StatCtr

Tuesday, February 12, 2013

CAPÍTULO BÔNUS A REDENÇÃO DE CHRISTIAN (Christian e Elena)


CAPÍTULO BÔNUS
A REDENÇÃO DE CHRISTIAN
(Christian e Elena)

Tradução:  Neusa Reis                           
Edição/Revisão:  Beatriz Reis




Por favor, esteja prevenido de que esta seção é muito sombria

Eu queria que você visse o que acontece quando o amor é removido de um relacionamento como foi o caso de Christian e Elena. Foi puramente físico. Em seguida, compare isto, se você quiser, com as emoções que Ana e Christian estão atravessando. Você vai então perceber que a atração não era puramente física entre Christian e Ana, um grande contraste com qualquer outro relacionamento que ele teve. Há mais. Você vai precisar deste capítulo para entender por que eu fiquei dizendo que é o amor que faz essa história grande!

Emine Fougner

"Sente-se!", Ela ordena mal movendo os cabelos loiros impecavelmente aparados. Ela olha para baixo para mim. Eu pude sentir todo o tempo seu olhar em mim. Minha cabeça está curvada, eu estou sentado em meus calcanhares, meus dedos afastados no meu colo, meu rosto está inexpressivo, minha cabeça calma, esperando por sua ordem para cumprir suas instruções. Não ousaria olhar para ela; especialmente aqui, neste lugar. Ela se senta na espreguiçadeira estendendo seu pé esquerdo para mim. Eu o pego obedientemente.

"Sugue!" Ela rosna outra ordem. Eu pego seu pé reverentemente, sem pensar. Pego seu dedão do pé e começo a, experientemente, sugar do jeito que ela gosta. Dedão do pé, primeiro, depois o segundo, depois o do meio. Este é o que a excita mais, e em seguida, os outros seguem em fila. Ela gosta do peito do pé lambido e mordiscado. Os efeitos disto chegam até sua virilha. Ela arqueia o pé, e eu movo meus lábios em seu peito do pé de bom grado, sem dúvidas. Ela se inclina para trás na cadeira;  eu sei disso, embora  eu não me atreva a olhar para cima para ela. Eu estou acostumado com a rotina. Seu peito esquerdo será posto para fora agora.

"Você é bem-vinda para tomar emprestado o meu sub; se eu puder pedir o seu depois que você estiver completamente satisfeita", diz outra voz feminina. Ela não diz nada, mas ela deve ter concordado com um aceno para este efeito, porque eu vejo os pés descalços de outro sub que chega e começa a chupar-lhe o mamilo. Faço uma pausa por um momento; a raiva crescendo em mim. Eu não quero compartilhá-la com um outro sub! Mas o que eu posso fazer? Eu me mantenho dizendo a mim mesmo para não pensar. Lembrando-me. Isso é para aprender a dominar, e controlar a mim mesmo, minhas emoções. Quando minha pausa fica mais longa, ela percebe. Seu tom não é muito agradável.

"O que temos aqui?", ela diz com sua voz de veludo. "Preocupado com um pouco de competição?" Ela parece satisfeita. Mas eu não confio em seu tom. Você sabe que se diz "cão que ladra não morde", mas  isto é justo o contrário com Ama Elena. Quanto mais calma ela aparenta, mais duro ela pune... Como na vez que ela derramou cera quente no meu peito, sabendo como eu detesto ser tocado,  ela derramou cera quente como meu castigo! Ela nunca iria limpar qualquer porcaria de mim. Nunca! Dar e receber dor e prazer, é tudo a mesma coisa para ela. Ela poderia chegar a um orgasmo e gemer, tanto quando ela está me batendo com bastões como punição como para os efeitos de prazer.

Agora eu não me movo. Eu não olho para cima. Eu mantenho minha mente em branco. Eu sou um submisso, e eu tenho que fazer o que me é dito sem pensar. Ela extrai o seu pé para fora da minha mão gelada, se mexe em sua cadeira, acaricia o outro submisso na cabeça, fazendo-me ficar com ainda mais ciúmes. Não, eu não estou com ciúmes. Eu não devo estar. Eu não devo pensar. Ela se levanta sobre mim. A corrente em meu colar chocalha.

"Bem, bem, bem... Como hei de puni-lo por esse delito, Christian?" Diz ela com sua voz aveludada. Eu engulo em seco. Poderia ser qualquer coisa. Ela poderia balançar-me das cordas, me amarrar na cruz e me bater, me amordaçar e me bater com um bastão, levantar pesos, usar grampos genitais... Suas opções eram infinitas. Eu não digo nada. Eu mantenho minha mente em branco. Minha mente já fodida espera por ela para decretar sua punição com metade medo e metade expectativa. Ela pode me machucar e ainda torná-lo agradável. Eu sou um escravo para ela. Eu tenho agora cinco anos de experiência, e eu tenho sido seu sub todo esse tempo. Ela bateu a merda fora de mim sempre que ela pensou que eu saí da linha, e fez isso com frequência. Ela me fez fodê-la de todas as maneiras possíveis e algumas maneiras impossíveis.
"Ama Stark, você pode ter que compartilhar meu sub para esta sessão de punição", diz ela à dona do sub que agora está sentado sobre os joelhos no chão, completamente nu e olhando para seus dedos espalhados com um rosto sereno.

"Você vai ser amarrado. Eu acho que eu gostaria de suspender você hoje..." diz ela decisivamente. "O que você diz sobre isso?", ela pergunta serenamente, mas com uma ameaça disfarçada. Eu permaneço  sem emoções e sereno. Ela puxa a corrente no meu colarinho, obrigando-me a levantar o meu rosto para encarar seu olhar.

"Você me responde quando eu lhe fizer uma pergunta direta! O que você diz sobre isso? " Ela sibila com uma ameaça em seu tom.

Sim, Ama", eu respondo, o meu olhar, finalmente, perfurando seus olhos ansiosamente.

"Bom menino", ela diz. Eu ainda sou o menino aqui embora eu tenha sido seu submisso pelos últimos cinco anos e seja um homem de 20.

"Agora, levante-se!", Ela ordena puxando a corrente, obrigando-me a ficar de pé. As duas Amas cruzam as cordas de fibras ao redor do meu tronco enquanto eu fico imóvel, amarrando-as em forma de diamante, como ‘baklava’ turca. (N.T. Doce turco cortado em losangos). O laço final vai em volta do meu pescoço ajustado. Os outros no grande salão onde as pessoas estão aprendendo a ser submisso e dominante, apenas dão uma olhada, ocupados com seus próprios prazeres. Elas me fazem deitar em uma cama. Mas o ângulo estranho da corda que está enrolada em volta do meu pescoço força minha cabeça para cima, fora da cama. Se eu fosse abaixar minha cabeça, minha traquéia iria ficar apertada. Estou exposto, mas isso é algo que eu estou acostumado. Já se passaram cinco anos desde que eu sou um submisso. Eles baixam uma roldana acima da cama, virando-me. Minhas mãos estão amarradas nas costas, e meu corpo inteiro está coberto com cordas cruzando-se. Quando eu sou girado, eu tenho que forçar minha cabeça para cima porque restringe a minha respiração. A polia é amarrada na corda atrás de mim e eu estou erguido cerca de um metro acima da cama. Estou aberto, exposto e completamente indefeso e à mercê de duas Amas. Ela ocasionalmente compartilha-me com outras Amas, e toma emprestados seus subs como ela está fazendo hoje.

Ama Elena puxa meu cabelo para trás sacudindo a minha cabeça. "Você está bem?" Ela pergunta com uma cara indiferente.

"Sim, Ama", eu respondo com voz rouca.

"Qual é a palavra segura?", Ela pergunta autoritariamente.

"Diamante", eu respondo tentando manter minha cabeça erguida.

"Bom", ela diz, "Ama Stark vai primeiro", diz ela sem demonstrar emoções. "Eu estou devendo a ela, e você dá prazer a ela para a satisfação dela", ela me ordena. Eu fico em silêncio.

Ela sacode minha cabeça puxando meu cabelo ainda mais forte. "Qual é a sua resposta?"

"Sim, Ama", eu consigo falar tentando controlar a dor. "O sub da Ama Stark vai estar no comando das cordas, assim, ele vai baixá-lo para o nível dela. Entendeu?”

"Sim, Ama", eu respondo com a voz rouca de novo.

Ama Stark está deitada na cama, com as pernas abertas. Ela quer ter prazer, e minha Ama me ordena  que eu dê prazer a ela. O sub da Ama Stark abaixa a corda o suficiente para que eu possa atingir o seu ponto de prazer, enquanto a Ama Elena está na direção oposta e começa a dar prazer a mim para me colocar no clima. Como a minha cabeça vai para cima e para baixo, a minha respiração é restrita o que está me dando dor, mas por outro lado a Ama Elena está me dando prazer o que me está fazendo querer ir em frente. Eu estou em um dilema.

Eu quero parar, porque eu não quero ser compartilhado com outra Ama. Mas eu quero continuar, porque a Ama Elena está me dando prazer. Ama Stark está levantando seu quadril e tentando ser saciada completamente, mas a corda que está enrolada em volta do meu pescoço está restringindo a minha capacidade de saciá-la completamente que me foi dito que era devido pela minha Ama, e também machucando meu pescoço quando ele vai para baixo, constantemente puxando-o em um ângulo estranho para conseguir a metade de uma respiração.

"Mais rápido!" Ordena a Ama Stark não totalmente satisfeita. Estou prestes a desmaiar, mas eu não quero envergonhar minha Ama sendo um sub incompetente. Mas a minha respiração fica mais difícil enquanto eu tenho que enterrar minha cabeça em seu ponto de prazer, e a última coisa que me lembro são de meus olhos rolarem para trás na minha cabeça, e desmaiar.

*
*

"Christian, você sabe que deve ser punido", diz ela com calma. "Você não usou a palavra segura, e além disso, isso reflete mal para mim, pois como você sabe, é uma das minhas regras que você deve absolutamente refletir o seu melhor, especialmente quando estamos entre os de nossa própria espécie." Ela me dá um de seus olhares perfurantes de repreensão. Eu não sei exatamente o que está passando por sua cabeça, mas a calma de sua voz não me convence nem um pouco de que ela não vai me punir severamente. Porque ela pode vir com uma forma criativa de ter sua vingança, privar-me de alívio e ganhar controle total e absoluto sobre mim.

Estou ajoelhado no chão. Eu desejo que ela tenha um pouco de amor por mim, mais do que apenas a punição, ou foder. Mas ela diz que "o amor é para os tolos! É uma emoção inútil. É um impedimento, é uma falha humana. Você precisa de controle para dominar o seu destino, e o amor leva o controle para longe das pessoas. "Eu sempre imaginei como seria  ser beijado por Elena. Você sabe , um beijo com  emoções, com desejo de torcer as entranhas, um beijo que faça você querer fazer qualquer coisa para essa pessoa, não que eu não faria de qualquer maneira, mas, ela ... Ela nunca me mostrou alguma emoção! Ela nunca tem isto para mim...

"Agora, você deve tomar sua punição", diz ela.

"Sim, Ama", eu respondo serenamente.

"Você sabe por que está sendo punido, Christian?"

"Sim, Ama. Eu não usei a palavra segura, e eu fiz você ficar mal na frente de outra Ama por não satisfazer plenamente a ela e desmaiei ,  " eu digo.

Ela me prende de braços e pernas abertas na cruz. Não posso me mover, e eu odeio esta posição. Ela se move com seu chicote em torno de mim devagar, mas eu não estou enganado. A próxima coisa que eu sinto são os tentáculos do chicote me batendo nas jóias da família ( N.T. genitais). Doloroso e prazeroso. Eu já estou amordaçado por isso só posso fazer um som de gemido. Ela se move ao redor e me bate nas nádegas e volta para as minhas jóias outra vez e outra vez. Ela, então, pega um pedaço de papel que se assemelha talvez a uma lixa extremamente fina. Eu odeio isso, porque faz sua pele quase descascar, mas não o suficiente. O sangue corre para a superfície, e você sente prazer  mas a dor está no final. Ela enrola o papel em volta da minha masculinidade, e começa a esfregar com um brilho suave em seus olhos.

"Este é o seu castigo, Christian! Você não vai me desobedecer novamente! Você entende isso? " ela diz.

Eu aceno com a cabeça, mas ondas de dor correm através de mim para além da quantidade de prazer que eu posso aguentar. Eu mal posso sinalizar com a mão porque a dor é incrível, e porque eu estou amordaçado e ela está completamente ocupada com sua fase de punição, eu forço meu corpo a tremer para que ela perceba o meu sinal com a mão. Ela está excitada e ofegante e, finalmente, obriga-se a parar o castigo. Ela rapidamente solta todas as minhas restrições, enquanto eu desabo no chão em posição de decúbito dorsal para absorver a dor melhor. Ela anda em torno de mim, esfrega meus braços, onde ela sabe que pode tocar. Embora ela realmente não dá a mínima onde ela toca ... Ouso mesmo dizer "não" para ela? Ela bateria a merda fora de mim.

"Bem, isto conclui o seu castigo por um dos crimes. Eu ainda não terminei com você, Christian, " diz ela, sem emoção, nenhum consolo em sua voz. Mas é suave e melódica, hipnotizante.

Eu rolo sobre mim mesmo. Embora eu esteja ferido esta é a menor das minhas dores. Fixo meu olhar sobre ela e digo com uma voz quase inaudível através da dor:

"Eu não quero mais ser o seu sub!"

Choque enche seus olhos. "Christian, é a dor falando, você sabe que você gosta disto! Isto lhe dá  disciplina, isto lhe dá finalidade, isto lhe dá controle, e você está no comando. Se não você não aprende a ser responsável! ", Diz ela com fervor em seus olhos. Eu balanço minha cabeça. Eu sei o meu limite, e eu sei os meus gostos. Não é isto! Eu não quero compartilhar, nem eu quero ser compartilhado. Gosto de controle, não de ser controlado. A partir de agora, eu vou ser o dominante. Eu não vou ser sub para ninguém, nem mesmo para Elena! Ela não retribui nada do que eu sinto por ela. Ela nem sequer me segurou depois que ela terminou de infligir dor em mim!

"Quando você se sentir melhor, vamos conversar. Vou deixar você sozinho , " diz ela, e a última coisa que eu vejo são as botas pretas andando para fora da sala.

Encontro-me curvado, e segurando minhas partes íntimas, puxando minhas pernas para cima, como se para suprimir alguma dor, e rolando mais e mais. Lágrimas empurrando para fora dos meus olhos por sua própria vontade. A dor é grande, e não sobrou nenhum prazer. Isso me faz rolar no chão como criança sem rumo.
"Ai!" Eu caio de costas fora da cama no Hotel Heathman! Meu coração está quase pulando para fora do meu peito por causa do pesadelo que eu tive. O pesadelo é sobre o último dia em que eu fui um submisso para Elena, para qualquer um.

Sento-me no chão na minha bunda agora dolorida, no escuro, puxando meus joelhos para cima apoiando meus cotovelos, com as mãos no meu rosto e correndo pelo meu cabelo. Será que eu vou algum dia acabar com esta merda fodida? Nem mesmo em meus sonhos, eu não sou livre! É por isso que eu escrevi regras. É por isso que eu sou cauteloso com as necessidades dos meus parceiros , gostos e desgostos, para que eu não machuque ninguém como eu fui machucado.

Anastasia disse que ela estava com medo que eu lhe fizesse mal. Eu nunca faria isso com ela! E agora ela quer corações e flores. Eu não sei como porra fazer isso! Deus sabe o quanto eu a quero e a desejo! O que eu faço? Como posso me comprometer? Como posso fazer isto funcionar com toda essa merda  me nublando dia e noite? Eu quero fazer isto funcionar. Eu nunca quis nada tanto, nada tão ardentemente, tão fervorosamente, fortemente e inflexivelmente! Mas quando se trata de Anastasia, nada se aplica. No fundo da minha alma escura, eu já sei que ela é "mais" para mim. Eu nunca fui nada mais do que um sub ou Dom no último ano do meu relacionamento com Elena, e depois nós só ficamos amigos porque nós compartilhamos um passado. Mas, Anastasia é diferente. Ela é diferente de todos. Eu acho que ela ia chutar o traseiro de Elena para a calçada já que sei de seu desagrado por Elena por causa de nosso passado. Ela pode ser uma menina tímida, mas há um tigre nela pronto para atacar.

No ano que se seguiu a esse incidente, eu saí da escola para começar o meu próprio negócio para completa desilusão da minha família. Eu sabia que nunca poderia trabalhar para alguém assim como eu sabia que eu não gostava de ser um sub. Eu seria meu próprio mestre. Eu fiz uma promessa de que eu teria completo controle de minha vida. Não para ser mandado, mas para dizer aos outros o que fazer. Estabeleci metas e as coloquei em prática.

Metas de longo e de curto prazo. Como um jogador de xadrez, eu calculei meus futuros movimentos cinco, às vezes seis passos a frente. Eu jurei nunca mais estar à mercê de alguém, amigo ou inimigo. Eu sou realista. Eu queria ser bem sucedido. Muito! Eu queria ser digno do carinho da minha família, embora eu não sei se eu poderia sentir-me em pé de igualdade com eles, sendo fodido como eu sou desde o nascimento o que me desgosta. Eu desgosto e abomino a mim mesmo. Talvez seja a minha tentativa de redimir a minha alma irredimível. Nada além da música e do piano me deu consolo

Duettino Sull'aria Le nozze di Figaro de Mozart


Eu já ouvi várias vezes as pessoas dizerem que gostariam de ganhar na loteria, ou iniciar um negócio, ou herdar algum dinheiro, ou qualquer tentativa de se tornar rico, mas nenhuma dessas pessoas tinham metas realistas.

Eu queria que meus objetivos fossem mensuráveis, calculáveis, com um ETA (N.T. Estimated Time of Arrival – Tempo previsto de chegada)  ligado a eles. Desde que eu já sabia como adquirir controle, por observar - com isso quero dizer minha Ama e a quem ela quis emprestar-me – a quem me controlava todos esses anos. Eu não tenho nenhuma mágoa de Elena. Eu sou de certa maneira grato por aquilo que ela pensava de mim, o que ela tinha me dado, e ser um amigo. Mas, eu nunca vou voltar lá novamente.

Eu aprendi a controlar minhas emoções e sonhos e meu negócio para alcançar o objetivo final - o que quer que  a próxima coisa seja para mim.

Mas, com tudo o que estou sentindo agora, eu tenho essa sensação de que não há nenhum próximo  onde Anastasia não esteja envolvida. Ela está sempre na minha mente! 

Always on My Mind by Michael Buble

No meu negócio, bem como na vida pessoal e na minha formação, fiz minhas metas de longo prazo a serem realizadas dentro dos próximos cinco anos, e algumas metas que eu tenho vão tão longe quanto 10 anos ou mais. E os meus objetivos a curto prazo são os que eu gostaria de realizar ou alcançar nos próximos 12 meses. Eles são mensuráveis, escritos, e flexíveis. Se eu consigo alcançar meu objetivo antes do tempo que eu imaginava, então, eu baixo o meu período de tempo e aumento minhas expectativas. Se, no entanto, está acontecendo mais lento do que o esperado, eu altero os limites e aumento o prazo ainda mais. Eu só emprego os melhores, e eu espero o seu melhor esforço. Estou pensando bem, gerindo o meu tempo bem, e tudo isso é parte da minha ação reflexiva. Eu não tenho que pensar duas vezes sobre o que eu deveria estar fazendo agora, porque eu já sei quais vão ser meus movimentos futuros.

Por que não posso utilizar qualquer uma dessas habilidades, onde Anastasia está envolvida? Quando ela está perto de mim, todas as apostas estão fora. Quando ela está longe de mim, como agora, minha mente está constantemente ocupada com ela como se meu cérebro não tivesse outro trabalho a fazer! Elena tinha enraizado em mim que o amor é uma emoção inútil. O que eu sinto por Anastasia não pode ser amor! Porque quando estou perto dela, eu encontro o meu propósito. Se o amor é uma emoção inútil, então eu não estaria me sentindo com um propósito. Eu me perco muitas vezes com ela... Eu não sei o que ela vai dizer, ou fazer, ou como ela vai responder a qualquer coisa simples ou complexa. Mas eu amo encontrar o meu caminho de volta. Eu me sinto vivo! Eu respiro fácil. Eu encontro o meu centro. Não estou mais perdido.

O dia em que ela entrou no meu escritório e se esparramou no chão, os céus de Seattle estavam  sombrios e cinzentos refletindo perfeitamente o meu humor. Depois que eu consegui alcançar meus objetivos, nada realmente me satisfez, e eu não tinha nada para almejar. Nenhuma aquisição me fez sentir completo ou satisfeito. Nenhuma conversa com Elena, ou visitas a minha família preencheram o vazio e sempre crescente buraco dentro de mim, dentro da minha alma escura! Meus hobbies de voar e navegar apenas conseguiram colocar um Band-Aid sobre ele. Eu tinha uma peça faltando a partir do núcleo do meu ser. Minha alma estava faltando, e eu a achei nela. Como eu poderia deixá-la ir? Ela é minha conta final. 

Can’t Help Falling in Love by UB40

Ela é o meu novo objetivo. Ela é a minha liberdade de minha própria escravidão. Seu tornado me liberta, mesmo que isso me dê dor no processo. Como eu poderia deixar minha alma ir quando está constantemente me chamando?

Ela é minha alma. Ela é o meu objetivo na vida. Ela é o que preenche o abismo, este buraco negro dentro de mim. Ela é parte de mim. Como eu poderia deixá-la ir, quando ela é parte da minha alma, parte de mim? Eu penso no poema de William Ernest Henley, que fala perfeitamente dos meus sentimentos:

Invictus 

Read by Morgan Freeman

Fora da noite que me cobre,
Negro como o poço de pólo a pólo,
Agradeço o que quer que deuses possam ser
Para minha alma inconquistável.

Na garra cruel da circunstância
Eu não recuei nem gritei.
Sob os golpes do acaso
Minha cabeça está sangrenta, mas ereta.

Além deste lugar de ira e lágrimas
Emerge o horror da sombra,
E ainda que a ameaça dos anos
Encontre, e encontrará, estou sem medo.

Não importa quão estreito seja o portão,
Quão cheio de castigos o pergaminho.
Eu sou o mestre do meu destino:
Eu sou o capitão da minha alma.
William Ernest Henley

Agora neste momento, é tudo Anastasia, e nada mais

You're in My Heart by Rod Stewart

*****

Olá Fãs de CG & AS! Eu queria lhes dar um vislumbre do passado de Christian, parte do que contribuiu para o seu presente conturbado. Como ele fez suas tentativas de mudar o seu futuro, e o que ainda o assombra na noite, quando ninguém está presente, e por que ele tem hesitação e questões em seu relacionamento com Ana e, o que o leva a dar passos de bebê. Isso é parte do Invictus Christian. Eu ia postar isso depois do próximo capítulo, mas eu acho que você vai precisar desta informação antes do próximo capítulo chegar, a fim de entender o nosso principal homem, melhor.

Emine Fougner

8 comments:

Anonymous said...

Estou ansiosa ver o filme das Cinquentas Sombras de Grey....espero que fique ao nivel dos livros..mas vai ser dificil pois os livros estam muito bem feitos

Anonymous said...

Porque Elena quis ficar com o Christian se nunca o amo?Porque ele se atraiu por ela?Porque ela conquisto o Christian?Também não entendo quando a Elena tenta afastado de Anastasia,é porque Elena o deseja ou so porque nao quer ver lo feliz?

Anonymous said...

vais postar também aquela parte que aparece a Elena e o marido quando descobre que Elena está a ter um caso com o Christian?

anne caroline godoi said...

Não consigo visualizar o Christian submisso,pra mim ele sempre será um dom... A vadia da Elena levava a questão sub e dom ao pé da letra,ela realmente o humilhava de todas as formas. Ainda bem que ele conseguiu se libertar dessa vadia velha...

Catharina Oliveira Bastos said...

Sra. Fougne,
Escrever este capítulo foi uma grande audácia, corre riscos quem quer fazer melhor. And you did it. Thanks God you did! Here in Brazil we have a expression, "pegar o tigre à unha" or to catch a tiger by nails. You catch Christian by your nails, you tell a diferent story, and your story is so much better than 50 shades, so much complex, so much revealing. Thank you for you time, for your sharing and for your talent.

Kaila Alekena said...

Mente fudida... razão exposta...ele sendo sub, nos dá uma real dimensão de quão fudido pode ser um relacionamento Dom e sub, sem o amor que nos encanta na história Cristian e Anastasia, é deprimente ver o relacionamento beirar ao sadismo, prato cheio pra mentes descontroladas que se escondem atras da ilusão do controle... Eminé... você achou o Time que eu havia comentado antes... uma reileitura de uma história está nas entrelinhas, não na cópia, mas no acréscimo, parabéns pela pesquisa de campo, dessa forma você nos dá a ideia de uma nova história que é o que queríamos... bjosssss

Daniela Martins said...

Bom dia!
Elena pegava pesado quando se colocava na posiçao de "Dominatrix". Eu nao consigo imaginar CG como um submisso!
Esta cena realmente é de causar espanto!
Chocada!
Rsrsrs
Bjkas, meninas!
Dani
;-)

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry