StatCtr

Friday, March 29, 2013

Livro II - Capítulo III - Christian Grey e Anastasia Steele


CAPÍTULO TRÊS

EU SEI QUE VOCÊ ME QUER

Tradução:  Neusa Reis



Eu levo Anastasia para um pequeno  e íntimo restaurante francês chamado Le Picotin. Eu não o escolhi particularmente;  é o único disponível dentro da distância que estou disposto a percorrer antes que eu possa deixá-la ir sem comer. Eu gostaria de levá-la a um restaurante com  os melhores chefs da cidade, com uma grande seleção de vinhos, mas estou com falta de tempo.

"Este lugar vai ter que servir," eu digo resmungando. "Nós não temos muito tempo." O restaurante é cor vermelho sangue profundo, como a minha sala de jogos, com cadeiras de madeira, toalhas de linho heterogêneas, descombinadas e com espelhos colocados aleatoriamente, velas brancas e pequenos vasos de rosas brancas. Ella Fitzgerald está adequadamente cantando "This Little Thing Called Love" suavemente, ao fundo,  completando o ambiente romântico.  


This Little Thing Called Love by Ella Fitzgerald

A recepcionista nos leva a uma mesa para dois em um pequeno recanto e Anastasia se senta em frente a mim, apreensiva.   E, sinceramente, estou muito nervoso porque ela não me deu qualquer indicação, até agora, para me demonstrar que ela me quer de volta, além de  responder ao meu beijo no beco.  Então, de novo, nossos corpos estavam  tão ligados um ao outro, que era quase como se falassem uma língua exclusivamente deles.

"Não temos muito tempo,” eu digo para o garçom para acelerá-lo. "Nós vamos querer  bife de contra filé, molho béarnaise, se tiver, batata frita e vagem, o que o chef  tiver,  e me traga a carta de vinhos,” eu digo pedindo para nós dois.

"Certamente, senhor,” diz o garçom, tipo surpreso, mas eu estou acostumado a esse tipo de resposta, porque geralmente essa é sempre a resposta quando você, esmagadoramente, toma o controle de uma determinada situação, e eu pretendo fazer isso durante todo  o período da noite.

Eu coloco meu Blackberry na mesa. Anastasia está quase carrancuda, em  silêncio. Então ela fala.

"E se eu não gostar de bife?" Diz ela me fazendo suspirar e internamente eu digo: 'Deus, dai-me paciência hoje à noite!'

"Não comece, Anastasia".

"Eu não sou uma criança, Christian,” ela sussurra em tom baixo,  inclinando-se para frente.

"Bem, pare de agir como uma,” eu digo espelhando sua ação. Ela automaticamente se inclina para trás em seu assento, com um olhar incrédulo no rosto, piscando para mim. Nós dois estamos agitados, nervosos, e isso não está acontecendo como eu imaginava.

"Eu sou uma criança porque eu não gosto de bife?” ela sibila em um tom magoado.

Como você pode ser tão obtusa, Anastasia? Você me deixou louco! Quase me deu um ataque cardíaco por se enrolar em torno do fotógrafo, me fazendo mais ciumento do que eu já estive de qualquer coisa ou de alguém,  em toda minha vida! Você é minha

Love You Long Time - PTX




"Por deliberadamente me fazer ciúmes. É uma coisa infantil de fazer. Você não tem respeito pelos sentimentos de seu amigo, agindo assim?" Eu digo pressionando meus lábios em uma linha fina carrancuda e neste instante o garçom volta com uma carta de vinhos. Eu ainda estou vibrando com ciúme e paixão e raiva, tudo embrulhado em um. Anastasia cora. De repente o que eu disse penetra em seu pensamento, pelo que eu sou grato. Eu forço meu olhar para longe dela para  olhar para a carta de  vinhos.

Bem, ela quer ter opções, eu vou deixá-la escolher o vinho, se ela quiser. Tenho certeza de que posso viver com a sua escolha. "Você gostaria de escolher o vinho?" Pergunto levantando  uma sobrancelha para ela, com expectativa. Ela olha para mim.

"Você escolhe,” ela responde emburrada, mas castigada.

"Duas taças de Barossa Valley Shiraz, por favor,” eu digo para o garçom.

"Err... nós só vendemos a garrafa deste vinho, senhor,” diz o garçom. O que? Eu vou ter que lidar com ele também?

"Uma garrafa então,” eu exclamo.

"Senhor,” diz ele, obedientemente  e retira-se. Anastasia repara na  troca e franze a testa para mim.

"Você é muito mal-humorado,” ela observa. Sério? Você acha?

Eu olho para ela, impassível, eu sou tudo menos isso. "Eu me pergunto por que isso?"

"Bem, isso é bom para definir o tom certo para uma discussão íntima e honesta sobre o futuro, você não acha?” Diz ela sorrindo para mim docemente.

Estou castigado por Anastasia, mais uma vez... Eu pressiono minha boca em uma linha dura. Então eu percebo estar permitindo que a minha raiva e outras emoções assumam o controle, algo que eu não desejo ter que manejar. Então, relutantemente, eu sinto meus lábios se contraindo em um sorriso. Apesar do fato de eu querer tirá-lo, não consigo.

"Eu sinto muito,” eu peço desculpas.

"Desculpas aceitas, e eu tenho o prazer de informar não ter decidido me tornar uma vegetariana desde a última vez que comemos,” diz ela, e isso pode ser verdade, mas uma vez que ela não comeu  mais desde que nós comemos por último, essa observação significa pouco.

"Desde que foi a última vez em que você comeu, eu acho que é um ponto discutível."

"Esta palavra novamente,  discutível,” diz ela.

"Discutível," Eu pronuncio a palavra sem som, enquanto  meus olhos suavizam com humor. Exasperação varre-me de novo me deixando nervoso. Eu corro minhas mãos pelo meu cabelo, e meu coração está se contraindo mais uma vez. "Ana, a última vez em que nos falamos,  você me deixou. Eu estou um pouco nervoso. Eu disse a você que eu quero você de volta, e você disse... nada,” eu digo com toda a intensidade das minhas emoções saindo pelos meus poros.

O que ela espera? Estou muito nervoso, e eu não  fico nervoso! Eu tenho intermediado apostas altas, milhões de dólares em negócios, contratos e acordos. Eu não tinha ficado  tão nervoso, então,  porque eu estava no meu elemento. Com Anastasia, tudo está fora de controle. Minhas emoções assumem, meu coração vira, e meu cérebro tira férias quando eu mais preciso. Eu olho para ela intensamente e na expectativa. Ela está surpresa.

"Eu senti sua falta... realmente senti sua falta, Christian. Os últimos dias têm sido... " diz ela parando para encontrar a palavra adequada, e se decide por “difíceis ". Ela engole, e silenciosamente me olha com alguma emoção sem nome.  "Nada mudou. Eu não posso ser o que você quer que eu seja,” diz ela, quase engasgando com suas palavras.

"Você é o que eu quero que você seja ,” eu digo fervorosamente com uma suave voz enfática.

"Não, Christian, eu não sou,” ela responde.

"Você está zangada por causa do que aconteceu da última vez. Eu me comportei estupidamente, e você... você também. Por que não usou a palavra segura, Anastasia?" Eu pergunto em tom acusatório. Eu tenho pensado muito sobre isso. Eu sempre lembrei  a ela a palavra segura, se ela ficasse sobrecarregada  na sala de jogos, e ela não usou. Ela olha para mim e, finalmente, não encontra algo a dizer.

"Responda-me,” eu imploro

Fields of Gold - Eva Cassidy

“Eu não sei,” é a sua primeira resposta. "Eu estava sobrecarregada. Eu estava tentando ser o que você queria que eu fosse, tentando lidar com a dor, e isto saiu da minha mente. Você sabe... eu esqueci," ela sussurra, parecendo envergonhada, encolhendo os ombros, se desculpando.

O quê? Fui ao inferno, na semana passada, porque ela simplesmente se esqueceu de usar a palavra  segura? Oh Deus! Eu estou esmagado! Mortificado!

"Você se esqueceu!" Eu suspiro com horror, tão zangado que eu agarro os lados da mesa olhando para ela. Ela afunda na cadeira com a compreensão. Nós dois passamos pelo inferno, porque ela se esqueceu de usar a palavra segura!

"Como eu posso confiar em você, Anastasia?" Pergunto, em voz baixa. "Alguma vez?" Eu confiava nela para usar a palavra segura. Eu confiava nela para seguir certas regras;  eu a lembrava cada vez  e de novo. Como ela pôde fazer isso?

Só então o garçom chega com o vinho enquanto estamos tendo um concurso de encarar. Ele derrama o vinho no meu copo, e eu automaticamente tomo  um gole.

"Isso está bom,” digo em voz cortante.

O garçom enche nossos copos, coloca a garrafa sobre a mesa, e percebendo a tensão, ele rapidamente se retira. Meu olhar está colado em Anastasia, com tensão muito pesada; eu posso senti-lo na minha boca. Estou sem palavras. Tudo o que posso fazer é olhar para ela, e, finalmente, Anastasia quebra nosso contato com os olhos, pega a taça de vinho e toma um gole grande para emprestar de seu copo um pouco de coragem.

"Eu sinto muito,” ela sussurra. O quê?  Por quê?  Ela está dizendo isso  como ela fez na noite em que ela me deixou? Ela está tentando dizer  ‘isso não vai funcionar!’  Estou com medo! É isso?

"Desculpe-me por quê?" Eu pergunto com uma voz alarmada.

"Por não usar a palavra de segurança,” diz ela e eu me sinto lavado com alívio. Há esperança depois de tudo! Obrigado, Deus!

"Nós poderíamos ter evitado todo esse sofrimento,” murmuro.

"Você está bem,” diz ela acusatória. Eu estou bem? Eu já morri mil mortes a cada dia! Cortado por mil cortes superficiais, lentamente sangrando até a minha morte! Meu coração foi arrancado e jogado aos meus pés! Eu perdi minha razão de existir! E você acha que eu fui bem, Anastasia? Como você está errada!

"As aparências enganam,” digo em voz baixa. "Eu estou tudo, menos bem. Eu sinto que o sol se pôs e não nasceu por cinco dias, Ana. Eu estou em uma noite perpétua aqui," digo com minha voz embargada. Eu já passei por um maldito  inferno, dilacerado, derrubado, perdido...

"Você disse que nunca iria partir, mas as coisas ficam difíceis e você está fora da porta," eu digo acusatoriamente.

"Quando eu disse que eu nunca iria partir?” ela pergunta.

"Em seu sono. Foi a coisa mais reconfortante que eu ouvi em  muito tempo,  Anastasia. Isso me fez relaxar." Foi a minha salvação, alguma esperança a que eu me agarrei.

Ela não diz nada. Nada! Ela não olha para mim e alcança seu vinho. Seus sentimentos por mim mudaram? Eu quero saber!

"Você disse que me amava,” eu sussurro. "Isso agora está no tempo  passado?" Eu digo em voz baixa, atada com ansiedade.  ‘Por favor, diga não! Por favor, diga não! Por favor, diga não, Anastasia! Por favor!’ Suplico em minha cabeça,  em uma fervorosa oração. Eu nunca deixei de amar você!

"Não, Christian, não é,” diz ela, finalmente, e eu exalo um suspiro de alívio, que eu não sabia que eu estava segurando. Eu olho para ela, a esperança florescendo no meu coração, "Bom,” murmuro.

Eu sei que eu me apavorei quando ela finalmente disse que me amava estando completamente acordada, e eu me senti indigno de seu amor. Mas eu, recentemente, percebi que eu anseio por seu amor. Eu não posso viver sem ele! Eu preciso disso como eu preciso de ar para respirar!

O garçom chega com a nossa comida, e coloca os pratos na nossa frente e desaparece de  forma apressada, sabendo que há tensão na mesa.

"Coma,” eu mando. Eu quero que ela fique melhor. Ela olha para sua comida perplexa, não pegando nem  uma mordida. Por que você não come? Você está derretendo diante de mim como um bloco de gelo no calor do deserto! Minha raiva acende-se novamente.

"Então, Deus me ajude, Anastasia, se você não comer, eu vou colocá-la sobre meu joelho aqui neste restaurante, e não vai ter nada a ver com a minha satisfação sexual. Coma!" Eu ordeno energicamente.

"Ok, eu vou comer. Guarde sua palma da mão nervosa, por favor,” ela diz.

Eu continuo olhando para ela. Eu quero que ela comece a comer agora. Ela olha para a comida novamente. Pega seu garfo e faca. Ela finalmente corta seu steak e pega seu primeiro pedaço. Depois que ela começa a mastigar, sinto o alívio se espalhar em mim. Então eu pego minha própria faca e garfo, e nós dois comemos em silêncio. Ela olha para mim, e me pega olhando para ela, enquanto está comendo. Eu sou louco por essa mulher diante de mim! Loucamente apaixonado! Louco por ela! Louco por tudo que ela faz! Ela e eu temos uma ligação forjada e eu não sou nada sem ela.

"Você sabe quem está cantando?”  Diz ela me tirando dos devaneios. Pela primeira vez, eu presto atenção a essa música em segundo plano. Eu nunca ouvi o cantor ou a música, mas é bonita.

"Não... mas ela é boa, quem quer que seja ,” eu digo sorrindo

Arms - Christina Perri

"O que?” Ela pergunta.

Eu balanço minha cabeça. "Coma," eu digo, não revelando nada.

Depois de comer, possivelmente apenas metade de sua comida no prato, ela disse: "Não vou conseguir comer mais. Comi o suficiente para o senhor?"

Olho para ela, impassível. Eu realmente gostaria que ela terminasse toda a sua comida, porque ela está muito magra. Eu não respondo, e eu quero antes verificar a hora para ver se Taylor já está aqui;  se ele não estiver, eu provavelmente posso empurrá-la para comer alguns pedaços mais.

"Estou realmente satisfeita," acrescenta ela e toma um gole do vinho.

"Temos que ir logo. Taylor está aqui, e você tem que ir para o trabalho pela manhã. "

"Assim como você,” ela responde.

"Eu funciono com muito menos sono que você, Anastasia," eu digo. "Ao menos  você  comeu alguma coisa." Faz-me sentir um pouco melhor sabendo que ela tem algo em seu sistema.

"Não estamos voltando com  Charlie Tango?"

"Não, porque eu pensei que eu poderia tomar uma bebida. Taylor virá nos pegar. Além disso, desta forma, eu posso ter você no carro só para mim, por algumas horas, pelo menos. O que podemos fazer, além de falar?" Eu digo. Eu quero que isso funcione, e eu vou fazer tudo ao meu alcance para fazê-la me dar a oportunidade de falar, e ouvir-me.

Chamo o garçom e peço a conta. Eu, então, pego o meu Blackberry e ligo para Taylor.

"Estamos em Le Picotin,  Terceira Avenida Sudoeste," eu digo dando-lhe o endereço; eu desligo.

Anastasia olha para mim surpresa com a minha conversa abrupta.

"Você é muito brusco com Taylor, na verdade com a maioria das pessoas."

"Eu apenas chego ao objetivo rapidamente, Anastasia".

"Você não  chegou ao ponto esta noite. Nada mudou, Christian,” diz ela. É aí que ela está errada. Tudo mudou, e eu pretendo corrigir todos os meus erros.

"Eu tenho uma proposta para você,” eu respondo.

"Isso começou com uma proposta,” diz ela quase zombeteira.

"Uma proposta diferente,” eu digo.  Uma boa proposta, uma à qual eu espero que ela não será capaz de resistir, mas  aceitará.

O garçom volta com a minha conta, e eu lhe entrego meu cartão, impaciente para sair daqui. Eu olho para ela especulativamente. Eu não quero dizer, o que poderia ter acontecido... e se? Vou fazer as alterações hoje à noite. Enquanto o garçom está cobrando o meu cartão de crédito, meu telefone vibra, e eu olho para ele, vendo o texto de Taylor. Ele diz que está do lado de fora. Eu assino o meu recibo do cartão de crédito, e de pé, ofereço a minha mão a Anastasia.

"Venha. Taylor está lá fora," eu digo.

Levantamo-nos, com sua mão na minha.

"Eu não quero perder você,  Anastasia" Eu digo com toda a minha paixão, beijando as juntas de seus dedos carinhosamente. Nossa conexão me faz movimentar  todos os tipos de emoções e desejos.

Quando saímos, meu Audi está esperando. Eu pego a mão de Anastasia e a levo para o SUV. Eu vou  para o lado do motorista, e Taylor, sabendo eu vou pedir alguma coisa a ele,  sai do veículo.

"Taylor, eu quero que você coloque o seu iPod, e certifique-se de que seus fones de  ouvido permaneçam conectados até que eu diga o contrário. Sincronize-o com o carro, por favor, para que eu possa verificar que ele está ligado. "

"Sim, senhor,” ele diz, e coloca seus fones de ouvido na minha presença.

"Vamos!"

"Sim, senhor".

Depois que minhas instruções para Taylor estão dadas, eu volto para o meu lugar ao lado de Anastasia. Ela olha para mim com curiosidade, mas, olhando para  frente, eu não entrego nada usando meu rosto impassível.

Eu vejo pela minha visão periférica, que Anastasia está me olhando, examinando, memorizando minhas características, como se pudesse ser a última vez que ela está olhando para mim. Deixo que ela tire tudo de mim; veja o que ela vai ter, porque ela não vai estar me perdendo se eu puder impedir...

Quando finalmente Taylor sincroniza seu iPod com o sistema de som do carro, um suave ária de Puccini começa a tocar



O Mio Babbino Caro - Angela Gheorghiu

Ele dirige o Audi para o tráfego leve, indo para a I-5 e Seattle. Esta é a minha deixa  para começar a falar com Anastasia, enquanto Taylor está fora da distância de ouvir. Eu mexo o meu corpo para virar para Anastasia para tê-la cara a cara.

"Como eu estava dizendo, Anastasia, eu tenho uma proposta para você,” eu digo. Com isso, ela olha para Taylor nervosamente, como se dissesse que está com vergonha de falar na frente dele.

"Taylor não pode ouvir você,” eu a tranquilizo, mas ela está na dúvida.

"Como?"

"Taylor?" Eu chamo, mas ele não responde. Eu chamo seu nome outra vez, e de novo, ainda não há resposta. Eu me inclino, e toco no ombro de Taylor,  momento em que Taylor remove um dos fones de ouvido, e, finalmente, dá uma resposta ao meu contato físico.

"Sim, senhor,” ele pergunta educadamente.

"Obrigado, Taylor. Está tudo bem, retome sua escuta ".

"Senhor,” ele responde.

"Feliz agora? Ele está ouvindo seu iPod. Puccini. Esqueça que ele está aqui. Eu esqueci," eu digo com indiferença.

"Você deliberadamente pediu a ele para fazer isso?"

"Sim," eu respondo.

Ela balança a cabeça, como se para limpar a cabeça de algum pensamento errante, mudando de marcha. "Ok, sua proposta?"

É isso. Eu tenho que baixar todas as minhas cartas, e eu tenho que mostrar a minha mão vencedora. Coloco meu rosto de negócios; aquele com o qual eu não pretendo perder em uma negociação. Anastasia coloca o seu rosto 'Estou negociando um acordo; é melhor você não me dar um negócio fodido’,  pura atenção.

"Deixe-me perguntar-lhe uma coisa. Você quer uma relacionamento baunilha normal, sem nenhuma ‘kinky fuckery’ ?(N.T. Vou manter sempre kinky fuckery, sem traduzir. Seria mais ou menos ‘foda pervertida’. Convenhamos que kinky fuckery é mais sexy) " eu pergunto. Nós nunca tivemos problemas em qualquer tipo de ‘fuckery’, pervertida  ou não, mas quero limpar o ar de uma vez por todas. Se eu fosse me guiar pelos sinais, ela gostava delas muito bem. Mas, isso não esclarece o que está em seu coração, eu preciso ouvir diretamente de seus próprios lábios.

"Kinky fuckery?” Ela pergunta chocada e envergonhada com a companhia no carro, embora Taylor não possa ouvir nada.

"Kinky fuckery," eu confirmo

Lost - Bruno Mars

Isso é o que ela é, e eu vou chamá-la por seu nome real.

"Eu não acredito que você disse isso,” diz ela nervosamente, olhando para Taylor.

"Bem, eu disse. Responda-me," eu pergunto calma e firmemente. Eu preciso limpar todos os aspectos de nosso relacionamento uma vez que ela não é muito comunicativa, e eu vou estar malditamente certo de que não terei nenhuma pedra que não esteja revirada para fazê-la feliz, cem por cento, em todos os aspectos.

Ela cora, e olha para baixo, para as mãos, tímida.

"Eu gosto de sua kinky fuckery," ela sussurra em voz baixa,  confirmando minha intuição. Meu deus do sexo interior faz uma estrelinha (acrobática) de excitação. Isso é uma vitória, mas mais temas têm que ser abordados para estarem completamente resolvidos.

"Isso é o que eu pensava. Então, o que você não gosta?" Pergunto tentando compreender completamente seus gostos e desgostos. Ela olha para mim, e suspira. Respira fundo, como se para expulsar alguma ansiedade, alguma exasperação para fora de seu sistema. Ela não fala por um longo momento, e eu olho para ela atentamente, sem sequer piscar.

"A ameaça de punição cruel e incomum,” diz ela. Mas, essa expressão significa coisas diferentes para pessoas diferentes. Eu tenho que saber o que ela significa para ela.

"O que significa isso?" Eu pergunto.

"Bem, você tem todos estes bastões e chicotes e outras coisas na sua sala de jogos, e eles me apavoram. Eu não quero que você os use em mim,” diz ela. Eu já os destruí de qualquer maneira, por isso agora é um não-problema.

"Ok, então sem chicotes ou bastões - ou cintos, para esta questão” eu digo sarcasticamente sabendo o que causou a nossa separação.

Ela olha para mim intrigada, e tentando confirmar se ela me ouviu corretamente, completamente perplexa.

"Você está tentando redefinir os limites rígidos?” ela pergunta para esclarecimento.

"Não como tal, eu só estou tentando entender você, obter uma imagem mais clara do que você gosta e não gosta ,” eu explico. Com isso, ela adquire uma certa compreensão e responde.

"Fundamentalmente, Christian, é com a sua alegria em infligir dor em mim que é difícil para mim de lidar. E a idéia de que você vai fazer isso, porque eu cruzei alguma linha arbitrária ,” diz ela em um só fôlego.

"Mas não é arbitrária, as regras estão escritas," eu refuto.

"Eu não quero um conjunto de regras,” diz ela. Isso é o que eu pensava. Um homem ainda pode tentar negociar sem dar o que ele está indo comprometer.

"Nenhuma?" Pergunto tentando confirmar.

"Sem regras,” diz ela balançando a cabeça. Maldita mulher! Você deve trabalhar para mim com essas habilidades de negociação. Se você pode me colocar de  joelhos, você pode fazer isso com qualquer um.

"Mas você não se importa se eu espancar você?" Eu pergunto.

"Espancar-me com o que?" Ela pergunta estreitando os olhos, metódica, tentando fazer o melhor negócio. E isso é bom, porque ela também está na mesa de negociações, e ela também está jogando a sua melhor mão.

"Isso,” eu digo levantando minha mão. Seu comportamento muda com essa visão. Ela se contorce involuntariamente, em uma excitação bem contida ou com a lembrança dos momentos excitantes que tivemos juntos, usando apenas minhas mãos para espancar num divertido e sexual contexto.

"Não, não realmente,” ela responde, timidamente, corando.  "Especialmente com aquelas bolas prateadas ...” ela divaga. Sua resposta me faz sorrir. Eu estava certo, ela aprecia o espancamento  em um contexto sexual.
"Sim, aquilo foi divertido,” eu digo lembrando.

"Mais do que divertido,” ela murmura concordando comigo.

"Então você pode lidar com um pouco de dor," eu confirmo. Ela encolhe os ombros com indiferença.

"Sim, eu acho,” ela responde. Sua respiração se torna mais rasa e mais rápida, seu peito subindo e descendo rapidamente.

Hmm... Há esperança para nós ainda, e meu coração salta uma batida com excitação. Eu coço meu queixo, refletindo seriamente sobre como expressar  minha proposta para obter a melhor resposta dela.

"Anastasia, eu quero começar de novo," eu digo buscando um claro e completamente novo começo para nós dois. "Fazer a coisa baunilha e então, talvez, uma vez que você confie mais em mim e eu confie em você, para ser honesta e se comunicar comigo, podemos seguir em frente e fazer algumas das coisas que eu gosto de fazer," eu digo expondo o meu compromisso.

Ela me encara como se ela estivesse me ouvindo incorretamente, completamente atordoada,  com uma expressão vazia. Eu posso dizer que este não era o compromisso que ela estava esperando. Eu não sei o que ela está pensando. Seu rosto está desprovido de quaisquer expressões. Principalmente porque ela é tão atordoada com o que eu estou disposto a fazer por ela, sua expressão reflete que ela está atenta, mas Anastasia tem uma cara de quem se desligou... Finalmente ela encontra sua voz e pergunta: "Mas e sobre as punições? "

"Sem punições,” eu digo balançando a cabeça. Eu decidi por esta concessão na noite em que ela me deixou.
"Nenhuma,” eu digo, como forma de confirmação.

"E as regras?” Ela pergunta.

"Não há regras,” eu digo. Baby, você não sabe a que distância eu iria para mantê-la! Você não tem idéia do quanto eu a amo e me importo com você!

"Nenhuma?" ela pergunta incrédula. "Mas você tem necessidades."

"Eu preciso de você mais, Anastasia. Estes últimos dias têm sido o purgatório. Todos os meus instintos me dizem para deixar você ir, me dizem que eu não a mereço." Eu digo suspirando.

"Essas fotos que o garoto fez... José fez,” eu digo corrigindo-me:  "...Eu posso ver como ele a vê. Você parece tão serena e bonita, não que você não seja bonita agora, aqui sentada. Eu vejo sua dor. É duro saber que fui eu quem  fez você se sentir assim.

"Mas, eu sou um homem egoísta. Eu quis você desde que você caiu no meu escritório. Você é diferente, honesta, quente, forte, inteligente, sedutoramente inocente; a lista é interminável. Estou em reverência a você. Eu quero você, e o pensamento de qualquer outro ter você  é como uma faca retorcendo dentro de  minha alma escura. "

A boca inteligente de Anastasia está completamente sem palavras; desprovida de palavras. O peito dela agora está subindo e descendo rapidamente como se ela estivesse correndo uma maratona particularmente difícil, e ela precisa de cada molécula de ar que ela pode depositar em seus pulmões. De repente, ela organiza os seus pensamentos e as palavras apenas derramam-se pelos seus poros.

"Christian, por que você acha que tem uma alma escura? Eu nunca diria isso. Triste talvez, mas você é um bom homem. Eu posso ver que... você é generoso, você é amável, e você nunca mentiu para mim. E eu não tentei muito,” ela responde me chocando completamente.

"Sábado passado foi como choque para o meu sistema. Foi a minha chamada para despertar. Eu percebi que você tinha sido brando comigo e que eu não poderia ser a pessoa que você queria que eu fosse. Então, depois que eu parti, me dei conta de que a dor física que você infligiu não foi tão ruim quanto a dor de perder você. Eu quero agradá-lo, mas é difícil ,” ela se expressa.

"Você me agrada o tempo todo," Eu sussurro para ela. "Quantas vezes vou ter que dizer isso?"

"Eu nunca sei o que você está pensando. Às vezes você está tão fechado... como um estado insular. Você me intimida. É por isso que eu fico quieta. Eu não sei por qual  caminho o seu humor está indo. Ele balança de norte a sul e de volta novamente, em um nano segundo. É confuso e você não quer  me deixar tocar em você, e eu quero muito para mostrar o quanto eu te amo,” ela pronuncia me chocando completamente.

Sua declaração me surpreende totalmente. Eu pensei que ela tinha deixado de me amar, e ela não me deu qualquer indicação, desde que eu a peguei, pelo contrário, fazendo meu já sobrecarregado  coração queimar com mais preocupação. Mas o que ela acaba de me dizer, banha-me completamente de serenidade, acalma os tornados que têm se formado em mim desde que ela me deixou. Pela primeira vez em uma semana, sinto-me eufórico, e verdadeiramente feliz. Se isto não é o céu, eu não sei o que é! Eu pisco na escuridão, com precaução, totalmente incapaz de compreender se foi isto exatamente o que eu ouvi. Ela desafivela  o cinto de segurança e se joga no meu colo, chocando-me tanto, que ela poderia ter me derrubado com uma pena. Ela pega a minha cabeça em suas mãos.

"Eu te amo, Christian Grey. E você está disposto a fazer tudo isso por mim. Eu sou a única que não o merece, e eu estou  apenas sentida que eu não posso fazer todas essas coisas para você. Talvez com o tempo...Eu não sei... mas sim, eu aceito a sua proposta. Onde é que eu assino?" Ela declara.

Se eu morresse agora, eu iria morrer um homem feliz! Ela nunca deixou de me amar! Ela está disposta a fazer concessões, acomodar minhas necessidades. Oh, Deus! Obrigado! Obrigado! Obrigado por me ouvir! Eu amo tanto essa mulher! Finalmente eu percebo que isso não é um sonho, não um truque meu cérebro está fazendo comigo, e que Anastasia realmente, verdadeiramente ama a mim; a mim! Este homem insignificante! Eu coloco meus braços em torno dela e a esmago contra mim.

"Oh, Ana!" Eu respiro e enterro meu nariz em seu cabelo, inalando o cheiro dela, beijando seu cabelo. Nós nos sentamos, envoltos um no outro,  ouvindo uma música de piano suave, completamente refletindo o que estamos sentindo agora, um tom tranquilo

Bella’s Lullaby - Twilight

Ela apenas se aconchega em meus braços, descansando a cabeça na curva do meu pescoço. Eu apenas a acaricio, acalmando nossas almas devastadas pelos eventos da semana passada.

"Tocar é um limite rígido para mim, Anastasia," eu sussurro. Eu quero mais do que tudo que ela me toque, explore onde a ninguém jamais foi permitido. Mas, eu não posso, e isso me mata porque eu tenho que negar isso a ela!

"Eu sei. Eu gostaria de entender o porquê,” ela sussurra. Eu suspiro. Ela merece saber. Ela fez tantas concessões para mim, e eu quero me comunicar abertamente com ela.

"Eu tive uma infância horrível. Um dos cafetões da prostituta de crack..."  Eu digo com uma voz suave, sumindo. A tensão volta ao meu corpo com a lembrança das torturas, castigos e espancamentos por parte do cafetão.  "Eu posso lembrar isso," eu sussurro trêmulo. Ela respira acentuadamente, preocupando-se por mim, e aperta os braços em volta do meu pescoço como se para me tranquilizar, acalmar e confortar-me. É a mais humana, a mais bem-vinda reação que eu tive dela. Ela me ama!

"Ela era abusiva? Sua mãe, eu quero dizer? " Ela pergunta em voz baixa e suave misturada com emoção.

"Não que eu me lembre. Ela foi negligente. Ela não me protegeu de seu cafetão,” eu digo recordando.

Eu bufo e digo: "Eu acho que fui eu quem cuidou dela. Quando ela finalmente se matou, levou quatro dias para alguém dar o alarme e nos encontrar... Eu me lembro disto," eu digo. Na verdade isso é um pesadelo revisto uma e outra vez, quase toda noite.

Anastasia suspira com horror. "Isso é muito fodido,” ela sussurra.

"Cinquenta tons," eu murmuro. Agora ela tem alguma idéia de meus problemas e compartilhar essa informação com ela derruba algumas paredes entre nós. Anastasia responde pressionando seus lábios contra meu pescoço, oferecendo consolo, e seu amor em seu beijo. Ela me cheira, buscando conexão, tocando minha alma. Estou completo com ela. Eu aperto meus braços em torno dela e beijo seu cabelo. Eu sou um homem feliz enquanto  nós estamos envolvidos no abraço um do outro. Não há outra coisa, nenhuma outra pessoa que eu queira neste momento, que não seja Anastasia embalada em meus braços.

Enquanto eu a seguro assim, ela lenta e pacificamente deriva para o sono. Eu a assisto dormir por longos  minutos. Alisando seu cabelo, cheirando seu perfume feminino, de sabonete, ar-livre fresco, e sua marca particular de perfume Ana exclusivo. Como eu a amo! O que eu não faria para ela! O conhecimento de que ela é minha mais uma vez, revive-me. Eu vou ou chorar, ou dar uma cambalhota com alívio e alegria, nenhum dos quais é apropriado para o lugar e o tempo em que estamos. Nós seguimos  assim todo o caminho para Seattle, e Anastasia, finalmente acorda enquanto estamos atravessando a cidade.

"Hey," eu digo baixinho para seu olhar sonolento.

"Desculpe,” ela pede desculpas baixinho, piscando e se alongando, tentando recuperar sua postura. Ela ainda está em meus braços, e eu não tenho nenhuma intenção de deixá-la fora.

"Eu posso ver você dormir para sempre, Ana,” eu digo.

"Eu disse alguma coisa?” Ela pergunta, lembrando suas outras confissões noturnas.

"Não. Estamos quase em sua casa," eu digo o que a surpreende.

"Nós não estamos indo para a sua casa?" Ela pergunta.

"Não,” eu respondo.

Ela senta-se olhando para mim, tentando decifrar o meu rosto como se fosse uma peça de quebra-cabeças complicado. "Por que não?” Ela pergunta.

"Porque você tem trabalho amanhã,” eu simplesmente declaro, e é a verdade, mas não a verdade completa.

"Oh,” diz ela fazendo beicinho com a compreensão. Embora, ela não tenha que trabalhar, e possa alegar estar doente, eu prefiro esperar, e ter ela toda para mim;  eu quero que ela implore. Se eu ceder, isto vai estragar o efeito. Vai ser para nós ambos a doce tortura, mas fazer amor depois,  será muito mais intenso e apaixonado.

Eu sorrio para sua expressão. "Por que,  você tem algo em mente?" Pergunto maliciosamente.

Ela cora. Sim, ela tinha outras idéias. "Bem, talvez,” ela responde.

Eu rio com sua resposta. "Anastasia,  eu  não  vou  tocar em você de novo,  não  até  que  você me implore ."  

 Everything - Michael Buble

Este pedaço de informação a choca.

"O que!" ela exclama.

"Assim você vai começar a se comunicar comigo. Da próxima vez que fizermos amor, você vai ter que me dizer exatamente o que você quer em detalhes. "

"Oh," ela diz. Eu a tiro  do meu colo quando  Taylor estaciona fora de seu complexo de apartamentos. Eu saio do carro, e mantenho a porta aberta para ela.

"Eu tenho algo para você,” eu digo me dirigindo para a mala do carro, e puxando uma caixa grande embrulhada para presente contendo seus pertences; laptop, Blackberry, iPad e as chaves do carro. Ela olha para mim especulativamente; curiosa.

"Abra quando chegar lá dentro,” eu digo.

"Você não vai entrar?" Ela pergunta surpresa.

"Não, Anastasia,” eu respondo.

"Então, quando eu vou te ver,” ela pergunta, e eu quis ouvir isso dela pelo que me pareceu ser um longo tempo.

"Amanhã,” eu respondo. E mesmo amanhã não está perto o suficiente, mas eu quero que ela implore por antecipação.

"Meu chefe quer que eu vá tomar uma bebida com ele amanhã,” diz ela, e eu automaticamente fico aborrecido, meu rosto endurece. "Quer?" Eu digo ameaçadoramente. Bastardo maldito já está se movendo sobre minha mulher. 

Next Contestant - Nickelback

"Para celebrar minha primeira semana,” acrescenta rapidamente. Há todos os tipos de mulheres que trabalham para homens;  eles não saem para uma bebida de comemoração da primeira semana, a menos que o cara queira entrar em sua calcinha.

"Onde?" Eu pergunto.

"Eu não sei."

"Eu poderia buscá-la lá,” eu respondo.

"Tudo bem... Eu vou enviar um e-mail ou  texto para você. "

"Bom".

Eu ando até a porta do saguão, e espero ela pescar suas chaves. A visão dela, aqui, na minha presença, comigo, desfralda algo dentro de mim. Eu me inclino e toco seu queixo, inclinando sua cabeça para trás. Quando  minha boca paira sobre a dela, eu fecho meus olhos e executo uma trilha de beijos do canto do olho para sua boca, mas eu paro antes de seus lábios. Um gemido desejoso escapa dela,  querendo  e esperando mais.

"Até amanhã,” eu respiro.

"Boa noite Christian,” ela sussurra carregada com vontade e desejo. Está funcionando. Saber isto me faz sorrir.

"Vá," eu ordeno, e ela caminha pelo saguão.

"Laters, baby,” eu exclamo e caminho de volta para o carro completamente aliviado. Estou muito curioso para ver o que ela vai pensar, como ela vai reagir ao meu pedido de desculpas, e minha declaração indireta de amor por ela. Espero que ela adore. Espero que ela entenda o que eu quero dizer a ela,  que eu não posso dizer em voz alta. Ainda não, de qualquer maneira.

Taylor se dirige ao Escala. Ele também está visivelmente relaxado depois dos horrores  da semana passada, e a tensão que ele e a Sra. Jones tiveram que suportar. Ele me deixa lá.

"Obrigado Taylor," eu digo e um sorriso genuíno se arrasta em seu rosto.

"Por nada, senhor,” ele responde.

Eu vou até o meu apartamento. Troco minhas roupas por um  pijama mais confortável. Eu pego e me sirvo de uma taça de  vinho, e me encaminho para o piano. Pela primeira vez em muito tempo, eu me sinto bem para tocar algo feliz.

Eu ouço meu Blackberry zumbindo em cima do piano. É Anastasia.
______________________________________
De: Anastasia Steele
Assunto: IPAD
Data: 9 de junho de 2011 23:56
Para: Christian Grey

Você me fez chorar de novo.
Eu amo o iPad.
Eu amo as músicas.
Eu amo o App Biblioteca Britânica.
Eu te amo.

Obrigado.
Boa noite.

Ana xx
______________________________________
Sua resposta simples faz-me instantaneamente alegre.
______________________________________
De: Christian Grey
Assunto: IPAD
Data: 10 de junho de 2011 00:03
Para: Anastasia Steele

Estou feliz que você gostou. Eu comprei um para mim. Agora, se eu estivesse aí, eu iria beijar suas lágrimas.
Mas eu não estou , então vá dormir.

Christian Grey
CEO, Grey Enterprises Holdings Inc.
______________________________________
Eu gostaria de estar lá para abraçá-la, para ver a reação dela, beijar suas lágrimas. Mas vai ter que esperar. 


Possession - Sarah McLachlan
______________________________________
De: Anastasia Steele
Assunto: Sr. Mal Humorado
Data: 10 de junho de 2011 00:07
Para: Christian Grey

Você parece o mandão de costume e, possivelmente tenso, possivelmente mal-humorado,  Sr. Grey.
Eu sei que algo que poderia melhorar isso. Mas então, você não está aqui - você não me deixou ficar, e você espera que eu suplique...
Vá sonhando Senhor.

Ana xx
PS: Eu também notei que você incluiu o Hino do Perseguidor, "Every Breath You Take,” eu gosto de seu senso de humor, mas  o Dr. Flynn sabe?
______________________________________
Eu senti falta de sua boca inteligente;  eu estou contemplando  formas criativas para lhe proporcionar alguma punição agradável.  

Every Breath You Take - the Police
______________________________________
De: Christian Grey
Assunto: Como Zen-calmo
Data: 10 de junho de 2011 00:10
Para: Christian Grey

Minha muito querida Senhorita Steele,

Espancamento ocorre nos relacionamentos  baunilha, também, você sabe. Normalmente consensualmente e em um contexto sexual... mas estarei mais do que feliz em fazer uma exceção.
Você vai ficar aliviada de saber que o Dr. Flynn também gosta de meu senso de humor.
Agora, por favor, vá dormir caso você queira ter mais amanhã .
Aliás - você vai implorar, confie em mim. E eu estou esperando muito por isso.

Christian Grey
CEO tenso, Grey Enterprises Holdings Inc.
______________________________________
Eu clico em enviar, e mais do que nunca agora, eu gostaria que ela estivesse aqui. Mas, a paciência é uma virtude, e, neste momento, eu quero que ela implore, e me queira como ela nunca me quis antes.
______________________________________
De: Anastasia Steele
Assunto: Boa noite, doces sonhos
Data: 10 de junho de 2011 00:12
Para: Christian Grey

Bem, já que você pediu tão gentilmente, e eu gosto da sua ameaça deliciosa, vou me enrolar no iPad que tão gentilmente você me deu e adormecer navegando na Biblioteca Britânica, ouvindo a música que diz isto por você.
Ana xxxx
______________________________________
Eu amo quando ela concorda. Eu amo quando ela argumenta. Eu amo quando ela está louca. Eu amo quando ela está me amando! Eu apenas a amo! Eu sou um homem apaixonado!
______________________________________
De: Christian Grey
Assunto: mais um pedido
Data: 10 de junho de 2011 00:15
Para: Anastasia Steele

Sonhe comigo.
x

Christian Grey
CEO tenso, Grey Enterprises Holdings Inc.

______________________________________

Pela primeira vez em uma semana, a imagem de Anastasia na minha cabeça afugenta os pesadelos, e eu tenho um sono tranqüilo, livre do cafetão ou dos horrores infligidos por ele em mim. Sonhos só eu e Anastasia.  
Dream On - Aerosmith



20 comments:

Thamires Armindo said...

Thank you for this wonderful story. You are very creative. Congrats!

Anonymous said...

Estou adorando td isso...Agradeço a vcs que se esforçam por esse maravilhoso trabalho!!!
Aline

Anonymous said...

Estou adorando td isso...Agradeço a vcs que se esforçam por esse maravilhoso trabalho!!!
Aline

Aline said...

Amo, amo amo!!! Parabens pelo trabalho!!!!

Anonymous said...

Obrigada pela traduçao....Adoro o fato de ter um pouco mais dessa linda Estória de Amor.

Tatiana said...

Amo demais! Parabéns pelo trabalho, já estava em colicas de tão ansiosa pelo capitulo III. OBRIGADAAA!!! Beijos

anne caroline godoi said...

Adorei esse capitulo,perfeito...

Francis said...

Lindos!!! Como é maravilhoso o amor de Anastácia por Christian...ele merece ser cuidado e protegido por ela, depois de sofrer tanto...
Não posso nem me lembrar daquela louca dominadora, espero que ela tenha seu troco, vendo a felicidades dos dois!
obrigada Neusa, um abraço

Marcos J.Byczkovski said...

Sera que vai sai o resto do livro 2 em portugues ou vai para por ai??? :z ansiosa

Marcos J.Byczkovski said...

aiiii será que vai sai o resto do livro 2 em portugues *----* ansiosa pra continuar lendo!!!!

Eminé Fougner @ Cowboyland said...

Oi Marcos! Neusa is translating as fast as she can. Don't worry, all the chapters will come around in Portuguese.

Marcos J.Byczkovski said...

\o/// vou esperar muitooooooo ansiosa :D parabéns pelo trabalho de vcs ;*

Neusa Reis said...

Oi pessoal, como a Emine disse, vai sair tudo em português. 2 a 3 capítulos é o máximo que posso fazer por semana. Um capítulo por semana, no momento, é impossível para mim. Acabei de mandar o capítulo 4. Muito lindo! Um abração a todos.

Renata Santos said...

Parabéns Neusa Reis pelo seu trabalho e dedicação, estou acompanhando e aguardando ansiosa e em cólicas pelos próximos cápitulos. Infelizmente só temos o Grey por esse curto (três livros) espaço de tempo, já li a 'série' duas vezes, assim como já estou relendo o primeiro livro na versão dele.
Virou minha paz esses livros, se estou mal, leio qualquer capítulo e já me tranuqiliza.

Renata Santos said...

Parabéns Neusa Reis pelo seu trabalho e dedicação, estou acompanhando e aguardando ansiosa e em cólicas pelos próximos cápitulos. Infelizmente só temos o Grey por esse curto (três livros) espaço de tempo, já li a 'série' duas vezes, assim como já estou relendo o primeiro livro na versão dele.
Virou minha paz esses livros, se estou mal, leio qualquer capítulo e já me tranuqiliza.

Anonymous said...

Obrigada Eminé e Neusa por nos proporcionarem essa bela história...é viciante!Aguardo ansiosa pelo próximo capitulo.Abraços!
Aline

Sue Helena Bastos said...

Meu vício de todos os dias... de todas as madrugada. Obrigada!

Kaila Alekena said...

Ahhhhh que sonho!!!!

Tem coisa melhor do que a reconciliação... tem, sexo de reconciliação hahahahaha aguardando ansiosa por um certo orvete de baunilha , aiiiii Meu Deus!!!!! Kiss Eminé and Neusa ... Vlw!

Daniela Martins said...

UfAaaaaa!
Tudo voltou ao eixo!
Lindo o amor desses dois!
Os sentimentos de CG expostos aqui são, ao mesmo tempo, de tristeza e alegria! Alegria por ele estar se abrindo a Ana, nas triste tambm por ele ainda se sentir indigno de ser amado (tanto pela Anastasia quantos por seus pais e irmãos).
Este é um dia meus capítulos favoritos! E escrito por vc, Emine, o torna mais especial para mim!
Boa noite!
Bjkas
Dani

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry