StatCtr

Tuesday, July 30, 2013

LIVRO III - Capítulo XVII - Christian e Anastasia Fan-fiction


Põe-me como selo sobre teu coração, como selo no teu braço. Pois o amor é tão forte quanto a morte; e o ciúme é tão cruel como o túmulo.

(Cânticos de Salomão 8:6)

CHAPTER XVII

Tradução: Neusa Reis




Gia Matteo entra no ambiente, seguida por Taylor. Sua atitude exala um tipo de confiança predatória, fazendo-a entrar na sala como se fosse dona do lugar, com seu cabelo louro tingido, penteado em camadas, usando um terninho cinza pálido. Sua roupa está tentando acentuar seus bens embora nenhum deles me atraia, e ela não tenha nada acima da minha linda esposa. Anastasia a analisa como uma rival sexual,  desde o cabelo de Gia penteado profissionalmente até seus saltos altos assassinos tipo ‘foda-me’, e eu sinto minha esposa ficar desconfortável. Ela brevemente olha o colar de Gia com um diamante solitário, com os brincos combinando, de um único quilate,  pendurados  em suas orelhas. Então os olhos dela desviam para sua blusa azul claro com botões abertos quase até o umbigo.

"Christian. Ana," Gia nos cumprimenta com um grande sorriso branco, estendendo sua cara mão bem manicurada para mim em primeiro lugar. Eu a cumprimento, e quando eu libero a mão dela, ela se vira para Anastasia estendendo sua mão. Anastasia relutantemente solta a minha mão para apertar a dela.

"Gia,” eu respondo, e Anastasia só sorri com indiferença.

"Vocês dois parecem muito bem depois de sua lua de mel,” diz Gia, e descaradamente, seu olhar me analisa, avaliando e apreciando o que ela vê. Eu instintivamente envolvo meus braços em torno de Anastasia, segurando-a perto de mim, tanto para tranquilizá-la como enviando uma mensagem para Gia de que eu estou completa e absolutamente tomado.

"Tivemos um tempo maravilhoso, obrigado,” eu digo, enquanto eu beijo a têmpora de Anastasia, que me olha agradavelmente surpresa. Sou de Anastasia, e de mais ninguém. Eu não tenho a etiqueta disponível pendurada no meu pescoço. Sou casado, e esta mulher tem pleno direito sobre mim! Anastasia relaxa, e sua mão serpenteia na minha cintura e mergulha no bolso de trás da minha calça, e ela deliberadamente aperta minha bunda, declarando sua propriedade. O sorriso de resposta de Gia é forçado.

"Vocês já conseguiram olhar as plantas?" ela pergunta.

"Nós olhamos," responde Anastasia, e olha para mim. Ela está tomando a liderança, declarando seu território. Se eu estivesse fazendo o mesmo com outro homem, teria sido chamado de um ‘concurso de mijar’. Ela está declarando a Gia que ela é a fêmea Alpha deste território e eu sou intocável para Gia. Anastasia é sutil, mas seu comportamento territorial me agrada imensamente, e eu dou-lhe um sorriso irônico.

"Por favor. Os planos estão aqui," eu digo apontando a mesa de jantar. Eu pego a mão da minha esposa, e levo-a enquanto Gia está nos seguindo atrás. Minha reciprocidade alivia Anastasia e ela se vira para Gia e pergunta:

"Gostaria de algo para beber? Uma taça de vinho?"

"Isso seria ótimo. Branco seco se você tiver," responde Gia.

Anastasia vai para a cozinha, e eu não quero estar ao lado de Gia. Eu me encaminho para o stereo e depois de escolher a música, eu ligo meu iPod. O stereo sibila e ganha vida.

Sirens – Debussy

"Gostaria de um pouco mais de vinho, Christian?" Anastasia pergunta da cozinha.

"Por favor, baby,” murmuro e sorrio para ela, mostrando que ela tem toda a minha atenção. Anastasia alcança o armário, e meu olhar está sobre ela como um falcão. Estamos ligados e unidos. Eu posso sentir a linguagem corporal de Gia, ela está desesperadamente tentando chamar minha atenção e deliberadamente competindo com minha esposa de uma maneira sutil! Quão pouco ela sabe sobre mim. Nenhuma outra mulher pode ser a destinatária do meu olhar. Anastasia é a rainha do castelo. Sabendo que minha esposa é do tipo ciumento, estou gostando de seu comportamento possessivo e territorial de pantera fêmea. Anastasia retira três taças do armário e pegando uma garrafa aberta de sauvignon blanc da geladeira, ela coloca todos os itens na barra da cozinha.

Gia inclina-se sobre a mesa, enquanto eu fico de pé ao lado dela. Ela aponta para a parede de vidro sobre as plantas.

 "Então, Christian, o que você pensa  sobre as mudanças que estou propondo na parede sul aqui,” ela me pergunta.

"Eu acho que Ana tem algumas opiniões sobre a parede de vidro, mas, no geral, estamos ambos satisfeitos com as idéias que você apresentou," eu respondo.

"Oh, eu estou feliz,” ela respira de alívio. Em seguida, ela toca o meu braço, levemente acariciando, em um sutil gesto sedutor,  cauteloso, indicando que ela está disponível. O toque dela e o que ela representa me fazem recuar. Eu dou um passo para longe de seu alcance, e me viro para minha esposa. O que está tomando tanto tempo? Será que ela vai me deixar sozinho com uma devoradora de homens?

"Com sede aqui,” eu digo, pedindo a Anastasia para se apressar para ficar ao meu lado.

"Vindo imediato,” diz ela. Anastasia despeja rapidamente o vinho, reunindo todas três taças na mão; ela vem para o meu lado, onde é seu lugar. Ela entrega uma taça a Gia e eu pego a outra dela.

"Cheers,” eu digo tanto para Anastasia como para Gia, mas meu olhar está focado exclusivamente em minha esposa. Ela é o centro do meu universo. Enquanto Anastasia toma um gole de seu vinho, Gia vira para ela e pergunta: "Ana, você tem alguns problemas com a parede de vidro?"

"Sim. Eu a adoro, não me interprete mal, mas eu estava esperando que pudéssemos incorporar isso mais organicamente dentro da casa. Eu me apaixonei pela casa como ela era, afinal, e eu não quero fazer alterações radicais.”

"Eu entendo."

"Eu só quero o projeto para ser simpático, você sabe... mais de acordo com a casa original,” diz ela e olha para mim. Eu sabia que ela queria permanecer fiel à casa original, mas eu não sabia que ela queria apenas mudanças mínimas.

"Não grandes obras de renovação?" eu lhe pergunto, sem fazê-la pensar que eu não gosto da idéia dela. Eu só quero ter uma idéia clara sobre o que ela quer. Porque o que quer que Ana queira, Ana tem. Eu quero que ela seja completamente feliz com a casa.

"Não,” ela balança a cabeça.

"Você gosta dela como ela é?"

"Em geral, sim. Eu sempre soube que ela só precisava de algum TLC.” (N.T. Tender Love Caring)

Minha garota está sempre tentando melhorar o que ela ama sem mudar. E essa é uma das muitas coisas que eu amo sobre ela. Gia olha para nós dois, tentando ver se eu concordo com Ana. "Okay. Eu acho que eu vejo onde você está querendo chegar, Ana. Que tal se mantivermos a parede de vidro, mas a fizermos  abrir-se para um deck maior, que está em sintonia com o estilo mediterrâneo. Temos já o terraço de pedra lá. Podemos colocar pilares de  pedra combinando, espaçados de modo que você ainda vai ter a vista. Adicionar um telhado de vidro, ou telha combinando com o resto da casa. Ele também vai fazer uma abrigada área de estar e refeições ao ar livre."

Ana escuta, mas ela não responde. Ela está ficando boa em vestir o rosto impassível - sem dúvida, ela aprendeu isso de mim.

"Ou, em vez do deck, podemos incorporar uma madeira de cor de sua escolha nas portas de vidro, que podem ajudar a manter o espírito do Mediterrâneo,” explica ela. Eu estou olhando minha esposa atentamente. Eu quero que ela goste. Se ela gosta, eu estou vendido.

"Como as persianas azuis brilhantes no sul da França,” murmura Anastasia em voz baixa. Eu não sei se eu estou muito interessado em persianas azuis. É apropriado para a França, porque a maioria das casas têm um esquema de cores similar, e é apropriado para aquele determinado local. Mas, isto pode não ser o melhor para a nossa casa aqui. Eu dou de ombros, e tomo um gole de meu vinho. Eu não quero enfraquecê-la. Se ela está firmemente decidida pelo conjunto das persianas azuis, viverei, e vou aprender a amá-las.

Gia vira seu olhar para mim, esperando por mim para tomar uma decisão. Pelo que posso ver na mudança de comportamento de Anastasia, a linguagem corporal de Gia ainda está dando uma cantada em mim. Eu não dou uma merda pra ela! Anastasia é tudo o que me interessa. É hora de Gia descobrir quem vai tomar as decisões sobre o projeto da casa.

"Ana, o que você quer fazer?" Murmuro muito claramente para Gia não ter nenhuma dúvida para entender que esta é a escolha de Anastasia, e ela vai decidir.

"Eu gosto da idéia do deck."

"Eu também."

Anastasia vira seu olhar para Gia que está aparentemente olhando para mim. "Eu gostaria de ver plantas revisadas mostrando o deck maior e pilares que estejam  de acordo  com a casa."

Pela minha visão periférica, eu observo que Gia relutantemente olha para mim, e olha para Ana, sorrindo.

"Claro. Quaisquer outras questões?” Diz ela em um tom de capitulação.

Naquele momento, eu ouço uma tosse discreta de Taylor. Quando todos nós coletivamente viramos para a entrada do salão, nós o encontramos de pé ali.

"Taylor?" Eu pergunto.

"Eu preciso falar com você sobre um assunto urgente, Sr. Grey," ele diz.

Eu aperto por trás os ombros da minha esposa, e olho em seus olhos. "A Sra. Grey é responsável por este projeto. Ela tem absoluta carta branca. Tudo o que ela quiser, é dela. Confio completamente em seu instinto," eu digo enunciando que minha esposa, também, toma posse do que é dela, e isso me inclui. "Ela é muito astuta,” acrescento, deixando Gia saber que Ana pode e vai assumir o controle do projeto e da atitude de Gia menos que bem-vinda, e vai limpar o chão com ela.

"Se você me der licença," eu digo apertando os ombros de Anastasia uma última vez antes de eu deixar as senhoras na sala de jantar.

"Então... a suíte master?" Eu ouço Gia perguntar nervosamente à medida que saio do cômodo.

                                                             **** ♡ *****
 Assim que estamos fora do alcance da voz, eu pergunto: "O que está acontecendo?"

"Welch chamou sobre Hyde".

"O que tem ele? Ele o encontrou?"

"Não, senhor. Isso é o que ele quer explicar. Ele está no telefone."

Taylor abre a porta do meu escritório e dá um passo para trás. Eu entro, e caminho ao redor da minha mesa para minha cadeira. Eu pressiono a linha piscando no telefone.

"Grey,” eu respondo.

"Senhor. Dois dos meus homens, Pella e eu fomos ao apartamento de Hyde," ele começa sem preâmbulos. "O apartamento tinha indicações do lado de fora de não ter sido ocupado por um tempo. Depois entramos e verificamos só para ter certeza. Havia pratos mofados na pia, caixas de pizza, e comida chinesa deixada por toda a sala de estar. Porém, havia principalmente uma grande quantidade de garrafas de bebidas vazias. Roupas espalhadas por todo seu  quarto como se ele tivesse jogado com raiva. Ele não ia ao apartamento por algum tempo. Pelo menos três ou até quatro semanas, senhor,” ele diz e faz uma pausa.

"Pella veio com você?" Pergunto surpreso.

"Sim, senhor. Ele voou no início desta noite e me chamou assim que se instalou. Então eu lhe disse que estávamos indo verificar o apartamento de Hyde, e ele disse que queria estar lá. Embora ele já nos tivesse dito que não iríamos encontrá-lo no apartamento e que queria poder ver as evidências no local de Hyde em primeira mão.”

"Você encontrou quaisquer fotos de mim ou da minha família, hardware, computador, laptop no apartamento? Havia alguma coisa que o ligasse ao incêndio na Grey House?"

"Aqui está o cerne, senhor. Tudo o que ele poderia ter tido, foi cuidadosamente removido. Sem laptop ou computadores na premissa. Eu não sei se ele os mudou para outro local, ou para um armário em algum lugar. Nenhuma evidência de hardware também. Seu escritório em casa foi cuidadosamente esvaziado de evidências, como se ele nos esperasse lá. Havia fios da rede soltos pendurados indicando que ele tirou seus computadores de lá. Pella e eu concordamos que ele é o culpado."

"A polícia foi notificada, uma vez que você o identificou?"

"Sim, senhor. Mas, o que temos são ainda evidências insuficientes para eles. Nós só vimos o rosto de Hyde por um tempo muito curto no vídeo. Eu já disse à polícia que o nosso software de reconhecimento de rosto combinava com o rosto para ser Jack Hyde. No entanto, não é 100% exato, e a polícia sabe disso. Eles nos perguntaram se há alguém que possa identificá-lo no vídeo. Mas, por suas ordens, nós não lhes dissemos que a Sra. Grey já o identificou. "

"O departamento de polícia está descartando a nossa reivindicação e evidência  de que este é, de fato, Jack Hyde?"

"Não completamente, senhor. Eles vão procurar por ele, e verificar o seu apartamento. Eles não vão encontrar nada além do que nós já encontramos. Nós tentamos não atrapalhar qualquer prova, mas fizemos vídeos e fotos de seu apartamento. Entretanto, após o departamento de polícia ter visto o vídeo e visto os resultados do reconhecimento facial, que tem uma margem de erro de 20%, e isso é geralmente para a vista frontal completa e nós temos apenas esta imagem granulada de perfil, eles disseram que lá não há  provas suficientes para emitir um mandado de prisão. Porque eles sabem que os perfis sempre criam problemas e, portanto, eles podem ser facilmente descartados em um tribunal. Eles podem chamá-lo para perguntar se ele estava por perto, mas, obviamente, ele se foi. Se você apenas permitisse a Sra. Grey identificá-lo...” ele diz e eu o interrompo.

"Isso não é uma opção! Eles vão colocá-la sob pressão e isto irá criar estresse excessivo para ela. O ônus recai sobre nós. Nós temos que localizá-lo. Qual é o melhor que o departamento de polícia vai fazer?"

"Eles irão e verificarão seu apartamento, procurarão o seu paradeiro, verificarão  qualquer atividade de crédito e débito, atividade do celular, e verificarão com seus amigos. Mas já fizemos isso e é um beco sem saída."

"Porra!" Eu assobio meu epitáfio, minha raiva aumentando.

"De fato, senhor. Vamos analisar alguns dos dados recolhidos hoje à noite, e podemos informar-lhe melhor amanhã. "

"Faça isso. E se você não tiver feito isso, informe Taylor de suas descobertas e coordene-se com o resto da segurança alocada para minha família."

"Eu já falei com Taylor. Boa noite, senhor." ele diz e eu desligo.

Eu ando de volta para o salão quando Anastasia e Gia estão terminando seus comentários. Eu caminho vagarosamente em direção a minha esposa. "Tudo pronto?" Eu pergunto enquanto eu envolvo meus braços em volta de sua cintura possessivamente. Então eu volto para Gia que responde.

"Sim, Sr. Grey,” diz ela com um brilhante, mas frágil  sorriso. Sr. Grey? Eu era Christian, quando ela chegou aqui, e ela estava em cima de mim como branco no arroz. "Eu vou ter os planos revistos para você em um par de dias."

"Excelente. Você está feliz?" Pergunto a Anastasia, com os olhos  sondando, amorosamente. Ela acena com a cabeça e cora.

"É melhor eu ir,” diz Gia, pronta para pular do navio. Parece que ela prefereria estar em qualquer outro lugar do que aqui. Estou muito curioso para descobrir o que Anastasia disse a ela. Gia estende a mão para Anastasia em primeiro lugar, e depois para mim. Sim, a minha mulher definitivamente declarou seu território. Eu tenho uma pantera territorial só minha!

"Até a próxima vez, Gia," diz Anastasia.

"Sim, Sra. Grey. Sr. Grey,” ela responde.  Sra. Grey? Poucos minutos atrás, ela estava dirigindo todas as suas perguntas para mim, e destituindo Ana; não muito beligerantemente, mas como uma mulher que desejava assumir o território da outra. Como ela julgou mal a minha mulher! Fico feliz em ver que a minha garota chutou a bunda dela. Quando Taylor aparece na entrada, Anastasia fala alto o suficiente para Taylor ouvir.

"Taylor vai acompanhá-la até lá fora." Gia nervosamente acaricia o cabelo, e gira em seus saltos ‘foda-me-em-seus-sonhos’ de 12 cm e sai. Quando Taylor a conduz para os elevadores, dirijo-me a minha mulher e pergunto intrigado:

"Ela estava visivelmente mais fria."

"Estava? Eu não percebi,” diz ela dando de ombros, tentando parecer indiferente. É algo que eu aperfeiçoei, e eu sei que ela está escondendo alguma coisa. "O que Taylor queria?” Ela pergunta para me distrair. Eu a liberto, franzindo a testa. Eu quero que ela seja aberta para mim. Eu começo a enrolar os planos, e respondo a sua pergunta. "Era sobre Hyde." Isso aguça sua curiosidade.

"O que sobre Hyde?” ela pergunta em um sussurro preocupado.

"Não é nada para você se preocupar, Ana,” eu respondo. É por isso que eu não quero que ela vá para o departamento de polícia e identifique Hyde para a polícia. Ela está assustada e preocupada. Deixo as plantas em cima da mesa, e volto para minha esposa, puxando-a em meus braços. "Acontece que ele não esteve em seu apartamento durante semanas, isso é tudo,” eu digo simplesmente. Eu beijo seu cabelo, em seguida, soltando-a, eu volto para pegar as plantas. Eu quero descobrir o que se passou entre Gia e Anastasia e também distraí-la do filho da puta do Hyde.

"Então o que você decidiu?"

"Exatamente o que você e eu discutimos. Eu acho que ela gosta de você,” diz ela com uma voz calma. Ah, esse é o ponto crucial. Minha esposa é ciumenta. Ela não tem nada para se preocupar. Eu bufo.

"Você disse alguma coisa para ela?" Eu pergunto e ela se torna carmesim, confirmando minhas suspeitas. Ela olha para seus dedos, envergonhado. Ela não tem nada para se envergonhar. Eu gosto quando ela declara a posse sobre mim, possessivamente. Na verdade, eu quero que ela faça isso em excesso. Isso significa que ela não tem interesse em ninguém além de mim. Que ela me ama.

"Nós éramos Christian e Ana, quando ela chegou, e Sr. e Sra. Grey quando ela saiu,” eu digo secamente.

"Eu posso ter dito alguma coisa,” ela murmura. Sua confirmação derrete meu coração. Eu amo essa mulher! Ela está reivindicando sua propriedade, e ela fica com ciúmes quando outras mostram interesse em mim;  ela é protetora comigo, e ela me ama. Eu estou mais do que feliz com sua resposta. Eu olho para ela com nada além de amor e paixão. Ela olha para cima para encontrar o meu olhar. Quando nossos olhos se encontram, eu me lembro por que a maioria das mulheres reagem a mim do jeito que elas fazem. Elas vêem um rosto bonito, um corpo fodível. Ninguém vê a casca fodida de um homem por trás do rosto. Eu baixo meu olhar, balançando a cabeça com a compreensão do que eu sou.

"Ela está apenas reagindo a esse rosto,” eu digo amargamente. Estou desgostoso que é essa a reação que eu evoco em outras mulheres.

O olhar de Anastasia muda para aturdido. "O quê?" Pergunto perplexo. O que ela está pensando? Que eu estaria interessado em Gia Matteo? "Você não está com ciúmes, está?" Eu pergunto. Estou horrorizado que ela poderia pensar que tenho algum interesse em Gia.
Anastasia cora e engole nervosamente. Ela está com ciúmes! Ela olha para os dedos entrelaçados, sentindo-se insegura.

"Ana, ela é um predador sexual. Ela não é meu tipo. Como você pode estar com ciúmes dela? De qualquer uma para este assunto? Nada sobre ela me interessa,” eu digo completamente exasperado e alarmado que ela iria pensar dessa maneira. Eu corro a mão pelo meu cabelo exacerbado. "É só você, Ana. Sempre vai ser apenas você,” eu sussurro. Certamente, ela deve saber que eu a amo de forma indelével, em caráter irrevogável e completamente!


You'll Never Find Another Love Like Mine - Michael Buble ft Laura Pausini

Deixo as plantas de volta na mesa novamente, e me movo na direção de minha esposa. Sua cabeça está de volta para baixo novamente. Eu levanto o queixo dela e a faço olhar nos meus olhos.

"Como você pode pensar de outra forma? Eu já lhe dei qualquer indicação de que eu poderia estar remotamente interessado em alguém?" Eu pergunto a ela com fervor.

"Não. Eu estou sendo boba. É só hoje... e você...” diz ela frustrada. O quê? Será que eu a fiz  pensar que ela não é tão importante para mim? O que eu fiz?

"O que tem eu?" Eu pergunto.

"Oh, Christian,” diz ela, com os lábios trêmulos. "Eu estou tentando me adaptar a esta nova vida que eu nunca tinha imaginado para mim. Tudo está sendo entregue a mim em um prato. Meu trabalho, você...” diz ela olhando nos meus olhos com alguma emoção que derrete meu coração. "Meu lindo marido que eu nunca... eu nunca pensei que eu amaria assim, tão forte, tão rápido, de forma tão indelével,” diz ela em um suspiro embalado com suas emoções. Ela pára e respira. Há algo mais.

"Mas você é como um trem de carga, e eu não quero ser atropelada, porque a garota por quem você se apaixonou será esmagada. E o que vai ficar? Tudo o que restaria é um vácuo social, vazio, voando de função de caridade para função de caridade. "Ela parece assustada. Confusa, e perdida mesma. "E agora você quer que eu seja um CEO de uma empresa, o que nunca, jamais esteve no meu radar. Estou saltando entre todas essas idéias, lutando. Você me quer em casa. Você quer que eu administre uma empresa. É tão confuso,” diz ela e para, assim que  seus olhos se enchem com lágrimas. Não! Não! A última coisa que eu quero é fazer minha esposa chorar! Tudo o que faço é apenas para protegê-la, para mostrar a ela o quanto eu a amo, o quanto eu quero apoiá-la em todos os seus sonhos e empreendimentos. Não é isso o que um marido deveria fazer? Não é isso que eu prometi fazer? Ela está me pedindo para voltar atrás em  meus votos de casamento?

"Você tem que me deixar tomar minhas próprias decisões, correr meus próprios riscos, e cometer meus próprios erros, e deixar-me aprender com eles. Eu preciso andar antes que eu possa correr, Christian, você não vê isso? Eu quero um pouco de independência. Isso é o que o nome significa para mim."

Eu engulo em seco. Minha esposa acha que o meu amor, meus esforços para protegê-la, o jeito que eu a amo,  a atropelam? Eu preciso saber.

"Você se sente atropelada?" Pergunto num sussurro horrorizado.

Ela balança a cabeça afirmativamente.

Eu sinto como se ela me golpeasse na barriga. Eu fecho meus olhos de dor enquanto eu corro a mão pelo meu cabelo, exasperado. Como faço para mostrar a ela que eu a amo, se eu não estou autorizado a expressar meu amor por ela do meu próprio jeito? Eu quero dar-lhe tudo o que eu tenho, colocar a seus pés.

"Eu só quero lhe dar o mundo, Ana, e toda e qualquer coisa que você quiser. E salvá-la disto, também. Mantê-la segura. Mas eu também quero que todos saibam que você é minha. Entrei em pânico hoje quando recebi seu e-mail. Por que você não me contou sobre o seu nome?"

Ela nunca se comunica comigo se eu não forçar isso fora dela. Se ela tinha preocupações, e se essa era sua decisão, ela deveria ter me contado. Claro, eu iria tentar convencê-la do contrário, mas ela foi por trás de mim, e essa é a linha de fundo de minha preocupação. Ela me faz entrar em pânico tomando decisões relativas a nós dois em segredo, sabendo como sou possessivo. É injusto!

A minha pergunta faz com que ela core.

"Eu só pensei nisso enquanto estávamos na nossa lua de mel, e bem, eu não queria estourar a bolha, e eu esqueci o assunto. Eu só me lembrei ontem à noite. E, em seguida, Jack... você sabe, foi uma distração. Me desculpe, eu deveria ter dito ou discutido com você, mas eu nunca conseguia encontrar o momento certo,” explica ela.

Eu olho para ela sem pestanejar. Ela escondeu seus sentimentos de mim, e eu quero confiar nela, mas como eu poderia não entrar em pânico quando ela esconde importantes decisões de mim? Será que ela não entende que isso sou eu, tudo de mim, que eu estou me oferecendo a ela com todos meus defeitos e todas as fibras do meu ser, bom e mal. Este sou eu... Ela não pode me aceitar como eu sou, e não uma versão alterada de mim?

Everything I Do – Bryan Adams

"Por que você entrou em pânico,” ela pergunta.

"Eu apenas não quero que você escorregue por entre meus dedos,” eu sussurro, com os olhos arregalados, meu medo evidente.

"Pelo amor de Deus, eu não vou a lugar nenhum. Quando é que você vai pegar isso através de sua cabeça extremamente dura?  Eu. Amo. Você,” diz ela enfatizando. Ela acena com a mão no ar e continua: "Mais do que..." ela procura as palavras certas para expressar seus pensamentos e sentimentos, “a visão, o espaço ou a liberdade."

O quê? Ela me ama como ama seu pai? Meus olhos se arregalam de surpresa. Choque mesmo. "O amor de uma filha?"  Pergunto em um sorriso irônico.

"Não,” ela ri. "É a única citação que me veio à mente."

"Louco Rei Lear,” ela pensa em mim como Louco Rei Lear?  (N.T. King Lear é uma tragédia teatral de William Shakespeare, considerada uma de suas obras-primas)

"Querido, querido Louco Rei Lear,” diz ela enquanto seus dedos gentilmente acariciam meu rosto, e como um homem faminto por seu carinho, por seu toque, eu me inclino, e me aqueço no sentimento, fechando os olhos. "Você mudaria seu nome para Christian Steele assim todos saberiam que você pertence a mim?” ela pergunta.

Meus olhos se abrem. Ela quer mostrar ao mundo que eu pertenço a ela? Eu não pertenço a ela, eu sou dela como ela é minha!  "Pertenço a você?" Eu murmuro minha pergunta.

"Meu."

"Seu. Sim, eu o faria. Se isso significasse tanto assim para você." Será que ela não entende que não há quase nada que eu não faria por ela?

"Isso significa tanto assim para você?” ela pergunta, finalmente, entendendo a minha preocupação.

"Sim,” eu respondo para ela decisivamente.

"Ok,” ela responde. O quê? Ela já não concordou com a mudança de nome?

"Eu pensei que você já tivesse concordado com isso."

"Sim, eu tinha, mas agora que nós discutimos isso mais, estou mais feliz com a minha decisão."

"Oh," eu respondo surpreso. Chegamos a um acordo mútuo. E ela não voltou atrás dele, mas concordou com ele. Estou extremamente feliz, eu sorrio para minha esposa refletindo meu estado de espírito. Eu pego Anastasia pela cintura, e eu a giro em volta dela, fazendo-a gritar de prazer e rir. Ela está feliz, e seu estado de espírito me faz mais feliz.

"Sra. Grey, você sabe o que isso significa para mim? " Eu pergunto.

"Eu sei agora."

Eu me inclino e a beijo, meus dedos acariciam seu cabelo, finalmente segurando-a no lugar.

"Isso significa sete tons de domingo,” murmuro enquanto meus lábios cobrem os dela, e eu passo meu nariz ao longo do dela.

"Você acha?” Ela pergunta recuando para olhar para mim.

"Certas promessas foram feitas. Uma oferta estendida, um acordo negociado,” eu sussurro. Estou pegando o que ela me prometeu, aconteça o que acontecer.

"Uhm...” diz ela incerta. O quê? Não, não, não! Ela prometeu! Eu a quero,  e eu quero agora!

"Você está se negando a mim?"  Pergunto questionando.  Eu posso improvisar, e ainda conseguir o que quero. "Eu tenho uma idéia."

"Um assunto realmente importante para tratar. Sim, Sra. Grey. Uma questão da mais grave importância,” digo relembrando o que ela me disse mais cedo sobre o meu cabelo.

"O quê?” Ela respira, estreitando os olhos.

"Eu preciso de você para cortar meu cabelo. Aparentemente ele está comprido demais, e minha esposa não gosta."

"Eu não posso cortar seu cabelo!” Diz ela horrorizada.

"Sim, você pode,” eu sorrio largamente. Ela pode fazer qualquer coisa. Eu balanço minha cabeça para demonstrar o meu cabelo caindo sobre meus olhos.

"Bem, se a Sra. Jones tem uma tigela de pudim,” ela responde rindo.

Eu rio em resposta. OK, se ela acha que não vai fazer um bom trabalho... "Tudo bem, opinião bem defendida. Vou pegar Franco para fazê-lo." Sua expressão muda. Eu sei o que ela está pensando. Ela não iria querer me associar com ninguém do salão de Elena.

"Venha,” ela diz pegando minha mão e me puxa. Eu adoro, porra, quando minha esposa toma conta de mim. Ela me leva para o nosso banheiro principal, e soltando minha mão, ela traz uma cadeira de madeira e coloca-a na frente de uma das pias. Eu olho para minha mulher,  completamente divertido, meus dedos enroscados nas presilhas da frente da minha calça. Eu amo isso porque ela está marcando seu território. Meus olhos estão devassos, desejosos.

"Sente-se,” ela ordena.

"Você vai lavar meu cabelo?" Eu pergunto, e ela acena com a cabeça concordando em resposta. Eu arqueio a sobrancelha, surpreso, mas isso pode ser bom. "Ok,” eu digo, e lentamente abro meus botões da minha camisa branca. Ela me olha com olhos ávidos. Eu estendo meus punhos para ela, e gesticulo para ela tirar as abotoaduras. Estas são aquelas que ela me deu como presente de casamento com as minhas iniciais gravadas. Quando ela está desfazendo as abotoaduras, o meu desejo por ela aumenta dez vezes. Meu pulso acelera. Sua proximidade sempre me liga.

"Pronto?” ela sussurra em tom lascivo.

"Para o que você quiser, Ana,” eu respondo pronto para qualquer coisa que possa ser apresentada por ela.

Meus lábios se partem para inalar, profundamente. Seu olhar viaja de meus olhos para minha boca. Ela inclina-se para me beijar, mas eu a impeço.

"Não,” eu digo colocando as duas mãos sobre seus ombros. "Não faça isso. Se você fizer isso, eu nunca vou conseguir o meu corte de cabelo. Eu quero isso,” eu digo. Qualquer atenção que minha esposa considere dar-me é afetuosa. Estou carente de sua atenção, e não importa o quanto eu receba, eu nunca posso ter o suficiente.

"Oh,” ela expira. "Por quê?” Ela pergunta em um tom sussurrante.

Por quê? Eu fico olhando para ela. O que é melhor do que receber amor e carinho do objeto de sua afeição? "Porque isso vai me fazer sentir querido,” eu respondo. Ela envolve seus braços em volta de mim, e beija o meu peito nu, e em seguida, esfrega seu rosto no meu cabelo do peito.

"Ana. Minha Ana,” eu sussurro. Minha baby, minha esposa, meu tudo. Meus braços se envolvem em torno de seu corpo, e abraçamos um ao outro. Minutos depois, ela me libera, e se inclina para trás.

"Você realmente quer que eu faça isso?” Ela pergunta. Concordo com a cabeça e sorrio para ela timidamente. Ser tímido na presença dela é uma coisa nova para mim. Seu sorriso de resposta é desarmante.

"Então, sente-se,” ela ordena novamente.

Eu obedeço imediatamente, e sento. Ela me faz inclinar a cabeça para trás para a pia. Ela tira seus sapatos, e sem cerimônia joga-os sobre minha camisa amassada no chão. Ela caminha para o chuveiro e pega o frasco de xampu.

"O senhor gostaria disso?" Ela segura o shampoo Chanel como se ela estivesse vendendo no Home Shopping Network. (N.T. A HSN, acrônimo de Home Shopping Network é uma rede de televisão aberta dos Estados Unidos, disponível também em TV a cabo em outros países, que tem 24 horas de programas de compras em sua programação). "Entregue em mãos a partir do sul da França. Eu gosto do cheiro disso...” diz ela pausando. Então seu olhar escurece, e ela sussurra: "isto cheira a você."

"Por favor,” eu respondo sorrindo largamente.

Ela puxa uma pequena toalha fora do aquecedor de toalhas.

"Incline-se para frente,” ela ordena mais uma vez, e eu obedeço. Ela a coloca em volta dos meus ombros, e, em seguida, liga a torneira e enche a pia com água.

"Incline-se para trás,” ela ordena,  totalmente no comando. Ela é uma coisinha mandona esta noite e eu estou amando cada segundo. Eu puxo a cadeira para frente e escorrego nela, encostando na pia, então finalmente, coloco minha cabeça para trás na pia para permitir-lhe uma posição confortável para lavar meu cabelo. Quando eu olho para cima, vejo seu sorriso caloroso olhando para mim. Ela pega um dos copos sobre a bancada, e mergulha na pia, enchendo de água quente. Ela derrama-o na minha cabeça, molhando meu cabelo. Ela repete o processo novamente inclinando-se sobre mim. Estou momentaneamente inebriado enquanto seu perfume feminino inunda meus sentidos.

"Você cheira muito bem, Sra. Grey," murmuro e me deixando perder na sensação, eu fecho meus olhos.

Ela se mantém molhando meu cabelo, um copo de cada vez, seu dedo esfregando a água em minhas raízes. Seu toque é eletrizante, tanto sacudindo meu corpo vivo como me fazendo querê-la, e me relaxando de uma maneira que eu nunca soube possível. Eu me sinto amado, apreciado, valorizado. Eu sinto que eu sou o único foco dos devaneios de Ana no momento. A idéia me agrada, e eu inalo suavemente, meus lábios abrindo. O espirro da água sobre meus olhos fechados arranca-me dos meus devaneios. "Sinto muito!" Anastasia pede desculpas.

Eu pego o canto da toalha e limpo a água dos meus olhos.

"Ei, eu sei que eu sou um asno, mas não me afogue," Eu zombo repreendendo-a.

Ela se inclina e beija minha testa, me dando o seu riso delicioso de menina. "Não me seduza, Sr. Grey." Seu cheiro, seu toque, seu beijo e sua risadinha disparam o meu desejo em uma alta histórica. Vejo minhas mãos chegando por trás da cabeça dela e puxando seus lábios nos meus. Eu a beijo brevemente, e gemo de desejo e satisfação. Eu a liberto, olhando para ela com expectativa. Ela olha para mim com o quê? Amor? Desejo? Ternura?

Ela coloca um pouco de xampu na palma da mão e o massageia em meu couro cabeludo, ensaboando. Ela começa em minhas têmporas, e trabalha seu caminho para o topo da minha cabeça, e para baixo para os lados e abaixo da minha cabeça. Seu dedo ritmicamente circula minha cabeça, o que em troca anima todas as minhas sinapses. Eu fecho meus olhos em puro êxtase, completamente no céu; um murmúrio baixo escapa dos meus lábios.

"Isso é bom,” eu digo, com seus dedos implacavelmente massageando meu couro cabeludo.

"Sim, é verdade,” ela espelha minhas palavras, e beija minha testa mais uma vez.

"Eu gosto quando você coça meu couro cabeludo com as unhas,” eu digo, meus olhos fechados. Estou em um lugar diferente, contente, alegre, sentindo-me amado e querido, mas ainda vulnerável.

"Cabeça erguida,” ela ordena e eu obedeço sem pensar. Ela mais uma vez alcança por trás a minha cabeça raspando suas unhas, e esfregando a espuma no meu couro cabeludo, seus dedos pressionando firmemente e massageando minha cabeça.

"Levante a cabeça,” ela ordena. Eu me inclino para trás e ela enxágua fora a espuma com água morna, usando o copo de beber.

"Mais uma vez?” ela pergunta.

"Por favor,” eu respondo serenamente. Um homem pode se acostumar com isso. Ela sorri para mim.

"Já estou indo, Sr. Grey. Ela enche minha pia com água morna, e "Para enxaguar,” ela explica.

Ela faz espuma no meu cabelo com shampoo de novo, e a esta altura, estou completamente relaxado. Se eu morresse neste exato momento, eu morreria um feliz homem abençoado. Minha respiração acalma e se aprofunda. Suas mãos param por um momento, e então seus dedos suavemente acariciam minha bochecha. Abro os olhos, olhando-a com relaxados olhos sonolentos. Ela se inclina e planta um suave e casto beijo em meus lábios. Eu sorrio para sua ternura, e fecho meus olhos com satisfação total. Ela me ama! Ela ama a mim! Este homem! Christian Grey!

Ela me monta e inclina-se sobre mim para obter uma movimentação melhor. Seus seios escovam meu rosto. "Hmm," murmuro apreciativamente. Minhas mãos se movem sobre seus quadris, e sua bunda.

"Não acariciar ajuda,” ela me repreende.

"Não esqueça que eu sou surdo,” eu digo com os olhos fechados. Minhas mãos descem passando para seu traseiro e começo levantando sua saia. Ela golpeia  meu braço. Eu sorrio com a reação dela. Eu me sinto como um garoto que foi pego fazendo sexo em seu quarto pela primeira vez e é repreendido, mas fica secretamente orgulhoso disso. Ela se aproxima da pia com o copo na mão, e lava o shampoo do meu cabelo para tirar a espuma fora. Minhas mãos ainda estão segurando seu traseiro, com a intenção de tê-la assim que ela terminar de enxaguar o cabelo. Ela é tão gostosa, escarranchada em mim, suas mãos massageando minha cabeça, os seios tocando meu rosto, seu cheiro me ultrapassando. Meus dedos viajam para frente e para trás, para cima e para baixo sobre seu traseiro delicioso, e ela estremece, me fazendo rosnar como predador no cio. Merda! Vou tê-la quer  ela queira ser tida ou não!

"Pronto. Todo lavado.”

"Bom,” eu digo. Hora dos sete tons de domingo que foram prometidos para mim. Meus dedos apertam em redor de seu traseiro, e eu sento-me de imediato, meu cabelo molhado me pingando todo. Eu puxo a minha mulher para baixo no meu colo. Minhas mãos, lenta e sensualmente, movem-se a partir de sua bunda até a base de seu pescoço. Em seguida, acariciando seu pescoço, meus dedos trilham para o queixo, e eu seguro-a firmemente no lugar. Ela é bonita pra caralho, olhando para mim com amor e desejo. O que é mais irresistível para um homem do que uma mulher que está apaixonada por ele? Meus lábios imediatamente encontram os dela e os cobrem e os conquistam. Minha língua empurra o seu caminho em sua boca, dura e ereta, pronta para conquistá-la. Eu acaricio sua língua em lambidas sensuais. Sua língua hesitante move-se e entra na minha boca, e eu a chupo com força. Seus dedos enredam no meu cabelo e se enrolam nos fios molhados. A água cai, escorrendo do meu cabelo, até suas mãos e seus braços, e enquanto o nossos beijo se  aprofunda, seu rosto está encharcado com a água do meu cabelo. Eu movo minha mão de seu queixo para o botão de cima da blusa. Eu só quero tê-la nua e fodê-la com tudo que eu tenho.

"Chega de enfeitar. Eu quero fodê-la sete tons de domingo, e podemos fazê-lo aqui ou no quarto. Você decide."

Minha respiração se torna mais profunda, minha pulsação aumenta, meus olhos escurecem, e eu estou cheio de apreciação carnal e desejo pela minha esposa muito fodível. Água continua escorrendo do meu cabelo longo demais sobre nós dois. Sua respiração acelera; ela é incapaz de me responder. Seu peito está subindo e descendo e eu posso sentir o seu batimento cardíaco.

"O que vai ser, Anastasia?" Eu pergunto a ela, enquanto eu sacudo minha perna para fazê-la me dar uma resposta.

"Você está molhado,” ela diz.

Eu curvo minha cabeça e rapidamente balanço e esfrego minha cabeça na parte da frente da sua blusa molhando-a rapidamente. Ela grita e tenta libertar-se da minha mão e a reação só me excita mais. Eu amo ela colocar força em um jogo sexual. Eu desejo isso. E agora, eu estou completamente ligado, e não vou deixá-la ir até que ela esteja completamente fodida.

"Oh, não, você não vai, baby!" Murmuro, e quando eu levanto minha cabeça para olhar em seus olhos novamente, eu sou pura luxúria, e cheio de desejo licencioso por ela. A blusa está encharcada, e os mamilos estão cutucando, me convidando para fazer amor com ela.

"Amo a vista,” murmuro enquanto eu corro meu nariz ao redor e ao redor de um de seus mamilos molhados, fazendo-a se contorcer sob minhas ministrações.

"Responda-me, Ana. Aqui ou no quarto? "

"Aqui”, ela sussurra desesperadamente, o corte de cabelo esquecido. O desejo ardente com que ela está aquecida me faz sorrir licenciosamente.

"Boa escolha, Sra. Grey," murmuro contra seus lábios suculentos. Eu libero seu queixo e movo minha mão até seu joelho, lentamente, levantando sua saia, meus dedos deslizando sobre sua pele lisa. Um arrepio percorre seu corpo. Eu começo depositando beijos desde a base de sua orelha ao longo de sua mandíbula. Oh, Deus!
  


"Oh, o que vou fazer com você?" eu sussurro em seu ouvido. Meus dedos param no topo de suas meias. Terei que mantê-las. "Eu gosto disto,” murmuro. Eu corro um dedo por baixo do alto e roço em torno da parte interior de sua coxa acordando seus nervos. Ela engasga e se contorce respondendo ao meu toque rapidamente. Sua reação me faz gemer, um som gutural, vindo do fundo da minha garganta. "Se eu vou foder você sete tons de domingo, eu quero que você se mantenha imóvel," eu a relembro.

"Faça-me ficar,” ela me instiga, em uma voz suave e sussurrante. Eu tomo uma ingestão aguda de respiração. Ela está apertando todos os botões certos esta noite. Eu adoraria lhe amarrar, baby. Meus olhos se estreitam, e considero-a com uma expressão quente. É isso que ela quer? Seu olhar me desafia, atormentando, querendo, e me empurrando.

"Oh, Sra. Grey. Você só tem que pedir." Eu movo minha mão da parte superior de sua cinta liga para sua  calcinha.  "Vamos tirar você dela,” eu digo, enquanto eu a puxo suavemente e ela desloca-se para torná-lo fácil. Mas eu não preciso de nenhuma ajuda. Minha respiração sibila por entre os dentes.

"Fique quieta," Eu resmungo.

"Eu estou ajudando,” ela responde, emburrando. Você não tem que emburrar, baby! Eu rapidamente me movo e capturo seu lábio inferior entre os dentes.

"Imóvel," eu rosno. Eu sou o macho alfa. Sou responsável por este show. Eu deslizo sua calcinha pelas pernas para baixo e fora. Então eu puxo a saia para cima, fazendo-a amontoar ao redor de seus quadris. Eu movo ambas as mãos em sua cintura e levanto-a, sua calcinha está na minha mão.

"Sente-se montada em mim," Eu ordeno olhando para ela apenas com um objetivo em mente: fodê-la sete tons de domingo. Ela finalmente se mexe, me montando, e seu olhar é incitante, inebriante e instigante.


 "Sra. Grey, você está me incitando?" Pergunto, em tom de advertência. Embora eu esteja completamente divertido e excitado. Ela me desafia como ninguém pode; desperta emoções que eu nunca soube que existia.

"Sim. O que você vai fazer sobre isso?” Ela pede com essa atitude corajosa. Eu adoro isso, porra! Eu amo ela colocar força de uma forma ou de outra em sexo. É como me acender. Meu pau responde imediatamente, ansioso para sair. "Entrelace as mãos atrás das costas."

Ela obedece imediatamente, e eu amarro suas mãos com sua calcinha.

"Minha calcinha? Sr. Grey, você não tem vergonha,” diz ela censurando.

"Não onde você estiver envolvida, Sra. Grey, mas você já sabe disso." Eu estou intenso e ardendo de desejo, um fodido vulcão pronto para explodir. Eu coloco minhas mãos em sua cintura, mexo-a no meu colo para que ela esteja sentada um pouco mais para trás. Seu olhar está fixo na água pingando. Seus olhos estão cheios de desejo sexual, cheios de expectativa.

Eu acaricio suas coxas e, lentamente, escorrego até seus joelhos, empurrando-os mais separados e também aumento o fosso das minhas próprias pernas. Então eu a seguro nessa posição. Meus dedos se movem para os botões de sua blusa. Eu só quero me livrar dela.

"Eu não acho que nós precisamos disso,” eu digo, e lentamente abro cada botão, mantendo meus olhos fixos nos dela. Seu peito começa a subir e descer em rápida sucessão, enquanto eu lentamente deixo sua blusa molhada colada, aberta. Sua respiração é superficial e seu batimento cardíaco é evidente sob a blusa aberta. Deixo a blusa úmida entreaberta e começo a acariciar o rosto com as duas mãos. Então meus dedos roçam sobre suas bochechas, e meu polegar corre sobre o lábio inferior. Seus lábios partem de prazer, seus olhos se dilatam. Eu empurro o meu polegar em sua boca.
  


"Ssssugue," eu ordeno em um sussurro, enunciando o S. Ela chupa o polegar com muito entusiasmo para transmitir seu desejo de me chupar. Ela chupa meu polegar, e eu sinto os efeitos disto na minha virilha e meu pau se contrai em resposta. Ela raspa os dentes sobre a almofada do meu polegar e morde-o, fazendo-me suspirar e gemer desejosamente.

Eu extraio meu polegar agora molhado, e completamente sugado para fora dos seus lábios, e arrasto-o para baixo do seu queixo, sua garganta e sobre seu esterno. Eu o engato na copa do sutiã, puxando-o para baixo, eu liberto sua mama, que é empurrada para cima pela parte de baixo  do sutiã, trazendo o mamilo mais perto de meus lábios que se animam até mesmo mais. O meu olhar está sobre ela. Eu quero ver todas e cada uma de suas reações que eu estou provocando dela. Eu quero ser a causa e o provedor de cada prazer que ela experimenta. Eu quero estar no comando e no controle de seus prazeres: quando e quanto. Quero ter seu corpo de tal forma que ela se entregue a mim completamente, de corpo e alma.

Principles of Lust - Enigma

Sem deixar seu olhar, eu liberto sua outra mama também e cobrindo ambas com a mão, suavemente, eu roço cada mamilo com meus dedos, circulando dolorosamente lento, provocando e desafiando. Eles endurecem e alongam sob meu toque. Eu posso fazê-la gozar assim. Ela geme e joga a cabeça para trás, fechando os olhos, incapaz de ficar parada.

"Shhh ..." Eu a acalmo. "Imóvel, baby, imóvel." Eu quero que ela aprenda a controlar seu corpo. Eu libero um de seus seios, e com a mesma mão, chego por trás da sua nuca, segurando-a no lugar. Então eu tomo o mamilo agora livre em minha boca e chupo forte, meu cabelo molhado caindo ao redor do meu rosto. Eu tomo o outro mamilo entre o polegar e o indicador e puxo e torço suavemente, permitindo-lhe responder ao meu toque e alongar.

  
"Ah! Christian,” ela geme e se move para frente, morrendo por fricção sobre seu sexo. Mas isso não vai me fazer parar. Eu amo fazer minha esposa gozar sob o meu toque, quando eu quero, como eu quero. Eu adoro ter controle sobre o corpo dela. Alimenta a necessidade dentro de mim, e me excita além da crença.

"Christian, por favor,” ela choraminga quando eu não paro.

"Hmm," eu cantarolo. "Eu quero que você goze desta forma,” murmuro. Quando eu faço amor com Anastasia, me conecto com ela na forma mais primordial, mais elementar - chamando seu instinto, falando em uma linguagem que só existe entre os nossos corpos; só entre os nossos corpos. Eu chamo e ela goza. Ela geme alto, contorcendo-se no meu colo contra minha calça, puxando contra suas amarras, querendo me tocar.

"Por favor,” ela implora em um sussurro, e eu sinto a mudança em seus músculos, apertando.

"Você tem esses belos seios, Ana,” eu digo gemendo. "Um dia eu vou fodê-los." Eu me inclino e sugo seu peito, profundo novamente. Minha língua acariciando, sugando, puxando. Ela está segurando firme, sem querer deixar ir, resistindo a gozar, pedindo uma fricção.

"Deixe ir," eu respiro, ordenando, e ela atinge seu clímax, perdida em seu orgasmo, ondas de prazer correndo através de seu corpo e, finalmente, caindo sobre meu peito, descansando a cabeça. Seus olhos permanecem fechados enquanto a sensação corre através de seu corpo. Quando ela finalmente os abre, eu estou olhando para a minha esposa em reverência.
"Deus, eu adoro  ver você gozar, Ana,” eu digo maravilhado. Estou em respeito a ela.

"Isso foi...” diz ela não conseguindo terminar a frase. Mas, estamos conectados, e eu sei exatamente o que ela está sentindo.

"Eu sei," eu digo e inclinando-me para frente, eu a beijo. Minha mão ainda está segurando a nuca dela. Eu inclino a cabeça para que eu possa beijá-la mais profundo, mais carnal, mais amoroso, adorando-a.  Ela é uma deusa entre as mulheres. Eu a amo mais do que minha própria vida! Quando eu me afasto do nosso beijo, nós dois estamos sem fôlego.

"Agora, eu vou te foder, duro,” murmuro.

Eu a agarro pela cintura, levantando-a de minhas coxas até a beira dos meus joelhos. Com a minha mão direita, eu desabotoo as calças marinho. Eu corro os dedos da minha mão esquerda para cima e para baixo de sua coxa, parando no topo de suas meias, e observo a reação dela atentamente. Estamos face a face. Ela está amarrada com a calcinha, o sutiã empurrando seu peito até meus lábios, sentada no meu colo e pronta para receber meu pau ansioso; fodidamente perto, e completamente íntimo. Seus olhos azuis fixos nos meus. Eu abro meu zíper e minha ereção salta livre. Seu lábios se partem, e ela engasga. Ela está olhando para o meu comprimento substancial com desejo carnal, fazendo-me sorrir.

"Você gosta?" Eu pergunto.

"Hmm..." ela murmura apreciativamente como se eu tivesse mostrado sua coisa mais favorita no mundo. Eu envolvo minha mão em torno de minha ereção, meu olhar fixo em sua expressão, eu movo minha mão para cima e para baixo, me acariciando. Ela está extremamente excitada, olha para mim com um olhar que diz que ela está pronta para devorar meu pau totalmente, e morde o lábio.

"Você está mordendo o lábio, Sra. Grey," Eu gemo.

"Será que é  porque eu estou com fome?"

"Com fome?" Eu pergunto, minha boca se abrindo totalmente de surpresa, e quando a compreensão cai sobre mim, eu sei que ela me quer agora.

"Hmm..." ela murmura, lambendo os lábios.

Oh, Sra. Grey! Dois podem jogar este jogo. Eu sorrio, mordendo meu lábio inferior, enquanto eu continuo a acariciar-me.

"Entendo. Você deveria ter comido o seu jantar. Mas talvez eu possa obrigar,” eu digo e coloco minhas mãos em sua cintura. Eu estou com fome também. "Levante,” eu peço baixinho. Bem, Sra. Grey, hora do jantar. Ela fica de pé.

"Ajoelhe-se,” eu ordeno. Ela faz o que lhe é dito. Eu deslizo para frente no meu lugar.
  


"Beije-me,” eu digo oferecendo-lhe a minha ereção. Ela olha para mim, e o olhar que ela me dá  me excita totalmente, fazendo-me lamber meus dentes superiores. Ela se inclina para frente, e beija a ponta da minha ereção. Este simples toque passa um raio de eletricidade através de meu corpo acordando todas minhas terminações nervosas, e me fazendo ter uma ingestão aguda da respiração, e cerrar os dentes. Eu seguro os lados de sua cabeça, enquanto ela corre a língua sobre a coroa do meu pau, sugando o único orvalho brotando na ponta. Meu queixo cai aberto de prazer, e eu suspiro mais. Em seguida, ela pula sobre ele, esvaziando suas bochechas, ela chupa com força, puxando meu pau para o fundo de sua garganta. Ela puxa para trás e gira a língua em torno da coroa e empurra para baixo mais uma vez. E repete o processo.

"Jesus, Ana," eu suspiro enquanto o prazer corre através do meu corpo, espalhando-se através de cada célula, enrolando meus dedos. Fecho meus olhos com força. Sinto meus quadris retribuindo e correspondendo a seus movimentos. Eu estou perdido em prazer na boca talentosa da minha esposa, incapaz de responder, incapaz de me mover. Ela me conquistou, me possuiu, e se conectou comigo de uma maneira que nenhuma outra pessoa já fez, ou jamais poderia.

"Ah!" Eu gemo, e paro de me mover. Eu me inclino para frente e agarrando-a, eu a puxo para o meu colo.

"Chega!" Eu rosno. Eu alcanço atrás dela, e liberto suas mãos com um puxão em sua calcinha. Seu olhar está combinando com o meu em intensidade, com fome pelo meu pau, pelo que  eu tenho para  entregar a ela. Ela olha para mim, e sua mão envolve a minha ereção, coloca-a debaixo dela, e lentamente me deixa afundar em seu sexo, saboreando meu pau preenchendo-a e esticando-a. O ruído que sai para fora de mim é primordial, gutural e sensual. Eu avanço e puxo sua blusa, e deixo-a cair no chão. Eu abaixo minhas mãos para seus quadris.

"Parada," Eu a advirto com uma voz rouca, minhas mãos cavando em sua carne macia. "Por favor, parada. Deixe-me saborear isto. Saborear você,” eu imploro. Ela para. Eu acaricio o rosto dela com admiração, completamente hipnotizado, olhando-a de uma maneira que só um homem apaixonado pode olhar. Meus olhos são selvagens, os meus lábios separados, eu respiro em respirações rasas. Eu flexiono meu pau debaixo dela e ela geme, com a deliciosa sensação de atrito, ela fecha os olhos de prazer.

"Este é o meu lugar favorito,” eu sussurro para ela. "Dentro de você. Dentro da minha esposa."

Seus dedos deslizam no meu cabelo ainda molhado, seus lábios selando os meus, e ela começa a se mover para cima e para baixo na ponta dos pés. Porra! Eu estou perdido dentro dela. Eu gemo alto. Minhas mãos estão em seu cabelo, em torno de suas costas, a minha língua invadindo sua boca, tomando conta dela, fodendo e fazendo amor. Posso conectar-me com ela assim, comunicar-me com ela, expressar-lhe o meu amor, carinho, medos, preocupações e desejos de uma maneira que não é possível de outra maneira. Minhas mãos se deslocam para suas nádegas e controlam seus movimentos para cima e para baixo, repetidas vezes, em um ritmo que eu determino.

"Ah,” ela geme em minha boca.

"Sim. Sim, Ana," Eu assobio e ela beija meu rosto, queixo, mandíbula, pescoço, de volta para o meu rosto. "Baby,” eu respiro, e capturo sua boca mais uma vez.

"Oh, Christian, eu amo você. Eu sempre vou amar você,” ela respira com fervor. Declarando seu amor por mim. Eu gemo; sua declaração me fazendo chegar ao meu auge e eu me enrolo em volta dela com força enquanto eu alcanço o clímax, sem saber por que a providência divina me achou digno o suficiente dessa mulher, embora  eu seja indigno dela, e quão afortunado, quão incrivelmente abençoado eu sou com ela na minha vida. Meu clímax e eventual liberação é um lamento, e ela também é empurrada sobre a borda, e apertando os braços em volta da minha cabeça, ela permite que seus orgasmos passem por todo o seu corpo em ondas grandes. Sua cabeça cai sobre meus ombros, com lágrimas brotando e caindo sobre minhas costas.

"Hey," eu sussurro, enquanto eu seguro seu queixo para trás e olho para o rosto dela com preocupação. "Por que você está chorando? Eu machuquei você? "

"Não,” ela murmura, sua voz repleta de confiança.

I Melt with You – Nouvelle

Eu tiro seu cabelo de seu rosto e limpo uma lágrima solitária, com meu polegar, e beijo seus lábios macios. Meu pau ainda está dentro dela. Eu me mexo e saio de dentro dela. Estou preocupado que algo está errado. Ela esconde um monte de mim.

"O que há de errado, Ana? Diga-me."

Ela funga como resposta. "É só que... às vezes eu estou sobrecarregada com o quanto eu te amo,” ela sussurra. Quando o peso de suas palavras afunda em mim, eu sorrio, exultante. Porque é assim que eu me sinto por ela. "Você tem o mesmo efeito em mim,” eu sussurro de volta, e beijo-a novamente. Ela sorri de retorno, em resposta.

"Tenho?” ela pergunta me fazendo sorrir.

"Você sabe que você tem."

"Às vezes, eu sei. Não o tempo todo."

"O mesmo para você, Sra. Grey," eu sussurro. É assim como eu estou me sentindo durante todo o dia. Eu não tinha certeza, e a frustração e a ansiedade quase me deram um ataque cardíaco. Enquanto ela fuça meu cabelo no peito, eu acaricio seu cabelo, e passo a mão em suas costas e desabotoo o sutiã e puxo a alça para baixo pelo braço. Em seguida, deixando-a escorregar, eu puxo a outra alça para baixo, e solto-o no chão. Agora não há nada entre nós.

"Hmm. Pele com pele,” murmuro e a mantenho em meu abraço. Eu planto um beijo em seu ombro e meu nariz corre uma trilha até sua orelha inalando seu perfume inebriante.

"Você cheira como o céu, Sra. Grey."

"Assim como você, Sr. Grey,” diz ela me acariciando enquanto ela inala profundamente. Nós abraçamos um ao outro por... o que... segundos, minutos, inalando o cheiro um do outro, abraçando e acariciando. Ela é o meu lugar seguro. Ela é meu amor, minha amante, minha esposa, e ela resume o sentido da minha existência. Mas está ficando tarde. Eu não quero que ela fique sem dormir.

"É tarde," Eu relembro a ela, acariciando suas costas.

"Seu cabelo ainda precisa de corte,” diz ela me fazendo rir.

"Isso ele precisa, Sra. Grey. Você tem ânimo para terminar o trabalho que começou?"

"Para você, Sr. Grey, qualquer coisa,” ela responde e beija meu peito e se levanta.

"Não vá,” eu digo agarrando seus quadris. Eu a giro, e arrumo sua saia, e abro o botão, deixando-a cair no chão. Eu seguro sua a mão e ajudo-a a sair dela. Ela está apenas com sua cinta-liga e meias. Que visão fodível!

"Você é uma visão bem poderosa, Sra. Grey," eu digo, enquanto eu sento para trás cruzando os braços. Eu avalio minha esposa completamente.

Levantando os braços para cima, ela gira e me dá uma pequena demonstração de seus bens.

"Deus, eu sou um sortudo filho da puta,” eu digo com a visão da minha linda esposa.

"Sim, você é,” ela responde aquiescendo, me fazendo sorrir.

"Vista minha camisa, e você pode cortar o meu cabelo. Assim, você vai me distrair, e nós nunca vamos chegar à cama."
  

Ela apenas sorri em resposta. Depois de vaguear até minha camisa, ela se curva lentamente, e se abaixa para pegar minha camisa, e me dá um ótimo visual de seu traseiro e seu sexo. Levanta a camisa até o nariz e inala o meu cheiro residual profundamente e então a recolhe. Meus olhos estão exclusivamente focados em suas ações. Eu fecho minha braguilha, e aprecio o show que ela está exibindo para meu benefício.

"Esse é um espetáculo, Sra. Grey."

"Temos alguma tesoura?” ela pergunta batendo os cílios. Que diabos ela está fazendo comigo?

"Meu estúdio," eu consigo resmungar.

"Eu vou procurar,” ela diz e sai do banheiro. Levanto-me e pego suas roupas e as dobro cuidadosamente e coloco-as ao lado da pia. Em seguida, recolho os sapatos e Anastasia irrompe no banheiro, completamente sem fôlego, como se ela fosse perseguida pelos cães do inferno.

"O que há de errado?" Pergunto preocupado.

"Eu encontrei Taylor,” diz ela. Eu franzo a testa. Ela está quase nua. Eu não quero a segurança de olho em minha esposa, quase sem roupas, corada e descabelada, logo após o sexo!

"Oh! Vestida assim," Eu manifesto a minha insatisfação.

"Isso não é culpa de Taylor," ela responde imediatamente. Por que ela está sempre do lado de Taylor? Eu sei que é uma coincidência, mas, eu não estou gostando. "Não. Mas ainda assim."

"Eu estou vestida."

"Mal".

"Eu não sei quem estava mais envergonhado, eu ou ele. Ei, você sabia que ele e Gail estão... bem, juntos,” ela pergunta me fazendo rir.

Minha esposa às vezes pode não ter consciência dos eventos que estão acontecendo bem debaixo do seu nariz. Eu amo a sua inocência.

"Sim, claro que eu sabia,” eu respondo. Está indo assim por um tempo. Ao que parece, eles são muito apaixonados, Taylor teria se casado com a Sra. Jones se ela tivesse dito sim a ele. Eu, então, senti um alívio que Ana não me fez esperar, enquanto a Sra. Jones está fazendo Taylor esperar por uma resposta.

"E você nunca me contou?” Ela repreende.

"Eu pensei que você soubesse, também."

"Não."

"Ana, eles são adultos. Eles vivem sob o mesmo teto, ambos livres, ambos atraentes." Ela cora com a minha resposta com a compreensão.

"Bem, se você coloca isso assim... Eu apenas pensei que Gail era mais velha que Taylor."

"Ela é, mas não muito." Eu olho para Ana, confuso. Por que não deveria Taylor escolher a Sra. Jones? Ela é uma mulher muito agradável, bonita, e ela parece amar Taylor. Ana está com ciúmes do relacionamento recém-descoberto de Taylor?" Alguns homens gostam de mulheres mais velhas -" eu digo, e de repente paro, lembrando Elena. Este é um tema que eu não quero trazer logo depois que tivemos sexo alucinante. Estou desgostoso imediatamente. Ela está carrancuda, e que monstro de olhos verdes eu tenho na minha mão! Mas eu lhe sorrio para tranquilizá-la de que ela não tem nada com que se preocupar. Eu preciso distraí-la agora; caso contrário, ela vai estar fumegando durante toda a noite.

"Isso me lembra," eu digo brilhantemente.

"O quê?” Ela exclama. Ela toma a cadeira de madeira e a vira de frente para o espelho. "Sente,” ela ordena com firmeza. Eu olho para ela observando que ela ainda está furiosa com os pensamentos de Elena. De alguma forma, seu ciúme, sua protetividade de mim me fazem feliz. Sento-me na cadeira. Ela começa a pentear meu cabelo.

"Eu estava pensando que poderia, no novo local, converter os quartos sobre as garagens para eles, e torná-los uma casa. Então, talvez a filha de Taylor pudesse ficar com ele mais vezes,” eu digo, enquanto eu cuidadosamente a vejo no espelho. Seu rosto suaviza.

"Por que ela não fica aqui?"

"Taylor nunca me pediu,” eu respondo.

"Talvez você devesse oferecer. Mas nós teríamos que nos comportar." Eu nunca pensei sobre isso. Minhas sobrancelhas sulcam. Claro. "Eu não tinha pensado sobre isso."

"Talvez seja por isso que Taylor não pediu. Você já a conheceu?"

"Sim. Ela é uma coisa doce. Tímida. Muito bonita. Eu pago seus estudos,” eu digo, e ela para de pentear meu cabelo e busca para encontrar o meu olhar no espelho, completamente surpresa.

"Eu não tinha idéia,” diz ela. Eu dou de ombros em resposta. Taylor é um ótimo funcionário. Sinto-me seguro com ele, e eu tendo a ser muito mais calmo quando ele está por perto. Isso é uma prova de suas habilidades como chefe da minha segurança.

"Parecia o mínimo que eu poderia fazer. Isso também significa que ele não vai querer sair."

"Eu tenho certeza que ele gosta de trabalhar para você,” diz ela, e essa declaração me pega de surpresa. Eu não esperava ouvir que ele gosta de mim. "Eu não sei,” eu digo com uma expressão vazia no rosto, como se ela apenas dissesse que o mundo era plano.

"Eu acho que ele gosta muito de você, Christian,” diz ela, enquanto ela continua a pentear meu cabelo e olhando para mim. Meus olhos estão colados aos dela no espelho.

"Você acha?"

"Sim. Eu acho,” diz ela com firmeza. Isso é novidade para mim. Taylor gosta de mim... Eu bufo com desdém, mas eu ainda estou muito contente com este pedaço de informação. Ele está trabalhando para mim há quatro anos, e eu não tinha dado um pensamento sobre isso. E, francamente, não me importava, porque eu não achei que ele iria gostar de mim, sendo o homem difícil que eu sou.

"Ótimo. Você vai falar com Gia sobre os quartos em cima da garagem?" Eu pergunto.

"Sim, claro,” responde ela. Ela está finalmente pronta para pentear meu cabelo, e levanta a tesoura para cima. "Você tem certeza disso? Sua última chance para salvar."

"Faça o seu pior, Sra. Grey. Eu não tenho de olhar para mim, você sabe." Ela sorri em resposta.

"Christian, eu poderia olhar para você durante todo o dia." Eu balanço minha cabeça, exasperado. Apenas na superfície, baby. Apenas na superfície. Eu sou um homem feio por dentro!  "É apenas um rosto bonito, baby."

"E por trás disso está um homem muito bonito,” diz ela beijando minha têmpora. "Meu homem".

Isso significa o mundo para mim que ela pense tão bem de mim, embora eu seja indigno desses devaneios. Isto ainda me torna tímido como um garoto adolescente.

"Aqui vai...” diz ela, e faz o primeiro corte. Eu fecho meus olhos, e desfruto a rara tranquilidade que vem a mim, e agora com a cortesia de minha linda esposa. Estou no céu. Lavado, enfeitado, satisfeito, completamente fodido, e agora recebendo um corte de cabelo das mãos da minha esposa. O que mais pode um homem pedir?

Heaven - Louis Armstrong & Ella Fitzgerald

Cerca de quinze celestialmente relaxantes minutos depois, "Acabado,” ela avisa. Eu abro meus olhos para ver sua obra, e eu estou bastante surpreso com o estilo elegante que ela me deu. Eu sorrio para ela. "Bom trabalho, Sra. Grey," eu digo, enquanto eu viro minha cabeça de um lado para o outro e, em seguida, envolvo meus braços em torno dela. Eu a puxo para mim e beijo e acaricio sua barriga.

"Obrigada,” eu digo.

"O prazer é meu." Ela se inclina e me beija.

"É tarde. Cama,” eu digo e bato no seu traseiro nu de brincadeira.

"Ah! Eu deveria limpar aqui,” diz ela olhando para o cabelo no chão. Eu franzo a testa. Eu não quero que ela vá para a sala onde ela poderia encontrar com outro membro da equipe.

"Ok, eu vou pegar a vassoura,” eu digo com ironia. "Eu não quero você envergonhando o pessoal com a sua falta de traje adequado."

"Você sabe onde a vassoura está?” Ela pergunta inocentemente, batendo os cílios. Eu paro de imediato. Eu nunca precisei, ou usei a vassoura na minha casa. Nunca.

"Uhm... não, na verdade." Isso a faz rir. "Eu vou,” diz ela.


****  *****


Ambos nos preparamos para ir para a cama. Anastasia vai para o quarto, eu estou escovando meus dentes. Quando eu entro no quarto, ela está contemplativa.

"O quê?" Eu pergunto, querendo saber seus pensamentos.

"Nada. Apenas uma idéia,” diz ela, enquanto ela baixa os olhos para meu pijama de cintura baixa pendurado.

"Que idéia?" Eu pergunto, e me estendo ao lado dela.

"Christian, eu não acho que eu quero cuidar de  uma empresa."

Isto me faz sustentar a mim mesmo no meu cotovelo, e eu olho para ela. "Por que você diz isso?"

"Porque não é algo que já tenha me atraído."

"Você é mais do que capaz, Anastasia".

"Eu gosto de ler livros, Christian. Dirigir uma empresa vai me tirar disso."

"Você pode ser o diretor criativo,” eu tento fazê-la ver a razão, e abraçar seus talentos dados por Deus.

Isso faz com que ela feche a cara.

"Você vê, a gestão de uma empresa bem sucedida é tudo sobre abraçar o talento das pessoas que você tem à sua disposição. Se isso é onde seus talentos e seu interesse estão, então você estrutura a empresa para permitir isso. Não rejeitá-lo de antemão, Anastasia. Você é uma mulher muito capaz. Eu acho que você poderia fazer o que quisesse, se você colocasse sua mente nisso. "Ela olha para mim,  incredulamente.

"Eu também estou preocupada que vai ocupar muito do meu tempo. Tempo que eu poderia dedicar a você,” diz ela me fazendo fechar a cara neste momento. Eu sei o que ela está tentando fazer. Ela está tentando jogar seu 'Christian card' conhecendo minha fraqueza quando se trata dela, de modo que eu não a incentive a dirigir o seu próprio negócio.

"Eu sei o que você está fazendo,” murmuro divertido com sua tentativa.

"O quê?” Diz ela colocando um rosto inocente.

"Você está tentando me distrair do tema em questão. Você sempre faz isso. Só não descarte a idéia, Ana. Pense nisso. Isso é tudo que eu peço,” eu digo, e inclino-me e a beijo. Então eu roço meu polegar por sua bochecha. Ela sorri para mim.

"Posso lhe perguntar uma coisa?” Ela pergunta em voz baixa, hesitante.

"É claro."

"Hoje cedo você disse que se eu estivesse com raiva de você, eu deveria descontar em você na cama. O que você quis dizer? " Isto me faz parar instantâneo. Com Ana isso pode ir para qualquer direção. "O que você achou que eu quero dizer?" Eu pergunto.

"Que você queria que eu lhe amarrasse."

Sou completamente tomado de surpresa. O quê? Não! Não tinha nada a ver comigo sendo amarrado!

"Uhm... não. Não foi isso que eu quis dizer."

"Oh," ela responde completamente decepcionada. Sua expressão facial diz que ela quer me amarrar, mas quero confirmar isso.

"Você quer me amarrar?" Eu pergunto, chocado novamente. Ela cora, embaraçada.

"Bem..." ela murmura.

"Ana, Eu...” digo parando. Ser ligado e amarrado traz à tona lembranças mais escuras. Lembranças que me levam à época em que eu era impotente. Eu não quero esta associação com Ana. Ela é tudo de bom na minha vida.

"Christian,” ela sussurra completamente alarmada. Ela se vira para mim e se levanta sobre o cotovelo. Eu olho para ela perplexo, olhos arregalados. Eu balanço minha cabeça com a recordação. Uma das razões pela qual eu quero ter o controle da minha vida é que ela foi tirada de mim, e que houve abuso de poder. Essa é a razão pela qual eu sou Cinquenta Tons de Fodido. Eu quero dar a Anastasia o que ela quer, tudo o que ela quiser. Mas eu não posso dar isso a ela. Meu coração está batendo como um tambor da selva; e não de prazer, mas com medo. O medo ressuscita e reaparece sua cabeça feia inesperadamente. As lembranças daquele maldito cafetão e o que ele fez para mim, levando todo o controle para longe de mim, quando eu já era uma criança indefesa, e da última vez, quando eu me submeti a Elena, vêm à tona espontaneamente.

"Christian, pare. Isto não importa. Eu pensei que isso era o que você queria dizer,” diz ela. Eu pego sua mão e coloco-a em meu coração batendo selvagemente.

"Ana, eu não sei como me sentiria sobre você me tocando se eu estivesse contido."

Eu mal aprendi a me acostumar e aproveitar seu toque quando não estou atado. Eu não posso suportar ser contido. "Isso ainda é muito novo,” eu digo em voz baixa e dolorosa.

Ela se inclina, e com as lembranças proibidas ainda na superfície, eu congelo. Ela simplesmente planta um terno beijo suave no canto da minha boca.

"Christian, eu tive a idéia errada. Por favor, não se preocupe com isso. Por favor, não pense nisso,” Ela me beija de novo e eu fecho meus olhos e gemo, finalmente retribuindo seu beijo. Eu serei amaldiçoado se eu deixar o cafetão ou Elena ficarem entre nós. Eu empurro minha esposa no colchão, seguro seu queixo no lugar, e beijo-a com tudo que eu tenho. Tirando minha camiseta de cima de seu torso, eu passo minhas mãos em seu corpo, e logo estamos perdidos um no outro, e em nossa bolha pessoal.
  

33 comments:

Joenes Carvalho Alves Xavier said...

Obaaaaa, Neusa obrigada por mais este lindo capítulo, a sua sensibilidade e espetacular na tradução, e Emine como sempre fantástica, minha gratidão por nos presentear toda semanas, mas vc ja sabe amiga , esperando o próximo desde já, rsrsrs, muito obrigada, bjs

Neusa Reis said...

Oi meninas este cafezinho de hoje quase não sai. Meio cheia esta semana, daí não ter colocado ontem. E vocês são 'insaciáveis' com relação ao Christian. Como eu! Rsrsrsrs...
Obrigada por estarem firmes aqui, Marcia, Rozeli, Joenes, Andrea, Sonia, Tati, Fer, Pao, Natii, Olidelgi, Rosangela, Jordana, Alessandra, Daniela, Mari Lins, Glenda Castro, Lala, deia, Nilvania, Lala. E mesmo os que não dizem nada, sei que estão lendo também.
Vou falar sobre os comentários anteriores:
Rozeli, eu gosto e não gosto. Porque aproxima-se o dia da revelação da gravidez e este capítulo me mata.
Andrea, creio que a Emine já disse tudo sobre a série Pella. Vou traduzir até terminar o que tem postado. Depois, esperar para saber se tem mais.
Olidelgi você tem razão, com as compensações que o Christian dá para a Ana, dá para aguentar qualquer coisa. E estou falando só pelo lado afetivo e sexual.
Joenes, desculpe, atrasei. Vou tentar compensá-las... Lala, Eu também adoro.
Rosangela, tem razão temos que trazer bolachinhas. Jordana, bem vinda de volta!
Alessandra, bem vinda, não deixe de comentar.
Daniela, nunca mais vou olhar para um chocolate sem pensar coisas estranhíssimas. E ficar com uma cara diferente... Rsrsrs
Mari Lins, concordo com você. Glenda Castro, ele vai ficar louco! Nilvania, vou ver o que posso fazer.
E acima de tudo, obrigada Emine querida, você só vai ficando mais espetacular. Que criatividade !
Estarei esperando comentários! E obrigada pelos obrigadas. Beijos

Anonymous said...

Estou tendo ataques!!!!! Cada vez fica melhor!!!! No minimo entro aqui três vezes ao dia para ver se tem novidades...mais que viciada...haja cafezinho!!!
Bom fim de semana a todas!!!
Obrigada Emine e Neusa!!!
Bjs Lala

Rosa said...

Capitulo maravilhoso como sempre---- vou passar o Fds super feliz...estava super ansiosa para saber como ia ser o encontro com predadora sexual....obrigada

Rosa said...

Amando como sempre..estava super anciosa por esse capitulo...obrigada

Olidelgi said...

Olá Neusa,
Pois é, sempre por aqui e sempre presente. Amo demais este POV de
Christian por Emine, acho muito mais interessante e mais excitante do que a versão de E L James, a Emine é uma grande escritora, a admiro muito.
Esperando o encontro com a doidinha da Leila, outra vez que o Christian pira, tão controlador e amoroso (suspiros), rsrsrs. Aguardando o próximo capítulo, sem pressão, tá, mas não demora muito não, viu. Rsrsrs.
Bjs

Olidelgi said...

Olá Neusa,
Pois é, sempre por aqui e sempre presente. Amo demais este POV de
Christian por Emine, acho muito mais interessante e mais excitante do que a versão de E L James, a Emine é uma grande escritora, a admiro muito.
Esperando o encontro com a doidinha da Leila, outra vez que o Christian pira, tão controlador e amoroso (suspiros), rsrsrs. Aguardando o próximo capítulo, sem pressão, tá, mas não demora muito não, viu. Rsrsrs.
Bjs

Rosangela Maria Cabral Corvalan said...

Oi Neusa boa noite!!!
Semana que vem vamos ter pão de queijo, com cafe e chá twnings!!!
Eu também não vou mais conseguir ver chocolate da mesma maneira!!

Capitulo incrível e mais uma vez tradução maravilhosa, como eu já disse, com alma, obrigada Neusa.

Adorando participar desse blog, tudo perfeito.

Beijos,bom final de semana!!!


Fer G. said...

Neusa ,minha amiga,que capítulo hein? Emine sabe como deixar o dia mais feliz .Obrigada pela sua disposição em traduzir.beijoss

Rozeli said...

Christian ainda é muito negativo em relação a si, se acha indigno do amor de Ana. É muito triste que ele se veja apenas como uma casca bonita, apesar de tantos momentos em que se mostra generoso. Será que ele ainda vai se reconhecer como um homem bonito por dentro e por fora? Fiquei tocada por essa observação tão evidente nesse capítulo. O jeito é esperar os próximos capítulos! Capítulo escrito com muita sensibilidade Emine, gostei muito.
Neusa eu acho o capítulo da revelação da gravidez o ápice da maturidade da Ana, nesse ao colocar a "predadora sexual" no seu lugar ela deu mais um passo para isso. Vejo também, através dos textos da Emine, que o Christian é responsável por esse amadurecimento também, nesse capítulo ele reconhece seu jeito de olhar em Ana enquanto ela lidava com a "predadora". Bom já deveria estar dormindo há horas, mas o Sr. Grey não me deixou! Tiau e obrigada meninas.

Andrea Leoncio said...

ola Neusa e Emine, quero agradecer mais uma vez, por compartilhar o seu trabalho, por encontrar tempo para fazer isso e principalmente pela gentileza de responder os comentarios.
Eu realmente sou insaciavel em relação a este blog, as duas historias me fascinam, mas eu prometo me esforçar para controlar minha ansiedade, embora seja muuuitooo dificil, rsrsrsr

Por favor, fiquem a vontade para fazer o seu tempo, e tenham certeza que tem em mim um leitor assiduo e fiel!!
com amor Andrea.

deia said...

Ler 50 tons é bom,ler a versão da Emine é ótimo,mas ler a sua perfeita tradução...é MARAVILHOSO!!!
Amo muito tudo isso.não demore com o próximo,por favor! Fã desesperada aqui.
Bjss

Tati said...

maravilhoso!!! adorei Ana por gia no seu lugar kkkkkk!!!!!!

Sandra said...

Fã desesperada 2!!!! Olho tds os dias para ver se colocaste mais um capítulo ..... Amo mto Christian e Anastácia! Beijos especiais a vc Neusa e Emine.

Vanessa said...

Tudo isso me faz feliz! Como é forte as emoções, me vejo rindo e chorando em vários momentos! Quero sempre mais! Obrigada por tornar minha semana mais agradável, bjs

Anonymous said...

Neusa, simplesmente MARAVILHOSO.
Adorei a criatividade da Emine e sua paciência e dedicação de traduzir.
Amei e anciosa pelos próximos.
Beijos e obrigada.

Anonymous said...

Neusa, simplesmente MARAVILHOSO.
Adorei a criatividade da Emine e sua paciência e dedicação de traduzir.
Amei e anciosa pelos próximos.
Beijos e obrigada.

Sonia said...

Adorei a forma como o Christian encara os ciúmes da Ana e como ele a protege da cretina da Gia. Me solidarizo com a Ana, descobri a pouco tempo a prazer de dar um bom chega pra lá nesse tipinho, rsrs. Obrigada Neusa suas traduções são primorosas, bjs.

Alessandra said...

Lindo demais...
Estou me sentindo totalmente volúvel, dias apaixonada por Christian, dias pelo Alex, ai que loucura!
Neusa, você mencionou o capítulo da gravidez, confesso que estou curiosíssima por esse e depois por toda aquela confusão do sequestro e chantagem e da internação da Ana. Estou certa que a Emine vai "arrebentar" com nossa cabeça e coração.
Mais uma vez, parabéns pelo talento de ambas. Impressiona a forma como vocês estão sintonizadas. Às vezes, fico mais do que ansiosa e me atrevo a espiar os capítulos em inglês. E fico admirada pela maneira como seu trabalho, Neusa, traduz as emoções da Emine.
Show de criatividade, show de tradução!

Andressa said...

oi. Neusa estou viciada no seu blog, rsrsrs, a historia de cristian e anastacia esta cada vez melhor, estou super anciosa pelo proximo capitulo!- Parabens pelo seu trabalho...

Natii said...

Neusa e Emine, amooo cada capituloo e espero muito em breve ter em mãos o livro pq é bom por demais , eu amoo essa triologia e o trabalho de vcs é simplismente divino, me encanta cada vez mais :) sou sim insaciavél, e nao tem como nao ser, amoo e amoo , ansiosississima como sempre pelos proximos <3

Beijos da Natii e uma maravilhosa semana pra vcs !

Leda Carneiro said...

Sempre por aqui lendo e esperando por mais.132

Unknown said...

PARABÉNS PELA TRADUCÃO E PARABÉNS PELA GENEROSIDADE DE TRADUZIR ESTES LIVROS MARAVILHOSOS DA EMINE. COMECEI A LER O PELLA,ESTOU ADORANDO.

OBS: VÁRIAS(MUITAS) AMIGAS ESTÃO LENDO TBM.

MARIANA said...

Ai Meu Deus amo que amo essa parte!!!

Leila said...

Cada dia melhor!
Quero ressaltar o incrível bom gosto musical.
Obrigada por nos proporcionar a leitura.

Mari Lins said...

Acho engraçado como CG se sente incapaz de ser amado, como acha impossível que as pessoas gostem dele. Aqui, na visão da Emine, esse sentimento fica escancarado. Lindo capítulo. Neusa, obrigada mais uma vez.

Aline Caroline said...

Como costume, já acabou? >.<
Ahhh, tbm estou eufórica e curiosa pra saber como C.G. reagiu a gravidez .-.
Quereemos "mais" u.u rs rs
Muito criativa Emine, estou adorando sua tradução Neuza *-*

Nilvânia said...

Acho que eu vou fazer um curso de cabeleireira!!!! kkkkk!!! De mais!!! Louca para ler o próximo capítulo!!!
E Neusa, obrigada pela atenção!! Um grande abraço!
Nilvânia

Nilvânia said...

Acho que eu vou fazer um curso de cabeleireira!!!! kkkkk!!! De mais!!! Louca para ler o próximo capítulo!!!
E Neusa, obrigada pela atenção!! Um grande abraço!
Nilvânia

Aline said...

Ola Neusa e Emine, não tenho comentado com frequência mas estou sempre por aqui.Comecei acompanhar a série Pella estou amando.Agradeço o empenho de vocês.

Daniela Martins said...

E Neusa! Vc após o capitulo do livro IV vê chocolate de outra forma...e eu nem chamo mais helicoptero de helicoptero. Qualquer um que vejo é Charlie Tango!
Bjkas, Neusa!
Bjkas, Emine!

Daniela Martins said...

Oi, meninas!
Novamente aqui desfrutando deste blog maravilhoso que me viciou sem chances de ser remediada!
Cena mais linda da Anastasia lavando as madeixas de CG!
Bilu, para o café da tarde posso acrescentar um bolo de fubá cremoso, recem saido do forno!
E quanto a Christian Grey! Quanta criatividade!
OMG! Um homen desse aqui em casa, na minha cama....hummmmm....sonhando aqui!
Emibe, obrigada por mais um capitulo maravilhoso!
Bjkas
Dani
;-)

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon, apenas esta semana, por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque na próxima semana voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar!
Beijos,
Pry