StatCtr

Monday, March 21, 2016

MASQUE – CAPÍTULO 1

MASQUE – CAPÍTULO 1

 

Por favor apreciem o primeiro capítulo da minha próxima série, "MASQUE ". É nisso que tenho estado trabalhando nos últimos meses. Já publiquei o  "PRÓLOGO" no Blog. Este é apenas o rascunho; ele pode ficar diferente quando for publicado. O livro vai ser semelhante a 50 Tons, mas diferente de seu próprio jeito... Como eu tenho escrito no Blog, vai ser a partir do POV masculino. Você vai adorar  Ronan David Gibson!
E sim, haverá um segundo livro da Série Pella. O blog vai também continuar com o POV Christian pela duração do Livro V. Porém mais estará chegando e eu não quero divulgar isso por enquanto.
(Para Neusa e 50 tons de amizade. Amigas para sempre. 💖)

Tradução: Neusa Reis


La Vita Nuova

Neste livro que é de
Minhas memórias ...
Na primeira página
Que é o capítulo quando
Pela primeira vez
Eu encontrei você
Aparecem as palavras...
Incipit vita nuova
Aqui começa uma nova vida
-- Dante Alighieri




  
Capítulo 1
TUDO E NADA




Thump! O zumbido silencioso do motor a jato é quebrado primeiro por uma revista jogada sobre a mesa de café feita sob encomenda seguido pela alegre voz brincalhona de Stephane. Eu giro minha cadeira para olhar sua altura imponente. Ele deixa-se cair na cadeira de couro macia e coloca seus pés na mesa de café. Meu círculo íntimo e eu estamos a 10.000 metros de altitude no meu jato particular a caminho da França para o Festival de Cannes.

"Anime-se Ronan! O mundo está elogiando o seu rabo desejável," ele acena para a revista que ele atirou sobre a superfície de mogno da mesa de café.

"Vou dispensar. Ainda estou indo através dos nossos planos para quando nos encontrarmos com esta empresa com sede na Alemanha. Eu preciso saber quem diabos esse magnata realmente é. O homem é um coringa e eu vou ter mais de cem milhões de dólares em jogo." Ele ignora completamente o meu comentário.

"Seu humor ao longo das duas últimas semanas tem estado tão sombrio como este céu noturno que paira sobre o Oceano Atlântico, cara. Francamente, sua equipe está saltando como gatos em teto de zinco quente." Ele diz meio brincando, mas envolvido com uma nota de preocupação. O céu lá fora é escuro como breu. Intragável. Não diferente de meu humor. Ultimamente, nenhuma quantidade de trabalho desafiador, treino extenuante ou foda dura parece acalmar, muito menos erradicar a minha disposição. Eu me sinto como um fio desencapado, completamente indomável. Tudo o que eu consigo, não importa quão grande, não importa quem eu fodo independentemente do talento dela na cama, eu sinto insaciável. Tenho tudo o que sempre desejei, intentei realizar, adquiri e conquistei. No entanto, tudo não é o bastante.

"Como isso é minha preocupação?" Eu respondo a Stephane como uma criança petulante.

"Você tem sido um feitor de escravos e acima de tudo você está trabalhando mais duro do que todos nós, mano. Você sabe o que dizem sobre todo o trabalho e nenhuma diversão." Eu levanto minhas sobrancelhas para ele. Eu trabalho duro, é verdade. Mas eu jogo muito mais duro. Ele sabe disso. Como se para responder ao meu pensamento não dito ele responde.

"Não ultimamente! Porra homem, você sabe que as mulheres estão se jogando em você onde quer que vá e apenas um olhar na direção delas as faz deixarem cair suas calcinhas. Consiga alguma buceta de uma estrela ou três e deixe-as fazer o sol aparecer outra vez! Para o bem de todos nós. "

Ele acena com a cabeça para a revista novamente. "Você deve dar uma olhada nesse artigo. Se eu não conhecesse você bem eu teria pensado que você criou o Monte Everest. Pelo menos Forbes pensa assim."

"Talvez mais tarde,” eu o dispenso novamente. Ele não está desistindo. Oficialmente, Stephane Winthrop é o meu CFO e o Diretor de Aquisições. Em suma, ele é meu excessivamente capaz, muito brilhante braço direito da minha empresa, a Gibson Tecnology Integrators Incorporated. Extra-oficialmente, ele é meu melhor amigo mas atua mais como o porra do meu psiquiatra.

Balançando a cabeça, ele agarra a revista da mesa de café, limpa a garganta, em seguida com um largo sorriso mau, ele convoca o meu círculo íntimo.

"Reunam-se ao redor, crianças, é hora de adorar nosso chefe." Ele está se dirigindo a meus assistentes Jude e Eliza, bem como ao meu segurança pessoal Dre. Acho que Dre revira os olhos mas senta em frente de mim ainda segurando seu laptop e Jude com o seu iPad senta-se no assento ao lado. Eu acho que Eliza dormiu com suas notas na mão.

"Já a essa hora do dia?" Eu zombo dele. Colocando meu tablet em uma mesa lateral, em seu lugar eu pego o copo com o scotch escuro nele. Eu penso, engolindo-o em um grande gole.

Utilizando sua melhor imitação de Gregory Peck, Stephane lê o título da capa espalhado através da página em letras garrafais: "Na jovem idade de 31 anos Ronan David Gibson dirige uma parte considerável do mundo económico nos Estados Unidos." Eu odeio esse tipo de publicidade. Só eu sei a verdadeira extensão dos meus poderes e a profundidade dos meus segredos. Apenas  eu os controlo. Mesmo meu círculo próximo só está a par de informações compartimentadas, na medida das necessidades.

"Um pouco de eufemismo, você não acha? O Sr. Gibson controla uma boa parte da economia global." Jude se sente ofendido em meu nome e aponta para as cotações de ações se desdobrando em três monitores diferentes exibindo informações do mercado de ações de Wall Street até a China. "O Sr. Gibson é um vulcão, um tornado, e um furacão todos combinados em um. Destruidor e recriador do mundo financeiro, se ele assim o desejar."

"Consegue superar isso, Dre?" Stephane pergunta.

"Cai fora, Stephane," Dre diz, sem tirar os olhos de seu projeto sobre o laptop, com um leve sorriso nos lábios, "Estou apostando que o Sr. Gibson está puto com a revista sobre esse artigo."  Dre não precisa explicar mais. Ele sabe que eu não gosto da imprensa tomando liberdades para escavar em meus assuntos, quer sejam negócios ou pessoais. É tudo a mesma coisa. Todos eles gostariam de saber quão grande bilionário eu sou ou quem eu estou fodendo.

"Ding ding ding! Temos um vencedor!"

Suas brincadeiras deslocam as engrenagens quando Marissa, nossa aeromoça caminha em direção ao grupo. Ela afofa seus cabelos loiros e pergunta se há alguma coisa que precisemos no momento. Sua saia do uniforme de voo oficial parece abraçar seus quadris firmemente acentuando suas longas pernas e nádegas redondas. Os botões da blusa do uniforme parecem amplificar seus seios e ela se inclina um pouco demais, dando um vislumbre de seu decote para todos os ocupantes do sexo masculino na cabine. Quando todos a dispensamos, ela se apruma virando as costas e com o porte de uma modelo de passarela ela se afasta através da porta. Os olhos de Dre seguem o balanço e o movimento de seus quadris furtivamente. Quando ela deixa o local, ele volta a olhar para o projeto que tem em seu laptop.

"Por que Marissa está desfilando em volta da cabine?" Jude pergunta.

Stephane sorri maliciosamente, "Porque..." diz ele apontando com a cabeça na direção de Dre que tem sua atenção em alguns layouts para as medidas de segurança antes da chegada.

Jude deixa escapar com surpresa, "Você fode isso?" Em seguida, voltando-se para mim, ele acrescenta: "Desculpe-me Sr. Gibson."

Dre levanta a cabeça, “o que lhe importa? Temos que falar sobre quem eu fodo ultimamente?"

"Homem! Você está quebrando a regra fundamental, eu lhe disse para não cagar onde come. Mas não, o Capitão Long Dong Silver aqui tinha que ter a Princesa Seka," brinca Stephane.
(N.T. Long Dong Silver foi um ator de filmes pornográficos que apareceu em diversas produções durante as décadas de 1970 e 1980. Silver se notabilizou por possuir um pênis fora dos padrões convencionais em termos de tamanho. Seka era uma atriz que contracenou com ele nesses filmes)
"Será que vamos ter um problema aqui?" Pergunto em tom sério, embora provocando o meu treinado capitão sem medo de segurança pessoal de 1,93m que viu muitas guerras e muito experiente Black Ops.

"Não senhor! Quanto ao resto de vocês, vão se foder." Ele diz dando-lhes um dedo, enquanto  ainda está seguindo com seu trabalho em seu laptop. Em seguida, ele levanta os olhos, estreita-os e nos digitaliza.

"O relacionamento acaba de terminar. Não foi culpa de ninguém. Ele teve apenas seu curso natural até que a morte nos separou," ele dá de ombros. "Ela caiu na cama de outra pessoa e se o tempo permitir, eu irei para uma garota francesa."

"Quem disse que o romance estava morto?" Eu digo balançando a cabeça.

"Tenho certeza que ela está tentando ganhar sua atenção, uma vez que Dre é um romântico. Agora, nós poderíamos repassar as folhas de cálculo para as projeções de lucro para o filme e  nossos planos em Cannes?" Pergunta Jude.

 "Vamos."

Em poucos dias, vamos encontrar os dois produtores do filme outra vez em Los Angeles para ver se eu gostaria de investir em seu projeto de filme a caminho. Eu tenho uma boa habilidade em escolher um sucesso de público tendo crescido nos sets dos filmes que meu pai dirigiu. Mas, eu gostaria de investir como um capitalista de risco. Meu objetivo principal é estabelecer uma relação comercial com um magnata alemão que também foi convidado a dar a primeira impressão para o investimento. Após as projeções financeiras para o filme, nós percorremos nossa agenda.

"Amanhã à noite, nós estamos indo para a soirée organizada pela Embaixada alemã com sede em Paris, com alguns distribuidores de filmes alemães e franceses que querem se tornar parte do negócio. Manter um perfil desapercebido vai ser muito difícil, mas Dre vai explicar as medidas que ele e sua equipe colocaram em execução. "

Meu rosto está em todas as outras revistas sérias e todas as revistas de fofocas. Este é o momento perfeito para estar em Cannes, porque todas as pessoas que eu preciso ver neste ambiente vão estar aqui. Mas isso também significa que a quantidade de paparazzi será esmagadora: cercando todos os hotéis, cada um dos eventos e restaurantes. Teremos sorte se conseguirmos manter nosso anonimato por um dia; até então, o elemento surpresa estará do nosso lado.



"Bom Dia! Aqui é o seu capitão falando! Nós recebemos luz verde para aterrissar no Aeroporto Cannes Mandelieu. Hoje é 12 de maio, terça-feira e a hora local em Cannes é 08:47 da manhã. A temperatura é atualmente 19ᵒ com céu claro. Espera-se chegar... "A voz do meu piloto ecoa em torno do quarto sinalizando nossa chegada ao nosso destino.
Defasados e exaustos finalmente entramos no SUV preto conduzido por um dos agentes de segurança franceses contratado pela duração da nossa estada aqui. Outro Mercedes SUV preto nos segue para o Hotel Martinez. A Suite Penthouse já estava ocupada por um executivo de Hollywood antes que eu tomasse a decisão de última hora de voar para Cannes. Mas eu nunca me contento com o segundo melhor. O hotel conhece bem a minha expectativa "nunca dizer não a qualquer coisa que Ronan Gibson peça" e eles nem sequer tentam me oferecer outra suíte; eles simplesmente mudaram o executivo para outro quarto para acomodar a minha chegada. Um sol quente da estação nos cumprimenta quando saímos dos veículos. Eu faço a varredura em volta por trás de minhas sombras. Uma leve brisa traz o cheiro salgado do oceano, convidativa como uma sedutora. Eu estou usando jeans da moda envelhecido e rasgado na altura dos joelhos com cintura baixa. Minha camisa branca enfiada para dentro com as mangas arregaçadas. Algumas pitadas de cabelo do peito mal aparecendo a partir dos dois primeiros botões abertos. Com minhas botas de couro completando o conjunto, a minha presença está virando várias fêmeas refinadas e elegantes e alguns curiosos do sexo masculino em minha direção, os quais parecem ter sido feitos por esquadrões de artistas da beleza. Talvez eles estão tentando me identificar como um ator. Felizmente o porteiro e o mordomo pessoal conduzem-nos para a área VIP antes de finalmente se conscientizar para pegar seus telefones e começar tirando fotos.
Sem sequer dar uma boa olhada na grande suite que eu conheço bem uma vez que eu a ocupo quase todas as vezes que eu venho, a última coisa que eu me lembro de ter dito ao mordomo é para não me perturbar até eu acordar sozinho. Com a minha programação fatigante dos últimos dois meses, juntamente com o longo vôo, o sono me toma e eu caio num estado sem sonhos.



Estou de banho tomado e vestido no meu smoking preto. São 20:30h. Estou diante do espelho e amarro a gravata borboleta em um nó perfeito. Estou no meu elemento. Talvez siga o conselho de Stephane e encontre uma ou duas estonteantes mulheres francesas que não saibam o que eu vou fazer esta noite e vá fodê-las sem sentido, a fim de liberar essa energia reprimida. Isso é o que eu farei.
Quando nós finalmente chegamos ao mega iate fretado para a soirée, a energia frenética nos atinge mais rápido do que a brisa vinda do oceano. Quase logo que saímos da limusine, a música está estrondando, atacando os sentidos com pulsações de música reverberando através do ar, quase orquestrada contra o constante som misturado de ruídos humanos e luzes brilhantes. Os guarda-costas agitados e motoristas uniformizados estão abrindo as portas de alguns dos veículos mais caros do planeta, deixando sair os mais ricos, os mais talentosos assim como aspirantes jovens homens e mulheres que foram esculpidos até perto da perfeição na academia e na mesa de um cirurgião plástico, quer na companhia de doces braços ou sozinhos e à espreita. Esta é a sua chance de conseguir um papel em um filme, uma parceria de negócios, e entre saudações ofertas foram feitas, e futuros encontros são organizados em alguns minutos, uma vez que estas reuniões acontecem nesses ambientes. Os titulares de dinheiro, prestígio, exclusividade e poder excessivo já estão fazendo com que as starlets pouco vestidas comecem a competir umas contra as outras para aterrissar em uma de suas camas para um melhor conhecimento e com sorte, uma parte em um filme. Elas estão de fato se comportando como bebê tubarões que estão indo atrás de sua primeira presa sem perceber que estes são os mestres do oceano, do planeta e do universo. Muitos deles nem vão se lembrar de seus nomes, tão logo estas belezas terminem de montar seus paus. Algumas sortudas podem conseguir outra reunião, ou uma chance para uma audição ou no plantel fodível de uma das cabras velhas.
Nossos convites e identidades são discretamente verificadas antes de nós sermos escoltados a bordo. Este é verdadeiramente um parque de diversões bilionário. A maioria dos participantes são as pessoas mais ricas da Europa e dos EUA. As identidades são mantidas estritamente em sigilo para aqueles que o solicitaram e para outros é uma oportunidade para a publicidade. Que os jogos comecem. Garçons constantemente refrescam os convidados com taças de champanhe e várias bebidas à escolha, uma banda ao vivo está tocando, e negócios já estão sendo feitos. Eu observo tudo.
Uma elegante mulher segura de si atravessa a multidão com o olhar fixo em mim. Dre está de pé tão perto de mim quanto possível, parecendo impassível. Ela tem o longo cabelo escuro no meio de suas costas e olhos azuis. Ela empurra uma invisível mecha de cabelo escuro atrás da orelha, levanta o queixo de uma forma elegante indicando sua classe e origem e estende sua mão para mim quando ela chega cara a cara comigo.
"Sr. Gibson, que bom vê-lo em Cannes de novo,” ela diz com um sotaque londrino muito refinado. Eu não a reconheço, mas ela me reconhece.
"A que devemos essa rara visita a Cannes?"
"Negócios como você pode ver..." Eu indico com minha mão.
"Ah, mas eu não sei. Meu pai me arrasta a esses eventos com frequência. Eu só procuro prazer,” diz ela com intenção. Eu largo sua mão, mas ela se agarra a minha. Eu puxo minha mão de volta, fazendo e relaxando um punho.
Ela é realmente impressionante mas eu não gosto de ser caçado. Eu escolho. Eu sou o caçador.
"Desculpe-me, senhora..." Eu não sei quem diabos é ela e agora não me importa.
"Srta. Elisabeth Holloway. É Senhorita," ela reitera. "Eu li recentemente que você foi escolhido como o "Homem mais Sexy Vivo" e, aparentemente, liderou as listas de "o mais fodível.”  Mas, então, eu também sou. Estes atributos o tornam o homem mais desejável neste navio, e eu cheguei primeiro. Você. não vai. Arrepender-se." Ela diz lentamente.
"Eu posso até te dar uma amostra do que eu estou oferecendo." Ela está apresentando todas suas cartas para me tentar.
"Quando eu faço fusões e aquisições, Senhorita Holloway, é porque eu escolhi, avaliei, e simplesmente fecho o negócio. Quando há outras ofertas para considerar, eu não acho que eu quero me contentar com a primeira só porque ela foi apresentada com uma oferta de amostra grátis."
"Peço desculpas Sr. Gibson. Quando você descobrir que você não está satisfeito com as outras mercadorias neste navio, aqui está o meu cartão... Chame-me," ela diz enquanto sorri com um brilho conhecedor em seus olhos e empurra seu cartão de visitas em minha mão, depois se afasta.
O mega-iate fretado deixa o Porto de Cannes com o estrondar de sua sirene.




Os convidados estão ocupados em todos os três níveis com várias atividades. Música retumbante  está chegando do primeiro nível do iate embalada com starlets, celebridades, dinheiro velho e novo, todos na caçada. Corpos dançando embriagados de uma forma orgíaca. Eu me afasto para  longe do barulho me encaminhando em direção ao convés junto com a multidão. Dre me segue.
Durante aproximadamente quase três horas durante a noite eu tinha avaliado todos os investidores, empresas de produção que eu gostaria de conhecer bem como algumas starlets às quais eu poderia possivelmente dar um bom momento esta noite. Talvez ao nascer do sol amanhã de manhã, meu humor terá mudado. Preciso de um pouco de ar primeiro. Mas quando a minha tentativa de sair do local é percebida por um designer gay chamativo que tinha estado me encarando toda a noite, ele rapidamente faz uma linha reta em direção a mim. Ele fica a aproximadamente 1,20m de distância de mim, põe a mão esquerda dobrada em seu pulso sobre sua cintura, e balança a outra em um grande gesto.
"Ohmeodeos! Pensei que estava aqui!" Ele diz e coloca a mão sobre seu coração. "Você meu querido, é apenas um doce pedaço de gostosura! Prazer em conhecê-lo, Sr. Gibson! Eu sou Michael Kraus, mas você provavelmente já sabe que ... "
"Eu não sei," eu respondo com a pouca paciência que restou em mim. "Mas, prazer em conhecê-lo. Este é Andre Bennett. Você e Stephane não estavam falando sobre como suas linhas de design eram excelentes? Encontre o Sr.Kraus em pessoa. Estou indo para o convés fumar este charuto e beber meu champanhe. Tenho certeza que Stephane adoraria conhecê-lo," eu digo levantando meu charuto cubano. "Vocês dois divirtam-se!" Eu fixo meu guarda-costas Dre em seu lugar olhando para mim com um olhar sem preço em seu rosto, sentindo essa incomensurável necessidade de um pouco de ar fresco e de ser deixado sozinho por alguns minutos antes de atracarmos.
No segundo que eu fecho a porta atrás de mim, a noite estrelada me cobre como um manto, afastando a névoa da minha cabeça com a brisa. Eu ando até a borda da amurada no convés do segundo nível, olhando o mar, deixando fora o zumbido dos ruídos, os seios falsos, e lábios preenchidos de silicone e rostos meticulosamente compostos empalhados em roupas de grife, e ouço os sons da noite.
Enquanto o iate desliza sobre as águas do Mediterrâneo, cortando as ondas com sua popa elegante em sua viagem de volta para o porto, acordos já devem ter sido alcançados, números de telefone trocados, alguns contratos assinados e enviados por e-mail para seus respectivos caros advogados e a verdadeira diversão, o pós festa, já começou.
A lua brilha sobre o mar Mediterrâneo, perseguindo as sombras do convés pouco iluminado. A brisa traz os aromas da noite, o ar salgado assalta minhas narinas, me atingindo em toda parte como uma descarga de adrenalina, limpando minha mente. Eu não vejo ninguém no convés, porque a ação real está no interior. Atos de quase sexo no primeiro, segundo e terceiro nível do convés são para os lobos reais. Eu olho para as crescentes, brilhantes luzes da cidade crescendo, se aproximando rapidamente, pecaminosamente convidando você a vir e se juntar a ela. Enfio o charuto de volta no bolso do casaco e apenas tomo um gole de meu champanhe.
A batida da música fica mais alta momentaneamente como se alguém deixasse as atividades do primeiro andar no convés inferior. Rápidos cliques de saltos ritmados levam uma jovem à proa do navio. Eu pensei que eu tinha visto todos a bordo do navio, mas eu não me lembro de de tê-la visto. Seus longos cabelos caindo sobre suas costas, cobrindo o que o seu vestido branco fluindo deixou em aberto, os movimentos dando vislumbres de sua pele leitosa. Quando a brisa associada com a velocidade do iate bate em seu rosto, seu cabelo levanta no ar forçando-a a mover-se ligeiramente para uma posição abrigada. Posso ver o perfil dela claramente agora. Ela não parece bêbada embora quase todos os passageiros estejam muito embriagados em graus variados. Na verdade, seu rosto parece sério, melancólico. Ela olha para trás na direção da porta de novo, em seguida, volta-se para a distância, o rosto e o cabelo apanhados no brilho da lua. O vento agita seu cabelo novamente, então agita seu vestido, brincando com ela, acariciando seu corpo. Ela distraidamente esfrega os braços sem afastar seus olhos das luzes da cidade cada vez maiores, mas quase não vendo, ela está distraída olhando na direção do horizonte.

Tal Bachman - She's So High

Eu posso ter qualquer mulher neste navio ou ainda assim, neste momento, eu não quero nenhuma delas, exceto...  Eu balanço minha cabeça para clarear os pensamentos. Eu deveria desviar o olhar. No entanto, sinto-me como um voyeur, incapaz de afastar meus olhos dela. Sua silhueta alongada é muito sensual, quase de outro mundo, como se esculpida por um antigo mestre escultor buscando criar a beleza divina. O iate acelera e mergulha em uma vaga pulverizando ondas espumantes. Para evitar se molhar ela se vira rapidamente. Porra! Eu a vejo completamente agora! Ela é Aphrodite personificada, nascida da espuma do oceano! Ela me vê olhando para ela. Seus olhos encontram e bloqueiam nos meus. Mas algo que ela ouve a faz virar a cabeça na direção da porta. Um jovem anda em direção a ela, com os olhos unicamente bloqueados em cima dela. Ela está aqui com ele? Seu corpo enrijece, ela dá meio passo para trás segurando a grade. Quando ele está mais perto, ela levanta a cabeça orgulhosamente, como um gatinho pequeno que finge ser um leão.


Ele definitivamente a conhece. Eu não posso ouvir o que ele está dizendo a ela, mas sua resposta para ele é monossilábica. Suas mãos alcançam os ombros dela, descendo-as pelo comprimento dos seus braços. Ela permanece imóvel enquanto diz algo para ele. Ele está segurando seus braços firmemente, possessivamente. A pontada inesperada de ciúme me faz querer arrancar suas mãos cracas dela. Ela finalmente balança a cabeça recusando-o de forma clara e coloca as mãos sobre o peito dele empurrando-o para longe. Mas isso só o excita. Ele a puxa para mais perto dele, agarrando sua cintura e começa a beijar seus lábios e pescoço.
"Ei! Largue-a!" Eu grito. Claramente ela está recusando-o. Ou o ruído da música está mais perto deles, ou ele não se importa. Ela tenta empurrá-lo novamente, e luta para escapar de seu aperto. Quando ele a encurrala na grade, eu corro escadas abaixo para o deck do primeiro andar.



"Deixe-a sozinha porra!" Eu grito mas minha voz é abafada pela sirene do iate alertando nossa iminente abordagem da doca. Enquanto eu corro na direção deles contornando o deck  para a localização deles, ele dá um tapa nela em sua boca que até eu posso ouvir o som do contato com o rosto dela. O bastardo já se afastou na hora em que eu chego ao lado dela. Ela fica lá atordoada, tremendo, uma das alças de seu vestido está fora e sobre seu braço, e seu lábio está sangrando. A marca vermelha da mão é ainda visível em sua bochecha esquerda, mas ela não está chorando.
"Você está bem?" Eu consigo murmurar. Ela balança a cabeça concordando em silêncio, respirando com dificuldade.
Eu tiro do bolso do smoking meu lenço com monograma e levanto-o para mostrar a ela, para que ela não se assuste.
"Você está sangrando." Para minha absoluta surpresa, minha voz é suave e protetora. Eu o passo suavemente no canto de sua boca. O bastardo não só bateu nela, mas mordeu seu lábio! Ela levanta sua mão trêmula e pressiona o lenço sobre o lábio. Eu relutantemente retiro minha mão, sentindo-me desamparado. Ruídos crescem em volta enquanto o iate atraca. Risadas de bêbados seguidas por vidros estilhaçados e uma bandeja caindo, por um garçom ter tropeçado em passageiros embriagados quebram minha atenção sobre ela por um momento.
"Olha, eu vou ajudá-la a apresentar uma queixa..." Eu digo voltando-me para ela, mas ela sumiu. Sumiu em um piscar de olhos!
O que diabos aconteceu? Acabei de imaginar essa merda toda? Será que eu bebi demais?
"Você está pronto para partir Sr. Gibson?" Eu ouço a voz de Dre.
"Sim, em um minuto,” eu digo tentando esconder o desapontamento na minha voz. Quando eu me preparo para dar um passo adiante, vejo os pequenos lampejos de luz refletindo no chão. Eu me abaixo para dar uma olhada mais de perto e pego o pequeno item. Parece um brinco de rubi e diamante. Eu não estava sonhando com Afrodite! Ela estava aqui!
"Vamos! Precisamos encontrar uma garota!"
"Elas estão a bordo do navio..." Dre responde confuso.
"Não aquelas garotas."
"Como ela é?" Ele pergunta.
"Ela se parece com a porra da Afrodite."
Quando corremos para procurar por ela, a preocupação com seu bem-estar cresce em mim mas eu também percebo que as nuvens escuras que antes ocupavam minha cabeça desapareceram.


9 comments:

Sandra Castro said...

Simplesmente intenso, maravilhoso e único!!!!!!!!!!!!!!!!!! Parabéns Emine!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Mara Lins said...

Emine e sua escrita poderosa. Sei que este começo é simplesmente o início de uma história que será extremamente envolvente. Já fui pega.
Obrigada Neusa Reis, pelo seu primoroso trabalho.

Mónica Alexandra Martins Alves Pernadas said...

pronto já estou rendida em pulgas para ler o próximo,querida Emine você tem a capacidade de prender o leitor de uma maneira inexplicável.
obrigado querida Neusa pelo excelente trabalho de tradução. beijocas grandes

Anonymous said...

Emine você realmente escreve com alma, adorei esse capitulo, ja começou intenso,envolvente tenho a certeza que essa historia que está no começo será um sucesso.
Ansiosa pelos proximos capitulos.
Obrigada Neusa pelo seu trabalho em traduzir para que possamos acompanhar essa historia que promete muito.

Beijos
YaraSuzana

Daniela Fagundes said...

Que mimoso esse menino <3 <3
Delicioso capítulo Emine!

Silvia Ligieri said...

Perdidamente apaixonada pelo Renan...
Vislumbrando uma grande história.
Parabéns Emine e Neusa Reis!

Silvia Ligieri said...

Perdidamente apaixonada pelo Renan...
Vislumbrando uma grande história.
Parabéns Emine e Neusa Reis!

Daniela Martins said...

Emine, já estou amando essa história. Se o inicio já é assim cativante e que nos prende de uma forma inexplicável imagino como será o restante!
Você é uma escritora de outro mundo! Parabéns!
Beijos

Priscila Pessotto said...

Emine, fascinada com essa história, você é fantástica!
Adorando o RONAN, ele é tudo de bom.
Obrigada Neusa pela tradução impecável!
Beijos!