Half of My Heart - John Mayer

Nós somos yin e yang. Como então eu poderia ter lhe dado um especial submissa?

Incomoda-me que eu tenha feito isso. É hora de mudar.

"Eu preciso fazer um desvio. Não deve demorar muito,” eu digo enquanto minha mente ainda está extremamente ocupada com meus pensamentos.

"Claro,” ela murmura intrigada.

Eu caio de volta nos meus pensamentos com a voz hipnotizante de Evgenia Laguna cantando no fundo

Fifth Element Diva Song - Evgenia Laguna

Eu olho para Anastasia olhando para mim, através da minha visão periférica. Ela é diferente. Ela não é uma sub. E ela seria uma terrível de qualquer maneira, eu penso sorrindo, mas eu a amo por seu espírito rebelde. Ele desafia o meu lado dominante. Estou determinado a fazer o seu lugar diferente comigo. Então, não, um especial submissa não é bom o suficiente para ela. Ela tem que ser diferente. Ela é a minha primeira de muitas maneiras. Ela é a única mulher que eu amei. Eu olho para ela com determinação para provar que ela é diferente para mim.

Eu saio da auto-estrada e pegando a esquerda, eu me encaminho para o estacionamento de uma concessionária Saab.

"Precisamos conseguir um carro novo,” eu digo. Sua boca cai aberta. Eu sei que isso não é o que ela estava pensando como um desvio de destino.

"Não é um Audi?” Ela pergunta atordoada.

"Eu pensei que você poderia gostar de outra coisa,” murmuro, quase tímido. Eu sei que admiti que a amo, mas tudo está diferente com ela, novas experiências, novas emoções as quais eu nunca pensei que eu tinha em mim. Eu me mexo nervosamente em meus pés.

"Um Saab?"

"É. Um 9-3. Venha,” eu digo pegando a mão dela na minha, como se alguém fosse pegá-la se eu não o fizer.

"O que é isso com você e carros estrangeiros?"

"Os alemães e os suecos fazem os carros mais seguros do mundo, Anastasia,” afirmo o fato.

"Eu pensei que você já tinha encomendado para mim outro Audi A3,” ela fala.

Oh, baby, eu sou Christian Grey. Ninguém vai discutir comigo, se eu decidi não comprar algo. "Eu posso cancelar isso. Venha,” eu digo puxando-a.

"Devo-lhe um presente de formatura,” eu digo enquanto eu seguro sua mão. Ela está indo pegar o seu próprio presente hoje.

"Christian, você realmente não tem que fazer isso."

"Sim, eu tenho. Por favor. Venha,” eu digo com firmeza. Ela suspira, e segue-me. Um vendedor com acentuado sotaque de New England chamado Troy Turniansky, vê símbolos de dólar quando ele nos vê.

"Um Saab, senhor? Usado?” Ele pergunta enquanto ele esfrega as mãos como os personagens de desenhos animados, que estão prontos para pular em você, antes que eles possam derrubá-lo e tirar o conteúdo que você possui.

"Novo,” eu digo com firmeza, insultado.

"Você tem um modelo em mente, senhor?"

"2.0 T 9-3 Sport Sedan".

"Uma excelente escolha, senhor."  Pode apostar que sim! Eu fiz meu dever de casa sobre ele.

"Qual é a cor, Anastasia?" Eu pergunto-lhe inclinando a cabeça.

"Er... preto?” ela responde com uma pergunta. "Você realmente não precisa fazer isso,” diz ela me fazendo franzir a testa. Droga, Ana! Não estrague tudo. Se eu quiser um carro para minha namorada, eu vou ter um carro! E, não preto, se eu puder impedir! As pessoas não vão vê-lo tão facilmente como as outras cores.

"Preto não é facilmente visto durante a noite," Eu digo o óbvio.

"Você tem um carro preto,” ela retruca de volta, me fazendo cara feia. Sim, mas eu sou um piloto melhor.

"Amarelo canário brilhante então,” diz ela dando de ombros.

Eu faço uma careta para sua escolha. Não brinque!

"Que cor você quer que eu tenha?” Ela pergunta, finalmente desistindo.

"Prata ou branco."

"Prata, então. Você sabe que eu fico com o Audi,” diz ela. O sangue some do rosto do vendedor com a perspectiva de perder uma venda e sua comissão. "Talvez você gostasse do conversível, senhora?” Pergunta ele, com muito entusiasmo. Eu não tenho certeza se eu gosto da idéia do conversível. É muito perigoso para ela.

"Conversível?” eu pergunto, levantando uma sobrancelha, olhando para ela. Ela cora. Eu posso fazer Anastasia gozar apenas olhando-a atentamente, mas, eu não quero pré-aquecer a minha namorada em frente a este terno barato. Como Anastasia fica tímido e olha para suas mãos, eu volto meu olhar para o terno barato e pergunto: "Quais são as estatísticas de segurança do conversível?"

"Estou feliz que você tenha perguntado, senhor! Este carro ganhou os prêmios de segurança máxima quatro anos seguidos. Junto com os equipamentos de segurança de fábrica, tais como air bags laterais, padrão na frente e traseiros, tem controle standard de estabilidade, freios ABS. Além disso, temos o controle de tração e o veículo esteve soberbo em testes de acidente e de capotamento,” ele começa e leva quase dez minutos falando sobre as características de segurança do carro. Estou satisfeito. Quando eu afasto meu olhar do vendedor, encontro Anastasia sorrindo para mim por alguma razão insondável. Estou tanto perplexo quanto surpreendentemente divertido com a reação dela para mim.

Enquanto o terno barato está falando, eu pergunto-lhe se ele tem um no estoque. Ele diz que não, mas ele pode localizar o mais próximo para nós. Concordo com a cabeça, e ele tem prazer em agradar. Quando ele vai para o seu computador, eu me inclino para Anastasia e digo: "Qualquer que seja a droga que você tenha tomado, eu gostaria de um pouco, Srta. Steele."

"Eu só tomei você, Sr. Grey,” ela responde.

"Sério? Bem, você certamente parece intoxicada,” eu digo, enquanto eu a puxo para mim e roubo um beijo. " E obrigado por aceitar o carro. Isso foi mais fácil do que da última vez."

"Bem, não é um Audi A3." Eu sorrio. A edição submissa não é adequada para ela.

"Esse não é o carro para você,” eu digo.

"Eu gostava dele,” ela responde.

"Senhor, o 9-3? Eu localizei um na nossa concessionária de Beverly Hills. Nós podemos tê-lo aqui para você em um par de dias,” diz ele praticamente resplandecendo.

"Top de linha,” eu peço. Eu não quero um simples mínimo para ela.

"Sim, senhor."

"Excelente,” eu digo e tiro o meu cartão de crédito para pagar.

"Se você puder me acompanhar, Senhor...” diz o terno barato, e dá uma olhada no meu cartão de crédito. "Grey." E fácil assim, compramos um carro para Anastasia.

Uma vez que nossa transação está concluída, levo Anastasia de volta para o meu carro, abro a porta e a deixo entrar.

"Obrigada,” ela diz, agradecendo,  me fazendo sorrir. Anastasia aceitando um presente de mim é sempre bem-vindo.

"Você é bem-vinda, Anastasia."

Quando ligo o carro, a música vem de volta.

"Quem é esta?" Ana pergunta.

"Eva Cassidy," eu digo.

"Ela tem uma voz linda,” observa Anastasia.

"Ela tem, ela tinha, sim."

"Oh".

"Ela morreu jovem," eu declaro sombrio

Fields of Gold - Eva Cassidy

"Oh".

"Você está com fome?" Eu digo para mudar de assunto. Eu não quero falar sobre a morte com Anastasia. Não é um tópico que quero associar com ela. "Você não terminou todo o seu café da manhã,” eu digo olhando para ela com desaprovação.

"Sim,” ela responde.

"Almoço primeiro, então."

Eu dirijo em direção norte ao longo do mar na Alaskan  Way. O clima está  incrivelmente bom. Eu estou ao lado de minha linda namorada, depois de ter realizado uma tarefa, nós vamos comer e depois mostrar-lhe o meu outro hobby favorito.  Outra canção de Eva Cassidy começa quando eu viro à esquerda, em direção à estrada costeira, e, finalmente, entro no estacionamento do restaurante onde eu quero levá-la.

"Vamos comer aqui. Eu vou abrir a porta,” eu digo com firmeza, de modo que ela não saia sozinha. Eu quero cuidá-la, como a mulher elegante que ela é. Eu quero que ela se acostume a ser tratada como uma dama.

Uma vez que eu abro a porta, eu coloco seu braço no meu, e ela olha para mim sorrindo. O restaurante está junto à marina.

"Tantos barcos,” murmura Anastasia. O mar está calmo, e os barcos estão preguiçosamente subindo e descendo enquanto a água está batendo em seus lados. Barcos à vela são visíveis no Puget Sound. (N.T. é o nome de uma profunda enseada estuarina do oceano Pacífico, localizada na costa noroeste dos Estados Unidos e também de toda a região nele centrada, incluindo a área metropolitana de Seattle). O vento aumenta e uma rajada de vento nos percorre fazendo Anastasia puxar o casaco apertado.

"Frio?" Eu pergunto a ela puxando-a mais perto do meu corpo para mantê-la aquecida.

"Não, só admirando a vista,” ela responde.

"Eu poderia olhar para isso o dia todo. Venha, por aqui." Eu digo. Nós finalmente nos encaminhamos para o bar e restaurante com paredes brancas de cal, mobiliário azul pálido, e figuras de barcos nas paredes. É um local alegre, como eu estou me sentindo hoje com Anastasia.

Dante me reconhece e imediatamente me cumprimenta.

"Sr. Grey,” ele exclama. "O que eu posso servir-lhe esta tarde?"

"Dante, boa tarde,” eu sorrio, e sentamos nos bancos do bar. "Esta senhora encantadora é Anastasia Steele."

"Bem-vinda ao SP,” diz ele sorrindo. Dante é Afro-Americano, simpático, alto, e tem um grande diamante brilhando em sua orelha esquerda.
"O que você gostaria de beber, Anastasia?" Ana se vira para olhar para mim, questionando.

"Por favor, me chame de Ana, e eu vou beber o que Christian beber,” diz ela com um sorriso tímido.

"Eu vou tomar uma cerveja. Este é o único bar em Seattle, onde você pode obter Explorer da Adnam," eu informo a ela.

"Uma cerveja?"

"Sim,” eu respondo sorrindo. "Duas Explorer, por favor, Dante". Acenando com a cabeça  nosso barman concorda e imediatamente produz duas garrafas de cerveja e as coloca diante de nós.

"Eles fazem um ensopado de frutos do mar delicioso aqui,” eu a informo. Eu realmente gostaria que ela provasse. Mas eu não quero dizer isso a ela. Eu quero que seja a sua escolha.

"Ensopado soa muito bem,” ela sorri.

"Dois ensopados?" Pergunta Dante.

"Por favor,” eu respondo sorrindo.

Dante traz nossas tigelas de ensopado e está divino! Pela primeira vez na minha vida, eu me abro com alguém, de bom grado. Começamos a conversar sobre como eu comecei a minha empresa, Grey Enterprises Holdings. O que me inspirou. Eu falo sobre a minha paixão em consertar empresas problemáticas, desenvolvimento de novas tecnologias, e fazer a terra mais produtiva para o terceiro mundo. Mas eu também quero conhecer a minha namorada melhor.

"Como é o Ray?" Eu pergunto, e ela mergulha em Ray, e sua infância. Eu questiono a ela porque apesar de ser um bom pai, sua mãe o deixou. Ela suspira e fala sobre suas personalidades e a eventual incompatibilidade entre os dois. Ela fala sobre Montesano, e como ela amava os bosques e o verde, me fazendo sorrir como se não houvesse  verde suficiente em Seattle. Ela fala sobre o divórcio de seus pais, e sua mudança para o Texas e Vegas. Eu sou muito grato que ela não ficou nesses estados. Ela me bombardeia com perguntas sobre meus filmes favoritos, livros e é claro que ela já conhece meu gosto musical. Quanto mais falamos, mais eu estou espantado ao descobrir como somos parte um do outro. Como nós gostamos das mesmas coisas, e podemos sentir empatia um com o outro. Duas pessoas  conhecendo uma a outra.

No momento em que terminamos a refeição, eu não sei como o tempo voou. Já passa das  02:00 h da tarde. Eu pago a conta, e Anastasia e eu deixamos o restaurante.

"Este é um ótimo lugar. Obrigada pelo almoço,” diz ela, enquanto eu pego sua mão e nós saímos do restaurante.

"Nós vamos voltar,” eu digo, e vagarosamente caminhamos pela orla. "Eu queria te mostrar uma coisa,” eu digo animado, ansioso pela reação dela.

"Eu sei... e eu não posso esperar para vê-la, seja ela o que for,” ela responde.

Enquanto caminhamos ao longo da marina, vemos as pessoas em seu último dia de folga e apenas passando o tempo com a família, filhos, passeando com seus cães, observando os barcos, brincando com seus filhos, correndo ao longo da avenida.

Eu a levo até a marina, onde iates estão ancorados. Eu a levo para frente do meu catamarã. É enorme, claro.  (N.T. Catamarã é a designação dada a uma embarcação com dois cascos, com propulsão à vela ou motor, que se destaca por sua elevada estabilidade e velocidade em relação às embarcações mono casco.)


"Eu pensei em nós irmos velejar esta tarde.  


Sailing - Rod Stewart

Este é o meu barco,” eu digo e sinto-me de alguma forma tímido sobre isso, nunca tendo trazido alguém aqui exceto, claro, a minha família. Ele tem, na verdade, 16 m. Dois cascos lustrosos, brancos, um convés, uma grande cabine, e um mastro muito alto.

"Uau!" Foi tudo o que ela pôde dizer em reverência.

"Construído pela minha empresa,” eu digo com orgulho. De certa forma, é o meu bebê. "Ele foi projetado a partir do zero pelos melhores arquitetos navais do mundo e construído aqui em Seattle, no meu estaleiro. Ele tem discos híbridos elétricos, quadros de punhal assimétricos, uma vela grande com tampo quadrado..." eu começo a explicar, como um pai excessivamente entusiasmado, que fala sobre as realizações de Joãozinho.

"Tudo bem... você me deixou perdida, Christian," Anastasia diz, incapaz de assimilar todas as informações. Eu só posso sorrir em resposta. Eu reduzo a informação.  "Ele é um grande barco."

"Ele parece espetacular, Sr. Grey."

"É o que ele é, Srta. Steele,” eu respondo.

"Qual é o nome dele?"

Eu pego sua mão, e a puxo para a lateral do catamarã. Em grandes letras ele diz  The Grace. Anastasia me olha surpresa. "Você deu o nome de sua mãe?"

"Sim,” eu respondo "Por que você acha isso estranho?" Ela encolhe os ombros, surpresa. Talvez seja a minha atitude rígida em relação a minha mãe. Eu nunca fui bom em mostrar emoções. É um conceito muito novo para mim, mas eu amo minha mãe.

"Eu adoro minha mãe, Anastasia. Por que eu não nomearia um barco com o nome dela?” Ela cora, humilhada.

"Não, não é isso... é só..." ela suspira tentando formular seus pensamentos.

"Anastasia, Grace Trevelyan salvou minha vida. Devo-lhe tudo." Na verdade eu não estaria de pé diante de Anastasia se não fosse pela minha mãe. Ela é a minha salvadora. Anastasia dá finalmente uma boa olhada no meu comportamento, e vê a minha reverência para minha mãe. Ela está admirada.

"Você quer vir a bordo?" Pergunto entusiasmado.

"Sim, por favor,” ela diz com os olhos brilhando de emoção.

Eu agarro sua mão, e caminho sobre a prancha e, finalmente, estamos a bordo do meu barco. Ficamos sob o dossel por um pouco de tempo. Anastasia observa seus arredores. A banqueta azul claro tem capacidade para oito pessoas. Ela espia através das portas de correr para o interior da cabine, e é surpreendida por alguma coisa. Mac abre as portas deslizantes e aparece com sua aparência alta e loira, pele bronzeada e ressecada de mar. Ele está em sua camisa pólo rosa desbotada, de manga curta e calção. Anastasia avalia seu cabelo encaracolado, olhos castanhos, e sua roupa.

"Mac,” eu digo radiante. Mac é uma daquelas pessoas que estão tão próximas quanto um amigo seria para mim, com a exceção do Dr. Flynn, é claro.

"Sr. Grey! Bem-vindo de volta,” diz ele me cumprimentando.

"Anastasia, este é Liam McConnell. Liam, minha namorada, Anastasia Steele," eu digo como forma de apresentação.

Anastasia ri com prazer quando eu a menciono como minha namorada, aquecendo meu coração. Ela e eu estamos ambos ainda nos acostumando com a idéia, mas eu sei que eu a quero para muito, muito mais.

"Como vai você?” Diz Liam reunindo suas maneiras, e apertando a mão de Anastasia.

"Bem-vinda a bordo, Srta. Steele."

"Ana, por favor,” ela o corrige, corando.

"Ela está preparada, Mac?" Pergunto-lhe sobre o meu barco.

"Ela está pronta para o rock and roll, senhor,” diz ele sorrindo.

"Vamos a caminho, então."

"Você vai sair com ela?"

"Sim". Respondo a Mac. "Tour rápido, Anastasia?" Eu pergunto.

"Sim, por favor,” ela ri com prazer.

Levo Anastasia para o interior da cabine. Ela olha o sofá, e então seus olhos deslizam sobre as janelas curvas e ela prende a respiração quando olha para a vista panorâmica da marina.

"Este é o salão principal. Cozinha ao lado," eu aponto para a área da cozinha.

Eu pego a mão da minha namorada, e a levo através da cabine principal. Ela olha para o chão de madeira clara, a sensação de moderno e arejado, limpo, funcional e espaçoso.

"Banheiros de cada lado,” eu aponto para duas portas, e então eu abro a porta diante de nós, e andamos para o quarto. O quarto ostenta uma cama de cabine king size, e com a manutenção da outra decoração, com linho azul-claro e madeira clara.

"Esta é a cabine principal,” eu digo olhando para ela depois de fechar a porta. "Você é a primeira garota aqui, além da minha família,” eu sorrio "mas eles não contam."

Ela cora quando ela olha para mim sob meu olhar apaixonado. Seus lábios entreabrem enquanto ela tenta sugar a respiração para acomodar alguma emoção nela. Eu a puxo em meus braços, meus dedos todos enredados em seu cabelo, eu a beijo, longo e duro, e persistente. Ela retribui, me puxando, puxando meu cabelo, vai para as minhas orelhas, distraidamente acariciando os lóbulos, e volta para o meu cabelo novamente. No momento em que nos separamos, nós dois estamos sem fôlego, e desejosos.

"Poderíamos ter que batizar esta cama,” eu sussurro contra a boca de Anastasia.

"Mas não agora.  Venha, Mac está partindo,” eu digo levando Anastasia através do salão, e apontando para outra porta, eu explico "Escritório lá, e na frente aqui mais duas cabines. "

"Então, quantos podem dormir a bordo?” Ela pergunta.

"É um catamarã de seis leitos. Eu só tive a família a bordo, no entanto. Eu gosto de velejar sozinho. Mas não quando você está aqui. Eu preciso ficar de olho em você."

Eu abro uma das gavetas, e pego um colete salva-vidas vermelho brilhante. Uma idéia vem a mim, e eu sorrio. Anastasia, sem nada, só este colete salva-vidas e um grande sorriso. Agora, isso é quente!

"Aqui,” eu digo colocando o colete por sobre sua cabeça, e apertando todas as tiras, enquanto  eu contemplo a idéia dela nisto e sem nada por baixo. De outra vez, talvez... Maldição!

"Você ama me amarrar, não é?” Ela pergunta.

"De qualquer forma,” eu digo maliciosamente. O que posso dizer? Eu não posso impedir. Eu sou um homem muito viril, e eu tenho uma mulher quente. Há algo sensual, excitante, sobre amarrar sua mulher, e conseguir o que quer, e ela confiar em você com seu corpo. Incrivelmente sensual, e caramba, fodidamente hot!

"Você é um pervertido,” ela implica comigo

"Eu sei," eu digo erguendo minhas sobrancelhas, sorrindo.

"Meu pervertido,” ela sussurra docemente.

"Sim, seu,” eu digo, finalmente, amarrando-a com firmeza, e agarrando e puxando e beijando minha mulher. Faço uma nota mental para usar isso em uma cena, entretanto. É uma imagem muito sexy  para deixar ir. "Sempre,” eu respiro, e a solto.

"Venha,” eu digo agarrando-lhe a mão, levando-a para o convés superior, para a pequena cabine de comando. Mac está trabalhando com as cordas na proa do barco.


"Foi aqui que você aprendeu todos os seus truques de corda?" Anastasia pergunta-me inocentemente.

"O nó ‘volta do fiel’ veio a calhar,” eu digo avaliando sua expressão. Será que ela quer ser amarrada? "Srta. Steele, você parece curiosa. Eu gosto de você curiosa, baby. Eu ficaria mais do que feliz em demonstrar o que eu posso fazer com uma corda," eu sorrio para ela. Sua expressão muda para uma impassível. Oh, merda! Ela está zangada! O que eu faço?

"Te peguei!” ela diz rindo.

Oh, baby, você joga essa merda em mim, me assustando quase até a morte. Eu tenho que ver o que posso fazer para corrigir essa situação. Isso pode ser divertido.

"Talvez eu tenha que lidar com você mais tarde, mas agora, eu tenho que dirigir meu barco,” eu digo sentado nos controles, trazendo o meu barco para a vida com um rugido.

Mac habilmente pula para o convés inferior e começa a desatar uma das cordas, e se move para outra tarefa. Enquanto Anastasia me observa com admiração, eu afasto o The Grace de seu cais e em direção à entrada da marina. Pessoas nas docas estão assistindo nossa partida, pois esse é um dos melhores barcos que estão na marina. Anastasia acena de volta para as pessoas com um sorriso no rosto.

Eu olho para ela, e puxo-a entre minhas pernas e lhe mostro os controles da cabine de comando. "Pegue o volante," eu ordeno.

"Sim, sim, capitão,” ela responde rindo.

Eu coloco minhas mãos sobre as delas, e oriento nosso curso para fora da marina e para as águas de Puget Sound. Quando saímos da marina, podemos sentir o vento, e a corrente jogando e empurrando embaixo de nós.

"Tempo de navegar,” eu digo, e sorrindo eu entrego a Anastasia o controle. "Aqui, você a leva. Mantenha-a nesta rota,” eu digo, e ela está totalmente horrorizada com a perspectiva, apavorada mesmo. Ela engole seco, os olhos arregalados, incapaz de emitir uma frase simples.

Eu chego até seu rosto, e o seguro.

"Baby, é realmente fácil. Segure o volante e mantenha o seu olho no horizonte sobre a proa. Você vai fazer muito bem, você sempre faz. Quando as velas subirem, você vai sentir o puxão. Apenas segure-a firme. Eu vou sinalizar assim" eu mostro a ela um movimento de corte em toda minha garganta,” e você pode cortar os motores. Este botão aqui,” eu aponto para o grande botão preto, que ela não pode não ver. "Entendeu? "

Seu peito sobe e desce rapidamente, mas ela responde: "Sim,” enquanto acena com a cabeça freneticamente, em pânico.

Eu a beijo rapidamente, e deixo minha cadeira de capitão para Anastasia para sentar. Estou incrivelmente excitado por trazer Anastasia aqui. Eu me junto a Mac desfraldando as velas. Nós desatamos as cordas, e operamos guinchos e roldanas para soltar sua vela. Mac e eu fizemos isso muitas vezes antes, então não temos que falar muito para saber quem precisa fazer o quê.


Nós finalmente conseguimos içar a vela principal, e ela pega o vento e enche e cresce em seu maior tamanho, fazendo o catamarã dar uma guinada para frente. Então, corremos para a vela de proa, e ela também, finalmente, voa até o mastro, pegando o vento e alongando para a sua largura e comprimento máximos.

"Mantenha o curso, baby, e desligue os motores!" Eu grito fazendo o gesto, e ela o faz, acenando com a cabeça com entusiasmo enquanto olha para mim.

Estamos navegando em direção à Olympic Península, deslizando como se estivesse no ar.

"Mac!"

"Sim, Sr. Grey,” ele responde.

"Dê-me um par de horas com minha namorada uma vez que ancoremos; desembarque."

"Sim, senhor,” diz ele sorrindo, eu aceno afirmativamente com a cabeça e me movo. Volto para a sala de controle.

"O que você acha?" Eu grito para Anastasia acima do som do vento e do mar.

"Christian! Isso é fantástico!" Ela exclama como uma criança que acabou de descobrir o seu brinquedo favorito, fazendo-me rir de orelha a orelha. "Espere até o ‘spinney’ subir,” eu digo apontando para Mac que agora está desfraldando a vela balão, que é vermelho escuro e forte. Uma das minhas cores  favoritas. Cor da paixão.

"Cor interessante,” grita Anastasia me entendendo perfeitamente. Eu rio como um predador, é claro, e pisco. Agora, ela também sabe.

Quando a vela se enche para fora em sua grande forma elíptica, ele coloca o The Grace na maior velocidade. Anastasia está olhando para ele com curiosidade, sem entender sua função.

"Vela assimétrica. Para a velocidade,” eu explico.

"É incrível,” diz ela impressionada.

Anastasia tem um enorme sorriso no rosto, e quando nós nos dirigimos para Olympic Mountains e Bainbridge Island, a cidade de Seattle se encolhe atrás de nós. Tudo é simplesmente lindo aqui fora. Verdes, exuberantes, sempre-vivas altas, e as falésias de pé contra o espancamento frio do oceano, estóicas. Mar azul e céu claro, com a minha mulher em meu comando, apenas um pedaço do paraíso.

Patch of Heaven - KD Lang

"Quão rápido estamos indo?"

"Ela está fazendo 15 nós."

"Eu não tenho idéia do que isso significa."

"São cerca de 28 quilômetros por hora,” eu explico.

"Isso é tudo? Parece muito mais rápido!" É a vasta extensão do mar. Eu aperto a mão de Anastasia. Ela apenas tira o meu fôlego, toda interrogativa, aprendendo, experimentando, e completamente curiosa. "Você está linda, Anastasia. É bom ver um pouco de cor em suas bochechas... e não de corar. Você parece como está nas fotos de José,” ao que ela responde com um beijo prolongado.

"Você sabe como dar a uma garota um bom momento,  Sr. Grey."

"Nosso objetivo é agradar, Srta. Steele,” eu respondo enquanto eu tiro os cabelos para fora do caminho e beijo sua nuca, aquecendo-a para o que está por vir mais tarde.

"Eu gosto de ver você feliz.”

Eu prendo Anastasia em meus braços enquanto navegamos, e ela coloca a cabeça no meu peito, e fora de todas as tempestades que temos experimentado recentemente. Embora estejamos no olho do furacão sem nada resolvido, na medida em que Leila está envolvida, este momento, nessa bolha que criamos aqui no meu barco, está calmo e pacífico.

*****

Cerca de uma hora depois, estamos ancorados em uma pequena enseada fora de Bainbridge Island, um dos meus lugares favoritos para navegar. Mac vai para a praia, como eu pedi a ele mais cedo, e essa é a minha deixa. Eu pego a mão de Anastasia e praticamente a arrasto para a minha cabine, pois eu não quero perder um só minuto sem estar nela.
  


Estou diante de Anastasia, um homem com um propósito único, completamente apaixonado por ela, e intoxicado por sua beleza. Eu rapidamente desato seu colete salva-vidas, e lanço-o para o lado, sem um único olhar em sua direção. Eu tenho minha sobremesa, e eu quero reivindicá-la. Eu olho para a minha mulher intensamente com desejosos escuros olhos devassos.

Eu trago minhas mãos até seu rosto, e com o mais leve toque, eu demoro em seu rosto com as pontas dos meus dedos. Ela tem pequenas respirações rasas. Meus dedos se movem para a coluna de sua garganta, para o esterno, e para o primeiro botão de sua blusa.

"Eu quero ver você," eu respiro, e desabotoo o primeiro botão; ela abre os lábios para respirar, já cheia de desejo e pronta para pular em mim. Eu me inclino e beijo seus lábios entreabertos. Ela já está ofegante e excitada. Eu gosto dela parecendo queimar por mim.

"Tire para mim,” eu sussurro, com os olhos ardentes.

Sem separar o seu olhar do meu, ela lentamente, sem pressa, abre um botão. Meus olhos estão em chamas, apenas refletem o que está em minha alma. Ela se move para o próximo botão, e depois o outro, e, finalmente, ela tem a blusa desabotoada. Com um tremor leve de seus ombros, ela permitiu que a blusa caísse no chão. Seus dedos vêm para abrir sua calça jeans.

"Pare," eu peço a ela. "Sente-se."

Ela se senta na beira da cama, e eu estou de joelhos, desfazendo os laços de seus sapatos Converse. Um primeiro, e depois o outro, puxando cada sapato, seguido pelas meias. Eu escolho seu pé esquerdo, levantando-o para o nível do olho e primeiro planto um beijo suave na almofada de seu dedão do pé, em seguida, sem tirar o meu olhar de seus olhos, eu arranho seu dedo do pé com meus dentes.

"Ah!" Anastasia geme sentindo o puxão em sua virilha. Eu sorrio, e levanto, colocando-a de pé, e eu ordeno, "Continue" e recuo para vê-la.

Ela abaixa o zíper de sua calça, e conecta seus polegares no cós da calça jeans, e a desliza para baixo por suas pernas. Baby, você é doce! Fazer um show para mim. Eu tento esconder o meu prazer, mas meu sorriso arrasta-se, e o desejo nunca sai de meus olhos. Quando ela sai do seu jeans, ela revela sua calcinha rendada branca e sutiã combinando que só  projetam os seios para cima, como se entrando em minhas mãos. Muito fodidamente sexy! Sem afastar o seu olhar, em um movimento sexy, ela alcança as costas, e abre seu sutiã. Como ela está segurando as copas, ela desliza as alças para baixo e o sutiã cai por cima da blusa. Ela conecta seus polegares na calcinha, e com uma facilidade de especialista, ela desliza-as até os tornozelos, e dá um passo fora graciosamente.

Oh Deus! Ela é uma deusa sexy! Eu estou apaixonado por essa mulher! O que de bom eu fiz para merecer isso? Eu tenho que fazer amor com ela. Eu tenho que tê-la, abraçá-la, fodê-la, e reclamá-la mais uma vez para ser minha em cada porra de superfície que eu possuo!

Eu estendo a mão e puxo o meu suéter, depois a minha t-shirt,  sem tirar meu olhar de Anastasia. Eu rapidamente tiro os sapatos e as meias, então eu vou para baixo para abrir a braguilha, mas Anastasia alcança, e sussurra:

"Deixe-me". 

You Were Meant For Me - Jewel

Eu solto o fôlego para preservar a minha calma sem pular nela. "Fique a vontade,” eu digo sorrindo.

Ela dá um passo em minha direção, e desliza os dedos dentro da cintura das minhas calças jeans e me puxa em sua direção, e eu estou um passo mais perto, me fazendo ofegar por ela assumir assim a liderança; eu sorrio. Ela desabotoa o botão de cima, e mesmo sem baixar meu zíper do jeans, ela permite que seu dedo movimente-se sobre meu jeans, rastreando minha considerável ereção. Eu flexiono os quadris em suas mãos ansiosas, e fecho meus olhos, me perdendo no êxtase da sensação.

"Você está ficando tão ousada, Ana, tão corajosa,” eu sussurro, e curvo-me para beijá-la profundamente. Ela move a mão sobre a minha calça jeans meio aberta, e coloca-a a meio caminho sobre meus quadris nus e meio na minha calça jeans,  murmurando, "Você também,” contra os meus lábios. Ela move seus dedos polegares em círculos lentos, preguiçosos e pequenos na minha pele, me fazendo sorrir. Sim, estou ficando mais corajoso também. Só por causa dela.

"Chegando lá,” eu sussurro.

Ela move sua mão para  frente na minha calça jeans, e puxa o zíper para baixo, e suas mãos se movem no meu caminho feliz para a minha ereção, e ela agarra meu comprimento firmemente.

Um som baixo, gutural, de prazer, faz seu caminho para fora. Estamos muito próximos; eu a agarro em meus braços, e quando nossas respirações se misturam, eu a beijo novamente, mas com ritmo lento, e amor. Derramo minha alma para ela com o meu beijo, dizendo o que eu sou incapaz de expressar com palavras. Ela também se encorajou; movendo as mãos sobre meu corpo na zona segura, me abraçando apertado. E meus braços enrolam-se em volta dela, minha mão direita aberta contra as costas dela, meus dedos espalmados enquanto minha mão esquerda movimenta-se em seu cabelo, segurando-o para as  ministrações da minha boca.

"Ah, eu quero tanto você, baby, que dói,” eu respiro
Have I told You Lately - Rod Stewart

Isso é tudo que eu posso aguentar sem fazer amor com ela. Eu me afasto imediatamente para tirar fora minhas calças jeans e cueca, e agora estamos ambos nus, nada escondido, nem no corpo, nem na alma para possuir e usufruir. O  olhar de Anastasia muda para um de pena.

"O que há de errado, Ana?" Eu chego para ela, preocupado, acariciando seu rosto com meus dedos.

"Nada. Apenas ame-me, agora. "

Com sua declaração, eu puxo Anastasia em meus braços, beijando-a, minhas mãos em seu cabelo. Lábios se fundem, as línguas estão em um tango próprio, chupando e provocando e dançando. Eu faço a minha mulher andar para trás, para a cama, abaixando-a delicadamente, e eu me deito ao lado dela. Meu nariz correndo ao longo de sua mandíbula, inalando seu aroma único, inebriante, intoxicante, excitante,  estou em êxtase.

"Você tem alguma idéia de como o seu aroma é primoroso, Ana?  É irresistível."

Ela só consegue olhar para mim com admiração, reverência e completo, absoluto, intocado amor. Como posso resistir a essa poção? Eu trilho meu nariz para baixo até a garganta, sobre os seios beijando, percorrendo, e guardando seu perfume na memória.

"Você é tão bonita,” murmuro enquanto eu trilho beijos sobre um de seus seios, pegando seu mamilo em minha boca e gentilmente sugando. Seu traseiro faz um arco para fora da cama, e ela solta um involuntário gemido.

"Deixe-me ouvir você, baby,” eu digo.

Minhas mãos descem para ela a minha espera enquanto a minha boca permanece e adora seus seios com meus lábios, chupando, lambendo, mordendo, acariciando, esfregando, amando... Meu dedo desce até a cintura, até os quadris deliciosos, com suas nádegas de esferas redondas, enquanto minha boca está perdida no gosto dos seios. Meu corpo é pura atenção, excitado, desejoso e eu preciso estar dentro dela.

Eu agarro o joelho de Anastasia, e levanto-o, eu envolvo-o em torno de meus quadris, criando o meu acesso ao seu sexo florescendo, fazendo Anastasia suspirar com puro desejo carnal, e sua reação aumenta meu desejo por ela dez vezes, e me faz sorrir em sua pele. Eu me envolvo em torno de Anastasia, e rolo, e a tenho escarranchada em mim, em posição de cavalgar. Eu entrego-lhe um pacote de preservativo.

Anastasia se move para trás para acomodar o meu comprimento substancial e tendo a minha masculinidade em suas mãos, acaricia cada veia pulsante e a haste dura. Para minha surpresa, ela se inclina e beija o meu pênis, e me leva em sua boca. Seus lábios fazem um movimento giratório, indo ao redor da ponta, e meu comprimento e sugando, com força. Oh, meu Deus! Eu gemo e não posso resistir e flexiono os quadris em sua boca gulosa enquanto ela me suga profundamente em sua boca, dentro e fora. Lambendo, degustando, ela me embainha com os lábios, para cima e para baixo.

Ela finalmente se senta e olha para mim. Esta mulher pode foder-me só manuseando a mente, me fazer desejá-la, me torturar com um de seus olhares, trazendo-me para a beira do êxtase, e aos picos do prazer. Estou impressionado, e sem fôlego, impotente apenas de vê-la.

Ela rasga o pacote como se não houvesse amanhã, e embainha meu comprimento com ele. Eu estendo minha mão para ajudá-la a se posicionar em cima de mim, e ela desce lentamente sobre a minha masculinidade, enquanto me reivindica só para ela. Eu a encho, e sinto seus músculos espremerem em volta do meu pênis e sensações correm através da minha masculinidade para todo o meu corpo fazendo-me gemer, um gutural som profundo na garganta. Eu coloco minhas mãos em torno de seus quadris e conduzo seus movimentos para cima e para baixo enquanto eu flexiono meus quadris para consumi-la a partir de dentro.

"Oh, baby,” eu sussurro, e de repente sento-me para estar cara a cara com minha mulher, e eu estou tão profundo quanto eu posso estar nela, enchendo-a até a borda, sentindo cada músculo envolver minha masculinidade. Ela engasga com a sensação de plenitude, agarrando meus braços, se movendo. Eu pego sua cabeça em minhas mãos e olho para ela, sentindo cada movimento, cada desejo cintilando, cada necessidade carnal e cada querer dela, e meus olhos espelham os dela perfeitamente.

"Oh, Ana. O que você me faz sentir," eu sussurro, e a beijo com a intensidade do meu desejo por ela, mais ardentemente. Ela beija-me de volta, estamos conectados em cada ponto possível, fazendo amor, corpo e alma unidos. Estou profundamente enterrado nela, sentindo-a, beijando-a, segurando-a, enquanto ela está se movendo para cima e para baixo no meu comprimento. Estamos tão perto, que eu posso tocar sua alma.

"Oh, eu te amo,” murmuro, e gemo com o sentimento de indignidade, uma sensação torturante.  
I Would Do Anything For Love - Meatloaf  


Mas eu quero ser digno dela. Da minha mulher. Minha mulher! Eu tenho que ser o que vai reclamá-la agora, e com um movimento rápido, eu rolo e a levo debaixo de mim sem quebrar nenhum contato entre nós. Ela envolve suas pernas em torno de meus quadris, me permitindo permanecer dentro dela. Eu a adoro, e a amo e a desejo. O sentimento é muito palpável, assim forte e tudo consome, eu começo a me mover e deixo as sensações tomarem conta de mim enquanto eu fecho os olhos. Eu gemo com o prazer me consumindo.

Meu barco balança suavemente na água, quase imitando perfeitamente meu movimento dentro de seu sexo. Nenhum som de qualquer tipo que não seja a nossa respiração apaixonada, e eu a saboreio neste momento, pela primeira vez no meu barco, lentamente, em um ritmo calmo, amando-a. Eu coloco meus braços em volta de sua cabeça, e passo as mãos em seu cabelo, acariciando seu rosto, admirando sua beleza e desfrutando do nosso amor, e a sensação superando, eu a beijo.

Neste momento, nós somos um; corpo e alma. Duas peças finalmente encontraram uma a outra, aninhando, amando, saboreando... As mãos de Anastasia se mudam para o meu cabelo, me puxando para ela, exigentes, querendo mais de mim, tentando me consumir. As mãos dela se mudam para a minha parte inferior das costas, em pequenos círculos. Sua respiração começa a acelerar rapidamente enquanto o meu ritmo a traz para a beira dos picos de prazer. Meus lábios movem-se em sua boca ferozmente, chupando e beijando, movendo-se em seu queixo e  mandíbula e mordiscando sua orelha. Eu quero estar em todo lugar ao mesmo tempo. Minha respiração aumenta à medida que o prazer cresce dentro de mim. Ambos começamos a tremer; agora, quase, quase... o auge está à vista... Ela empurra seus quadris em sincronização com o meu movimento, montando a sensação um pouco mais... subindo mais e mais alto... e estamos no auge, enquanto eu sinto todos os músculos dentro dela, agarrando e apertando com seu iminente orgasmo.

"Certo, baby... Entregue-o  para mim... Por favor... Ana," eu murmuro, e ela é superada.

"Christian,” ela grita meu nome como se fosse uma oração, uma ladainha em seus lábios, e eu gemo forte, e ambos gozamos e nos desfazemos em êxtase total. Neste momento, eu sou da minha amada e a minha amada é minha...  (N.T. Cânticos de Salomão)




16 comments:

Tati said...

maravilhoso!!!

Tati said...

maravilhoso!!!

marianne freitas said...

Sensacional! Ansiosa para o próximo capitulo...

Josy Silva said...

Hum fiquei excitada. Fazer amor no barco deve ser um máximo, oh anastásia sortuda....um abraço Neusa e Emine ótimo capítulo.

Pao said...

Realmente hermoso este capítulo.
Estoy esperando el próximo.
Muchas gracias Eminé y Neusa.

anne caroline godoi said...

Simplesmente maravilhoso...sem mais palavras...

Aline said...

Ai que inveja da Anastasia!!!kkkk Adorei esse capítulo!!!1

Pattystevam said...

Mto bom esse capitulo..na minha opinião ai no barco eles fazem amor sublime pela primeira vez..amor mesmo de corpo e alma..Eminé e Neusa parabens..

Tais Castro said...

Eu fico sem palavras é tudo maravilhoso nesse livro pena que quando está na melhor parte acaba,ansiosa por mais obrigado pela tradução maravilhosa...

Niedja Cristina Costa Rodrogues said...

Estou adorando o livro II. Quando teremos novo capítulo? Estou anciosa!!! Obrigada!

Niedja Cristina Costa Rodrogues said...

Estou adorando o livro II. Quando teremos novos capítulos? Estou ansiosa!! Obrigada!!

Danny said...

Uauh!!!! Sem palavras .... Amando cada capitulo, ou melhor viciada Bjs

kaila Alekena said...

"Deixe-me fazer amor com você, Ana!" Rogo. "Deixe-me mostrar o que você significa para mim... Deixe-me te adorar com o meu corpo... " Eu digo enquanto eu cubro seu corpo com o meu.

Uauuuu!!!!
é por isso que sempre digo : não basta ser romântico, tem que ser Cristian Grey!!!!
O livro dois é menos fodas alucinantes, mas rechiado de amor delirante, nossa! Neste livro Cristian realmente aprende a desfrutar do "fazer amor", eu sempre achei que o prazer de fazer amor com quem você ama não está apenas no gozar, está no pós sexo, é a sensação de plenitude, de que aqueles braços é sua morada, o cheiro, o toque, o gosto ainda na ponta de sua língua... é um outro orgasmo, quem nunca experimentou isso, como é o caso do nosso galã, sente-se no céu quando descobre que fazer amor é o complemento de um "todo", é muito mais do que descarrego de energia, é a própria fonte de energia, é muito mais do que senti prazer é ter prazer em dá prazer, ou seja ele descobriu sua verdadeira riqueza, porque "onde está o seu tesouro ai está seu coração."

Daniela Martins said...

Hello, Emine!
Capítulo lindo! Perfeito!
Achei lindo está parte:
" Ela é minha... e só minha. Enquanto eu a beijo, eu a consumo, eu a devoro com o meu amor e desejo; percebo que ela é a única que eu amo, que eu quero, que eu cuido com todo o meu ser! De todos os jeitos que eu sou... fodido, amoroso, temperamental, mercurial, exigente, possessivo, amando, apaixonado, assustado, preocupado, adorando, danificado, maníaco por controle, mandão, deus do sexo ... Todos os meus cinquenta tons amam Anastasia Steele!

Daniela Martins said...

Olá, Emine!
Simplesmente lindo. Amei esta parte:
" Ela é minha... e só minha. Enquanto eu a beijo, eu a consumo, eu a devoro com o meu amor e desejo; percebo que ela é a única que eu amo, que eu quero, que eu cuido com todo o meu ser! De todos os jeitos que eu sou... fodido, amoroso, temperamental, mercurial, exigente, possessivo, amando, apaixonado, assustado, preocupado, adorando, danificado, maníaco por controle, mandão, deus do sexo ... Todos os meus cinquenta tons amam Anastasia Steele!"
O que mais Anastasia iria querer?!
Parabens!
Neusinga, obrigada por traduzir!
Bjkas
Dani
;-)

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry