StatCtr

Friday, March 29, 2013

Livro II - Capítulo V - Christian Grey e Anastasia Steele



CAPÍTULO V

ELA PEGOU MEU CORAÇÃO,
ELA PEGOU MINHA ALMA

Tradução:  Neusa Reis




Uma vez que ambos descemos das alturas do êxtase, Anastasia abre os olhos e olha para o meu rosto com alguma expressão insondável. Amor

Heaven by Louis Armstrong and Ella Fitzgerald
Minha expressão de volta para ela é suave e terna. Eu esfrego meu nariz contra o dela, certificando-me de manter o meu peso em meus cotovelos, segurando suas mãos ao lado da sua cabeça. Desta forma, eu estou no controle, e embora eu deseje muito que ela me toque, eu ainda não posso suportar essa idéia. Eu dou-lhe um beijo macio e suave em seus lábios, e lentamente saio de dentro dela.
Aqui é onde eu quero estar o tempo todo, e isso é parte do que eu perdi toda a semana. O amor, a conexão, o desejo, a unidade e a união.

"Eu senti falta disso,” eu digo em um sussurro ofegante.

"Eu também,” ela sussurra de volta, em uma confissão. Eu não posso imaginar alguém estar dentro dela, segurando-a, dando-lhe o que eu quero dar, fodendo  com ela, beijando-a... Só o pensamento disso já me deixa louco. Eu levanto seu queixo e a beijo profundo e forte, um beijo apaixonado e um beijo de súplica. Pedindo a ela para ser minha e só minha com o meu beijo. Pedindo-lhe para não me deixar novamente. Ela retribui, e está sem fôlego após nosso beijo.
"Não me deixe de novo,” eu imploro, pedindo-lhe com meus olhos, meu rosto sério.

"Certo,” ela sussurra e sorri para mim. Eu procuro seu rosto, e vendo que ela também está séria, eu sorrio de volta para ela com alívio e alegria, e juvenil prazer.

"Obrigada pelo iPad,” diz ela.

"Por nada, Anastasia,” eu respondo.

"Qual é a sua música favorita lá?” Pergunta ela.
"Agora seria difícil dizer,” eu digo sorrindo. Eu acho que quase todas elas são as minhas favoritas, pois representam diferentes lembranças de Anastasia e eu. Seria difícil apontar uma. Mas "Possession" e "Every Breath You Take" estariam no topo da lista.
Possession by Sarah McLachlan

"Venha cozinhar-me alguma comida, rapariga. Eu estou morrendo de fome,” eu digo tonto, sentando-me de repente e arrastando Anastasia comigo.

"Rapariga?” ela pergunta risonha.

"Rapariga. Alimentos, agora, por favor. " Eu digo como um homem da Idade Média.

"Uma vez que você pediu tão gentilmente, senhor, vou lhe dar direito a isso."

Ela se joga para fora da cama, e pelo caminho seu travesseiro é desalojado revelando embaixo o balão helicóptero murcho Charlie Tango. Eu o alcanço, segurando-o na mão e olhando para Anastasia, perplexo com a descoberta. Este é o balão que enviei juntamente com o Bollinger, quando ela e sua colega de quarto, Kate, se mudaram para aqui. Ela manteve o balão todo esse tempo?

"Esse é o meu balão,” diz ela com tom de proprietária, e pega seu robe e envolve-o em torno de si mesma.

"Na sua cama?" Murmuro, questionando.

"Sim,” ela cora quando ela me responde. "Ele ficou me fazendo companhia,” ela responde.

"Charlie Tango sortudo,” digo, surpreso.

"Meu balão,” diz ela e vira as costas, dirigindo-se para a cozinha.

Sua simples declaração me faz perceber que ela realmente me ama, e que ela sentiu minha falta todo esse tempo. Não fui apenas eu! Meus sentimentos são correspondidos, e Anastasia Steele me ama tanto que ela tinha que ter um simples balão, que eu mandei representando algo entre nós, mantido em sua cama! Perto dela, perto de seu corpo, perto de sua mente! Ela me ama! A realização me faz feliz e eu estou sorrindo de orelha a orelha.
******
Quando a comida está finalmente pronta, Anastasia e eu sentamos no tapete persa, no chão, e comemos fritada de frango e macarrão de suas tigelas de porcelana branca chinesa, com pauzinhos e bebemos Pinot Grigio Branco Criança. Encosto-me no sofá e estico as pernas na minha frente. Estou usando meu jeans comando e t-shirt. Meu iPod está ligado e Buena Vista Social Club está cantando "Besame mucho". Que adequado... "Beija-me muito". Eu olho para ela com amor, enquanto eu falo, sem som, a letra para ela. 
Bésame Mucho - Buena Vista Social Club

Bésame,bésame mucho
Como si fuera esta noche
la última vez
Bésame, bésame mucho
Que tengo miedo perderte,
perderte después.
Bésame, bésame mucho
Como si fuera esta noche
la última vez.
Bésame, bésame mucho
Que tengo miedo perderte,
perderte después.
Quiero tenerte muy cerca,
Mirarme en tus ojos,
Verte junto a mí.
Piensa que talvez mañana
Ya estaré muy lejos,
Muy lejos de ti
Bésame, bésame mucho
Como si fuera esta noche
la última vez
Bésame, bésame mucho
Que tengo miedo perderte,
perderte después.
Quiero tenerte muy cerca,
Mirarme en tus ojos,
Verte junto a mí,
Piensa que talvez mañana
Ya estaré muy lejos,
Muy lejos de ti
Bésame, bésame mucho
Como si fuera esta noche
la última vez
Bésame, Bésame mucho,
Que tengo miedo perderte,
perderte después
Beija-me, beija-me muito
Como se fosse esta noite
a última vez
Beija-me, beija-me muito
Que tenho medo de te perder,
de te perder depois.
Beija-me, beija-me muito
Como se fosse esta noite
a última vez
Beija-me, beija-me muito
Que tenho medo de te perder,
de te perder depois.
Quero ter-te bem perto
Olhar em seus olhos
Ver-te junto a mim.
Pensa que talvez amanhã
Eu já estarei distante
Muito distante de ti
Beija-me beija-me muito
Como se fosse esta noite
a última vez
Beija-me, beija-me muito,
Que tenho medo de te perder,
de te perder depois.
Quero ter-te bem perto
Olhar em seus olhos
Ver-te junto a mim
Pensa que talvez amanhã
Eu já estarei muito distante
Muito distante de ti
Beija-me beija-me muito
Como se fosse esta noite
a última vez
Beija-me, beija-me muito
Que tenho medo de te perder,
de te perder outra vez

"Isso é bom,” digo finalmente, apreciativo, sobre minha comida, que Anastasia fez para nós... para mim. Ela sorri, enquanto se senta de pernas cruzadas ao meu lado, também finalmente comendo com vontade, mais que faminta, mas não apenas por comida, e eu a noto admirando meus pés descalços.

"Eu costumo fazer toda a cozinha. Kate não é uma grande cozinheira,” ela comenta.

"Sua mãe lhe ensinou?" Eu pergunto-lhe.

"Não realmente," ela zomba. "Na época em que eu estava interessada em aprender,  minha mãe estava vivendo com o Marido Número Três,  em Mansfield, no Texas. E Ray, bem, ele teria vivido com  torrada e comida pronta, se não fosse por mim,” diz ela. Esse comentário surpreende-me. Eu teria pensado que ela tinha ficado com a mãe dela. Eu olho para ela e pergunto: "Você não ficou no Texas com sua mãe?"

"Não. Steve, seu marido, e eu, não nos dávamos bem. E eu sentia falta de Ray. Seu casamento com Steve não durou muito tempo. Ela voltou à razão, eu acho. Ela nunca fala sobre ele,” acrescenta calmamente. Eu me pergunto o que deu errado, o que o padrasto fez a Anastasia para que ela não gostasse muito dele.

"Então, você voltou para Washington para viver com seu padrasto," eu observo.

"Sim,” ela confirma.

"Parece que você cuidou dele,” eu digo baixinho. Ela é uma cuidadora, e uma filha atenciosa.

"Eu suponho,” diz ela dando de ombros.

"Você está acostumada a cuidar das pessoas,” concluo. Ela olha para mim percebendo o pensamento oculto na minha voz.

"O que é ?" Ela pergunta assustada com a minha expressão cautelosa.

Eu olho para ela. Ela tomou conta dos outros toda a sua juventude. Ela não sabe o que significa ser cuidada. Eu percebo que é por isso que ela fica apreensiva quando tento cuidar dela. Não é algo a que ela esteja acostumada.

"Eu quero cuidar de você," Eu declaro com todo o meu amor e paixão embora eu tente escondê-los.

Sua respiração acelera, seus lábios se abrem quando ela olha procurando o meu rosto. "Eu notei,” sussurra. "Você acabou de fazer isso de uma forma estranha,” acrescenta ela com um pequeno sorriso no rosto.

Minha testa franze com sua avaliação. "É a única maneira que eu sei,” eu digo baixinho. E isso não muda uma coisa. Nós dois temos nossos problemas. Ela não está acostumada a ser cuidada, mas, novamente, isso não significa que eu não deveria cuidar dela, não importa o quão estranhos ela ache os meus caminhos. Meu objetivo final é fazê-la ficar segura, bem cuidada e amada. Eu não consigo me livrar da urgência, o desejo em mim.

"Eu ainda estou zangada com você por comprar a  SIP,” comenta.

Eu sorrio. "Eu sei, mas você estar zangada, baby, não iria me parar." Eu gostaria de encontrar uma maneira de contornar isso. Se você me conhecesse bem o suficiente, você saberia que eu faria tudo ao meu alcance para mantê-la segura.

"O que eu vou dizer para meus colegas de trabalho, para o Jack?"

Seu nome ferve o meu sangue, sabendo o que sei sobre ele. Eu estreito meus olhos sobre ela." Melhor esse filho da puta cuidar de  si mesmo," eu digo através de meus dentes cerrados.

"Christian,” ela me adverte. "Ele é meu chefe."

Não se eu puder impedir! Mas eu não digo nada. Minha boca pressiona-se em uma linha dura.

"Não diga a eles,” eu digo.

"Não diga a eles o que?” Ela pergunta.

"Que eu sou o dono. Os papéis do acordo foram assinados ontem. A notícia está embargada por quatro semanas, enquanto a administração da SIP faz algumas mudanças."

"Ah...” ela responde. "Será que vou estar fora do emprego?" Ela pergunta alarmada. Não quando eu administro a empresa.

"Eu sinceramente duvido,” eu digo com ironia, tentando abafar um sorriso. A empresa é minha para fazer o que quiser. Ninguém vai atrever-se a despedir a minha namorada, se ele ou ela quer manter o seu emprego! Ela fecha a cara.

"Se eu sair e encontrar outro emprego, você vai comprar esta empresa, também?” Ela pergunta. O quê? Será que ela já está considerando sair porque eu comprei a SIP?

"Você não está pensando em sair, não é?" Eu pergunto enquanto minha expressão se altera,  cautelosa de novo.

"Possivelmente. Eu não tenho certeza que você me deu uma grande escolha,” é a resposta dela.

Bem então. Vamos jogar dessa maneira!

"Sim, vou comprar essa empresa, também," eu digo com firmeza. O que é tão difícil para ela entender? Eu vou tomar qualquer medida para mantê-la segura. Ela é a minha garota! Minha mulher! Minha namorada! Tudo ao redor de mim, corpo  e alma, assim como eu sou dela... Ela fecha a cara para mim.

"Você não acha que está sendo um pouco super protetor?"

"Sim. Estou plenamente consciente de como isso parece,” eu digo.

“Chamando Dr. Flynn ,” ela murmura.

Você não quer jogar esse jogo comigo, Anastasia. Você vai perder. Eu abaixo meu prato vazio e olho para ela, impassível. Ela suspira, desistindo. Ela se levanta e pega a minha tigela.

"Você quer sobremesa?” Ela pergunta.

"Agora você está falando!" Eu digo, dando a minha mulher um sorriso lascivo.

"Não eu,” ela repreende. "Temos sorvete. Baunilha,” diz ela percebendo o seu duplo significado e dá uma risadinha.

"Sério?" Eu digo enquanto meu sorriso se torna maior. "Eu acho que nós poderíamos fazer alguma coisa com isso,” eu digo me levantando.

"Posso ficar?" Pergunto a Anastasia.

"O que você quer dizer?” ela pergunta.

"À noite".

"Eu supus que você ia,” diz ela ruborizando. O conhecimento disto me faz feliz.

"Ótimo. Onde está o sorvete? " Eu pergunto.

"No forno,” diz ela sorrindo para mim docemente. Sarcasmo vindo de você, Srta. Steele? Eu inclino  minha cabeça para um lado, e suspiro balançando a cabeça para ela. "O sarcasmo é a forma mais baixa de humor, Srta. Steele," eu digo com os olhos brilhantes.

"Eu poderia levá-la em meu joelho,” eu digo maliciosamente. Ela coloca as tigelas na pia e se vira para mim.
"Você tem essas coisas das bolas prateadas?" Meus olhos brilham. Eu bato minhas mãos pelo meu peito, barriga e bolsos do meu jeans. "Engraçado, eu não tenho um par comigo. Não há muita procura para elas no escritório,” eu respondo.

"Estou muito feliz em ouvir isso, Sr. Grey, e eu pensei que você tinha dito que o sarcasmo era a forma mais baixa de humor,” ela responde.

"Bem, Anastasia, meu novo lema é se você não pode vencê-los, junte-se a eles."

Ela abre a boca com a minha resposta, e eu sorrio de volta pela sua reação. Eu volto, e abro o congelador e tiro a embalagem do melhor sorvete de baunilha, Ben & Jerry.

"Isso vai fazer muito bem,” eu digo olhando para minha bonita namorada, com olhos escuros. "Ben & Jerry & Ana,” eu digo cada palavra lentamente, enunciando cada sílaba claramente, mostrando a minha intenção para ela,  em termos simples.

A expressão lasciva em meu rosto faz Anastasia ficar boquiaberta  para mim. Abro a gaveta de talheres e pego uma colher. Quando eu olho para cima, meus olhos estão encapuzados, pesados com desejo por Ana, e minha língua desliza por meus dentes superiores. Anastasia parece devassa, excitada e desejosa

I’ll Make Love to You - Boyz 2 Men

"Eu espero que você esteja quente,” eu sussurro. "Eu estou indo refrescá-la com isso. Venha,” eu digo, estendendo a mão para ela e ela coloca a dela na minha.

Quando entramos em seu quarto, eu coloco o sorvete em cima da mesa de cabeceira,  retiro o edredon, e removo ambos os travesseiros para uma pilha no chão.

"Você tem uma muda de lençóis, não é?" eu pergunto, pois estes estarão pegajosos quando eu terminar com ela. Ela concorda com fascínio. Eu ergo o balão Charlie Tango.

"Não mexa com meu balão,” ela me avisa. A reação dela faz meus lábios curvarem-se em um sorriso.

"Eu não sonharia com isso baby, mas eu quero bagunçar com você e esses lençóis,” eu digo, e ela quase convulsiona com a presente declaração.

"Eu quero te amarrar,” eu digo.

"Certo,” ela sussurra com expectativa.

"Apenas suas mãos. Na cama. Eu preciso de você parada. "

"Sim,” ela sussurra novamente, incapaz de dizer qualquer outra coisa. Meu corpo inteiro está fixado em Anastasia e eu não tenho nada mais além de  imenso desejo por ela. Eu me movimento para ela, sem tirar meus olhos dos dela.

"Nós vamos usar isso," eu digo mostrando-lhe o cinto do roupão e com lenta, torturante provocação, eu libero o laço, e gentilmente puxo-o fora do roupão. Quando seu roupão fica aberto, Anastasia permanece congelada sob o meu olhar sufocante. Sem tirar os olhos dela, eu desço o roupão pelos seus ombros. A peça cai e se amontoa a seus pés e ela está diante de mim gloriosamente nua. Eu perco o fôlego com sua beleza. Minha mão se aproxima e eu lhe acaricio o rosto, com as costas de meus dedos, ao que ela responde fechando os olhos perdidos de desejo. Eu abaixo e beijo seus lábios brevemente.

"Deite-se na cama, virada para cima," murmuro enquanto meus olhos escurecem com desejo, queimando nos  dela.

Ela faz exatamente o que lhe é dito; deita na cama, virada para cima, na relativa escuridão. A única luz no quarto, da mesa de cabeceira, brilha fracamente. Eu estou ao lado da cama olhando para baixo, para esta beleza que é a minha namorada, incapaz de quebrar a conexão.

"Eu poderia olhar para você todos os dias, Anastasia,” digo com sinceridade, enquanto  rastejo na cama, por cima do seu corpo, e sento escarranchado em  minha mulher.

"Braços acima da cabeça,” eu ordeno.

Ela imediatamente obedece e eu amarro a ponta de sua faixa do roupão em torno de seu pulso esquerdo e passo a extremidade através da barra de metal da cabeceira. Eu puxo-o firmemente para que seu braço esquerdo fique  flexionado acima dela. Eu, então, amarro o braço direito da mesma maneira firmemente.

Quando ela está completamente amarrada, ela olha para mim, e agora estou completamente relaxado, sabendo que ela não será capaz de me tocar. Desta forma, eu estou no controle. Ela me olha com alguma emoção desconhecida, com certa compreensão. Eu sorrio.

Eu finalmente saio de cima dela  e curvando-me,  dou-lhe um rápido beijo nos lábios. Eu, então, fico em pé e puxo a minha camisa pela minha cabeça, e tiro o meu jeans e deixo ambos no chão.

Eu também estou nu diante dela, e ela está avaliando o que está diante dela, gostando do que está vendo. Eu me movo para o pé da cama, e agarro seus tornozelos, e a puxo para baixo bruscamente de forma que seus braços sejam esticados e ela esteja incapaz de se mover, completamente à minha mercê.

"Assim é melhor,” murmuro.

Eu finalmente pego o sorvete de creme de baunilha Ben & Jerry, suavemente subo de volta em cima da cama, e sento outra vez escarranchado em minha mulher,  que mais uma vez está nua embaixo de mim, assim como eu estou. Não há nada entre nós. Eu muito lentamente tiro a tampa do sorvete, e mergulho a colher dentro.

"Hmm... ainda é muito difícil,” eu digo erguendo minhas sobrancelhas. Eu pego uma colher cheia de  baunilha, e coloco em minha boca. "Delicioso,” murmuro, lambendo meus lábios. "Incrível como a velha boa baunilha pode ser saborosa,” eu digo olhando para ela sorrindo. "Quer um pouco?" Eu provoco minha mulher.

Ela acena timidamente para a minha pergunta. Eu pego outra colherada e ofereço-lhe, e ela abre a boca, mas rapidamente coloco a colher na minha própria boca de novo, brincando com ela.

"Isso é muito bom para compartilhar,” eu digo sorrindo maliciosamente.

"Hey," ela protesta.

"Por que, Srta. Steele, você gosta de sua baunilha?" Pergunto com duplo sentido.

"Sim,” diz ela com força e tenta demonstrar-me. Eu rio de sua reação ardente. "Ficando mal-humorada, não é? Eu não faria isso se eu fosse você,” eu digo.

"Sorvete,” ela pede.

"Bem, como você já me agradou muito hoje, Srta. Steele," eu digo e me rendo a ela,  oferecendo-lhe outra colherada e deixando os lábios se fecharem em torno da colher. Eu pego outra colherada e a alimento mais uma vez.

"Hmm, bem, esta é uma maneira de me assegurar que você come,” eu digo, acrescentando, "Forçá-la a alimentar-se. Eu poderia me acostumar com isso."

Eu tomo outra colherada e ofereço a ela, mas desta vez ela mantém os lábios fechados e balança a cabeça. Eu deixo o sorvete derreter na colher, e o sorvete derretido lentamente goteja em sua garganta, em seu peito. Eu mergulho para baixo e muito devagar o lambo. Ela se acende com o desejo.

"Mmm. Tem gosto ainda melhor em  você, Srta. Steele, " eu comento.

Anastasia puxa contra suas restrições, e sua pequena cama estala sob nosso peso. Seus olhos estão cheios de ardente desejo. Eu pego outra colherada e deixo o sorvete derreter novamente, deixando-o escorrer em seus seios. Com a parte de trás da colher, espalho os pingos sobre o peito e os mamilos.

Seus mamilos se animam e endurecem sob o frio do sorvete.

"Frio?" Pergunto suavemente curvando-me e lambendo e sugando o sorvete de seus mamilos e seios. Ela está fria com o sorvete, e quente sob os meus lábios, dando-lhe uma sensação incrível. É torturante e sensual, tudo ao mesmo tempo. Eu lentamente continuo meus cuidados, e a deliciosa tortura dos meus lábios, chupando duro, cheirando suavemente, enquanto os riachos de sorvete derretido escorrem de seu corpo, sobre a cama, e eu continuo  lambendo e chupando, enquanto ela está se contorcendo debaixo de mim e ofegando forte.

"Quer um pouco?" Eu digo, e antes que ela possa me responder, minha língua entra em sua boca, encontrando a dela, e começando  seus ataques deliciosos em sua boca, fazendo-a gemer de desejo.

Assim quando ela está ofegando por mais, eu sento, e arrasto uma colherada de sorvete no centro de seu corpo, em toda a sua barriga, e em seu umbigo, onde eu deposito uma grande dose de sorvete.

"Agora, você já fez isso antes,” eu digo enquanto meus olhos ardem dentro dela. "Você vai ter que ficar parada, ou haverá sorvete em toda parte na cama.” Sua respiração acelera com excitação e expectativa, e eu me inclino e beijo cada um de seus seios e chupo os mamilos muito forte, então sigo a linha de sorvete para baixo em seu corpo, chupando e lambendo em deliciosa tortura enquanto eu vou em frente.

Ela faz o seu melhor para permanecer imóvel, mas, meu toque, e as ministrações de minha língua, combinadas com o frio do sorvete, fazem ela se movimentar, e ela começa a oscilar, apanhada no encantamento. Eu vou para baixo e começo a comer o sorvete fora de sua barriga e redemoinho minha língua dentro e em torno de seu umbigo, deixando-a louca. Ela geme alto, mas eu continuo meus movimentos tentadores. Eu espalho o sorvete para baixo em seus pelos pubianos, e sobre seu clitóris. Ela grita bem alto com paixão e desejo, e excitação.

"Ah... Deus! Por favor... Christian."

"Eu sei, baby, eu sei,” eu respiro, enquanto trabalho a minha língua em seu sexo. Eu não paro e continuo atormentando-a, trabalhando minha magia, e ela sobe mais alto, e mais alto. Eu, então, deslizo um dedo dentro dela, e depois outro e começo a me mover, dolorosamente lento, para dentro e para fora.

"Bem aqui,” murmuro e ritmicamente esfrego a parede da frente de sua vagina, enquanto eu continuo meu implacável lamber e chupar,  fazendo finalmente Anastasia explodir em um orgasmo alucinante,  que a faz se contorcer e gemer. Nesse ponto eu paro minhas ministrações. Eu pairo sobre Anastasia e rasgo um pacote de preservativo, beliscando a ponta rolando-o  em meu comprimento, e então eu deslizo dentro de minha mulher duro e rápido.

"Oh, sim!" Gemo quando eu penetro nela. O resíduo de sorvete é pegajoso entre nós, mas ele cria uma sensação diferente, perturbadora. Depois de alguns golpes, eu saio de Anastasia, e a viro para baixo.

"Dessa forma,” murmuro e rapidamente deslizo dentro dela novamente, mas desta vez, eu não começo o meu ritmo punitivo imediatamente. Eu me inclino e solto suas mãos e puxo Anastasia na vertical,  para que ela praticamente esteja sentada de costas para mim. Minhas mãos se deslocam até seus seios, e eu os capturo dentro das palmas das minhas mãos. Eu começo puxando seus mamilos. Ela geme de prazer, e joga a cabeça para trás contra o meu ombro. Eu acaricio seu pescoço, mordendo, eu flexiono meus quadris, e dolorosamente devagar, eu entro nela de novo, enchendo-a até a borda.

"Você sabe o quanto você significa para mim?" Eu respiro em seu ouvido.

"Não,” ela diz, com seu suspiro ofegante.

Eu sorrio em seu pescoço, e os meus dedos se curvam em volta de seu queixo e sua garganta,  segurando forte por um momento. Ela sabe o quanto ela significa para mim! Eu mostrei a ela uma e outra vez! Eu atravessei o inferno por ela, eu movi céus e terra por ela. Eu morreria por ela!

"Sim, você sabe. Eu não vou deixar você ir,” eu digo com fervor.

Ela geme sabendo o meu pensamento, e eu pego a minha velocidade enquanto eu estoco nela, reivindicando a ela mais uma vez. Não é só foder. Não é só colocar minha reivindicação sobre ela. É a minha declaração de amor por ela, que ela é minha, e eu sou dela! É como se nós sempre pertencemos um ao outro, e com essa compreensão, eu sei que sempre será assim. Eu a amo mais do que palavras podem expressar!

"Você é minha, Anastasia!" Declaro
Your Love is King - Sade

"Sim, sua,” diz ela ofegante.

"Eu cuido do que é meu,” eu sibilo através dos meus dentes e mordo sua orelha possessivamente.

Ela grita.

"Assim, baby, eu quero ouvir você,” eu digo.

Eu envolvo minha mão em torno de sua cintura, enquanto seguro seu quadril com a outra mão, eu empurro nela mais e mais rápido, como se não houvesse amanhã, em um ritmo punitivo, fazendo-a gritar. Minha respiração acelera, mais forte, áspera como a dela.

Neste momento, ambos estamos cheios de sensações, intoxicados com a presença um do outro, fazendo  amor;  é completamente mágico. Ela é completamente minha, e eu sou completamente dela.

"Vamos lá, baby,” eu rosno entre dentes cerrados, e ambos encontramos nossa liberação juntos,  ao meu chamado.

Nós dois estamos enrolados uns contra os outro, e ela está nos meus braços em seus lençóis pegajosos. Minha frente está pressionada para suas costas, e como de costume, meu nariz está em seu cabelo, inalando seu perfume feminino profundamente.

"O que eu sinto por você me assusta,” ela sussurra me imobilizando completamente.

Isto é exatamente o que eu sinto por ela. Em sua presença, eu perco a razão. Eu não me importo com nada, nem mesmo com a minha própria vida. Ela é tudo em que eu penso, tudo que me importa! Sem ela, a vida é uma noite perpétua, sem nenhuma luz à vista. Nenhuma esperança. Com ela, eu sinto que posso conquistar o mundo. Ela é a minha maior força, assim como a minha maior fraqueza.

"Eu também, baby,” eu digo tranquilamente, reconhecendo meus próprios medos.

"E se você me deixar?” Ela pergunta em voz baixa horrorizada.

"Eu não vou a lugar nenhum. Eu não acho que eu poderia algum dia ficar cheio de você, Anastasia." Não é só isso. Sua presença me relaxa, me centra, como se eu fosse um planeta perdido, finalmente encontrando meu sol.

Ela se vira para olhar para mim. Eu tenho uma expressão séria, mas sincera. Eu sorrio, e eu coloco  uma mecha de seu cabelo atrás da orelha.

"Eu nunca me senti como quando você partiu, Anastasia. Gostaria de mover céu e terra para evitar esta sensação de novo,” eu confesso triste e confuso, lembrando-me de minha vida destroçada sob os meus pés, e como tudo parecia sombrio e a vida pareceu insuportável.

Ela beija-me novamente. Com a alegria de que ela está em meus braços, e a força que seu beijo me dá, eu pergunto: "Você vem comigo amanhã para a festa de verão do meu pai? É uma coisa anual de caridade. Eu disse que eu iria."

Ela sorri, mas de repente parece muito tímida.  

Baby I Love Your Way by Big Mountain

"Claro que eu vou,” diz ela, mas seu rosto cai, com alguma preocupação oculta.

"O que?" Eu sondo.

"Nada,” ela responde. Eu não vou aceitar! Ela é minha mulher! Se ela tem um problema, uma dificuldade, eu sou mais do que capaz de resolvê-la.

"Diga-me,” eu insisto. Caso contrário, minha mente vai correr livre e eu não gosto do que eu sou capaz de pensar.

"Não tenho nada para vestir,” ela responde. Ah bom. Isso pode ser resolvido com facilidade. Mas, lembrando de que eu não devolvi e mantive todas as suas roupas, e sabendo que ela me odeia comprando e lhe dando coisas, eu me sinto desconfortável.

"Não fique zangada, mas eu ainda tenho todas aquelas  roupas para você em casa. Tenho certeza de que há um par de vestidos lá,” eu digo.

Ela franze os lábios. "Você tem?” Ela murmura com uma voz sarcástica. Mas ela desiste, e se levanta.

Ela não está fugindo,  está?

"Onde você vai?" Eu pergunto.

"Tomar uma ducha,” ela responde docemente.

"Ah... nesse caso, posso me juntar a você?"  Ela sorri.

"Eu pensei que você ia."

 Quando saímos do chuveiro, eu ajudo Anastasia a trocar os lençóis da cama, e a ajudo a colocar lençóis limpos. Nós rastejamos sob os lençóis limpos e cheirando a brisa de primavera. Anastasia dá as costas para mim, e eu a puxo para o meu abraço em conchinha. Seus braços chegam atrás dela puxando minha cabeça para baixo. Ela torce a cabeça, expondo seu pescoço. Eu cheiro seu pescoço e eu encontro seus  lábios procurando os meus. Eu devolvo seu beijo, mas de repente nosso beijo se aprofunda, se adoça e vai em frente. Nós dois estamos sem fôlego no momento em que eu consigo interromper o beijo. "Deus, Ana! O que você está fazendo comigo? " Eu pergunto.

"Eu poderia dizer a mesma coisa para você,” ela responde.

"Você teve um longo dia. Vá dormir, baby,” eu digo. Eu cantarolo uma melodia suave para ela adormecer. Muito em breve, ambos afundamos no sono
Lullaby - Dixie Chix

Anastasia está se debatendo em meus braços, gritando.

"Não!" Ela começa gritando.

"Quem é você? Eu? Eu não sou ninguém... Você é ninguém, também...?” ela murmura em seu sono.

"Não, Deus! Não! ” Ela dá um grito de gelar o sangue.

"Ana!" Eu a sacudo, mas ela não acorda e continua a gritar como se tivesse visto o rosto do diabo.

"Jesus Cristo! Ana! Acorde, baby! " Eu agarro seus ombros e a sacudo acordando-a. Eu mal posso ver seu rosto nas luzes fracas que estão se infiltrando através das cortinas. Ela está inalando uma respiração agitada, olhando em volta com os olhos desnorteados.

"Baby, você está bem? Você estava tendo um pesadelo,” digo a ela.

"Oh,” ela responde. Acendo o abajur da mesa de cabeceira, e sua luz fraca nos banha. Eu olho para ela, meu rosto marcado com preocupação, por ela.

"A garota,” ela sussurra.

"Que é isso? Que garota? " Pergunto calmamente como se acalmasse um animal selvagem.

"Havia uma garota fora da SIP quando eu saí esta noite. Ela parecia comigo... mas não realmente ,” diz ela, e minha mente vai imediatamente para Leila.

"Quando foi isso?" Eu sussurro, completamente apavorado. Sento-me olhando para ela tentando obter toda a história dela.

"Quando eu saí esta tarde. Sabe quem é ela?” Ela pergunta.

"Sim,” eu digo enquanto eu passo a mão pelo meu cabelo, exasperado.

"Quem?" Anastasia pergunta.

Minha boca muda para uma linha esticada dura, e eu não digo nada. Eu não quero dar a ela o nome de uma ex, e perdê-la novamente. Eu não quero Anastasia fugindo de mim. Eu não posso lidar com isso de novo!

"Quem?" Ela sonda forçando.

"É Leila," confesso finalmente.

Anastasia engole seco com a compreensão. Ela já ouviu esse nome antes. A garota que alterou a minha seleção de músicas do  iPod. Isso é o que ela sabe, de qualquer maneira. Eu estou bastante tenso. Então, Leila tentou contatar Anastasia. Minhas preocupações estão provando serem certas. Anastasia olha para mim questionando como se perguntando o que está acontecendo.

"A garota que colocou 'Toxic' no seu iPod?” Ela pergunta. Oh merda! Ela lembrou. Eu olho para Anastasia ansiosamente. 
Toxic - Britney Spears

"Sim,” eu respondo. "Ela disse alguma coisa?" Eu pergunto.

"Ela disse, 'o que você tem que eu não tenho?’ E quando eu perguntei quem era ela, respondeu, 'ninguém'. "

Eu fecho meus olhos de dor. Então, isso confirma minha preocupação. Eu faço mal às pessoas. Eu possivelmente afetei outras mulheres que já estiveram na minha vida. Machuquei , e ela pode estar na situação em que ela está, por minha causa. Eu fui a causa dela reagir assim! Eu tenho que encontrá-la e levar-lhe a ajuda de que precisa! Isso é o mínimo que posso fazer por ela, considerando que é o meu estrago! Anastasia olha para mim ansiosamente quando eu saio da cama. Eu coloco meu jeans, e sigo para a sala de estar. É de manhã cedo. O relógio de Anastasia em sua mesa lateral marca cinco horas.

Ela rola para fora da cama atrás de mim. Quando ela sai, ela tem sua camisa vestida. Eu já chamei Welch. Ele responde ao terceiro toque.

"Welch!" Ele parece grogue, mas, assim que minha voz registra em sua cabeça, ele presta atenção.

"Sim, Sr. Grey,” ele responde completamente acordado.

Leila tentou entrar em contato com Anastasia fora da SIP," eu resumo.

"Anastasia?” Ele pergunta, mas percebe de quem eu estou falando. "Oh, Srta. Steele. Você disse fora da SIP? Quando, senhor? ” Pergunta ele.

"Sim, fora da SIP, ontem... no início da noite,” eu respondo tranquilamente. À medida em que Anastasia se move para a cozinha, dirijo-me a ela e pergunto: "Que horas exatamente?"

"Umas  05:50 h,” ela murmura em um tom interrogativo. O meu olhar está sobre Anastasia, sem deixá-la fora da minha vista por um segundo. O que ela está pensando?

"Você sabe como ela descobriu a senhorita Steele, ou seu local de trabalho, senhor?"

"Esse é o seu trabalho. Descubra como... "

"Ela é muito astuta, senhor. Você acha que a senhorita Steele está em perigo por causa dela?"

"Sim... Eu não teria dito isso, mas eu não teria pensado antes que ela poderia fazer isso." Eu fecho os olhos de dor. Leila pode prejudicar-se lá fora, mas receio que ela também possa tentar prejudicar Anastasia. O pensamento é assustador e perturbador.

"Que ação você deseja que tomemos senhor? Claramente ela não está em seu juízo perfeito. O que você acha que ela pode fazer agora? "

"Eu não sei como isso vai ficar...” digo.

"Senhor, você deveria deixar a senhorita Steele saber que ela pode estar em perigo. É importante que ela esteja vigilante," Welch me previne.

"Sim, eu vou falar com ela..." Eu concordo.

"É muito sério, senhor. Se ela é capaz de encontrar o trabalho da Srta. Steele, quando não podemos encontrar onde ela está, com um monte de homens capazes procurando por ela, isto mostra que a situação é extremamente grave, senhor. "

"Sim... eu sei..."

"Nós vamos apurar a informação que você forneceu, e verificar as câmeras de segurança da SIP, senhor."

"Siga em frente e deixe-me saber. Basta encontrá-la, Welch... ela  está  em  apuros.  Encontre-a,” eu digo e desligo.

Eu ouço a chaleira de chá de Anastasia assobiando.

"Você quer um pouco de chá?" Ela me pergunta impassível.

"Na verdade, eu gostaria de voltar para a cama,” eu digo olhando para ela de forma significativa, indicando apenas para que eu quero ir para a cama, e não é para dormir. Depois dos eventos desta manhã, eu só quero esquecer tudo, e me perder em Anastasia. Ela é a minha panacéia  (N.T. deusa da cura. O termo Panacéia também é muito utilizado com o significado de remédio para todos os males)  para todos os problemas.

Mas Anastasia, sendo Anastasia diz: "Bem, eu preciso de um pouco de chá. Você gostaria também de uma xícara? " Oh Deus! Ela vai para a Inquisição espanhola. Ela está refutando meu pedido de sexo. Passo a mão pelo meu cabelo de novo, mais uma vez, exasperado. Mas, finalmente, digo: "Sim, por favor,” e minha irritação já está na minha voz.

Ela sente meus olhos sobre ela. Eu me sinto incerto sobre sua possível reação ao que está acontecendo agora, e minha raiva é muito palpável por Leila, por ir e assediar Anastasia no trabalho.

"O que é isso?” Ela pergunta-me suavemente.

Eu balanço minha cabeça.

"Você não vai me dizer?” Ela pergunta.

Eu suspiro, e fecho os olhos, "Não,” eu respondo.

"Por quê?” Ela sonda mais.

"Porque não devo preocupar você. Eu não quero  você misturada nisso,” eu respondo. Este é um problema de minha própria criação, e que eu deverei ser o único a resolver.

"Não deve preocupar-me, mas preocupou. Ela me encontrou e me abordou fora do meu escritório. Como ela sabe sobre mim? Como ela sabe onde eu trabalho? Eu acho que tenho o direito de saber o que está acontecendo,” ela defende sua posição.

Passo a mão pelo meu cabelo de novo, completamente frustrado, sabendo que ela está certa, e eu tenho uma luta interna entre contar a Anastasia o que está acontecendo, e quanto do que está acontecendo, ou dizer-lhe tudo. Eu não quero que ela vá embora, se ela não gostar do que ela descobrir.

"Por favor,” ela pede baixinho. Minha boca está definida em uma linha dura desagradável, e eu rolo meus olhos para ela, finalmente, aquiescendo.

"Ok," eu digo, resignado. "Eu não tenho idéia de como ela encontrou você. Talvez a nossa fotografia  em Portland, eu não sei." Eu suspiro, completamente frustrado comigo mesmo, por colocá-la diretamente na linha de perigo.

Anastasia silenciosamente espera por mim para dizer algo enquanto ela despeja água fervente no bule, e eu ando para trás e para frente, em frustração. Finalmente eu encontro a minha voz para explicar o que aconteceu enquanto eu estava na Geórgia com ela.

"Enquanto eu estava com você na Geórgia, Leila apareceu no meu apartamento sem avisar e fez uma cena na frente de Gail."

"Gail,” ela pergunta confusa.

"Sra. Jones. "

"O que você quer dizer com 'fez uma cena',” ela pergunta.

Eu a encaro, tentando pensar o quanto dizer a ela, ou lhe dizer qualquer outra coisa.

"Diga-me. Você está escondendo algo,” diz ela, em tom enérgico. Eu pisco com sua tenacidade, completamente surpreso. "Ana, Eu - " Eu digo e paro. Eu não quero dizer a ela mais do que ela precisa saber, e envolvê-la em meus problemas.

"Por favor,” ela pergunta.

Eu suspiro, sabendo-me derrotado. "Ela fez uma tentativa aleatória de abrir o pulso."

“Oh, não,” ela exclama.

"Gail levou-a ao hospital. Mas Leila desapareceu antes que eu pudesse chegar lá.

Anastasia adquire um olhar de pânico em seu rosto, a boca aberta, sem saber o que dizer.

"O psiquiatra que a viu chamou de um grito típico por ajuda. Ele não acredita que ela esteja verdadeiramente em risco - a um passo da ideação suicida, ele chamou. Mas eu não estou convencido. Eu tenho tentado localizá-la desde então, fazer com que ela receba alguma ajuda."

"Ela disse alguma coisa para a Sra. Jones?" Pergunta Anastasia.

Eu olho para ela. Eu não estou me sentindo confortável deixando Anastasia saber tudo. Por outro lado, estou com muito medo dela fugindo. Fugindo de mim. Onde isso me deixa? No mesmo inferno perpétuo onde estive toda a semana passada, e se eu não pude aguentar  uma semana, como vou aguentar ainda mais tempo?

"Não muito,” eu finalmente digo.

Anastasia ocupa-se colocando o chá nas xícaras. Ela olha apreensiva, preocupada, mas mantém a compostura.

"Você não pode encontrá-la? E sua família?” Ela pergunta.

"Eles não sabem onde ela está. Nem seu marido," eu digo.

"Marido?" Anastasia diz chocada.

"Sim,” eu digo distraído, “ela foi casada por cerca de dois anos,” eu respondo.

Anastasia vira para mim abruptamente com uma expressão completamente chocada. "Então, ela estava com você enquanto estava casada,” ela olha para mim como se dissesse: "Você não tem decência?" Como ela pode pensar isso de mim?

"Não! Bom Deus, não. Ela esteve comigo há quase três anos. Então ela saiu e se casou com o cara logo depois, " eu respondo a sua pergunta falada e não falada.

Ela dá um visível suspiro de alívio. "Então, por que ela está tentando obter sua atenção agora?” Ela pergunta.

Eu balanço minha cabeça tristemente, sabendo que tinha que ser algo que eu posso ter feito para ela. "Eu não sei. Tudo o que conseguimos descobrir é que ela fugiu de seu marido há quatro meses. "

"Deixe-me ver se entendi. Ela não é sua submissa há três anos? " pergunta Anastasia.

"Há cerca de dois anos e meio," eu a corrijo.

"E ela queria mais,” ela sonda novamente.

"Sim,” eu respondo com sinceridade.

"Mas você não?” Ela pergunta mais.

"Você sabe disso,” eu respondo, confirmando.

"Então, ela deixou você,” conclui Anastasia.

"Sim,” eu confirmo.

"Então, por que ela está vindo para você agora?” Ela faz a pergunta que está me incomodando o tempo todo. Por que eu? Por que agora? E o mais importante, o que eu fiz para ela?

"Eu não sei,” eu digo, mas não antes de minha voz mostrar que eu tenho uma teoria.

"Mas você suspeita...” diz Anastasia, interpretando corretamente o meu significado.

Meus olhos se estreitam, com raiva voltada para mim e Leila. "Eu suspeito que teria algo a ver com você,” eu digo a ela. Eu quero Anastasia segura, e o fato de que ela pode estar em perigo por minha causa, traz toda a minha raiva para a superfície. Anastasia parece surpresa. Alguma emoção sem nome atravessa seu rosto. Não medo, mas outra coisa. Ela olha para mim. Eu acabo de perceber que Anastasia conheceu Leila ontem, e ela poderia ter tido suas suspeitas sobre quem era ela, sabendo o quão brilhante ela é. Por que então ela não me falou sobre isso quando me viu?

"Por que você não me contou ontem?" Eu pergunto baixinho.

"Eu esqueci dela,” diz ela se desculpando. "Você sabe, bebidas depois do trabalho no final da minha primeira semana. Você aparecendo no bar e sua... corrida de testosterona com Jack e quando nós estávamos aqui. Ela fugiu da  minha mente. Você tem o hábito de fazer-me esquecer as coisas,” ela explica com verdadeira facilidade.

"Corrida de testosterona?" Eu digo enquanto meus lábios se contorcem em um sorriso.

"Sim. O concurso de mijar,” explica ainda.

"Eu vou te mostrar uma corrida de testosterona,” eu digo lascivamente.

"Não prefere tomar uma xícara de chá?” Ela pergunta. É mesmo uma opção? Agora, com o stress recém-adicionado, tudo que eu quero fazer é levar a minha mulher para a cama, e dispersar meus pensamentos e fodê-la por toda a próxima semana.

"Não, Anastasia, eu não quero,” eu respondo com desejo. Meus olhos queimam nos dela, queimando-a com o meu olhar eu-quero-você-e-eu-porra-quero-você-agora-assim-lide-com-isso.

"Esqueça dela. Venha,” eu digo estendendo a minha mão para Anastasia. Vamos voltar para a cama, e eu tenho certeza de que nós dois vamos esquecer Leila, e toda a tristeza que ela nos deu nos últimos dias.

********

Quando as luzes da manhã filtram-se através de suas cortinas, eu me encontro envolvido em torno de Anastasia, nossas pernas emaranhadas. Anastasia já está acordada, e quando eu abro meus olhos para olhar para os dela, ela sorri para mim e diz: "Oi,” rindo, culpada de alguma coisa. Eu tenho uma sensação de que algo aconteceu. O que ela fez?

"Oi,” eu respondo com cautela. "O que você está fazendo?"

"Olhando para você,” diz ela passando os dedos no meu caminho feliz. Eu capturo sua mão, estreito meus olhos, e então sorrio para ela. Será que ela estava tentando me tocar? Garota travessa,  deliciosa, irresistível!

Eu passo para cima dela em um flash, e pressiono-a contra o colchão, as minhas mãos sobre ela em um aviso doce. Eu esfrego seu nariz com o meu.

"Eu acho que você não estava fazendo nada de bom, Srta. Steele," eu digo acusador, mas ainda sorrindo. Desde que eu não tenho prova, vamos deixar por isso mesmo.

"Eu gosto de não fazer nada de bom perto de você,” responde ela, o doce diabinho, inegavelmente sexy.

"Gosta?" Pergunto beijando-a levemente nos lábios. "Sexo ou café da manhã?" Eu pergunto, com os meus olhos escuros, mas bem-humorados. Minha ereção está cavando nela como se tivesse vontade própria. Ela, então, inclina a pélvis para cima para encontrar a minha, fazendo sua escolha.

"Boa escolha,” murmuro contra a garganta de minha mulher, e eu começo arrastando beijos até seu peito.

********

 Depois da nossa manhã bastante movimentada com o sexo, nós tomamos nossa ducha juntos, ainda incapazes de manter nossas mãos longe um do outro. Quando finalmente saímos do chuveiro, nós secamos um ao outro com as toalhas de Anastasia. Ela se dirige para o quarto, envolta em um pedaço de toalha, o cabelo empilhado e envolto em outra toalha. Ela está diante de sua cômoda, finalmente tentando secar os cabelos com a toalha. Em seguida, ela tenta pentear e dar forma a seu cabelo longo. Ela vestiu calças jeans de cintura baixa, e uma t-shirt, e eu estou me vestindo atrás dela. Ela olha para o meu corpo através de seu espelho, avaliadora.

"Quantas vezes você malha?” Ela pergunta.

"Cada dia da semana,” eu respondo enquanto estou abotoando minha braguilha.

"O que você faz?"

"Corro, pesos, kickbox," eu digo dando de ombros.

"Kickbox?” ela pergunta.

"Sim, eu tenho um personal trainer, um ex-atleta Olímpico, que me ensina. Seu nome é Claude. Ele é muito bom. Você gostaria dele." Eu digo.

Ela se vira para olhar para mim enquanto eu abotoo minha camisa branca.

"O que você quer dizer com  eu gostaria dele?"

"Você gostaria dele como treinador,” eu respondo.

"Por que eu preciso de um personal trainer? Eu tenho você para me manter em forma," ela diz sorrindo para mim.

Eu caminho até ela, e envolvo meus braços em volta de sua cintura e nossos olhares travam um no outro no espelho.

"Mas eu quero você em forma, baby, para o que eu tenho em mente. Eu preciso de você  para se manter,” eu digo, e ela cora sabendo o significado muito bem. Ela olha nos meus olhos com os seus olhos azul bebê.

"Você sabe que você quer," eu falo para ela sem som. Ela cora. Ela aperta os lábios como se algo indesejável estivesse turvando seus pensamentos. Eu franzo a testa para ela.

“O que?" Pergunto a causa.

"Nada,” diz ela balançando a cabeça para mim. "Ok, eu vou encontrar Claude,” ela consente.

Sua resposta me pega completamente de surpresa. "Você vai?" Eu pergunto com meu rosto se iluminando, completamente atônito, incrédulo. Seu sorriso de resposta é brilhante. Eu sinto que eu ganhei o grande prêmio de todas as namoradas.

"Sim, caramba - se isso te faz feliz,” zomba.

Eu aperto meus braços em torno dela e beijo sua bochecha. "Você não tem idéia,” eu sussurro. "Então - o que gostaria de fazer hoje?" eu pergunto enquanto eu a acaricio.

"Eu gostaria de cortar meu cabelo, e um... eu preciso depositar um cheque e comprar um carro,” diz ela.

"Ah,” eu respondo mordendo o lábio. Eu tiro uma das mãos de cima dela, e coloco no bolso e pego a chave do seu  Audi.

"Ele está aqui,” eu digo baixinho, sem saber como ela vai reagir.

"O que quer dizer, ele está aqui?” Diz ela com raiva crescente.

"Taylor trouxe de volta ontem,” eu respondo. Ela abre a boca e fecha novamente. Abre e fecha, incapaz de obter suas palavras. Ela abre e fecha mais uma vez, completamente, totalmente sem palavras, o que  não é frequente em Anastasia. Ela finalmente põe a mão no bolso de trás da calça jeans, e pega o envelope que eu lhe dei.

"Tome, isto é  seu,” diz ela.

Eu olho para ela questionando, olhando para o envelope que lhe dei com o cheque nele.

"Oh, não. Esse é o seu dinheiro,” eu digo.

"Não, não é. Eu gostaria de comprar o carro de você,” ela responde. O que há com ela e presentes? Por que ela não pode simplesmente pegar o que eu dou a ela? Eu sou tão repulsivo, ou os meus presentes são? Minha expressão se altera para uma de fúria.

"Não, Anastasia. Seu dinheiro, seu carro," eu exclamo para ela. Você está me matando aqui! Pegue o maldito carro! 

Killing me Softly - Roberta Flack

"Não, Christian. Meu dinheiro, seu carro. Eu vou comprar ele de você,” ela responde.

"Eu lhe dei o carro como seu presente de formatura," eu sibilo para ela.

"Se você tivesse me dado uma caneta - isto seria um presente de formatura adequado. Você me deu um Audi ,” ela sibila de volta.

"Você realmente quer discutir sobre isso?" Eu a questiono. Vou dar a minha namorada a merda que eu bem entender! Por que ela tem que colocar limitações sobre o que e quanto eu posso fazer por ela?

"Não."

"Bom - aqui estão as chaves,” eu digo e coloco as chaves em cima de sua cômoda.

"Isso não é o que eu quis dizer!” ela grita.

"Fim da discussão, Anastasia. Não me pressione," eu sibilo de volta para ela.

Ela fecha a cara para mim, depois pega o envelope que lhe dei contendo seu cheque não depositado, e rasga-o em dois! Eu olho para ela, impassível. Baby, você está testando minha paciência, e empurrando os meus limites! Mas, você não vai ganhar esta discussão. Eu coço meu queixo, pensativo.

"Você está, como sempre, desafiando, Srta. Steele," eu digo secamente. Mas, espere até você descobrir o que eu posso fazer. Eu giro em meus calcanhares, e avanço para a sala. Eu encontro o meu Blackberry, e pressiono um botão de discagem rápida para chamar Andrea.

"Bom dia, Sr. Grey,” ela responde alegremente.

"Andrea, eu tenho um trabalho para você, e eu preciso que isso seja feito o mais rápido possível."

"Sim, senhor. O que eu posso fazer por você? "

"Eu quero que você deposite vinte e quatro mil dólares na conta corrente de Anastasia Steele."

"Sim, senhor. Deixe-me confirmar o valor. Você disse para depositar vinte e quatro mil dólares na conta corrente de Anastasia Steele? "

"Sim, vinte e quatro mil dólares. Diretamente. "

"Confirmado senhor. O mais cedo que este procedimento pode ser concluído é quando os bancos abrirem na segunda-feira." Eu noto que Anastasia entrou na sala e, olhando para mim com curiosidade, ouve minha conversa.

Olho para ela com o olhar ainda impassível.

"Bom... Segunda-feira? "

"Sim, senhor, segunda-feira."

"Excelente."

"Qualquer outra coisa que eu possa fazer por você, senhor?” Ela pergunta.

"Não, é tudo, Andrea,” eu respondo antes de desligar.

"Depositado em sua conta bancária, segunda-feira. Não brinque comigo,” eu digo fervendo de zangado com ela.

"Vinte e quatro mil dólares!" Ela está gritando comigo. "E como você sabe o meu número de conta?" Estou surpreso com a reação fervorosa dela.

"Eu sei tudo sobre você, Anastasia,” digo em voz baixa.

"Não há nenhuma maneira que meu carro valia vinte e quatro mil dólares,” ela sussurra.

"Eu concordaria com você, mas trata-se de conhecer o  mercado, se você está comprando ou vendendo. Algum lunático aí fora queria a armadilha de morte e estava disposto a pagar essa quantia de dinheiro. Aparentemente é um clássico. Pergunte a Taylor se você não acredita em mim,” eu digo bastante convincente.

Ela me encara e eu a encaro de volta. Dois amantes zangados, teimosos olhando um para o outro. De repente, a carga, a eletricidade entre nós cresce mais forte com as elevadas emoções, atraindo-nos um para o outro. De repente, eu a agarro, e empurro a minha mulher contra a porta, minha boca na dela, reivindicando-a avidamente, com uma das minhas mãos atrás de sua bunda, pressionando-a para minha virilha, e a outra mão viaja para seu cabelo, na nuca, e eu puxo sua cabeça para trás. Suas mãos viajam no meu cabelo, me puxando para ela. A paixão sobe exponencialmente em mim, e eu grudo meu corpo no dela, efetivamente aprisionando-a, enquanto a minha respiração irregular sai com todas as emoções exacerbadas. Eu a quero, e Deus, eu quero essa mulher agora! Eu nunca vou ter o suficiente dela. Tudo o que ela diz ou faz me excita! Mesmo ela me desafiando! Tudo! Ela me possui!

"Por que, por que você me desafia?" Murmuro entre nossos beijos acalorados. Ela me beija apaixonadamente de volta, correspondendo ao meu fervor com sua paixão.


"Porque eu posso,” diz ela com uma voz ofegante. Sua resposta me faz sorrir contra seu pescoço. Eu pressiono minha testa na dela. Ela fodidamente me excita, e me põe em chamas com cada uma de suas expressões, cada movimento seu, cada respiração sua!  

I’m on Fire by Bruce Sprinsteen

"Oh Senhor, eu quero ter você agora, mas eu estou sem preservativos. Eu nunca me canso de você. Você é uma mulher enlouquecedora,  enlouquecedora ,” declaro.

"E você me deixa louca,” ela sussurra. "Em todos os sentidos," mas ela tem paixão em seu tom de voz, e eu suspeito, minha zanga a excita também. Temos o mesmo efeito um sobre o outro. Estamos queimando um pelo outro.

Eu balanço minha cabeça. "Venha. Vamos sair para o café da manhã. E eu conheço um lugar onde você pode obter o seu corte de cabelo, " eu digo.

"Certo,” ela concorda, e nossa briga está efetivamente encerrada.

*******

Após o café da manhã, a garçonete traz a conta, e Anastasia rapidamente pega dizendo "eu vou pagar isso." Eu fecho a cara para ela. Por que ela não me deixa cuidar dela?

"Você tem que ser rápido por aqui, Grey,” diz ela.

"Você está certa, eu tenho,” eu digo em uma nota ácida, provocando-a. Ela me excita, ela me deixa louco, e ela me faz eu me apaixonar por ela novamente, a cada maldito segundo do dia!

"Não fique zangado. estou vinte e quatro mil dólares mais rica do que eu era hoje de manhã. Eu posso pagar,” diz ela olhando para a nota e, acrescenta, “vinte dois dólares e sessenta e sete centavos pelo  café da manhã. "

"Obrigado,” eu digo de má vontade.

"Para onde vamos agora?” Ela pergunta.

"Você realmente quer seu corte de cabelo?"

"Sim, olhe para ele,” diz ela mostrando-me as pontas de seu cabelo.

"Você parece linda para mim. Você sempre parece,” eu digo com sinceridade. Minha resposta a faz corar e ela olha para baixo para seus dedos no colo. "E há o evento do seu pai esta noite,” diz ela. Oh, minha doce mulher! Ela quer mostrar o seu melhor!

"Lembre-se, gravata preta," eu a lembro.

"Onde vai ser?” Ela pergunta.

"Na casa dos meus pais. Eles têm um toldo. Você sabe, as obras de caridade ".

"Qual é a obra de caridade?"

Pois bem, a caridade na verdade é em minha honra. Meus pais a criaram. Esfrego as mãos nas minhas coxas, desconfortavelmente.

"É um programa de reabilitação de drogas, para pais com filhos pequenos chamado Coping Together (N.T.Cuidando Juntos),” eu digo.

"Soa como uma boa causa,” responde ela baixinho.

"Vamos, vamos,” eu levanto, encerrando o assunto de forma eficaz. Eu estendo a minha mão para ela, e logo que seus dedos tocam os meus, eu fecho meus dedos sobre os dela com força. Eu a levo para fora do restaurante, e andamos na rua. O clima está perfeito. É uma manhã leve. O sol está brilhando, o ar cheira a café da manhã  e pão fresco das confeitarias próximas.

"Para onde vamos?” Ela pergunta.

"Surpresa,” eu respondo.

Nós descemos mais dois blocos e as lojas agora parecem mais sofisticadas, mais exclusivas. Eu paro na frente de um salão de beleza chamado Esclava. Eu abro a porta para ela. Eu realmente sou o proprietário deste lugar, junto com Elena. Anastasia entra no prédio, e ela entra no interior todo em  branco e couro. Na recepção toda branca, senta-se uma jovem loura, em um uniforme branco brilhante. Ela levanta os olhos quando Anastasia e eu entramos no prédio. Ela se ilumina quando o reconhecimento atinge seu rosto.

"Bom dia, Sr. Grey,” diz ela.

"Olá, Greta,” eu respondo.

"É o de costume, senhor?" Ela me pergunta educadamente. Ou seja, todos os trabalhos de depilar, e aparar para minhas subs.

"Não,” eu digo rapidamente, enquanto eu nervosamente olho para Anastasia, na esperança de que ela não entenda o significado oculto.

"A Srta. Steele vai dizer o que ela quer,” eu digo para ela, uma espécie de me esquivando da bala. Anastasia me olha. Ela é muito inteligente para perder o significado. Merda!

"Por que aqui?” Ela sussurra para mim.

"Eu sou o dono deste lugar, e mais três como ele," Eu digo com a esperança de desviar a atenção dela.

"Você é o dono,” ela suspira com surpresa.

"Sim. É uma linha paralela. De qualquer maneira - o que você quiser, você pode tê-lo aqui, na casa. Todos os tipos de massagens; banho sueco, shiatsu, pedras quentes, reflexologia, algas, tratamentos faciais, tudo o que as mulheres gostam - tudo. É feito aqui,” eu digo, agitando meus dedos com desdém, na esperança de que ela esteja distraída o suficiente.

"Depilação?” ela pergunta.

Eu rio de sua pergunta. "Sim, depilação, também. Em todos os lugares,” eu sussurro no seu ouvido, conspiratório, e por um momento ela parece desconfortável. Anastasia cora  e olha para Greta e Greta olha para Anastasia,  na expectativa.

"Eu gostaria de um corte de cabelo, por favor,” ela finalmente diz.

"Certamente, Srta. Steele," Greta responde.

Greta verifica a tela de seu computador, e diz: "Franco estará livre em cinco minutos."

"Franco é ótimo," eu digo a Anastasia para tranqüilizá-la. Ele é excelente na verdade. Anastasia dá uma olhada em mim. De repente, eu empalideço quando meus olhos percebem Elena! Ela não deveria estar aqui hoje! Ela deveria estar trabalhando no outro salão!

Elena tem seu cabelo impecavelmente cortado,  louro platinum, e ela está com seu uniforme de trabalho todo preto.

"Desculpe-me,” murmuro enquanto  eu me apresso para longe, para falar com Elena.

Quando eu chego até Elena, ela percebe a minha presença e sorri para mim calorosamente.

"Olá, Christian! Que agradável surpresa!” Diz ela, enquanto ela se aproxima, beijando-me em ambas as bochechas. A última vez que eu falei com Elena foi quando eu gritei com ela pelo telefone, no dia em que  Anastasia me deixou.

"Olá, Elena," Eu digo com ansiedade e raiva mal reprimida, sabendo que Anastasia a odeia , e ela está aqui entre todos os lugares no mundo. Elena nota a presença de Anastasia e ela  olha inquieta em torno do lugar.

"Você tem uma nova sub?” ela pergunta.

"Eu não tenho uma nova sub. Essa é a minha namorada, Anastasia," eu digo. Elena levanta os olhos para dar um outro olhar para Ana, sorrindo educadamente.

"Eu entendo que vocês dois voltaram. Eu estou tão feliz por você, Christian. Eu gostaria de conhecê-la!” diz ela dando um passo.

"Elena! Pare! Eu não quero que você a conheça! Ela detesta você. Na verdade, você poderia simplesmente desaparecer enquanto ela está tendo seu corte de cabelo aqui? Eu não quero uma cena, e ela não pode saber que você é, bem,  você!" eu digo.

"Mas, por que Christian? Se ela me conhecer, ela provavelmente gostará de mim!" Estou zangado, ficando mais furioso a cada minuto.

"Não agora, Elena! Eu não quero esse problema hoje. Deixe como está! Simplesmente desapareça, ok? " Eu digo.

"Claro, Christian,” diz ela levantando as mãos concordando, sorrindo para mim. "Sua amizade é muito importante para mim. Se isso vai lhe  fazer feliz, é claro que vou respeitar os seus desejos,” diz ela. Sua resposta me faz feliz, e eu sorrio para ela. Então eu olho para Anastasia, que tem um olhar horrorizado no rosto. Ela sabe que eu estou falando com a Sra. Robinson! Merda! Estou na maior merda! Ela está com raiva e ela se machucou! Eu fodi com tudo de novo!  

Heartbreaker - Taio Cruz

Comentário que a Emine publicou nos ‘Comments’ da versão em inglês,  que eu achei bem interessante, e resolvi colocar aqui para dividir com vocês:

Emine Fougner disse :

Eu estive fazendo um pouco de matemática sobre Christian, na última noite. Matemática?  você pode perguntar. Bem, eu tinha que descobrir alguns números, a fim de determinar a duração de seus relacionamentos  de curto e longo prazo.

Nos livros, Christian mencionou que teve quatro relacionamentos de longo prazo, além de Elena, no decorrer dos últimos 6 anos (ele e Elena se separaram quando ele tinha 21). Ele teve 15 mulheres, desde então, em sua sala de jogos (que não inclui o número de mulheres que ele teve quando ele estava treinando fora de sua sala de jogos). Lembrando que ele tem um período experimental de três meses de contrato, eu queria descobrir o que "longo prazo" significava para Christian. Se ele só teve quatro relacionamentos  de longo prazo, isto significa que ele ficou com essas mulheres mais de três meses do contrato, e, possivelmente, em uma segunda ou terceira prorrogação. Os 11 restantes têm que ter sido limitados apenas aos 3 meses de contrato. Isso fazem 33 meses que se traduzem em 2,75 anos. (2 anos e 9 meses). Isso nos dá  3 anos e 3 meses para dividir entre as outras quatro subs (você vê onde eu quero chegar?)  Portanto, nenhuma das outras relações de "longo prazo" durou mais de um ano.

E eu não acredito que ele teve subs em todos os 6 anos: você deve se lembrar que ele disse que pagou por sexo, quando ele estava treinando para ser um Dom/Sub nos arredores de Seattle. Ele poderia ter passado 3-6 meses fazendo isso. Então, vamos supor que ele fez isso por três meses (eu acho que foi mais considerando que ele teve dezenas de outras mulheres durante o período de formação – ugh...  Eu acho nojento, mas temos que descobrir os números e contratos). O que só nos deixa com três anos para dividir entre as quatro outras subs, e eu estou sendo generosa com isso. Se todas elas tinham contratos iguais, isto lhes dá nove meses a cada para estar com Christian. Então, agora sabemos que "a longo prazo" para o Christian significa 9 meses, em média. Viu  como a matemática é útil?  :))

Nós sabemos o tipo de relacionamento que ele teve com Elena. Assim, afinal, a única relação madura e verdadeira que ele teve foi ​​com Anastasia. Tenha a informação acima em mente quando eu mostrar algo na próxima semana de Christian e o relacionamento com uma das subs. Você me perguntou como eu consegui entendê-lo: Bem, eu comecei com alguns livros de psicologia, e pelo que eu pude perceber, as pessoas que foram danificadas em seus primeiros anos de infância, ou que tinham recebido  tão pouco amor de suas famílias biológicas,  acabam com alguns vícios (álcool, drogas ou sexo). Na parte sexual, eles procuram uma certa conexão, e esta é a sua maneira de conseguir o amor que não receberam, e eles fazem isso muitas vezes para sentir essa conexão, porque eles estão literalmente famintos por uma certa forma de afeição. Para uma pessoa normal não é, obviamente, natural, porque nós aprendemos a sentir o amor de nossos pais, irmãos, cônjuges, namorado/namorada, amigos, etc. Mas porque lhes falta essa conexão, esta chave não está ligada, eles constantemente tentam sentir uma forma de amor (Imagine um diabético. Quando o corpo normalmente não pode processar o açúcar, com a sua própria insulina, você tem que suplementá-lo constantemente para obter esse nível. É tipo isto para eles... porque eles não podem processá-lo mentalmente, eles têm de alimentar o corpo constantemente com esta forma de ‘amor’ e eles nem sequer percebem isso), e eles encontram esta conexão no sexo.

Uma vez que Christian Grey nunca realmente sentiu amor, claramente algo estava sempre faltando e é por isso que ele nunca formou uma relação duradoura com uma das subs, e também sabemos que ele teve outros problemas. No final, Anastasia tinha sido a única que quebrou todas as barreiras, e deu-lhe o verdadeiro amor. É por isso que vocês amam os livros. Ele aprende a amar no sentido correto da palavra, e então, o que ele aprendeu de relacionamentos anteriores,  é usado para melhorar o relacionamento e zás, é elevado a níveis incríveis.

Vê  o que você pode aprender com estes livros? Aprendemos a analisar personagens, e entender os porquês e como.   ;)   OK, na próxima semana, teremos alguma coisa, mas eu queria dizer a você tudo isso,  para que você saiba como eu fiz todas essas avaliações sobre Christian,  quando você ler o que eu escrevi sobre ele e uma das subs.



22 comments:

Anonymous said...

Obrigada tanto pela tradução,eu estou apaixonada pelos estes livros são viciades e apaixonantes...
Porque A Elena nesse capitulo meter se tanto com a Anastasia?

Neusa Reis said...

Anonymous, aguarde os próximos capítulos que você vai entender cada vez melhor. Eu estou sempre lendo a resposta da Emine aos comments dos capítulos em inglês e toda vez que ela colocar algo que eu ache que explique melhor, eu vou traduzir e colocar aqui. E leia as respostas que a Emine e eu colocamos nos capítulos já passados, mesmo que antigos. Sempre tem novidades por lá. Obrigada por estar lendo. Como eu já disse várias vêzes, eu odeio Mrs. Robinson.

PATRICIA said...

OI ESTOU ADORANDO OBRIGADA

Jordana Sirlaide said...

Estou adorando os livros. já ansiosa pelo próximo capítulo.
Parabéns Neusa pela iniciativa de traduzir o livro. Ótima tradução!!!

Bjos

Jordana Sirlaide said...

Estou adorando ler esta versão do livro. Parabéns Eminé, é tudo fantástico!!! Parabéns Neusa pela tradução (q é ótimaaa!!).
Já estou ansiosa pelo próximo capítulo.

Bjs

Anonymous said...

Excelente trabalho!!! Estou indicando para todas amigas que amam CG!!!,

Renata Santos said...

Neusa, parabéns pelo seu trabalho, nunca me cansarei de elogiá-la, pode ter certeza.
Muito interessante compreender a força que um verdadeiro amor tem sobre as pessoas, essa estoria nos mostra que sim, é possível uma pessoa melhorar e evoluir - não digo mais a palavra mudar quando se trata de relacionamentos, bastando apenas que estas se predisponham a fazer.
Como Flynn disse: amar é dar sem esperar nada em troca.

Até os próximos capítulos, ganhou uma fã!

anne caroline godoi said...

A autora deveria ter feito essa matemática da Eminé,pois no livro ela fala que o Christian passou dois anos e meio com a Leila. Adoro esse comentários da autora,são bem explicativo.
O capitulo ficou uma delicia....

Eminé Fougner @ Cowboyland said...

You see Anne, I have seen some discrepancies in the book that cannot hold true; and the 2.5 years is one of them. It simply can't hold true. Christian is 27 years old. He's had 4 long term relationships, and 15 submissives in his house which doesn't doesn't include other women he's had. That makes me think that he has had periods of time (like the time he met Ana) he was without a sub.

I believe the book says, he hasn't been with Leila for 2.5 years. I don't think it says he's been with her that long. Because, it's simply not plausible. Can you imagine if his long terms were even 1 year and he had 4 of those, that makes 4 years. There are 11 more women he's had relationships with, the minimum being 3 months trial. A total of 6 years since Mrs. robinson. That means we'd have to divide 2 years between 11 women. Not plausible. If Leila took 2.5 years, and the other long terms took 1 year, that ends up being 5.5 years, and that leaves only 6 months for 11 other women. You see what I mean?

that's why I research the topics before I adapt into his point of view. You'll see it in the Charlie Tango incident as well. I found some concepts that were against the mechanics of the EC 135. I've read all the manuals before I wrote the chapter. Because I want to offer you the most plausible story.

I hope this helps to understand why there may be sometimes differences between what is said in the original book, and what I write.

Penha Storani said...

Querida Eminé e Neuza.
Sobre o tempo referente a Leila, eu havia entendido que Christian não tinha contato com ela por dois anos e meio e não que ficou com ela por este período. De qualquer forma estou adorando essa versão, fico ansiosa esperando pelos novos capítulos. Vocês estão de parabéns.

Penha Storani said...

Querida Eminé e Neuza.
Sobre o tempo referente a Leila, eu havia entendido que Christian não tinha contato com ela por dois anos e meio e não que ficou com ela por este período. De qualquer forma estou adorando essa versão, fico ansiosa esperando pelos novos capítulos. Vocês estão de parabéns.

Anonymous said...

Ótima iniciativa de fazer baseado nos pensamentos de Mr. Grey, a gente vê e percebe pelo o que ele passou muita mais claramente, e, entende essa possessividade que ele tem em relação a Anastacia e esse medo "exagerado" de perdê-la. Parabéns, ótima tradução, honestamente está melhor do que as traduções dos livros 50 Tons que baixei, assumo, eu não comprei, ainda. Amo esse blog, desde que descobri, estou todo dia aqui o/.... Keep Calm And Obey Mr. Grey

Neusa Reis said...

Tradução do comentário da Emine acima:

Veja, Anne, tenho visto algumas discrepâncias no livro que não podem ser consideradas verdadeiras, e os 2 anos e meio é uma delas. Ela simplesmente não pode ser considerada verdadeira. Christian tem 27 anos. Ele teve quatro relacionamentos de longo prazo, e 15 submissas em sua casa, o que não inclui outras mulheres que ele teve. Isso me faz pensar que ele teve períodos de tempo (como o momento em ele conheceu Ana) em que ele estava sem sub.
Eu acredito que o livro quis dizer que ele não estava com Leila há 2 anos e meio. Eu não acho que ele diz que ele esteve com ela por esse tempo. Porque, simplesmente não é plausível. Você pode imaginar se seus prazos longos foram mesmo de 1 ano e ele teve 4 dessas, isto fazem 4 anos. Há 11 mulheres mais com quem ele teve relações, no mínimo de três meses de experiência. Um total de seis anos desde a Sra. Robinson. Isso significa que teríamos que dividir dois anos entre 11 mulheres. Não é plausível. Se Leila levou 2 anos e meio e as demais de longo prazo levaram 1 ano cada, acaba sendo 5 anos e meio, o que deixa apenas 6 meses para as 11 outras mulheres. Você vê o que eu quero dizer?
É por isso que eu pesquiso os temas antes de adaptá-los ao ponto de vista dele. Você verá no incidente de Charlie Tango também. Eu encontrei alguns conceitos que eram contra a mecânica do EC 135. Eu li todos os manuais antes de escrever o capítulo. Porque eu quero oferecer-lhes a história mais plausível.
Espero que isso ajude a entender por que às vezes pode haver diferenças entre o que é dito no livro original, e o que eu escrevo.


Eminé Fougner @ Cowboyland said...

Hi Penha,
You're exactly right. Anne had thought that he was with Leila that long. But the 2.5 years was the time frame he has not been with her. So, though we know he's had 4 long term relationships, it was never mentioned how long they were. Based on given information (terms of his contract - trial period), and he indicated that those contracts are renewed, extended generally with 3 months of time, and the other 11 were short terms (or shorter), we have only a certain amount of time to go around with so many women.

So, you're correct in your assessment that the time frame was indicating how long it has been since he hasn't seen or been with Leila.

Aline said...

Gente, já li vários livros depois de 50 Tons, mas o Grey é sempre o meu favorito. A intensidade dele, e o amor dele pela Ana é demais. Parabéns Neusa e Emine. A versão dele é muito boa!!!!

Anonymous said...

OI NEUSA, CONHECI SEU BLOG E APAIXONEI-ME...CONCORCO EM GENERO COM VC...ODEIO A SRA. ROBINSON, EM UM MOMENTO DE MINHA VIDA APARECEU UMA CUNHADA QUE ERA TÃO CRUEL E DEPRAVADA COMO ELA...ESTAVA PENSANDO SOBRE ISSO AO LER O PRIMEIRO LIVRO,MAS A VIDA SE ENCARREGOU DE AFASTA-LA DE PERTO E FEZ JUS A TUDO QUE TAMBÉM ME FEZ PASSAR.

Giovanna said...

Olá, o ponto de vista de Christian está muito bom mesmo!
Parabéns à tradutora Neusa, pois traduzir é uma tarefa difícil, mas está tudo muito bem escrito.
Só gostaria que a Neusa ou Emine me tirassem uma dúvida: No Capítulo 6 do livro II há umas fotos de um casal. Gostaria de saber se essas fotos são parte de algum filme e qual é o filme. O casal me chamou a atenção pois parece se amar muito. Obrigada.

Eminé Fougner @ Cowboyland said...

Oi Giovanna,


Sim. As fotos são de um filme. O nome do filme é: Askı Memnu (The Forbidden Love). o amor proibido.
É um programa de TV turco.
Seu nome é Kivanc Tatlıtuğ. O nome dela é Beren Saat.
http://en.wikipedia.org/wiki/A%C5%9Fk-%C4%B1_Memnu_(TV_series)

http://pt.wikipedia.org/wiki/A%C5%9Fk-%C4%B1_Memnu

A história é de um livro.

Giovanna said...

Oi Emine, obrigada por tirar minha dúvida e parabéns pela fanfic, que está muito bem escrita.
Tenho lido outras fanfics e observado vários aspectos. Infelizmente não sou crítica literária, mas a sua fanfic atende muito bem a vários pré-requisitos que um bom leitor gosta. E com a ajuda de sua tradutora para o português, fica com uma qualidade excelente.
Parabéns novamente.

Aline said...

Olá quem é o garoto das fotos sabe me dizer ........? Amooooo o seu trabalho estou apaixonada por esta versão do Cristian

Daniela Martins said...

Cada capitulo é melhor que o outro (como se for possivel fazer essa comparaçao)!
A cada um sempre tem algo incrivel que nos faz perder o ar,
Nunca é entediante!
Christian foi muito "inocente" em levar Ana a um destes saloes que tem com a cobra Elena! Mesmo se eles nao encontrassem com Elena lá para mim já é "um pouco demais" (rsrsrs) até passar na porta! Porem, Christian é um ser humano como nós. E a gente pisa na bola facil tambm!
Proximo capitulo é um de meus favoritos! Ver Christian mostrando seu amor a todos na festa beneficente e todos os presentes de queixos caídos de vê-lo acompanhado e apaixonado!
Bjkas, Emine!
Thank you!
Dani
;-)

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry