StatCtr

Wednesday, February 20, 2013

Livro 1 - Capítulo XII - Christian Grey e Anastasia Steele


CAPÍTULO DOZE
ENCONTRO PARA JANTAR

Tradução: Neusa Reis                                            
 Edição/Revisão: Beatriz Reis



No dia seguinte, o meu coração está em minha garganta o dia inteiro. Eu estou na borda, excitado, nervoso, feliz, eu mencionei nervoso? Eu posso ver que eu estou fazendo Taylor ficar muito nervoso. Eu sou brusco e curto. Eu tenho que encontrar um desvio para atravessar este dia. Eu quero mantê-la esta noite. Eu quero fazer amor com ela. Fodê-la. Beijá-la. Abraçá-la. Sabendo que eu não tenho outra cama, e eu não estou no Escala, ela pode ter que dormir na minha cama. Ainda outra ruptura de minhas regras! Ela é a fenda na minha armadura! Mas não há outra cama, e eu não vou dormir no sofá quando ela está nessa proximidade. Meu subconsciente diz, "continue mentindo para si mesmo, talvez você vá acreditar!" Eu o silencio. Talvez a gente não vá dormir, o que diz a isso?

Deus! Já se passaram três dias desde que eu a tive, e isto está me  matando... estar a apenas oito km de distância dela, e não a saborear, e não a amar, e não a foder!

Exasperado, eu grito "Taylor!"

"Sim, senhor", ele aparece na área da sala de estar de minha suíte.

"Eu preciso de um treino. Vamos para uma corrida . "

"Sim, senhor!"

Eu posso correr até sua casa a partir daqui, e eu não vou estar cansado quando eu chegar lá, e esta energia reprimida está me deixando louco, procurando uma maneira de sair! Mas é claro que eu não vou porque eu tenho controle, e eu tenho que estar com meu máximo poder de fogo quando ela chegar aqui. Então, só corremos, corremos duro por vários quilômetros! Quando voltamos, eu tomo um banho. Minha energia reprimida não diminuiu. Eu deveria guardar isso para hoje à noite. Eu coloquei a minha habitual camisa de linho branco e jeans preto, gravata preta e jaqueta preta. Eu quero parecer impecável para que ela não seja capaz de deixar-me. Corro os dedos pelo meu cabelo, deixando-o despenteado e dando-lhe um ar de recém fodido. Coloque isso no seu cachimbo e fume, Srta Steele! Eu me encaminho pelas escadas para o bar do hotel.

Eu peço uma taça de vinho branco. Estou nervoso como nunca, e eu não fico nervoso. Eu não tenho muitas emoções. Estou sempre controlado e controle dá-me serenidade e Anastasia está criando o caos na minha alma já atormentada! Eu verifico o meu relógio: 18:56 h.  Será que ela vem? Meu pé começa a bater no chão em um gesto nervoso. Eu o impeço. Eu me inclino para o bar, e tomo outro gole de meu vinho. Ela está aqui! Eu sinto seu olhar nas minhas costas! Eu não sei como! Mas quando ela está na vizinhança, eu a sinto como se estivéssemos conectados! Olho em volta ainda nervoso, e a vejo de pé na entrada do bar. Ela está me admirando! Meu coração se derrete, e eu paraliso quando eu a vejo com esta aparência. Ela parece incrível em um vestido roxo! Eu tenho que piscar algumas vezes para ter certeza de que realmente é ela aqui! Ela está deslumbrante! Dou-lhe o meu sorriso reservado somente para ela, aquele sorriso lascivo para mostrar o meu desejo, meu carinho, minha luxúria para ela.

Ela está em um lindo vestido e ela está usando sapatos stilettos, e maldição! Eu tenho algo com saltos altos que me faz querer pegá-la aqui! Talvez eu ainda possa. Eu tenho reservada uma sala de jantar privada. Ela caminha em minha direção, e eu automaticamente me levanto e caminho em sua direção. 

Can't Take my Eyes off of You - Frank Sinatra

Tudo o que posso murmurar para ela é "Anastasia, você está deslumbrante!" E dou-lhe um beijo casto na bochecha. "Você está usando um vestido. Eu aprovo, Srta Steele." Eu ofereço o meu braço e ela o toma, e eu a levo para uma área  privada. Eu faço um gesto para o garçom, e pergunto o que ela quer beber. Ela me dá um sorriso maroto, e diz: "Eu vou querer o que você quiser, por favor." Eu comando um Sancerre, e deslizo de frente para ela. O pensamento dela sendo agradável me põe tonto. Eu não posso deixar de dizer "Eles têm uma excelente adega aqui", inclinando minha cabeça para um lado.

Eu fecho meus olhos por um segundo para ver se consigo escapar de sua atração, mas não, eu sou incapaz. Eu me encontro unindo as pontas dos dedos de minhas mãos e inclinando-me para ela. Meus olhos, meu coração estão cheios de alguma emoção que está pronta para estourar fora de mim, se derramar para ela. Ela se mexe nervosamente sob o meu olhar. Ela sente a carga entre nós também.

"Você está nervosa?" Eu pergunto-lhe baixinho.

"Sim", ela sussurra.

Eu me curvo para frente ainda mais.

"Eu vou contar-lhe um segredo:" Eu me vejo dizendo conspirativamente, "Estou nervoso também." Ela pisca para mim surpresa. Eu já domino o assunto de controle há um longo tempo, mas o nervosismo é um sentimento permanente na sua presença. Eu lhe dou um sorriso. O garçom chega com seu vinho, azeitonas, e algumas nozes mistas.

Ela vai direto ao ponto.

"Então, Christian, como vamos fazer isso? Você quer percorrer os meus pontos um por um?" Impaciente e entrando no trabalho imediatamente...

"Impaciente como sempre, Srta Steele," eu digo.

Então, ela diz a mais simples, mas a mais chocante das coisas, porque eu acho que ela está zombando de mim. E é a coisa mais quente de todas!

"Bem, Sr. Grey, nesse caso, vou perguntar o que você achou do tempo de hoje", olhando com seus grandes olhos azuis atentamente, me fazendo sorrir. Dois podem jogar esse jogo, Srta Steele. Eu faço um show ao estender a mão para pegar uma azeitona e colocá-la em minha boca distraidamente. Ela está olhando a minha boca, e eu sei exatamente o que ela está pensando. Ela está se contorcendo na cadeira, e nervosa. Quando ela me deseja ela fica vermelha e olha para suas mãos. Ela deve estar realmente excitada, pois ela está fixada em meus lábios e boca, seu olhar imóvel, incapaz de se afastar.  Seu peito sobe e desce com o desejo, sua respiração superficial, mas rápida. Ela está apertando as pernas juntas agora, porque ela acidentalmente puxou a toalha da mesa. Ela me quer e isto desperta desejos que eu não sabia que existiam em mim! Quero tirar isso fora.

"Eu penso," eu digo baixinho, "que o tempo foi particularmente normal hoje,  Srta Steele", sorrindo para ela. 

Blue Skies - Ella Fitzgerald

"Você está zombando de mim,  Sr. Grey?" Ela pergunta incrédula.

"Com certeza eu estou, Srta Steele," Eu sorrio. Tome isso, Anastasia! Ela se inclina para frente e sussurra com fervor:

"Você sabe que o contrato é juridicamente ineficaz, Sr. Grey", ela diz  mudando o meu humor.

"Estou plenamente consciente deste fato, Srta Steele," Eu refuto.  Ela se inclina para trás e cruza os braços, fechando-se.

"Você ia me informar desse fato em algum momento?" Será que ela não confia em mim? Será que ela acha que eu ia tirar proveito dela? Eu franzo a testa. Será que ela pensa tão pouco de mim?

"Anastasia, você acha que eu iria forçar você a algo que você não gostaria de fazer, e depois fingir ter uma retenção legal sobre você?" Eu pergunto com fervor na minha voz.

"Bem ... sim. " Ela responde, e estranhamente a resposta é dolorosa. Eu não fico machucado! De onde é que este sentimento está vindo? Ainda que duas simples palavras, que perfuram como uma faca minha alma escura.

"Você não pensa muito bem de mim, Anastasia", digo tentando esconder a mágoa da minha voz, "por quê?"
"Sr. Grey, você não respondeu minha pergunta. Você não responde a uma pergunta com outra pergunta. "
Eu suspiro. Ela merece uma resposta.

"Anastasia, a finalidade do contrato não é se é legalmente exigível ou não. Ele representa um arranjo que eu gostaria de fazer com você. Declara o que eu espero de você e o que você pode esperar de mim em termos claros. Se você não gosta do que vê, não assine. Mas se você assinar, e, posteriormente, decidir que você não gosta, ou que não é para você, você pode simplesmente ir embora porque eu tenho inúmeras cláusulas que lhe permitem sair. E se houvesse uma chance, ainda que fosse remotamente possível,  de legalmente aplicá-lo, você acha que eu ia te arrastar pelos tribunais se você decidir partir? "

Ela olha para mim por um momento para digerir o que eu tinha dito a ela, e sem tirar o olhar de mim ela toma um longo gole de seu vinho. Eu quero que ela confie em mim. Sempre! Eu nunca iria me aproveitar dela. Se alguma coisa eu tenho é esse estranho desejo de cuidar dela. Temos de confiar um no outro, se temos a esperança deste arranjo funcionar

A matter of Trust - Billy Joel

"Esses tipos de relacionamentos, na verdade, os relacionamentos em geral, são construídos sobre a honestidade e confiança. Se você não confia em mim, confie em mim para saber como eu estou afetando você, até onde posso ir com você, até onde eu posso te levar ... ", digo. Eu me inclino mais, e olho em seus olhos e digo: "se você não pode ser sincera comigo, então nós realmente não podemos fazer isso", com fervor na minha voz.

"Então, tudo se resume a isso, Anastasia: Você confia em mim ou não?" Meus olhos estão queimando nos dela, incentivando-a a ser honesta comigo.

Ela ergue a cabeça para mim e totalmente desarma-me com a pergunta:

"Você teve esta discussão com, uhm... as quinze? "

"Não", eu digo.

"Por que não?", Ela pergunta.

"Porque todas elas eram submissas estabelecidas, e entendiam o que eu esperava de um relacionamento. Então, foi uma questão de ajuste fino dos limites suaves, e detalhes como esses ".

Ela balança a cabeça.

"Existe uma loja onde você vá para obter uma dessas garotas ? Como ‘Submissas R Us’ ou  ‘Target Submissas Special’?”

Eu rio, "não, não exatamente", eu respondo desarmado novamente.

"Então, como?"

"Anastasia, é isso que você quer discutir ou quer chegar até o âmago da questão de seus problemas?" Ela engole. Um monte de emoções atravessa seu rosto. Ela olha para as mãos. Eu preciso distraí-la de pensar. Ela sempre pensa.

"Você está com fome?" Eu pergunto. Ela levanta os olhos. "Não", ela responde docilmente.

Aposto que ela não comeu. Ela mal come qualquer coisa. "Você já comeu hoje?" Eu pergunto-lhe.

"Não", ela diz com uma voz quase inaudível. Meus olhos se estreitam. Por que ela está sempre evitando alimentos?

"Você deve comer, Anastasia. Podemos comer na minha suite ou aqui. Onde você prefere?" Eu pergunto.
"Eu acho que nós deveríamos apenas ficar em áreas públicas, para ser mais neutro." Dou-lhe um sorriso cético, inclinando-me para ela. "Anastasia você acha que estar em um local público iria me parar?" Eu digo sensualmente, baixinho, olhando para ela; meus olhos estão queimando em brasas de desejo por ela. Nem em um milhão de anos. Eu estive morrendo por ela nos últimos três dias! Seus olhos se arregalam e ela engole seco.

"Espero que sim", ela sussurra.

"Venha", eu digo, "Eu tenho uma sala de jantar privada reservada. Sem público." Eu saio da cabine privada, e tomo-lhe a mão, pedindo para ela trazer seu vinho. Um garçom do hotel nos leva à sala de jantar privada, íntima. É um pequeno cômodo de luxo com a sofisticação e o charme do velho mundo. O garçom puxa a cadeira para ela, e ela coloca o guardanapo no colo. Sento-me em frente a Anastasia. Ela finalmente olha para mim por debaixo de seus longos cílios. Eu fecho meus olhos por um breve minuto e sussurro: "Não morda seu lábio." Ela parece surpresa.

"Eu pedi nossa refeição. Eu espero que você não se importe,” eu digo.

"Está bem”, ela concorda. Sua aceitação finalmente me dá um suspiro bem merecido de alívio. Ela pode ser favorável, e eu digo isso a ela. "Agora, onde estávamos?"

"No âmago da questão", ela responde, automaticamente tomando um gole de seu vinho.

"Sim, você tem problemas", eu digo pegando uma cópia do seu e-mail do meu bolso.

"Cláusula 2. Eu concordo. É para o benefício de ambos. Então, vou reformular esta. "Ela olha para mim piscando. Opta por tomar um gole de vinho de novo, como se a sua taça de vinho fosse fornecer a coragem que ela perdeu fora do prédio do hotel.

"Quanto a minha saúde sexual; todos os meus parceiros anteriores tiveram exames de sangue, e eu tenho testes regulares a cada seis meses, para todos os riscos de saúde do contrato. Todos os meus testes estão limpos. Eu nunca tomei drogas, e eu sou veementemente anti-drogas. Na verdade eu tenho uma política de não-tolerância em minha empresa, e insisto em testes de drogas aleatórios. "Sua boca se abre com um rosto chocado, como se me dissesse "que maníaco por controle que você é! "

Eu continuo, "eu nunca recebi nenhuma transfusão de sangue. Então, estamos esclarecidos sobre esta  cláusula? "

Ela acena com a cabeça, impassível.

"A cláusula seguinte é o que eu tinha dito mais cedo. Sim, você pode ir embora a qualquer momento, Ana. Eu não vou lhe impedir," eu digo, mesmo que meu coração se contorça por dentro quando eu digo isso. "Se, talvez, você decidir ir – está bem. Só quero esclarecer esse ponto, " eu digo olhando em seus olhos, querendo que ela me entenda.

"Certo", ela responde. Uma cama de ostras chega.

"Eu espero que você goste de ostras", eu digo baixinho. Ela indica que ela nunca comeu.

"Sério?" Pergunto provocante. "Bem, tudo que você tem que fazer é , pegar e engolir. Eu acho que você pode administrar isso muito bem " eu digo lembrando suas habilidades orais. Ela se torna vermelha. Eu sorrio com sua resposta, enquanto esguicho um pouco de suco de limão na minha ostra depositando-a em minha boca. Então eu a incentivo a fazer o mesmo.

"Então, eu não mastigo?" Ela pergunta muito inocentemente. Eu amo isso nela! Quando ela está assim, tudo desaparece, cada porcaria, cada preocupação, apenas Anastasia e eu. "Não, você não mastiga, Anastasia," eu lhe respondo com um brilho nos meus olhos. Ela morde o lábio de novo! Maldita mulher! Você está tentando que eu queime aqui? Dou-lhe um olhar de advertência. Ela me copia espremendo sumo de limão em sua ostra, pega a casca e coloca a ostra na boca. Ela lambe os lábios bonitos me fazendo desejoso e devasso, meus olhos sombrios.

"Bem?" Eu peço a opinião dela.

"Eu vou querer outra", ela responde secamente.

Estou tão orgulhoso dela. Ela é tão aberta a experimentar coisas novas, e disposta a aprender a apreciá-las. Isso me deixa esperançoso sobre nós, “Boa menina", me vejo respondendo com orgulho.

"Será que você escolheu ostras de propósito? Elas são conhecidas por todos por suas qualidades afrodisíacas,” diz ela.

"Não", eu respondo com sinceridade. Como se eu fosse precisar de qualquer tipo de afrodisíaco em sua vizinhança! “Elas eram as primeiras no cardápio, e eu sei que você sabe que eu não preciso de afrodisíaco perto de você. E eu também sei que você reage da mesma maneira perto de mim”, eu digo, e passo para um," então onde estávamos? "

"Ah, sim, obedecer-me em todas as coisas. Sim, eu quero que você faça isso. Eu preciso que você faça isso. Pense nisso como Anastasia representando um papel ," eu digo. Eu tenho que ter controle. Ela é muito desafiadora, e esta é a única maneira que eu sei como.

"Christian...", ela olha para mim com medo, "Eu estou preocupada que você vai me machucar."

Estou surpreso com sua preocupação. "Machucar como?"

"Fisicamente", diz ela, mas ela parece dizer mais.

"Ana!" Eu a repreendo, "Você realmente acha que eu faria isso? Eu iria para além de qualquer limite do que você pode aguentar? "

"Mas você disse que já machucou alguém antes."

"Eu machuquei, mas isso foi há muito tempo atrás."

"Como, então, você machucou?"

"Eu a suspendi do meu teto da sala de jogos. Na verdade essa foi uma pergunta sua. É para isso que servem os mosquetões. Jogo com cordas, você sabe. Um dos cabos foi amarrado com muita força. "

Ela estende a mão não querendo ouvir mais nada. "Eu não quero saber. Eu não acho que eu quero ser suspensa. Você não vai me suspender, vai? "

"Não se você não quiser. Este pode ser um limite rígido".

"Certo", ela dá um suspiro de alívio. Ela estava claramente aterrorizada.

"Mas você pode administrar a regra da obediência?" Por favor, eu imploro por dentro. Eu preciso disso. Eu tenho que ter controle.

Ela olha para mim, tentando decifrar minha expressão. "Vou fazer uma tentativa", sussurra.

"Bom", eu sorrio dando um suspiro interior de alívio. "Um mês de prazo em vez de três não é um prazo, Anastasia. Se você não quer um dos fins de semana, podemos concordar para nos encontrar durante a semana? Eu não acho que eu posso ficar longe de você por tanto tempo, e como está eu mal estou conseguindo agora, por favor?" Eu olho para ela.

Sua expressão muda para uma de admiração. "O que você diz, eu vou te dar um fim de semana, mas em troca eu vou conseguir um dia na semana? Isso seria viável? "

"Certo", ela sussurra.

"Além disso, podemos, por favor ,  tentar por três meses, Anastasia? Se você não achar que é para você, então você pode ir embora a qualquer hora. Por favor? "Eu peço.

"Três meses?", Diz ela, como se as palavras estivessem deixando um gosto amargo na sua boca. Ela parece chateada. Ela toma mais um gole de seu vinho com um gesto nervoso. Toma outra ostra para talvez preencher a pausa silenciosa que ela estava tendo.

Eu continuo , "O negócio da propriedade; a terminologia pertence ao princípio da obediência. Assim, você pode entrar no estado de espírito certo para entender o que eu estou querendo. Eu quero que você entenda uma coisa: Assim que você cruzar o meu limite como minha submissa, vou fazer o que eu quiser com você. Você tem que aceitá-lo e fazê-lo de bom grado. É por isso que eu preciso que você confie em mim. Eu vou foder  você a qualquer hora, em qualquer lugar, de qualquer jeito que eu quiser. Se você errar, vou puni-la. Vou treiná-la para me agradar. Uma vez que eu sei que você não fêz isso antes, eu vou levá-la devagar e vamos construir determinados cenários. Você precisa confiar em mim, e eu sei que eu preciso  ganhar a sua confiança. E acredite em mim, eu vou. A coisa 'em qualquer outro âmbito' é para você entrar na mentalidade certa, qualquer coisa é permitida", eu digo apaixonadamente. Ela continua olhando para mim sem dizer nada.
"Ana, você ainda está comigo?" Eu sussurro quente e sedutor.

Quando o garçom chega de volta, eu pergunto se ela quer mais vinho, mas ela opta por água com gás uma vez que ela estará dirigindo.

"Você está muito quieta, Anastasia", eu sussurro.

"E você está muito loquaz, Christian", ela sussurra de volta. Eu sorrio.

"Cláusula de Disciplina. Anastasia, você precisa entender que existe uma linha muito tênue entre dor e prazer, como os dois lados da mesma moeda, um não existe sem o outro. Eu quero mostrar-lhe como a dor pode ser prazerosa. Talvez você não acredite em mim agora, mas é por isso que eu preciso de sua confiança. Haverá dor, mas nada que você não possa administrar. Você confia em mim Ana? " Pergunto-lhe com intensidade.

Ela olha para mim quando eu chamo o nome dela, e diz: "Sim, eu confio", espontaneamente. Ela confia em mim! Estou aliviado além do acreditável. "  Tudo bem, o resto são apenas detalhes, então."

"Sim, mas são detalhes importantes."

O garçom reaparece com a comida: bacalhau negro, aspargos, purê de batatas com molho holandês. Espero que ela goste da comida.

"Por falar em comida, você diz que a comida é um motivo de rompimento."

"Sim", ela responde.

"Posso mudar isso para dizer que você vai comer três refeições por dia."

"NÃO", diz ela com veemência e firmeza.

"Eu preciso saber que você não está com fome,  Anastasia", eu digo com preocupação.

"Acho que você tem que confiar em mim", ela responde desarmando-me completamente. Eu olho para ela, e eu confio nela. Este pensamento me relaxa. "Eu concordo com comida e sono, então", eu respondo.

"Eu quero saber por que eu não posso olhar para você", diz ela.

"É uma coisa Dom / Sub. Você vai se acostumar com isso. " Ela me olha incrédula.

Ela olha para mim como se me desafiasse nisto e pergunta: "Por que não posso tocar em você?"

Como posso explicar a ela que eu sou fodido?  "Porque você não pode," eu digo com firmeza.

"Será que é por causa da Sra. Robinson", ela pergunta me surpreendendo.

Claro que não! "Por que você acha isso?" Eu a questiono. "Você acha que ela me traumatizou?" Ela acena concordando com a cabeça!

"Não, Anastasia, ela não é a razão. Além disso, ela não tem nada a ver com qualquer dessas merdas que eu tenho. " Ela fecha a cara.

"Então, isso não tem nada a ver com ela...", diz ela, em tom de pergunta.

"Não. Além disso, eu não quero que você se toque também. "

"Só por curiosidade, mas, por quê?", Ela pergunta.

"Porque Anastasia", eu me inclino com paixão, "Eu quero todo o seu prazer", com uma voz rouca e determinada.

"Você tem muito em que pensar," eu digo.

"Sim, você me deu muito o que considerar", ela concorda.

"Você gostaria de falar sobre os limites suaves?" Eu pergunto. Ela parece doente.

"Não durante o jantar", diz ela me fazendo sorrir.

"Você tem escrúpulos, Srta Steele?" Eu sussurro.

"Você pode dizer isto," ela sussurra de volta.

"Você não comeu o suficiente."

"Na verdade, eu tive o suficiente", diz ela com duplo significado. Mas eu sei o quanto ela comeu. Eu tenho um inventário mental disto. Três ostras, quatro mordidas de bacalhau, um talo de aspargos, e nada mais. Quando eu retransmito isto  para ela, ela olha chocada que eu possa recordar tudo o que ela comeu.

"Você disse que eu podia confiar em você", eu olho em seus olhos interrogativo.

"Christian, não é todo dia que eu tenho uma conversa como a que tivemos. Então, eu gostaria que você me desse um tempo, por favor", diz ela com fervor. Não é razão suficiente. Ela precisa se manter saudável.

"Eu quero que você esteja em forma e saudável, Anastasia, " eu digo.

"Eu sei", ela murmura, e vai para o lábio novamente, distraidamente. Eu fecho meus olhos e respiro profundamente, e quando eu os abro, meus olhos estão cheios de desejo, e vontade.

"Neste momento, Anastasia, tudo o que eu quero fazer é arrancar este vestido fora de você", eu digo com voz rouca. Ela engole. Seu corpo muda. Eu posso ver o desejo nela também. Mas ela diz: "Isso não seria uma boa idéia", murmura muito baixo. "Nós não tivemos a sobremesa ainda", diz ela.

"Você quer a sobremesa?" Eu digo incrédulo.

"Sim", ela sussurra. Dou-lhe um sorriso lascivo novamente.

"Você pode ser a sobremesa", eu digo sugestivamente. Deus! Eu a quero loucamente esta noite. Ela está sentada diante de mim naquele vestido roxo, com aquele cabelo, aquelas pernas, e aqueles lábios, contorcendo-se, lembrando-me de como ela se contorcia com meu toque, e como ela era receptiva. Como estou perto dela! Está me deixando louco! Eu estou ficando fora de mim... Ela está tão perto ainda que tão longe! Eu a quero, preciso dela, aqui mesmo, agora mesmo!

"Eu não tenho certeza que sou doce o suficiente, Christian", ela sussurra. Oh, eu discordo, Srta Steele! Eu provei você, e você é a coisa mais doce que eu já tive!

"Anastasia", digo, "você é a coisa mais deliciosa que já provei".

"Mas, Christian", diz ela timidamente, "Você usa o sexo como uma arma. Realmente não é justo", ela sussurra olhando para as mãos pequenas. Então ela levanta seus lindos olhos azuis, e olha nos meus, através deles. Seu olhar me surpreende. Ela pode ver através de toda a porcaria que me rodeia. Ela pode ver meu verdadeiro eu. Minhas sobrancelhas levantam-se com surpresa. Eu tomo uma atitude pensativa. Ela está certa, é claro.

"Você está certa, Ana", eu digo olhando para ela. "Usa-se qualquer ferramenta que esteja disponível. Isso é o que eu sei. É a minha ferramenta, a minha arma, meu tesouro, meu arsenal. Mas não muda o fato do quanto eu desejo e quero você! Aqui! Agora!" Eu digo com toda a minha paixão. Meu olhar nunca a deixando, vejo que o desejo nela está  aumentando. Isso me dá uma idéia.

"Eu quero tentar algo", eu digo baixinho. Ela franze a testa, questionando, defensiva. Eu lentamente me curvo, e suavemente e sedutoramente digo: "se você fosse minha sub, você não teria que pensar sobre isso. Seria muito fácil. Você não teria que pensar se você estava tomando a decisão certa, ou se  qualquer lugar era o lugar certo. Todas essas decisões seriam tomadas em seu lugar. Eu, como seu Dom, tomaria essas decisões por você. Você vê Anastasia, eu sei com certeza que você me quer, e me deseja justo neste momento.”

Um olhar surpreso cruza seu rosto. Ela quer saber como eu poderia dizer.

"Baby, eu posso dizer, porque, está tudo em sua linguagem corporal. Você está corada de desejo, porque isso ocorre como um precursor para o sexo. Sua respiração mudou para acomodar todo este sangue correndo para a superfície. E agora, você está pressionando suas coxas juntas, porque você está tentando suprimir o seu desejo por mim. "

Ela me dá um olhar WTF. (N.T. What The Fuck) "Como você sabe sobre minhas coxas?", Diz ela incrédula.

"Prestando  atenção. A toalha de mesa se moveu com o movimento de suas pernas, e eu aprendi a ler bem um corpo ao longo dos anos. Experiência. Mas eu estou correto em minha conclusão, não estou? " Eu digo, e ela cora ainda mais olhando para suas mãos.

"Eu não terminei o meu peixe", diz ela timidamente.

"Você prefere o peixe frio a mim?" Eu digo incrédulo fazendo sua cabeça levantar rápido. Ela me encara  e eu a encaro de volta com desejo, e querer, e fogo e luxúria.

"Mas você ficou me dizendo que me queria comendo tudo no meu prato", diz ela. Eu pareço que estou  me preocupando com a quantidade de comida que ela come neste momento? Estou em combustão diante dela! Ela está me torturando! Negando-me! Repelindo-me! É ao mesmo tempo extremamente excitante e extremamente frustrante! Ela é o meu veneno e meu antídoto! Eu tenho que ter ela. Eu sei que ela me quer... Por que ela está se negando?

"Você não luta justo, Christian", sussurra. Baby, eu sei! Isso é tudo que eu sei. Eu tenho que ganhar. Está na minha natureza.

"Nunca", eu simplesmente confirmo. Eu sou o mestre do meu jogo. Eu sei como ele é jogado, e eu aprendi isso muito bem. E ela é tão inocente e tão inexperiente, ela não será capaz de resistir ao que eu tenho para oferecer. Agora, eu a quero,  porra! Eu vou tê-la sobre a mesa, se ela permitir. Ela franze a testa para mim, e suas pálpebras ligeiramente cobrem seus olhos. Ela vai combater ofensivamente! Ela pega um aspargo. Depois, lentamente, e deliberadamente, morde o lábio olhando para mim! Em seguida, tendo o aspargo na mão, suga-o em sua boca! Ela está tentando me irritar! Tentando bater-me no meu próprio jogo. Meus olhos se arregalam.

"O que você está fazendo, Anastasia?" Eu digo entre os dentes. Ela sorri docemente, e morde a ponta dizendo: "Eu estou comendo meus aspargos." Minha ereção apenas pula, e eu engulo seco. Ela vai me fazer convulsionar sem sequer me tocar. Eu me mexo no meu lugar para dar mais espaço para a minha crescente ereção.

"Eu acho", eu sussurro inclinado para frente, "que você está brincando comigo", eu digo. Como ela sempre faz. Ela bate seus cílios, e olha inocentemente, e como uma boa menina do sul, ela diz educadamente:  "Eu estou apenas terminando minha refeição, Sr. Grey."

O maldito garçom entra naquele momento, olhando para mim. Eu estou irritado com a intromissão, e ele sabe disso. Mas eu aceno para ele que ele pode retirar os pratos. Eu morro por ela. Estou morrendo de desejo, e eu estou prestes a entrar em combustão. Eu preciso tê-la aqui, ou levá-la para minha suíte. Eu não acho que eu posso chegar à minha suíte. Eu poderia reclamá-la no elevador! Enquanto o garçom ainda está lá, eu poderia pedir sua sobremesa. Eu pergunto a ela se ela gostaria de alguma sobremesa.

"Não, obrigado Christian", diz ela educadamente acrescentando, e completamente quebrando meu coração: "Eu acho que eu devo ir." Não, não! Esta é uma cena do meu sonho!

"Ir? Por quê?" Eu sou incapaz de esconder o meu choque e surpresa. O garçom sai da sala às pressas com medo da minha reação.

"Sim, eu só preciso ir." Meu desejo por ela está saindo pelos meus poros, estou tão desesperado por ela!  "Nós dois temos a cerimônia de formatura de amanhã", diz ela timidamente. Levanto-me e digo me inclinando, "Eu não quero que você vá!"

"Por favor, Christian, eu tenho", ela responde.

"Por quê?" Por que ela está me deixando? Eu estou com medo. Eu me lembro dessa cena, do pesadelo mais horrível que eu já tive!

"Eu tenho muito o que pensar, você colocou um monte no meu prato mental. Acho que preciso de uma certa distância para pensar com clareza ", afirma olhando para as mãos.

"Eu posso fazer você ficar," eu ameaço como eu fiz no meu sonho. É este também um sonho?

"Eu sei que você poderia... Muito facilmente, na verdade..." ela me olha suplicante. Ela também me deseja, mas por que ir baby? Por que negar-me? "Mas, eu não quero que você me impeça."

Estou exasperado. Passo a mão pelo meu cabelo. Em seguida, olho para ela. Com a intensidade dos últimos dois dias que tive sem ela, e aquela sessão que tive com John, esta manhã, eu digo, "Anastasia, quando você se esparramou pelas portas do meu escritório, e foi toda tímida, e ‘sim senhor’, 'não senhor', pensei que poderia ser uma submissa. Mas eu duvido disso agora, e estou descobrindo que você simplesmente pode não ter um único osso submisso em seu corpo delicioso." Estou tenso. Eu não sei como ela vai encarar minha honestidade. Eu quero continuar a persegui-la? Ela olha para baixo, e volta-se para mim de novo.

"Você pode estar certo, Christian", diz ela. Naquele momento eu tomo minha decisão. Eu a quero. DEMAIS! Eu quero ter uma chance com ela! Porque tudo está contra mim nisto? Ela não pode ver o quanto eu a desejo?

"Anastasia, eu quero ter a oportunidade de explorar essa possibilidade, de que você tenha essa tendência. Você poderia ter isso, " murmuro. Um monte de emoções atravessam seu rosto. Eu sei que ela me quer! Eu sei que ela me deseja. Eu sei que ela não pode suportar ficar diante de mim, comigo, porque ela sabe que a atração é inevitável, inescapável, que não seremos capazes de manter as mãos longe um do outro. Mas, ainda assim, ela está optando por ir.  Ela quer "mais" como ela fez no meu sonho. Eu posso ler isto em seu comportamento. Eu olho para ela, acariciando o queixo e seu lábio inferior que eu amo tanto. "Eu não conheço nenhuma outra maneira, Ana. Isto sou eu. Este é quem eu sou." Eu sussurro fervorosamente.

"Eu sei", diz ela, tristemente, um olhar desesperado em seu rosto. Outro momento do meu sonho.

Eu me inclino para beijá-la. Eu a quero tanto, eu estou queimando por dentro. Eu sou um homem em chamas! Eu olho para ela, buscando sua aprovação, sua permissão. Ela cobre o restante da nossa distância encontrando meus lábios. Eu começo a beijá-la. Suas mãos viajam pelo meu cabelo torcendo, puxando, e tentando fundir-se em mim. Minha mão viaja para a sua nuca, minha outra mão desliza pelas suas costas, e estamos grudados um contra o outro. Nossas bocas e lábios explorando um ao outro, abrindo, ofegantes, línguas dançando, e acariciando. Tornamo-nos um com o beijo, paixão crescendo. Eu a quero! Eu preciso dela. Eu tenho que tê-la. Ela apenas não pode ir.

"Eu não posso convencê-la a ficar? Por favor! "Eu respiro entre beijos. 

You Give me Something - James Morrison

"Não", ela diz, com firmeza.

"Por favor, fique. Passe a noite comigo, Ana ". Digo.

"E não ser capaz de tocar em você? Eu não posso. " Eu dou um grande gemido.

"Baby, você é impossível", eu digo recuando, e vejo uma expressão diferente nela. Ela está indo embora! Ela está me deixando.

"Anastasia? Por que isso soa como um adeus? "digo. Eu estive aqui. Eu tive esse momento antes! Na noite passada! E ela morreu comigo! O meu nível de ansiedade aumenta.

"Isso é porque eu estou saindo agora", ela diz não me convencendo.

Eu me inclino e digo através dos dentes cerrados, "não é isso que eu quero dizer, e você sabe disso!"

Ela fecha os olhos, respira fundo. Oh Deus! A noite passada! Eu tive esse momento na noite passada!

"Christian, eu preciso pensar. Eu não sei se eu posso fazer isso. Eu não sei se isso pode funcionar, ou se este é o tipo de relacionamento que eu quero," diz ela. Eu fecho meus olhos. Eu não quero revisitar a noite passada. Eu não vou persegui-la. Eu a quero viva. Respirando, vivendo, feliz. Eu pressiono minha testa contra a dela, e ambos nos acalmamos. Eu a beijo na testa, inalando profundamente o cheiro dela, cheirando seu cabelo, tentando memorizá-la , lembrando dela. Eu finalmente a liberto e dou um passo para trás.

"Como quiser, Srta Steele," eu digo. "Vou levá-la até o saguão." Ela falou seus termos, e eu falei os meus. Eu não faço amor, eu não faço o "mais." Ela pode estar certa. Isto pode não ser para mim, ou para ela. Eu ofereço minha mão para ela. Pergunto-lhe se ela tem o seu bilhete de manobrista. Ela o pesca fora de sua bolsa e entrega para mim.

"Obrigado por um adorável jantar, Christian", murmura.

"Sempre um prazer, Anastasia", eu digo, mas minha mente está a pleno vapor. Eu quero que ela vá? Só hoje à noite? O que eu faço? Com quem diabos eu estou brincando? Eu a QUERO e essa é a linha de raciocínio. Quando é que eu, Christian Grey , desisto de um desafio porque é  difícil? Não é da minha natureza! Vou ver com este. Eu não vou deixá-la escapar por entre meus dedos. Os limites podem sempre ser renegociados.

Ela olha para mim, como se ela estivesse me olhando pela última vez, como se ela nunca mais fosse me ver novamente. Ela me quer também! Ela me deseja! Temos que resolver isso! Nós temos que negociar isto! Meu coração está quebrando em milhões de pedaços! Estou morrendo uma nova morte a cada segundo com o pensamento de que ela pode estar indo embora da minha vida. Mesmo o pensamento disto, o pensamento de não tê-la, vê-la, cheirá-la ou ouvi-la é uma nova facada no meu coração escuro! Meu olhar encontra o dela, intenso, ardente.

"Você disse que você está se mudando neste fim de semana para Seattle. Se você tomar a decisão certa, eu posso vê-la no domingo?" Eu digo hesitante. Esta é a primeira vez que algo foge do meu controle.

"Vamos ver. Talvez," ela respira. Sinto alívio por um segundo, com a percepção de que ela vai ter a mente aberta. Mas ela está tremendo em seu vestido.

"Anastasia, está frio agora, você não tem uma jaqueta?" Eu pergunto.

"Não", ela diz. Eu tiro a minha, e coloco sobre ela.

"Eu não quero que você fique doente." Eu a vejo momentaneamente fechar os olhos, e inalar o meu cheiro no meu casaco. Meu coração salta uma batida. Ela me quer também!

Então eu recebo o choque da minha vida quando o manobrista traz seu carro. É a porcaria do VW do meu sonho! Minha boca cai aberta com choque e surpresa.

"É este o seu carro?" Pergunto horrorizado, com choque ainda tomando meu rosto eu dou gorjeta ao manobrista. Eu não posso deixar de dizer "Isto é seguro para circular?" Como eu fiz no meu sonho.

"Sim", ela diz. Ah, bom! Algo está diferente, e o sentimento sinistro ainda não me deixou.

"Mas será que vai trafegar para Seattle com segurança?"

"É claro", diz ela exasperada. Oh não! Aí vem! "Eu sei que ele é velho, mas ele é meu, e meu padrasto comprou para mim, e sim, ele é seguro para circular!"

Eu posso corrigir esta situação muito facilmente. Ela não precisa estar neste lixo, uma armadilha mortal! Eu me preocuparia com ela, mesmo que ela não estivesse comigo!  "Oh, Anastasia, podemos fazer melhor que isso."

"O que você está tentando dizer?", Diz ela, enquanto ela se conscientiza do que eu estou pensando. "Você não pode, você não vai me comprar um carro!", Diz ela. Eu a encaro. Quão pouco você me conhece baby! Você não quer me desafiar nisto. Eu sou um homem que sempre consegue o que quer.

"Nós vamos ver isso", eu digo com firmeza. Eu abro a porta do motorista para ela. Ela tem que tirar os sapatos, porque quase não há espaço para os pés. Ok,  vou lhe dar um carro! Este pedaço de merda não é apto para circular! Meus olhos estão escuros com preocupação. Se ela tivesse assinado seu documento, ela não estaria dirigindo nesta caixa móvel da morte! Como as coisas estão, ela atou minhas  mãos, deixando-me indefeso!

"Dirija com segurança", eu digo baixinho.

"Adeus, Christian", diz ela com a voz rouca, desamparada. "Não, não! Este não é o pesadelo. Ela vai ficar bem, " Eu continuo dizendo a mim mesmo. Ela parecia machucada e quebrada. Ela está profundamente sob minha pele! Fez um lugar para ela em um nível tão profundo, que eu não posso tirá-la fora! Ela está me atordoando! Eu não posso fazer uma maldita coisa sobre isso! Ambas as minhas mãos correm pelo meu cabelo, duplamente exasperado, enquanto eu vejo esta lata-velha de carro se afastar na distância.

Eu me viro, e tenho o desejo de correr para a minha suíte, mas eu conservo meu rosto impassível, e ando lentamente de volta para os elevadores. Pressiono o botão de chamada. E sua lembrança ainda está fresca aqui neste elevador mais uma vez. Ela está me desafiando, ela está jogando comigo o meu próprio jogo, e eu fodidamente gosto dela imensamente! Eu a quero mais do que eu alguma vez já quis qualquer coisa na minha vida! O que é isso?

Encontro-me entrando na minha suíte, e meus pés me conduzem para o meu laptop. Eu escrevo-lhe uma mensagem. Eu quero saber por que ela me deixou, por que ela não me quis mesmo embora eu pudesse ler o desejo, o querer, a necessidade nela!
_______________________________________________
De: Christian Grey
Assunto: Hoje à noite
Data: 25 maio de 2011 22:02
Para: Anastasia Steele

Por que você fugiu esta noite, Anastasia? Não entendi. Desejo de coração que eu tenha conseguido responder todas as suas perguntas para a sua total satisfação. Eu sei que é muita coisa para digerir, e você tem muito em que pensar, mas espero sinceramente que você dê à minha proposta uma séria consideração. Eu quero demais fazer isto funcionar. Vamos devagar.

Por favor, confie em mim.

Christian Grey
CEO, Grey Enterprises Holdings Inc.
_______________________________________________

Eu tenho que encontrar uma maneira de convencê-la. Quando foi que eu fugi de um desafio? Eu apenas a quero! Este fato não vai mudar. A questão torna-se então o quanto eu a quero. Eu a quero tanto que eu iria para distâncias que eu não tinha ido antes em busca de uma mulher? Uma resposta para isso. Um definitivo "Sim!" Eu não quis nada tanto antes!

Eu sei que ela tem medos. Mas é só porque ela não sabe as alturas do prazer que ela pode alcançar. Como posso convencê-la? Meu pesadelo quase se tornou realidade, porque ela tem medo do que eu estou pedindo, e ela quer mais. A pergunta do Dr. Flynn está ressoando em minha mente agora: "Você gostaria de possuí-la?" Ela é difícil de possuir, quase impossível. Mas eu quero possuí-la. Reclamá-la de corpo e alma como ela reclamou a mim. Mas, quanto estou disposto a comprometer?

Aí está a palavra de novo: "compromisso".

Posso mudar os limites de minhas regras para acomodar um compromisso com ela? Talvez eu possa tentar. Por ela! O que ela está fazendo comigo? Eu estou quebrando todas as minhas regras por uma jovem inocente! O pensamento dela indo embora, estar na posse de outra pessoa, na tutela, amor, sexo, está me matando!

Eu ando ritmadamente para frente e para trás em minha suíte. Exasperado, sexualmente frustrado, negado, desafiado, com rompimento negociado, em concessão próxima, embora eu ainda esteja em modo negociação: Tudo por uma jovem cuja primeira experiência sexual é verdadeiramente minha! Ela não tinha namorados reais, ou até nem mesmo muitos beijos, eu suspeito, ainda que ela tenha essa capacidade inata de me confundir. A mim! Christian Grey, que renega as outras, a quem outras se submetem. Então, a formatura de amanhã é crucial. Ela vai ter que me ver. Eu tenho que fazer isso contar.

Eu espero por Anastasia para responder-me. Eu quero ter certeza de que ela chegou em casa com segurança naquela sua armadilha mortal. Eu mando um torpedo para ela:

* Você está segura em casa? *

10 minutos contados, sem resposta. Eu mando um texto para ela novamente.

* Chame-me *

Eu espero, e espero. Nenhuma resposta. Eu a chamo. Ela não responde. Eu desligo. Eu volto a ligar. E mais uma vez, ela não responde. Será que ela chegou em casa em segurança nessa armadilha da morte? Estou nervoso. Eu não deveria tê-la deixado ir. Ou eu deveria tê-la seguido até a casa dela para ter certeza que ela chegou lá com segurança. Não! Isso traz de volta o pesadelo. Eu decido enviar-lhe outra mensagem de e-mail:
_______________________________________________
De: Christian Grey
Assunto: Hoje à noite
Data: 25 de maio 2011 23:59
Para: Anastasia Steele

Anastasia, eu estou preocupado que você não tenha conseguido chegar em casa no seu carro.
Deixe-me saber que  você está bem.

Christian Grey
CEO, Grey Enterprises Holdings Inc.
_______________________________________________

Eu fico um pouco mais de tempo para dar polimento no discurso que eu tenho que fazer na formatura de amanhã. Eu espero pelo e-mail ou texto de Anastasia, mas não recebo nada. Eu a chamo uma última vez antes de eu ir para a cama preocupado. Ela não responde. Ela está bem? Será que ela chegou em casa ou ela está simplesmente me ignorando? Se ela estiver em casa, eu posso aguentar ser ignorado. Meu desejo constrói-se ainda mais por ela. Os pensamentos dela estão sempre presentes na vigília e no sono. Como você me confunde , Ana!

Eu ando pelo quarto, apenas de cueca, e me deito na cama olhando para o teto com os pensamentos em Anastasia.

*****

O fotógrafo está enrolado em torno de sua cintura como uma tela estática apegada a seu corpo. Ambos irritantes e desagradáveis! Eu estreito meus olhos, interrogando-a.

"Por que ele, Ana?" Eu pergunto-lhe fervorosamente.

"Porque ele está disposto a dar mais para mim. Mais do que você está disposto a oferecer."

"Ela precisa de mais do que  seu dinheiro e seu sexo distorcido, seu babaca!", Diz o fotógrafo.

Eu o ignoro. "O que é que você quer , Anastasia? Diga-me! " Pergunto a ela.

"Mais do que você está disposto a dar-me, Christian. Mais do que sexo, mais do que dor e prazer, mais do que um Dominante que deseja possuir a mim! Eu quero um namorado que me ame! "

"E você acha que esse merdinha pode te amar como eu?"  Seus olhos se arregalam enquanto  ele me encara com animosidade, pronto para matar. Ele vira seus olhos latinos para mim e praticamente rosna:

"É claro que eu a amo, babaca! O que você tem para oferecer a ela, além do que você deu até agora? Hmm, o que seria isso. Ah, sim, uma dose concentrada de miséria ? " Eu continuo a ignorá-lo.
Dirijo-me a Anastasia agarrando-lhe o braço, querendo que ela venha até mim.

"Você não me ama, Christian! Você só quer o que meu corpo pode dar. Isso não é o suficiente para mim!"
"Você quer corações e flores?" Eu pergunto.

"Sim. E mais. Eu quero amor , " ela sussurra.  "Porque eu te amo! Mas, você  não está disposto a retribuir ", sua última declaração torna-se a minha ruína. Eu sou como Heathcliff, novamente encontrando-me declarando meu amor por ela com as palavras dele.

"Se ele a amou com todo o poder de sua alma por uma vida inteira, ele não poderia te amar tanto quanto eu em um único dia!" Eu digo exasperado, e completando, "Ninguém pode te amar como eu posso, muito menos este pedaço de merda! "

"Então por que você nunca mostra isso para mim?", Diz ela olhando para mim com seus grandes olhos azuis fixos nos meus.

Eu a tomo  em meus braços, e nosso beijo nos consome a ambos

Crazy Love - Michael Buble 
*
*
*
❀◕ ◕❀ 


12 comments:

Anonymous said...

Eu quero agradeçer imersopor postar um novo capitulo,pois estava a começar a deseperar....estou viciada nesses livros....Obrigada por a tradução,pelas músicas e pela ideia....

Neusa Reis said...

Inscrevam-se no blog para receber por email a informação de quando novos capítulos são postados. Neusa

Anonymous said...

No próximo capitulo já é a formatura da Anastasia?

Eminé Fougner @ Cowboyland said...

Somehow I couldn't post Neusa's comment. She said:

É sim.

anne caroline godoi said...

Realmente eu não sei como a Ana ,conseguiu resistir ao Christian nesse jantar,porque se fosse eu já teria dado a ele ali mesmo,kkkk. Adorei as musicas,principalmente Cinatra .

Neusa Reis said...

Eu nem jantei com ele e estou conquistada para sempre. Obrigada por sempre colocar um comentário.

Catharina Oliveira Bastos said...

Heathcliff de novo. Olha a covardia. Existe frase mais perfeita do que essa do Heathcliff para mostrar um amor que é maior do que tudo??
No mais concordo inteiramente com a Anne Caroline Godói. Como diabos essa mulher conseguiu resistir a esse homem?
Eminé, I love Darcy too!!
Brontë ( All of then) and Austen, for me the best of english literature. Also Virginia Woolf.

Kaila Alekena said...

"Ela é a fenda na minha armadura!" seu antidoto e seu veneno... É Cristian você não tem escapatória está caminhando pra corações e flores...Ha! A pergunta que não quer calar...como Anastasia conseguiu resistir depois daquele beijo, depois daquela olhada e depois daquela súplica? fala sério ninguém em plenas faculdade hormonais resistiria... Eminé Emine, tell me a little about yourself.

Neusa Reis said...

Oi Kaila Alekena, você está agora nos acompanhando e comentando, o que nos agrada bastante. É sempre bom saber o que os leitores estão pensando. Mas ficamos curiosas em relação ao seu nome. Você é brasileira? Se você ler os comentários dos capítulos anteriores você vai conhecer melhor a Emine. Ela é um ser humano especial, com um QI muito alto e uma capacidade de conhecer muito bem o que se esconde dentro das pessoas. Nós, suas fãs, a amamos demais. Os livros dela sob POV Christian Grey só vão melhorando (se isso é possível) e no livro 4 ela dá show. Espere para ver... Bjs

Kaila Alekena said...

Holla Neusa, sim sou brasileira, espero com isso não decepcionar hahaha... leio todos os comentário e já li todos os quatros livros, enquanto espero a continuação, resolvi voltar ao início e comentar com mais riqueza de detalhes, os cementários anteriores não me deram uma real noção de quem é Eminé, quero ter um linke com ela, já que amo escrever e as releituras me encantam... escrevi um email pra vc, aguardo sua resposta...

Anonymous said...

Magnifico!

Daniela Martins said...

Hello, meninas!
Como Ana conseguiu resistir a CG neste jantar, minha gente!
Eu tenho certeza que nao seria capaz! Rsrsrsrs
E os pesadelos cobtinuam a assombrar Grey!
Proximo capitulo terá uma de umas cenas preferidas p mim! Quando Ana diz que irá tentar e quando CG tambm diz que tentará "O Mais".
Nao me canso de ler este blog!
Ja perdi as contas!
Bjkas cheias de carinho
Dani
;-)