StatCtr

Wednesday, May 1, 2013

Livro II - Capítulo XIV - Christian Grey e Anastasia Steele



CAPÍTULO QUATORZE
EU ME SUBMETO A VOCÊ

Tradução: Neusa Reis


O meu olhar está fixo, sem piscar os olhos; concentrado, inabalável. Meu olhar pentrante está carregado de comando e os olhos de Leila estão bloqueados com os meus. Ela agarra a arma mais apertada na mão. É agora ou nunca. Meu olhar se torna completamente frio, e absolutamente dominante. Leila parece brevemente como se tivesse sido apanhada fazendo algo que não deveria - como uma criança cuja mão é apanhada na vasilha de doces. O meu olhar é o olhar penetrante de um Dominante buscando obediência absoluta. Ela conhece este olhar. Este é o meu olhar exigindo "como se" dela. (N.T. É uma posição de escravidão mental, onde você se comporta como se estivesse impedido fisicamente. Um modo de completa submissão - como um escravo. Como se fossem correntes mentais. Basicamente, quando Christian olha para Leila exigindo esta posição, ela vai ficar imóvel como se estivesse amarrada  e até mesmo amordaçada. Agradeço os esclarecimentos da Emine.) O Dom anterior de Leila treinou-a como uma escrava. Exigir "como se" de um escravo aumenta no escravo o sentimento de impotência no controle de seu próprio comportamento. Ela está consciente de que a posição "como se" é exigida dela com o meu olhar, e é algo que ela tinha visto muitas vezes no passado e ela não tem absolutamente nenhum poder de alterar o comportamento que eu exijo dela neste instante.

Dou um passo para dentro do apartamento. Estou com carga total, e o meu lado dominante é como uma extensão do meu corpo, uma segunda natureza. Meu olhar perfura Leila como no tempo em que ela me tocou e necessitou punição - ela conhece o olhar. Seu olhar de resposta é desafiador, ela está tentando resistir a minha vontade de dominar, e tentando manter a vontade de realizar o que ela está pretendendo fazer. Isso não vai acontecer!

Ela pisca algumas vezes para quebrar o poder crescente do meu olhar, da minha vontade sobre ela - a submissão está enraizada nela através de seus treinamentos anteriores; e a carga entre nós cresce, fica mais forte, como na época em que ela tinha se tornado minha submissa. Eu mantenho o meu domínio constante sobre toda a sala, é palpável, tangível, forte e carregado com crescente poder. Poder de dominar, poder de conquistar. Meu olhar empurra Leila para baixo para seu modo submisso, buscando aquela mudança para ligá-la de novo, fazê-la submeter-se a mim como ela foi por muitos meses: primeiro, ela permanece imóvel, e eu finalmente encontro em seus olhos essa mudança na mente de Leila. A conexão inicial que a fez submeter-se a mim, à minha vontade, aos meus desejos, e a meu domínio sobre ela. Sua cabeça afunda um pouco, e ela olha  obedientemente através de seus cílios longos e seus cansados, agonizantes olhos castanhos.

Eu posso sentir Taylor preparando-se para saltar por trás de mim, quando Leila está assim com uma arma ainda apontando para Anastasia e enquanto eu me encaminho na tentativa de usar o meu corpo como escudo para proteger Anastasia, ele está extremamente nervoso. No entanto, não posso deixar Taylor fazer saltar a arma, e tê-lo derramando sangue aqui. Eu quero ajudar Leila. Eu levanto minha mão para fazer parar Taylor de modo que ele suspenda o seu instinto de atirar em Leila para assumir o controle da situação. Eu sei que Taylor está se esforçando para controlar seus instintos de treinamento militar. Eu posso controlá-la, sem mover um músculo. Embora eu não ouse afastar meu olhar de Leila, ou até mesmo piscar. Eu vejo uma mulher que é uma fração do que ela era. Despenteada, suja, perdida, meio fora de sua mente. Esta não é a Leila que me lembro que entrou pela minha porta. Ela era viva, vibrante, ativa, brincalhona, e de repente eu sinto pena dela. Eu me importo com ela, e vê-la neste estado me faz me sentir culpado. Mas eu não posso deixar estas emoções chegarem à superfície agora. Meu principal objetivo é dominá-la. A minha preocupação de que ela poderia machucar Anastasia ressurge. Eu não posso permitir que isso aconteça. Eu prefiro morrer do que ela. O silêncio na sala é dominado pela exsudação da minha vontade de dominar Leila. Tudo e todos são desconectados dos meus pensamentos. Se eu vacilar, Anastasia vai se machucar. Eu não posso deixar isso acontecer. O silêncio é magistral. O silêncio é alto. O silêncio é sombrio

The Sound of Silence - Simon and Garfunkel

Continuo no meu propósito, e meus olhos furam e perfuram dentro dela forçando-a a submeter-se, forçando-a a desistir de todo o poder, desistir de todo pensamento e toda capacidade de tomada de decisão. Devo ser o único que governa. Eu a forço a abrir sua mente para mim, olhar para mim, seu Dominante, seu Mestre. Minha postura muda de repente quando as barreiras erguidas por ela cuidadosamente começam a ruir uma por uma. Eu me sinto mais forte, no controle, no comando dela. Ela está conectada comigo, e só comigo. Ela não vê ninguém, não ouve ninguém, e não reconhece ninguém, além de mim. Eu sou seu Mestre, eu sou seu deus. Os lábios de Leila entreabrem, sua respiração aumenta à medida em que ela se submete, expectante eu surge respondendo ao meu apelo, assumindo sua existência, e seu rosto cora cor de rosa, expectante. Leila está agora totalmente sob o meu comando

Take Over Control - Afrojack

Ela está em seu modo "como se". Enquanto a intensidade do meu olhar se concentra nela, cuidando dela, conquistando o seu corpo e mente, falo sem som para ela, "ajoelhe". É um comando de voz que um escravo deve obedecer imediatamente ao ouvir, fazendo o escravo/sub ajoelhar. Ela foi treinada pela primeira vez na submissão Goreana. (N.T. A Filosofia Goreana se originou de um conjunto de 32 livros, conhecidos como “As Crônicas da contra terra,” escritos pelo professor John Frederick Lange Jr., professor de filosofia do Queens College em Nova York sob o pseudônimo de John Norman. Nesta obra, através de um enredo de ficção científico-fantástica, John Norman propõe um mundo onde valores éticos como Honra, Responsabilidade e Verdade são medidas da qualidade de um Homem; onde os aspectos da biologia humana são considerados de grande relevância e como consequência onde a Dominação é papel da natureza masculina e a submissão é papel da natureza feminina.) O comando de voz em Goreano para isso é nadu. Nadu é a primeira posição escravo ensinado para um novo escravo. Um escravo ajoelhado ou submisso é direcionado para endireitar as costas, sentado sobre os calcanhares, levantando a cabeça, enquanto seu olhar está abaixado. Ele deve colocar suas mãos com as palmas para baixo sobre as coxas. Mas eu nunca usei os comandos Goreanos sobre ela. Nadu significa ajoelhar-se, e eu só usei com ela na forma padrão. O comando de voz ajoelhar ainda é o primeiro e o mais utilizado de todas as posições escravas e submissas como no Goreano. Leila imediatamente cai no chão de joelhos, com a cabeça baixa e, finalmente, a arma ameaçadora que ela está segurando, cai de suas mãos e salta no chão.

Meu primeiro objetivo é coletar a arma para que eu remova o perigo do aposento. Eu me abaixo e pego a arma, e olho para ela com desgosto e, finalmente, a deposito em segurança no meu bolso. Meu olhar vai sobre Leila novamente para ter certeza que ela está obedientemente ajoelhada junto à ilha da cozinha. Agora que o perigo principal foi removido da sala, eu preciso obter para Leila ajuda adequada, e eu não posso suportar Anastasia me assistindo.

"Anastasia, vá com Taylor," Eu ordeno-lhe. Taylor finalmente entra no apartamento, e vai até Anastasia pedindo-lhe para ir com ele, com um olhar suplicante.

"Ethan?" Anastasia pergunta em voz baixa.

"Lá embaixo,” afirmo, meu olhar ainda em Leila. Anastasia não se move de seu lugar. Ela está imóvel. Eu olho para ela, na mesma maneira de comando, mas ela não obedece merda nenhuma! Uma vez que seja, pelo amor de Deus, Anastasia! Faça o que lhe é dito! Só uma vez!

"Anastasia..." Eu digo em um tom cortante de aviso. Ela apenas pisca para mim, incapaz de compreender. Encontro-me em movimento automaticamente para o lado de Leila. Eu pairo sobre ela protetoramente, como se Taylor fosse matá-la a qualquer momento, ou para proteger Anastasia, como se Leila fosse produzir uma outra arma. Eu sou o divisor entre os dois pólos na sala. O olhar de Anastasia está fixado na visão diante dela, perplexo, chocado, assustado, e total e completamente triste.  

Misery - Maroon 5

Eu não posso segurar  mais o seu olhar, e  eu tenho que pegar alguma ajuda para Leila. Por favor, Ana! O que eu tenho que fazer para tirá-la daqui?

"Pelo amor de Deus, e tudo que é mais sagrado, Anastasia, você vai fazer o que lhe é dito pela primeira vez em sua vida e ir!" Eu sibilo para ela em um tom frio, gelado, com os meus olhos fixos nela, sem nenhum efeito, claro! Eu estou com raiva que ela ainda está aqui, que ela está olhando para mim com aqueles olhos decepcionados. Ela precisa ir! Eu preciso cuidar de Leila, e ajudá-la, e remover o perigo que ela pode criar em detrimento de Anastasia, de uma vez por todas! Ela não pode entender isso? Mas, é de Anastasia que estamos falando. É claro que ela tem uma mente própria.

"Taylor! Leve a Srta. Steele lá para baixo. Agora!" Taylor acena com a cabeça desconfortavelmente, mas determinado.

"Porquê?" Sussurra Anastasia.

"Vá. De volta ao apartamento," Eu fito Anastasia com olhos gelados sem pestanejar. Você vai fazer a porra do que eu lhe pedi para fazer, sem questionar? "Eu preciso ficar sozinho com Leila." Eu digo. Eu preciso falar com ela, e obter a sua ajuda.

O olhar de Anastasia vai para Leila.

"Srta. Steele... Ana," Taylor pede, implorando a Anastasia, estendendo sua mão para ela sair do apartamento. Anastasia é incapaz de se mover. Sua boca está aberta, seus olhos estão arregalados, completamente chocada, e eu não posso suportar o olhar no seu rosto. Eu tenho que lidar com isso mais tarde, mas agora, eu tenho que cuidar de um problema que eu criei, com Leila. Eu preciso dar-lhe a ajuda que precisa. Eu não sou totalmente feito de gelo! Eu preciso reparar os danos que causei a ela. Isso é o mínimo que posso fazer. Mas Anastasia não entende.

"Taylor!" Eu berro uma vez, e finalmente Taylor entende, e inclinando-se ele agarra Anastasia em seus braços, e remove-a do apartamento.

Eu acaricio a cabeça de Leila suavemente e carinhosamente e murmuro, "Não se preocupe Leila... Eu vou ajudar, eu vou cuidar de você."

Uma vez que os passos de Taylor se retiram, e se distanciam, eu me inclino e recolho Leila do chão, e carrego-a para o banheiro de Anastasia. Eu coloco Leila em seus pés ao lado da banheira e fecho a porta para que ela não faça nenhuma tentativa de fugir. Mas ela está contrita e ela não quer fugir. Ela olha para mim amorosamente. Sinto-me responsável por seu estado atual embora tenha sido desencadeado por eventos trágicos. Ela me procurou, e de uma forma fodida eu entendo tudo muito bem, ela tentou executar alguma vingança em cima de mim e de Anastasia. Então, eu sei que, no fundo, ela sente-se ofendida por mim. Considerando o quão fodido eu sou, não seria a primeira vez que eu ofendi alguém.

Abro a água, e começo a encher a banheira com água quente. Os fios de cabelo de Leila estão presos uns aos outros  e ao seu couro cabeludo com óleo, sujeira e gordura flácida e sem vida, como se ela não tomasse um banho ou ducha em semanas. Sujeira está em listras no seu rosto misturada com lágrimas, secas. A forma de suas unhas está marcada em um crescente de terra seca. Ela também cheira mal, a suor, sangue e sujeira sem lavar. Ela nunca foi assim, nunca. Ela estava sempre limpa, sempre exalava um cheiro agradável, sempre bem cuidada. O que aconteceu com você, Leila? Eu coloco um pouco de sabonete de banho na água quente e deixo dissolver-se e espumar. Uma vez que a banheira está cheia de água quente com sabonete, eu tiro fora o agora muito sujo casaco de designer de Leila silenciosamente. Uma vez que eu o removo, eu posso ver que ela perdeu muito peso. Meu coração se contrai com tristeza. Eu retiro a roupa suja de Leila, uma camada de cada vez. Ela está em pé nua diante de mim. A quantidade de peso que ela perdeu é nitidamente exibida em seu corpo. Você pode contar suas costelas, e os seios bojo C agora estão frouxamente pendurados com a pele solta sobre ela. Eu levanto-a do chão e ela está muito leve. Eu coloco-a na água, e ela afunda sem dizer uma palavra.

"Leila, eu estarei de volta logo. Você fique sentada, ok? "Peço gentilmente. Ela acena com a cabeça. Eu passo para a área da cozinha e disco o  número do Dr. Flynn.

"Christian?" Ele responde questionando.

"John, eu achei Leila,” eu respondo.

"Oh, que alívio. Onde você está? "

"Estou limpando-a agora, mas estamos no apartamento de Anastasia. Ela invadiu o apartamento dela, e estava aqui segurando uma arma para Anastasia!"

"Bom Deus!"

"Yeah! Nem me diga. Você já tem um lugar esperando por ela. Eu preciso de você para vir recolhê-la aqui, e levá-la para a instituição. "

"Sim, é claro. Dê-me o endereço, e deixe-me levar uma enfermeira de saúde mental comigo, e eu vou estar aí em breve," diz ele.




Eu dou a John o endereço de Anastasia e ele promete estar aqui em 20 minutos. Eu volto para o banheiro, e ajoelho ao lado da banheira e começo a lavar a sujeira e imundície de Leila. Acho uma toalha de mão de esfregar em um dos armários. Eu ensaboo e lavo seu rosto e limpo toda a sujeira e sebo. As bandagens em seus braços estão meio penduradas e completamente sujas. Eu as puxo suavemente. Leila olha para mim com alguma emoção sem nome, em silêncio. Eu pego água e despejo sobre o cabelo dela, e coloco um pouco de xampu em minhas mãos, e lavo o cabelo esfregando-o suavemente. Seu cabelo está tão sujo que nem sequer começa a espumar até que eu lave o cabelo pela terceira vez. Uma vez que eu retiro a última gota de shampoo fora de seu cabelo, esfrego seu corpo, e a limpo. Deixo a água suja do banho ir embora. Eu finalmente ligo o chuveiro, e deixo-a enxaguar. Depois de terminar de lavá-la, eu pego uma toalha e enrolo o cabelo dela, e pegando outra toalha, eu envolvo seu corpo agora muito magro. Pego Leila em meus braços, e corro para Taylor na sala de estar, cuja posição é impassível, seu olhar não diz nada.

"Anastasia?” eu pergunto, e ele balança a cabeça. Levo Leila para o quarto de Anastasia, e deposito-a na cama de Ana. Eu verifico os armários e encontro alguma roupa interior, calças jeans e uma camiseta. Após secar Leila, eu coloquei a roupa de Anastasia sobre ela que cai frouxa em Leila.

Meu Blackberry vibra no meu bolso.

"Grey,” eu disse secamente.

"Christian, nós estamos aqui embaixo. Cruiser preto. Você quer que suba? "

"Não é necessário John. Eu vou levá-la para baixo. "

"Leila,” eu digo baixinho para ela. "O Dr. Flynn está aqui. Precisamos levá-la para receber ajuda. Ok? "

"Estou apavorada Mestre,” ela sussurra.

"Não fique. Você será bem cuidada. Eu vou me certificar disso. "

Acho uma manta no armário de Anastasia, e eu envolvo Leila nela.

"Eu vou levar você lá para baixo agora." Ela acena com a cabeça.

"Taylor, tranque aqui e siga o Cruiser do Dr. Flynn. Você precisa me levar de volta para o Escala,"  eu ordeno.

"Sim, senhor,” diz ele.

Taylor abre a porta da frente segurando-a para trás para eu e Leila passarmos. Uma vez que saímos, ele fecha e tranca a porta. Mesmo que eu a tenha chutado, ela não estava trancada e não quebrou a fechadura. Taylor terá que ter a de baixo substituída amanhã.

Eu me encaminho para baixo para encontrar John Flynn em seus jeans e t-shirt com uma enfermeira resoluta com uniforme azul. A enfermeira abre a porta do lado esquerdo do passageiro, e eu entro com Leila em meus braços. Dr. Flynn parte em direção ao estabelecimento de saúde mental que ele arranjou para Leila em Fremont. Estamos lá em menos de vinte minutos. Depois de marcar um código John dirige para uma entrada por trás  com altos portões principais de ferro forjado, e Taylor nos segue atrás.

Quando chegamos à unidade, mais dois enfermeiros estão esperando vestidos de uniforme. Leila ainda está em meus braços.

"Leila, o Dr. Flynn vai se certificar que você vai obter a ajuda que precisa. Vou deixá-la aqui, e eles vão cuidar bem de você. Verificar os seus problemas, e resolvê-los. "

Ela olha assustada.

"Não tenha medo. Eu não vou deixar ninguém lhe machucar. Você vai ficar completamente bem. Você pode fazer algumas das coisas que você gosta aqui, como a pintura. Você ainda gosta de pintura? "

Um brilho fraco cruza seus olhos enquanto ela acena com a cabeça.

"Ok, então. Vou colocá-la nesta cadeira de rodas agora, e," eu digo apontando para John, "este é o Dr. Flynn, e ele vai ter certeza de obter toda a ajuda que você precisa. Se você precisar dizer alguma coisa para mim, você vai ter que passar pelo Dr. Flynn. Você entendeu?"

Ela acena com a cabeça.

"Vamos lá, Leila. Vamos levá-la para dentro e resolvido," diz John suavemente mas em sua autoritária voz de Dr.  O olhar de Leila amolece, e ela olha para mim mais uma vez.

"Ele morreu, Mestre. Ele foi morto," diz ela sobre seu amante.

"Eu sei, Leila. Sinto muito. Eu realmente sinto. Farei tudo o que puder para ajudá-la. Mas você não pode sair por aí sacudindo uma arma e tomando pessoas como reféns. Você não pode assustar Anastasia. Você entendeu?"

"Você a ama, Mestre?" ela pergunta me surpreendendo, olhando diretamente nos meus olhos.

"Sim," eu digo suavemente depois de um longo minuto. "Eu amo." Ela acena com a cabeça novamente. "Estou feliz," ela responde.

"Adeus, Leila,” eu digo e volto para encontrar Taylor.

"Vamos voltar para o Escala, Taylor. Como estava a Srta. Steele quando a deixou no apartamento?"

Taylor muda de pé, desconfortável. Seu comportamento diz que ela não foi para o Escala.

"Onde diabos ela foi?" Eu grito para Taylor fumegando, fervendo de raiva.

"Sr. Grey, ela não foi para o Escala. Eu disse a ela que você queria que ela fosse para o apartamento, mas ela disse que ela estaria saindo com Ethan para uma bebida rápida e, em seguida, voltaria para o Escala. Ela disse que agora sabemos onde Leila está. Não há necessidade de toda a segurança, e para dizer-lhe que ela o veria mais tarde. "

"Porra! Porra! Merda!" Eu digo através dos dentes cerrados, enquanto eu corro com força as duas mãos pelo meu cabelo.

"Eu preciso chamá-la!" Eu digo, mas Taylor se mexe mais. "O quê?" Eu berro venenosamente.

"Ela esqueceu sua bolsa no SUV, senhor," diz ele.

Eu soco minha mão com força com raiva, e pergunto: "Então, você não tem idéia de onde ela está?"

"Não, senhor."

"Você viu em que direção ela foi?"

"Eles estavam a pé, mas eles poderiam ter tomado um táxi, senhor. Então, não, eu não vi. "

"Porra! Ela disse qualquer outra coisa? "

"Ela estava muito perturbada, e me perguntou se eu fiz uma varredura em seu apartamento. Eu disse a ela que nós fizemos. Sinto muito, Sr. Grey!” Diz ele com raiva de si mesmo. "Leila esteve iludindo-nos a todos. Eu me sinto mal por isso. Especialmente pela Srta. Steele. Eu me senti horrível encontrando-a com uma arma apontada para sua cabeça. Sinto muito!” Diz Taylor balançando a cabeça, completamente devastado.
"Vamos lá!" Eu digo sem dizer uma palavra, e entro no SUV. Taylor me leva ao Escala.

Sra. Jones está na cozinha preparando o jantar para mim.

"Gayle! Anastasia voltou para casa? " Eu pergunto.

"Não, Sr. Grey, ela não voltou,” ela responde notando muita raiva vibrando em mim.

"Gostaria de algo para comer, senhor?” Ela pergunta em voz baixa. Eu balanço minha cabeça.

"Mais tarde," Taylor está bem atrás de mim.

"Taylor, eu quero que você pegue a segurança, e procure por Anastasia de bar em bar por toda a cidade de Seattle! Chame-me no momento em que encontrá-la. Confira as ruas, verifique tudo. Não deixem pedra sobre pedra! Você entendeu?"

"Sim, senhor,” diz ele e desaparece rapidamente em seu escritório.

Eu pego meu Blackberry, e disco o número de Welch.

"Aqui Welch,” ele responde.

"Welch, você pode encontrar o número de celular de um Ethan Kavanagh?"

"Pode me levar um tempo, senhor,” ele responde.

"Tempo, eu não tenho! Eu preciso localizá-lo! Rastreie a localização de seu celular, agora! "

"Não sabemos com que operadora ele está?"

"Nenhuma idéia! Aqui é onde você entra com suas habilidades de detetive louco!" Eu sibilo.

"Eu posso verificar senhor; é um tiro no escuro, mas pode levar um par de horas."

"10 minutos apenas! Encontre-o, e deixe-me saber o que você descobrir! "

Taylor e sua equipe já verificaram vários bares em Seattle, e conferiram as ruas. Estou ansioso, pronto para entrar em combustão, com medo de que Anastasia vai me deixar depois da cena desenrolada à sua frente. Minha vida está indo pela porra do ralo, e não há nada que eu possa fazer sobre isso!

Eu disco o telefone de Taylor.

"Sim, senhor,” diz ele em uma voz tensa.

"Eu preciso de atualizações imediatamente."

"Nós estamos pegando diferentes direções, senhor. Dividimos a cidade em quadrantes, e cada um de nós está em um determinado local, e vamos nos espalhar para cobrir o maior número de bares  possível."

"Tudo bem! Atualize-me depois de deixar cada bar. "

"Sim, senhor!” Ele responde com firmeza.

Eu vou para a cozinha e me sirvo de um pouco de conhaque. Eu não costumo beber bebida forte a esta hora, mas essa não é uma hora habitual. Meu Blackberry vibra, e eu respondo imediatamente.

"Aqui é Welch, Sr. Grey,” diz ele e a esperança floresce em mim.

"Alguma novidade?"

"Sr. Grey, eu encontrei a operadora e o número de telefone de Ethan Kavanagh, mas eu acho que ou seu telefone está fora de cobertura, ou desligado. Está fora do ar, senhor,” ele diz desapontado. Eu tenho um sentimento despedaçado dentro de mim.

"Merda!" Eu berro.

"Existe alguma coisa que eu possa fazer por você, senhor?” Ele pergunta.

"Não!" Eu digo desligando.

Eu termino meu conhaque em um grande gole, e me ponho outro, e termino este também. Eu ando para trás e para frente no salão. Nenhuma porra de notícia! Nenhum telefonema! Por que Ana? Por que você nunca me escuta? Porque você não pode, por uma vez fazer o que lhe é dito? Por quê? Por que você me tortura assim?

Eu vou para o escritório de Taylor, e confiro todas as câmeras e olho para ver se ela está vindo. Nada! Ninguém está chegando! Eu tenho um sentimento sinistro que é isso, que ela vai me deixar para sempre! Oh merda! Eu não sei o que fazer! Eu não sei onde encontrá-la! Onde ela poderia ir? Ela não tem chave. E se ela se foi com Kavanagh para ficar em um hotel? Kavanagh está consolando-a agora? Segurando-a? Abrandando sua dor? Porra!

Eu ando para lá e para cá, para lá e para cá, para lá e para cá. Se o piso fosse carpete, eu já teria cavado um caminho! Meu Blackberry vibra novamente.

"Sr. Grey, Sawyer verificou um bar completamente, e não há nenhum sinal da Srta.Steele."

"Onde está você agora?"

"Estou no O'Malley, um pouco ao norte do apartamento da Srta. Steele,” diz ele e ruídos altos e de um locutor de basquete, possivelmente vindos de uma TV, podem ser ouvidos ao fundo.

"Qualquer sinal dela?" Pergunto andando para lá e para cá de novo ao lado do piano.

"Eu ainda estou procurando senhor. Eu verifiquei mesmo o banheiro feminino,” diz ele envergonhado. Eu ouço as portas duplas abrindo para o salão. Minha cabeça vira rapidamente, e aí está Anastasia muito bêbada!

"Ela está aqui,” eu grunho para Taylor, e desligo o telefone.

Dirijo-me a Anastasia e encaro-a com ferocidade. "Onde diabos você estava?" Eu pergunto-lhe fumegando de raiva.

Ela balança onde ela está de pé, com os olhos piscando.

"Você andou bebendo?" Pergunto com raiva. Ela não deveria estar bebendo excessivamente assim! Nós concordamos sobre isso. Era uma das regras. Eu sei que nós não as seguimos mais, mas é bom senso!

"Só um pouquinho,” ela responde dando de ombros. Ela está me fazendo ficar fodido de raiva. Sempre desobedecendo, sempre fazendo o que ela quer fazer! Eu corro a mão pelo meu cabelo, em completa impotente exasperação. Eu não posso nem mesmo ir em direção a ela, porque eu estou muito zangado. Ela vai ficar com medo de mim e partir!

"Eu lhe disse para voltar para aqui,” eu digo em voz ameaçadoramente tranquila. " Agora são dez e quinze. Você sabe o quão preocupado eu estive com você? " Eu pergunto.

"Eu fui para uma bebida...” ela diz, então, emenda, “ou três, com Ethan enquanto você estava atendendo sua... ex,” ela sibila venenosamente. "Eu não sabia por quanto tempo você ia ficar com...,” diz ela engolindo. Sua boca faz um pequeno 'o' exalando um pouco de ar tóxico de seu corpo. Então, ela continua, "...com ela," completamente desistindo, triste e derrotada. Oh, não! não! não! Não faça isso comigo! Não desista de mim!

Eu estreito meus olhos e olho para ela tentando avaliá-la, não querendo que ela fuja. Eu dou alguns passos lentos em direção a ela, mas percebendo sua postura, eu paro.

"Por que você está falando assim?"

Ela encolhe os ombros,  exausta, e olha para baixo para os dedos como se eles possuíssem as respostas que ela está procurando. Ela está saindo fora do seu corpo, fora da sua mente, fora do nosso relacionamento!

"Ana, o que há de errado?" Pergunto com horror na minha voz.

Ela só fica lá, olhando para os nós dos dedos, não querendo olhar para os meus olhos. Ela finalmente levanta a cabeça e engole.

"Onde está a Leila?"

"Ela foi levada para um hospital psiquiátrico em Fremont," eu digo tentando decifrar sua expressão. Ela está desconectada de mim. Tentando distanciar-se emocionalmente.

"Ana, por favor, o que é?" Eu pergunto. Eu não posso suportar a distância entre nós. Eu tive uma noite de merda. Meu passado está  correndo para o meu futuro como um trem desgovernado e eu não tenho nenhuma maneira de pará-lo! Eu me movo justo para frente de Anastasia: "O que há de errado?" Eu respiro.
Ela balança a cabeça tristemente, engolindo em seco. "Eu não sou boa para você,” ela sussurra.

"O quê?" Eu respiro, completamente alarmado. Eu não posso passar por isso! Ela não pode dizer isso para mim! Será que ela não sabe o quanto eu a amo? Ela não sabe que eu estava pronto para morrer por ela hoje à noite?

"Por que você acha isso? Como você pode pensar isto, Ana? "

"Eu sei que eu não posso ser tudo que você precisa,” diz ela

All I Believe In - Magic Numbers

Como ela sabe o que está nas profundezas do meu coração?

"Você é tudo que eu preciso... tudo o que eu quero."

"Vendo você com ela esta noite...” ela diz se calando incapaz de trazer o resto de seu pensamento. Seus olhos estão tristes, o rosto amassado em agonia.

"Por que você faz isso comigo, Ana, por quê?" Eu digo em agonia absoluta. "Isso não é sobre você. É sobre ela,” eu digo disposto a que ela entenda que eu estava tentando fazer algo certo, ajudar alguém que já esteve na minha vida. "Neste momento ela é uma garota muito doente,” eu tento explicar a ela.

"Mas Christian, eu senti... eu senti o que vocês dois tiveram juntos...” ela se cala tristemente, sua decisão já tomada.

"O quê? Não!" Eu tento alcançá-la, fecho a curta distância entre nós, que já está se sentindo como de milhas de distância, mas ela dá um passo para trás, imediatamente se distanciando do meu alcance. Oh Deus! Não! Seria melhor se ela me batesse. O único passo que ela deu para longe de mim drena toda a minha energia de minhas pernas, eu deixo cair automaticamente minhas mãos ao meu lado. Chocado, preocupado, doente, eu pisco com a compreensão. Ela não me quer! Deus! Ela não me quer mais! Eu não posso viver sem ela! Eu entro em pânico como eu nunca entrei em pânico antes; a dor de ela me deixar  de novo, eu sinto o meu mundo desmoronando em torno de mim mais uma vez.

"Você está partindo?" Eu sussurro. O medo de sua ausência é muito grande, eu não posso suportá-lo. Eu morreria! Ela não pode me deixar! Ela apenas não pode! Ela está me crucificando por ajudar Leila! Não me deixe, Ana. Eu só estou apaixonado por você... só você! Ninguém mais... nem uma única alma em todo o universo, apenas você! Quando eu a vi, que eu a encontrei, eu tinha medo de conhecê-la. Quando eu encontrei você de novo, eu estava com medo de beijá-la... Quando beijei você, finalmente, no elevador do Heathman, eu estava com medo de a amar, e agora que eu a amo, eu tenho medo de  perdê-la. Não me faça perder você! Você é a única pessoa que pode me machucar como ninguém mais pode!

Eu estava tentando  ajudar alguém que já esteve uma vez na minha vida... Mas você não entendeu e confundiu com outra coisa. Eu só amo você! Eu só estou fodido de medo de mostrar a você quem eu realmente sou, porque se eu fizer isso, você pode não gostar, e isso é tudo o que tenho! Eu sou indigno, eu sei disso... mas, o meu amor por você é algo tão ruim para você ficar por perto? Não mate a minha alma aqui, Ana, eu imploro! 

I Can’t Live Without You - Mariah Carey

Minha mente está correndo a mil por hora, e minha boca tem um monte de recuperação para fazer... Tudo o que posso expressar é: "Você não pode," em um apelo.

"Christian, eu...” diz ela confusa. "Eu..." ela não pode nem mesmo trazer o resto de seus pensamentos. Ela não quer nada comigo.

"Não! Não! Não!" Eu lamento em uma grande agonia; não é como se alguém está me deixando, mas como se alguém morreu, e eu estou irrecuperável. Não me deixe! A maior miséria do mundo para mim é te perder, você não entende? Assombre-me! Me machuque! Bata-me! Me quebre! Me deixe zangado! Me enlouqueça! Mas não me deixe! Fique sempre comigo! Você vai me deixar em um inferno eterno... completamente perdido se eu não posso encontrá-la e tê-la! Eu não posso viver sem minha vida! Você é minha alma, e se você me tirar isso, eu estaria pior do que como quando você me encontrou! Todas as minhas faculdades estão perdidas, e eu estou à beira de minha destruição... Por favor, Deus! Faça ela ficar comigo! Faça-a ver o quanto eu a amo...

Eu olho ao redor com olhos perplexos, meio enlouquecidos... implorando a Deus para ver a minha agonia! Esta miséria que tudo consome está me matando! Ela está quebrando meu coração e despedaçando minha alma! Você me ama, Ana! Não traia seu próprio coração! Que direito você tem de me deixar? Deus! Você está infligindo isso a nós! Toda vez que fica difícil, você me deixa!

"Você não pode ir, Ana! Eu te amo! "

"Eu também te amo Christian. Mas é só...” diz ela e eu a corto.

"Não! Não!" Eu chafurdo em desespero colocando ambas as mãos na minha cabeça esfregando para frente e para trás. Eu prefiro morrer! Eu prefiro morrer do que você me deixar! Não faça isso. Apenas. não. me. deixe...

"Christian..."

"Não!" Eu respiro, todo o poder e energia deixando meu corpo. Desesperado, como nunca me senti antes. Meus olhos arregalados de pânico, minha respiração irregular, o meu coração está pronto para alçar vôo para fora do meu peito, e de repente eu percebo que eu tenho que tê-la de qualquer maneira que eu puder. Se ela me quer seu escravo, eu serei seu escravo. Se ela quiser bater a merda fora de mim, eu estou pronto para sumeter-me. Se ela quiser me punir por meus pecados, estou aqui para fazer o que ela quiser. Assim, não, me, deixe... Fique sempre comigo. De qualquer maneira que você possa...

Eu caio de joelhos na frente dela, inclinando a cabeça, sentado sobre os calcanhares, enquanto meus dedos se espalham nas minhas coxas. Eu tomo uma respiração profunda, e torno-me o escravo submisso que eu fui uma vez. Para Anastasia. Agora, ela pode me punir pelo que fiz de errado. Ela pode me tomar, me chutar, me bater, me amar, me usar. Faça o que quiser comigo, Anastasia! Me ame ou me mate! Mas deixo isto em suas mãos. Porque se você sair daqui, eu já estou morto!

Eu finalmente coloco meu corpo na minha postura submissa, um escravo pronto para obedecer a qualquer ordem, sem qualquer escrúpulo ou pensamento. Sem quaisquer direitos. Minha respiração alivia e minha consciência confirma. Olhando para baixo, obediente. Pronto para suas ordens. Pronto para suas punições. Pronto para minha Ama. Eu sou seu escravo.

"Christian! O que você está fazendo?” Ela guincha em tom de pânico agudo. Certamente este pânico não é sobre mim, o servo inútil. Eu permaneço imóvel. Eu não recebi uma ordem para responder. "Christian, olhe para mim!” Ela ordena. Minha Ama me pede para olhar para ela, o que tenho que fazer senão obedecer?
Minha cabeça levanta sem hesitação obedecendo ao seu comando. Eu a olho e pronto para receber qualquer ordem dela. Expectante eu olho para a minha Ama. Ordene-me, Ama! Faça o que quiser comigo. Eu sou seu e somente seu. Você não sabe que eu te amo

I Will Always Love You - Whitney Houston

Seus olhos olham para mim chocados e perplexos. Ela está em pé acima de mim enquanto eu me submeto a ela a seus pés. Eu olho para ela com um olhar firme. Ordene-me, Ama. Peça-me para te amar... Peça-me para servi-la... Peça-me para tocá-la... Só não me deixe sem você. Faça o que quiser comigo! Eu não sou nada, apenas seu escravo a seus pés. Será que ela não me quer, mesmo quando eu estou pronto para servi-la? Ordene-me e eu vou largar tudo. Tome conta de mim, controle-me, tenha-me, faça o que quiser comigo... contanto que você esteja comigo. Faça-o comigo, faça-o para mim.

Anastasia balança a cabeça enquanto ela inala bruscamente. Ela está chocada.

"Christian... Christian, por favor, não faça isso. Eu não quero isso,” ela sussurra. Eu observo minha Ama passivamente, imóvel, sem dizer uma palavra. Eu não recebi permissão para falar. Sua voz falhando.

"Por que você está fazendo isso? Fale comigo,” ela pede em um sussurro. Estou em silêncio. O silêncio é bom, é o que é exigido de um escravo. 


Enjoy the Silence - Depeche Mode

Oh, ela está me fazendo uma pergunta. Eu pisco uma vez. Ela está me ordenando.

"O que você gostaria que eu dissesse?" Pergunto baixinho para minha Ama. Minha voz é aveludada, mas sem emoção, e insípida, como um submisso, um escravo deve falar.

O rosto de Anastasia muda para um de angústia e lágrimas começam a escorrer de seus olhos correndo em riachos preguiçosos por suas bochechas. Porque é que a minha Ama está  tão angustiada? Eu não recebi permissão para confortá-la. Estou no meu modo escravo. Eu não posso pronunciar uma palavra sem a sua permissão. Eu não posso levantar minha mão para enxugar essas lágrimas. Eu não tenho nenhum direito. O rosto de minha Ama se modifica para um de tristeza e miséria. O que está perturbando ela? O meu olhar está sobre ela passivamente. Eu vejo um arrepio percorrer seu corpo. Ela engole em seco, como se o que ela está tentando engolir é difícil de passar, sufocando-a. Seu olhar está bloqueado em mim embora seus olhos transmitam algo de tristeza, preocupação. Certamente não por mim, não para um escravo indigno...

Anastasia, minha Ama afunda diante de mim. Uma Ama não vai para o nível de seu escravo, o nível de seu submisso. Tudo isto está errado! Ela levanta a mão direita e violentamente enxuga as lágrimas com as costas de sua mão. Eu gostaria de fazer isso, Ama, mas você não está me pedindo. Você não está me dando permissão.

Ela olha atentamente para o meu rosto e meus olhos se arregalam um pouco. Eu tenho que submeter-me, isso é tudo que eu sei. Eu permaneço imóvel. Eu não recebi permissão.

"Christian, você não tem que fazer isso,” ela diz com uma voz suplicante. Mas, eu faço! Você não me quer! Você vai partir!

"Eu não vou partir. Eu já lhe disse e lhe disse e lhe disse, eu não vou partir,” ela pronuncia sinceramente. Eu estou com medo. Você vai fugir. Eu não conheço nenhuma outra maneira de mantê-la.

"Tudo o que aconteceu... O que eu vi, é simplesmente muito opressivo para mim. Eu só preciso de algum tempo para pensar. Algum tempo para mim mesma. Por que você sempre assume o pior?"

Mas, eu sei que ela vai fugir! Ela não sabe o pior de tudo. Ela não sabe o quão ruim eu sou. Ela não sabe que eu sou mau! Eu não sou bom. Eu não sou bom para ela, ainda assim, eu a quero, eu a amo, eu morreria por ela! 

You Know No Good - Amy Winehouse



Ela abre as comportas de seus pensamentos. "Eu só ia sugerir que eu voltasse para o meu apartamento esta noite. Porque, você nunca me dá qualquer momento... Você sabe, um tempo apenas para pensar nas coisas que eu experimentei. Você tem que admitir, estar com você, vendo as coisas que você faz, é muito para mim...” diz ela completamente triste e começa a soluçar, profundamente, dolorida, soluços dilacerados da alma. Ela ainda não me deu permissão para confortá-la. Embora eu queira, eu estou trancado no meu lugar. Eu só franzo a testa  um pouco. "Eu nem mesmo tenho um pouco de tempo para pensar. Nós mal nos conhecemos, e olhe para toda a bagagem que vem com você... Você sabe como é difícil para mim lidar com isso? Eu preciso de tempo para digerir tudo. E agora que Leila está fora das ruas, você sabe, não sendo uma ameaça para ninguém. Eu apenas pensei que... Eu pensei..." ela está perdida em seus pensamentos, e as lágrimas ainda estão escorrendo pelo seu rosto. Finalmente, gerencio  infinitesimalmente para chegar ao limite de ser um submisso e o que eu tinha sido, oscilando. Eu a ouço atentamente. Ela está se dirigindo a mim. Não ao submisso, não ao escravo, não ao dominante. Mas ao namorado dela. O Christian normal. Eu escuto.

"Vê-lo com Leila foi,” diz ela parando como se fosse doloroso demais para falar, muito agonizante, muito angustiante, rasgando a alma. Seus lábios tremem e seu rosto treme como se ela estivesse se esforçando para conter uma emoção. "Isso apenas foi um grande choque. Naquele curto espaço de tempo, embora tenha parecido uma eternidade torturante para mim, tive um vislumbre de sua vida, e como ela tinha sido. E, francamente,” diz ela de forma angustiada quando ela imagina enquanto dá um profundo, duro olhar para os dedos trançados, suas lágrimas escorrendo constantemente por suas bochechas agora inchadas, ela continua, "eu compreendi que se trata de mim não sendo boa o suficiente para você. Uma compreensão, e um grito de alerta, com uma visão profunda de  sua vida. Sabe, isso me apavorou até o meu âmago, apavorou  porque você vai se cansar de mim, e então você partirá... Você partirá, Christian! ” diz ela olhando para mim.

"Você sabe o que vai acontecer comigo, então? Eu vou acabar como Leila! ” Diz ela girando o dedo em volta no ar. Então sua voz suaviza a níveis quase inaudíveis. "Eu vou acabar uma sombra do meu eu anterior. Porque eu te amo Christian Grey, se você me deixar, eu vou estar em um mundo sem luz. Estarei em perpétua escuridão. Eu não quero fugir de você. Mas eu estou tão apavorada que você vai me deixar... Esse é o meu tormento pessoal. "

Ela não olha mais para mim. Mas eu escuto atentamente. Ela balança a cabeça, e no tom mais humilde que ela já teve, e no mais suave sussurro, ela diz: "Eu não entendo por que você me acha atraente. Eu não entendo. Você é, bem, você é você... Este deus! E olhe para mim, eu não sou nada...” ela dá de ombros, finalmente, seus olhos encontrando os meus. "Eu acho que eu apenas não vejo isso. Você é incrivelmente bonito, mais sexy do que qualquer outro, bem-sucedido... E você é bom também e gentil e carinhoso. Você é todas essas coisas, e eu não sou nada disso. Ainda por cima, eu não posso fazer as coisas que você gosta, ou dar-lhe o que você precisa. Eu não entendo isso, eu acho. Como você pode ser feliz comigo? Como posso mantê-lo ao meu alcance? " Sua voz cai para um sussurro triste.

"Eu apenas nunca entendi o que você vê em mim. E, finalmente, vê-lo com Leila, a visão de vocês dois, só trouxe tudo isso à tona,” diz ela chorando, e limpando o nariz com as costas da mão, ainda olhando para mim.

Ela perfura o seu olhar para dentro de mim, querendo me fazer sair da minha concha, quebrar a minha postura submissa, me alcançar. Será que ela quer me alcançar

Somewhere Only We Know - Keane

"Você vai se ajoelhar aqui a noite toda? Porque eu vou fazer isso também,” ela finalmente grunhe para mim, mas ela parece desconfortável no chão deslocando-se nos joelhos. Ela inclina-se para um lado, e, finalmente, o Christian que ela está acostumada a ver pode levantar sua cabeça para cima. Ela olha para meu rosto buscando.

"Christian, por favor, por favor, fale comigo,” ela implora, desconfortavelmente torcendo as mãos no colo, mexendo-se em sua desconfortável posição sentada.

Ela fica olhando, expectante. À espera de que eu diga alguma coisa. Eu não sei se tenho permissão. Se eu sair do modo submisso, ela pode apenas fugir e partir.

"Por favor,” ela implora novamente.

Meu olhar escurece e finalmente eu consigo sair do modo submisso que eu pensei que nunca mais iria entrar, nunca novamente. Quero fechar a distância entre nós, e apenas alcançá-la, o meu coração e alma estão prontos para correr para ela

I Wanna Run To You - Whitney Houston




24 comments:

Daniela Martins said...

Sensacional! Sem mais palavras para definir o que a Emine escreve! E vc tambm, Neusa! Vc faz um excelente trabalho traduzindo tão bem para quem nao consegue acompanhar em ingles!
Parabens p as duas!
Bjkas
Dani Martins

Neusa Reis said...

Pronto meninas, como prometido, coloquei os dois capítulos juntos. Espero que vocês vibrem como eu. Aumentei minha fé na Redenção das pessoas, através destes capítulos que mostram o maior poder que existe: o do Amor.
Adorei ver vocês se manifestarem sobre a história, que lindo!
Obrigada a Jordana Sirlaide, Rochelle, Tati, Rozeli Lemos, Maria Edenir Zvicker, Pao. Gabi Neves, Natilla Pires, Daniela Martins, Nanda Botelho, Katia, Dali, Adriana Mello, Roberta do Prado Pires, Anonymous, Anne Caroline Godoi,
Pattystevam, Maria Dias, Tais Castro, Gizele, e a Emine Fougner que sempre vem conversar um pouquinho por aqui. Obrigada a todas. Aprecio e leio tudo que escrevem e às vezes não respondo para não atrasar os capítulos. No cap. XV ele explica a razão do banho, de como ele gostaria que alguém tivesse cuidado dele e ... Leiam lá senão acaba sendo spoiler.
Chorei rios Amazonas de lágrimas quentes.Desculpe Rozeli Lemos, tem que chorar sim. São lágrimas doces...E concordo com você, a submissão do Christian é um poema de amor, uma das coisas mais lindas do livro 2. Já estou no cap. XVI, quem sabe no domingo ... Muitos beijos e obrigada Neusa

Pattystevam said...

Nossa estou completamente arrebatada nesse capitulo..1 porque vi que o banho que era momento mais esperado..ele realmente a trata como uma criança..ele não a ve como aquela moça que ele desejava seu corpo..2 Grey em posição submisso..ele que havia prometido a ele mesmo que jamais se submeteria a outra pessoa..mostra o quanto ele está entregue a Ana de corpo e Alma..confesso que me emocionei com capitulo..porque quando li na versão E.L James..tive ciumes da cena do banho e de Leila..vi que o julguei mal..nesse capitulo senti meu coração aperta por varias vezes..como intenso foi ler os pensamentos de Grey...muito mais..mas muito mais intenso do que ler da E.L James..Eminé sem palavras para você obrigado por esse presente..Neusa tradução impecavel como sempre..Capitulo me arrebatou..

Pattystevam said...

Esse capitulo me deixo arrebatada..isso essa é palavra correta 1 pela cena do banho..em que se percebe nitidamente que Grey a ve como uma criança..como uma pessoa doente..e não como uma ex namorada..uma ex submissa que ele tanto desejou seu corpo..2 pela cena de Grey submisso a Ana..ele que jurou a ele mesmo que jamais se submeteria a alguem...se ve se submetendo a Ana...Essa maior prova de amor a ela..ele se mostra nessa cena completamente entregue a ela..muito forte senti meu coração aperta..foi como se visse a cena ali na minha frente..me emocionei muito..muito mais emocionante de quando li na versao E.L James..você consegui ver os pensamentos de Grey..muito maravilhoso..Eminé muito mas muito obrigada mesmo por esse presente..bem que você me disse..que eu entenderia e compreenderia muitas coisas nesse capitulo e realmente compreendi..estou arrebatada que amor mais lindo..mostra o verdadeiro amor acima de tudo..ate mesmo de seu próprio orgulho..Neusa tradução perfeita muito obrigada..beijos
Obs:Eminé tem certeza que essa historia de 50 tons de cinza não foi você que escreveu..e quem pubblicou foi a E.LJames a sua custa kkkk..você parace muito mas muito mais a Dona da historia do que ela beijos...

Anonymous said...

Ahhh Neusa como tudo é lindo, o carinho e a preocupação de nos deixar muito anciosas de como o capitulo XIV termina e mandar o sdois de uma só vez...Do fundo do coração agradeço por este trabalha maravilhoso. Bjuss
Kátia

Jordana Sirlaide said...

Ainda estou segurando a respiração com medo de quebrar o momento...
Nossa!!!! Q coisa mais linda é o amor. Assim como Pattystevam, estou completamente arrebatada. E sei muito bem o q Ana e Christian sentem um pelo outro porque eu amo e sinto-me completamente amada pelo meu marido. E, saiba Eminé, q ler a profundidade do amor desse casal só me faz querer amá-lo mais e mais como se não existisse mais nada no mundo. Mais uma vez, meus parabéns!! Com toda sinceridade, vc é uma escritora maravilhosa!!! E Neusa, mais uma vez obrigada pela iniciativa de traduzir essa estória maravilhosa, vc é demais!

Agora vou dormir com a maravilhosa sensação que o amor provoca quando nos inunda completamente, simplesmente, pq já tenho o meu "Grey".

xx

Rozeli Lemos said...

Oi Neusa e Émine, como presumi o banho foi só um banho...o melhor é o estado de submissão de Christian, não pela submissão em si, porque não era isso que a Ana queria, mas em seu desespero, foi só isso que ele buscou, porque em situações de perigo sempre buscamos algo da nossa experiência pessoal que possamos usar. Confesso que mesmo no livro da EL James me emocionei, talvez eu tenha conseguido ouvir através dos olhos da Ana, sem ouvir o Christian, o que ele realmente queria dizer com aquela atitude.
Quanto as lágrimas Neusa, foi só uma brincadeira com a Émine, quis "dar uma de Christian" rsrsrsrsrs
E Jordana Sirlaide, que bela declaração de amor para o "seu Christian". É o amor sempre faz despertar mais amor!
Bjus

Tais Castro said...

Bom Neusa to muito emocionada por que foi do jeito que eu imaginei,sempre confiei no Christian e no seu amor por Ana em nenhum momento passou por minha cabeça que ele se aproveitaria ou teria algum desejo por Leila agora,viram como eu estava certa em confiar nele?Esse amor que ele sente pela Ana é simplesmente o que todas nós esperamos encontrar um dia,tanto para amarmos como para sermos amadas...infelizmente nem todos encontram!Eu fico muito triste porque nem todas pessoas que leram esse livro conseguiram enxergar a beleza da estória e ver o poder que o amor tem de transformar as pessoas e tirar o melhor de cada um,e o pior é que falam que o livro é pornográfico,gente ele é repleto de romance, de primeiras vezes, de mais... de tudo o que a gente procura em um relacionamento amor de verdade e além de tudo nos dá boas idéias vocês não acham?Bom obrigada Neusa e Emine a cada dia que passa admiro mais vocês, obrigada pelo trabalho que vocês estão tendo por nós,beijos e até a próxima...

Eminé Fougner @ Cowboyland said...

Bom Dia Daniela, Neusa, Patty, Katia, Jordana, Rozeli, Tais,

Neste capítulo, lembrei-me que é o amor:

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha...

I asked what should love survive? Jealousy, our past, our mistakes? Should we be too proud to forgive? How do we pass this? When I first read this in the book, I knew exactly what was going through Christian’s head. Because my parents had a similar relationship. I’ve seen it before. My dad owned a club, and women were flocking to him like bees to honey. Their relationship survived to this day because of love. This, my friends is real. We all have a relationship, and we all want to overcome our issues in it. Here, we've witnessed that love conquers all. That Christian Grey loves Ana with all his being: his heart and soul.

Dinha said...

nossa!! Ainda estou sem fôlego!!one

Tati said...

ainda estou de boca aberta aqui!!! que declaração linda dele!!!! mesmo que ela não tenha percebido!!! emocionada!!! e vc tinha razão Neusa se tivesse postado só esse capitulo eu estaria em cólicas!!!! agora!! Parabéns a vc e a Eminé!!!!

Pao said...

Gracias, realmente era el capítulo más esperado pero al ver que él cuidó a Leila como un niño y que solamente estaba muy preocupada por ella.
Ana y Christian siente cosas realmente maravillosas entre ellos, el llegar a querer ser un esclavo por ella es muy hermoso.
Gracias Eminé y Neusa por ver la otra cara de la moneda de la historia.

Tatiana said...

Amei, amei, amei e chorei, chorei. amo o momento em que se rende a ela!!! Obrigada!!!!! Sensacional, lindo de mais.

Leda Carneiro said...

Neusa adooorei te conhecer, então fiquei sabendo deste blog da Eminé. Estou adorando ler na versão do Christian. Espero ansiosa por cada capitulo, vocês estão fazendo um ótimo trabalho.
Leda, da fisio.
Bjs

Leda Carneiro said...

Neusa nem acredito na sorte que tive em conhecê-la, então fiquei sabendo do blog da Eminé, enquanto estava terminando de ler na versão de Anastasia. Estou adorando ler na versão do Christian, espero ansiosa por cada capítulo que você traduz, que por sinal está fazendo um ótimo trabalho.
Bjs. Leda da fisio.

Gizele Santos said...

Meu Deus, estou muito desatualizada kkk já tem até o Cap. 16.

Melhor presente de aniversário que eu poderia ganhar hoje é os tres capitulos.

Bjs Bjs

anne caroline godoi said...

Nossa,morri mil vezes com esse capitulo...
Senti tanta raiva da Leila...
Fiquei com o coração nas mãos om a submissão do Christian. Ele nasceu para ser um Dom nao um Sub.

Thamires Armindo said...

Lindoooooo!!!!! Simplesmente perfeito.

Aline said...

Lindo demais esse capítulo. Agora posso perdoar o GRey pelo banho na Leila. Obrigada Emine por me proporcionar esse alívio. (rsrs) e Parabéns Neusa pela tradução!!

Kaila Alekena said...

Uffffaaaaaaaa!!!!!!!!!!

Neste capítulo tem tudo de tenso... O tãooooo odioso banho, e o modo submisso que poderia simbolizar a submissão na profundidade da revelação bíblica: "sujeitai-vos a vossos maridos" nesse caso a vossa mulher, mais que se resume "sujeitai a vosso amor"
Cristian submisso??? A Anastasia?
Não, ele se se submeteu a sua dependência, a sua outra metade, ao que ele não poderia ficar sem...
nós só nos submetemos a uma necessidade extrema do nosso ser... até à fome nos submetemos, nos submetemos ao que não podemos existir sem ou a algo que não temos força pra lutar contra... foi isso que Cristian fez, ele não pode lutar contra esse sentimento e ele não pode existi sem ele.
Cristian sente que Anastasia é o motivo que ele veio a existi, é sua outra metade e uma metade nunca será inteiro sem a outra.
Podemos relacionar isso a nossa alma para com Deus... Deus é o motivo de nossa alma existi, sem Deus nossa alma não é inteira, sem Deus nossa alma não pode existi.
Quanto ao banho por mais que se explique, por mais que se tenha uma necessidade de ajudar, nada consegue justificar a um coração enamorado que o alvo do seu amor, tocou, cuidou, banhou um outro corpo que já foi dele de maneira intima, que tudo foi por uma boa causa... uma boa causaaaaaaaaa um caralhooooooooo,pra isso existem os enfermeiros, gente que vai cuidar e banhar e tudo mais.... tenhooo dito!

viviane lage said...

acho que esse capitulo é uns dos capitulos mais esperado.o choque de Ana vendo o poder de Christian sobre leila. não podemos esquecer no ato de submissão de Christian para Ana. e muito para ingerir, tento imaginar a Ana e ao mesmo tempo o Christian que nunca amou tanto alguém, quebra seu juramento e não se submeter a mais ninguém e quando menos se espera ele se ajoelha, humildemente, desesperado, horrorizado com medo de pede-la.meu DEUS e de tirar o ar, folego, tudo...que não ama esse casal? obrigada Emine e Neuza

Daniela Martins said...

Boa noite, Emine!
OMG! Li este capitulo segurando a respiraçao!
Christian a ponto de se submeter com medo de perder Anastasia só comprova o amor que tem por ela!
Capitulo lindo! Maravilhoso!
Neusa, obrigada pela traduçao!
E onde estão as outras meninas do cafezinho? Mara Lins, Rosangela, Joenes, Keila e todas mais?!
Bjkas
Dani
;-)

Simoni said...

Incrivelmente emocionante....

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry