StatCtr

Friday, March 8, 2013

Livro 1 - Capítulo XVII - Christian Grey e Anastasia Steele


CAPÍTULO DEZESSETE
UMA VISITA AO
QUARTO VERMELHO DA DOR

Tradução: Neusa Reis                                                                
Edição/Revisão:  Beatriz Reis


A luz do sol entra pelas minhas janelas panorâmicas do chão ao teto, bem cedo e brilhante. Minha mão automaticamente rola para o meu lado para puxar Anastasia em meus braços, encontrando o espaço vazio. Quando eu percebo que ela está em seu próprio apartamento, eu gemo, então giro na cama e verifico a hora.  São 6:18h.

Mesmo o pensamento de Anastasia me dá uma ereção. Eu rolo minha cabeça para trás e gemo novamente. Um treino duro pode ser capaz de manter a minha energia sexual reprimida sob controle e impedir que eu me torne o monstro insuportável que está mais apertado que um “macaco em uma piñata”, até domingo.
Eu coloco minha roupa de treinar e vou até o ginásio. Como se aproveitando da deixa Taylor se junta a mim.

"Bom dia, senhor", diz ele, cansado de ver a minha aparência nervosa com que se tornou muito familiarizado nas últimas semanas. Aceno com a cabeça em resposta.

"Como foi a viagem de volta?"

"Calma", diz ele, e ao que perceber o duplo sentido de suas palavras, ele acrescenta, "era de noite, não tinha muito tráfico."

Dou-lhe um sorriso involuntário.

*****

Duas horas mais tarde, eu estou de volta ao meu apartamento tendo concluído 13 quilômetros de corrida, levantado pesos, e utilizado o saco de pancadas com Taylor segurando-o no lugar. Depois que eu chego ao meu apartamento, eu tomo meu banho e me visto. Vai ser um longo dia tendo que pegar minha irmã no aeroporto, que é algo que eu estou desejando, já que eu não a vejo há muito tempo. Então, vai ter jantar de família na casa dos meus pais. Mrs. Jones tem o meu café da manhã pronto na barra de café da manhã. Taylor entra depois que eu terminei meu café da manhã, e quer ser informado sobre as atividades do dia.

Peço-lhe que pegue uma garrafa de Bollinger Grande Année Rosé 1999, e um balão de helicóptero semelhante a Charlie Tango para serem enviados ao apt. da Srta Steele e da Srta Kavanagh. Ele está tomando nota e pausa tudo por dois segundos quando eu menciono o balão de helicóptero, mas não diz nada.

"Você gostaria de adicionar uma nota, senhor?"

"Sim. Escreva , ‘Senhoras, boa sorte em sua nova casa, Christian Grey ', " eu digo.

"Será tudo, senhor?"

"Sim, até que estejamos prontos para pegar Mia no aeroporto."

O dia passa muito rapidamente até a hora de Mia ser apanhada no aeroporto. Estou com minha calça cinza e camisa de linho branco. Eu coloquei minha jaqueta uma vez que meus pais gostam que nós estejamos vestidos corretamente para o jantar. Taylor me leva para o acesso VIP no Aeroporto Sea-Tac. Nós estamos bem no horário. Eu mal tenho tempo para tomar um martini, e Taylor já está de volta com Mia, que corre para mim de braços abertos e salta. Nós dois estamos sorrindo. Eu senti falta de minha irmã... isso até que ela começa a falar sem parar.

Ela dá um soco no meu braço, fazendo-me dizer "Ai! Porque isso? "

"Por que eu tive que saber que você tem uma namorada linda por mamãe - e nem uma palavra sua? Quando você estava pensando em me dizer? " Ela pergunta, e  eu vejo Taylor ficando vermelho pela minha visão periférica.

"Eu teria, eventualmente, lhe dito, mas estamos ainda com pouco tempo", eu digo como forma de explicar.

"Bem, não se esconde uma coisa assim! Você sabe que todos nós suspeitávamos que você era gay ", ela atira. Minha irmã não tem filtros mentais! Ela não presta atenção onde ela diz coisas inadequadas e não lhe importa quem a ouve. Eu vejo o lábio de Taylor curvar-se apenas um pouco. Ele normalmente tem um controle muito bom, mas quando se trata de Mia, ninguém sabe o que ela vai dizer. Eu suspiro exasperado. A ida para a casa dos meus pais está cheia de conversa de Mia. Ela quer saber como é Anastasia, o que ela faz , como são seus gostos.

"Quantos anos ela tem?", Ela pergunta.

"Vinte e um.", Respondo. Ela sorri e se empolga da mesma forma que Elliot faria se os Mariners vencessem a World Series. Isso nunca aconteceu, embora uma vez, em 1995, chegaram perto, mas nunca antes, ou depois. Ela se empolga e grita de alegria, como se Anastasia caminhasse sobre a água, coisa que é claro ela não faz. Ela não é nem mesmo obediente!

"Ela é da minha idade! Oh Christian! Eu acho que Anastasia e eu vamos ser as melhores amigas! " Diz ela me fazendo franzir a testa. O que há com Anastasia que as pessoas se apaixonam por ela, mesmo sem conhecê-la? Ela é como uma mulher da magia negra

Black Magic Woman by Santana

Nós não conseguimos chegar a casa dos meus pais rápido suficiente para salvar-me da conversa sem parar de Mia. Meus pais nos encontram na porta, e os dois abraçam Mia ao mesmo tempo. Nós andamos todos para a sala. Meu pai faz seus famosos martinis entregando-nos a cada um, um copo. Quando estamos sentados juntos e começamos a falar de Paris, Elliot chega. Mia corre para ele, e ele a levanta,  girando-a  "irmãzinha! Eu senti muito sua falta! ", diz ele.

"Oh, Elliot, eu senti sua falta também!" declara Mia com entusiasmo.

Ele aperta a mão do meu pai, e dá um abraço em minha mãe. Ele vem para apertar a minha mão e, com um sorriso malicioso ", sua namorada Ana manda dizer oi!", ele me diz. Eu estreito meus olhos sobre ele, mas ele me ignora.

Mia se empolga... de novo.

"Você já a encontrou?" E ela vem e dá um soco no meu braço novamente.

"Idiota! Por que eu sou a única que nunca tinha ouvido falar dela até que mamãe me disse, e nunca a encontrou? " ela me repreende.

"Por uma razão," eu digo, "você estava vivendo em Paris, até cerca de uma hora atrás. Elliot a conhece porque ele sai com a colega de apartamento de Anastasia,  " eu digo dando-lhe um olhar calculado.

"Oh, isso me lembra", diz minha mãe.

"Será que vocês dois poderiam convidar suas namoradas para o jantar que teremos amanhã em honra do retorno de Mia? Dessa forma, todos nós podemos conhecer as duas, " diz ela sorrindo. "Anastasia é uma garota muito doce. Tenho certeza que todos vão amá-la! "  Diz ela para a família em geral.

"Sim, ela é", diz Elliot com um pouco de entusiasmo extra, sorrindo, me fazendo ciúmes. Eu franzo a testa.

"Eu também estou ansiosa para conhecer Kate. Ela parece ser uma garota bonita e amorosa," acrescenta ela para o benefício de Elliot. Amorosa? Eu não sei de onde ela tirou essa idéia, mas "esmagadora de bolas” deve ser seu real nome do meio.  Minha carranca deve ter permanecido no meu rosto, porque Elliot brinca comigo novamente.

"É como tirar doce de um barril com você, mano! Você está tão apaixonado por ela! " Diz ele, fazendo com que todas as cabeças se voltassem para mim.

"Nós só estamos saindo há pouco tempo. Ela é simplesmente muito cativante, adorável. Eu gosto muito dela, mas eu não estou apaixonado", eu digo através de mal contidos dentes cerrados, defensivamente.

Minha mãe repreende Elliot.  "Elliot, pare de provocar seu irmão. Por que ele não deveria estar apaixonado por ela? Ela é uma garota adorável ", diz ela.

Mia estreita os olhos. Ela tem certeza que vai testar algo amanhã. Eu vou ter que estar atento.

Depois do jantar, passo o tempo com minha família falando sobre a nossa infância, os Mariners e negócios. Como o tempo avança, eu lentamente me levanto e digo à minha família que eu tenho uma agenda lotada amanhã, então eu tenho que ir. Mia dá-me um grande abraço e mamãe me dá um beijo na bochecha, enquanto meu pai e Elliot apertam minha mão.

Eu amo a minha família, mas eu só posso tomar pequenas doses da combinação Mia e Elliot com escrutínio e provocações agora que eles sabem que eu tenho Anastasia na minha vida. Eles vão ter uma visão de Anastasia amanhã.

Enquanto Taylor leva-me para casa, eu dou uma olhada nos meus e-mails. Há um de Elena me pedindo para encontrá-la para almoçar ou jantar na próxima semana. Eu acho que seria bom para nós. Eu posso contar-lhe sobre Anastasia. Eu me pergunto o que ela vai pensar dela. O pensamento me faz sorrir. Ela é diferente de qualquer uma das garotas que eu tive como minha sub antes. Eu escrevo-lhe de volta dizendo que eu poderia encontrá-la depois de eu confirmar a minha agenda com Andrea, e que eu mandarei um e-mail de volta para ela sobre isso.

Nós chegamos ao Escala, e é muito tarde. Eu leio uns poucos relatórios de negócios, e vou para a cama ansioso para o domingo chegar.

*****

Eu acordo cedo, como de costume para ir malhar. Tão logo o meu treino termina, eu venho e tomo meu banho e me visto. Enquanto a Sra. Jones prepara o meu café da manhã, eu escrevo uma mensagem para Anastasia.
__________________________________________
De: Christian Grey
Assunto: Minha Vida em Números
Data: 29 de maio de 2011 08:04
Para: Anastasia Steele

Se você vier dirigindo você precisará desse código de acesso para a garagem subterrânea do Escala: 146963. Estacione na vaga 5 - é uma das minhas. Código para o elevador: 1880.

Christian Grey CEO,
Grey Enterprises Holdings Inc.
__________________________________________

Eu clico em enviar, e me encaminho para a barra da cozinha para o meu café da manhã e tomar o meu café. Meu Blackberry vibra enquanto eu dou uma mordida nos ovos. É Anastasia.
__________________________________________
De: Anastasia Steele
Assunto: Um Vintage excelente
Data: 29 de maio de 2011 08:07
Para: Christian Grey

Sim, Senhor. Compreendido. Obrigada pela champanhe e o balão  Charlie Tango, que agora está amarrado na minha cama.

Ana
_________________________________________

Como ela faz isso? Ela pode me interessar e cativar com palavras simples. Agora estou com ciúmes de um objeto inanimado! Deus Todo-Poderoso! O que está acontecendo comigo?
__________________________________________
De: Christian Grey
Assunto: Inveja
Data: 29 de maio de 2011 08:10
Para: Anastasia Steele

De nada. Não se atrase.
Sortudo Charlie Tango.

Christian Grey CEO,
Grey Enterprises Holdings Inc.
__________________________________________

Eu estou em meu estúdio olhando as propostas de negócios que Andrea tinha rascunhado, mas eu me sinto incapaz de me concentrar. Anastasia está vindo hoje, e eu percebo que eu gosto imensamente dela. O que traz o fato de que ela é também muito nova para o meu mundo escuro. Isso é realmente para ela? Estou sendo injusto com ela por apresentá-la a algo escuro como isto? É o que me atormenta por dentro. Eu sei que ela se machuca com facilidade. Como quando eu não fiquei na casa dela. Encontro-me quebrando minhas próprias regras a torto e a direito. Eu quero continuar quebrando minhas próprias regras? Eu gosto das minhas regras! Elas trazem ordem ao caos. Mas... mas, quando se trata de Anastasia, ela não conhece nenhuma regra. Ela apenas passa através de todas as minhas paredes, que eu meticulosamente construí ao longo dos anos.

Mas, então, quero aproveitar o momento ... com ela. 



Dust in the Wind by Kansas

Ela significa muito para mim. Eu não quero vê-la machucada. Sexta-feira à noite, eu a vi toda destroçada, chorando, e eu não tinha nenhuma maldita idéia! Ela é muito reticente, e eu sou muito fodido! Eu dou voltas no meu estúdio, correndo as duas mãos pelos meus cabelos, exasperado. Eu quero desesperadamente dar-lhe a oportunidade de decidir, e... e, talvez, dizer ‘não’ para o nosso arranjo. Ela se machuca facilmente, e eu estou muito preso em minhas regras. Mas por outro lado, o tempo para não me comprometer já passou, e eu sou seu namorado... para todos os desejos e propósitos. Quando eu penso no título, o meu coração se aperta e fluxos de algumas emoções desconhecidas atravessam todo meu corpo. Estou dividido entre o que eu sei, o que é familiar, e o que é desconhecido, mas eu desejo fervorosamente.

O que eu quero é ela: isso é claro e simples. Mas eu também tenho esse desejo de protegê-la, cuidar dela... e estranhamente amá-la em todos os sentidos da palavra. Eu poderia encontrar um meio termo? Será que ela quer ficar no meio termo comigo?

Eu tomo a minha resolução: Não importa o quão difícil seja , eu vou dar-lhe a oportunidade de decidir. Agora que ela sabe o que eu sou. Eu vou deixá-la decidir... Eu não sei se eu poderei aguentar se ela decidir contra isso, mas eu vou ter que dar a ela a chance. Ela é inocente como uma criança

Sweet Child ‘O Mine by Guns N Roses

Eu estou me matando aqui. E se ela disser que não quer ter nada a ver com o meu estilo de vida? Posso lidar até mesmo com isso? Posso lidar com isso se ela sair com o fotógrafo? Eu não posso nem lidar com a menção do nome de José... Eu não acho que posso lidar com ele segurando-a, beijando-a, fodendo-a! Droga! Eu quero dar um soco em alguma coisa! Verifico a hora. Passa das 11:00 h.  Eu chamo o escritório de Taylor.

"Taylor!"

"Sim, senhor".

"Eu preciso malhar. Vamos!" Ele faz uma pausa durante três segundos. Outra expressão chocada de Taylor, e ele diz: "Eu estarei lá em quatro minutos senhor."

Isso vai me dar tempo para voltar para minha roupa de malhar. Eu tenho que limpar a minha cabeça. Em seis minutos contados, Taylor e eu estamos de volta ao ginásio. Eu me aqueço, e vou direto para o saco de pancadas, e os olhos de Taylor se alargam um pouquinho, e ele balança a cabeça discretamente, mas eu percebo. Ele sabe por que estou nervoso. Ele quer dizer algo para mim, mas algo em meu comportamento que o impede de dizer qualquer coisa.

"Eu vou segurar, você soca, senhor", diz ele. Concordo com a cabeça. Mesmo que Claude Bastille não está aqui, eu ainda quero chutar o traseiro de alguém. Taylor é o homem certo para o trabalho agora.

Taylor sabe o que está vindo, e é realmente algo que ele está esperando. Ele foi treinado em artes marciais e combate corpo a corpo; então isso é algo em que ele é realmente bom.

"Tudo bem senhor! Vamos tê-lo!" ele diz sorrindo. Eu sorrio de volta para ele. Nós circundamos um ao outro, observando. Ele faz o primeiro ataque, e ele é realmente letal, mas eu aprendi alguns truques com Bastille. Eu contra ataco. Outros que estão treinando, param seu treino, e assistem a nossa demonstração de artes marciais. Na próxima hora, ele chuta minha bunda duas vezes para o chão, e eu chuto a sua uma vez. Ao final de uma hora, eu me sinto muito melhor, não é tão bom como chutar a bunda do fotógrafo, no entanto... isto vai resolver. Eu ainda estou preocupado que Anastasia pode simplesmente dizer não ao nosso acordo. Entretanto, eu vou dar a ela a chance de recusar-me hoje. Eu  gosto dela fodidamente, e o sentimento de querer protegê-la substitui o sentimento de propriedade, e não suponho  que esta parte é pequena... É maior do que qualquer coisa que eu sempre quis ter, ou possuir. Eu quero possuí-la, de corpo e alma como ela me possuiu. Eu sou massa de modelar em suas mãos!

Quando Taylor e eu demos a nossa última volta na esteira, percebemos que o público está nos aplaudindo, um bônus inesperado, já que nós demos tudo de nós. Nós dois estamos sem ar, mas eu estou muito mais relaxado, e ambos estamos sorrindo. Nós apertamos as mãos. Taylor diz "boa luta senhor. Você me balançou!"

"O mesmo para você, Taylor."

Quando eu volto para minha cobertura, eu tomo outro banho, e coloco minha camisa de linho branco em cima do meu jeans. Agora eu posso esperar a Srta Steele um pouco mais composto e relaxado. Leio os jornais de domingo do Wall Street Journal, New York Times, Los Angeles Times e Seattle Times. Quando eu estou imerso na minha leitura, noto uma seção na página 8 do Seattle Times que suspende  minha respiração. É um novo primeiro para mim. Há uma foto de Anastasia e eu durante a sua formatura. Eu gauardo a página para mostrar a ela mais tarde.

Eu ouço o elevador para o meu apartamento ding aberto. Menos de um minuto depois, Taylor entra com Anastasia para o salão onde eu estou lendo a seção financeira do WSJ (N.T.Wall Street Journal). Eu levanto os olhos, e a vejo naquele vestido roxo que eu queria arrancar dela. Suspende minha respiração quando eu a vejo assim. Ela é tão encantadora; eu me levanto e  caminho em direção a ela como um autômato.

Sentindo um brilho de emoção nos meus olhos, eu caminho em sua direção sem desgrudar meu olhar de cima dela. Eu me sinto muito excitado sem conseguir tirar o sorriso do meu rosto. Nossos olhos permanecem trancados, e todo o resto desaparece. Ela fica imobilizada na entrada da sala. A carga entre nós é evidente e vai ficando maior enquanto eu fecho a distância que nos separa.

Sinto-me puxado para ela, como pela gravidade do sol, e eu sou um planeta indefeso, orbitando-a. Eu paro bem diante dela.

"Hmm ... esse vestido", murmuro aprovando enquanto eu olho para ela com apreciação. Estou muito feliz que ela esteja aqui.

"Seja bem-vinda, Srta Steele," Eu sussurro e, apertando-lhe o queixo, eu me inclino para baixo e coloco um leve beijo em seus deliciosos lábios suaves. Assim que nossos lábios se tocam, a pulsação entre nós fica mais forte, e um choque elétrico passa por meu corpo enquanto eu vejo os mesmos efeitos sobre ela porque sua respiração suspende.

"Oi", ela sussurra ruborizada. Eu simplesmente amo essa cor nela. Tão inocente, incrivelmente sedutora, e mais do que hot,  me excitando.

"Você está na hora. Eu gosto de pontualidade. Venha." Eu pego a mão dela e a levo para o sofá.

"Eu queria lhe mostrar uma coisa", eu digo enquanto nos sentamos. Eu entrego-lhe o Seattle Times. O jornal está aberto na página oito, com uma foto de nós dois. Eu sou como um menino novamente, excitado sobre algo que diz respeito a nós dois, quase afirmando-nos como um casal. Ela olha para ele, seus olhos se abrindo surpresos. Ela verifica a legenda.

Lê-se:

Christian Grey e amiga na cerimônia de formatura na WSU Vancouver. Isto a faz rir.

"Então, eu sou sua ‘amiga’ agora", ela brinca

You're in My Heart - Rod Stewart

"Isto parece. E está no jornal, então deve ser verdade." Eu sorrio forçado. Sento-me ao seu lado, virando todo o meu corpo inteiramente para ela, colocando uma de minhas pernas sob a outra. Curvando-me, ponho o seu cabelo atrás da orelha com o dedo indicador. Ela fecha os olhos com o meu toque, como se estivesse sendo despertada de um longo sono, viva, toda sensações e sentimentos, espera e desejo. Eu me sinto da mesma maneira com a nossa conexão. Eu estou cheio de desejo por ela.

"Então, Anastasia, você tem uma idéia muito melhor do que eu estou querendo desde que você esteve aqui da última vez".

"Sim", ela sussurra com curiosidade em seu olhar.

"E ainda assim você voltou", eu digo com admiração. Eu meio que esperava que ela não viesse. Ela concorda timidamente fazendo os meus olhos queimarem de desejo por ela sabendo que ela me quer. Não há nada mais quente do que uma mulher que você deseja que deseja você também tão fortemente. Eu balanço minha cabeça lutando para colocar prá fora as palavras que pratiquei ao longo de toda a manhã. Eu tenho que dar a ela a chance de dizer não, de se afastar... A ansiedade retorna enquanto eu tento controlar o sentimento. Talvez possa esperar um pouco mais.

"Você já comeu?" Eu pergunto.

"Não", ela responde.

"Você está com fome?" Pergunto tentando não parecer nervoso.

"Não de comida", ela sussurra, pegando-me completamente de surpresa fazendo minhas narinas se abrirem levemente em reação a sua paixão. A mulher está diante do meu próprio coração, caramba! Isso vai tornar muito mais difícil conseguir colocar para fora o que eu tinha planejado dizer toda a manhã. Eu me inclino para frente e sussurro em seu ouvido. "Você está tão ansiosa como sempre, Srta Steele, e apenas para deixá-la com um pequeno segredo, eu também estou. Mas a Dra. Greene é esperada aqui em breve." Eu sento-me.

"Eu gostaria que você comesse", eu a repreendo suavemente. Ela olha como se só então ela se lembrasse que  o médico estava chegando.

"O que você pode me dizer sobre  a Dra. Greene?", ela pergunta.

"Ela é a melhor OBGYN  (N.T. Obstetra/Ginecologista) de Seattle. O que mais posso dizer? " Eu dou de ombros.

"Eu pensei que eu ia ver o seu médico, e não me diga que é realmente uma mulher, porque eu não vou acreditar em você." Eu sei que ela está brincando, mas eu lhe dou um olhar não-seja-ridícula.

"Eu acho que é mais apropriado que você consulte um especialista. Você não acha?" Eu digo suavemente. E é claro que eu não quero outro homem olhando para suas partes íntimas, enquanto eu sou obrigado a ficar lá embaixo, e ele está lá em cima tocando-a em lugares que eu não quero que nenhum outro homem toque. Ela acena com a cabeça. Eu fecho a cara com este pensamento. Na verdade, eu nem mesmo gosto que uma mosca macho olhe para ela, muito menos um ser humano do sexo masculino! Eu me sinto incrivelmente possessivo em relação a ela. Eu quero que ela seja apenas minha. Apenas minhas mãos, meus lábios, minha masculinidade nela. Nenhum outro mais!

Oh! Acabei de me lembrar. Eu tenho que convidá-la para a festa da minha mãe para Mia. Essa é outra situação constrangedora para mim, porque eu nunca tinha levado uma garota na casa dos meus pais. Eu me sinto como um garoto de escola. Eu deveria sentir-me estranho com isso?

"Anastasia, minha mãe gostaria que você viesse para jantar esta noite. Acredito que Elliot está chamando a Kate também. Eu não sei como você se sente sobre isso. Vai ser estranho para mim apresentá-la a minha família. "

Seu rosto cai com a minha última frase. Oh, ela me entendeu mal. "Você está com vergonha de mim?", ela diz com voz magoada.

"Claro que não", eu digo com fervor.

"Por que é estranho, então?" ela pergunta curiosa.

"Porque eu nunca fiz isso antes", eu digo suavemente. Então ela atira a bola para mim.

"Por que você tem autorização para revirar os olhos, e eu não tenho?" Estou surpreso, e olho para ela piscando.

"Eu não sabia que eu estava", eu respondo com sinceridade.

"Nem eu, normalmente", ela atira em mim. Eu a encaro completamente sem palavras. Assim que eu consigo organizar meus pensamentos, Taylor aparece na porta.

"Dra. Greene está aqui, senhor, " diz ele. Concordo com a cabeça.

"Faça ela subir para o quarto da Srta Steele," eu o oriento.

"Pronta para um pouco de contracepção?" Eu levanto e estendo minha mão para ela.

"Você não vai vir também, não é?", Diz ela ofegante, e completamente chocada, me fazendo rir.

"Eu pagaria um bom dinheiro para assistir, acredite, Anastasia, mas eu não acho que a boa doutora iria aprovar." Ela dá um suspiro de alívio pegando a minha mão, e eu a puxo para meus braços e a beijo profunda e apaixonadamente. Todas as suas reações tiram meu fôlego. Minha mão está em seu cabelo segurando a cabeça bonita, e eu a puxo de encontro a mim, nossas testas uma contra a outra.

"Estou tão feliz que você está aqui", eu sussurro completamente feliz. "Mal posso esperar para ter você nua".
Dra. Greene anda atrás de Taylor para o quarto; ela, alta, loira, e impecável, vestida em um conjunto  azul royal. Anastasia parece um pouco intimidada. Oh, esta médica não tem nada melhor que ela. Eu não gosto de loiras primeiramente, e agora, eu só estou com Anastasia, e ninguém mais tem importância.

Os cabelos longos da Dra. Greene estão presos em um coque elegante. Ela parece estar com seus quarenta e poucos anos.

"Sr. Grey. " Ela diz apertando minha mão.

"Obrigado por ter vindo tão rapidamente", eu digo.

"Obrigado por fazer valer meu tempo, Sr. Grey. Srta Steele." Ela sorri, seus olhos frios e avaliadores. Ela aperta a mão de Anastasia impessoalmente, avaliando-a e gostando do que vê. Finalmente, parece que Anastasia gosta dela também. Elas têm uma afinidade imediata. A boa doutora me dá um olhar aguçado. Oh, ela quer começar a trabalhar. Eu estava esperando que ela ignorasse a minha presença e iniciasse seu exame. Droga! É difícil por um minuto, mas eu aproveito a minha deixa.

"Eu vou estar lá embaixo" murmuro, deixando o quarto de Anastasia.

Eu vou para minha sala de estar, coloco meu iPod no suporte do sistema estéreo, e ligo a minha música clássica e volto a ler os jornais  de domingo sentado no meu sofá. Eu leio um pouco. Mas a minha mente constantemente se pergunta por Anastasia. A idéia de cuidar de minha mulher me relaxa. Eu me sinto sereno, sabendo que ela está aqui agora, e aos meus cuidados. Quando estou pensando nisto, Anastasia e a Dra. Greene descem. Eu olho para as duas, e sorrio calorosamente para Anastasia.

"Terminaram?" Pergunto genuinamente interessado. Eu pego o controle remoto e aponto para o aparelho de som ao lado da lareira, que abriga meu iPod, e a ‘aria’ desaparece, mas continua em segundo plano. Eu levanto e caminho para Anastasia e a médica.

"Sim, Sr. Grey. Cuide dela, ela é uma mulher bonita, jovem e brilhante," diz a Dra. Greene me surpreendendo completamente. Eu não sou de hábito facilmente apanhado de surpresa. Anastasia  trabalhou sua magia na eficiente doutora, para ela me dar uma advertência indireta como esta.

"Eu tenho esta intenção," murmuro, confuso. Anastasia olha para mim encolhendo os ombros, ela parece envergonhada.

"Eu vou lhe enviar minha conta", diz a Dra. Greene friamente, enquanto ela aperta minha mão.

"Bom dia, e boa sorte para você, Ana". Ela sorri, seus olhos enrugando, enquanto ela aperta a mão de Anastasia. Que mulher sedutora eu tenho! Ela me torna orgulhoso dela a cada momento.

Taylor aparece sabendo pelo monitor que a Dra. Greene andou através do hall de entrada, pronto para levá-la até o elevador.

"Como foi isso?" Eu pergunto.

"Tudo bem, obrigada. Ela disse que eu tinha que abster-me de toda a atividade sexual pelas próximas quatro semanas, " diz Anastasia, meu queixo caindo em choque completo. Como? O quê? Como posso administrar ficar sem qualquer atividade sexual durante quatro semanas quando ela está ao meu alcance? Mas, então, seu rosto muda, e ela começa a rir como o gato Cheshire.

"Gotcha!", Diz ela. (N.T. Te peguei) Oh, baby, eu posso devolver-lhe, e você sabe disso. Eu estreito meus olhos, e ela imediatamente pára de rir. Na verdade, eu lhe dou um dos meus looks mais ameaçadores. Ela parece confusa e meio apavorada, o sangue fugindo do seu rosto. Mas, eu não quero que ela fique com medo, e desta vez eu não consigo parar de rir.

"Gotcha!" Eu digo sorrindo. Eu a agarro pela cintura e a puxo contra mim.

"Você é incorrigível, Srta Steele," Eu sussurro, olhando em seus belos olhos azuis enquanto eu enrolo meus dedos em seu cabelo, segurando-a firmemente no lugar. Eu a beijo, duro, e com fervor, enquanto ela se segura nos meus braços como apoio. Minha ereção está crescendo, assim como o meu desejo por ela, e eu estou pronto para tomá-la, mas pretendo fazer isso por um tempo longo, então eu preciso alimentá-la, antes de começar a fazer qualquer outra coisa.

"Por mais que eu gostasse de tomar você aqui, agora, você precisa comer e eu também não quero que você desmaie em cima de mim mais tarde", murmuro contra seus lábios deliciosos.

"É tudo o que você quer de mim - meu corpo?", ela sussurra. Oh baby, eu quero você para mais do que isso. Talvez no início era o corpo, mas, nas últimas semanas, tudo mudou.

"Isto e essa sua boca inteligente", eu respiro. Eu a beijo de novo apaixonadamente, e depois a solto abruptamente, pegando sua mão e levando-a para a cozinha. Ela está cambaleando atrás de mim.

"Qual é a música?" Ela pergunta sobre a ária tocando no fundo.

"Villa Lobos, uma Aria de Bachianas Brasileiras. Bom, não é? "Eu pergunto. 

Villa Lobos: Bachianas Brasileira n.5 – Anna Moffo

"Sim", ela murmura em total acordo. A barra de almoço já está posta para dois. Eu pego na geladeira a salada de frango que a Sra. Jones tinha preparado anteriormente.

"Chicken Caesar Salad,  tudo bem para  você?" Eu pergunto, e ela parece aliviada.

"Sim, ótimo, obrigada", diz ela olhando para mim ao me mover pela cozinha. Percebo ela refletindo novamente. Será que ela está cismando com alguma coisa? Ela não parece angustiada. Parece que ela tem alguns pensamentos agradáveis, e de repente eu quero saber o que ela está pensando.

 "O que você está pensando?" Eu pergunto, puxando-a de seus devaneios. Ela cora, o que é um bom sinal. Todos os seus pensamentos sexuais fazem-na corar assim, como eu descobri.

"Eu estava apenas observando a forma como você se move." Eu levanto uma sobrancelha, divertido.

"E?" Eu digo secamente, sondando-a para obter mais informações. Ela cora um pouco mais. Isto é bom, hein? Eu penso comigo mesmo.

"Você é muito gracioso", diz ela timidamente.

"Oh, obrigado, Srta Steele," murmuro sentando ao seu lado. Pego uma garrafa de vinho e pergunto: "Chablis?"

"Por favor", é a resposta dela.

"Sirva-se de salada", digo em voz baixa. Minha mente vai para a visita do médico. Estou curioso para descobrir por qual método de controle de natalidade, ela optou.

"Diga-me – por que método você optou?" Ela parece um pouco confusa com minha pergunta. Mas, então, percebe o que quero dizer.

"Mini pílula", diz ela. Eu franzo a testa. Ela tem que se lembrar de tomar todos os dias, na mesma hora o que pode ser entediante.

"E você vai se lembrar de tomá-la regularmente, na hora certa, todos os dias?" Eu pergunto. Sua boca inteligente como sempre se encarrega de responder.

 "Eu tenho certeza que você vai lembrar para mim," ela murmura secamente, me divertindo.

"Eu vou colocar um alarme no meu calendário", eu digo sorrindo.

"Coma," Eu ordeno suavemente. Para minha surpresa, ela limpa o prato pela primeira vez, e ela faz isso antes de mim. Ou ela estava morrendo de fome, ou muito ansiosa.

"Ansiosa como sempre, Srta Steele?" Pergunto sorrindo para seu prato vazio. Ela me olha por baixo de seus longos cílios.

"Sim", ela sussurra, me pegando completamente desprevenido, fazendo minha respiração parar. Ninguém nunca pronunciou uma única palavra que me afetasse tanto quanto o seu único 'sim' fez neste momento. Esta é a hora que eu tenho que perguntar a ela. Eu tenho que dar a ela a chance de dizer 'não' mesmo que eu não queira. Porque se eu não perguntar a ela agora, eu nunca vou ser capaz. Eu reuno toda a minha força de vontade para dar a ela a chance que eu sei que ela merece. Eu fico olhando para ela atentamente. A atmosfera entre nós lentamente muda, evolui... carrega. Eu sei que meu olhar fica escuro, de fato fica como brasa quente fumegante e ela está bloqueada e perdida nele. Eu levanto, fechando a distância entre nós, e a puxo para fora da banqueta em meus braços, onde ela pertence.

"Você quer fazer isso?" Eu respiro, olhando-a fixamente.

"Eu não assinei nada", diz ela. E minha mente vai, 'foda-se a papelada!' mais uma vez.

"Eu sei - mas eu estou quebrando todas as regras esses dias."

"Você vai me bater?" Ela pergunta meio assustada.

"Sim, mas não vai ser para te machucar. Não quero punir você agora. Se você me pegasse ontem à noite, bem, isso teria sido uma história diferente," eu digo honestamente. Mas ela está perplexa, pálida.

 "Não deixe ninguém tentar convencê-la de outra forma, Anastasia. Uma das razões por que as pessoas como eu gostam de fazer isto é porque nós gostamos de dar ou receber dor. É muito simples. Você não, então eu passei uma grande parte do tempo ontem e esta manhã pensando sobre isso", eu digo a ela honestamente. Eu puxo-a contra mim, e a minha crescente ereção pressiona sua barriga. Eu a quero. Eu preciso dela, eu a desejo em um nível, profundo, básico, primitivo e eu sei que ela se sente assim,  que é algo que nenhum de nós pode nem começar a entender. A carga entre nós está sempre presente.

"Você chegou a alguma conclusão?", Ela sussurra.

"Não, e agora, eu só quero te amarrar e foder loucamente. Você está pronta para isso?" Eu digo ardendo em chamas.

"Sim", ela respira, e eu me rendo, e nada nem ninguém pode me impedir de me tornar um com esta mulher.
"Ótimo. Venha," eu digo pegando a mão dela, deixando os pratos sujos na barra de café da manhã, e nós seguimos para o andar superior. Minha mente está sob o efeito da excitação. Eu quero essa mulher tão fodidamente, que me dói por dentro. Eu abro a porta da minha sala de jogos, recuando um pouco para ela entrar, e mais uma vez ela está na minha Sala Vermelha. Ela inala o cheiro de couro, frutas cítricas, madeira escura polida e sussurra, "muito sensual" quase inaudível.

Minha postura muda automaticamente quando eu estou na minha sala de jogos. É a postura de um dominante: é mais dura e imponente. Eu olho para ela e meus olhos estão aquecidos, lascivos... hipnóticos.

"Quando você está aqui, você é completamente minha", eu respiro, cada palavra lenta e medida. Eu quero que ela entenda que eu tenho total controle neste quarto mais do que em qualquer outro lugar. É o lugar em que eu exerço o meu domínio. Eu quero que ela entenda isso muito bem. Não há espaço para sua boca inteligente aqui. Tem que ser eu, que estou dominando neste lugar em particular. Eu, e apenas eu. Eu olho para ela disposto a fazê-la entender a minha condição:

"Para fazer o que eu achar melhor. Você entendeu? " O meu olhar é muito intenso. Ela concorda com a cabeça, os olhos arregalados, seu rosto corando enquanto o seu coração bate forte, rapidamente. Ok, então. Agora as regras.

"Tire os sapatos," Eu ordeno suavemente. Ela engole seco, e mais uma vez desajeitadamente, quase tropeçando em seus próprios sapatos, ela os tira. Eu me curvo e pego e coloco-os ao lado da porta.

"Ótimo. Não hesite quando eu lhe pedir para fazer alguma coisa. Agora eu vou arrancar você fora desse vestido. Algo que eu queria fazer há alguns dias, se bem me lembro. Eu quero que você se sinta confortável com seu corpo, Anastasia. Você tem um corpo bonito, e eu gosto de olhar para ele. É uma alegria para os olhos. Na verdade, eu poderia olhar para você o dia todo, e eu quero você desembaraçada e sem vergonha da sua nudez. Você entendeu? "

"Sim", ela sussurra.

"Sim, o quê?" Eu me inclino sobre ela, encarando.

"Sim, senhor", ela altera hesitante.

"Você quer dizer isso?" Eu rebato.

"Sim, senhor", diz ela, mais resolutamente.

"Ótimo. Levante os braços acima da cabeça. "Ela faz como é instruída, e eu estendo a mão e agarro a barra. Eu puxo o vestido por suas coxas, seus quadris, a barriga, os seios, os ombros, e sobre sua cabeça. Eu dou um passo atrás para examinar sua beleza e distraidamente dobro seu vestido, não tirando os olhos de cima dela como um falcão observando sua presa. Eu coloco o vestido agora dobrado sobre a poltrona ao lado da porta. Quando ela está excitada, seu lábio delicioso vai para o cativeiro de seus dentes. Eu me aproximo e puxo o queixo lembrando a ela.

"Você está mordendo o lábio," eu respiro. "Você sabe o que isso faz para mim", acrescento sombriamente.

"Vire-se", eu ordeno e ela obedece imediatamente, sem hesitação. Eu desabotoo seu sutiã e em seguida, pegando ambas as alças, eu lentamente e sensualmente puxo-os para baixo pelos braços, enquanto arranho sua pele com meus dedos e a ponta dos meus dedos, enquanto eu tiro seu sutiã fora. Os toques leves despertam mais sentidos do que os mais fortes, porque o corpo está completamente alerta, esperando, desejando, querendo e pronto para receber. Eu sei que o meu toque está enviando arrepios por sua espinha, acordando cada nervo em seu corpo. A energia entre nós é palpável, palpitante, e densa. Eu estou atrás dela, tão perto que podemos sentir o calor irradiando um do outro, eu estou aquecendo-a, e ela está aquecendo a mim, aquecendo-me todo. Eu puxo seu cabelo de modo que ele fica todo pendurado nas costas.

Eu agarro um punhado em sua nuca, e viro sua cabeça para um lado. Eu passo o meu nariz em seu pescoço exposto, inalando por todo o caminho, e então de volta até sua orelha. Eu amo o jeito que ela cheira. Baunilha, ar livre, sabonete e minha mulher. Sua excitação também é evidente no seu cheiro, que traz uma mistura inebriante de almíscar misturado em seu próprio perfume natural. Seu corpo responde ao meu, nessa proximidade, mesmo que eu não a toque, e o meu faz a mesma coisa. Eu estou cheio de desejo carnal por ela, mas é mais que isso. Há uma parte de mim que quer consumi-la, devorá-la, amá-la de uma forma que ninguém nunca fez, nem nunca fará. Uma parte escura profunda de  mim quer fazer as coisas que a marcarão como minha . Isso é o quanto eu a quero e a desejo .

"Você cheira divino como sempre, Anastasia," Eu sussurro enquanto eu deposito um beijo suave sob sua orelha. Ela geme.

"Quieta", eu respiro. Eu quero que ela fique em silêncio aqui, completamente à minha disposição. Totalmente obediente. "Não faça um som", eu sussurro.

Eu puxo seu cabelo atrás da cabeça e começo a trançá-lo em uma trança grande o que noto que a surpreende. Eu amarro a ponta com um elástico de cabelo, e dou-lhe um puxão de modo que ela é forçada para trás contra mim.

 "Aqui eu gosto do seu cabelo trançado, " eu sussurro. É mais fácil de gerir, porque não prende nos diferentes brinquedos que eu tenho nesta sala, e, claro, dá-me um ponto de alavancagem, do que eu gosto. Eu libero seu cabelo e ordeno: "Vire-se." Ela obedece imediatamente, sem saber o que vem a seguir, sua respiração superficial. Quando eu olho para ela, vejo desejo, querer, e medo misturados em sua expressão facial. Ela parece atordoada, quase intoxicada; expectante.

"Quando eu disser para você vir aqui, é assim que você vai se vestir. Apenas com sua calcinha. Você entendeu? " Pergunto firmemente.

"Sim", ela responde. Já esquecendo quem é o chefe?

"Sim, o quê?" Eu olho fixamente para ela.

"Sim, Senhor", ela responde, sempre a aprendiz rápida fazendo-me reprimir um sorriso.

"Boa menina", eu digo com quente paixão.

"Quando eu disser para você vir aqui, eu espero que você se ajoelhe ali." Eu aponto para um local ao lado da porta. Eu quero que ela comece a praticar.

"Faça-o agora", eu ordeno. Ela pisca por um minuto tentando processar o que eu disse, então se vira, e um pouco desajeitada, ajoelha-se, como lhe foi ordenado. Eu suprimo outro sorriso diante de sua boa vontade e incapacidade. Outra indicação mostrando-me que ela é minha em muito mais que uma maneira; não ter realizado nada disto com outro homem.

"Você pode sentar-se em seus calcanhares," ao que ela reage sentando-se nos calcanhares.

"Coloque suas mãos e antebraços apoiados nas coxas. Bom. Agora, separe os joelhos. Mais. Mais. Perfeito. Olhe para o chão, " eu ordeno a fim de que ela assuma a posição submissa. Eu ando até ela, e seus olhos estão abaixados apenas capazes de ver meus pés descalços. Bom. Satisfeito com a instrução, eu estendo a mão e agarro a trança novamente, em seguida, puxo sua cabeça para trás de modo que ela está olhando para mim.

"Você se lembrará dessa posição, Anastasia?"

"Sim, Senhor".

"Ótimo. Fique aqui, não se mova. " Eu saio da sala enquanto Anastasia está esperando ajoelhada. O pensamento disto me deixa excitado. Eu vou para o meu closet, e abro um dos armários. Eu tiro a roupa e coloco o meu jeans excessivamente lavado, suave, mais velho e rasgado, de comando, deixando o botão de cima aberto. Pego também o meu brinquedo novo que eu comprei apenas para o prazer da Srta Steele. Volto à minha sala de jogos sabendo que ela está lá na porta, de joelhos, e esperando por mim. Minha excitação se torna maior ainda. Eu respiro fundo e entro no quarto. Eu fecho a porta. Eu penduro um robe para ela usar mais tarde atrás da porta. Encontrar Anastasia na posição em que eu a deixei  faz-me mais que feliz.

 "Boa menina, Anastasia. Você está linda assim. Parabéns. Levante-se," eu digo. Ela se levanta, mantendo o rosto para baixo como foi instruída.

"Você pode olhar para mim", eu digo baixinho. Ela espreita para mim enquanto eu olho de volta para ela atentamente, avaliando, mas meus olhos suavizam pela expressão em seu rosto, que é de temor e desejo. Ela percebe que eu não estou com minha camisa. Eu posso ver o desejo nela, querendo me tocar. Seus olhos deslizam para baixo no meu tronco, lentamente, percebendo o botão superior aberto do meu jeans. Ela toma uma respiração profunda, aumentando meu desejo por ela.

"Eu vou prendê-la agora, Anastasia. Dê-me sua mão direita," eu digo, e ela obedientemente me dá sua mão. Eu viro a palma de sua mão para cima, e antes que ela tenha a chance de piscar eu bato no  centro da palma de sua mão com um chicote,  que só agora ela percebe. Eu sei que não faz mal, mas é o suficiente para despertar os sentidos.

"Como é que você sentiu isto?" Eu pergunto-lhe curiosamente. Ela pisca para mim, confusa, como se não registrasse minha pergunta.

 "Responda-me," eu ordeno.

"Tudo bem", diz ela franzindo a testa.

"Não franza a testa," Eu ordeno a ela. Ela pisca e tenta olhar impassível. A carranca desaparece do seu rosto.

 "Doeu?" Eu pergunto.

"Não", ela diz surpresa. "Na verdade, não doeu nada, talvez uma pequena picada; nenhum mal."

"Isto não vai doer. Você entendeu?” eu digo.

"Sim", ela responde em um tom incerto, questionando.

"Eu garanto," eu digo tentando convencê-la. Sua respiração superficial cresce em emoção e expectativa. Eu mostro-lhe o chicote. É de couro marrom trançado. Seus olhos se levantam para encontrar os meus, e eles estão iluminados com fogo e um traço de diversão.

"Nosso objetivo é agradar, Srta Steele", murmuro.

"Vamos." Eu seguro seu cotovelo e a movo para debaixo da grade. Eu ergo o braço e puxo para baixo as correntes com algemas de couro preto.

"Esta grade é projetada de modo que as correntes se movam através dela", aponto para ela. Seu olhar segue a minha mão estendida, seus olhos se arregalando.

"Nós vamos começar aqui, mas eu quero foder você de pé. Então vamos acabar naquela parede lá, " eu digo apontando com o chicote para onde está na parede o grande X de madeira.

"Coloque suas mãos acima da cabeça," eu ordeno e ela obedece imediata e automaticamente. Ela está fascinada. Ela olha para mim com admiração, emoção, entusiasmo e confiança em seus olhos. Eu não vou decepcioná-la. Eu estou muito perto de seu corpo enquanto eu aperto as algemas. Seu olhar está ao nível do meu peito me observando. Ouço-a inalando o meu cheiro.

Eu dou um passo para trás e olho para ela. Desde que eu a conheci, eu a queria aqui, nesta posição. Agora ela está tão gostosa, eu mal posso manter minha expressão encoberta, luxuriosa, carnal, fora de seu olhar impotente... tudo a minha mercê. Mas não é apenas pelo desejo de tê-la a minha mercê, ou apenas para fodê-la; não é apenas isto, embora Deus saiba que está sempre presente. Mas eu anseio por ela como se nada do que fazemos é suficiente para preencher meu desejo por ela! Meu olhar reflete este desejo quando eu olho para o seu belo rosto. Eu ando lentamente em volta dela, admirando-a.

"Você parece bem poderosa amarrada assim, Srta Steele. E sua boca inteligente, tranquila por enquanto. Eu gosto disso." De pé na frente dela de novo, eu enrosco meus dedos em sua calcinha, e em um ritmo dolorosamente lento, mas sensual, eu as desço por suas pernas, despindo-a dolorosamente lento, e ao final do jogo eu estou ajoelhado em frente a ela. Sem tirar meu olhar do dela, eu amasso a calcinha na minha mão, levo-a até meu nariz, e inspiro profundamente. Seus olhos se abrem com espanto. Eu sorrio com a reação dela e coloco a calcinha no bolso de minha calça jeans.

Eu levanto do chão preguiçosamente, como um gato selvagem, e aponto o fim do chicote para seu umbigo, circulando-o distraidamente, atormentando-a prazerosamente. Assim que o couro do chicote a toca, ela estremece e suspira. Eu ando ao redor dela novamente com o chicote correndo em torno do meio de seu corpo. Depois de fazer um segundo turno em torno de seu corpo delicioso, eu sacudo o chicote rápido como uma picada de cobra, e ele bate nela debaixo do seu traseiro... de encontro a seu sexo. Este ataque surpreendente a faz gritar de surpresa, enquanto todos os seus nervos se esticam atentos. Ela puxa contra as algemas. É uma doce, estranha, prazerosa dor, uma sensação indescritível que é uma primeira experiência para ela.

"Quieta", eu sussurro no seu ouvido esfregando meu nariz, enquanto eu ando em torno de seu corpo novamente, arrastando o chicote um pouco mais em torno do meio de seu corpo. Desta vez, quando eu bato contra ela no mesmo lugar, ela está pronta e, antecipando a sensação. Seu corpo convulsiona com a mordida, doce picada, ela rola a cabeça para trás, a boca torna uma forma de O como se ela momentaneamente tivesse deixado seu corpo.

Eu faço o meu caminho em torno de seu corpo novamente, mas desta vez eu bato o chicote em seu mamilo fazendo-a jogar a cabeça para trás enquanto suas terminações nervosas cantam. Eu bato no outro e ambos os mamilos endurecem e se alongam com o assalto, e ela geme alto, puxando seus punhos de couro.

"Isto é bom?" Eu respiro.

"Sim", ela responde me excitando. Eu a atinjo nas nádegas desta vez como castigo.

"Sim, o que?" Peço firmemente.

"Sim, Senhor", ela choraminga. Eu dou uma parada desta vez, e ela mantem os olhos fechados enquanto está tentando absorver a miríade de sensações que seu corpo está experimentando.

Muito lentamente, eu multiplico pequenos, cortantes golpes do chicote para baixo em sua barriga, indo para o sul, finalmente, chegando ao seu clitóris onde o ataque a faz gritar em voz alta.

"Ah... por favor!" Ela geme.

"Quieta", eu ordeno, e bato em seu traseiro novamente para castigá-la. E, de repente, eu estou arrastando o chicote contra seu sexo, através de seus pêlos pubianos, até a entrada de sua vagina.

"Veja como você está molhada com isto, Anastasia. Abra seus olhos e sua boca, " Eu ordeno e ela faz o que eu digo, completamente seduzida. Eu empurro a ponta do chicote em sua boca.

"Veja como é o seu gosto. Chupe. Chupe forte, baby," eu ordeno, e ela fecha a boca em torno do chicote enquanto nossos olhos bloqueiam. Meus olhos estão brilhando por esta mulher incrível, e eu estou completamente em meu próprio elemento. Eu puxo a ponta de sua boca, e fico à sua frente e a agarro e a beijo forte, minha língua invadindo sua boca. Envolvendo meus braços em torno dela, eu a puxo contra mim, meu peito esmagando o dela, com as mãos dela presas acima dela.

"Oh, Anastasia, você tem um gosto muito bom, eu respiro.

"Devo fazer você ‘gozar?’" Eu pergunto com uma voz rouca.

"Por favor", ela pede.

Eu faço o chicote picar sua nádega. Ela grita.

"Por favor, o quê?" Eu pergunto a ela com firmeza.

"Por favor, Senhor", ela choraminga. Eu sorrio para ela vitoriosamente.

"Com isso?" Pergunto levantando o chicote até o nível de seu olhar.

"Sim, senhor".

"Você tem certeza?" Eu olho para ela com firmeza.

"Sim, por favor, Senhor", ela pede.

"Feche os olhos, então," Eu ordeno e ela obedece imediatamente. Eu começo com minúsculas, pequenas mordidas do chicote contra sua barriga primeiro, então eu desço, suaves pequenas mordidas contra o clitóris dela, uma vez, duas vezes, uma terceira vez, quarta vez, quinta, sexta... Uma e outra vez, até que, finalmente, ela está completamente gasta e goza ruidosamente, pendendo enfraquecida. Meus braços imediatamente a envolvem em torno de seu corpo, enquanto suas pernas amolecem. Ela está completamente dissolvida em meu abraço, a cabeça dela contra o meu peito. Ela está gemendo e choramingando com as réplicas de seu orgasmo correndo através de seu corpo.

Eu a levanto e a movo rapidamente, com seus braços ainda presos acima de sua cabeça, de costas para a cruz polida. Eu desabotoo os botões do meu jeans. Eu a coloco contra a cruz por um minuto curto e rasgo um pacote de preservativo e rolo no meu comprimento, em seguida, envolvo as mãos em torno de suas coxas, levantando-a novamente.

"Levante suas pernas, baby, enrole-as em volta de mim," eu ordeno. Ela obedece envolvendo suas pernas em torno de meus quadris, eu me posiciono debaixo dela, e entro nela com um impulso, e então eu estou dentro dela, o meu lugar favorito em todo o universo. Ela grita, gemendo. Meus gemidos em sua orelha são controlados. Seus braços estão descansando em meus ombros e eu penetro nela repetidamente, profundamente. De novo e de novo, finalmente minha respiração fica mais forte enquanto minha cabeça se inclina em seu pescoço. Eu já não estou podendo mais segurar quando eu vejo o seu orgasmo se aproximando e, inevitavelmente, ela goza de novo em voz alta, e meu auge acompanha o dela, gritando minha liberação com os dentes cerrados, segurando-a com força e perto de mim. Eu saio de dentro dela rapidamente e coloco-a contra a cruz enquanto meu corpo está apoiando o dela. Eu desato seus punhos, e ambos vamos para o chão completamente acabados.

Mas eu não terminei com ela ainda...


*
*
 ٩(^^)۶


13 comments:

Anonymous said...

Vhristian é Lindo!!!!!É tão amoros como ele fica tão cuimento com a Anastasia...Estou viciada nesses capitulos,e o que alegram me o dia...Obrigada...

Anonymous said...

Eu não entedo porque o Christian foi tão duro com a Anastasia na sua primeira vez no Quarto Vermelho da dor..porque?Porque ele deixa sempre ela deitar se com ele?

Anonymous said...

Eu não entedo quando o Christian tira fotos das submissas,tambem tirava a Anastasia??????

Anonymous said...

Por por por por por por por por por por por por por por favor favor favor favor favor favor favor favor favor ponha ponha ponha ponha ponha ponha ponha ponha ponha ponha ponha ponha outro outro outro outro outro outro outro?????????????????????????????????????????????????????????

Anonymous said...

por por por por por por por por por
por por por por por por por por por
por por por por por por por por por
favor favor favor favor favor favor
favor favor favor favor favor favor
favor favor favor favor favor favor
ponha ponha ponha ponha ponha ponha
ponha ponha ponha ponha ponha ponha
ponha ponha ponha ponha ponha ponha
um um um um um um um um um um um um
um um um um um um um um um um um um
um um um um um um um um um um um um
novo novo novo novo novo novo novo
novo novo novo novo novo novo novo
novo novo novo novo novo novo novo

anne caroline godoi said...

Que maldade ,parou o capitulo logo agora... Na melhor parte,rsrs. Adoro a parte em que a Ana vai conhecer os pais do Christian. Posta mais..

Anonymous said...

Adoro tambem quando a Anastasia vai visitar os pais de Christian e ele fica com medo que ela ia embora por causa dele...o que nao gosto é que ele vai pedir conselhos a Elena...
pr favor posta mais......

Arte, etc & tal said...

Quando vai sair o próximo capítulo? estou adorandoooo

Andrea Leoncio said...

ola Neusa, estou lendo tudo novamente e achei pertinente sugerir uma pequena correção neste capitulo, onde CG pergunta a Taylor como foi a viajem de volta a Seattle e ele responde·.

"Calma" e a seguir emenda "era noite, não tinha muito trafico" (acredito que o correto seja trafego ou transito).

Peço desculpas pela ousadia, eu amo este blog essa e a razão do meu excesso de zelo.
bjos

Kaila Alekena said...

Nesse momento me sinto confusa... tipo Anastasia se sentiu quando levou as primeiras palmadas... uma confusão que ela só conseguiu explicar por email, então me atrevo a fazer igual e escrever um email pra ele....

De: Kaila Alekena
Assunto: Você me confunde...
horário: 13:45
Para: Cristian Grey

Caro Srº Grey
Atrevo-me a escreve-lhe este email já que você tem sido personagem em meus sonhos eróticos, devo confessar-lhe que me sinto altamente exasperada com meus sentimentos em relação a você, uma hora quero dizer "vai a merda" e em instantes respondo-lhe "sim senhor", isto tem me colocado em um delicado conflito pessoal, então toda minha confusão está formada, tudo que quero como mulher X tudo que acredito ser o certo, o correto, imagino que me responderia ... "foda-se todos pre-conceitos", mas ajoelhar-me a sua espera, obedecer suas ordens sem ter nenhuma iniciativa, nem gemer pode, ah fala serio gostosura, eu quero gemer ao seu toque, quero olhar em seus olhos, quero fazer você gemer sem senti dor, aquele chicote agora me persegue, sua calça jeans é minha tara, mordo o lábio inferior te imaginando enlouquecer...
O que me diz disso Srº Grey?


Toda confusa mais ainda sua...;)
Kaila Alekena.




Andrea Leoncio said...

Oi Kaila, aqui estava eu revendo o início dessa história e me deparo com o seu email... foi ilário, eu morri de rir kkkk
vc tem um maravilhoso senso de humor, obrigada!

Daniela Martins said...

Boa noite, meninas!
Eu nao acho que CG, na primeira vez de Ana no quarto vermelho da dor, tenga pegado pesado com ela!
Pesado foi da outra vez, quando Ana o abandonou!
É tao bom saber o que CG está pensando e sentindo. Tudo isso graças ao seu POV, Emine!
Muito obrigada!
Bjkas

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry