StatCtr

Monday, June 24, 2013

PELLA SERIES - Capítulo II – O EQUINÓCIO

 

CAPÍTULO II
O  EQUINÓCIO
Alexander Aurelius Pella
Tradução: Neusa Reis

(N.T. Chama-se equinócio a cada uma das duas conjunturas do ano em que o dia é igual à noite em toda a Terra, o que se dá no momento em que o Sol atravessa o Equador (no hemisfério Norte, 21 de Março, equinócio da Primavera, e 23 de Setembro, equinócio do Outono).


"Sr. Pella?" Anthony lentamente se aproxima, apaziguador, como se para não perturbar um animal selvagem. Ele fica a três metros de distância de mim, acompanhado por Henry. Ele estranhamente parece fora do lugar,  mesmo que ele esteja em sua adequada roupa de correr, sem camisa e os seus grandes músculos salientes como uma máquina bem lubrificada. Henry, por outro lado, está com suas botas de cowboy, jeans negro e camisa azul pálido, seu chapéu de aba larga no lugar e ainda assim ele parece em casa, no meio de uma praia da Califórnia.



"O quê?" Pergunto acentuadamente, ainda olhando para o caminho onde Elissa desapareceu correndo.

"É ela, senhor?" Ele pergunta em um tom suave.

Meus olhos ainda fixos no caminho, como se ela fosse voltar a qualquer momento, mas é claro, ela não vai. "Sim, é Elissa,” eu respondo reticente.

Desde que os meus sonhos com Elissa começaram há duas semanas, até agora, eu estive procurando como um louco para encontrá-la. Mas então, eu sempre procurei por ela em todos os lugares em que eu fui, em todas as pessoas que eu conheci, em muitas, muitas mulheres, e não tinha, naturalmente, a encontrado. A tarefa não era assim como procurar uma agulha num palheiro; mas era como se eu estivesse procurando uma agulha em montanhas de agulhas. Tinha sido desgastante, insuportável, a alma rasgando até o ponto de perdê-la. Eu escalei o mundo, estive em  tantos países, procurei através de milhões de rostos que eu conheci, dia após dia, não a tendo encontrado, não sentindo sua presença aqui e agora, e tendo que começar tudo de novo, e voltando de mãos vazias por um longo tempo; a tarefa teria destruído um homem inferior...

Então, de novo, eu sou apenas metade homem. Metade da minha resiliência vem do anjo que me gerou, e a outra metade é emprestada pelo anjo que me ligou a ela por toda a eternidade, com uma tarefa que de bom grado tomei: proteger a única mulher que eu amei na minha longa existência, Elissa. Eu sabia que ela ia parecer diferente, e até mesmo ter uma personalidade diferente. Mas nossas almas sempre chamaram uma a outra. Eu senti o puxão familiar, como a terra chamaria sua lua. Irremediavelmente inevitável... Desde a primeira noite em que meus sonhos de nosso passado começaram, todo o resto se tornou secundário. Depois que eu senti a presença dela há duas semanas e, finalmente, sabendo que ela existe aqui e agora, qualquer outra mulher que eu já fodi, qualquer dos meus negócios embora eu faça bilhões, ou qualquer empreendimento que eu sempre quis realizar ou já realizei, deixaram de significar qualquer coisa. Meu sol finalmente subiu, depois de ter me deixado no escuro por duzentos e quinze anos! Esta é a minha segunda chance, meu equinócio! Eu me sinto vivo!

"Você tem certeza, Alexander?" Pergunta Henry me puxando para fora dos meus devaneios.

"Você acha que eu não iria reconhecer a minha mulher?" Eu rosno para Henry, girando em meus calcanhares, meu olhar de tempestade, incendiado de raiva, perfurando-o com meu brilho. Se fosse qualquer outra pessoa que não estes dois homens, que dedicaram suas vidas para mim ao longo dos séculos, eles não seriam capazes de questionar meu julgamento sem a minha ira.

"Sua mulher em um momento diferente, Alexander!" Henry me lembra com urgência, como se isso faria alguma diferença para mim. Nada me impediria de me familiarizar de novo com ela. "E, não, eu não tenho dúvida de seu julgamento, senhor. Mas, eu tenho um juramento, também para protegê-la, e há algo diferente nela neste momento. Tudo depende da lembrança dela, e ela parece..." diz ele parando, "... não querer se lembrar. Ou talvez ela simplesmente não é a Srta. Ellie. Você tem que considerar a possibilidade," exorta Henry.

É Elissa! Quando eu a vi descendo correndo as escadas de pranchas de troncos, para a praia, eu senti uma enorme atração, um desejo inescapável de estar perto dela. Era inconfundível; tudo deixou de existir. Como um ímã puxando sem pensar e eu estou cego para qualquer outra coisa, a não ser para responder ao chamado dela. Eu sei que ela sentia o mesmo, porque quando eu fechei perto dela, ela se dobrou. Isso era o que eu teria feito se eu não tivesse aprendido a controlar meu corpo e reações, aperfeiçoado ao longo de centenas de anos.

"Foram duzentos e quinze anos, Sr. Pella. Pelas mudanças em você, nós sabemos que ela está aqui, neste tempo, e viva. Mas, mesmo se ela estiver sonhando com o seu passado e você, ela só vai se lembrar do jeito que você era então, não do jeito que você é agora. E você ainda deve considerar a possibilidade de que as barreiras erguidas pelo pai dela possam estar no lugar neste ciclo de vida. Infelizmente, não funcionará mais para você, porque você não está matriculado através do tempo, mas ela está. Primeiro temos que ter certeza de que, esta é, de fato, a Srta. Ellie. Sua Elissa!" Anthony diz enfatizando. "Você sabe isto demais porque a vida dela depende disso, senhor. Você nunca pode deixar de ser excessivamente cauteloso."

Eu olho para ambos, Henry e Anthony, com um olhar glacial, e o tom da minha voz, diz-lhes que eu não estou para brincadeiras:

"Eu vi os olhos dela. Os olhos de cada um são as portas para sua alma, aqueles eram os olhos de Elissa," Eu rosno e adiciono em um murmúrio apenas audível para mim, “ainda azuis como safiras pálidas..." com saudade. "Ela pode ter se matriculado no túnel do tempo, uma última vez, mas a sua alma está intacta, e a propósito ela reagiu a mim;  eu sei que a sua consciência tem alguma lembrança. Sua alma se lembra! Eu só preciso ajudá-la."

Quando estávamos sentados no topo do arco, ela ergueu os óculos de sol, e eu comecei a ver os olhos dela, aquele  azul ainda me dá arrepios! Quando ela olhou para mim, eu queria abraçá-la e nunca deixá-la ir, beijá-la até que não sobrasse nenhum fôlego em nós! Aristóteles sempre me disse que nossas respirações carregam nossas almas, embora depois de tudo que fiz durante a minha existência cansativamente longa, duvido que eu ainda tenha a minha intacta. Ele disse que quando dois amantes se beijassem, suas almas se uniriam. Eu sabia que isso era verdade! Porque ela é minha alma gêmea. Ela sempre foi a pessoa que me fez sentir... completo. A única pessoa que alguma vez satisfez o desejo incessante por mais de tudo. Nada que eu já tentei desde que ela se foi,  amenizou a propensão para o julgamento em mim. Como alguém pode preencher um buraco negro? A depravação que tenho em mim é um escuro, ameaçador abismo. Ela é a única que brilhou a luz nele, afastando a escuridão, a única que saciou a besta insaciável em mim. Nenhuma outra mulher nunca me fez sentir do jeito que ela me fez sentir.




"Alexander, você não parece o mesmo! Se ela estiver procurando para encontrar o Alexander da época, ela nunca vai encontrar você. Esta é uma das últimas precauções contra... " Henry diz, afastando minhas visões de Elissa e olha para mim com uma comiseração cuidadosamente escondida, sabendo que eu não quero de ninguém simpatia ou piedade. "Como ela se lembraria de você? Tem que ser ela aquela que faz a lembrança. Tem que ser o seu livre arbítrio para escolher," Henry acrescenta em tom sério.

‘Lembrando-se de mim... lembrando-se de nós... ' Eu penso para mim mesmo. Ela prometeu!

"Algum de vocês duvida de mim? Duvidam da minha capacidade de localizá-la? Não fui eu quem perseguiu sua existência através do mundo inteiro... muitas e muitas vezes? Eu sou um dos melhores trackers que o mundo já viu! Inferno! Este é um mundo que eu comecei a conquistar quando eu tinha apenas 22 anos de idade!" Eu levanto minha voz abrindo meus braços, "Eu me tornei o empresário mais esperto do mundo, embora eu não desse na vista. Eu aprendi a ler os sinais do tempo, do vento, do fogo, da terra, da água, como você leria um livro. O homem sombra com quem todos os outros ao redor do mundo, incluindo os governos, é cauteloso, com medo da porra da minha ira! Porque eu sei como encontrá-los, não tenho nenhum escrúpulo em puni-los, caso eles venham a se atravessar no meu caminho! E, eu sei, aquela," eu digo apontando o polegar na direção na qual Elissa desapareceu  "... era Elissa!"

"Há um melhor: Nieto... Ele ainda é o melhor rastreador de qualquer coisa, ou de qualquer um. Ninguém pode encontrá-lo, a menos que ele queira que você o encontre," corrige Henry, mas Anthony corta-o.

"Como é que vamos confirmar isto, Sr. Pella? Como nós, sem sombra de dúvida vamos saber que é a Srta. Ellie? Os nomes podem ser uma coincidência, a aparência pode ser uma coincidência. Afinal, sua mãe era humana. Ela tinha que ter descendentes humanos. Isso poderia muito bem fazer a semelhança que você está procurando."

Eu levanto meus pulsos para mostrar-lhes, e ambos dão um passo para trás como se eu os socasse e os deixasse sem fôlego, seus olhos se arregalados. Eu sei que as marcas de Elissa tinham que estar vivas também! Ela pareceu como se eu tivesse lhe dado um choque com mil volts de eletricidade. No momento em que os meus selos ficaram vivos, as marcas ficaram muito quentes. Mesmo embora elas me queimassem como ferro em brasa quente e era insuportável, teria me feito tremer se eu não usasse todas as minhas faculdades físicas. Mas a dor valeu a pena para tê-la caindo em meus braços, inalando seu aroma único, depois de duzentos e quinze anos de falta dela!

"Aquila!" Suspira Anthony com reverência.

"Aquila, na verdade!" concorda Henry. "Minhas desculpas por duvidar de você, senhor,” acrescenta em seu tom cavalheiresco do sul. "Há uma em cada pulso, mas..." diz ele olhando para cima e perguntando, preocupado, "... só uma carrega os raios dourados em suas garras. Qual é o significado disso?"

Anthony responde antes de mim,  “a águia está pronta para lutar contra todos os inimigos!"

"Apenas uma está pronta para lutar. A outra parece ferida..." observa Henry, e expressa a preocupação que eu não me atrevi a dar voz. Algo está realmente errado com ela, e eu preciso descobrir, imediatamente.

"Anthony, Elissa tem uma entrevista de emprego, esta tarde, em Los Angeles. Eu quero que você descubra onde, e veja se um de nossos recrutadores trabalha lá. Eu quero que ela seja encaminhada à minha empresa."

Ele abre o seu smartphone e lê através de sua pesquisa de antecedentes depois de eu a ter localizado aqui em Montecito, me dizendo o que eu já sei, porque eu já li mil vezes, memorizando isto como se pudesse aproximar-me dela  "sim, Sr. Pella," ele disse, e lê algo em voz baixa, mas todos nós podemos ouvir a sua voz:

"Elissa Cassandra Duncan. Idade: 21 anos. Hoje!" Diz ele surpreendido,  olhando para mim. Meu olhar não está demonstrando nada. Minha boca fechada em uma linha fina. 21 significa que ela poderia estar visível para todos os outros trackers que a estão buscando, porque ela vai ter algumas de suas memórias de volta, e isso pode brilhar como um farol para os Anjos Caídos. "Ela recebeu seu Mestrado. Tenho certeza que vai ser fácil encontrar uma posição muito conveniente para ela no Pella Aerospace and Energy International Inc."

"Anthony, eu não quero que ela tenha apenas qualquer posição,” eu pronuncio absoluto. "Quero que ela seja entrevistada para minha assistente pessoal. Qualquer trabalho a que ela esteja se candidatando em Los Angeles, a envie para a nossa sede em Los Angeles Headquarters. Eu quero que ela se dirija a mim, e a mim apenas para fazer o teste de uma semana habitual, exigido daqueles que trabalham próximos a mim. "

"E se ela se recusar a trabalhar para outra empresa que não seja a que ela está se candidatando?"

"Eu estou colocando você no comando de seu encaminhamento para mim! Se não conseguir, for incapaz, ou não quiser fazer a tarefa que eu estou atribuindo para você, deixe-me saber, agora! Fiz-me claro, Anthony? " Eu pergunto no meu tom não-foda-comigo.

"Perfeitamente então, senhor,” ele responde envergonhado.

"Eu não quero que ela fale com ninguém naquela empresa, não importa quem seja..."

"Mas..." Anthony me interrompe. O meu olhar sobre ele é imediatamente, afiado, e frio; ele imediatamente se cala, sua boca uma linha fina.

"Eu não me importo se ela está programada para ser entrevistada pelo presidente, em pessoa! Ela não fala com ninguém. Ela deve ser encaminhada diretamente para mim, e só para ser entrevistada por mim!"

"Sim, Sr. Pella."

"Nós vamos levá-lo ao hotel, senhor, ou ao aeroporto?” Pergunta Henry depois de ver a tensão crescendo em mim.
"Aeroporto. Tenha o jato pronto,” eu digo e puxo a minha t-shirt da parte de trás dos meus shorts de corrida, e coloco-a sobre mim.


   
Trinta minutos mais tarde, eu estou sentado no meu jato, pronto para decolar. Quando estamos a caminho de Los Angeles, Anthony vem e senta-se diante de mim, com o seu iPad na mão. Meu laptop está aberto, eu começo a releitura dos antecedentes de Elissa e seu currículo, devorando o conteúdo. Delilah está cantando "I Can Feel You,” em segundo plano. Henry ouve a letra quietamente,  me observando em silêncio.

“Hold your breath don't cry they’re coming
*Tainted* secrets *don't die* they’re coming
And if you wait for dawn to fade
You should see the dark
And as the gold defines your pain

I can feel your heart
Open from the start
I can feel your soul
Yearning to my call?
I can feel you

Hold my hand don’t hide cos they're coming
Fallen angels fly by and they’re coming
So if you wait for dawn to fade
You should see the dark” 
she croons.

(Delilah - I Can Feel You)

Sabendo que eles estão de fato chegando, eu fecho meus olhos por alguns segundos. Eu não posso perder o meu foco.

 "Sr. Pella? Podemos verificar o cronograma para a semana, senhor?"

"Você conseguiu que a entrevista de Elissa seja transferida para mim?" Pergunto incisivamente, meus olhos focados nele.

"Sim, consegui, senhor. Uma vez que ela chegue ao... ,” ele olha para o seu iPad para verificar a empresa em que ela vai ser entrevistada, "... Global Media Monitor, ela será encaminhada para a Pella Towers." Eu concordo impassível, eu sou nada mais. Vou ver Elissa novamente. Eu exalo uma respiração lenta, que eu não sabia que eu estava segurando.

"Okay. Vamos rever o cronograma,” eu digo mudando o tópico.

"Em primeiro lugar, gostaria de perguntar se estamos levando-o para o Centurion ou o Castra após o desembarque, senhor?"

"É melhor eu ir para o Centurion. Tanto por estrada como o vôo vão levar consideravelmente menos tempo para as Torres Pella." Centurion é uma construção de apartamentos de luxo de alta segurança que eu possuo em Santa Monica com vista para o Oceano Pacífico, e uso a cobertura quando eu preciso estar na cidade nas primeiras horas. Dirigir no trânsito de Los Angeles pode demorar cerca de 20 minutos, mas o vôo do apartamento para a Pella Towers não leva mais do que dez minutos. Minha casa está localizada em Malibu, construída sobre uma falésia. Não há vizinhos por perto, porque eles não estão autorizados a construir ali. Mas eu sou o proprietário da terra há mais de duzentos anos. É uma fortaleza disfarçada. Ela é apropriadamente chamado Castra, a Fortaleza.

"Muito bem, senhor,” responde Antônio.

"Só para lembrá-lo, senhor, precisamos voar para Marana, Arizona amanhã, para os leilões. Temos vinte e oito unidades de aviões de passageiros para vender a quem pagar mais, e também vinte e duas unidades de helicópteros. Temos concorrentes globais que se alinharam com meses de antecedência. Todos eles depositaram as taxas de licitação, e cada um tem garantidos dezenas, alguns deles centenas de milhões de dólares de financiamento para as compras, dependendo de quais e quantas unidades eles estão comprando, é claro. Uma vez que você tem a palavra final em todas as transações, senhor, a sua presença é mais do que necessária,” diz ele, sabendo que não vou querer deixar a cidade quando eu sei que Elissa está de volta.

Os leilões de aeronaves que tenho para assistir amanhã me dão uma idéia para a semana de experiência.

"Anthony, a que horas vamos sair amanhã?"

Ele consulta o calendário no seu iPad de novo. "Estamos saindo às 11h30, senhor,” ele responde.
"Perfeito!” Eu respondo. Esta pode ser a oportunidade que eu preciso.

Quando chegamos ao asfalto, Turk Stacy está esperando com minha fortemente matizada Mercedes Guardian.



"Eu não vou tomar o carro, Turk. Eu preciso chegar ao Centurion rapidamente. Estou pegando o helicóptero.”

"Você vai pilotar, senhor?” Ele pergunta.

"Não. Henry irá."

"Sim, senhor.” Diz ele.

"Eu quero que três dos Conquest Knights sejam levados de avião para Marana para amanhã. Certifique-se de que eles sejam transferidos hoje,” eu ordeno. "Vá na minha frente, hoje, com a carga, e leve Aidan, Paul e Desertwalker.”




"Desertwalker?” Ele pergunta chocado.
"Sim.”
"Você a encontrou então, senhor?” Ele pergunta ansioso. Concordo com a cabeça, olhando para frente.

Eu tomo o mais rápido chuveiro que eu já tomei em muito tempo. Eu uso o meu terno Brioni azul marinho com camisa branca. Eu coloco minhas abotoaduras com iniciais AP. Pela primeira vez em muito tempo, eu não posso decidir se eu quero usar um colarinho aberto, ou se quero usar uma gravata de  seda azul marinho. Mas Elissa sempre gostou de correr as mãos sobre meu cabelo no peito. Eu não poderia dar-lhe uma deixa? Então eu tenho uma ideia maliciosa, e a decisão está tomada.




"Henry, vamos lá!"

"Alexander,” diz ele acenando com a cabeça, e quando ele me vê, ele dá uma dupla olhada, pisca e sorri. "Bem, meu amigo, se eu não fosse masculino como uma flecha, eu diria que você está positivamente resplandecente! Mas, pode ser o cavalheiro sulista em mim falando. Anthony ficou esperando no telhado com o helicóptero." Eu balanço minha cabeça e não respondo.



Enquanto Henry está nos preparando para a decolagem, minha mente está ocupada com Elissa. Estou organizando as perguntas habituais, mas adicionando algumas extras para saber mais sobre ela. Conhecer Ellie. A maneira que ela é agora.

Quando eu entro em meu escritório no trigésimo andar das Pella Towers, meu pessoal do gabinete está me esperando em pé.

"Boa tarde, Sr. Pella," James, um dos meus assistentes no escritório de Los Angeles me cumprimenta.

"Boa tarde, senhor,” Melissa exclama, enfiando um fio invisível do cabelo vermelho dela, profissionalmente arrumado em um coque, atrás da orelha. "Eu vou trazer seu café imediatamente, senhor,” diz ela. Concordo com a cabeça.

"James, traga a lista dos próximos compromissos para esta tarde,” eu digo e ele despenca para pegar seu iPad, e corre para alcançar-me, e abre a porta para o meu escritório.

Eu me encaminho para o meu lugar, e o viro para trás e olho para fora para Downtown Los Angeles por trinta segundos. James pigarreia.


"Você tem três compromissos agendados para esta tarde, senhor."

"Cancele todos, menos o compromisso com Elissa Duncan."

"Mas, senhor, o Sr. Hudson é um executivo da Boeing, e nós temos esse compromisso agendado há um mês, desde que você estava fora do país. Levaria semanas para re... " Ele não tinha terminado a frase quando eu me viro para dar meu olhar aguçado para ele.

"Reprogramar o Sr. Hudson," ele diz e faz um gesto exagerado de escrever com a sua caneta em seu iPad, evitando meu olhar glacial. Melissa entra com o meu café na mão, seus saltos batendo através dos meus pisos de mármore.

"Há mais alguma coisa que eu possa fazer por você, senhor?" ela pergunta.

"Eu não quero qualquer interrupção, qualquer distração, e telefonemas, quaisquer lembretes, nada, até que a Srta. Duncan saia. Isso está claro?" Pergunto a ambos em um tom com caráter definitivo.

"Perfeitamente claro, senhor,” ambos respondem.

"A que momento a Srta. Duncan é esperada?"

"Ela está programada para estar aqui em 17 minutos, Sr. Pella," James responde.

"Faça-a entrar imediatamente,” eu digo dispensando-os e eles rapidamente caem fora, como ratos em um navio que está afundando, mas não antes de ambos rapidamente, sorrateiramente, me olharem com admiração. Porra! Os dois? Eu não quero saber!

Eu fecho meus olhos enquanto os minutos se arrastam antes de sua chegada. A forma como ela reagiu a mim, o jeito que ela olhou para mim... Eu brinco com a imagem na minha cabeça uma e outra vez. Eu perdi isso. A voz fantasmagórica de James está no interfone:

"Sr. Pella. A Srta. Duncan está aqui para a entrevista, senhor."

O meu coração dá uma guinada e eu tomo uma respiração profunda. "Mande-a entrar,” eu respondo friamente. Há uma batida na minha porta, e Elissa entra usando um vestido preto em camadas,  com decote em V,  parando acima do joelho,  com os cabelos em um belo coque,  enfatizando seu longo pescoço. Ela está usando saltos altos pretos com uma bolsa pequena vermelha na mão. Eu me levanto da cadeira lentamente, minha costumeira economia em meus movimentos está intacta. Eu dou a volta em torno de minha mesa e quando eu viro na quina para encará-la, ela está a dois metros de mim.
  


"Sr. Pella, eu sou..." diz ela estendendo a mão enquanto caminha em minha direção e no momento em que ela percebe a quem ela está se dirigindo, ela parece muda, ficando sem palavras, e seus pés vacilam, como se ela não estivesse acostumada a andar de saltos altos e tropeça diretamente sobre mim. Eu rapidamente a capturo e a seguro em meus braços, pela segunda vez hoje.

"Srta. Duncan, você está bem?" Eu sussurro, perto de sua orelha, com uma voz rouca. Então eu a coloco em linha reta, ainda segurando seus braços nus logo abaixo dos ombros.

"Alex? Sr. Pella? Você é o Sr. Pella?" ela gagueja piscando, enquanto eu ainda estou segurando em seus ombros.

"Sim,” eu digo com uma voz suave, conseguindo parecer um pouco surpreso em prol dela. "Eu sou Alex Pella," Eu digo e sua proximidade inebriante é extremamente excitante. "Que coincidência agradável, Ellie," eu digo, e para sua surpresa, pegando a mão dela, eu a levo a uma cadeira, "Eu nunca poderia me perdoar se você caísse de novo,” eu digo, em tom sério, e aponto para uma cadeira diante de minha mesa, "por favor, você não quer sentar?" Pergunto em um tom suave, mas inconfundivelmente de comando. Ela pisca duas vezes, e sem dizer nada afunda na cadeira, com a boca aberta.

Percebo sua aguda consciência de mim, e ela está tentando se concentrar em tudo ao redor da sala, em um esforço para evitar olhar para mim. Mas incapaz de se impedir, seus olhos seguem os meus movimentos de volta para o meu lugar. Minhas mãos lentamente sobem e desatam o único botão fechado em minha jaqueta, revelando minha gravata desamarrada em tecido de seda azul marinho,  mostrando a pitada de pelos do peito, através de meus dois primeiros botões abertos da minha camisa branca. Ela está incapaz e sem vontade de desviar o olhar, e a intensidade de todo o meu foco e meu olhar está sobre ela, queimando-a, fazendo-a contorcer-se em seu assento.

"Eu pensei que eu tinha me candidatado para uma posição de nível básico na Global Media Monitor, mas fui enviada aqui. Eles disseram que o meu compromisso é com o Sr. Pella,” diz ela, como forma de explicação.

"Sim, Srta. Duncan. Minha empresa não contrata funcionários externos, ou nós não divulgamos para uma posição. Tenho recrutadores em várias empresas. Nós os deixamos saber as qualificações que estamos procurando e os tipos de funcionários. Meus recrutadores estão sempre bem cientes dos tipos de talentos que minha empresa está buscando. Se se deparam com um candidato com um grande potencial,  que a minha empresa esteja buscando num novo empregado, eles encaminham a mim. Eles devem ter visto este potencial em seu currículo para eles encaminhá-la. Afinal de contas, esta é uma posição importante a qual está se candidatando. "

"Qual é a posição para a qual eu estou sendo entrevistada, uhm... Sr. Pella? Uhm, Alex? ,” Diz ela e eu sou incapaz de me impedir de fechar os olhos por um segundo, com o meu nome em seus lábios exuberantes, em puro êxtase.

"Se a sua entrevista for bem hoje, será dada a você uma avaliação de uma semana para trabalhar como minha assistente pessoal, dada a sua educação em lingüística e negócios."

"Experiência de uma semana? Eu pensei que se uma entrevista fosse bem, eu obteria um emprego, e um período de estágio de três meses como qualquer outra empresa,” afirma perplexa.

"Geralmente é isso que outras empresas fariam. Mas o sucesso da minha empresa é em grande parte devido à sua pouco convencional semana de avaliação da entrevista, que exibe talentos potenciais do empregado, pontos fortes e fracos. Também dá ao empregado uma idéia de onde ele está se metendo, e o empregador vê como ele pode lidar com certas situações relacionadas com negócios que não poderiam ser cobertas em uma entrevista de duas ou três horas,” eu digo, sentando no meu assento, cruzando as pernas; minhas mãos juntas diante de mim, apontando para cima, para os meus lábios e seu olhar está bloqueado neles.

"E se um potencial empregado não quer ir para a semana de avaliação? Por que eles deveriam fazê-lo, se há outros trabalhos que poderiam fazer em outra empresa, sem a avaliação? Parece um pouco injusto,” ela protesta, estreitando os olhos.

"Srta. Duncan, se um potencial empregado quer um emprego mundano, colocando a si mesmo no tipo de trabalho  'ir trabalhar, entrar, trabalhar oito horas, sair, ir para casa’, é melhor que trabalhe para alguém, a minha empresa não precisa deles. O que eu estou procurando é o talento! Um talento que está disposto a ir e explorar o mundo, explorar os limites de suas capacidades, o intelecto, seus pontos fortes e melhorar seus pontos fracos,” eu digo inclinando-me. "Eu quero uma pessoa ambiciosa que tem metas e planos para si mesma, um pensador livre, um solucionador de problemas, e alguém que está disposto a tentar o que está fora do convencional. Exijo isso de todos os meus funcionários, porque eu quero as pessoas que não estão satisfeitas com o mínimo que qualquer trabalho  oferece. As recompensas que eu ofereço são incomparáveis, porque, meus funcionários produzem, criam e inovam dez vezes mais do que os empregados de qualquer outra empresa, e em troca eles são recompensados ​​pelo trabalho que eles fazem com benefícios, que não existem em qualquer uma das outras empresas, mas talvez apenas em um punhado em todo o mundo, e a minha leva o primeiro lugar,” eu explico com uma confiança arrogante e me inclino para trás observando a reação dela.

"Que tipo de benefícios?” ela pergunta, curiosamente, inclinando a cabeça para um lado. Oh merda! Isso é o que ela fazia para me dar acesso ao seu longo pescoço. Por um minuto, eu me lembro, segurando-a por trás, e arrastando beijos em seu pescoço e ombros; incapaz de conter a paixão e arrancando a blusa dela fora, para um resultado mais satisfatório. Eu cruzo e descruzo as pernas com a minha ereção crescendo.

"Oh, mas Srta. Duncan, eu pensei que era eu quem a estava entrevistando,” eu digo com um meio sorriso perverso, e ela olha para a minha boca, incapaz de quebrar o contato, em seguida, obriga-se a olhar para os meus olhos, piscando várias vezes. Ela exala um longo suspiro, devagar e discretamente.

"Agora, eu tenho o seu currículo diante de mim. Você estudou lingüística e negócios. Você estagiou na Câmara de Comércio de Santa Barbara, e foi intérprete para os refugiados, para a ONU e UNICEF, nos últimos dois verões," Eu leio e olho para ela com um olhar suave, "Muito impressionante."

"Sim, eu fui,” ela confirma, e seus olhos azul-safira estão me olhando sem piscar, como se eu fosse desaparecer.

"Quem a criou, Srta. Duncan?" Peço mudando de assunto imediatamente, e ela falha um momento em sua resposta, então abre a boca e em seguida, fecha e abre novamente. Eu inclino uma sobrancelha para ela esperando por sua resposta.

"Eu pensei que não se deve fazer perguntas pessoais nas entrevistas. Família e estado civil, relacionamentos...” diz ela lentamente calando.

"O que outras empresas fazem não é da minha conta, Srta. Duncan. Minha empresa é diferente; somos uma empresa não convencional. Você vê, se um empregado é ambicioso, inteligente e inovador, vale a pena saber sobre as relações pessoais daquele empregado, uma vez que afeta a produtividade no trabalho. Portanto, se eu estou interessado na contratação de uma pessoa, minha empresa fará qualquer coisa para garantir a longevidade da pessoa nesse empreendimento. Se eles têm um filho, e se se preocupam com o seu cuidado, eles não seriam capazes de alcançar a produtividade que eu necessito deles. Mas se eu sei o que eles precisam, então eu posso ajudá-los a cuidar desse problema particular, assegurando que ele ou ela o realizem com o melhor de sua capacidade. Esse, e só esse é o propósito das perguntas pessoais. Você vê, ninguém estaria aqui, sentado nessa cadeira, se minha empresa não visse um grande potencial nesse indivíduo. Maximizar a produtividade passa por simplesmente ter funcionários felizes."

"Oh...” diz ela desarmada.

"Então, Srta. Duncan, quem a criou? Eu só estou tentando ver de onde sua compaixão pelas pessoas deslocadas vem."

"Fui criada pelo meu tio e minha babá, desde o meu nascimento,” ela responde encolhendo os ombros, descartando um problema maior. Os olhos dela se afastam dos meus, procurando nada em particular, mas seu olhar está fixo no horizonte de Los Angeles através das janelas atrás de mim.

"Não há pais então?"

"Eu nunca conheci o meu pai. Uma noite... aparentemente,” diz ela envergonhada. "E minha mãe, bem, ela acabou de entrar em minha vida há apenas três anos,” acrescenta ela em um tom azedo. Ela encolhe os ombros, "não há muito a dizer." Ela quer mudar de tema.

"Você monta, Srta. Duncan?" Pergunto mudando de assunto.

"Monto o quê?"

"Cavalos, é claro,” eu digo sorrindo brilhantemente.

"O que isso tem a ver com a Pella Aerospace and Energy Enterprises Incorporated?"

"Muito, é claro. Você está se inscrevendo para uma posição como assistente de ligação entre mim e os clientes internacionais da minha empresa. Eu viajo muito ao redor do mundo, e um bocado de negócios  são feitos exercendo alguma atividade de lazer e passeios a cavalo é uma delas. Eu gostaria que meus assistentes fossem capazes de montar um cavalo confortavelmente,” eu explico. Sua boca está aberta em uma agradável surpresa.

"Eu amo cavalos! Eu monto com frequência! Um dos meus maiores sonhos é ter um rancho de cavalos algum dia,” ela exclama, pela primeira vez com entusiasmo, e eu abafo um suspiro trêmulo imediatamente. Ela possuía um rancho de cavalos, com os melhores cavalos que o mundo já tinha visto. Concordo com a cabeça.

"Você tem um namorado, alguém que você está dormindo com, ou que você está ligada de alguma maneira, Ellie?" Pergunto, em um tom tão casual que ela leva alguns segundos para processar a minha pergunta. Uma vez que ela entende o que eu perguntei, ela inspira fortemente.

"Como isso é relacionado a este emprego?” Ela pergunta se inclinando, as sobrancelhas cruzadas. Há um V suave formado no meio de suas sobrancelhas, me lembrando quando ela iria ficar brava comigo.

Eu levanto-me da cadeira em um movimento rápido, mas gracioso, e caminho ao redor da minha mesa e, finalmente, paro a 60 cm de distância dela e me apoio para trás na minha mesa, abotoando o casaco ao nível dos olhos dela, puxando seus olhos para minha virilha e cintura. Ela engole.

"Porque, eu precisaria de cem por cento de sua atenção quando você trabalha para mim,” digo em um tom firme,  porém sedutor. "Você precisa viajar frequentemente para vários países comigo. Um amante que está tirando sua atenção de seu trabalho seria... bem... uma distração,” eu digo casualmente e distintamente, enquanto eu inclino minhas sobrancelhas. Eu posso ver seu peito subindo e descendo em rápida sucessão, enquanto seu queixo cai aberto. Eu ignoro a reação dela.

"Então, você tem um amante, Ellie?" Eu pergunto, em voz baixa, sedutora, meu olhar está sobre ela com aquecida intensidade. Eu preciso saber se alguém está atravessado no meu caminho. Ela era minha esposa! Ela prometeu me encontrar, ainda que fosse no tempo de uma vida e mais de 200 anos atrás! Estou dolorido por dentro por ela; ela está a 60 cm de distância de mim, mas eu não posso tocá-la sem o seu consentimento. O pensamento é angustiante, insuportável para a minha alma escura. Será que ela dirá que ela tem alguém que ela fode, alguém que ela ama? Eu posso lidar com alguém que ela fode; inferno, eu posso até lidar se ela está fodida por uma cidade inteira, mas eu não poderia suportar se ela amasse alguém. Eu não poderia, eu não iria separá-la de alguém que ela ama, mesmo que isso signifique o fim para mim, perdendo o pouco de humanidade que ficou em mim, se ficou. Eu a amo demais para fazer isso com ela. Mas, eu tenho que saber! Eu escondo a minha miséria por trás da minha fachada serena bem treinada, e preparo-me para a resposta.

"Atualmente não..." ela responde, engolindo, os olhos fixos nos meus, incapaz de desviar o olhar. Isso significa que ela teve um? Um ex? O ciúme nasce em mim. Ela pressiona os joelhos juntos, os pés pressionando para baixo no chão, em um esforço para suprimir alguma dor em suas coxas. Eu não presto muita atenção a suas reações físicas porque ela é minha alma gêmea. Nossos corpos sempre chamam um ao outro. O que eu quero dela é o corpo e a alma por toda a eternidade.

"Entendo," eu digo, e abro minha jaqueta e colocando a mão esquerda no bolso da minha calça lentamente e casualmente, então eu coloco minha mão direita sobre minha perna, correndo-a lentamente para cima e para baixo, e então finalmente, descansando-a no mesmo nível que a minha virilha. Seus olhos seguem cada movimento meu. Sua reação traz à tona o fantasma de um sorriso nos meus lábios. Ela não está imune aos meus encantos.

"Em que implica ser sua assistente, Sr. Pella,” ela pergunta, fazendo beicinho com seus lábios carnudos, com os braços cruzados. Como eu adoraria beijar aquela boca! Ela quer se comunicar comigo. Bem, nada é mais eloquente do que um beijo!

"Eu sou um empresário muito astuto, Ellie. Sou muito duro, e intimido os outros. Eu preciso de uma suave,” eu digo em voz baixa, "gentil, mas profissional, inteligente, charmosa, bonita assistente multilíngue que possa desarmar os principais empresários do mundo. Eu preciso de alguém como  você... Eu digo, encolhendo os ombros.

"Principais empresários do mundo?” Ela pergunta com os olhos arregalados, hiperventilando. "Eu nunca lidei com top de qualquer coisa na minha vida! Minhas loucas habilidades empresariais estão limitadas a lidar com refugiados pobres e crianças abusadas. Esses caras vão me comer viva!" Ela protesta.

Eu me inclino para baixo, perto de seu rosto, com uma ligeira curva dos meus lábios, e dou-lhe um sorriso lento. Anjo, eu nunca permitiria que ninguém a intimidasse, nunca! Proteger você é a missão da minha existência. Meu rosto está a apenas trinta cm do dela. Eu posso ver as especificações individuais de seus pálidos olhos azul-safira, as pupilas dilatadas com preocupação. Mas a minha proximidade está colocando-a em alguma sobrecarga.

"Eu sou grande, mau e feio no meu mundo,” eu digo, lentamente, enquanto o meu dedo indicador está arrastando no meu lábio inferior, e sem tirar meu olhar de seus olhos, que eu não tenho visto por um tempo muito longo, eu digo: "Ninguém se atreveria a ser indelicado com você e muito menos intimidá-la de qualquer forma. Você está pronta para um desafio, Ellie? Ou você gostaria de se contentar com o ordinário, mundano, e monótono, apenas presa em Los Angeles?" Pergunto-lhe desafiando-a, sabendo que ela nunca poderia resistir a um desafio que eu apresentasse a ela no passado.

"Eu queria sair da cidade, colocar alguma distância entre...” diz ela, mas interrompe-se. Colocar um pouco de distância entre o que? Ou, mais importante, quem?

"Sim, eu estou. Experiência de uma semana, você disse? E se você decidir que eu não estou apta para o cargo depois de uma semana, ou se eu decidir que o trabalho não é para mim,” ela diz levantando o nível de seus olhos com os meus. Eu inclino minha cabeça para o lado, e respondo. "É por isso que é chamada uma experiência. Você me experimenta, e eu experimento você, para ver como é que nos encaixamos como um par, trabalhando próximos,” eu digo sombriamente. Eu sei que ela se encaixa em mim em qualquer forma e formato jamais concebido por homens ou anjos.

"Ok,” ela engole. Em seguida, balançando a cabeça: "Eu vou aceitar o desafio,” ela responde corando. Eu fecho meus olhos involuntariamente, ouvindo sua aceitação. O primeiro passo está completo. Quando eu os abro, eu tenho um melhor controle sobre os meus sentimentos. É muito difícil, com sua proximidade e sua ausência da minha vida por todo esse tempo, isso está tomando todo o meu esforço para não fechar a distância, e abraçá-la, beijá-la para unir as nossas almas, e me perder nela até o fim dos tempos!

"Você tem um lugar para ficar em LA?" Pergunto a ela para distrair os meus pensamentos.

"Uhm... Não. Eu não tive a chance de procurar. Eu não tinha certeza se eu iria ficar em LA, ou movendo-me ainda mais longe,” ela responde.

"Quanto mais longe você tem em mente?" Pergunto baixinho. San Francisco? San Diego? Atlanta? Talvez tanto quanto New York?

"Eu não me decidi, eu estava brincando com a idéia de talvez Londres, Paris, Hamburgo, Roma, Istambul, Sidney, ou mesmo Hong Kong...” diz ela se calando. Mas que diabos? Do que ela está fugindo? Ou mais importante, de quem ela está fugindo? Eu tenho que descobrir. Eu cerro os dentes com o conhecimento de que alguém a está tornando inquieta.

"Está tudo bem em sua vida?" Pergunto incapaz de disfarçar a preocupação, com os braços cruzados.

"Por que não estaria?” Ela responde a minha pergunta secamente, tentando me distrair com uma pergunta mal disfarçada.

"Se for isso, eu gostaria de ver o que podemos fazer para resolver o problema,” eu explico calmamente.

"Você sempre resolve todos os problemas de seus funcionários, Sr. Pella?” Ela pergunta com um olhar interrogativo. Eu sorrio maliciosamente em resposta.

"Só os que eu gostaria de manter por um longo tempo...” eu respondo. Minha resposta suspende sua respiração.

"Mas, eu estou em experiência,” diz ela confusa e aperta as mãos na frente dela, brincando com os dedos em um gesto nervoso.

"Sim, você está. Mas, eu vou dizer-lhe um segredo. Eu nunca coloco em experiência ninguém, se eu não achar que vai dar certo. É apenas uma questão de afinar a mecânica de como essa pessoa trabalha comigo. Você pode realmente gostar do trabalho, Ellie,” eu digo em pé, e encontro-me elevando-me sobre ela. "Eu viajo para todos os lugares para onde você queria se mover. Minha empresa tem aeroportos e escritórios em todo o mundo. Você vai ter que ir comigo. Mas me diga, você tem um apartamento, um local que você pendure seu chapéu, ou, talvez armazene seus lindos Louboutins?"   Pergunto olhando para seus pés.

O rosto dela cai.

"Uhm... Na verdade, não. Eu ia encostar, quero dizer, ficar com alguns dos meus amigos, até que conseguisse um emprego e realmente trabalhasse um mês ou dois,” diz ela engolindo. Isso me preocupa mais. Como ela iria para o exterior, se ela não tinha dinheiro? O que a está  preocupando tanto?

"Você está com sorte, então. Eu forneço um lugar para os meus assistentes. Não é um lugar muito grande, mas um apartamento de um quarto, seguro e protegido no Centurion .”

"O Centurion?” ela se sobressalta.

"Sim, a menos que eles construíram outro,” eu respondo sorrindo.

"Eu não posso pagar! Deve ser um dos prédios mais caros em toda a costa oeste!"

"Isso seria parte de seu pacote de benefícios. Eu não gosto de me preocupar com a segurança de quem trabalha para mim,” eu digo e caminho até o bar.

"Agora que você concordou em experimentar por uma semana, você gostaria de uma bebida?" Pergunto, efetivamente mudando de assunto antes que ela recuse a apartamento.

"Diet Pepsi, se você tiver, ou ginger ale, por favor,” ela responde educadamente.

"Bem, eu estou sem Pepsi Diet. Tem certeza de que não quer vinho?"

"Eu tenho que dirigir de volta para Montecito,” diz ela, como forma de explicação.

"Ginger Ale será então. Você pode estar pronta para viajar amanhã?" Pergunto casualmente, esperando que ela diga sim.

"Amanhã? Sim, eu, uhm...” ela faz uma pausa, depois concorda,  tendo decidido, "sim, eu posso viajar. Para onde vamos viajar?” Ela pergunta curiosa.

"Marana, Arizona. Tenho aeronaves a serem leiloadas durante uma semana a partir de amanhã. Isto lhe dará a chance de conhecer o tipo de pessoas com quem lido, mas na nossa própria casa. "

"Marana?” ela pergunta. "Eu nunca tinha ouvido falar do lugar."

"É uma cidade no sul do Arizona, perto de Tucson. Quando você vier amanhã, traga roupas para equitação, caminhadas, golfe, e também leve protetor solar e botas, isto é, além do que você normalmente traz.”

Quando vejo seus olhos perplexos eu digo, "negócios podem ser feitos do lado de fora dos escritórios,” mas eu também quero fazer alguns passeios com ela sozinha. Mostrar-lhe algumas das ruínas, ajudá-la a escanear sua memória, sem coagir.

"A que horas eu preciso estar aqui,” ela pergunta.

"09:30h seria perfeito."

Eu entrego-lhe o ginger ale, e meu dedo mal toca as pontas dos dela. Eu sinto a queimação habitual nas minhas marcas, mas desde que elas ganharam vida, é queimadura agradável de formigamento, excitando mesmo. Percebo seus olhos se arregalarem. Ela tenta acalmar sua respiração e fecha os olhos para diminuir a intensidade da nossa atração magnética. Encaminhando-se lentamente para o bar, ela coloca o copo, do qual ela tomou apenas dois goles.

"Eu tenho que dirigir,  melhor voltar para Montecito uma vez que eu tenho a mala para fazer, e ..." ela abaixa sua voz para um nível que ela pensa que só ela pode ouvir, mas minha audição aguda nunca perde nada, "lidar com a reação da família."

Ela pega sua bolsa e, hesitante, mas intencionalmente, e com um desejo oculto, estende sua mão. Quando eu tomo sua pequena mão na minha, sua respiração acelera, como se ela apenas experimentasse o prazer mais apaixonado da vida dela, e ela fecha os olhos. Quando ela os abre de volta, novamente suas pupilas estão dilatadas, ela está dando um passo para estar no seu caminho. Corro para a porta, e seguro minha mão no lugar, sobre a maçaneta da porta, sem abrir.

"Chegue na hora... Ellie," Eu digo com os olhos escurecendo.

"Alex,” diz ela se despedindo.

"Vou levá-la aos elevadores,” eu digo abrindo a porta, mostrando-lhe o caminho. Tanto James quanto Melissa saltam para seus pés, surpresos ao ver-me levar alguém para fora da porta, primeiro eles olham um para o outro e, em seguida, rapidamente desviam o olhar. Eu a levo para os elevadores, e pressiono o botão de chamada.

Elissa se mexe inquieta ao meu lado. Nossa proximidade é muito inebriante para nós dois, e ela sente isso também. Graças a Deus por isso! A porta do elevador abre. Henry sai, e ela tem um olhar para ele boquiaberta, mas, ele abaixa a aba do chapéu, e diz: "Minha senhora,” ocultando o rosto com uma saudação disfarçada, e sai do elevador e para a parte traseira do escritório. Ela se inclina para trás, atrás de mim, com olhos curiosos, tentando se lembrar de algo. Então sacode a cabeça, e olha para mim.

"Quem..." ela pergunta incapaz de terminar a frase, sua respiração aumenta. Então seus dedos apontam para a direção onde Henry desapareceu, e olha com olhos curiosos, “Quem era esse?” Ela pergunta em voz baixa, quase inaudível. Ele é o homem que se alinhou com seu pai, dedicou sua existência a nos proteger, colocou sua existência em risco em nossa defesa, em sua defesa,  inúmeras vezes. Uma das duas pessoas que eu sempre deixei questionar-me na minha cara. Meu respeito por ele é imenso, porque ele colocou você em sua última existência depois que sua mãe morreu antes de dar à luz a você, e trouxe você de volta à vida quando você não estava respirando. Ele é Doc Henry. Ele é meu amigo...

"Alguém que eu vou precisar no Arizona amanhã,” eu respondo tranquilamente. Ela olha decepcionada, como se ela estivesse esperando por uma resposta diferente.

Um pequeno "oh!" escapa de seus lábios como um gemido. Ela endireita as costas, acena com a cabeça concordando, e caminha para o elevador.

Ainda abalada, "Ciao Alex,” ela murmura, fazendo meu coração dar uma guinada.

"Ellie. Até amanhã ,” eu digo com nostalgia enquanto as portas do elevador se fecham.



18 comments:

sandrs said...

Estou amando !!! Nao consigo parar de ler!!

Gabi Neves said...

Meu DEUS,muitooooooooo bommmmmmmmm!!
Amando já no segundo capitulo!!!
Ansiosa pelos próximos capítulos!!!
Gostoso de ler!!!Devorei os 3 capítulos iniciais já de cara!!
Gostaria d saber se a historia contada no capítulo inicial vai ser melhor explicada no decorrer dó livro?Eu o li 2 vezes,rsrsrsr!
Vc escreve divinamente bem Emine!
Neusa minha linda parabéns pelo tempo e dedicação em traduzir 2 livros ao mesmo tempo!!!Vc e 10!!!

Isabella said...

Amando Pella. Apaixonada mesmo!
O triste é morrer de ansiedade pelos próximos capítulos.....rsrsrsrs.
Parabéns!!!

Danny said...

Uauhhh já encantada e admirada .... Parabéns meninas , ansiosa para os próximos capítulos.....bjs

Anonymous said...

apaixonada por Pella,tb acho triste a espera dos outros capítulos,por favor

Anonymous said...

apaixonada por Pella,tb acho triste a espera dos outros capítulos,por favor

Luxo da Lix said...

Uau! Amando tuuuuudo! Este livro é sensacional!!!

Mari Lins said...

Apaixonante!!!
Depois de ler a história narrada por CG, encontro aqui a narrativa com o mesmo bom gosto em detalhes, descrições e emoções.
Parabéns Emine, você me cativa à cada dia com suas histórias de tão bom gosto.
Neusa, parabéns pelo nível de tradução e dedicação.
Aguardo ansiosa os próximos capítulos.

Pao said...

Realmente muy interesante la historia, tiene una personalidad similar a Christian fuerte y dominantes. Gracias Emine muy interesante, te prende del principio al fin. Seguiré con el póoximo capitulo. Gracias Neusa es grato leer un capítulo bien traducido.

Anonymous said...

Minha nossa!! Santa hora essa que me fez parar aqui...
Estou amando esse romance PELLA.
Parabéns a autora e parabéns a tradutora.
Grande beijo para voces

Anonymous said...

O.M.G!

Aline Ribeiro

Hosana Carelos said...

Emine pode me dizer onde esconde esse baú dos homens facinantes?
Amei Alex Pella.
Neuza e Emine vocês não tem idéia de como essas histórias apaixonantes transformam minha rotina.Eu estou parecendo uma adolecente apaixonada.Amoooo muito tudo isso!
Bjos

Andrea Leoncio said...

Enredo envolvente e fascinante, são adjetivos que apenas superficialmente descrevem esta historia que vc esta nos apresentando Emine... por favor continue escrevendo...não pare nunca.

Daniele Santiago said...

Oh my God! It is so interesting and captivating! I loved this history. Congratulations Emine and Neusa!

Margareth said...

Emine and Neusa....por favor não parem de escrever e traduzir - estou amando a estória.

Emine querida, por favor não pare!!!!! de escrever.

Me respondam, vai virar livro e vai continuar, né?

Por que senão não há sentindo em escrever esta maravilha e parar!!!

bjs em ambas!

Daniela Martins said...

Hello, Emine!
I don't have words to say about this chapter!
It's so perfect!
I loved it!
Thank you....
And congratulations! You're such a amazing writer and a special person!
Love you!
Kisses and hugs
Dani
;-)

Priscila Pessotto said...

Olá girls!
Você que está começando a ler o blog agora ou que já é leitora, agora a Série Pella disponível aqui no blog foi publicada em livro – ECOS NA ETERNIDADE- e em português.
A Emine Fougner colocou a versão em português do Ecos na Eternidade na Amazon por apenas R$ 3,94. Corram para aproveitar o preço porque foi prorrogada a promoção e logo voltará ao preço normal.
É só acessar a pagina da amazon: www.amazon.com.br.
Vamos aproveitar! A história é maravilhosa!
Beijos,
Pry

Giovanna Albuquerque said...

Meu Deus...... Já li tds os Capítulos de Grey 3 x cada. E agora iniciei no Pella e simplesmente amando td isso. Como pode uma mulher ser tão incrivelmente boa no que faz?! Parabéns Emine e Neuza!