StatCtr

Wednesday, May 1, 2013

Livro II - Capítulo XVII - Christian Grey e Anastasia Steele



CAPÍTULO DEZESSETE
FOGO E GELO
Tradução: Neusa Reis


Ansioso para ver Anastasia uma vez que eu não tinha sido capaz de falar com ela hoje, tanto quanto eu gostaria, eu fico nervoso, e eu tento terminar meu treino rapidamente. Desde que eu conheci Anastasia, minha mente está sempre ocupada com ela, e sobre ela. Minha mania por controle tomou uma nova dimensão. 

Every Breath You Take by Sting & The Police  

Enquanto eu estou ‘chutando a merda’ fora do manequim de kickboxing, Taylor está correndo a toda velocidade na esteira. Este homem pode fugir de um galgo! Ele tem o treinamento ao longo da vida, e a resistência. E ele se mantem com todo o seu treinamento Black-ops, tanto quanto possível. (N.T. Uma Black-operação ou Black-op é uma operação encoberta por um governo, uma agência governamental ou uma organização militar.) Ele pode correr 10Km em 38 minutos e 54 segundos, com 22 quilos de equipamento nas costas. O que me impressiona em relação a Taylor não são os requisitos de resistência física individuais de um militar, que ele é, mas o quanto ele pode aguentar  e ainda continuar. Ele não sabe quando parar. Isso é algo que eu entendo; por eu não ser um desertor. É uma coisa boa, porque eu não ando com desertores.



Taylor é um empregado leal, eu confio nele implicitamente; na verdade eu confio nele com a minha vida. Ele me viu em algumas das posições mais comprometedoras. Não que eu me importasse; eu o contratei por suas habilidades. Ele sempre se manteve extremamente profissional e sabia como tornar-se discreto, se por acaso ele encontrava-me espancando com um remo uma submissa estendida amarrada na mesa do café ou se ele tinha que interromper com algum tipo de emergência urgente, não-pode-esperar-até-Grey-ter-acabado-de-foder, ele conseguia manter uma cara séria, e interrompia a conexão - sem trocadilhos; embora seus olhos estivessem em qualquer lugar, menos em mim, e ainda assim vinha e me desviava da tarefa em curso. Eu não me importava como ele me interrompia, ou com quem, mas o jogo mudou desde que Anastasia está em minha vida. Eu não quero que ninguém a veja  nua, ou em vias de êxtase; isto é só para os meus olhos. 

For Your Eyes Only


Eu deixei isso bem claro para Taylor que, quando Anastasia e eu estamos em nossa privacidade, ele não deve me perturbar, ou se ele tem que fazer isso, ele deve fazê-lo através de outros meios. Ele não tem permissão para vê-la nua sob quaisquer circunstâncias. Devo ter amado Anastasia desde que eu a conheci, porque eu nunca impus antes essa regra para Taylor. Nunca! Anastasia é a primeira garota com quem eu ando de mãos dadas. Ela não sabe disso, porque eu nunca lhe disse. Toque físico é algo que eu evitava a todo custo. Anastasia sempre foi muito preciosa para mim. Não importa quão pervertida, quão crua, e carnal nossa foda seja; mas sempre tem sido fazer amor com Anastasia. Eu só fodi no passado. Eu nunca senti uma conexão emocional com qualquer mulher. Era repugnante para mim. Eu nunca persegui alguém que não fosse neste estilo de vida Dominante/Submisso. Eu não me preocupava em ensinar ninguém. Eu esperava que todas as subs soubessem o que estavam fazendo, e exigia que  tivessem resistência para a quantidade de merda pervertida que eu queria fazer com elas, e para elas. Fracas, ou uma sub que teve quinze minutos de chicotadas e falou 'vermelho', não seriam para mim! Ela estaria fora da porta no segundo que eu soltasse suas algemas com as roupas na mão. No entanto, eu não me importo que Anastasia odeie chicotadas e a merda extrema que eu usava para desfrutar. Eu queria fazer essas para Anastasia, e desfrutar com ela, mas no segundo que ela me deixou, todos esses sentimentos saíram pela janela. Eu a queria para mais, de outras maneiras do que merda pervertida. Eu não conseguia respirar, e pela primeira vez na minha vida, eu senti culpa por querer praticá-las sobre ela! Eu me desgostei de mim mesmo porque ela odiava chicotada. Anastasia me possui corpo e alma. Ela não é como nenhuma outra! Um de seus sorrisos pode levar um homem para o céu, e se ela fosse me tratar com indiferença, eu iria mover céus e terra para mudar isso, para cair em suas boas graças. Eu não consigo pensar em um mundo onde ela não exista. Eu não poderia existir! Não sem ela!

Mesmo Taylor gosta de Anastasia, e se eu não soubesse que ele estava apaixonado pela Sra. Jones, eu estaria com ciúmes, e eu o despediria, apesar do fato de que ele é o melhor funcionário que trabalha para mim. Mesmo sabendo que sua amizade é quase a mesma que eu sinto por minha irmã, eu ainda não consigo deixar de sentir uma pontada de ciúmes em mim, especialmente quando Anastasia mostra qualquer tipo de interesse em relação a ele mesmo que o sentimento seja 'avuncular'. O pensamento me faz  bater  no boneco com tanta força, que ele se inclina quase até o chão saltando para trás rígido, várias vezes, fazendo Taylor virar seu olhar para mim, impassivelmente, enquanto ele continua correndo. Eu me encaminho para as esteiras, configurando  a minha inclinação e a velocidade antes de eu começar a correr. O Blackberry de Taylor deve ter zumbido, porque ele habilmente desliza e salta fora da esteira, enquanto ele estava correndo em velocidade máxima.

"Taylor,” respondeu ele, e dentro de alguns segundos seus olhos dardejam nos meus. Eu imediatamente salto fora da cinta da esteira.

"Welch," ele fala sem som para mim, e eu estendo minha mão para o telefone.

"Grey aqui. O que foi? " Eu digo apreensivamente. Depois de Anastasia ter sido insistente em ir para Nova York com seu chefe, eu encarreguei Welch de cavar um pouco mais sobre um determinado Jack Hyde.

"Sr. Grey, eu tentei alcançá-lo em seu telefone, senhor, mas uma vez que você não atendeu, liguei para Taylor. "




"Você me tem agora. O que você encontrou?" Eu digo com impaciência.

"Eu vou enviar por email os antecedentes para você em breve, senhor, mas eu queria informar a você sobre minhas entrevistas com a ex-PAs do Sr. Hyde. Jack Hyde teve sete assistentes nos últimos 15 meses. A Srta. Steele é a oitava assistente que ele teve neste curto espaço de tempo." Eu tremo, mas eu já estava ciente desta informação.

"Sim, eu estava ciente disso desde a sua verificação inicial de antecedentes. O que você encontrou de novo?"

"Senhor, eu, pessoalmente, fui entrevistar todas essas jovens senhoras; eu consegui entrevistar cinco delas e há alguns denominadores comuns em todas elas. Eles são todas jovens, em seus vinte e poucos anos, recém-formadas, ou estão trabalhando por apenas um par de anos. A única assistente que trabalhou para ele mais longo tempo foi por apenas três meses. Outras trabalharam com duração ainda mais curta. Isso despertou meu interesse, e quando fui casualmente entrevistar e questioná-las sobre isso, nenhum delas era accessível. Todas elas tinham um roteiro com a imagem de Jack Hyde e as respostas foram quase textualmente iguais, senhor."

"Como você se apresentou para elas?"

"Eu disse a elas que Jack Hyde estava sendo considerado para uma posição mais elevada na empresa, e nós estávamos procurando ver se ele era capaz de gerenciar um número maior de funcionários uma vez que ele teve várias assistentes que não manteve. Nós não queremos o efeito porta giratória na empresa. Ele era difícil de se trabalhar? Qual foi a coisa mais difícil ao trabalhar para Sr. Hyde? Por que você acha que ele trocou tanto de assistentes? Era fácil trabalhar com ele? "

"Interessante. O que elas disseram?"

"A mesma coisa, senhor. Sim, seu chefe era exigente; ele exigia perfeição de sua assistente. Mas ele era o melhor chefe para trabalhar. Ele era profissional... Era tudo um roteiro. Fiz-lhes perguntas circulares. Se o Sr. Hyde foi o melhor chefe, por que elas não ficaram na SIP? Por que elas não obtiveram recomendações de Jack Hyde? E algumas delas ficaram muito desconfortáveis com essas duas perguntas. Algumas nem sequer trabalharam mais em publicação, ainda que se formassem em literatura na faculdade. O que elas não diziam, mas a sua linguagem corporal mostrava, era a parte mais interessante, senhor," diz ele. Eu sou pura atenção.

"O que você descobriu?" Eu digo silenciosamente, quase ameaçadoramente.

"Senhor, eu obtive a resposta ‘lutar ou fugir’. (N.T. A resposta "lutar ou fugir", também chamada de reação de estresse agudo,  é uma reação instintiva acionada quando uma pessoa enfrenta perigo. Vem com uma explosão de adrenalina, enquanto o coração bate mais rápido, capacitando a pessoa a ficar firme e lutar ou virar as costas e correr. Independente da decisão instantânea, seja ela  lutar ou fugir, o resultado desejado é a sobrevivência.) Estressadas. Todas cinco tinham um sorriso tenso quando elas disseram que seu chefe era um homem maravilhoso, olhos dilatados; respondendo com um pé no acelerador e outro no freio, senhor ".

"Explique,” eu digo.

"Bem, senhor, se fosse apenas a resposta com o pé no acelerador, elas dó teriam se tornado irritadas ou agitadas. Esse é o tipo de resposta aquecida, excessivamente emocional, tensa e incapaz de ficar parada. E depois há a resposta com o pé no freio quando a interrogada fica introvertida. Elas desligam ou se distanciam, ou mostram muito pouca emoção. Mas quando eles têm as duas, é o pior tipo de resposta. Eles ficam tensas e congelam. Elas parecem paralisadas, mas eu podia ver pelo seu  olhar que elas estavam extremamente agitadas. Mãos fechadas com tanta força, que as juntas ficam brancas, rosto empalidecendo, pupila dilatada, a respiração aumentada, fechando-se com braços cruzados." Então, ele limpa a garganta.

"Senhor, elas também tinham todos os sinais físicos da mentira. Aqui está uma simples pergunta que eu fiz: ‘Que tipo de patrão era Jake Hyde?' A resposta física de cada uma foi idêntica. Cada uma começou respondendo à pergunta com dificuldade para engolir e a entonação de sua voz mudou. Um sorriso forçado foi moldado em seus rostos, e seus gestos não corresponderam ao discurso. "Então eu ouço papel remexido no telefone como se Welch estivesse procurando por algo.

"Ah, sim,” diz ele, e limpa a garganta novamente, como se ele fosse declarar algum ponto importante. "A assistente de número 3, Victoria, tinha uma cara feia gigante no rosto dela enquanto ela estava me dizendo que foi um prazer trabalhar para Jack Hyde. Como poderia ser um prazer trabalhar para ele quando seu rosto estava parecendo que engoliu um desagradável enorme besouro, e que ela estava tentando regurgitá-lo fora de seu corpo! Os gestos eram mecânicos, senhor. A língua pode mentir, mas é preciso um ator hábil para coincidir a resposta verbal com os gestos. Claramente essas garotas não têm prática. Era como assistir a um ator ruim!"

Eu estava andando para lá e para cá.

"Você perguntou-lhes a pergunta principal que eu queria saber?" Pergunto com uma voz fria e controlada.
"Sim, senhor,” disse ele solenemente, e o tom confirma meus temores.

"E então?"

"Apenas três delas foram a uma conferência com Hyde, senhor." Ele disse a palavra ‘conferência,’ como um palavrão.

"O que aconteceu?"

"Estou focando em Victoria. Ela foi a primeira a ir para uma dessas. ‘Como foi a conferência? O que você e seu chefe faziam fora da conferência?’ Eu perguntei." Ele pára.

"Qual foi a resposta dela?" Pergunto impaciente.

"Ela parecia distraída, como se ela estivesse tentando não prestar atenção ao que eu perguntei em um esforço de tentar esquecer uma má recordação. Ela começou a suar como um lutador. Era claro que ela estava perturbada. A quantidade de suor que saiu dessa garota miúda! Então ela começou envolvendo o corpo dela como se ela estivesse protegendo-o de alguém, seus olhos pareciam perplexos. Ela não fez nenhum contato visual direto; evitando minha análise; sua respiração acelerou tentando controlar-se, e o tom de sua voz ficou mais alto. Finalmente ela conseguiu falar, 'o que você quer dizer?’ "

"Isso não significa que ela está mentindo."

"Senhor, as cordas vocais apertam sob estresse. Ela não estava com vergonha de mim. Eu não era uma ameaça para ela. A única vez que estas respostas vieram foi quando ela estava me dando informações falsas sobre seu ex-chefe. Ela começou sentada debruçada. Ela estava olhando para a porta, como se estivesse indo fugir a qualquer minuto. Seu rosto corou. A pergunta final que eu fiz foi: 'você está sendo sincera sobre o seu ex-chefe?' A resposta mais simples seria 'sim' ou 'naturalmente', ou 'claro', ou até mesmo, "estou". Você sabe o que todos disseram, "ser desonesto é a pior coisa que você pode fazer." Exceto Victoria ... Ela disse que "a mentira é uma ação desonrosa".

"Nem todo mundo responde em uma ou duas palavras, Welch. Como você pode concluir que esta resposta mostra, sem sombra de dúvida que ela estava mentindo? "

"Senhor, por favor,  me dê um pouco de crédito. O meu treino de formação incluiu sinais físicos de mentir. Testar meninas de 21-25 anos não é nada para mim. Eu entrevistei funcionários do governo, políticos, espiões que são treinados para combinar suas respostas físicas com as verbais. Esta é uma tarefa muito simples."

"Welch, eu já sei o conteúdo do seu currículo! O que eu estou pedindo a você é simples. Eu quero ter certeza absoluta, sem sombra de qualquer dúvida, de que elas estavam de fato mentindo. Você pode fornecer evidências para esse fato? Como você apoiar o seu pedido?" Eu pergunto com voz exigente.

"O mentiroso geralmente responde a uma pergunta despersonalizando-a, com uma voz plana. A maioria das garotas me pediram para repetir a pergunta; e isto é, geralmente, para retardar a sua resposta. Victoria perguntou 'por que você iria perguntar uma coisa dessas?” O que também é projetado para atrasar a sua própria resposta. Eu não a avaliei por uma resposta. Individualmente pode significar pouco ou nada, é claro. Mas o comportamento coletivo, e as respostas, falam sobre o que estão tentando esconder, e elas todas estão escondendo alguma coisa ".

"Por que elas o protegem?"

"Meu palpite seria medo. Elas têm algo a perder. Sr. Hyde tem uma coisa que ele está usando contra elas. Eu não sei o que é. Mas essas meninas estavam claramente com medo dele, apesar de suas palavras dizerem o contrário. "

"É tudo?"

"Até agora, sim,” ele responde.

"Ok, avise-me se você descobrir mais,” eu digo e desligo.

Eu estou andando para lá e para cá fumegando pelas narinas como um touro provocado em uma tourada. Taylor limpa a garganta.

"Senhor, devemos ir para os chuveiros e, em seguida, em direção à SIP. Tenho certeza de que podemos esperar pela Srta. Steele lá,” diz ele quase lendo minha mente. Eu prefiro estar perto dela lá, do que me preocupando aqui. Eu não me preocupo. Eu tenho que demitir aquele filho da puta sem que Anastasia tenha o lado ruim dele. Eu estive recolhendo informações sobre ele de qualquer maneira e compartilhando-o com Roach. Há o suficiente para demiti-lo. A única coisa que está me segurando é a reação de Anastasia. Vamos ver. Eu vou avaliar sua reação, esta noite, e este último bit de informação pode fazer pender a balança. Eu não quero aquele filho da puta em qualquer lugar perto da minha mulher! Ele é um mulherengo. Eu desejo fodidamente ‘bater a merda fora’ do homem! Estou me contorcendo de raiva.

Eu me viro para Taylor, "Tudo bem, chuveiros, então saímos,” e ele acena com a cabeça solenemente.




*****

Taylor estaciona o SUV na frente da SIP. É no distrito comercial do centro. Um dos edifícios renovados que agora parece novo. Claro, janelas de vidro dão um ar de modernidade. A entrada em forma de U tem uma grande passagem com paisagismo cuidadosamente elaborado em ambos os lados do caminho, e sob um grande portal, que é um remanescente do edifício original. Isto conduz à grande entrada que naturalmente tem portas de vidro automáticas, deslizantes. Quando Anastasia me disse que ela começou a trabalhar aqui, eu tive Taylor explorando a segurança aqui. Minha preocupação não eram apenas as pessoas ou o filho da puta do chefe com quem ela trabalha, mas também pessoas de fora. Você não consegue ser Christian Grey, sem não faz alguns inimigos no caminho. Eu estava preocupado com a segurança lamentável do prédio. Não havia câmeras suficientes para cobrir os pontos de entrada cruciais, e era muito fácil para alguém entrar no prédio, mesmo que não tivesse ninguém trabalhando lá dentro. É algo que eu vou corrigir assim que a ordem de silêncio for levantada. Há um deli italiano nas proximidades, um lugar de sucos, uma loja de lembranças para os turistas, e um par de lojas de roupas. Claro que a parada do monotrilho (N.T. Trem suspenso de Seattle) também está próxima, a uma curta distância daqui.

Estamos esperando em frente ao prédio, de frente para a dupla porta da passarela de entrada. Eu verifico o meu relógio. Agora são  06:30h e ela não saiu ainda. Devo ir buscá-la? Vou dar-lhe cinco minutos antes de eu ir. Desde que Anastasia está de volta na minha vida, eu me encontro constantemente preocupado com o que ela iria dizer ou pensar. Eu sou como um gato em teto de zinco quente! Eu começo a contagem regressiva do tempo: quatro minutos 39 segundos... Meus olhos estão colados à porta. Três minutos onze segundos... Nenhum movimento. Eu me mexo no meu lugar, e o olhar de Taylor encontra brevemente o meu no espelho retrovisor. Dois minutos e oito segundos, minha mão está na porta. Cinquenta e quatro segundos e as portas de correr abrem e Anastasia sai disparada para fora do prédio, como se os cães do inferno estivessem atrás dela! O que diabos aconteceu? Quando ela atinge o meio da passarela, ela perde as forças, sua cabeça vai para trás como se ela não pudesse ter ar suficiente em seu corpo, e afunda-se no piso de concreto! É como um pesadelo! Meu coração para primeiro, enquanto eu me lembro dela em seu apartamento quando Leila estava segurando uma arma para ela, e então começa a bater a uma centena de quilômetros por hora, a adrenalina correndo, e eu empurro a porta aberta assim como Taylor e eu pulo fora do SUV em velocidade máxima em direção a ela! Quando eu a alcanço eu caio no chão para segurá-la em meus braços, minhas mãos e os olhos estão verificando se há algum sinal de ferida, sangue... Oh Deus! O que ou quem a machucou? Ela está apenas sobrecarregada com todas as coisas do dia anterior? Ela acabou de perceber que ela não pode aguentar? Ela está doente? Ou será que algo realmente aconteceu?

"Ana, baby, qual é o problema?" Eu pergunto-lhe fervorosamente tentando descobrir o que está errado com ela fisicamente. Ela não vai me responder! "O que há de errado Ana?" Eu pergunto em tom de súplica. Ela está no meu colo, eu seguro seu rosto para olhar para mim, procurando. Fale comigo, baby! Eu estou morrendo aqui! Ela está ferida, machucada? Ela amolece em meus braços e prestes a desmaiar! Estou completamente assustado, e estupefato. O que há de errado com ela? Não desmaie, baby!

  


Eu a seguro pelos ombros sacudindo-a em meus braços antes que ela desmaie. Preciso levá-la a um hospital?  "Baby, o que está errado? Fale comigo? Você está doente? " Seus olhos estão rolando para trás em sua cabeça como se ela fosse desmaiar. Com um braço segurando-a por trás, eu uso a minha outra mão para segurar a cabeça para trás, tentando fazer com que ela olhe para mim. "Ana, fale comigo baby. Qual é o problema com você?" Ela tenta concentrar seu foco no meu rosto, pisca algumas vezes como se estivesse forçando-se a permanecer coerente. Meu coração está batendo nos meus ouvidos, o medo me agarrando. Eu não sei o que há de errado com a minha namorada! Um milhão de medos horríveis estão passando pela minha cabeça, nenhum dos quais é agradável. Ela abre a boca, e a palavra "Jack,” é sussurrada através de seus lábios.



Meu corpo fica tenso enquanto a minha raiva anterior amplifica e me solavanca enquanto se transforma em uma fúria assassina. Eu sinto que Taylor também está sentindo o mesmo. Minha cabeça gira rapidamente para olhar para ele;  quando ele vê a raiva quente ardendo nos meus olhos, ele sabe, e como um fantasma, ele desaparece dentro do prédio da SIP.

Meu corpo está vibrando com violência perniciosa, implacável. O que é que o filho da puta fez a Ana? Será que ele a estuprou? Será que ele fodeu com ela? Será que ele a tocou? Se ele a feriu de qualquer maneira, eu vou matar o filho da puta! Enquanto eu a seguro apertado em meus braços, eu encontro-me embalando-a para acalmá-la. "Porra! Porra! Porra! Ana, diga-me, o que é que aquele filho da puta fez com você?" Eu vou enlouquecer! O pensamento do filho da puta dentro de Ana, forçando-a, faz com que a bile suba na minha garganta, e eu estou mal me contendo. Eu tenho que descobrir! A reação de Anastasia é de colapso nervoso. Ela começa a rir. "Foi o que eu fiz para ele,” ela diz entre risos nervosos.

"Ana! Jack Hyde tocou em você? " Eu digo num tom claro e  ameaçador.

"Uma vez,” ela consegue sussurrar, "apenas uma vez."

A loucura varre através de mim. Milhões de megawatts de eletricidade é muito manso para descrever como estou me sentindo agora! Todo o meu corpo enrijece. O conhecimento de que o filho da puta tocou minha mulher é como alguém ter empurrado uma brasa brilhante na minha garganta enquanto lavava-a com ácido nítrico! Minhas entranhas estão torcidas, e o animal selvagem que eu cuidadosamente enjaulei na minha cabeça está solto! Cabeças vão rolar por isso! Vou fazê-lo se foder com seu próprio pau se ele tentou empurrá-lo para a minha mulher!

"Onde está esse filho da puta, Ana?" Pergunto ameaçadoramente. Ouço gritos, e eu posso distinguir a voz de Taylor lá dentro.

"Você nunca mais vai tocar a Srta. Steele novamente!"

Eu vou dar uma surra nele. Agora que sei que Ana está fisicamente bem, eu vou cobrar a minha dívida  desse filho da puta! "Ana, você pode ficar de pé?" Eu pergunto enquanto eu levanto em um movimento rápido e coloco-a de pé. Ela acena com a cabeça afirmativamente.

"Tudo bem,” eu digo virando-me para entrar no edifício SIP.

"Não vá, Christian! Por favor, não,” ela me suplica assustada.

"Anastasia, entre no carro agora,” eu grito para ela  ameaçadoramente.

Ela agarra meu braço como um carrapato na orelha de um cão... "Não vá, Christian, não!"

Eu arranco meu braço para fora do seu domínio, e aponto o meu dedo na direção do carro e grito com ela. "Eu disse que entre no maldito carro, Anastasia!" Você vai me ouvir pela porra da primeira vez!

"Christian, por favor, não vá! Você não pode me deixar aqui sozinha,” ela pede. Raiva está vibrando por todo meu corpo. Eu estou mal me contendo. Eu disse a ela para não ir ao trabalho esta manhã. Pedi-lhe, não, eu praticamente implorei a ela para ficar. Mas não, ela tinha que ir. Eu lhe disse que iria cuidar dela. Não, ela tinha que ir e cuidar da vida! Pedi-lhe para casar comigo, para que eu possa cuidar dela e protegê-la e amá-la. Mas, não, ela vai pensar. Agora, ela não quer que eu vá para dentro! Eu sou a porra de uma bomba relógio pronta para explodir! Ela vai ser a minha morte! Eu vou morrer de um ataque cardíaco antes de eu completar 40 anos, porque eu estou sempre preocupado com ela, e ela está constantemente desobedecendo, fazendo o que diabos ela quer! Exasperação corre através mim, e eu passo minhas mãos pelo meu cabelo tentando controlar-me, ter algum tipo de controle sobre a reação do meu próprio corpo.

Há gritos e gritos e ruídos altos de luta, vindos do prédio, e o barulho para abruptamente. Eu me preocupo com Taylor, e puxo meu Blackberry para fora.

"Christian, Jack Hyde interceptou meus e-mails,” ela deixa escapar.

"O que você disse?" Eu digo com ameaça amplificada.

"Ele interceptou o e-mail que lhe enviei, e ele me encurralou e me perguntou para onde foram suas mensagens para mim. Ele estava usando os e-mails para me chantagear."

Eu não vou matar esse filho da puta! Não... Vou dar-lhe uma surra e deixá-lo vivo, com uma polegada de sua vida! A morte é boa demais para ele... Muito rápida. Também indolor. Vou destruí-lo para que ele se lembre em cada maldito dia de sua vida o que ele tentou tirar de mim, e com quem que ele tentou foder! E, Anastasia! Estou muito puto com raiva de você agora mesmo! Eu lhe disse e lhe disse e lhe disse para não usar o seu e-mail do trabalho. E ela porra não me escutou! Pelo amor de Deus! Você está tomando todo o controle da minha vida maldita!

"Filho da puta!" Eu amaldiçoo baixinho, em feroz tom ameaçador. Acalme-se... Acalme-se... acalme-se. Quando o tremor desaparece apenas uma fração, aperto discagem rápida # 3 para Barney.

"Grey aqui. Barney, você precisa acessar imediatamente o servidor principal da SIP, em seguida, acessar o servidor de e-mail e excluir todas as mensagens de e-mail de Anastasia Steele enviadas para mim, se você encontrar alguma coisa que chegou de mim para ela, que foi armazenada no servidor, limpe-a também. Eu quero que você também acesse o PC de Jack Hyde e todos os dados que ele poderia ter  armazenado no servidor. Se você encontrar quaisquer e-mails armazenados em sua conta pessoal ou qualquer coisa que ele tenha acessado, encontre-os,  exclua-os, limpe-os."

"Todos eles, senhor?"

"Cada mensagem. Faça-o imediatamente! E Barney, informe-me assim que completar a sua tarefa! "

"Estou nisso, senhor!” Diz ele, e eu desligo, imediatamente após eu marcar o telefone celular pessoal de Roach.

"Roach aqui,” ele responde em um tom profissional, misturado com um pouco de apreensão.

"Aqui é o Grey. Eu quero que você chute o traseiro de Jack Hyde para a calçada neste instante. "

"O quê? Q... Qu... Quando? ” Diz ele tropeçando em suas palavras.

"Agora, porra! Eu quero que você ligue para a porra da segurança agora e tenha o filho da puta limpando sua mesa neste momento. "

"Mas, Sr. Grey. Você está dizendo agora? Qual é a causa?" Raiva vibra através de todo o meu corpo, e centra-se na minha língua, e eu ataco.

"Você tem a justificação necessária para chutar a bunda dele no meio-fio com um presente de despedida de uma calcinha rosa. Eu quero que você o informe imediatamente de sua partida prematura, ou eu vou liquidar a porra desta empresa às oito horas amanhã de manhã! Vocês receberão a justificação adequada para o seu término! Eu confio que você vai fazer o que você está sendo convidado a fazer! " Eu enfatizo claramente o que vai acontecer se ele não fizer.

"Sr. Grey, é claro que eu entendo a gravidade de sua preocupação. Eu vou chamar a segurança imediatamente, e tê-los acompanhando o Sr. Hyde para fora do edifício, com o conhecimento de que os seus serviços não são mais necessários na SIP por sua conduta profissional. "

"Tudo bem." Eu digo e desligue.

Anastasia está confusa onde ela está de pé, apavorada até o âmago, e tremendo. Ela ia obter a porra da surra da sua vida se eu não tivesse feito a promessa a mim mesmo de que eu não usaria surra como um castigo, e que eu estava morrendo de medo e de preocupação por ela!

"Use o Blackberry!" Eu sibilo para ela,  a raiva fervendo através de cada poro do meu corpo.

"Christian, por favor, não fique com raiva de mim,” ela diz em uma voz suplicante, mas a raiva não  começa nem mesmo a cobrir o que estou sentindo atualmente. Raiva letal só chega perto.

"Estou mais do que com raiva de você, eu estou louco furioso. Eu preciso  que  você entre no carro agora,” eu rosno para ela apontando para o SUV.

"Por favor..." ela implora, estendendo a mão.

"Droga Anastasia! Preciso de sua bunda na porra do carro, ou eu vou colocá-la lá eu mesmo,  e você não vai gostar!" Eu rosno com os meus olhos atirando punhais para ela.

Ela levanta as mãos trêmulas para mim, a aparência preocupada cobrindo todo o seu rosto. Ela está com medo e não fica perto de mim. "Por favor, Christian! Eu não quero que você faça nada estúpido,” ela implora.

A raiva irrompe de mim como o Monte Vesúvio. Suas palavras são como um insulto ao meu ultraje! Derrame sal na minha ferida aberta já, por que não?

"VOCÊ QUER OUVIR SOBRE ESTÚPIDO?" Eu berro com toda a minha fúria dirigida a ela. "Foi dito a você para usar seu maldito Blackberry várias vezes. Mas você não fez. E você se atreve a falar comigo sobre estúpido? Eu quero que você coloque seu traseiro na porra do carro neste instante, Anastasia!" Ela fica congelada. "FAÇA ISSO AGORA!" Eu grito. Ela pula de medo.

"Ok, eu vou. Mas, por favor, tenha cuidado, Christian. Por favor,” ela pede. Meus olhos estão focados nela, minha boca em uma linha tensa; meus olhos são tanto ardentes como glaciais. Estou com tanta raiva, eu não quero nem juntar duas palavras, a fim de evitar dizer algo que vou me arrepender. Eu só aponto para o SUV nitidamente, para que ela apenas entre!

Ela olha para mim com os olhos suplicantes. "Christian, eu preciso que você seja cuidadoso, por favor. Por favor..." ela me olha preocupada. "Se alguma coisa acontecesse com você, eu morreria. Eu não posso viver sem você,” diz ela batendo o ar para fora de mim. Não era esta minha preocupação? Que algo acontecesse a ela, e eu a perdesse... Quando eu vejo minha própria preocupação, meus demônios pessoais refletidos em seus olhos, acho que meu coração desacelera, e minha raiva está diminuindo, transformando-se em amor no olho do furacão, por alguns instantes. "Serei cuidadoso,” eu digo enquanto eu puxo uma respiração profunda, e a mente de Anastasia finalmente registra meu comportamento mais calmo e ela abre a porta da frente do passageiro, e com um outro olhar preocupado, entra no SUV.

Dou-lhe um olhar de advertência lembrando-a de permanecer no veículo, e corro para dentro do prédio da SIP. Eu me viro para segurar a minha raiva. Está apenas sob a superfície, pronta para dispersar a sua ira. Eu disco o telefone de Taylor. Ele responde ao primeiro toque.

"Senhor, desça o corredor à esquerda. Você vai encontrar uma grande área. Entre na sala de reuniões número dois,” diz ele sabendo exatamente que foi por isso que eu liguei para ele.

"Vemo-nos lá,” eu digo desligando.

Taylor me encontra em frente da porta. Ele abre a porta apenas uma fresta. Vejo que Hyde está sentado em uma cadeira com as mãos algemadas. Meu olhar encontra Taylor e ele fecha a porta.

"A segurança está chegando, eu preciso das chaves das algemas. Mantenha-os ocupados por cinco minutos,” eu digo estendendo minha mão de uma forma prática para receber as chaves.




Taylor examina o meu rosto tentando se certificar de que eu não vou matar o filho da puta. Ele não perde nada. Ele vê a raiva fervendo através da minha pele. Meus olhos estão ambas as coisas, glaciais com vingança controlada e raivosos, como o Monte Etna e Vesúvio todos agrupados em um só,  pronto para matar. Ele desloca lentamente seu corpo para bloquear a porta. Taylor está  trabalhando para mim há cerca de quatro anos. Ele viu-me sensual. Ele viu-me fodendo com tudo uma das minhas subs, suspensa no teto da minha sala de jogos. Ele viu-me ‘chicoteando a merda’ de outra. Ele me viu espancando Leila com uma pá. Ele me viu no controle de uma sala de diretoria repleta de empresários poderosos. Ele viu-me com raiva; fúria louca; mas sempre no controle. Ele me viu em posições comprometedoras. Ele me viu nesses lugares em mais vezes do que posso contar.

Também viu um monte dos primeiros que eu cuido; estando apaixonado por Anastasia, perdendo-a quase ao ponto de ficar louco, quase enlouquecendo quando ela foi para a Geórgia, estando em desespero e tristeza quando ela deixou-me, todos estes foram meus primeiros com Anastasia, mas todas as coisas que me enfraqueceram. Taylor tem me visto na maioria dos meus modos, mas ele nunca me viu em uma fúria assassina. A ferocidade mal controlada e violência... A mão de Taylor vai automaticamente para a maçaneta da porta e ele está na frente dela, determinado a não me deixar entrar.

"A Srta. Steele está bem, senhor?” Ele pergunta tentando me distrair.

"Ela está bem. Saia da frente, Taylor," Eu digo com uma ameaça sinistra na minha voz, toda a intensidade do meu olhar focada nele. Taylor não se intimida. Ele está muito determinado a impedir-me de cometer um assassinato esta noite.

"Eu já dei uma surra nele,” diz ele, e pela primeira vez eu percebo a  aparência desgrenhada de Taylor. Ele tem um corte acima do olho, um lábio inchado e o rosto machucado. Quando ele me vê olhando para ele, "o filho da puta está pior, senhor,” diz ele sorrindo.

Minha mão ainda sobe para remover pela força Taylor da porta. "Senhor...” diz ele timidamente. "Eu... Uhm ..."
"Desembucha homem!"

"Bem, eu entendo sua raiva perfeitamente, senhor. Eu não sei como dizer isso... mas..." ele diz murmurando algo baixinho sobre alguma conversa educada de merda, então  me  olha nos olhos e diz:  "Aquele pedaço de merda não vale a pena, senhor,” ele disse, indicando a porta com a cabeça enquanto sua mão continua segurando firmemente a maçaneta. Ele me olha nos olhos por um minuto enquanto eu tento administrar minha raiva.

"Eu ia dizer que algum cara guru indiano tinha escrito em algum lugar, que o inferno tem três portões: luxúria, ira e cobiça,” diz ele tentando me acalmar. "Eu pensei que você gostaria de saber,” diz ele apontando o polegar para trás para fora. "Eu acho que seria um inferno para ela, também, senhor,” diz ele encolhendo os ombros, me detendo paralisado por um breve segundo.

"Bem, Taylor, nesse caso, eu estaria conquistando o inferno por todos os três portões! Eu ainda quero enfiar seu pau na própria bunda por tentar atacar minha namorada" Eu sibilo entre os dentes cerrados, fervendo veneno. Os olhos de Taylor se alargam, e sua postura fica mais firme. Eu suspiro.

"Olha, Taylor, eu aprecio sua preocupação, mas se eu fosse matá-lo, eu não teria chamado a segurança. Eles estarão aqui em breve para escoltá-lo para fora. Mas eu quero o meu tempo com ele. Você não faria o mesmo por Gail? " Pergunto a ele, e ele imediatamente se mexe em seu lugar. "Eu vou destruí-lo de uma forma que ele não vai estragar a vida de qualquer outra mulher de novo! Mas eu não vou colocá-lo debaixo da terra,” eu digo com todo o meu autocontrole, tentando controlar minha raiva. Ele acena com a cabeça solenemente, e sorri.

"Aparentemente a Srta. Steele chutou as jóias da família, senhor,” diz ele com orgulho. Eu, então, percebo que ele é, na verdade, como disse Anastasia: avuncular. "Ele estava xingando uma tempestade segurando o saco de nozes,” diz ele em um tom impassível, embora seus olhos estão em chamas com algum tipo de alegria. "De qualquer forma, ele é todo seu, senhor. Tome 10 min, eu vou manter a segurança ocupada. O filho da puta tem estado resmungando e lamentando sobre você, de qualquer jeito,” diz ele, e abre a porta totalmente, enquanto balança a chave das algemas. Eu pego as chaves, enquanto eu entro no cômodo.

Depois de entrar na sala de reunião, fecho a porta e tranco-a atrás de mim. Jack Hyde levanta a cabeça vermelha, metade de seu cabelo vermelho fora de seu laço de cabelo, o brinco meio torto, e me olha desafiadoramente. Um sorriso assustador vem até a boca sangrando. Eu coloco meu rosto impassível, e cubro o meu Monte Vesúvio com geleiras e ando por trás dele para abrir as algemas.

"Sua namorada é uma cavadora de ouro, boceta provocadora de pau. Se você não tivesse mais dinheiro do que eu, ela estaria fodendo comigo agora! Em vez disso eu sou o único que está segurando as bolas. Ela me chutou!" Ele diz no segundo que eu desbloqueio seus punhos, enquanto ele está esfregando os pulsos. Eu pego seu rabo de cavalo, puxo sua cabeça para trás, e bato-a na mesa de madeira. Pode-se ouvir a rutura de seu nariz, enquanto o sangue jorra dele! Meus olhos estão muito dilatados, sinto meus capilares rompendo nos meus olhos; por um minuto eu sinto que não serei capaz de controlar a minha raiva. Minhas narinas se alargaram, e minha respiração aumentou, cada centímetro do meu corpo está em alerta, pronto para lutar.

"Pare de mencionar o nome da minha namorada, se você pensar ao menos nela, vou tirar sua pele vivo!" Eu digo com um silvo mortal. "Você quebrou a porra do meu nariz,” ele grita, em seguida, obtendo o controle de si mesmo, limpa o sangue de seu nariz com a manga de sua camisa, inclina-se para baixo na tentativa de apertar o nariz, grunhindo, enquanto  ele levanta a cabeça para trás, e ele rapidamente se levanta, balançando um gancho de direita e seu soco se conecta com o meu tronco, me sacudindo até o meu âmago. Ele se move e me enterra um gancho de esquerda nas costelas, e tenta me jogar um outro direito, obrigando-me a dar um passo para trás para evitar cair, enquanto eu me movo na minha posição. Eu percebo que ele tem um mosquetão (N.T. modelo de chaveiro) em torno de seus dedos e as chaves estão ligadas a ele. Embora seus golpes sejam inesperados, eles me dão outra descarga de adrenalina. Eu sorrio. Eu adoro uma boa luta!

"Finalmente você escolheu alguém do seu tamanho! Quantas jovens você encurralou? Hmmm?" Eu o ameaço.

Ouço ruídos do lado de fora. Forte batidas na porta. Eu tenho alguns minutos para cobrar a minha dívida.
Hyde faz o punho novamente, mas desta vez o elemento surpresa desapareceu. Ele solta  a direita rapidamente seguida por um gancho de esquerda. Eu abaixo minha cabeça enquanto ele balança sua esquerda que eu pego com a minha direita segurando-a apertado; eu seguro sua mão apertando-a com um punho de ferro, eu puxo e seguro seu braço para cima. Finalmente, eu despejo dois socos nas costelas em rápida sucessão, com o meu gancho de esquerda tirando o ar de seus pulmões, e então espanco uma vez ao lado de sua bochecha esquerda sentindo a quebra de seu osso da bochecha sob meu punho. Ele rapidamente se dobra no momento em que eu o capturo pelos ombros, agarrando com ambas as mãos e meto o joelho na sua virilha, e levantando-o eu seguro seu rosto com as duas mãos e bato com a cabeça. Quando ele finalmente despenca, eu derrubo-o com a parte de trás do meu cotovelo direito. É quando a segurança irrompe na porta.




Eu me inclino e sussurro no ouvido de Hyde em um tom frio, lento, assassino.

"Se você tivesse conseguido fazer alguma coisa com ela, eu teria matado você. Agradeça às suas estrelas da sorte, filho da puta! "

Dois agentes de segurança jovens entram boquiabertos com a visão diante deles. Jack Hyde no chão, e eu ao lado dele.

"Ele é todo seu,” digo, finalmente capaz de transformar a minha indignação em gelo.

Eu o iço para seus pés com uma mão, e o seguro de pé enquanto os seguranças surpresos olham para nós com olhos arregalados.

"Aqui... Ele parece estar sangrando por si mesmo,” eu digo e enfio Jack Hyde nas mãos dos guardas de segurança para administrar-lhe rápidos primeiros socorros. Então um dos guardas de segurança entrega um telefone na mão de Hyde. Quando ele ouve a voz de Roach no telefone, ele percebe que está sendo entregue o seu saco, e sua fodida bunda. Ele empalidece e parece que ele vai ficar muito doente, muito rápido. Os guardas o atendem rapidamente e, finalmente, entregam-lhe a caixa de papelão de seus pertences. Ambos os seguranças conseguem ser todos profissionais, e eles agem como se não tivessem testemunhado nada, que é claro não fizeram.

"O que você disse a eles?" Pergunto a Taylor em uma voz calma apontando para os guardas de segurança com um  gesto de meus olhos.

"Pedi-lhes para dar-lhe alguns minutos,” ele murmura em um tom quase inaudível.

"E eles me deixaram ter os poucos minutos?" Pergunto-lhe com as sobrancelhas levantadas interrogando-o.

Taylor dá de ombros. "Ambos têm namoradas... e irmãs. O que posso dizer? Acho que nenhum deles gosta de um babaca que se move em seu próprio território, senhor,” diz ele com um rosto impassível.

Jack Hyde é escoltado até a porta por um dos seguranças, enquanto o outro garante a segurança  do forte,  de volta no prédio, e limpa a bagunça. Eu vejo Taylor apertando as mãos do segurança, enquanto discretamente passa algumas notas grandes para sua mão.

Nós marchamos para fora do prédio em uma única fila, com Jack Hyde  liderando a fila, tropeçando no seu caminho para o táxi esperando lá fora, e o segurança tendo certeza que ele não vai voltar, então eu saio e Taylor segura a extremidade posterior da fila.

Taylor me alcança, quando eu chego ao SUV, e eu estendo a minha mão para as chaves. Observando Anastasia no banco da frente do passageiro, Taylor me dá a chave para o SUV, e toma seu lugar na parte de trás. Eu ainda estou com raiva, ainda fumegante, e nem mesmo depois de ter ‘batido a merda’ fora de Hyde me faz sentir-me melhor. Eu não digo nada a Anastasia. Ela só está olhando para mim, mas não disse uma palavra. Meu Blackberry tendo se conectado com o Bluetooth no veículo, começa a tocar através do sistema de alto-falantes do carro. Verifico quem chama.

" Aqui é Grey,” eu respondo.

"Aqui é o Barney, senhor,” ele responde.

"Barney, eu estou no meu carro com outros passageiros e você está no alto-falante,” eu digo em prévio aviso.

"Sim, senhor. Sobre a tarefa que você me deu, ela foi concluída. Eu também preciso falar com você sobre o conteúdo do computador de Hyde ".

"Eu vou chamá-lo assim que eu chegar ao meu destino. Obrigado Barney," eu digo.

"Claro que sim, senhor,” diz ele desligando.

O olhar de Anastasia está queimando em mim, me pedindo para dizer alguma coisa. Estou muito irritado para dizer qualquer coisa. Ela tem sido muito desobediente, e por causa disso, eu quase matei aquele filho da puta. E se ele a machucasse? E se ele a estuprasse? O pensamento me irrita mais.

"Você não está falando comigo?” Ela pergunta em um sussurro.

"Não,” respondo a ela ainda chocado, não olhando para ela. O resto do caminho para o Escala continua na contemplação silenciosa. Eu mal consegui conter a minha raiva para Jack Hyde. Eu poderia tê-lo matado! Eu o teria matado, mas a morte é muito boa para ele. Eu paro na frente do Escala, e saio do carro. Eu rapidamente caminho para o lado do passageiro, e abro a porta de Anastasia. Eu estendo a minha mão e peço-lhe para vir para fora. Ela pega a minha mão, e eu a puxo atrás de mim rapidamente. Taylor leva o SUV para o estacionamento da garagem subterrânea. Eu não digo nada até chegarmos aos elevadores; sua mão ainda está firmemente apertada na minha.

"Christian, eu não entendo por que você está tão bravo comigo,” ela respira em um sussurro assustado.

"Você sabe perfeitamente bem por quê,” eu digo, e a arrasto para dentro do elevador. Depois de introduzir o código para minha cobertura, o elevador começa a subir para o andar superior. "Juro por Deus, eu teria matado o filho da puta, se alguma coisa tivesse acontecido com você,” eu digo em um tom assassino mal contido que tem estado em mim nas últimas horas.

"Mas, eu vou fazer pior do que matá-lo. Eu vou arruiná-lo; arruinar sua carreira de modo que ele nunca vai ter a chance de se aproveitar de qualquer outra jovem! Ele tem uma desculpa miserável para um homem!" Medo, raiva e fúria correm através de mim. Os  'e se' estão me fazendo doente do estômago. E se ele a machucasse? E se ele a estuprasse? E se ele a tivesse ferido? Eu já estava fodido! Eu o teria matado com minhas próprias mãos! O medo da perda aperta dentro de mim, e eu encosto Anastasia no canto do elevador no meu abraço. "Deus, Ana! Eu poderia ter perdido você! "

Eu quero senti-la. Eu quero segurá-la em meus braços, e afugentar esses demônios, afastar os temores de que ela poderia ter sido ferida. Estou me dando conta disto, nos últimos dois dias, foram feitas duas tentativas de machucá-la. Estou com medo de que uma terceira possa ser bem sucedida. O medo me aperta, e eu estou impotente. Eu pego o cabelo de Anastasia e enrolo em volta da minha mão, puxando seu rosto. Minha boca cobre a dela ferozmente, beijando-a desesperadamente, apaixonadamente, possessivamente. Eu quero senti-la, eu quero saber que nós dois estamos vivos, estamos os dois juntos, e que ela ainda é minha, ela ainda está segura, e que eu posso protegê-la. Minha língua mergulha na dela, e seu choque momentâneo a congela no lugar. Mas logo ela está respondendo, e logo estou aliviado, e beijo-a até que ambos estamos sem fôlego. Estou segurando-a possessivamente, dentro do meu abraço e meu peso está empurrando para dentro dela. Eu seguro seu rosto com ternura nas mãos e olho em seus olhos longo e forte enquanto os dela estão procurando os meus. Meu medo está todo sobre os meus olhos, eu mal consigo me conter. Estou aliviado e agradecido de que ela está segura. Eu engulo em seco, tentando afastar meus medos, e tento assumir o controle dos meus demônios me atormentando; sussurrando em minha mente o que poderia ter acontecido com ela.

"Anastasia,” eu sussurro, meus lábios acariciando suavemente os olhos, as bochechas e os lábios. "Oh Ana, eu estava tão preocupado. E se alguma coisa acontecesse com você? E se ele te machucasse..." Eu não posso expressar o resto do pensamento.

O medo emocionante me abala fisicamente até o meu âmago, e o arrepio que me atravessa sacode nós dois.
"Como eu disse muitas vezes antes, use seu Blackberry a partir de agora. Entendeu?" Eu peço. Ela só pode acenar com a cabeça em resposta, incapaz de piscar, nossos olhares permanecendo bloqueados.

Quando o elevador chega, as portas ‘ding’ abertas. Eu viro e seguro a mão dela.

"Hyde disse que você o chutou nas bolas,” eu digo sondando. Ela encolhe os ombros. "Sim. Ray é ex-militar. Ele acreditava em ensinar defesa pessoal à sua filha,” diz ela simplesmente, como se não fosse grande coisa. Eu sinto uma pontada de sorriso vir aos meus lábios.

"Bom. Você não sabe como estou feliz por isso. Acho que é algo que eu tenho que me lembrar,” eu digo em um tom mais leve, satisfeito que ela conseguiu se defender. Ela consegue me dar um pequeno sorriso.

"Ana, por que você não espera por mim? Preciso ligar para Barney, eu não devo demorar,” digo deixando-a no salão e, rapidamente, me encaminhando para o meu escritório. Estou muito curioso para saber  o que Barney descobriu.

Eu fecho a porta do meu escritório, e disco para Barney, enquanto eu vou para minha cadeira.

"Aqui Barney,” ele atende o telefone.

"Grey. O que você encontrou? "

"Eu vou mandar essa informação para você, é claro, mas aqui está uma lista muito interessante:

Meu Hyde tem em seu computador todos os endereços onde sua família já residiu. Vamos ver,” diz ele, enquanto ouço o clique do mouse através de seu computador. "Oh, sim, eu vejo cinco endereços de propriedades em Seattle, e dois, eu não sei se eles são ex ou atual, mas há duas propriedades listadas em Detroit, Michigan. Ele também tem resumos para cada membro de sua família. Os nomes aqui são, Carrick Grey, Elliot Grey, o senhor, então, Dra. Grace Trevelyan-Grey, Mia Grey, e  Srta.  Anastasia Steele."

Eu fico tenso no meu lugar, e eu percebo que eu estou apertando meu Blackberry enquanto com minha outra mão  estou segurando firmemente minha mesa.

"Isso é tudo?" Eu peço em tom baixo sibilante.

"Não, senhor. Há numerosos jornais e publicações on-line que lhe dizem respeito, à Dra. Trevelyan, ao Sr. Carrick Grey, e ao Sr. Elliot Grey ".

"Mais alguma coisa?"

"Sim senhor, há mais. Ele tem uma grande coleção de fotos de todos vocês. Centenas delas. Seu pai, sua mãe e seu irmão, sua irmã, e você, senhor. Isso é tudo que tenho, senhor,” diz ele.

"Envie-me a informação, e CC para Welch. Obrigado, Barney ,” eu digo desligando.

O que o filho da puta está tentando fazer? Ele claramente tem algo contra mim. Isso não pode ser tudo sobre Anastasia. Por que ele tem toda essa informação sobre toda a minha família?

Eu disco o número de Welch.

"Welch,” ele responde.

"Grey".

"Sim, senhor."

"Eu quero que você se aprofunde em Jack Hyde. Barney está me mandando por e-mail a informação que ele descobriu no computador de Hyde, e eu não gostei do conteúdo da mesma. Ele esteve cavando um monte de informações sobre mim e minha família inteira. Vá através do conteúdo que Barney está enviando, e eu quero que você descubra tudo sobre ele! Eu quero saber quem foi seu professor de jardim de infância, eu quero saber o que ele come no café da manhã, com quem ele dorme... Eu quero ver suas pontuações SAT.(N.T. SAT – exame nacional feito anualmente pelos alunos juniors e seniors das High School). Eu quero saber que tipo de shampoo ele usa, e o tipo de bebida que ele prefere. Eu quero saber a High School do namorado de sua mãe! Eu quero saber quem seu pai fodeu primeiro! Eu quero que você não deixe pedra sobre pedra sobre esse filho da puta! No momento em que você pesquisar suas  informações, eu quero ser pessoalmente informado disso sobre ele! Se você tiver que entrevistar pessoas, você deve ser o único a fazê-lo. Faça-o de forma discreta! Entendeu? "

"Perfeitamente claro, senhor. Mais alguma coisa? "

"Relatório para mim assim que você obtiver alguma informação,”

"Vou fazer, senhor,” ele diz, e eu desligo.

Eu ponho no bolso meu Blackberry e afundo na minha cadeira. Eu seguro meu rosto com as duas mãos e, finalmente, passo minhas mãos no meu cabelo, soprando exasperação, e o resto da raiva e frustração da noite. Eu levanto lentamente da minha cadeira e, finalmente, ansioso para sair e estar com Anastasia.

Quando eu me encaminho de volta para o salão, eu localizo Anastasia sentada na barra enquanto a Sra. Jones está preparando algo para ela comer, enquanto Anastasia está bebendo vinho branco.

Enquanto eu entro na cozinha e me encaminho para a geladeira para pegar um drink de vinho para mim, saúdo a Sra. Jones.

"Boa noite, senhor. Seu jantar estará pronto em dez minutos."

"Isso soa muito bem, Gail,” eu respondo com um pequeno sorriso. Depois de colocar para mim uma taça de vinho branco, eu levanto um brinde ao Ray e a pais como Ray, que ensinam suas filhas como se defender.
"Tim tim,” sussurra Anastasia em um tom cansado. Sua voz me pega de surpresa. Eu sei que ela teve uma noite difícil, mas há mais do que ela me deixou saber? Meus demônios pessoais prestam atenção imediatamente.

"Qual é o problema?" Pergunto rapidamente.

"Eu não tenho certeza se eu ainda tenho um emprego,” diz ela preocupada. Isso é tudo? Eu dou um suspiro de alívio. "Você ainda quer um emprego?" Eu pergunto-lhe inclinando minha cabeça.

"Sim, claro,” ela responde com fervor, repreendendo.

Eu dou de ombros, dizendo: "nesse caso, você ainda tem um,” e sorrio. Ela me olha boquiaberta. Eu dou de ombros.

Gail coloca dois jogos americanos para o nosso jantar, e Anastasia começa com a Inquisição espanhola, quando nós temos as nossas fumegantes tortas de frango colocadas diante de nós.

"Então,” diz ela com indiferença. "O que exatamente Barney encontrou no computador de Jack?"

"Nada de interesse para você, Ana,” eu digo, impassível.

"Sei. Se o que ele encontrou não era importante, por que não dizê-lo por telefone? "

"Ele não sabia quem estava comigo. Coma, baby, você deve estar morrendo de fome,” eu digo, e ela estreita os olhos para mim.

"Percebi, você não vai me dizer...” diz ela deixando seu pensamento pairar no ar.

"Não,” eu respondo. Ela suspira.

"Depois de tudo o que aconteceu hoje, eu esqueci de dizer-lhe que José chamou,” diz ela, impassível neste momento.

Meu garfo pára no ar enquanto eu viro meu rosto para olhar para ela. "Oh,” eu digo em um tom interrogativo.

"Ele disse que quer entregar as imagens que você comprou."

Outro filho da puta que tem os olhos em minha mulher! Tenho certeza que ele está entregando em mãos tudo por causa da bondade de seu coração espanhol!

"Wow! Entrega em mãos. Que gentileza dele,” eu murmuro baixinho em tom de xingamento.

Anastasia finge que não me ouviu. "Ele também me perguntou se eu gostaria de  sair para uma bebida." Onde ela está indo com isso? Ela está pedindo a minha permissão, ou a minha opinião?

"Realmente ..."

"Kate e Elliot também devem estar de volta à cidade,” diz ela rapidamente. Eu coloco o meu garfo no meu prato e viro e olho para ela atentamente.

"Anastasia, o que você está tentando me pedir?" Pergunto levantando as sobrancelhas.

"Não estou pedindo nada. Estou informando você do que eu estou planejando fazer na sexta-feira. Eu quero ver José, e ele precisa de um lugar para ficar. Ele pode ficar aqui conosco, ou na minha casa, neste caso eu gostaria de estar lá,” diz ela, em um fôlego só, como se ela estivesse sendo perseguida ou ela não seria capaz de dizer tudo isso, se ela não dissesse rápido. Estou chocado! Depois de tudo que esse filho da puta fez, e quase a estuprou, ela ainda quer vê-lo? E não apenas vê-lo, mas deixá-lo ficar com ela?

"Anastasia, ele deu uma cantada em você!"

"Isso foi há algumas semanas, Christian. Mas, então, nós dois estávamos bêbados. Você me salvou, e ele nunca mais vai fazer isso de novo. José não é Jack, pelo amor de Deus! "

"Então, deixe-o em sua casa. Tenho certeza de que Ethan pode lhe fazer companhia,” eu digo mal humorado. Ela quase foi estuprada esta noite, e aqui está outro homem que tentou forçá-la, e minha namorada quer passar um tempo com aquele filho da puta! Por que ela está tornando tão difícil para mim protegê-la?

"Christian, José quer me ver, não Ethan Kavanagh." Dai-me paciência! Eu olho para ela fazendo caretas.

Ela adquire uma expressão de súplica. "Christian, José é apenas um amigo, isso é tudo."

"E, eu tenho que gostar disso?"
Ela franze as sobrancelhas juntas e fecha a cara para mim. "Olha, eu estou dizendo a você que ele é meu amigo. Um amigo que eu não via desde a sua exposição de fotografias,  e isso foi muito pouco. Eu sei que você não tem outros amigos além daquela mulher horrível, mas eu não me queixo toda vez que você a vê. "

Quando o tópico mudou para Elena? Eu pisco, espantado. Ana não quer que eu veja Elena?

"Christian, eu quero ver José, e você sabe que eu não tenho sido uma boa amiga para ele."

Mas eu ainda estou preso no tópico inicial. "É assim que você se sente?"

"Huh? Sobre o quê?” Ela pergunta confusa.

"Acerca de Elena, é claro. Você prefere que eu não a veja?" Eu pergunto. Eu sei que ela a odeia, e fica com ciúmes de termos um passado, mas eu nunca pensei que ela iria querer que eu não a visse nunca mais.

Ela suspira, e para por um minuto, avaliando minha reação com seus olhos azuis.

"Com certeza!” Diz ela com fervor. "Eu preferiria que você não visse Elena."

"Por que você não disse logo?" Pergunto acusador. Eu deixo meus sentimentos claros para ela; eu pensei que ela poderia fazer o mesmo.

"Por quê? Christian, não sou eu quem deve dizer se você deve ser amigo dela. Você acha que Elena é o único amigo que você tem,” ela respira irritada. "Da mesma forma, não cabe a você me dizer se eu posso ver o meu amigo José. Você não pode ver isso? "

Minha mente calcula rapidamente que concessões eu posso fazer. Deus sabe que eu não me importo de ver o fotógrafo. Então, deixar Anastasia ficar em seu apartamento com dois homens que estão salivando atrás dela não é uma opção. Por outro lado, se ele ficar aqui, ele pode ver que ela é minha mulher, e eu posso ficar de olho nele. Por mais que eu não goste dele, esta é a melhor opção.

"Tudo bem, ele pode ficar aqui. Dessa forma, eu posso ficar de olho nele,” murmuro com desgosto.

"Obrigado Christian. Se eu vou estar morando aqui, também...” diz ela deixando seus pensamentos pendurados no ar. "Você sabe que tem muito espaço,” diz ela gesticulando com sua mão, sorrindo. E eu penso que já passamos a pior parte do dia.

"Oh, Srta. Steele, você por acaso está sorrindo para mim?"

"Certamente Sr. Grey," ela responde enquanto ela pega seu prato para limpá-lo. Digo-lhe que a Sra. Jones faria isso, mas ela ignora e o limpa. Ela está apenas tentando ocupar-se com o trabalho para superar o  estresse de hoje?

"Ana, eu preciso ir e trabalhar um pouco, baby,” eu digo procurando em seu rosto se está tudo bem com ela.

"Tudo bem. Eu tenho certeza que posso encontrar algo para fazer,” ela responde.

"Venha cá, baby," eu ordeno em um tom suave e sedutor, meus braços abertos esperando-a. Ela rapidamente se encaminha para meu abraço, seus braços envolvendo meu pescoço. Eu tomo uma ingestão aguda da respiração e aumento meu aperto em torno de seu corpo; eu fecho meus olhos saboreando-a. Eu inalo o cheiro dela. "Você está bem, baby?" Eu sussurro.

"O que você quer dizer?” Ela pergunta.

"Anastasia, não se lembra do que aconteceu com aquele filho da puta? E a merda de ontem? Eu quero saber se você está bem,” eu digo preocupado. Eu a empurro para trás e verifico sua expressão. Ela pensa por um minuto, considerando minha pergunta.

"Sim,” ela sussurra de volta. Eu fecho meus olhos com alívio, e agradecido por sua capacidade de resistência, e a aperto no meu abraço mais uma vez, beijando seu cabelo repetidamente. "Não vamos brigar, por favor,” eu digo suplicando entre os meus beijos. Eu tomo uma inspiração profunda de seu perfume. "Ana, você cheira celestial,” eu sussurro.

Ela se estica para beijar meu pescoço dentro do meu abraço, e sussurra, “como você." Eu finalmente a liberto do meu aperto, e digo-lhe que estarei de volta em um par de horas. Ela acena com a cabeça, sorrindo.

Eu vou para o meu escritório, e fecho a porta atrás de mim.

Eu verifico o meu e-mail imediatamente e lá está a mensagem sinistra de Barney.
_____________________________________________
De: Barney Sullivan
Assunto: Jack Hyde
Data: 15 de junho, 2011 21:37
Para: Christian Grey

Sr. Grey,

Eu compilei uma lista de itens que encontrei no computador da SIP de Jack Hyde. Eles são os seguintes e os conteúdos originais estão nos servidores FTP da GEH,  uma vez que os conteúdos originais são muito grandes. Por favor, use o link que eu estou oferecendo-lhe para acessar e baixe o conteúdo relativo a você e os seus.


Endereços residenciais da família Grey:

Cinco propriedades na região de Seattle, WA (vários endereços  que sua família já teve,  seu irmão, e você, senhor)
Dois endereços de propriedades em Detroit, MI

Currículos detalhados para:

Sr. Christian Grey
Sr. Carrick Grey
Sr. Elliot Grey
Dra. Grace Trevelyan-Grey
Srta. Mia Grey
Srta. Anastasia Steele

Artigos de jornais e publicações on-line relativas a:

Sr. Christian Grey
Sr. Carrick Grey
Sr. Elliot Grey
Dra. Grace Trevelyan-Grey

Fotos:

Christian Grey (arquivo 1)
Srta.Mia Grey (arquivo 2)
Dra. Grace Trevelyan-Grey (arquivo 3)
Sr.Carrick Grey (arquivo 4)
Sr. Elliot Grey (arquivo 5)

Utilize o seguinte link  FTP para acessar os referidos arquivos. Você pode usar suas informações do login pessoal para download, senhor:

(N.T. Este link é fictício)

Eu, naturalmente, vou verificar para ver se há quaisquer outros arquivos ocultos no computador ou em qualquer lugar no servidor SIP. Vou informá-lo de qualquer coisa que eu encontrar.

Barney Sullivan
Chefe de TI,  GEH
_____________________________________________

Eu faço login no servidor, e baixo as informações que Jack Hyde coletou sobre mim e minha família, que abrangem um extenso número de anos.

Eu examino a informação. Parece que ele está em uma missão. Para que ele está reunindo essas informações? Por que toda a minha família? Durante a hora seguinte, eu examino tudo nos arquivos. O homem está obcecado com a minha vida. Tenho a sensação de que isto é inteiramente sobre mim. Ele está reunindo informações sobre MINHA família, MINHAS propriedades, MINHA namorada... Minha namorada! Ele a atacou hoje, e ele poderia tê-la machucado seriamente, não fosse pelo treinamento de Ray! Deixo meu laptop imediatamente com desejo de encontrar Anastasia, e segurá-la em meus braços mais uma vez. Quando eu vou para o salão, ela não está lá. Eu me dirijo ao meu quarto, mas não há nenhum sinal dela também. Pânico sobe em mim. Eu vou até o que costumava ser o quarto dela, e ela não está lá. Desta vez, em passos rápidos, eu me encaminho para a biblioteca, e está escura e vazia. Onde mais ela poderia estar? Eu me viro e olho para cima e para baixo no corredor, e observo a luz vazando da sala de jogos. Eu não me lembro de ter deixado a porta destrancada.

Eu lentamente vou até a porta. Anastasia está curiosamente olhando para as gavetas onde guardo alguns dos brinquedos sexuais. O que ela está fazendo aqui? Ela pega um butt plug (N.T. brinquedo sexual usado para obter estimulação anal)  da gaveta, e ergue a cabeça e olha para ele como se fosse um item de Ripley’s Believe It Or Not Museum  (N.T. em português, Acredite se Quiser. Era originalmente uma coluna publicada em centenas de jornais em todo o mundo, apresentando fatos inusitados e inacreditáveis apontados, entretanto, como verdadeiros. Acredite se Quiser é uma franquia, fundada por Robert Ripley, que trata de acontecimentos bizarros e itens estranhos e incomuns). Então ela pega outro butt plug, e o examina, completamente perplexa com sua função. Sinto um sorriso surgir em meus lábios. Sua inocência é completamente adorável. Ela levanta os olhos sentindo o meu olhar intenso sobre ela, e me vê de pé na porta.

"Oi,” ela diz, timidamente, olhando para o meu olhar aquecido.

"O que você está fazendo aqui?" Pergunto baixinho. Sua presença aqui tanto me acende quanto me  assusta. A lembrança dela aqui, me deixando,  ainda está fresca, e eu não sei se eu a quero nesta sala. Mas, entretanto, tivemos algumas horas extremamente agradáveis ​​gastas fodendo ativamente e fazendo amor aqui. Meus sentimentos estão confusos e derrubados sobre a sala de jogos. Oh, sim, eu estive aqui antes, perguntando o que eu deveria fazer com ela. Eu não estou muito certo se ela quer que eu mantenha esta sala, mas ainda assim, aqui está ela me surpreendendo completamente mais uma vez.

Ela cora constrangida de ter sido apanhada fazendo algo que não deveria estar fazendo. "Uhm, eu estava um pouco entediada, e fiquei curiosa,” diz ela dando de ombros, como se isso iria explicar. "Então, aqui estou eu,” diz ela dando-me um sorriso de desculpas. Eu entro na sala, e passo meu dedo indicador sobre os lábios tentando esconder um sorriso.

"Curiosa e entediada, você diz. Essa é uma combinação muito perigosa, Srta. Steele,"  eu digo com a voz rouca, meu olhar sensual. Ela engole em seco, sabendo o que está por trás de meu olhar.

"Talvez eu possa ajudar. Sobre o que exatamente você está curiosa?"

"Oh... Bem... Você sabe, a porta,” diz ela nervosamente apontando para a porta, “estava aberta, e eu só ... entrei,” ela gagueja ansiosa.

Quando eu, finalmente, chego até ela, eu descanso meus braços em meu queixo em cima da cômoda contendo vários brinquedos.

"Eu suponho que eu esqueci de trancar a porta quando eu estive aqui no início do dia pensando o que fazer com tudo isso,” eu digo um pouco chateado comigo mesmo por ter esquecido de trancar a porta.

"Oh?” ela pergunta com surpresa.

Agora, estou curioso. Ela está aqui, nesta sala. Claramente há algo que ela gosta sobre o assunto. Mas, o quê?  "E aqui está você Srta. Steele, cheia de curiosidade." Anastasia me olha surpresa.

"Então, você não está zangado comigo, Christian?" Ela sussurra quase assustada.

"Por que eu deveria estar zangado, Ana?"

"Eu não sei. Talvez porque eu estou invadindo. Quem sabe, Christian? Você está sempre zangado comigo por um motivo ou outro,” diz ela, dando de ombros como se eu fosse o mistério, a curiosidade. Essa avaliação me surpreende. Eu não estou sempre bravo com ela, não é? Não. Só quando ela se coloca em desnecessário perigo.

"Você está invadindo,  é claro,  mas eu não estou brava com você por isso. Eu estou esperando que um dia você vai concordar para..." Neste momento eu fico nervoso. "Bem, você vai viver comigo, e tudo aqui, também vai ser seu,” eu digo com intensidade.

"Eu estava tentando decidir o que fazer com eles hoje. Mas eu não estou com raiva de você o tempo todo. Você sabe que eu não estava esta manhã,” eu digo maliciosamente. Ela sorri.

"Você foi o Christian brincalhão. Eu gosto dele,” diz ela.

"Você gosta, Srta. Steele?" Eu digo arqueando a sobrancelha com um sorriso satisfeito.

Finalmente, lembrando que ela tem um brinquedo em sua mão, ela mantém-se curiosa e pede para saber o que é.

"Curiosa como sempre, Srta. Steele? Isso é um plug anal que eu comprei para você,” eu digo.

"Para mim?” ela pergunta em voz chiada. Concordo com a cabeça, mas agora eu estou desconfiado de sua reação quando ela franze a testa.

"Você compra novos brinquedos para cada... uhm... submissa?” ela pergunta, nervosa.

"Alguns brinquedos, sim."

"Isso inclui os butt plug?"

"Inclui."

Ela engole seco, desconfortável. Ela puxa outro brinquedo com esferas diminuindo gradualmente de tamanho, perguntando o que é isso.

"Eles são chamadas de contas anais,” eu respondo. Ela só as deixa cair na gaveta, como se ela tivesse tocado em fogo com um olhar de horror em seu rosto. Ela balança a cabeça como se quisesse apagar uma imagem desagradável de sua mente.

"Elas têm um efeito muito intenso se você retirá-las no meio do orgasmo,” eu digo dando de ombros. Elas são apenas brinquedos.

"Então você comprou o conteúdo desta... uhm... desta gaveta-bunda para mim?” ela pergunta me fazendo sorrir.

"Sim, eu comprei."

Ela só a bate fechada, chocada. "Você não gosta do conteúdo da gaveta-bunda, baby?" Pergunto indiferente.

Ela limpa a garganta. "Bem, não estaria no topo da minha lista de Natal,” diz ela, inocentemente, me fazendo sorrir de orelha a orelha.

Ela toca a próxima gaveta, mas com medo de encontrar o que está dentro dela. Eu digo a ela que a próxima gaveta contém os vibradores. Ela aponta para a outra, tirando um dos artigos para fora.

"Aqueles são um pouco mais interessantes. São grampos genitais,” eu digo e sua expressão vale mais que mil palavras. Ela o deixa cair na gaveta imediatamente.

"Estes são tanto para a dor como para o prazer, mas a maioria é para o prazer," eu explico com uma voz suave.

Ela pega outro item, e pede-me para identificá-lo.

"Prendedores de mamilos, tanto para a dor como para o prazer,” eu explico. Ela está curiosa sobre isso, e eu demonstro-o em seu dedo mindinho.

"Você vai se sentir a sensação muito intensamente, mas é quando os tira que eles estão no seu pico de dor e prazer."

"Eu gosto destes,” murmura timidamente.

"Gosta, Srta. Steele? Eu posso dizer,” eu digo presunçosamente. Ela concorda com a cabeça e distraidamente morde o lábio. Meu olhar escurece e meu desejo por ela já está em seu auge nesta sala. Eu vou e puxo o queixo liberando o lábio do cativeiro de seus dentes.

"Você sabe o que isso faz para mim,” eu digo sombriamente.

Quando ela coloca os clipes de volta na gaveta, eu mostro-lhe um outro par. "Você pode ajustar estes," Eu mostro a ela. "Ajustá-los, como?"

"Dependendo do seu humor, você pode usá-los muito apertados... ou não,” eu digo, sem quebrar o meu olhar misturado com desejo lascivo. Sua respiração aumenta, os lábios entreabrem. Ela engole, e ficando tímida, ela mesma se ocupa em encontrar um outro brinquedo na gaveta.

"Por que você precisa de um cortador de biscoitos?” Ela pergunta inocentemente.

Eu sorrio. "Isso é chamado cata-vento de Wartenberg,” eu digo, e ela olha para mim questionando. Estendo a mão e pego a mão dela. "Abra a palma da mão,” eu digo baixinho, meus dedos acariciando seus dedos. Quando nossos corpos se conectam, um choque de ondas de energia corre através de nós ambos, fazendo-nos estremecer. Eu olho para ela com desejo. Quando ela abre a palma para cima, eu corro o cata-vento sobre a palma da mão. Ela geme, "Ah!” Mas tem um olhar de surpresa em seu rosto para a forma como se sente.

"Imagine isso sobre os seus seios,” eu sussurro em seu ouvido licenciosamente. Ela retira a mão dela de volta, corando. "Só há uma linha muito tênue entre dor e prazer, Ana,” eu digo enquanto eu coloco o cata-vento de volta.

"Para que você usa os pregadores de roupa?” ela pergunta curiosamente olhando-os na gaveta.

"É um grande negócio o que você pode fazer com eles,” eu digo com o desejo me escaldando.

Ela se inclina para a gaveta com as costas, empurrando-a fechada. Acho que o nosso ‘mostrar e dizer’ acabou.

"Isso é tudo?" Pergunto divertido depois de ver a reação dela.

"Não,” diz ela abrindo outra gaveta onde ela encontra a mordaça de bola. "Para mantê-la quieta,” eu digo sorrindo pensando em sua boca inteligente.

"Limite suave,” murmura.

"Eu me lembro. Mas você sabe, você ainda pode respirar com isso,” eu digo demonstrando isso. Ela me pergunta se eu tinha usado antes. Eu digo a ela que eu tinha.

Ela, claro, frustrantemente, associa com dor de novo, pensando que eu tinha usado para mascarar meus gritos. Eu suspiro, mais uma vez.

"Anastasia, elas são sobre o controle. Pense em como você seria impotente, amarrada e  incapaz de falar... Quanta confiança você teria que ter sabendo que eu tinha tanto poder sobre você... Você tem que confiar que eu poderia ler o seu corpo e sua reação, sem ouvir suas palavras. Isso me colocaria no controle final e tornando você totalmente dependente de mim,” eu digo explicando.

Ela ergue a cabeça e examina a minha expressão, quase triste.

"Parece que você sente falta disso, Christian,” ela observa.

"Isso é o que eu sei,” eu confesso. Todo o resto é novo, e este tem sido o meu modo de vida por muito tempo. Eu olho para ela com saudade, impotente.

"Você sabe que tem o poder sobre mim Christian,” ela sussurra.

"Tenho, realmente Ana? Você me faz sentir... " eu digo suspirando. Qual é a palavra certa ... inadequado, vulnerável, exposto, fraco, indefeso... "Impotente,” digo finalmente. Isso resume tudo.

"Não! Por que você acha isso?” Ela pergunta fervorosamente.

"Porque Anastasia, você é a única pessoa no mundo que eu conheço que realmente poderia me quebrar,” eu confesso. Quebrar-me além do conserto. Eu me senti impotente quando ela me deixou. Eu morri mil mortes ontem pensando que ela seria morta! E hoje, alguém tentou machucá-la! Realmente machucá-la! Ela pode simplesmente destruir-me por não estar comigo.

"Oh, Christian, você sabe que isso anda nos dois sentidos. Se você não me quiser... onde isso iria  me deixar?” Diz ela olhando os nós de seus dedos, nervosamente. Ela estremece como se um vento frio soprasse através da sala. "Eu não quero nunca mais te machucar, Christian. Eu amo você,” ela sussurra, agora olhando para mim. Eu ainda não consigo entender por que ela me ama. Eu sou indigno de ser amado. Seus dedos chegam até minhas costeletas, e seu toque é celestial. Eu fecho meus olhos, e me encontro inclinando-me em sua carícia. Eu deixo cair o último brinquedo na gaveta distraidamente e a fecho. Tudo que eu quero fazer é segurar a minha garota em meus braços e sentir sua presença. Envolvo meus braços ao redor da cintura dela, puxando-a para perto de mim.

"Terminamos com ‘mostrar e dizer’?" Pergunto em uma lasciva voz suave.

"Por quê? O que você tem em mente?” Ela pergunta. Enquanto eu me inclino e a beijo suavemente, ela apenas se ajusta ao meu beijo e retribui, enquanto ela está firmemente segurando em meus braços.

"Baby, você quase foi atacada hoje. Eu quero saber que você está bem." Eu digo, com apreensão e raiva enlaçadas em minha voz.

Ela dá de  ombros. "Então? Qual é o problema?" Eu recuo para olhá-la.

"Que diabos você quer dizer?" Eu sibilo furioso.

"Eu estou bem, Christian,” diz ela totalmente imperturbável. Eu seguro-a ainda mais perto, enterrando-a em meu peito. "Toda vez que penso no que poderia ter acontecido com você,” eu engasgo... Eu não poderia ter sobrevivido a esta noite. Eu teria matado o filho da puta! Eu tento sentir Anastasia com tato, olfato e paladar. Eu inalo seu cheiro e eu beijo o seu cabelo, enquanto a aperto contra mim.

"Christian, eu sou muito mais forte do que pareço,” ela sussurra em meu pescoço.

"Eu sei que você é forte, baby,” eu sussurro. Mas isso não é o suficiente para me sentir seguro. Eu não quero entregar meus demônios esta noite. Eu beijo seu cabelo novamente, soltando-a. Um curto espaço de atenção de Anastasia, e sua mente, sempre curiosa, pega outro brinquedo na gaveta. Ela levanta-o e olha para ele com curiosidade.

Esse é outro dispositivo de controle final que eu gostaria de usar nela agora. "Essa é uma barra de extensão com restrições de tornozelo e de pulso,” murmuro enquanto meu olhar escurece com paixão.

"Como isso funciona?” Ela pergunta com os olhos brilhantes, em busca de uma demonstração.

"Você quer que eu te mostre?" eu respiro agradecendo a Deus por ter uma mulher sempre curiosa. Eu fecho meus olhos em breve súplica. Ela tira o meu fôlego com uma simples pergunta, e acorda meu deus do sexo como ninguém.

"Sim, eu acho que eu gostaria de ter uma demonstração. Eu gosto de ser amarrada,” ela sussurra timidamente e eu quase explodo. Inspire, expire.

Mas o meu desejo é de curta duração, pois esta sala é dolorosa para mim. Eu não posso tê-la aqui. A lembrança dela me deixando aqui, nesta sala é muito recente.

"Oh, Ana. Não aqui,” eu digo em voz atormentada.


 "Por que não?"

"Porque eu quero você na minha cama, não neste quarto. Venha,” eu digo agarrando a barra da mão dela, e tirando-a da sala onde a minha última lembrança dela era ela me deixando, levando junto meu coração e alma. Deixo a dor e a atormentada memória presas, e para serem tratadas em algum outro momento,  dentro dos limites da sala de jogos.




Fire and Ice
Some say the world will end in fire,
Some say in ice.
From what I've tasted of desire
I hold with those who favor fire.
But if it had to perish twice,
I think I know enough of hate
To say that for destruction ice
Is also great
And would suffice.
Robert Frost
(N.T. Fire and Ice ("Fogo e Gelo") é um dos poemas mais populares do estadunidense Robert Frost, publicado em dezembro de 1920 na revista Harper's. Ele discute o fim do mundo, comparando a força elemental do fogo, com a emoção e desejo, e gelo, com ódio. Na saga Crepúsculo, no início do filme Eclipse, a personagem Bella Swan recita este poema.)


Fogo e gelo

Alguns dizem que o mundo acabará em fogo,
Outros dizem em gelo.
Fico com quem prefere o fogo.
Mas, se tivesse de perecer duas vezes,
Acho que conheço o bastante do ódio
Para saber que a ruína pelo gelo
Também seria ótima
E bastaria.

40 comments:

Gizele Santos said...

O que seria de mim sem esse blog! Amo as fotos, amo os vídeos! Amei saber o que Christian fez com Jack, e eu estava super curiosa para saber com detalhes o que tinha no computador do Jack. AMEI AMEI AMEI!

♥♥♥♥

Juliana Silva Barbosa said...
This comment has been removed by the author.
Juliana Silva Barbosa said...

Amei a surra q Cristian deu no Jack, perfect..

Juliana Silva Barbosa said...

Amei a surra q Ctistian deu no Jack, perfect..

Juliana Silva Barbosa said...

Amei a surra q Ctistian deu no Jack, perfect..

Leda Carneiro said...

Adorei. Quando vi que tinham postado esse capítulo, vibrei. Espero ansiosa por cada capítulo.
Bjs. Neusa e Eminé.
Leda

Leda Carneiro said...

Amei este capítulo. Esperando o próximo e o próximo até o último capítulo. Neusa alongamento e continue firme.
Leda

Carine said...

Nossa! Meninas.....que capítulo de tirar o fôlego. O Christian enlouquecendo.....e dando uma surra daquelas no Jack, foi demais. Parabéns a Eminé e a você Neusa. Ansiosa pelo próximo capítulo!

Bjs a todas.

Isabella Vargas said...

Simplesmente estou maravilhada. SEm fôlego. Sinto na pele cada palavra. Parabens mais uma e muitas outras vezes. Obrigada por fazer meu dia melhor.

Neusa Reis said...

Sabia que vocês iam vibrar com este capítulo, como eu vibrei. A Emine nos deu um vislumbre da fera que existe presa dentro do Christian e que a Ana está domesticando. E um vislumbre do Taylor. Ele é espetacular. Amigo leal em todos os momentos. E testemunha ocular e silenciosa do estilo de vida anterior de um Christian que era sombrio, muito sombrio. Que bom que vocês estão comentando tanto, fico desesperada quando vocês pedem mais, tenho vontade de traduzir todos de uma vez. E o acidente do helicóptero está chegando. Já sei que vou me acabar de chorar. Beijos e até sexta ou sábado. E sempre e sempre, obrigada Emine Fougner.

Neusa Reis said...
This comment has been removed by the author.
Tati said...

Adorei!!! a surra que jack levou!!! nossa!!! estou animada para o próximo capitulo!!! parabéns Neusa e Emine!!! bjs a todas!!

Leila said...

Adorooooooooo....parabéns...estou aguardando ansiosa o acidente de helicóptero.....abraços!

Penha Storani said...

Meninas, vocês estão demais. Adorei mais esse capítulo. Ansiosa por mais.
Beijos, beijos

pattystevam said...

Capitulo tenso e explosivo..podemos ver mais um lado de Grey..lado nervoso..furioso..sangue fervendo e vemos também o lado protetor de seu amigo fiel e segurança Taylor,que mostra sua preocupação com seu patrão....(eu adoro muito o Taylor gostaria de saber mais sobre ele Eminé..algo sobre seus pensamentos acho que seria bem interessante...seria possiavel Emine??)A Ana como sempre curiosa a informações mexendo no quarto vermelho kkk capitulo ótimo adorei o Jack com seu nariz quebrado..kkk bjs Eminé e Neusa *-*

Carmem said...

Depois que conheci este site nao sou mais a mesma. Que delicia de história, ler a versão do Christian me esclareceu muitas coisas referente ao Cinqüenta Tons. Obrigada Emine e Neusa.

Pao said...

Muy bueno este capítulo, estaba esperando ansiosa para leer como le pegaban a Jack, fue emocionante liberador.
Gracias Eminé y Neusa. Estaba muy curiosa por saber que tenía Jack en su computador. Fue excelente.
Mil gracias son unas Diosas las dos.

Anonymous said...

Neusa, estava olhando os capítulos do livro II em inglês e vi que o capitulo XXIV está repetindo o capítulo XIV.

Eminé Fougner @ Cowboyland said...

Anonymous, e-mail me @ eminethe1st@gmail.com and I will send you an updated version. Book II - English version, right? I checked it, and both chapter XIV and XXIV is there and no repetitions now. I think someone told me about it before, and I fixed it. Sorry about that! Thank you for the reminder. Email me and I will send you a new one.

joice chiareli said...

Otima tradução anciosa pelo proximo e ótimo capitulo

joice chiareli said...

Otima tradução anciosa pelo proximo e ótimo capitulo

anne caroline godoi said...

Amei a surrar que o Jack levou,e a Eminé a descreveu de uma forma maravilhosa,como sempre. O trabalho dela é deslumbrante.
Adoro a curiosidade da Ana,gosto muito mais porque tbm aprendo,kkk

Michele Dominato said...

Deus....que ansiedade! Vontade de devorar os capítulos! Amo de paixão essa história, e o brilhante trabalho de vcs, Neusa e Emine! Bjs

Michele Dominato said...

Deus que ansiedade! Louca para ler os próximos capítulos! Amo essa história, amo o trabalho de vcs, Neusa e Emine! Bjs

Jordana Sirlaide said...

Nossa, como o Christian ficou furioso!!! Não é pra menos, né?! O Jack é um canalha e mereceu cada soco que levou.
Gosto muito do Taylor. Ele é fiel e muito competente no que faz (imagino o ator Jason Statham como Taylor - suspiros... rsrsrsrs).
Beijos, Eminé e Neusa! Ansiosa pelo próximo.

Marcia Djouki said...

Maravilhoso, aguardo ansiosa pela tradução de cada capítulo...obrigado Neusa...beijos

Daniele Santiago said...

perfeito!!! amei a surra!!! hehehe... agora mais ansiosa do que nunca pelo capítulo do acidente e do "presente" da ana para o Christian... bjus... nunca me canso de elogiar o excelente trabalho de vcs!!! Parabéns!

Sandra said...

Conheci o Blog, esta semana: e AMEI!!!!
Gostaria de entender, Neusa, colocas os novos capítulos traduzidos nos fins de semana? Já li todos, e ansiosa para os próximos....
PARABÉNS!

Sandra said...
This comment has been removed by the author.
Tais Castro said...

Claro que adorei esse capítulo eu sabia que ia ser ótimo ver essa surra,também estou ansiosa pela parte do acidente que a Ana vai sofrer tanto coitada de tanta angústia,mas também vai ser aquela parte linda da casa de barco cheia de flores tão romântico...não vejo a hora!Beijos meninas e obrigada mil vezes por tudo cada capítulo é precioso!!!

Anonymous said...

Amei esse capítulo... As reações do Christian muito bem definidas, mostra o amor que ele sente pela Ana. A surra no Jack foi muito boa e merecida. Toda mulher merece um Grey na sua vida... Bjssss

Isabella Vargas said...

eu adorei cada fato. imaginei minha mão na cara do jack.

Unknown said...

Oi Neusa, este é meu primeiro comentário aqui...descobri este blog a poucos dias, na dependencia de Christian sai procurando mais e mais e ai descobri este blog que você tão generosamente traduz lindamente os capitulos que a Emine escreve tão sabiamente. To sem folego com este ultimo capitulo que li, e ansiosa para ler mais e mais. Parabéns pelo trabalho de vocês. Emine traduz o Christian exatamente como eu sempre o vi, perfeito. Obrigada Neusa.

Anonymous said...

Meus Deus !!!! estou ficando desesperada... por favor não pare com a tradução, estou enrolando o máximo q posso para ler só um pouquinho por dia para não ficar sem ter o que ler sobre o Christian e Ana !!! Acordo e vou dormir pensando nessa história fantástica... por favor, por favor não pare !!!!!!!! Obrigada pelo lindo trabalho...

clara ribeiro said...

Caramba , ta muito bom não pare de traduzir por deus ta mais que Perfect ta genial.....

Anonymous said...

quem e esse ator q vcs tanto colocam as fotos?

Eminé Fougner @ Cowboyland said...

His name is Kivanc Tatlitug. He's an actor and a model. He was chosen the "Best Model of the World" in 2002. He's 31 years old now.

Daniela Martins said...

Emine, eu nao gostaria de estar nem que fosse a 10 kms de distancia de CG quando ele está com essa furia, com esse Vesuvio!
O homem enlouquece! Rsrsrs
Neste capitulo, amei ver a postura de Taylor! Sempre profissional, leal, competente e, porque nao dizer, AMIGO de Christian (assim como Dr Flynn).
Me preparando para ler sobre o desaparecimento de Charlie Tango! É muito sofrimento!
Muito obrigada, Emine!
Parabens pelo seu talento!
Bjkas
Dani
;-)

milla said...

E aqui estou eu, lendo de novo e de novo e de novo.... Essa história marcou a minha vida, e muito mais depois da versão do Christian... CG de love you só much!!!

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry